Planejamento Estratégico: Como Planejar Uma Estratégia de Sucesso

Você sabia que planejar suas ações pode aumentar em 200% o faturamento da sua empresa?

Na maioria das vezes, as pessoas querem alcançar um determinado resultado, mas dificilmente estão focadas no percurso existente entre um desejo e a sua concretização.

Quantas vezes no mês você senta para planejar a sua vida pessoal? E a da sua empresa?

Muitas pessoas não sabem responder a essas perguntas, já que não se planejam muito. Com isso, elas acabam apagando “incêndios” quando eles acontecem ao invés de prevenir isso.

Em alguns casos, apenas medidas de curto prazo são tomadas, fazendo com que o longo prazo esteja totalmente fora de cogitação.

Isso é muito comum principalmente no início de uma carreira ou da vida de uma empresa.

O que acaba fazendo com que você se acomode e faça apenas o que precisa ser feito para aquele momento.

Porém, o que consegue levar alguém a algum lugar é o planejamento de objetivos, metas e valores.

Você quer aprender a planejar o calendário editorial do seu blog? Então, acesse esse guia completo que preparei para você!

No início do meu primeiro negócio eu só estava preocupado em vender e conseguir viver daquilo. Basicamente, eu tentava sobreviver dele.

Eu não parava para analisar quais eram as atividades realmente importantes para a minha empresa ter resultados de longo prazo e não sabia que era isso que me levaria a algum lugar.

Até que percebi que se eu quisesse realmente viver da minha empresa, eu deveria parar de pensar no curto prazo e focar no crescimento exponencial da minha marca.

Foi então que eu descobri o conceito de planejamento estratégico.

Nesse artigo você vai:

  1. Entender o conceito de Planejamento Estratégico.
  2. Conhecer os tipos de Planejamento Estratégico existentes.
  3. Saber quais são as ferramentas que podem auxiliar o seu Planejamento Estratégico.
  4. Aprender a realizar um Planejamento Estratégico passo a passo.
  5. Conhecer um modelo de Planejamento Estratégico.
  6. Ver exemplos bem sucedidos de Planejamentos Estratégicos.
  7. Aprender dicas de como preparar um Planejamento Estratégico eficaz.

Boa leitura!

O Que é Planejamento Estratégico?

O planejamento estratégico é fundamental para o êxito de qualquer plano traçado por qualquer empresa.

Você já quis alcançar algum objetivo, mas não sabia como?

Já tentou fazer algo, mas sentiu que estava dando um passo maior do que a perna?

Muitas pessoas não sabem, mas podem conseguir ótimos resultados seguindo as estratégias certas.

De nada adianta planejar algo se a estratégia pretendida para a sua implementação não for posta em prática.

A falta de bons resultados da sua empresa pode estar sendo causada pela falta de um bom planejamento estratégico.

Este conceito ajuda a organizar um pensamento ou plano de projeto de longo prazo em qualquer tipo de empresa, independente do seu nicho de atuação.

Para que isso seja possível, o planejamento estratégico engloba a missão, a visão, os objetivos, as metas, a criação de planos de ação e o acompanhamento de qualquer tipo de projeto.

Isso acaba aumentando as suas chances de sucesso. Digo isso, pois sempre realizo planejamentos em todos os meus negócios.

Basicamente, a parte estratégica é o resumo da ideia principal que surge de um brainstorming bem conduzido.

Já o plano, diz respeito a uma análise prévia sobre o que você quer conquistar. Ou seja, é quando você tem o objetivo de alcançar determinada meta.

Então, a junção de plano + estratégia deu origem ao conceito de planejamento estratégico.

Objetivo do planejamento estratégico

O objetivo dessa estratégia é orientar os negócios, produtos e serviços de uma empresa de uma maneira que ela lucre e cresça de forma constante e satisfatória.

Segundo Philip Kotler, especialista em marketing:

“Planejamento estratégico é definido como o processo gerencial de desenvolver e manter uma adequação razoável entre os objetivos e recursos da empresa e as mudanças e oportunidades de mercado”.

Se você quiser alcançar grandes objetivos no seu negócio, você precisa definir pequenas metas e segui-las.

Digo isso, pois todo planejamento precisa estar baseado em recursos disponíveis pois só assim, você vai conseguir definir os próximos passos para alcançar todos os seus objetivos.

A primeira coisa que você precisa determinar em um planejamento estratégico são as respostas para as perguntas: o quê? Como? Quem? Quando? Onde? E por quê?

O planejamento estratégico teve origem no início dos anos 1970 por conta de crises, como a alta do preço do petróleo, guerras no Oriente Médio, aumento do desemprego, entre outros.

Com isso, os grandes empresários da época perceberam que precisavam planejar suas estratégias de uma forma diferente da que era feita nos anos 1950 e 1960.

Idalberto Chiavenato, um dos maiores especialistas em administração de empresas do mundo, afirma que:

“Planejamento estratégico é o processo continuo, sistematicamente e com o maior conhecimento possível do futuro contido, tomar decisões atuais que envolvem riscos; organizar sistematicamente as atividades necessárias à execução dessas decisões, através de uma retroalimentação organizada e sistemática, medir o resultado dessas decisões em confronto com as expectativas alimentadas.”

Ou seja, o planejamento estratégico é um meio de colocar em prática ações capazes de tornar as aspirações de uma empresa em realidade em um determinado período de tempo.

Benefícios de um planejamento estratégico

Implementar o planejamento estratégico na dinâmica da sua empresa pode proporcionar vários benefícios a curto e longo prazo. Com ele você vai:

  • Conseguir definir a direção que quer seguir e todas as suas prioridades. Com isso, você vai conhecer os seus objetivos e saber o que fazer para alcançá-los.
  • Ter certeza de que todas as ações da sua empresa, sejam elas de finanças ou marketing, por exemplo, estão alinhadas, a fim de alcançar os mesmos objetivos.
  • Tomar decisões de forma mais rápida e simplificada, já que você já terá definido todas as suas prioridades.
  • Usar o seu tempo com sabedoria e colocar toda a sua energia em atividades necessárias, economizando, assim, tempo e dinheiro.

Qual a Importância de Fazer Um Planejamento Estratégico de Uma Empresa?

Antes de atingir algum objetivo, você precisa saber exatamente o que quer alcançar e onde quer chegar.

Sem ter um objetivo definido, a sua empresa provavelmente não vai chegar a lugar algum.

Possuir uma estratégia é ter um compromisso com o futuro desejado. Além disso, é ela que vai fazer com que o seu mercado se conecte com a sua marca.

