Vendas Online: Guia Completo Para Quem Quer Vender Pela Internet

Você sabia que as vendas online não param de crescer no Brasil e no mundo?

As vendas online são uma maneira prática e rápida de comprar. Cada vez mais consumidores preferem essa modalidade de compra. Saiba como aproveitar para lucrar!

As lojas virtuais são cada vez mais comuns. Seja em negócios que funcionam apenas online ou como método de fazer uma loja física crescer. A verdade é essa: hoje em dia, se seu negócio não está na internet, ele praticamente não existe.

Comprar online já é tão comum, que os clientes já esperam isso como padrão para a maioria das lojas. Hoje em dia, entrar no site de um negócio e não encontrar a opção de vendas online causa até mesmo um estranhamento.

E em lojas grandes ou pequenas, novas ou de longa data, sempre existirá um objetivo principal: aumentar as vendas online.

Quer saber mais sobre como potencializar seu negócio online? Leia também esse outro post que escrevi!

Aumentar as vendas online, no entanto, pode não ser uma tarefa tão simples. Mas existem meios para “hackear” o crescimento e conseguir atingir esse objetivo mais rápido. Claro, não é tão simples quanto apertar um botão. Mas esse desafio também não precisa ser tão complicado.

No entanto, é preciso ficar esperto: As regras do marketing digital estão em constante evolução. Nesse mundo, tudo muda muito rápido. Por isso é essencial estar sempre antenado às novas tendências e tecnologias para criar as melhores estratégias!

Com as dicas que preparei nesse guia, você vai notar que os custos para adquirir novos clientes vão cair muito! Além disso, você verá sua taxa de retenção decolar! Quer saber como? Basta continuar lendo para se tornar um expert em vendas online:

O que são vendas online?

As vendas online podem ser entendidas como uma modalidade de comércio relativamente nova. Esse é um estilo de vendas que evoluiu muito em pouquíssimo tempo. É também o que mais cresce atualmente.

A tendência surgiu em 1995, com o lançamento do site da Amazon. Pioneira nesse campo, a empresa hoje é uma das maiores do mundo.

No começo, muitas pessoas tinham receio de fazer compras online. Com a internet ainda não muito difundida e um método tão inovador de vender, não é difícil de imaginar por que. No entanto, conforme o mundo online passou a ser parte integrada do nosso dia a dia, comprar online se tornou o padrão.

Para o consumidor, essa é uma maneira conveniente, prática e muitas vezes mais barata de comprar. Para o vendedor, é possível reduzir custos e potencializar o alcance dos seus produtos. Com vendas online, todo mundo ganha.

Como funciona vender pela internet?

Para fazer vendas online, no entanto, é preciso se inteirar sobre o funcionamento desse sistema. Além disso, você precisará considerar a logística e gerenciamento de estoque, que serão um pouco diferentes do que em lojas tradicionais.

Em geral, você deverá disponibilizar para seu consumidor um catálogo com todos os produtos que seu negócio oferece. Ao escolher um produto, o cliente o coloca em um carrinho de compra virtual. Quanto terminar de escolher, ele fará o pagamento de todos os produtos comprados e os receberá em casa.

Para que tudo isso funcione corretamente, você precisará de uma plataforma de vendas online. Existem muitas opções disponíveis no mercado. Um web designer e um programador podem te ajudar na tarefa de personalizar essas ferramentas para adequar tudo à identidade visual da sua empresa.

É interessante usar uma dessas ferramentas para não precisar reinventar a roda. Elas disponibilizam todas as funcionalidades que sua loja online vai precisar, incluindo validações de segurança e métodos de pagamento.

Depois de realizada a compra, você precisará entregar o produto de alguma forma. Isso normalmente é feito por transportadoras particulares ou pelo sistema de postagem nacional, no caso de produtos físicos. Caso você trabalhe com produtos digitais, basta enviar o link de download para o cliente.

Benefícios das vendas online em comparação ao modelo tradicional

Trabalhar com vendas online pode ser muito vantajoso para o seu negócio. Começar a vender nesse tipo de plataforma exige, de forma geral, um investimento inicial muito menor. E mesmo que você já tenha uma loja física, as vendas online podem fazer seus lucros decolarem. Entenda o motivo:

  • Baixo investimento: não requer aluguel de espaço físico para loja e contratação de vendedores.
  • Venda por demanda: produtos mais custosos ou customizados podem ser encomendados conforme são vendidos, eliminando riscos de perda de investimento.
  • Maior alcance: quando você vende online, seus produtos estão disponíveis para um número maior de clientes. Sua marca pode ter alcance em todo o Brasil, ou até mesmo internacionalmente.
  • Imagem mais profissional para o negócio: a internet já é parte integral da vida do consumidor. Quando um negócio disponibiliza vendas online, parece mais sério, profissional e confiável para seus clientes.
  • Aumento nas vendas: quando você trabalha com o marketing digital e o pareia com vendas online, você vende muito mais. Isso porque o marketing digital normalmente guia o cliente por um determinado caminho, que termina com a compra. Isso é muito mais eficiente quando o consumidor não precisa se deslocar para concluir o negócio.
  • Sempre disponível: enquanto uma loja física tem horário de funcionamento determinado, as vendas onlines estão sempre disponíveis. Seu cliente pode comprar em qualquer horário, qualquer dia. E o melhor: sem custos extras para você.
  • Incentiva compras maiores: como a maioria das lojas online incluem o preço do frete, os clientes normalmente querem aproveitar ao máximo essa taxa. Dessa forma, costumam comprar mais produtos de uma vez para pagar o envio apenas uma vez. Mesmo em casos de frete gratuito, os clientes costumam verificar toda a loja e comprar tudo que precisam para economizar tempo.

Entenda o modelo dos sites de vendas online

Agora que você já sabe como as vendas online podem beneficiar o seu negócio, é hora de entender mais a fundo como elas funcionam. Existem vários tipos de lojas online, assim como existem tipos diferentes de lojas físicas.

Para decidir como você vai trabalhar suas vendas online, é preciso determinar seu portfólio de produtos, seu público-alvo e seu modelo de negócios.

Como em qualquer empresa, o indicado é segmentar o público o máximo possível, além de encontrar um nicho de mercado que possa ser explorado. Claro, temos exemplos de gigantes que lidam com as mais diversas áreas, como a Amazon e o AliExpress. No entanto, essas empresas começaram e se estabeleceram primeiramente explorando um nicho.

Veja o que você precisa decidir sobre suas vendas online antes de começar:

  • Você venderá para outras empresas ou para o consumidor final?
  • Que nicho você vai atender?
  • Você trabalhará com vendas no atacado ou varejo?
  • Seus produtos são físicos ou digitais?
  • Como você fará o gerenciamento da logística de estoque e envio?
  • Que sistema de e-commerce você usará?
  • Como você trabalhará o marketing para sua loja online?

Vamos entender um pouco mais sobre alguns desses aspectos a seguir. Se você quiser ler sobre estratégias de marketing digital para vendas online, pode ler esse outro post que escrevi. Lá você encontra informações mais completas sobre esse assunto. Outra leitura que recomendo é esse post sobre nichos de mercado.

E-Commerce B2B x E-Commerce B2C

Da mesma forma que para negócios físicos, você precisa determinar se sua loja online atenderá outras empresas ou o consumidor final. Isso é muito importante para determinar a identidade visual da loja, o sistema de vendas e a forma de entrega.

Por exemplo, vamos supor que você esteja trabalhando com vendas online de sapatos. Se você for vender para outras empresas, seu público-alvo provavelmente serão lojas físicas de calçados, que irão revender seu produto. Dessa forma, você deverá pensar em vender no atacado e com preços que possibilitem a revenda. Provavelmente, você também precisará contratar uma transportadora para realizar as entregas.

Já se o seu público for o consumidor final, você provavelmente trabalhará com varejo, e com uma margem de lucro maior por peça. É possível fazer as entregas através do sistema de postagem nacional, já que os envios serão menores. Também será possível adequar a publicidade e identidade visual da loja para seu público-alvo.

E-Commerce Atacadista x E-Commerce Varejista

Não podemos afirmar que é uma regra que lojas B2B vendem em atacado e B2C vendem para varejo. Esse nem sempre é o caso. Dependendo do seu modelo de negócio, o contrário pode, sim, acontecer.

