A Cheat Sheet do SEO On-Page

seo

Ao longo dos últimos anos, o Google lançou várias atualizações para seu algoritmo de motor de busca, dentre as quais as maiores foram o Panda, o Penguin e o Hummingbird. Essas atualizações estabeleceram regras aperfeiçoadas sobre como os proprietários devem estruturar seus sites para link building, tanto gerando links recebidos, quanto usando texto-âncora para links externos.

Apesar das atualizações, o SEO on-page não mudou tanto assim. Toda tarefa de SEO on-page é para beneficiar o usuário. Mas a maioria dos especialistas em SEO ainda não aceitou esse fato.

O Google quer que o usuário fique feliz ao visitar a sua página. E a única forma que o Google tem de saber se eles estão satisfeitos é através do envolvimento. Quanto tempo o público passa lendo o seu conteúdo?

Nessa cheat sheet de SEO on-page, vou te mostrar os elementos essenciais que merecem sua atenção. Eles irão melhorar seu tráfego de busca, melhorar sua posição nos rankings e facilitar muito o SEO off-page para você.

1. Velocidade do Site

Um conteúdo acidentalmente duplicado, pode desacelerar o indexamento. Por isso, examine seu site para removê-lo caso houver.

Isso faz sentido, afinal todos nós detestamos esperar, certo? E a gratificação instantânea da web só nos deixou mais impacientes.

Assim, é coerente que o Google se importe com o tempo de carregamento da página (e ele já se importa há muito tempo). Do Webmasters Central Blog:

image49

Em 2010, Matt Cutts anunciou que a velocidade do site teria menos peso do que outros fatores de posicionamento chave, como relevância, links com autoridade e outros. Isso já não é tão exato. Hoje a velocidade é essencial, quase tanto quanto uma palavra-chave alicerce.

Estudos recentes mostram que um atraso de um único segundo no tempo de resposta de uma página, pode resultar em 7% de redução nas conversões.

image67

Assim, se ainda não estava claro, a velocidade do site definitivamente afeta a posição deles nos rankings, como afirmado nesse infográfico (clique aqui para ampliar):

image73

Você pode usar a ferramenta de auditoria de sites do Ubersuggest para verificar o tempo de carregamento do seu site, entre uma variedade de fatores relacionados. Veja como isso funciona:

1º passo: Insira sua URL e clique em “Buscar”;

2º passo: Clique em “Auditoria do Site”, no menu lateral esquerdo;

3º passo: Role a página até “Velocidade do site”;

Você verá a velocidade de carregamento tanto para desktop quanto para dispositivos móveis. Os resultados acima, mostram que o meu site está na faixa “excelente” para ambos.

Além do tempo de carregamento, a ferramenta testa também:

  • Primeira Exibição de Conteúdo;
  • Índice de Velocidade;
  • Tempo de interatividade;
  • Primeira exibição significativa;
  • First CPU Idle;
  • Latência de entrada estimada.

Se os seus resultados não forem os ideais, não se preocupe: existem muitas formas de aumentar a velocidade do seu site. A forma mais fácil, que quase sempre tem um custo, é utilizar as redes de entrega de conteúdo dos motores de busca.

Além disso, se você for usuário do WordPress, pode apagar plugins não utilizados para ver um aumento instantâneo na velocidade.

Para mais sugestões e passos práticos, verifique os recursos a seguir.

2. Os Fundamentos das Tags Essenciais

Você leva as meta tags a sério? Apesar do efeito da title tag ou da meta description terem mudado significativamente nos últimos anos, dedicar atenção a elas ainda é uma boa prática.

image06

No SEO on-page, os principais tipos de meta tags que você deve dar atenção são:

Title tags: As Title tags definem o título da sua página web ou documento. Elas são utilizadas, principalmente, para exibir snippets de visualização das suas páginas web. Ao escrever sua title tag, faça um texto curto, claro e descritivo, mas não duplique o conteúdo da página.

image36

A extensão ideal é de 50 – 60 caracteres. Se sua title tag exceder 60 caracteres, o Google vai mostrar somente os 60 primeiros.