Independente do tamanho da sua empresa, ela pode ser grande, pequena ou micro, saiba que ter um planejamento só trará benefícios a ela e aos seus resultados.

Além disso, um planejamento estratégico pode dar uma larga vantagem a você em relação aos seus concorrentes, já que todas as suas ações serão muito bem pensadas.

Ou seja, o desejo de alcançar um objetivo, independente de qual ele seja, precisa estar sempre pautado em um planejamento sólido.

Antes de planejar qualquer tipo de ação, tenha os valores e a missão da sua empresa em sua mente, pois tudo o que for realizado precisa estar de acordo com esses valores.

Se você tiver com dificuldades em definir a missão, os valores e o que seria ou não uma boa ação para ser colocada em prática pelo seu negócio, responda as seguintes perguntas:

  • Quais são os atributos que eu quero que as pessoas associem ao meu negócio?
  • Esses atributos poderiam fazer parte da lista de valores da minha empresa?

Se a resposta para a segunda pergunta for “não”, refaça a sua lista até obter um “sim”.

Quando Começar a Planejar

Para começar a organizar o planejamento estratégico da sua empresa, você precisa ter bem definida a sua identidade organizacional com missão, visão e valores bem estruturados.

Além disso, você também precisa ter todas as suas metas definidas. Assim, fica muito mais fácil definir o prazo máximo para suas realizações.

Após isso, especifique as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças que a sua empresa possui, além de desenhos de cenários, simulações de receita, fatores críticos de sucesso, etc.

Pronto, agora você já está mais perto de começar a planejar…

Porém, para isso você precisa saber quem irá participar do seu planejamento estratégico, pois a sua estratégia precisa ser montada de acordo com o time que você possui.

Jim Collins, um dos maiores especialistas em gestão de empresas e liderança do mundo, em seu livro “Feitas para Durar” afirma que é preciso primeiro definir quem e só depois o que fazer.

Ou seja, após definir a identidade da sua empresa e quem participará do alcance de suas metas, você já está apto a começar o seu planejamento estratégico!

Tipos de Planejamento Estratégico

Como já vimos, toda empresa precisa prever os seus próximos passos e planejar o seu futuro. Pois só assim é possível alcançar todos os seus objetivos.

E essa ação é dividida em 2 etapas de planejamento estratégico que são as partes tática e operacional. Cada uma delas é muito importante para o sucesso dessa estratégia.

A diferença básica entre eles é o prazo para realização de cada ação, os níveis de hierarquia envolvidos e como cada um desses planejamentos influencia o alcance o objetivo inicial.

Planejamento estratégico

É na parte inicial do planejamento estratégico que as estratégias de longo prazo são definidas.

Aqui você precisa ter uma visão geral da sua empresa sem precisar de muitos detalhes, já que essa parte normalmente é feita para um período de 5 a 10 anos.

Ou seja, é muito complicado prever muitos detalhes para um prazo tão longo assim.

O mais importante é que você saiba quais são todos os fatores internos e externos que influenciam o seu negócio, como por exemplo, a situação atual do seu nicho de mercado.

E para isso é fundamental que a sua empresa tenha muito bem definido quem ela é hoje e onde ela quer chegar.

Essa definição precisa estar evidente na missão, visão e valores que o seu negócio possui, a fim de deixar clara a sua identidade organizacional.

E é apenas depois disso que você vai conseguir definir as metas e objetivos que você quer alcançar dentro prazo previamente estipulado.

Esses objetivos são objetivos estratégicos. Ou seja, são as metas que a sua empresa deseja atingir, como a posição que você quer ter no seu nicho de mercado.

Melhorando o seu posicionamento, por exemplo, com certeza as suas vendas aumentarão e a sua empresa crescerá ainda mais.

Exemplos de objetivos estratégicos

Você pode traçar inúmeros objetivos estratégicos para a sua empresa, como, por exemplo:

  • Aumento de investimento em marketing em 15%
  • Aumento da satisfação dos seus clientes em 50%
  • Redução de custos com anúncios pouco conversivos em 30%.

Para chegar nesses objetivos, você precisa ter a imagem da sua empresa muito bem definida.

E para deixar isso ainda mais fácil para você, eu coloquei algumas perguntas que, se respondidas, ajudarão na montagem dessa identidade:

  • Quem somos?
  • O que nós fazemos?
  • Por que fazemos?
  • Para quem fazemos?
  • Onde estamos?
  • Onde queremos chegar?
  • Em quanto tempo?
  • O que mais valorizamos?

Também é fundamental que o seu planejamento estratégico seja revisado e atualizado periodicamente.

Pois você não quer que seus planos e metas se tornem ultrapassados, não é mesmo?

Planejamento Estratégico Tático

O planejamento estratégico tático envolve apenas departamentos ou certos processos, e não a empresa como um todo.

Ele é responsável pela criação de metas e condições específicas para que as ações definidas no início do planejamento estratégico possam ser atingidas.

Por ser mais específico, as ações do planejamento estratégico tático são pensadas para um período mais curto de tempo, entre 1 e 3 anos.

Ou seja, nessa etapa as metas são estipuladas para um médio prazo.

Além disso, no planejamento estratégico tático, o plano inicial é transformado em tarefas concretas, como o plano de marketing, desenvolvimento ou melhoria dos produtos e serviços, entre outros aspectos.

Nessa fase as seguintes perguntas precisam ser respondidas:

  • O que eu quero fazer?
  • O que eu preciso fazer?
  • Isso pode ser feito?
  • Valer mesmo a pena?
  • Como faço para essa tarefa funcionar de fato?
  • Quando a farei?

Assim você vai conseguir definir os objetivos táticos para cada setor do seu negócio, como marketing, produção e finanças, por exemplo.

Exemplos de objetivos táticos

Você pode determinar quantos objetivos táticos você quiser, mas indico que você escolha realizar o que for realmente importante e que seja possível de ser realizado.

Alguns exemplos são:

  • Garantir que os seus clientes recebam seus produtos dentro do prazo estipulado.
  • Garantir que todos os e-mails dos seus clientes sejam respondidos em até 2 dias.

Planejamento Estratégico Operacional

O planejamento estratégico operacional transforma as metas previamente traçadas em ações e gera seus respectivos cronogramas.

Essa etapa é de curto prazo que dura em média, entre 3 e 6 meses.

Aqui, todas as tarefas precisam ser cumpridas se você realmente quiser ver a sua empresa alcançando os seus objetivos.