Então, é preciso analisar o que é esperado pelo seu público, e o que é mais condizente para seu produto. Lembre-se de levar em consideração os custos com transporte, em especial de produtos no atacado.

Muitas lojas oferecem até mesmo as duas opções: disponibilizam o produto com preço de varejo e oferecem descontos para compras no atacado.

Veja um exemplo de site voltado para o consumidor final que oferece compras em grandes quantidades (e note o uso dos gatilhos mentais!):

E-Commerce de Produtos Físicos x E-Commerce de Produtos Digitais

Os produtos digitais são cada vez mais populares. São práticos para o consumidor e muito mais baratos para o vendedor. Cada vez mais pessoas estão dispostas a pagar por streaming, livros digitais e inúmeros outros tipos de produtos.

É só pensar no modelo de negócio da Netflix e do Steam: São negócios que trabalham com vendas online e tiveram um enorme sucesso. No entanto, não oferecem produtos físicos para seus consumidores.

No caso da Netflix, o cliente paga uma mensalidade para ter acesso a um serviço de streaming. E no do Steam, está comprando jogos que podem ser diretamente baixados para o computador, sem o uso de mídias físicas para instalação.

Existe uma infinidade de produtos digitais que podem dar muito certo.

Como criar meu site para vendas online

E você, já decidiu qual será o seu modelo de negócio? Então é hora de se preparar para montar o seu site para vendas online! Para facilitar e garantir que você não esqueça de nenhum detalhe no planejamento, eu preparei um passo a passo simples que te ajudará nessa jornada.

Em apenas seis passos, você está pronto para começar suas vendas online, seja você o dono de uma startup nova em folha ou um comerciante de longa data! Vamos lá? É só continuar lendo para conferir:

#1 Configurações Iniciais

O primeiro passo é decidir qual plataforma você utilizará para oferecer os seus produtos online. Muitas pessoas escolhem começar com sistemas de lojas compartilhadas, como o Mercado Livre ou o Etsy. No entanto, se você procura algo mais profissional (e essa é uma ótima ideia), você precisará montar o seu próprio site de vendas online.

Mas não se assuste: não é preciso pagar pelo desenvolvimento do zero. Existem ferramentas prontas que oferecem a maioria das funcionalidades que sua loja online vai precisar. Utilizando elas, você só precisará se preocupar com o design do site e o cadastro de produtos.

Usar esse tipo de ferramenta é extremamente recomendado, até mesmo por questões de segurança, como vamos entender melhor mais à frente. Dê uma olhada em algumas das opções mais populares de plataforma de e-commerce:

Existem, é claro, inúmeras opções. A melhor forma de escolher a sua é verificando todas as funcionalidades e se certificando de que a plataforma atende as necessidades do seu negócio.

Não deixe de pesquisar opiniões de outros clientes que utilizam essas plataformas na internet e tirar todas as suas dúvidas com a equipe de suporte da ferramenta antes de decidir.

Confira também algumas questões que podem te ajudar na escolha:

  • Permite atualização conforme novas necessidades?
  • O módulo de gerenciamento é fácil de usar?
  • Pode ser adaptada à identidade do meu negócio?
  • Oferece integração com as demais tecnologias (meios de pagamento, atendimento via chat online, segurança das informações)?
  • Tem flexibilidade para integração com sistemas internos da empresa?
  • Permite otimização para sites de busca?
  • Possui um bom canal de suporte?
  • É compatível com os principais navegadores?
  • É conhecida por vários desenvolvedores?
  • Existem casos de sucesso que usaram a mesma tecnologia?

Segurança

É interessante ressaltar que você precisará considerar a segurança dos dados para trabalhar com vendas online. Afinal, você estará lidando com informações financeiras confidenciais, como números de cartão de crédito. Além disso, o site precisará realizar operações de cobrança.

As plataformas para e-commerce normalmente já possuem as certificações de segurança que você vai precisar. Por isso não é recomendado desenvolver a loja online do zero. As ferramentas contam com plugins para pagamentos que lidarão com esses dados sensíveis para você, garantindo a segurança dos seus clientes.

Outro fator é a confiabilidade: O consumidor sentirá mais segurança ao utilizar métodos de pagamento que possuem certificados de segurança. Lembre-se que é fundamental que seus clientes se sintam protegidos no momento da compra.

Escolhendo o domínio do seu site de vendas online

Com esses detalhes resolvidos, é hora de pensar no domínio do site. O domínio nada mais é do que o endereço pelo qual os visitantes chegarão à sua loja. É verdade que hoje a maioria dos compradores chegarão ao seu negócio através dos sites de busca. Mesmo assim, o endereço não deixa de ser importante.

O ideal é que ele seja curto, descritivo e que reflita sua marca. A maioria das empresas utiliza o nome do negócio no domínio. Se você tiver um site institucional, você pode criar uma seção para a loja online ou até mesmo um subdomínio. Por exemplo: “loja.seusite.com.br”.

O domínio que você queria está em uso? Saiba aqui o que fazer!

Não esqueça: o domínio da sua loja fará parte da sua estratégia de SEO. O nome da sua empresa pode ser um trunfo de marketing. É só se planejar cuidadosamente para isso.

Escolhendo a hospedagem do seu site de vendas

O plano de hospedagem que você escolherá é muito importante, em especial para um e commerce. Esse tipo de site está repleto de scripts, ferramentas, plugins e conexões que exigem bastante do computador onde está hospedado. Por isso, planos de hospedagem compartilhada dificilmente serão o suficiente.

Embora sejam perfeitos para sites institucionais e landing pages, esse tipo de plano oferece uma baixa capacidade de processamento. Isso significa que sua loja online ficará lenta, podendo até mesmo apresentar erros e problemas de conexão.

Você também precisará de uma boa conexão com banco de dados, já que é esse o tipo de tecnologia utilizada para cadastrar e exibir os produtos. Se você não entende muito sobre isso, o ideal é contratar um web developer que se responsabilize também pela escolha da hospedagem.

A equipe de suporte dos hosts também podem ajudar muito, eles poderão te indicar o plano mais adequado para as necessidades do seu site se você informar qual plataforma está usando para as vendas online.

Certificar-se de que o consumidor não vai ver nenhum erro no site é fundamental. Isso garante a confiabilidade e sensação de segurança ao comprar. Além disso, evita que o cliente desista de realizar a compra e procure outra opção.

Instalações gerais

Quando tudo estiver decidido e planejado, você precisará montar o site em si. É interessante levar em consideração a identidade visual da sua empresa para isso. Além disso, não esqueça de incorporar gatilhos mentais e usar a psicologia das cores.

Além do visual, é importante se certificar de que a parte técnica está em dia. Será necessário cadastrar todos os produtos oferecidos, além de instalar plugins que possibilitem diferentes formas de pagamento. Lembre-se: quanto mais conveniente para seu consumidor for o processo, mais você vai vender.

Também é importante pensar em plugins que possibilitem reviews da loja e dos produtos. As avaliações de outros usuários oferecem confiabilidade e credibilidade a loja. Isso pode ser feito através de depoimentos, classificação de estrelas e outros tipos de pontuação.

#2 Crie um site amigável

A parte técnica da sua loja online está pronta! Parabéns! Agora, é hora de garantir que a experiência de compra será o mais agradável possível para o seu consumidor.

É muito importante que a loja seja acessível, fácil de usar, simples e intuitiva. E, claro, ela deve utilizar a comunicação visual para reforçar sua marca e falar diretamente com sua persona.

Quando falamos de um site “amigável”, estamos emprestando essa expressão do inglês “user friendly”. Ou seja: o layout é intuitivo e não são necessárias instruções específicas para que o cliente o use. Mesmo o mais leigo dos compradores deve ser capaz de efetuar uma compra rapidamente.

Veja algumas coisas importantes para a experiência do usuário:

  • A navegação do site deve estar clara e ser acessível.
  • Ofereça links visíveis para FAQs, informações de envio e pagamento e para as políticas de segurança da loja.
  • O processo de adicionar um item no carrinho não deve precisar de mais de um clique.
  • Deve ser possível finalizar a compra de maneira prática e rápida, preenchendo o mínimo possível de formulários.
  • Você deve disponibilizar fotos e informações detalhadas sobre todos os produtos, incluindo peso, tamanho, cor, material e outros pontos relevantes.
  • O sistema de busca de produtos na sua loja deve ser fácil de usar e dinâmico.
  • Promoções e vantagens devem estar sempre em destaque.
  • Se possível, ofereça um serviço de atendimento online instantâneo para responder dúvidas, como chats diretamente no site.