Você pode utilizar a ferramenta de visualização do Moz para ver como suas title tags vão aparecer no motor de busca.

Meta description: 

É assim que uma meta description geralmente aparece nos resultados da busca orgânica:

image18

A meta description é o que os motores de busca usam para descobrir sobre qual tema você está escrevendo e que público exatamente eles devem enviar para aquela página. Assim, faça um texto curto e descritivo – de no máximo 160 caracteres.

Não é necessário colocar um excesso de palavras-chave em sua meta description (o que de qualquer forma seria negativo para você). Um espaço de 160 caracteres não é o suficiente para encher de palavras-chave. Ao invés disso, use sinônimos ou indexamentos semânticos latentes (LSI) de sua palavra-chave principal, para ter SEO on-page na meta description e deixar os motores de busca felizes.

Por exemplo, se suas palavras-chave principais no título são “gerar tráfego site,” aqui estão palavras-chave LSI que você pode usar:

  • conseguir visitantes site;
  • direcionar tráfego gratuito;
  • atrair visitantes site;
  • atrair visitantes website.

Você precisa também, ter cuidado para nunca duplicar title tags ou meta descriptions. O Ubersuggest pode te ajudar com isso. Na mesma página de resultados que mostra a velocidade do site (Auditoria do Site), você verá uma coisa assim:

Então, você pode examinar qualquer problema com suas title tags ou meta descriptions. Por exemplo, a imagem acima mostra que o meu site tem 8 páginas com title tags duplicadas. Ao clicar no problema, você verá o seguinte:

Ao clicar em cada resultado na coluna URL da Página, você vê uma lista de páginas que usam a mesma title tag, exibidas na segunda coluna:

A não ser que exista um bom motivo para isso, como usar o mesmo título para conteúdo em diferentes idiomas (veja acima), é importante fazer as alterações necessárias.

3. Criando Conteúdo Que Direciona Tráfego de Busca

O conteúdo é a base de um negócio bem-sucedido, e o SEO on-page é a base do marketing de conteúdo. Você provavelmente já ouviu dizer que “o conteúdo é o rei”. Mas há muito mais envolvido no bom marketing de conteúdo do que simplesmente “conteúdo”. Você precisa publicar o tipo de conteúdo que irá direcionar tráfego e aumentar seu negócio.

Isso envolve usar componentes específicos de frases de palavras-chave, incluindo palavras âncora de cauda longa.

Ao começar a criar conteúdo aprofundado, você também verá um aumento correspondente no tráfego de buscas de cauda longa, uma frase de palavras-chave muito específica indicando o posicionamento e a urgência do (a) comprador (a).  Isso auxilia os motores de busca a gerarem tráfego para a sua página, por você estar ajudando as pessoas a resolverem problemas, através do seu conteúdo.

image59

Atualmente, seus (suas) clientes são mais espertos (as) do que você imagina. Você deve ter disposição para ouvir e aprender com eles (as) – a busca por soluções os (as) motiva a fazer certas perguntas. Essas perguntas, podem te dizer exatamente o que mais querem de você.

Conteúdo que direciona tráfego…

…é prático, útil e valioso.

  • É interessante de se ler;
  • É aprofundado e bem-escrito;
  • É escrito com o público leitor em mente;
  • Resolve um problema;
  • É fácil de compartilhar;
  • É otimizado para uma palavra-chave de volume alto.

Segundo o Demand Metric, 76% do público comprador online se sentiu entusiasmado e mais próximo de uma empresa após ler o conteúdo personalizado que ela oferecia. É por isso que 78% dos CMOs consideram o conteúdo personalizado o futuro do marketing digital.

Conteúdo duplicado já foi um truque fácil para gerar conteúdo, para que os motores de busca vissem mais coisas. Mas agora, o conteúdo duplicado é facilmente detectado por algoritmos de busca, e o responsável por ele é penalizado.

image72

Conteúdo que gera tráfego deixa o usuário satisfeito. Assim, vamos começar com o aspecto mais importante do marketing de conteúdo: a otimização da experiência do usuário.