Para chegar nessa etapa, a parte inicial do planejamento estratégico e a parte tática precisam estar muito bem estabelecidas, já que esse é um processo totalmente integrado.

Essa parte também envolve especificar e delegar funções, dividir tarefas e definir os equipamentos e recursos financeiros que serão utilizados em cada uma das ações.

Exemplos de objetivos operacionais

Existem diversas tarefas que você pode definir em seu planejamento estratégico operacional, como:

  • Utilizar um sistema de rastreamento de pedidos;
  • Realizar uma parceria benéfica para a sua empresa.

Para ajudar você a definir as ações que vão fazer com que você alcance os seus objetivos, listei algumas perguntas que facilitarão esse processo:

  • O que deve ser feito?
  • Quem pode fazê-lo?
  • Qual o prazo que posso definir?
  • Quais são as ferramentas que precisarei para isso?
  • Quanto isso vai custar?
  • Existem alternativas?

Ferramentas Para Auxiliar Seu Planejamento Estratégico

Você precisa se dedicar bastante à realização de um bom planejamento estratégico.

E você não precisa se desesperar achando que isso é um bicho de sete cabeças.

Existem algumas ferramentas que podem auxiliar você a planejar todas as ações necessárias para alcançar os objetivos da sua empresa.

Análise SWOT

A sigla SWOT, também conhecida como matriz SWOT, significa Strenghts (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças).

Por conta disso, essa ferramenta também é conhecida como análise FOFA em português.

As forças de uma empresa são todos aqueles fatores internos positivos, que proporcionam a ela alguma vantagem em relação aos seus concorrentes.

Já as fraquezas são os fatores internos negativos de uma instituição.

A junção do que há de bom e de ruim em um negócio mostra exatamente se a situação interna atual é favorável ou não.

As oportunidades são a soma de tudo que o mercado pode proporcionar para a sua empresa de forma positiva. E as ameaças são os riscos que o mercado oferece.

A junção de ambas define o ambiente externo à empresa em questão, mostrando se ele está favorável ou não.

Essa ferramenta é bem simples e rápida de ser utilizada se o seu objetivo for diminuir os riscos antes de praticar algum tipo de ação.

Ela auxilia o mapeamento de oportunidades e riscos do mercado. Com isso, você consegue rapidamente definir possíveis tarefas que levarão a sua empresa ao crescimento.

A análise SWOT costuma ser a principal ferramenta utilizada por empreendedores, já que os seus resultados são obtidos e interpretados de forma clara.

A grande vantagem dessa análise é descobrir novas oportunidades para o seu negócio utilizando as suas qualidade existentes para potencializá-las.

Além disso, ela é fundamental para quem quer melhorar os pontos fracos da sua empresa e não perder possíveis oportunidades de negócio.

É bom lembrar que você nunca terá controle sobre as oportunidades e ameaças que vêm do ambiente externos.

Porém, você tem e precisa ter controle sobre tudo aquilo que diz respeito ao ambiente interno da sua empresa, a fim de conseguir lidar com as possíveis ameaças que eventualmente aparecerão.

Preenchendo os quadrantes

A sua matriz precisa ser preenchida com todas as características da sua empresa. Ou seja, ela precisa ficar mais ou menos assim:

Após preencher os quadrantes, você precisa criar uma estratégia que envolva todas as suas forças e transforme as suas fraquezas em algo positivo para a sua empresa.

Mas como fazer um análise SWOT na prática?

Levantamento de forças, fraquezas, oportunidades e ameaças

A primeira coisa a se fazer é um levantamento de todos os itens que se encaixam em cada quadrante da matriz SWOT.

Para isso, você pode responder as seguinte perguntas:

  • Quais são os pontos fortes do meu negócio?
  • E os pontos fracos?
  • Quais são as oportunidades que podem aparecer nos próximos meses? E nos próximos anos?
  • Quais são as ameaças que podem prejudicar o crescimento da minha empresa?
Definição dos fatores internos e externos

Depois de preencher a tabela, você precisa definir o peso que os fatores internos e externos têm sobre a sua empresa.

Fazendo isso, com certeza você conseguirá montar uma estratégia adequada.

Pense no que realmente afeta a sua empresa tanto de forma positiva quanto de forma negativa e como isso pode beneficiar você.

Montagem e cruzamento da matriz SWOT

Após inserir todos os elementos na matriz SWOT, ela tem que ficar mais ou menos assim:

O próximo passo é realizar o cruzamento entre os fatores internos e externos, a fim de descobrir a resposta para as seguintes perguntas:

  • Quais são as forças da minha empresa que podem minimizar os danos de cada fraqueza?
  • Quais são as forças capazes de fazer a minha empresa aproveitar todas as oportunidades que surgirem?
  • Quais são as forças que a minha empresa tem para se proteger de cada ameaça que possa surgir?
  • Quais são as fraquezas que podem aumentar os danos de cada ameaça?
Elaboração de um plano de ação

Por último, você precisa desenvolver planos de ação visando a melhoria dos resultados da sua matriz SWOT.

Tais planos precisam ser capazes de desenvolver as forças da sua empresa, minimizar as fraquezas, aproveitar todas as oportunidades e enfrentar as ameaças que surgirem.

SMART

A estratégia SMART tem como finalidade estruturar as metas definidas por você. Afinal, com esse plano de ação você será capaz de construir estimativas reais de resultados.

A sigla SMART significa Specific (Especificidade), Mensurable (Mensurável), Attainable (Alcançável), Relevant (Relevante) e Time-related (Temporal).

Specific (Especificidade)

Uma meta tem muito mais chances de ser alcançada quando ela é específica. Ou seja, quando todos os detalhes já foram pensados para um determinado objetivo ser alcançado.

Uma meta genérica tem muitas chances de não ser alcançada, principalmente se ela não possuir um prazo definido.

Por isso, é de suma importância detalhá-la ao máximo! Então, é importante ter em mente as seguintes questões:

  • O realmente eu quero conquistar?
  • Vou precisar da ajuda de alguém para isso? De quem?
  • Existe alguma meta equivalente a essa que me traga a mesma satisfação e sensação de dever cumprido?
  • O que pode atrapalhar o êxito do meu objetivo?
  • O que eu preciso ter e fazer para alcançar o meu objetivo?

Mensurable (Mensurável)

Após especificar a sua meta, veja se ela é mensurável nos quesitos financeiros, de tempo e de resultados.

Então, para isso você vai precisar saber exatamente quais são os resultados que você espera alcançar e quanto tempo você precisará se dedicar para isso.