Comunique com a sua persona

A comunicação visual é uma das suas ferramentas de marketing mais poderosas! Não deixe de aproveitar ao máximo esse recurso.

O visual do seu site deve “falar” diretamente com sua persona. Para isso, é preciso entender bem para quem você está vendendo. Essa comunicação deve estar presente em todos os detalhes: nas cores, na escolha da tipografia, no modo de falar, nas imagens… Até mesmo na maneira que você apresenta os seus produtos.

Quanto mais detalhada for a persona que você criar para sua empresa, mais fácil é direcionar esse processo. Quando você conhece seu consumidor, sabe as características que ele valoriza, o que ele procura e o que chama sua atenção.

Por exemplo, imagine que você está vendendo fones de ouvido. Dependendo do seu público, é mais interessante destacar as especificações técnicas do produto. Outro tipo de consumidor pode comprar com base apenas na aparência do produto.

Um outro público, ainda, se preocupa mais com o conforto da peça. E essa variação toda diz respeito a apenas um item!

Por isso, é importante saber para quem você quer vender: Essa informação te diz como vender.

Trabalhe bem o design do seu site de vendas

Um bom design não deve ser subestimado, principalmente quando você está trabalhando com vendas online. É preciso que a navegação do site seja simples e atrativa.

Quanto mais fácil for navegar pelo seu catálogo de produtos, mais os usuários estarão dispostos a conhecer novas opções de compra.

Atualmente, as vendas online estão tão normalizadas que os consumidores costumam fazer a versão online do “window shopping”. Ou seja, o famoso “apenas olhar” do brasileiro.

Acontece que, olhando as opções disponíveis mesmo quando não pretende comprar nada, o cliente pode achar algo irresistível na lista, ou até mesmo separar algo para comprar em outra oportunidade. Então, outra funcionalidade interessante para incluir na sua loja online é a da lista de desejos.

O fato é: quanto mais fácil e agradável for a navegação do seu site, mais vendas você fará.

Veja algumas dicas para não errar no design:

  • Não polua o site com anúncios. O ideal é ter uma única área na página inicial para promoções.
  • Crie um sistema de filtragem dinâmica para o catálogo, para que o consumidor possa ver apenas os produtos que o interessam.
  • Sempre ofereça fotos dos produtos. Se possível, até mesmo vídeos. Quanto mais visual for o catálogo, melhor.
  • Preços, promoções e vantagens devem estar em destaque na descrição dos produtos.
  • Ofereça opções de personalização do produto diretamente na página de descrição deles, antes que o cliente o adicione no carrinho.

Mobile Friendly

Você sabia que a grande maioria das pessoas acessa a internet apenas através de smartphones ou tablets? Por isso, é mais do que essencial, hoje em dia, que sua loja online seja acessível através desses aparelhos.

Isso significa, por exemplo, que o layout escolhido deve ser responsivo. Ou seja, ele deve ser capaz de ajustar-se automaticamente a qualquer tamanho de tela. Essa é uma ótima forma de manter a identidade visual e a acessibilidade em todos os meios de acesso.

Existem outras coisas a considerar para vendas online em mobile:

  • Não utilize funções como mouseover em menus. Lembre-se de que em telas touch screen não haverá um mouse, e o cliente pode ficar sem acesso à parte do site.
  • Certifique-se de que todos os scripts usados funcionam em plataformas mobile.
  • A navegação do menu e do catálogo precisam se ajustar automaticamente.
  • O ideal é que o cliente nunca precise usar a função de zoom do navegador para navegar na loja em um smartphone ou tablet.
  • Busque eliminar a ocorrência de barras de rolagem horizontais no site.

Conteúdo

Nem só de aspectos técnicos é feito um site. O conteúdo é importantíssimo, principalmente no setor de vendas online. Afinal, esse será o meio que você tem para convencer o consumidor a realizar a compra.

Você pode, e deve, usar estratégias de marketing de conteúdo para potencializar as vendas online. Para isso, você pode criar um blog para a marca ou oferecer material informativo gratuito, por exemplo.

Outra forma de trabalhar o conteúdo da loja online é certificando-se de que os produtos acompanham descrições completas e precisas. Adicionar depoimentos de outros clientes é um toque especial que não deve ser subestimado.

Além disso, lembre-se de criar páginas de suporte para sanar possíveis dúvidas o mais rápido possível. Geralmente, além do catálogo de produtos, lojas online contam com as seguintes páginas:

  • Perguntas frequentes respondidas.
  • Informações sobre envios, incluindo locais atendidos, prazos, opções e custos.
  • Informações sobre os métodos de pagamento aceitos.
  • Políticas de devolução e proteção ao consumidor.
  • Políticas de segurança e termos de privacidade.
  • Opções de contato com atendentes para sanar outras possíveis dúvidas.
  • Instruções de uso, tutoriais e outras informações úteis sobre os produtos.
  • Informações sobre as redes sociais da marca.
  • Links para o site institucional ou blog da empresa.

#3 Faça a otimização das páginas do seu site

Assim como um site institucional ou blog, a loja online também precisa passar pelo processo de otimização SEO. Afinal, a grande maioria dos novos clientes encontrarão sua loja através de mecanismos de buscas. Então, capriche!

Os métodos básicos de otimização SEO continuam valendo. No entanto, é preciso lembrar que você estará lidando com textos muito menores do que em um blog, por exemplo. Dessa forma, existem estratégias específicas que você precisa usar para compensar o número de palavras e quantidade de informações disponíveis.

Confira as principais otimizações SEO a serem realizadas:

Palavras-chave

Mesmo sendo a forma mais antiga de trabalhar o SEO, as palavras-chave continuam importantíssimas. Isso é especialmente verdade em vendas online.

É importante lembrar que existem sites de busca específicos para e-commerce, como o Buscapé. Dessa forma, você tem uma busca a mais onde pode rankear os seus produtos.

Pesquisar as melhores palavras-chave para incluir nas páginas dos produtos é essencial. Existem diversas ferramentas que você pode usar para esse fim. Eu falei um pouco mais sobre algumas opções gratuitas nesse outro post.

Não esqueça: apenas encher a página com a palavra-chave não é um método eficiente de rankear sua loja. É preciso cuidar da semântica, oferecendo contexto para as informações. Além disso, utilize outras palavras relacionadas à busca e não deixe de adicionar fotos e vídeos dos produtos.

Title, Meta e Heading Tags

As tags são informações que aparecem no código da página. Elas podem ou não ser exibidas para o consumidor final, mas certamente serão vistas pelos mecanismos de busca.

As informações nessas tags são usadas para ajudar os algoritmos de indexação a entender que tipo de conteúdo a página contém. A partir delas, o script consegue identificar para quais buscas aquele resultado será relevante.

As title e meta tags também ajudam a ajustar a visualização dos resultados das buscas. Veja nesse exemplo:

Copywriting

O copywriting é uma técnica de escrita perfeita para usar em lojas online. Ele é como o discurso de um bom vendedor, então, é essencial para ajudar nas suas vendas online.

No entanto, é preciso usar bem as técnicas. Quando mal aplicado, o copywriting pode fazer mais mal do que bem. Se quiser aprender mais sobre isso, escrevi um post com algumas dicas incríveis.

Essa técnica utiliza uma variedade de gatilhos mentais para convencer o leitor sobre algo. No caso, pode ser utilizada para incentivar a compra.

Para acertar na medida, mantenha os objetivos desse formato em mente:

  • Inspirar o leitor.
  • Influenciar um início de uma relação com a marca.
  • Motivar o leitor a tomar uma atitude em relação ao serviço ou produto.

 

Para entender melhor como compor o texto, vamos rever os principais elementos do copywriting:

  • Urgência: ofertas por tempo limitado ou informação sobre quantos produtos restam no estoque.
  • Conexão: gerar identificação com o cliente, com informações como “qualquer pessoa pode usar” ou “ideal para você, que…”
  • Especificidade: mostrar que aquele produto é específico para o que o cliente precisa.
  • Transformação: ressaltar os efeitos do produto na vida do cliente, com frases como “simplifique sua rotina” ou “você não vai mais viver sem”.
  • Chamada para ação (call-to-action): verbos no imperativo que incentivam a ação, como “compre agora” ou “clique aqui e saiba mais”.
  • Exclusividade: ofereça edições limitadas e vantagens exclusivas para clientes regulares ou cadastrados.