Isso muitas vezes começa com uma frase de palavras-chave, relacionada ao que o usuário está pesquisando.

Visão geral da otimização da experiência do usuário: O SEO on-page começa e termina com o usuário. Ninguém deve construir um site para os motores de busca. Nós construímos sites para pessoas. Afinal, spiders de busca não deixam comentários, assinam sua lista ou compram seu produto. Só os seus usuários podem fazer isso.

O SEO on-page consiste nessas atividades que afetam diretamente o conteúdo, as páginas e a arquitetura do site – em outras palavras, todos os fatores internos que deixam o site útil para o visitante.

A otimização de experiência do usuário, foca em apresentar seu conteúdo e design de forma que eles possam encontrar o que estão procurando de forma imediata – outra razão para acelerar o tempo de carregamento do seu site.

Como parte da experiência do usuário, você pode ter conteúdo duplicado em seu site map. Isso pode ser importante para a facilidade de uso do consumidor, mas lembre-se de notificar as spiders para não indexar o conteúdo duplicado, para melhorar a velocidade do motor de busca.

image12

O essencial é criar experiências positivas para seus usuários. Um estudo de Ruby Newell-Legner, concluiu que são precisas 12 experiências positivas de consumidor para compensar uma experiência negativa.

image64

A otimização para o usuário foca em responder às perguntas buscadas, com um conteúdo de fácil leitura, e não apenas segmentar as palavras-chave do usuário. Por exemplo: se os consumidores estão pesquisando “aulas de guitarra”, aqui está a forma errada de escrever seu título e introdução:

Aulas de Guitarra Fáceis Para Quem Quer Aprender a Tocar Guitarra

Você quer aulas de guitarra fáceis que vão te fazer tocar guitarra como um herói? Bem, esse post sobre aulas de guitarra definitivamente vai te colocar no caminho certo para dominar os acordes de guitarra em 30 dias ou menos.

O título e a introdução acima não estão otimizados para o usuário. As palavras-chave não aparecem de forma natural e a introdução do artigo é confusa, e talvez até sem graça.

Para te ajudar a entender o que faz a otimização para o usuário, vamos escrever um título e uma introdução melhores, segmentando a mesma palavra-chave – “aulas de guitarra”:

As Melhores Aulas De Guitarra Para Se Transformar em Profissional

Qual é a melhor forma de aprender a tocar guitarra em casa? Muita gente prefere ler livros, mas existe uma forma melhor. Faça algumas aulas de guitarra com um profissional que sabe o que está fazendo. Não quero contar vantagem sobre as minhas habilidades na guitarra, mas acredito que eu posso te ajudar a dominar essa arte.

Está vendo a diferença? No segundo exemplo, a frase de palavras-chave principal aparece uma vez no título e apenas uma vez na introdução. Além disso, a introdução não oferece nada que seja bom demais para ser verdade. O leitor entenderá melhor o segundo artigo, pois o texto foi otimizado para ele.

Lembre-se que, quando se trata da experiência do usuário, o fator mais importante não é o uso de palavras-chave. Ao invés disso, o fator crítico é abordar a intenção do usuário – em outras palavras, a razão pela qual ele está pesquisando aquela palavra-chave específica.

Quando você fizer sua otimização de busca on-page de forma eficiente, seu resultado ficará mais atraente, e como resultado, os usuários serão beneficiados antes mesmo de clicarem e visitarem a sua página.

Brian Clark fez uma boa analogia ao dizer que o Google é como uma criança que não sabe o que fazer, e confia em você para guiá-la.

Nas palavras dele, “você precisa alimentar as spiders dos motores de busca com conteúdo valioso que irá entusiasmar os usuários.”