Attainable (Alcançável)

A sua meta precisa possuir condições reais de ser alcançada. Tente não traçar metas que não são possíveis de serem cumpridas.

Não estou dizendo que você está proibido de fazer isso. Mas pergunte a si mesmo se você está disposto a se esforçar ao máximo para transformar o seu objetivo em realidade.

Além do mais, quanto mais altos forem os nossos sonhos, maiores serão os resultados. Porém, trace-os de acordo com o que você está disposto a fazer para isso de fato acontecer.

Relevant (Relevante)

Tente não investir o seu tempo e o seu dinheiro em metas que não são tão importantes assim para alcançar o seu objetivo.

Pense bem antes de tomar qualquer decisão, o que inclui a escolha de metas.

Lembre sempre o que objetivo definido em um planejamento estratégico precisa estar diretamente ligado a visão da empresa.

Ou seja, você precisa traçar metas condizentes com o seu objetivo principal e que realmente sejam importantes para alcançá-lo.

Time-related (Temporal)

Você precisa definir prazo para o cumprimento das suas metas, pois se elas não forem urgentes ou não possuírem prazos, provavelmente elas não serão concretizadas.

Então, é fundamental que você estipule prazos para cada meta que você determinar, a fim de realizá-la.

Defina sempre prazos realistas. Às vezes queremos que uma tarefa seja realizada rapidamente e definimos prazos curtos para isso.

Aconselho que você não vá por esse caminho, pois você pode acabar desistindo de determinada meta após perceber que será impossível cumpri-la a tempo.

E não cumprir algum prazo do seu planejamento estratégico pode fazer com que o seu objetivo não seja alcançado.

Você pode definir as suas metas em blocos específicos, como:

  • Metas operacionais.
  • Metas que tenham relação com os seus clientes.
  • Metas financeiras (vendas, faturamento, etc.).
  • Metas que envolvam os seus funcionários.

Porém, utilizar essa ferramenta no seu planejamento estratégico sem definir quais serão os indicadores do seu avanço, não serve para nada.

É imprescindível que você saiba se as ações estão fazendo com que o seu objetivo seja alcançado. Ou seja, você precisa mensurar constantemente os seus resultados.

Criar indicadores-chave de desempenho (KPI) vai ajudar você a ter resultados positivos em toda a sua estratégia.

Lembre sempre que um planejamento estratégico precisa levar a sua empresa à ação. Ou seja ele precisa tirar a sua ideia do papel e torná-la realidade.

Utilizar a metodologia SMART pode ser a escolha certa para o crescimento do seu negócio, já que o objetivo dela é definir ações de curto prazo, a fim de alcançar todo os seus objetivos.

Análise PEST

A análise PEST, ou análise PESTAL, faz o levantamento de alguns fatores que influenciam atividades empresariais.

A sigla PEST significa Política, Economia, Social e Tecnologia.

Algum tempo depois da criação desse conceito, uma releitura foi feita e mais duas letras foram inseridas que significam Ambiental e Legal.

Essa análise normalmente é feita para auxiliar a estruturação de um novo negócio, além de ser um ótimo exercício para elaboração de estratégias certeiras.

Política

Durante a análise política, você precisa saber quais são as tendências políticas e quais são os posicionamentos de líderes políticos capazes de influenciar o seu nicho de mercado.

Decisões políticas podem gerar grande influência nos seus resultados.

Mas que influências reais elas podem ter?

Por exemplo, se uma pessoa que apoia leis rígidas sobre comércio online for eleita, a sua empresa digital pode estar em risco.

Ou se você possuir uma empresa de importação de produtos e uma nova relação comercial com os países produtores entrar em vigor, seu produto ficará mais caro para o consumidor final.

Então, é necessário sempre saber quais decisões políticas podem ou não influenciar o seu mercado.

Economia

Ao analisar a economia atual, você vai conseguir compreender como os movimentos atuais do mercado podem atrapalhar ou beneficiar o seu negócio.

Esses movimentos podem ser, por exemplo:

  • Aumento do valor de materias-primas.
  • Remodelagem de alguns métodos de financiamento.
  • Surgimento de um novo mercado complementar.

Social

Na análise PEST você também vai precisar analisar o cenário social atual. Aqui você deve definir quais são as características humanas da comunidade que o seu negócio atinge.

Você pode analisar alguns quesitos, como:

  • As classes sociais mais atingidas pelo o seu negócio.
  • Comportamento dos seus consumidores.
  • Idade média dos consumidores do seu nicho de mercado.

Tecnologia

Normalmente, as maiores mudanças que acontecem em qualquer nicho de mercado são provenientes de inovações tecnológicas de todos os tipos.

Então, você precisa estar sempre por dentro das tendências e novidades do seu mercado e saber como isso pode alterar o destino da sua empresa.

Além disso, é essencial que você esteja preparado para se adaptar às novidades.

A fim de realizar tal análise tecnológica, você precisa listar, por exemplo:

  • Quais são as inovações tecnológicas do momento.
  • Os setores que não renovaram a sua base tecnológica.
  • As inovações tecnológicas que os seus concorrentes estão aderindo.

Cinco Forças de Porter

Uma ferramenta bastante utilizada e conhecida do planejamento estratégico é a chamada Cinco Forças de Porter.

Ela foi desenvolvida pelo professor Michael Porter baseado na ideia de que para desenvolver qualquer tipo de estratégia, é preciso relacionar uma empresa ao seu ambiente competitivo.

Tal análise direciona todo esse processo de gerenciamento dos elementos ambientais de empresas presentes em qualquer nicho de mercado.

As cinco forças de Porter vão ajudar você a entender as cinco forças em que o seu negócio está inserido.

Além disso, é bom saber que essa análise é baseada apenas nos fatores ligados a sua concorrência e não aos fatores macro ambientais:

1ª: Rivalidade entre os concorrentes

Cada nicho de mercado apresenta um comportamento único em relação a concorrência entre as empresas.

A competição existente no nicho de viagens é totalmente diferente da existente no nicho de emagrecimento, por exemplo.

E em alguns casos, empresas do mesmo nicho não competem entre si por terem públicos diferentes.

Um exemplo claro disso está no mercado automobilístico. Empresas mais populares, como a Fiat, não concorrem diretamente com empresas que possuem carros mais caros, como a BMW.

Então, durante o primeiro passo dessa ferramenta de planejamento estratégico, você precisa saber como funciona a rivalidade entre os concorrentes existentes no seu nicho de mercado.