Velocidade de carregamento

Atualmente, a grande maioria dos seus cliente, se não todos, estão mais do que acostumados com internet de alta velocidade. Foi-se o tempo em que as pessoas estavam dispostas a esperar longos períodos de carregamento.

Na verdade, hoje em dia, se uma página demorar mais do que dez segundos para carregar, as chances são de que o usuário desista ou acredite que existe algum erro no site.

Para ter sucesso nas vendas online, é essencial que o site carregue rápido e não apresente nenhum erro. Acredite: não importa o que você está vendendo, existem outras opções na internet. Se o seu site for lento e recheado de problemas, seus clientes não vão hesitar em procurar a concorrência.

Por isso, invista em um bom plano de hospedagem e no desenvolvimento de um site com o código limpo, leve e funcional.

Local Search

Embora lojas online tenham o potencial de atender clientes no mundo todo, talvez seja uma boa ideia começar com um negócio mais local. Os custos de envio e manejo de burocracia, nesse caso, são bem menores. Também é mais fácil manejar o estoque se você tem um público selecionado geograficamente.

Para isso, no entanto, você precisará otimizar o SEO do site para as buscas locais. Essas são as buscas em que o local acompanha a palavra-chave. Veja um exemplo:

Muitos compradores, inclusive, preferem comprar dentro do próprio estado mesmo pela internet. Isso porque o frete costuma a ser mais barato e os produtos chegam mais rápido.

Se você quiser dicas sobre como você pode trabalhar a otimização SEO para buscas locais, pode ler esse post. Não esqueça também de cadastrar sua loja no Google Meu Negócio se você possuir um estabelecimento físico.

CTA’s para captura de emails

No ramo de vendas online, é importantíssimo criar um canal de comunicação com o seu consumidor. Através dele, será possível informar o cliente sobre ofertas especiais, promoções, novos produtos e muito mais.

Para isso, você precisará de uma informação valiosíssima sobre seu cliente em potencial: o endereço de email. Através de email marketing, é possível criar uma relação duradoura com seu público.

Para conseguir o email e autorização para comunicação, no entanto, você deverá usar os call to action. As CTA são frases com verbos no imperativo, que chamam o cliente e o convidam a realizar uma ação.

É importante oferecer alguma vantagem tangível para os clientes em troca dessa informação. Veja alguns exemplos:

  • “Clique aqui e receba as melhores ofertas por email”
  • “Cadastre-se e fique por dentro de todas as nossas novidades”
  • “Assine nossa newsletter para ter direito a vantagens exclusivas!”
  • “Participe do nosso programa de benefícios! Clique aqui e saiba mais!”

#4 Prospecção de Leads

Como falei no tópico anterior, manter uma linha de comunicação com os seus clientes é um dos pontos mais importantes ao trabalhar com vendas online.

Essencialmente, toda pessoa que te fornece um endereço de email é um comprador em potencial. No marketing digital, chamamos esses futuros clientes de leads.

Se quiser algumas dicas sobre como aumentar sua geração de leads, dê uma olhada nesse post.

Uma vez que você tem leads, no entanto, é preciso saber o que fazer com eles. Afinal, de nada serve uma lista gigante de emails se você não os usa para nada. Seu objetivo final deverá ser levar esses leads a tornarem-se compradores.

Lista de emails

A lista de emails capturados é um dos bens mais preciosos do seu negócio. Com esses endereços, você poderá planejar campanhas de marketing extremamente diversas.

Veja alguns exemplos que você poderá fazer:

  • Informar sobre novidades na loja e no blog
  • Oferecer descontos especiais para clientes cadastrados
  • Divulgar promoções, ofertas e programas de vantagens
  • Estreitar o relacionamento através de mensagens de aniversário e festas
  • Informar sobre mudanças e atualizações no site
  • Criar campanhas de lançamento ou pré-lançamento de produtos exclusivamente para assinantes

Vídeos de vendas

Você sabia que os vídeos são o tipo de conteúdo que mais estimulam engajamento nas redes sociais? E não é para menos: é uma mídia extremamente visual, interativa e interessante.

Se você puder incluir no seu site vídeos sobre seus produtos, ou até mesmo criar um canal no Youtube para a loja, essa é uma estratégia incrível para gerar leads e incentivar compras.

Os vídeos também estimulam compartilhamentos e ajudam o consumidor a decidir fazer a compra. Eles podem ser comerciais, demonstrações do produto ou até mesmo reviews.

Quer um exemplo de sucesso? Dê uma olhada no canal no Youtube e páginas de produtos do Vat19.com. Os vídeos irreverentes agregam valor ao produto e ajudam com o marketing.

Remarketing

Você sabe o que é remarketing? Tratam-se das estratégias voltadas para recuperar o cliente em potencial que, por algum motivo, saiu do site antes de realizar a compra. Escrevi um guia completo sobre o assunto anteriormente, você pode ler o conteúdo nesse link.

Provavelmente você já deve ter adicionado produtos no carrinho de compras em um site e desistido. Nessa ocasião, você recebeu um email do site falando que seus produtos ainda estão reservados, ou que falta pouco para concluir a compra? Bem, isso é um exemplo de remarketing.

Outros exemplos são:

  • Anúncios baseados nas suas buscas recentes
  • Emails oferecendo descontos em produtos visualizados
  • Emails com seleções de produtos similares aos visualizados
  • Mensagens que oferecem vantagens quando o usuário está para fechar o site

Facilite a jornada do lead até o carrinho de compras

Pode parecer óbvio, mas eu considero muito importante reforçar essa informação. O cliente que chega a fazer uma compra percorreu todo um caminho no seu site antes disso. É fundamental conhecer bem esse caminho e torná-lo o mais simples e prazeroso possível.

Por exemplo, imagine que um cliente encontre sua loja através de uma anúncio no facebook para um produto. Você tem, no entanto, um catálogo com mais de 100 opções. É conveniente enviar esse cliente diretamente para a página de compra do produto anunciado ao oposto de para a página principal do site.

É verdade, ele tem menos chances de encontrar outros itens. Mas o mandando para a página inicial, a maior probabilidade é de que ele não encontre o que precisa e não compre nada.

Para evitar colocar seus clientes em um “beco sem saída” no seu site usando essa técnica e estimular a navegação e visualização de outros itens, você pode usar as sugestões de produtos relacionados. Veja:

O mais importante é: ao encontrar o produto que deseja, o cliente não deve precisar de mais de dois cliques para adicioná-lo ao carrinho, nunca. O ideal é que isso possa ser feito tanto na página de descrição do produto como diretamente no catálogo.

#5 Monitore os seus resultados

Não canso de repetir: Para ter sucesso, é preciso acompanhar os seus números. Sem um monitoramento detalhado e frequente, é impossível entender o que está dando certo e o que precisa ser trabalhado.

Ao acompanhar as estatísticas das suas vendas online, é possível:

  • Identificar problemas e aplicar soluções dinamicamente
  • Reduzir custos com medidas de marketing inefetivas
  • Investir em ações que provocam melhores respostas no seu público
  • Se planejar para o futuro e manejar o crescimento do seu negócio
  • Reduzir problemas de estoque e logística
  • Encontrar novos nichos de mercado
  • Potencializar suas vendas
  • Conseguir muito mais leads
  • Aumentar o alcance da sua marca

Existe uma grande variedade de ferramentas que possibilitam o monitoramento dos mais diversos dados. Desde quais são suas páginas mais visitadas, número de cliques e o caminho que seus clientes percorreram no site até coisas muito mais complexas.

É possível monitorar quais são as áreas de mais atenção no seu site, ou até mesmo em que ponto do processo seus clientes desistem da compra.

Não deixe de pesquisar sobre os diversos tipos de ferramentas disponíveis e encontrar um conjunto delas que atenda a todas as necessidades do seu negócio. Você pode começar lendo esse post que escrevi sobre monitoramento.

Google Analytics

O Google Analytics é certamente uma das ferramentas de monitoramento mais usadas atualmente. Mesmo que você utilize outras opções, eu recomendo que você acompanhe as estatísticas através dela.