E com o passar dos anos, Clark e sua produtiva equipe criaram alguns dos melhores posts de blog e artigos existentes. Através do uso consistente e apropriado de técnicas de marketing de conteúdo com frases de palavras-chave, Brian Clark transformou um blog (o copyblogger.com) em uma empresa digital de 7 milhões de dólares.

image35

Outro aspecto importante da experiência do usuário é o design funcional. Steve Jobs sabia que design não é só “a aparência de um dispositivo”, mas também “como ele funciona.”

image75

Outros itens excelentes que deixam um site social adequado para o usuário são:

image45

Outro exemplo é a gigante marca Apple. Muitas empresas focam em vender funções, mas a Apple também acredita no poder do bom design.

Clientes da Apple confiam totalmente na marca e ficam felizes em recomendá-la a outras pessoas, não por ser a mais acessível ou sofisticada, mas pelo design atraente e de como a experiência da Apple melhora a vida deles.

Outro site que faz sucesso pela boa experiência de usuário, é fácil de navegar, legível e usa uma boa combinação de cores aliada a um conteúdo de alta qualidade é o HubSpot.com.

Entendendo o algoritmo Google Panda: A atualização de algoritmo Panda foi lançada em fevereiro de 2011. Ela foi concebida para ajudar o Google a retornar resultados de alta qualidade quando os usuários inserirem uma frase de palavras-chave na caixa de pesquisa.

image00

Enquanto outras atualizações vieram e depois se foram, o efeito do Panda continua sendo forte. Talvez você se lembre que o Panda penalizava conteúdos de má qualidade e sites superficiais. Se você considerar o estado da busca hoje, irá concordar que os resultados no topo dos rankings do Google melhoraram muito desde o Panda.

Especialistas em marketing perceberam que nada de espetacular pode ser feito sem o conteúdo certo.

O Panda facilitou para esses especialistas, iniciar uma conversa com seus conteúdos. Você oferece insights e conselhos aos seus consumidores, e eles respondem com perguntas, satisfação ou sugestões.

Essa também é a motivação por trás do Google Hummingbird: unir o público usuário aos profissionais especialistas de marketing, a fim de responder às necessidades desse público.

Se quiser melhorar suas posições nos rankings de busca, você precisa considerar dois aspectos do seu conteúdo:

Evitar conteúdo de má qualidade: Os tempos do conteúdo genérico e sem valor já passaram. Basta!

Evitar conteúdo muito curto: Seu conteúdo pode ser de alta qualidade em termos das informações que você compartilha, mas se quiser dar um impulso ao seu blog nos SERPs, você precisa aumentar também a extensão do conteúdo.

Nada de posts com 300 ou 500 palavras, a não ser que você também use um infográfico na mesma página. Ao invés disso, escreva artigos aprofundados com 2000 ou mais palavras, pois a extensão de conteúdo recente afeta os rankings.

image46

98% dos artigos que eu publico nesse blog têm cerca de 5.000 palavras. Ao ser consistente com a criação de conteúdo aprofundado que oferece muito valor, eu melhorei significativamente minhas posições nos rankings para várias palavras-chave. Isso também ajuda no link building, simplesmente porque há mais áreas para onde redirecionar. Por exemplo, eu apareço na 3ª posição para uma palavra-chave muito segmentada, “tráfego de blog.” Veja você mesmo:

Atualidade do conteúdo: A porcentagem de conteúdo dentro de uma página que permanece atual, sem um efeito sobre a posição do site nos rankings. O Google leva a atualidade muito a sério.

Como resultado disso, hoje o Google prefere conteúdo novo, notícias recentes e outras atualizações que lidam com tendências.

Quando se trata de SEO on-page, talvez você se pergunte onde o Google consegue conteúdo novo. Bem, segundo Amit Singhal, “buscas diferentes têm diferentes necessidades de atualidade.”

image65

A atualidade como fator de posicionamento não é uma novidade. Até mesmo antes da Atualização “Document Scoring Based on Document Content Update”,  uma patente requerida por engenheiros do Google em 2003, o motor de busca do Google já avaliava conteúdo segundo sua atualidade há muitos anos.

Naturalmente, alguns termos de busca ou palavras-chave exigem conteúdo ou insights atuais. Por exemplo, quando pesquisamos cupom para 2019, seria totalmente inútil encontrar um cupom gerado em 2017 ou 2019 e que só era válido naqueles anos.