Para Porter, o criador dessa ferramenta, a concorrência não é um fator apenas negativo.

Para ele, você e os seus concorrentes diretos ou indiretos precisam criar laços cooperativos, a fim de melhorar cada vez mais a sua performance.

Se você tiver um e-commerce, por exemplo, pode se juntar com um dos seus concorrentes para comprarem seus produtos do mesmo fornecedor, o que provavelmente vai diminuir os seus custos e melhorar as formas de pagamento junto ao fornecedor.

Ou seja, a existência de concorrência não é uma coisa ruim. O que você precisa fazer é analisar as empresas existentes no seu nicho e detectar os pontos que elas têm em comum com o seu negócio.

Assim, você vai conseguir se posicionar de forma estratégica em relação a ela.

2ª: Produtos e serviços substitutos

A segunda força de Porter fala sobre os produtos e serviços que podem substituir os seus.

Com certeza os produtos oferecidos por você solucionam algum tipo de problema da sua audiência.

Porém, provavelmente existem outros por aí que fazem a mesma coisa ou que apresentam um resultado parecido. Ou seja, eles ameaçam o seu desempenho em relação ao seu mercado.

Para conseguir driblar esse problema, aconselho que você você faça uma lista com todos os problemas que são resolvidos pelos seus produtos ou serviços.

Depois, liste os produtos dos seus concorrentes que resolvem os mesmos problemas que os seus. Isso vai ajudar você a ter uma visão mais ampla sobre a sua empresa.

3ª: Poder de barganha dos fornecedores

Na terceira força, o poder que os seus fornecedores têm sobre o seu negócio é analisado.

Se toda a sua produção depender de apenas um fornecedor, ele poderá ditar os valores praticados, as formas de pagamento, entre outros. Além de ser pouco flexível.

Se esse for o caso da sua empresa, aconselho que você comece a procurar agora mesmo por novos fornecedores.

Pois, se você não fizer isso, o seu negócio vai começar a depender dele e não de você.

Independente da quantidade de fornecedores que você tenha, é sempre bom criar e manter uma relação de parceira com eles.

Você pode utilizar diversas estratégias para isso.

Sabe a rede de supermercados Pão de Açúcar? Ela utiliza essa estratégia muito bem!

O Pão de Açúcar oferece a ajuda de profissionais qualificados aos seus fornecedores, auxiliando-os com informações sobre logística, plantio e comercialização.

Com isso, os produtores se sentem gratos por poderem participar dos resultados do supermercado, o que torna a relação entre eles sadia e benéfica para todos.

4ª: Ameaça de novos entrantes

Para Porter, novos negócios podem apresentar um perigo para a vida de empresas existentes.

Por mais egoísta que isso possa parecer, para ele, empresários precisam colocar barreiras para a entrada de novos negócios em seus nichos de atuação.

Isso acontece porque novos negócios normalmente apresentam novos recursos e valores diferentes dos que as empresas já existentes possuem, o que pode acabar distraindo a sua audiência.

Porter afirma que independente das barreiras que você crie, alguém com certeza vai descobrir eventualmente como superá-las.

Então, você precisa elaborar diversos modos de dificultar esses novos acessos.

Empresas farmacêuticas e automobilísticas fazem isso muito bem.

As farmacêuticas costumam registar a patente de determinado remédio, fazendo com que apenas elas possam comercializá-lo em um primeiro momento.

Já as automobilísticas registram o nome ou o design de um modelo de carro, o que possibilita que só elas o utilizem.

5ª: Poder de barganha do clientes

A quinta e última força de Porter busca entender qual é o poder que os seus clientes têm sobre a sua empresa.

Atualmente, o poder de negociação dos consumidores aumentou drasticamente, principalmente por conta do avanço das redes sociais.

Com isso, é fundamental que você procure novas formas de saber o que o seu público pensa, sente, deseja e como ele age.

O que você pode fazer é conhecer todos os desejos e problemas do seu público e superar as suas expectativas ao resolvê-los.

Além disso, você precisa sempre tentar conseguir novos clientes, a fim de expandir cada vez mais a sua marca e o seu propósito.

E você não precisa atender sempre o mesmo público. A sua empresa pode possuir diferentes produtos e serviços para diferentes tipos de audiência.

Por exemplo, você pode ter um e-book de entrada que custa R$47,00 e um treinamento em vídeo que custa R$497.

Talvez em algum ponto eles atinjam as mesmas pessoas, mas é muito mais provável que você possua dois públicos diferentes para eles.

Uma dica que eu dou a você é que você sempre busque diminuir o poder de barganha que os seus clientes têm sobre você.

Faça com que o seu público perceba que a sua empresa é a melhor no seu nicho de mercado para solucionar os seus problemas.

Ter uma proposta de valor muito bem estruturada pode ajudar bastante nisso, já que é ela que mostra aos seus clientes todos os seus atributos e diferenciais.

Tudo que diferenciar a sua empresa da concorrência vai ser a sua proposta de valor.

As 5 forças de Porter basicamente auxiliam a análise dos requisitos existentes no ambiente competitivo.

Com o auxílio delas, o seu planejamento estratégico pode ser feito baseado nos seus concorrentes diretos e indiretos, se tornando primordial para o seu posicionamento no seu nicho de mercado.

Também é importante que você atualize a sua análise constantemente.

Planejamento de Cenários

O planejamento de cenários é uma das ferramentas que pode ser utilizada no planejamento estratégico.

Cenários são todos os aspectos externos que podem influenciar de alguma forma o gerenciamento da sua empresa.

Planejar um cenário é uma maneira de entender todas variáveis externas existentes.

Para isso, é necessário que você colete materiais e analise os fatores que podem, de alguma forma, atrapalhar ou atrasar o cumprimento do seu planejamento.

Essa ferramenta é focada no longo prazo, já que relaciona e desvenda os efeitos combinadamente.

Um dos principais cenários que precisam ser focados por você é o trabalhista. Ele é a base para uma análise rica em detalhes.

Para fazer uso dessa ferramenta, você precisa conhecer muito bem o seu ambiente competitivo e o macroambiente em que você está inserido.

Além disso, é crucial que você possua um apurado senso crítico e uma mentalidade que ajude você a perceber todas as oportunidades que apareçam no seu caminho.

Quando você for planejar algum cenário, é necessário que você se livre de todos os paradigmas que carrega consigo, como o apego a um determinado modelo de negócio, o medo de mudanças, entre outros.

É preciso que você esteja aberto a todas as possibilidades.