A utilização é gratuita, e você estará trabalhando com os dados do mecanismo de busca mais importante da atualidade.

É possível acompanhar diversos aspectos do seu site, como visitas, pessoas online e páginas mais populares. Para configurar, basta adicionar o código fornecido a todas as páginas que devem ser monitoradas.

#6 Suporte pós-venda

Lembre-se: em nenhum tipo de interação com o consumidor, a relação acaba no momento da venda. Não poderia deixar de ser assim com as vendas online.

Nesse modelo de consumo, ainda mais do que nos outros, o cliente espera suporte e cuidado pós-venda.

E isso não vale apenas para os casos onde existe algum problema na compra.

É importantíssimo acompanhar o cliente para que ele sempre volte à loja. Ele deverá continuar a receber ofertas, novidades e avisos sobre promoções. Inclusive, é uma boa ideia oferecer vantagens especiais para clientes que já compraram com você anteriormente.

Sua equipe também precisa estar disponível para responder eventuais dúvidas quanto ao uso do produto, tempo de entrega e outros detalhes. E, principalmente, se algo der errado, sua equipe deve estar pronta para resolver tudo o mais rápido possível.

Eu sempre digo que não é com uma experiência de compra ruim isolada que você perde um cliente para sempre. É com a forma que você lida com a situação no pós-venda. É possível conquistar um cliente que teve problemas na compra através de um atendimento transparente, personalizado e eficiente.

FAQ e Chat Ativo

Esses são dois elementos importantíssimos no seu site de vendas online. Disponibilizar um chat online com alguém da equipe é uma ótima forma de garantir que as dúvidas do cliente sobre o produto sejam sanadas na hora, antes que ele saia do site. Afinal, é muito mais provável que a compra seja realizada nesse momento.

Já a página com as perguntas mais frequentes e suas respostas pode diminuir muito o volume de atendimentos que a equipe precisa realizar. Como resolve o problema da maioria dos consumidores, grande parte deles deixarão de precisar usar o chat.

Ferramentas para criação de anúncios de vendas online

Uma vez que o seu site para vendas online for ao ar, você precisará pensar no marketing. Afinal, as pessoas precisam saber que sua loja existe antes que você consiga vender.

O rankeamento em buscas através da otimização SEO é importantíssima, claro. Mas também é preciso considerar estratégias para gerar tráfego pago.

O tráfego pago se refere aos clientes que chegam na sua loja virtual através de anúncios. Geralmente, esse tipo de tráfego apresenta uma taxa de conversão maior, já que o cliente acessou o site já com a intenção de comprar determinado produto.

Devo destacar a importância das landing pages nesse tipo de divulgação. Eu escrevi um post completo sobre elas, que você pode ler nesse link. Em resumo, as landing pages servem para “receber” os usuários que clicam em determinados anúncios, direcionando-os exatamente para o produto.

Isso evita que o usuário não consiga encontrar o produto que chamou sua atenção no anúncio e desista da compra. Landing pages também são ótimas para promoções especiais e eventos.

Atualmente, existem inúmeras opções para divulgar serviços online. A seguir, vou falar um pouco sobre os veículos mais populares. Confira:

Google Adwords

O Google Adwords é um dos mais antigos, e ainda mais populares atualmente, sistemas de veiculação de anúncios. Através dessa plataforma, é possível criar anúncios em texto que aparecem no topo das buscas no Google.

Além disso, a ferramenta disponibiliza a opção de cadastrar banners. Esses anúncios são exibidos em sites que incluem em suas páginas um código específico. Os sites que exibem os anúncios do Google recebem por impressão.

É um sistema que funciona muito bem, há muito tempo. Lembre-se que é possível segmentar os anúncios baseados em palavras-chave específicas. Então, é interessante estudar bem qual é a melhor opção para investir.

Facebook Ads

O Facebook Ads vem disparando em popularidade nos últimos anos. A plataforma oferece diversas modalidades de divulgação. Entre elas, estão a promoção de posts, páginas, vídeos e imagens, ou até mesmo de um link direto para sua loja online.

O destaque, além da variedade de formatos, vai para as possibilidades de segmentação. Como o Facebook conta com uma quantidade gigantesca de dados sobre os hobbies e interesses dos seus usuário, é possível selecionar o público de maneira extremamente específica.

Instagram Ads

O Instagram Ads é muito parecido com a plataforma do Facebook. Afinal, as empresas pertencem ao mesmo dono. O diferencial é o uso das hashtags como ferramenta de segmentação, ajudando a identificar clientes em potencial.

YouTube Ads

Os anúncios do Youtube são vídeos de pequena duração que aparecem intercalados no conteúdo normal do site. Eles são inseridos apenas em vídeos que o sistema de monitoramento considera “ad-friendly”, o que exclui conteúdo impróprio para crianças, por exemplo.

Pode parecer complexo gravar um comercial em vídeo, mas o próprio Youtube oferece uma solução: O site disponibiliza indicações de diretores na sua cidade para produzir o anúncio.

Técnicas de Growth Hacking para crescer seu site de vendas online

O growth hacking consiste em usar seus conhecimentos sobre a web de forma a aumentar seus números, e rápido. Por isso, não se engane: nada aqui é considerado uma má prática ou pode afetar negativamente o seu rankeamento.

Apesar no nome passar a impressão de que basta apertar um botão, o growth hacking não é mágico. Ele exige conhecimento, ética, dinamismo e agilidade.

A seguir, vou te dar as 14 dicas mais incríveis para aplicar o growth hacking ao seu site de vendas online e ver seus números decolarem! Continue lendo para descobrir como:

1. Use extensões de Ads para conseguir cliques direcionados

Extensões de ads são uma forma incrível de expandir a escala dos seus ads no Google e no Bing.

Essas simples extensões permitem que você adicione detalhes pertinentes para seu público nos anúncios. O objetivo é aumentar a taxa de cliques e fazer seus ads se destacarem entre os outros ads básicos que somente mostram o título, URL e um pouco de texto.

Quando você usa extensões de ads, consegue um ad mais interativo e robusto. Veja um exemplo a seguir:

adextensions1

Note os links em azul no final dos anúncios. Além deles, é possível adicionar outras opções. Um exemplo é a classificação com estrelas:

adextension2

Veja uma lista de aspectos extras que você pode usar para incrementar seus anúncios:

  • Extensões de links para mostrar links adicionais para o seu site no final do texto
  • Extensões de local para mostrar o local do seu negócio. É possível incluir links para instruções de como chegar e até mesmo horários de abertura e fechamento
  • Extensões de chamada para adicionar um número clicável para o seu ad
  • Extensões de avaliação para apresentar avaliações de terceiros dentro do seu ad
  • Extensões de frases de destaque para incluir elementos e benefícios como frete grátis, garantias e outras promoções

Além de poder oferecer mais informação sobre o negócio para seu cliente em potencial, o seu anúncio ficará diferente dos demais. Essa é uma forma simples e rápida de se destacar!

2. Alimente seu funil com ofertas de aprimoramento de conteúdo

Marketing de conteúdo pode consistentemente entregar novos leads para a sua loja virtual. Também pode criar e manter relações com seus clientes existentes.

Eu não canso de dizer o quão importante para a imagem da sua empresa é oferecer conteúdo de qualidade para seu público. Isso mostra que a empresa se preocupa em levar a ele informação útil e interessante, e não apenas em convencê-lo a comprar. Mesmo para vendas online, onde seu maior objetivo é vender, mostrar essa preocupação para o cliente é importantíssimo.

Um relatório ou eBook gratuito, por exemplo, é um método comprovado de geração de leads e movimentação de clientes através do seu funil.

leadmagnet

Mas você pode estar perdendo algumas conversões.

Dependendo do seu público, essa oferta de conteúdo pode não se aplicar a alguns segmentos que você gostaria de converter.

Então, o que você pode fazer para atrair aqueles assinantes que não estão instigados pela sua oferta?

A solução é montar um aprimoramento de conteúdo designado para aquele segmento de público.

Brian Dean fala sobre isso em um estudo de caso onde ele alavancou as conversões em mais de 750% em um só dia.

Você pode fazer o mesmo promovendo um único aprimoramento de conteúdo nas suas postagens de blog mais populares, ou até mesmo em cada postagem que você criar.