Singhal descreveu as categorias de palavras-chave que muito provavelmente exigem conteúdo atual:

Tendências populares: São as coisas que estão acontecendo nesse momento, no mundo todo. Aqueles que atuam no nicho de games, geralmente, publicam jogos recentes ou a serem lançados em um certo mês. Outras palavras-chave para tendências populares podem ser vistas em Google.com/trends:

Um exemplo típico de um site com autoridade e que vai se beneficiar das recompensas por atualidade do Google é o Mashable. Esse site popular publica conteúdo novo constantemente, segundo o que é popular nas áreas de entretenimento, tecnologia, startups, negócios, educação e política. O SEO on-page dele foca em itens de frase de palavras-chave sobre fofoca ou notícias.

Eventos recorrentes: Eventos que acontecem todos os meses, todo bimestre, todo ano e etc também podem levar a uma avaliação de atualidade mais alta, porque esses conteúdos exigem atualizações constantes. Essas palavras-chave são recorrentes:

  • ganhos AT&T;
  • resultados NFL;
  • concorrentes The Voice.

Atualização de informação frequente: Algumas palavras-chave pesquisadas no Google exigem atualizações frequentes. Por exemplo: melhores câmeras DSL, melhores programas de fitness.

Essas três medidas, são importantes para o Google na hora de avaliar a atualidade de uma página. Mas não se esqueça que, o Google também considera a atualidade de uma página segundo a data em que ele a descobriu. Com o tempo, essa atualidade diminui, e novos conteúdos com datas de criação mais recentes substituem os antigos.

E então, o que você deve fazer para aumentar o score de atualidade do seu site e, assim, atrair mais tráfego de busca?

Primeiro, você precisa publicar conteúdo novo frequentemente.

Se puder, publique diariamente, e lembre-se de compartilhar dicas úteis para seu público-alvo. Se você for tão ocupado como eu, publicar duas vezes por semana irá garantir que suas páginas sejam atuais e atraiam novos rastreamentos da spider do Google, além de deep bots que apoiarão suas páginas indexadas.

Pesquisas mostram que o Google prefere oferecer resultados novos, quando usuários pesquisam uma palavra-chave. Para contornar essa preferência, algumas pessoas usam truques de SEO blackhat para manipular a atualidade de uma página ao alterar a data de criação em artigos e páginas mais antigos.

Isso pode funcionar, mas é muito arriscado e não é recomendável. Evite tomar atalhos que podem parecer promissores demais. Para que manipular atualidade e datas de criação se você arriscará ter a sua página penalizada pelo Google?

Envolvimento do conteúdo: Nesse contexto, a palavra “engajamento” significa o estado de interatividade. O verdadeiro teste do conteúdo de alta qualidade é o envolvimento que ele cria. Quando você tentar conscientemente envolver seu público, provavelmente, criará o conteúdo certo para eles. Os motores de busca adoram isso.

image14

Essa otimização on-page inicial, alinhará um conteúdo com as necessidades do usuário. Para atrair os clientes certos para o seu negócio, você precisa se concentrar em envolver seus clientes.

Brandon Dennis, do Scotch and Smoke Rings, aumentou seu envolvimento no Facebook em 200% usando o Buffer. Ele criou notícias específicas que agradariam seu público e então, compartilhou-as no momento exato em que eles queriam aquilo.

Ele fez pesquisas para descobrir os melhores horários para publicar no Facebook e no Twitter e encontrou esse infográfico.

image61

Ao ser consistente com a programação de mídias sociais, ele aumentou as interações no Facebook de 150 para mais de 700 por dia. É um aumento de 367% no envolvimento.

Ferramentas para criação de conteúdo: Uma parte essencial do SEO on-page é o conteúdo. Você precisa dedicar atenção total a ele. No entanto, você deve automatizar algumas tarefas de redação, pois o tempo é importante na busca por posições mais altas nos rankings. Algumas das melhores ferramentas para acelerar sua criação de conteúdo são:

Ubersuggest: Essa é uma das minhas ferramentas favoritas para encontrar palavras-chave de cauda longa com alto volume e alta conversão. É um processo simples com quatro passos:

1º passo: Insira sua palavra-chave seed e clique em “Buscar”;

2º passo: Clique em “Ideias de Palavras-Chave”, na barra lateral esquerda;

3º passo: Examine as ideias de palavras-chave.