Diferente do que algumas pessoas pensam, planejar um cenário não é se esconder atrás de um pouco de pessimismo.

Planejar um cenário é estar pronto para enfrentar o que está por vir, seja ele um acontecimento positivo ou negativo.

O maior objetivo do planejamento de cenários é preparar uma empresa para se beneficiar com qualquer mudança que o futuro traga, vendo oportunidades no lugar de obstáculos.

Um ótimo exemplo do uso dessa ferramenta foi o que aconteceu antes da crise que atingiu os Estados Unidos em 2009.

A maioria das empresas teve prejuízos na ocasião, porém, algumas delas já haviam previsto o que estava por vir e conseguiram lucrar ainda mais com a crise.

Ou seja, planejar cenários nada mais é do que criar hipóteses positivas e extremamente negativas, a fim de criar estratégias que beneficiem a sua empresa.

Com isso, a sua tomada de decisão passa a ser precisa e muito bem fundamentada.

Dicas para um planejamento de cenário eficaz

Se você pretende utilizar essa estratégia de planejamento estratégico, indico que você:

  • Desenvolva um pensamento estratégico e analítico para conseguir identificar fatores importantes para o seu planejamento.
  • Conheça muito bem os seus concorrentes para conseguir apontar seus pontos fortes e fracos e descobrir como você pode superá-los.
  • Seja o mais imparcial possível em sua análise externa. Se for preciso, peça que pessoas que conheçam a sua empresa ajudem você durante essa análise.

O planejamento de cenários auxilia o direcionamento do planejamento estratégico baseado em uma análise detalhada do mercado.

Isso vai ajudar bastante a minimização de riscos e o aumento das chances de crescimento do seu negócio.

Passo a passo de Como Fazer um Planejamento Estratégico

Fazer um planejamento estratégico é um fundamental para o crescimento de qualquer empresa, independente do seu nicho de atuação.

E foi pensando nisso que eu fiz um passo a passo para você com todas as etapas para a criação de um planejamento estratégico para a sua empresa.

Passo 1: Posicionamento e Propósito

A primeira coisa que você precisa fazer, a fim de montar o seu planejamento estratégico é determinar o posicionamento e o propósito da sua empresa.

Se você está com dificuldades de definir esses aspectos, um jeito fácil de realizar essa tarefa é respondendo as seguintes perguntas:

  • Por que a minha empresa existe?
  • Onde eu quero que ela chegue?
  • O que eu quero que ela alcance?
  • Como ela vai chegar lá?

Muitas pessoas pulam essa primeira etapa, mas ela é muito importante. Todos os objetivos e metas de uma empresa são baseados nessas questões.

Além disso, essa etapa também tem grande influência nas ações futuras de qualquer empresa.

Criação da Identidade Organizacional

A identidade organizacional precisa ser baseada nos 3 pilares ideológicos de uma empresa que são: missão, visão e valores.

A missão da sua empresa precisa demonstrar o seu propósito.

A visão é o sonho por trás do seu negócio e os valores são todas as atitudes que a sua empresa pratica, a fim de realizar a sua visão.

Determine Missão, Visão e Valores da Corporação

Como já vimos, o pontapé inicial de um planejamento estratégico é a definição de missão, visão e valores da sua empresa. Mas você sabe como defini-los?

Missão

A missão de uma empresa responde de forma simples e rápida a pergunta: por que a minha empresa existe?

Ao responder aos seguintes questionamentos, você vai saber exatamente qual é a sua missão:

  • Por que minha empresa existe?
  • O que a minha empresa faz?
  • Para quem ela faz?

Você pode sintetizar essas respostas em uma frase ou em um parágrafo, sendo o mais direto possível com a sua audiência.

A missão do Google, por exemplo, é composta por uma pequena frase:

Já a da Apple, é definida por uma longa frase:

Para que a frase feita por você seja verdadeiramente a missão da sua empresa, ela precisa:

  • Ser 100% original;
  • Refletir a identidade e personalidade do seu negócio;
  • Ser atemporal;
  • Ser marcante.

Depois de definir quem a sua empresa é e o que ela pretende fazer, você precisa definir onde ela quer chegar.

Visão

A visão de uma empresa precisa estar baseada em onde ela quer chegar, ou seja, no que ela espera para o futuro.

O objetivo principal de um planejamento estratégico é definir os objetivos e metas de um negócio.

Com isso, a visão se torna a parte mais importante desse planejamento, já que ela define a ideia de futuro de qualquer empresa.

A diferença básica entre missão e visão é que a missão mostra o motivo da empresa existir ao passo que a visão mostra onde ela quer chegar.

A visão pode ser composta por uma ou mais frases, sem restrição.

Um bom exemplo de visão é o da BMW:

E o da Coca-Cola:

Para que uma frase ou um conjunto delas seja caracterizado como a visão da sua empresa, ela precisa:

  • Ser escrita com verbos no futuro;
  • Definir qual é a direção que será seguida;
  • Ser ousada e ambiciosa;
  • Planejar qual será a situação da empresa dentro de alguns anos;
  • Mostrar como o mundo será impactado positivamente pelo seu negócio.
Valores

Os valores são as atitudes e a postura que serão adotadas pelos funcionários da sua empresa para que ela alcance a visão que foi previamente definida.

Além disso, eles precisam refletir todos os princípios éticos e morais adotados pelo seu negócio.

Tal postura precisa ser de caráter inegociável, definindo como toda a sua equipe precisa agir e se portar.

Os valores da sua empresa são a base dos relacionamentos entre os seus funcionários, fornecedores e clientes.

Depois de definir os valores do seu negócio, responda para si mesmo:

  • Se você não precisasse mais se preocupar com dinheiro, os valores da sua empresa continuariam sendo os mesmos?
  • Esses valores são atemporais?
  • Esses valores são imutáveis independente de qualquer coisa?
  • Se você mudasse de nicho de atuação, os seus valores iriam permanecer os mesmos?

Se você responder “sim” para todas essas perguntas, parabéns! Os valores da sua empresa estão muito bem estruturados.

Alguns dos valores mais comuns escolhidos por empresas de diversos nichos de atuação são: comunidade, compromisso, responsabilidade, integridade, equilíbrio, inovação.

Um bom exemplo de valores é o da empresa AMBEV:

Planejamento Participativo

Realizar um planejamento participativo significa incluir todos os colaboradores da sua empresa no processo de estruturação do seu planejamento estratégico.