Brian menciona que Kim Roach usa essa tática em uma postagem discutindo o top 10 trabalhos do Fiverr para donos de pequenos negócios.

contentupgrade

No fim da postagem, há uma opção para fazer o download de uma lista muito maior.

content upgrade1

E isso te estimula a assinar para ganhar acesso.

contentupgrade2

Implemente isso para aumentar o número de assinantes e alimentar seu funil com novos clientes em potencial. A partir disso, você pode segmentar seu público apropriadamente baseando-se nos aprimoramentos de conteúdo em que seus clientes em potencial estão interessados.

Então, você pode servir á eles campanhas de gotejamento apropriadas.

3. Use brindes estratégicos para gerar animação e tráfego

Um brinde é a forma perfeita de chamar atenção para a sua marca, gerar tráfego e conseguir um fluxo de assinantes relevantes que você pode comercializar e transformar em clientes.

Mas somente se você lidar com o brinde da maneira certa.

Itens caros, como produtos da Apple, tendem a atrair uma grande multidão, mas muitos membros do seu público podem já ter as tecnologias mais atuais.

Ou eles podem ser fã de carteirinha de um competidor e não estão nem um pouco atraídos por um iPad novinho. Os clientes podem até mesmo classificar sua campanha como “mais um golpe para ganhar seguidores”, já que as farsas com esse tipo de produto são extremamente comuns na internet.

giveaways

Escolha um brinde seja relevante para o seu público específico e isso provavelmente irá atraí-los para comprar de novamente você. Não precisa ser nada extremamente caro, ou extremamente complexo. Basta que esteja relacionado aos interesses do seu consumidor.

Há muitas coisas que você pode usar de brinde que irá gerar negócios extras e clientes que retornam:

  • Amostra de produtos
  • Ofertas de compre um, ganhe um
  • Acesso VIP de teste para descontos de preço escalonados
  • Produtos introdutórios gratuitos
  • Incentivos baseados em recompensa

Além da exposição, há muitos benefícios em um sorteio. Um exemplo é coletar conteúdo gerado pelo usuário, o que constrói sua prova social e fator de confiança com os clientes.

4. Implemente urgência para incitar FOMO (Medo de ficar de fora)

Ninguém quer ficar por fora de algo legal.

Esse medo de ficar por fora é o que cria uma quantidade substancial de engajamento do usuário e atividade nas redes sociais.

Um estudo chegou à conclusão de que 56% dos consumidores tem medo de ficar por fora de notícias importantes e eventos se não ficarem de olho em suas redes sociais.

fomo

Você pode alavancar esse mesmo medo de ficar por fora (FOMO) ao desenvolver ofertas de conteúdo, concursos e promoções por tempo limitado que despertam um senso de urgência no seu público.

fomo promotions

E usar ads e divulgações não é o único jeito eficiente de incitar FOMO. Você pode criar urgência dentro das páginas dos seus produtos para estimular um cliente a fazer a compra com uma única linha de texto ou uma contagem regressiva.

fomo product

É uma tática que a Amazon aperfeiçoou colocando uma contagem regressiva bem exposta que te mostra quanto tempo ainda resta para fazer o pedido se quiser receber o produto mais rápido.

fomo amazon

5. Construa LTV (valor de tempo de vida) com um atendimento ao cliente de matar

Retenção de clientes é a parte mais importante para crescer qualquer negócio.

Custa muito mais adquirir novos clientes do que para manter aqueles que você já tem.

Clientes de longa data confiam na sua loja e em você, e não pensam duas vezes antes de comprar novamente. Além disso, é muito mais provável que eles indiquem o seu negócio a amigos e familiares. E lembre-se: a indicação ainda é o marketing mais eficiente!

De acordo com a Harvard Business School, um empurrão de 5% na retenção de clientes pode aumentar os lucros em mais de 95%. Isso porque é muito mais fácil vender para eles.

Clientes já existentes são 50% mais propensos a tentar novos produtos e, em média, eles gastam 31% a mais por transação do que um novo cliente.

customer retention

Para construir um relacionamento sólido e duradouro com o consumidor, é preciso caprichar no atendimento ao cliente.

Hoje, uma experiência agradável ao comprar pesa muito na decisão do consumidor. Por isso, trabalhe para que seu cliente se sinta o melhor possível!

Seja proativo.

Não espere os problemas aparecerem, e não pare a interação com o cliente assim que a compra for finalizada.

Use chat ao vivo para interagir com clientes durante o processo de compra e esteja presente caso necessitem suporte.

lead chat

Assim que a compra for finalizada, mande campanhas customizadas de email para manter os clientes interessados. Esse interesse estável, irá construir lealdade, aumentar retenção, e reforçar o valor de tempo de vida (LTV ou lifetime value) dos seus clientes.

6. Encontre seus influenciadores

Existem influenciadores em praticamente toda indústria – as pessoas a quem os clientes se dirigem para saber das últimas tendências, opiniões, conselhos e informações.

Você pode e deve encontrar uma forma de trabalhar com esses influenciadores para rapidamente espalhar o alcance da sua marca.

É como amarrar um foguete em uma campanha boca a boca! E realmente vale o investimento, visto que a Ogilvy descobriu que pelo menos 74% dos consumidores confiam no boca a boca para tomar decisões de compra.

Como eu disse agora a pouco, ainda não inventaram nada melhor do que a indicação para a publicidade. E isso vale ao dobro quando a indicação vem de alguém influente e especialista na área.

Marketing de influenciadores ficou grandioso em moda e vestuário, mas isso não significa que outros negócios online não possam utilizar influenciadores para alcançar mais benefícios.

influencer campaign

Fazer parceria com influenciadores sociais para uma campanha de marketing induzida pelo boca a boca pode alavancar a visibilidade de marca. Um bom exemplo é o caso da McKinsey, gerando 2x as vendas quando comparado com outras formas de publicidade paga.

word of mouth

Veja como algumas grandes marcas trabalham com influenciadores para se conectar com os consumidores.

brand influencers

É uma jogada inteligente, e isso fica claro quando você analisa os dados. A confiança, engajamento e relevância tem níveis maiores com influenciadores do que páginas de marcas nas redes sociais.

Em resumo, seu consumidor confia no que essas pessoas falam. Valorizam suas opiniões sobre marcas e produtos. Essa é uma oportunidade de ouro, que não deve ser desperdiçada.

influencer relevance

Não sabe onde encontrar influenciadores? Aborde isso como se estivesse construindo personas de compradores.

Decida qual o perfil do seu influenciador ideal, entre em contato fazendo uma conexão pessoal e encontre uma forma de troca mútua de valor.

find influencers

7. Crie uma “rampa de acesso” para novos clientes

Quando você ganha um novo cliente, ele estará avaliando tudo o que você fala e faz. O primeiro momento desse relacionamento é crítico. Ele está em modo de julgamento, na esperança de que o dinheiro dele tenha sido bem gasto.

Olhe de perto para suas operações e se pergunte: Você trata seus novos clientes da mesma forma com que trata clientes que fizeram negócio com você repetidas vezes?

Como a experiência deles difere?

Empresas SaaS usam programas de onboarding para aprimorar a experiência do usuário e maximizar retenção. Aqui está um exemplo de dicas de uso de um produto da CoSchedule.

onboarding

A mesma abordagem pode ser aplicada para qualquer empresa de comércio virtual.

Não precisa ser um processo prolongado. É só um meio de educar o seu cliente, aumentar o conforto deles com você e melhorar seu relacionamento.

Uma rampa de acesso para clientes de comércio virtual inclui:

  • Criar campanhas customizadas para compras de produto com um “como usar” ou detalhes de manutenção
  • Chamar a atenção para elementos importantes e fornecer instruções longas e detalhadas
  • Providenciar tours de comunicação para que saibam todas as formas de conseguir suporte caso precisem

Você pode fazer isso através de emails isolados, um banco de dados de imagens de recurso, documentos de tutoriais e até mesmo vídeos.

Esse conteúdo pode viver no seu site assim como pode ser compartilhado nas suas contas de redes sociais.

Lembre-se que qualquer tipo de onboarding que você estabelecer não deve ser somente sobre o produto ou compra. Deve ser sobre a experiência de fazer negócio com você.