Eu sempre começo com as palavras-chave fornecidas, mas você também pode clicar em uma das quatro abas localizadas acima de “Sugestões”:

  • Relacionadas;
  • Questões;
  • Preposições;
  • Comparações.

Por exemplo, eu adoro usar o filtro Questões, já que ele me dá uma ideia melhor do que meu público alvo está procurando:

4º passo: Clique em uma palavra-chave.

Após encontrar uma palavra-chave do seu interesse, clique nela para ver um relatório detalhado:

Isso te mostra as 100 primeiras URLs posicionadas para a palavra-chave na busca do Google. E fornece também:

  • Estimativa de visitas – o tráfego mensal estimado que a página recebe para a palavra-chave;
  • Links – o número de backlinks recebidos de outros sites;
  • Domain score – a força geral do site, de 1 (baixa) a 100 (alta);
  • Compartilhamentos sociais – o número total de vezes que a URL foi compartilhada nas mídias sociais.

Você pode usar esses dados para decidir se vale a pena segmentar uma palavra-chave. Por exemplo, agora você sabe que se conseguir a primeira posição para “exemplos marketing de conteúdo”, isso vai te trazer uma média de 303 visitantes por mês.

Após finalizar o processo acima, clique em “Ideias de Palavras-Chave”, na barra lateral esquerda. Fazer isso, exibe posts de blog populares relacionados à palavra-chave, o que pode fornecer tanto ideias quanto inspiração.

Veja por exemplo o terceiro título acima: 19 Métricas Essenciais do Marketing de Conteúdo.

Pense em formas de melhorar esse título e conteúdo, como:

  • 59 Métricas Essenciais do Marketing de Conteúdo;
  • 37 Métricas Imperdíveis do Marketing de Conteúdo;
  • 100 Estatísticas de Marketing de Conteúdo Chocantes.

Você já entendeu. Agora que já sabe o que funciona, crie conteúdos melhores com a ideia de superar seus concorrentes nos rankings.

Gerador de temas para blog do HubSpot: Essa é uma das minhas ferramentas favoritas para a criação de conteúdo. Quando você está sem ideias e não sabe sobre o que escrever em seu blog, é só inserir alguns substantivos ou palavras-chave seed. Aí, clique em “Give Me Blog Topics!”

O HubSpot vai gerar 5 ideias de títulos de post ou, conceitos que ocuparão a sua semana toda. Se quiser, você pode ajustar as ideias de títulos, ou, se não tiver muito tempo, usá-las como aparecem. Eu acredito que os conceitos geralmente atraem atenção, e estão prontos para o sucesso nos motores de busca. Veja os resultados:

nTopic: Relevância é um fator-chave de posicionamento. Se você quiser facilitar muito a otimização de busca on-page, seus links internos, links recebidos e especialmente seu conteúdo, precisam ser relevantes ao seu tema. O link building é outra ferramenta importante para os motores de busca.

No entanto, se você não tiver certeza que o tema ou palavra-chave sobre a qual vai escrever um post é relevante, o nTopic.org é uma ferramenta de SEO simples que você pode utilizar.

Na homepage, insira a URL do seu blog e o tema (ex: marketing de mídias sociais) nas caixas apropriadas. Clique no botão “score”.

image58

Você pode encontrar uma lista enorme com outras ferramentas para se escrever conteúdo, além de ferramentas de marketing de conteúdo para deixar seus esforços de otimização para busca mais bem-sucedidos.

4. Otimizando a Rastreabilidade

O SEO não é nada complicado. De fato, as pessoas que geram mais resultados, não estão operando em um nível mais alto do que nós – elas simplesmente trabalham mais nos elementos básicos. O SEO se resume a 3 fatores cruciais:

  • Rastreabilidade;
  • Conteúdo;
  • Link building.