Dependendo do tamanho da sua empresa, essa parte pode ser posta em prática em etapas. Primeiro a nível de diretoria e assim sucessivamente se a sua empresa for de grande porte.

Se o seu negócio for pequeno, não é tão complicado fazer com que toda a equipe se reúna, a fim de planejarem as conquistas futuras.

Com isso, no momento da realização das tarefas, todos estarão de acordo e comprometidos com o alcance de resultados.

SWOT e Posicionamento e Propósito

Como já vimos, a ferramenta mais utilizada em um planejamento estratégico é a Análise SWOT.

Com ela você vai conseguir definir os pontos fortes e fracos da sua empresa, além de conseguir se proteger de futuras ameaças e estar sempre pronto para aproveitar todas as oportunidades que surgirem.

Também é importante que você analise o seu mercado e veja como a sua empresa está posicionada nele.

Com isso, será mais fácil perceber o que pode atrapalhar ou ajudar você na busca pelos seus objetivos.

Você pode considerar como sendo um ponto positivo do seu negócio algo que nem todo mundo faz, mas você sim. Além de algo que faça o seu cliente desejar o seu produto ou serviço e que seja inédito.

Após isso, fica mais fácil se posicionar e obter os meios para seguir o propósito da sua empresa que foi definido anteriormente.

Defina a sua missão, visão e valores e siga-os até alcançar os resultados desejados!

Passo 2: Objetivos, Metas e Indicadores

A segunda etapa que você deve seguir para realizar o seu planejamento estratégico é elaborar objetivos estratégicos.

Um grande objetivo precisa ser dividido em objetivos menores ou táticos, e estes devem estar diretamente ligados a planos de ação.

Então, primeiro você precisa definir seus objetivos estratégicos, depois os táticos e, por fim, seus planos de ação.

Você pode realizar essa etapa definindo os objetivos gerais do seu negócios e depois focando nas metas das áreas ou departamentos.

Determine a Meta

Cada objetivo precisa ser subdivido em metas, que precisam ser cumpridas dentro dos prazos previamente estipulados.

Um mesmo objetivo pode ter inúmeras metas ligadas a ele, desde que todas elas sejam essenciais para ele seja alcançado.

Utilizando o SMART no Seu Planejamento Estratégico

Depois disso, chegou a hora de utilizar a ferramenta SMART para aprimorar o seu planejamento estratégico.

Ela vai ajudar você a definir todas as metas e objetivos do seu planejamento.

Então, antes de definir exatamente isso, lembre sempre que elas precisam ser bem específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e baseadas em prazos específicos.

Por exemplo, se o seu objetivo é aumentar a captação de leads do seu negócio em 10% ao mês, a sua meta SMART pode ser definida da seguinte forma:

  • Específico: Aumentar a captação de leads.
  • Mensurável: 10%.
  • Alcançável: Atualmente a minha empresa apresenta um crescimento de 6% na captação de leads por mês. Então, é possível chegar aos 10% de crescimento com novas ações de marketing.
  • Relevante: Aumentar a captação de leads em 10% aumentará o lucro da minha empresa em 10 mil reais.
  • Tempo: Iniciar o processo em Abril desse ano e essa meta tem 4 meses para ser alcançada.

Painel de Indicadores

Depois de definir as suas metas e objetivos, você vai precisar acompanhá-los através de um painel de indicadores, também conhecidos como dashboards.

Eles são ferramentas que vão medir todos os seus resultados partindo da sua situação atual e mostrando como está sendo o seu desempenho para que o seu objetivo seja alcançado.

Passo 3: Identifique o Seu Público

Além da sua própria empresa e da concorrência, você precisa analisar e identificar quem é o seu público.

Você precisa saber quem você deseja atingir e como pretende atingir.

Então, descubra quais são os interesses, desejos, necessidades e problemas dessas pessoas para conseguir se conectar de maneira mais fácil e verdadeira com elas.

Todas as suas estratégias terão ótimos resultados quando o perfil do seu público estiver definido.

Quando uma mensagem é passada para as pessoas certas, ela tem muito mais chances de ter resultados positivos.

Passo 4: Apresentação e Compartilhamento

Depois de organizar todas as etapas do seu planejamento estratégico, é importante que você monte uma apresentação sobre ele para toda a sua equipe.

Com todos conhecendo as metas, fica mais fácil de alcançar seus objetivos.

Nessa apresentação não esqueça de mencionar todos os pontos do seu plano estratégico, como missão, visão, valores, metas estabelecidas, objetivos definidos, planos de ação, mapa estratégico e análises feitas.

A forma e a qualidade com que o seu planejamento estratégico é passado para a sua empresa, reflete diretamente em suas chances de sucesso.

Dê Importância à Imprensa

Se você planeja utilizar o marketing em seu planejamento estratégico, saiba que criar e manter um bom relacionamento com a imprensa é fundamental.

Isso se dá porque quanto mais inserido em novas mídias o seu negócio estiver, mais retorno positivo ele terá.

Passo 5: Execução e Controle

Depois de completar todas as etapas anteriores, você vai conhecer o seu propósito e saber para onde ele levará a sua empresa.

Além disso, todas as suas metas estarão organizadas de forma SMART e todos os seus indicadores já estarão devidamente definidos.

Então, a próxima e última etapa e colocar tudo em ação!

Planeje a Ação

Um dos métodos mais conhecidos e utilizados para planejar e controlar ações é o 5W2H.

Essa sigla se refere a algumas palavras em inglês:

  • What (O quê?): Diz respeito a tarefa que será realizada.
  • Why (Por quê?): Refere-se ao motivo da realização de tal tarefa.
  • How (Como?): Explica como a tarefa será realizada.
  • Who (Quem?): Mostra quem realizará a ação.
  • When (Quando?): Define o prazo para a realização da ação.
  • Where (Onde?): Refere-se ao local onde a tarefa será executada.
  • How much (Quanto?): Define quanto será gasto com a tarefa.

Faça a Monitoração

Monitorar o desenvolvimento de cada uma das metas do seu planejamento estratégico é fundamental para o sucesso e alcance dos seus objetivos.

É importante que todos os prazos estejam em dia e que todos estejam realizando as suas tarefas para que o objetivo inicial seja alcançado.

Avalie os Resultados

Conforme os prazos forem se esgotando, é importante que uma análise seja realizada para que os resultados sejam mensurados.

Se tais resultados alcançados não tiverem sido iguais aos planejados ou se eles não tiverem obtido o efeito desejado, sinta-se a vontade para revisar o seu planejamento estratégico.