Até mesmo um recado escrito à mão ou uma mensagem personalizada de agradecimento pode fazer parte da rampa de acesso para construir um relacionamento com os clientes, melhorar a retenção e incitar campanhas boca a boca.

onrampnote

8. Agilize o processo de checkout

Qualquer tipo de fricção durante o processo de checkout na sua loja online pode resultar em um carrinho de compra abandonado. Esse é um problema constantemente enfrentado pelas lojas de comércio virtual.

Em média, 68% dos carrinhos de compra são abandonados com um valor anual estimado de $4.9 trilhões mundialmente. Mas como é possível diminuir essa estatística na sua loja virtual?

cart abandonment2

Assim como é importante criar uma navegação simples para o seu site ou um layout onde é fácil de se locomover em uma loja física, também é essencial reduzir os elementos que atrasam ou impedem clientes de chegar ao estágio de checkout.

Olhe o gráfico acima para saber as maiores razões para o abandono de carrinhos, e você verá os pontos de fricção mais comuns que podem ser reduzidos ou eliminados:

  • Preços de frete
  • Estavam apenas olhando os produtos
  • O cliente encontrou um preço melhor em outro site
  • O cliente achou a navegação muito complicada
  • O cliente não quer ser forçado a criar uma conta no site
  • Falta de informação sobre envio e atendimento ao cliente
  • Preocupações com a segurança do site e dos métodos de pagamento
  • Processo de checkout é muito longo e complexo

Existem outras causas indiretas de fricção que você pode corrigir para agilizar o processo de checkout, como visto na imagem abaixo:

friction

Como a imagem mostra, apenas um segundo de atraso no carregamento da página pode fazer sua conversão cair em até 7%!

Outras causas indiretas são falta de acessibilidade mobile, muitos passos no checkout e sites que pedem muitas informações repetidas. Além disso, a falta de avaliações de outros usuários ou avaliações que parecem falsas também influenciam negativamente nas vendas.

Aprimorar o processo de checkout pode ajudar a resolver as questões de abandono do carrinho. Isso pode aumentar as vendas online sem precisar de mudanças significativas no site ou campanhas de marketing custosas.

9. Use a psicologia nos seus preços

Os preços escalonados podem ser aliados poderosos na hora de direcionar o cliente para determinado produto.

Restaurantes e plataformas SaaS usam esse método o tempo todo, pois é muito eficiente. Veja:

tier pricing

Os anúncios mostram múltiplas opções de compra. Por exemplo, itens de menu baratos e caros ou múltiplos modelos de assinatura. Dessa forma, o consumidor está sendo sutilmente conduzido a escolher o produto de meio termo.

Aqueles outros preços são distrações para levar o cliente a comprar exatamente o que você quer.

Eu falo sobre esse “preço de distração,” um hack psicológico de preço, em um trabalho que escrevi para o Marketing Land.

Às vezes isso é feito também com posicionamento. A ideia é disponibilizar o item que deverá ser mais vendido bem no meio das outras opções disponíveis.

gas pump

Você pode incitar vendas de um produto específico no comércio virtual usando a mesma psicologia em preços variantes de produto e produtos similares dentro da sua loja.

Isso a clássica estratégia de usar o “preço charmoso” com o número 9.

Um estudo do MIT e da University of Chicago testou essa tática com roupas femininas e descobriu que a maioria dos clientes comprou o produto com o preço no ponto do meio termo:

dress prices

10. Provoque compartilhamentos em redes sociais offline

Outra ótima forma de fazer seus clientes começarem a falar sobre você e construir visibilidade através do boca a boca é capturá-los quando a excitação deles está no pico.

Para um cliente esperando pela compra, o momento que eles pegam a entrega e abrem o produto novo que estavam esperando é o pico da excitação.

Esse é o momento perfeito para fazer um pedido a eles.

Inclua um bilhete ou nota no pacote que os motive a compartilhar a nova compra em uma rede social com uma hashtag personalizada, ou marcar sua loja na postagem do Facebook, Twitter ou Instagram.

instagram

Se você quer aumentar o número de clientes que contribuem para conteúdo gerado pelo usuário dessa maneira, como a imagem acima mostra, tente os incentivar para isso:

  • Ofereça um código promocional ou desconto em troca da postagem
  • Use uma hashtag personalizada atrelada á brindes regulares
  • Inclua os compartilhamentos como parte do seu programa de fidelidade e recompensa
  • Disponibilize uma galeria nas suas redes sociais com as fotos dos clientes

E, claro, tenha certeza de sempre responder e agradecer os clientes que fizeram as postagens. É por isso que incluir uma hashtag personalizada para esse tipo de atividade é útil. Fica mais fácil de monitorar.

Quanto mais você se envolve com fãs que compartilham (e compartilha as postagens deles com o resto dos seus fãs), mais propensos eles – e outros clientes – estarão a continuar participando quando receberem encomendas.

11. Crie e promova seu programa de indicação

Para coincidir com pedidos de compartilhamentos em redes sociais, encoraje seus clientes a falar sobre sua loja online com um programa de indicação e recompensas.

referral program

De acordo com um estudo da Texas Tech University, 83% dos consumidores estão completamente dispostos a indicar para amigos e familiares uma marca depois de ter tido uma experiência positiva com ela.

Mas apenas 29% realmente fazem a indicação.

Isso prova que somente ter um programa de indicação não é o suficiente. Você precisa pedir pelo compartilhamento e incentivá-lo constantemente.

Oferecer vantagens relevantes e interessantes para os clientes que recomendam sua loja é essencial – e nem sempre é sobre o dinheiro.

De fato, de acordo com a University of Chicago, incentivos não monetários são 24% mais eficientes em alavancar performance do que incentivos monetários.

O Dropbox tem um dos melhores incentivos não monetários para gerar indicações. Ele rendeu para a marca mais de 4 milhões de usuários em somente um ano.

dropbox referral

Você ganha mais espaço de armazenamento quando indica o serviço.

De acordo com Drew Houston, fundador e diretor geral do Dropbox, indicações resultaram em um aumento permanente de 60% nas inscrições – um aumento de 40x em novos negócios para a marca.

Pesquise seu público para descobrir quais incentivos são os mais desejados. A partir dessa informação, você pode criar campanhas e anúncios para divulgar os benefícios e incentivar as indicações cada vez mais.

12. Impulsione com provas sociais

Recomendações e indicações de amigos carregam um peso significativo – é por isso que programas de indicação são tão eficientes para crescer um negócio de comércio virtual.

Isso acontece porque, cada vez mais, as pessoas são cuidadosas com como gastam seu dinheiro online. Se você quer que abram suas carteiras, precisa incentivar a confiança.

Já que nem todo cliente irá gerar indicações, sua próxima melhor opção é construir provas sociais adentro do funil.

A prova social apresenta-se em várias formas, e cada uma pode ser usada na sua loja de ecommerce, em páginas de produto e páginas iniciais.

Avaliações de produtos, por exemplo, fazem os clientes se sentirem mais confortáveis ao realizar uma compra. Elas geram confiabilidade e garantem que o dinheiro não será desperdiçado.

Lembre-se, em uma loja online, o cliente não poderá testar o produto por si mesmo. Então, ele precisa garantir a qualidade da sua compra de algum outro modo:

product review

Canais sociais podem ser implementados em sites para mostrar o engajamento do consumidor e atrair conteúdo gerado pelo usuário, como Feeds do Instagram e menções.

instagram store

Depoimentos, como avaliações, são uma forma eficiente de prova social. Eles também são ótimas oportunidades para contar histórias e compartilhar o sucesso de outros clientes.

testimonials

Isso pode ser muito útil para elevar sua marca aos olhos de clientes em potencial.

Dê uma olhada no meu guia que fala sobre a ciência e estratégia de usar prova social em ecommerce para aprender mais sobre as vantagens dessa estratégia.

13. Desenvolva estratégias inteligentes de retargeting

Gostaríamos de pensar que clientes irão comprar aos montes assim que entrarem em nosso ecommerce.

Infelizmente, esse não é o caso.

De acordo com o AdRoll, apenas 2% dos clientes se convertem na primeira visita.

Isso tem muito a ver com a jornada fragmentada do cliente que se tornou a norma. Ao invés de comprar de uma só vez em seu dispositivo móvel, a venda tipicamente acontece através de múltiplos dispositivos no decorrer de horas.

cross device

Às vezes até mesmo no período de um dia ou dois.