Pois é muito melhor você contornar os erros assim que os vir do que esperar o prazo final para ver que algo poderia ter sido feito de forma diferente.

Modelo de Planejamento Estratégico

Existem diversos modelos de planejamento estratégico que podem ser seguidos.

A essência de todos eles é a mesma, o que vai mudar mesmo é a ferramenta utilizada para o seu desenvolvimento.

Porém, você pode seguir o modelo que vou exemplificar aqui para você. Ele engloba tudo o que vimos até aqui e vai ajudar a sua empresa a chegar cada vez mais longe.

Primeiro, você precisa utilizar a análise SWOT e identificar todos os fatores internos e externos a sua empresa:

Depois, defina com precisão a missão, a visão e os valores do seu negócio:

O próximo passo é fazer uma lista de objetivos para a sua empresa. Liste quantas metas você desejar.

Depois, classifique-as em “ter”, “ser” e “fazer”:

Após classificar os seus objetivos, defina os prazos para a realização de cada meta definida anteriormente.

Além disso, defina também o grau de prioridade de cada uma delas:

A seguir, defina o plano de ação para cada meta traçada de acordo com a sua prioridade e o seu prazo:

É importante que você avalie periodicamente o seu planejamento estratégico, a fim de saber como anda o seu andamento e se você precisa realizar algum tipo de ajuste nele.

Anote as metas que foram alcançadas e as que passaram do prazo:

Exemplo de Planejamento Estratégico Bem-Sucedido

Realizar um planejamento estratégico pode mudar o rumo da sua empresa. Existem vários exemplos que podem comprovar isso.

Gol Linhas Aéreas

A empresa Gol começou as suas operações em 2001 com 20 milhões de reais. Cinco anos depois, a empresa aérea já estava sendo avaliada em espantosos 12 bilhões de reais!

Ou seja, em 5 anos a Gol aumentou seu faturamento em 17 vezes!

Após um ano, ela adquiriu a empresa líder do mercado na época, a Varig. Resumindo, a Gol começou tendo apenas 5% da participação no mercado e acabou conquistando mais 37%.

Mas nada acontece por acaso. A base de todo esse sucesso foi um planejamento estratégico muito bem pensado e estruturado.

Primeiro, a empresa analisou todas as suas fraquezas e suas forças, alimentou uma cultura organizacional forte baseada em seus valores e soube analisar e entender a sua posição no mercado.

Com isso, uma análise minuciosa do mercado foi feita e e a Gol ao invés de seguir os passos dos seus concorrentes, resolveu atuar em suas falhas e brechas.

Primeiro, a empresa segmentou o seu público e se tornou referência em uma parte que antes era desprezada pelas outras companhias aéreas.

Com isso, a forma de venda de passagens mudou, passando a ser vendidas pela internet, o que acabou com intermediários e barateou os custos operacionais.

Além disso, investiu em promoções noturnas com preços mais baixos, o que aumentou a procura e a venda de passagens aéreas.

Também se diferenciou das demais empresas oferecendo viagens apenas de classe econômica, o que possibilitou a diminuição da qualidade do atendimento de bordo.

Com isso, a GOL conseguiu atrair pessoas que queriam economizar em suas viagens, fazendo com que os seus custos de operação fossem 60% menor do que a dos seus concorrentes.

Grendene

A Grendene realizou um planejamento estratégico com o objetivo de criar um novo produto que possibilitasse que a empresa se tornasse internacional.

A principal estratégia da marca foi usar a modelo Gisele Bündchen como garota propaganda, fazendo com que o público associasse a sua imagem com a sandália Ipanema.

Isso possibilitou que as suas vendas aumentassem e se expandissem para outros tipos de público.

Dudalina

Quando a camisaria iniciou as suas atividades, o seu planejamento estratégico tinha como objetivo crescer 20% ao ano.

Para conseguir atingir o resultado esperado, um alto investimento foi feito em todos os seus setores principalmente no de marketing, estando presente em diversos tipos de mídia.

Inclusive, hoje em dia, a marca possui propagandas em várias redes de televisão.

Isso tudo só pode ser conquistado graças a um ótimo planejamento estratégico, que fez com que a Dudalina se tornasse a maior camisaria da América Latina.

Dicas de Preparação Para o Processo de Planejamento Estratégico

Antes de mais nada, tenha em mente que ter o hábito de planejar é extremamente importante. Pois ele será a base para qualquer conquista que a sua empresa venha a ter.

Por outro lado, de nada adianta apenas planejar se nada disso for sair do papel. Entenda que o ato de planejar é tão importante quanto o de executar.

Mantenha as perspectivas da sua empresa sempre alinhadas a sua missão, visão e valores, já que eles são o motivo de ser e progredir do seu negócio.

Crie Um Check-List do Planejamento Estratégico

Também indico que você crie um check-list do planejamento estratégico da sua empresa.

Saiba exatamente o que você quer conquistar e quais são os melhores meios para alcançar os seus objetivos.

Anote cada etapa separadamente e tenha certeza de que nada ficou de fora.

Tendo esse pensamento e seguindo todas as etapas que eu apresentei para você, tenho certeza de que você conseguirá alcançar todos os seus objetivos.

Conclusão

Estar presente em mercados competitivos pode apresentar ótimas oportunidades de negócio.

Porém, para que isso se torne realidade, você precisa basear os seus objetivos em um planejamento estratégico bem estruturado focado no longo prazo.

Quanto antes você começar a planejar e colocar o seu planejamento estratégico em prática, melhor para o seu negócio.

Não tenha medo de mudar as suas metas e estratégias durante o percurso se elas não estiverem alcançando os resultados esperados.

Então, para realizar um planejamento estratégico você precisa definir as qualidades da sua empresa e entender como elas podem ajudar o seu negócio a chegar onde você quer.

Depois, determine como você pode melhorar as suas fraquezas, a fim de alcançar a sua visão.

Identifique as oportunidades e tendências do seu nicho de mercado que não são atendidas pelos seus concorrentes e como elas podem ser aproveitadas por você.

Conheça o que está fora do seu alcance, mas podem influenciar o seu negócio de forma positiva ou negativa.

Então, determine a missão da sua empresa, que nada mais é do que o motivo da sua existência, a visão, que mostra o seu propósito, e os seus valores, que definem os princípios e forma de agir da sua equipe.

Defina as prioridades das suas metas e acompanhe os seus resultados e os indicadores de performance.

Você quer saber mais sobre como crescer o seu negócio? Então, acesse os artigos abaixo:

Obrigado por ler até aqui!

Compartilhe