Com retargeting, você pode reconquistar 27% de clientes em potencial perdidos. Além disso, visitantes que recebem retargeting com ads de exposição relevantes são 70% mais suscetíveis a se converter em cliente.

retargeting

14. Crie campanhas de email de gotejamento segmentadas

O email marketing ainda é uma das principais ferramentas para um crescimento consistente de e-commerce.

É também o meio preferido para comunicação de marca entre consumidores, com 77% preferindo receber mensagens baseadas em permissões via email do que através de qualquer outro meio.

Elas são extremamente eficientes em conseguir a atenção dos clientes também.

email blast

Emails de boas vindas sozinhos, em média, produzem 320% mais lucros que qualquer outro tipo de email promocional.

Isso explica porque mais de 80% dos profissionais do varejo dizem que email marketing é, sozinho, o maior condutor de retenção de clientes.

Você está arrecadando emails de uma variedade de fontes. Isso inclui pedidos de clientes, opt-ins, brindes e pesquisas. Faça-os valer a pena com campanhas de gotejamento.

Comece mandando um email de boas vindas que constrói valor e interesse.

welcome email

A partir disso, você pode seguir o curso de vários dias com emails fornecendo detalhes sobre produtos especiais, pesquisas relacionadas, acordos, informações da empresa e conteúdo baseado em valor.

Emails que seguem na sua campanha de gotejamento podem ser baseados em gatilhos de clientes ou através de uma linha do tempo que você estabelecer.

dripcampaign

Só tenha certeza de seguir a regra de 80/20 com o conteúdo que você manda para os seus assinantes. Além disso, tenha cuidado para não mandar emails demais, para evitar gatilhos de spam e desistências de assinaturas.

Existem também muitos aplicativos e ferramentas para lhe ajudar a automatizar seu email marketing para que você possa executar essas campanhas de gotejamento de facilmente.

mailchimp automate

Afinal, quanto custa para vender online?

Os custos de manter uma loja online funcionando vão depender muito do tipo de produto com o qual você trabalha, tamanho da sua loja e abrangência de atendimento. Por exemplo, trabalhar com produtos virtuais é muito mais barato, já que os custos com reposição de estoque, logística e armazenamento são praticamente eliminados.

Para ajudar você nesse cálculo, separei uma lista completa do que você vai gastar para manter as vendas online. É só se certificar de que você tem tudo o que precisa no checklist e pesquisar as melhores opções para o seu orçamento. Confira:

  • Licenciamento da plataforma de vendas
  • Desenvolvimento do site
  • Design do site
  • Fotografias de produtos e produção de outras mídias
  • Equipe de suporte ao consumidor
  • Sistema de gerenciamento de email marketing
  • Hospedagem e domínio do site
  • Custos com estoque e armazenamento
  • Custos com logística e envio de produtos
  • Ferramentas de monitoramento de estatísticas
  • Anúncios de tráfego pago
  • Manutenção do site e alimentação de conteúdo
  • Criação e alimentação de redes sociais para a marca
  • Parcerias com influenciadores
  • Outras ações de marketing

Não deixe de criar um plano de negócios detalhado. Sites como o SEBRAE podem te oferecer mais informações referentes ao que deve ser levado em consideração. Além disso, planejar com cuidado te ajuda a evitar gastos surpresas e problemas na organização dos processos no futuro.

É interessante ressaltar que, no geral, manter uma loja virtual é muito mais barato e mais escalável do que abrir uma loja física. Considere que você não está gastando com aluguel, limpeza, reformas, decoração, vendedores, gerentes e equipamento.

Além disso, é mais fácil começar com um baixo investimento, ao trabalhar com produtos por encomenda por exemplo. As vendas online também são mais escaláveis: atender outras regiões ou até mesmo expandir o negócio internacionalmente é possível sem investir em novas localidades.

Exemplos de sites de vendas online bem-sucedidos

Hoje em dia, a grande maioria das lojas possuem a opção de vendas online. Essa é a grande tendência para o futuro do comércio, afinal. No entanto, podemos citar algumas gigantes que construíram seu império baseadas apenas nesse método.

Hoje, esses sites são grandes referências no mundo de vendas online, e ao que tudo indica, continuarão a ser por um bom tempo.

Aliexpress

O AliExpress foi o pioneiro na modalidade de compras internacionais extremamente baratas. Contando com produtos normalmente importados da China, o site oferece descontos impressionantes para aqueles dispostos a esperar um tempo maior pela entrega.

O site utiliza um modelo de sucesso introduzido por outros sites de vendas online: a união de diversos vendedores em apenas uma plataforma. No geral, ele funciona como o nosso Mercado Livre.

Lojas menores e vendedores independentes podem se cadastrar e vender seus produtos. As avaliações dos usuários ajudam a transmitir confiança, e os preços atrativos garantem o sucesso da plataforma.

Hoje, o AliExpress conta com o próprio aplicativo, onde oferece ofertas especiais, brindes e outras vantagens.

Amazon

É impossível falar dos gigantes do comércio eletrônico sem citar a pioneira do ramo, a Amazon. Hoje uma das maiores empresas no mundo, o site começou em 1995, quando comprar pela internet ainda era uma ideia nova e de certa forma, assustadora para o consumidor.

A inovação e risco valeu à pena. Atualmente a Amazon é uma das plataformas de compra mais reconhecidas no mundo e investe ainda no desenvolvimento de novas tecnologias.

eBay

Ele nasceu pouco tempo depois da Amazon, em 1996. O grande destaque do eBay foi o sistema de leilão oferecido. O site ficou famoso entre vendedores profissionais e amadores, colecionadores e consumidores procurando por pechinchas.

O sistema de lances feitos pelos usuários determina o preço final da mercadoria. As ofertas tem hora para começar e acabar, e assim como em um leilão tradicional, o último lance vence.

Também existem lojas que oferecem mercadorias com preço fixo através do eBay. Hoje o site já atende internacionalmente e influenciou inúmeros outros comércios eletrônicos no mundo.

Exemplos de grandes sites brasileiros de vendas online

Se você acha que só existem gigantes internacionais no mundo das vendas online, está muito enganado. Alguns brasileiros conseguiram chegar lá, e ainda crescem cada vez mais! Confira esses exemplos e inspire-se:

Magazine Luiza

A loja começou vendendo produtos para a casa e móveis, e agora já conta com milhares de opções nos mais variados setores. O site se tornou tão grande que foi considerado pela InfoMoney uma das únicas empresas capazes de competir com a Amazon nacionalmente.

Vamos continuar de olho nesse crescimento e ver se um dia a loja será um gigante também no exterior!

Americanas

Quem chega a loja virtual das Americanas atualmente não imagina que a empresa chegou perto de desaparecer nos anos 2000. A volta por cima veio exatamente devido ao ingresso no mundo das vendas online.

Oferecendo de tudo um pouco, esse gigante brasileiro é, hoje, um dos sites de comércio eletrônico referência no país. Parte disso se deve aos preços, que sempre aparecem entre os menores em buscas específicas, como as realizadas pelo Buscapé.

Conclusão

Muitos negócios online se focam demais em aquisição de clientes como forma de crescimento. Mesmo que crescimento possa ser obtido desse jeito, há meios mais acessíveis para hackear seu crescimento ao aprimorar a forma como você aborda seus clientes atuais.

Mesmo que cada uma das recomendações acima tome algum tempo para engatar, você continuará a se beneficiar assim que seus hacks estiverem funcionando.

De indicações até campanhas de gotejamento automatizadas e checkouts refinados, cada um trará um aumento permanente e sustentável para sua geração de lucro e vendas online.

O comércio eletrônico é um dos setores de vendas que mais cresce atualmente. Cada vez mais pessoas preferem fazer todas as suas comprar online. É muito mais rápido, conveniente e confortável para o consumidor.

E, para o vendedor, esse recurso pode significar redução de custos, expansão do alcance da marca e muito mais lucros!

Com esse post, você aprendeu tudo o que precisa saber para entrar de cabeça nesse mercado e ter um site de vendas online de sucesso!

Quer mais dicas sobre como melhorar suas vendas? Leia também esses outros artigos:

E você, quais técnicas utiliza para potencializar suas vendas online? Deixe sua opinião nos comentários e aproveite para perguntar se ficou com alguma dúvida!

Compartilhe