Se você não conhece o termo “rastreabilidade”, uma busca rápida no Google ajudará com essa definição, vinda direto do Google Knowledge Graph:

Você precisa reconhecer que as spiders de busca não são tão inteligentes quanto é apresentado pela maioria dos especialistas em SEO.

Se seu link estiver quebrado e as spiders não puderem rastrear seu site facilmente como resultado, acredite: elas não são programadas para procurar o link correto. Elas simplesmente irão parar ali – e você sabe o que vem a seguir, certo? Um desempenho fraco nos resultados dos motores de busca, devido a falta de atenção no link building.

O SEO nunca foi uma estratégia do tipo que é só implementar e esquecer, e nunca será. Ele é um processo de aprendizado constante, em que você se coloca no lugar dos seus consumidores e cria conteúdos incríveis que eles queiram ler.

Lembre-se, conteúdos incríveis só irão melhorar suas posições nos rankings de busca se causaram alto envolvimento e compartilhamento, tanto em desktop quanto em plataformas mobile.

Além disso, interligar páginas internas de um blog, é um passo importante para melhorar a rastreabilidade do seu site. Lembre-se, as spiders de motores de busca seguem links. É mais fácil para elas detectarem sua página com conteúdo novo a partir de um link em sua homepage, do que procurando por isso no site todo. Dedicar tempo ao link building, sabendo como as spiders funcionam, pode melhorar os resultados nos motores de busca.

Você também precisa saber que: existem alguns estudos de caso apontando para o fato de que, melhorar a rastreabilidade das suas páginas web pode melhorar posições nos rankings.

Lembre-se, se você tiver conteúdo duplicado no site por um bom motivo, precisa informar às spiders que não devem rastreá-lo e assim, evitar uma penalidade de motor de busca. Coisas como, um aviso que aparece em todas as páginas, podem ser entendidas como conteúdo duplicado e precisam ser abordadas para que você ainda tenha os dados corretos onde precisa, e não perca juice com os motores de busca.

Ele deixou seu conteúdo novo fácil de acessar em um mês. Pequenas mudanças como essa podem significar muita coisa para seu tráfego de busca e sua marca pessoal.

Tendo visto a importância de deixar o conteúdo de suas páginas fácil de ser encontrado (rastreável), agora vamos ver algumas formas simples de fazer isso.

Sua estrutura de URL: A URL – Universal Resource Locator – é o endereço da página do seu site. É uma boa prática importante do SEO. Assim, porque não existem guias definitivos sobre como estruturar sua URL?

Não altere a URL de posts antigos. Se você fizer isso, vai ter um link quebrado, porque sua página já não vai estar disponível quando usuários clicarem na URL especificada inicialmente.

URLs de páginas de blog são feitas para fornecer algumas informações, além, de uma experiência significativa tanto para humanos quanto para computadores. É por isso que, não usamos números binários ou endereços de IP em nossas URLs, e sim, palavras reais.

A estrutura da URL da página é um assunto controverso na esfera dos blogs. A maioria das pessoas acha que você deve utilizar algo mais curto, enquanto outras, preferem uma URL longa – como um título inteiro dentro da URL.

Como as regras não são muito rígidas, a melhor forma de estruturar sua URL é ver como sites com autoridade fazem isso. Você pode colocar sua categoria antes das palavras-chave que está segmentando, como faz o HubSpot:

image24

Ou fazer como o Copyblogger, que não usa a categoria para estruturar a URL de nenhuma página. Ao invés disso, eles simplesmente adicionam as 3 palavras-chave de que o artigo fala:

image68

Brent Carnduff recomenda que, ao escrever sua URL, você use de 3 a 5 palavras separadas por um hífen (-), não um travessão (_).

Longas ou curtas, URLs ricas em palavras-chave e genéricas têm bom desempenho nas páginas de resultados de busca (SERPs), especialmente quando o conteúdo é útil e fácil de implementar.

Crie URLs que irão informar ao leitor o que você está abordando. Apesar de usar todos os meus títulos nas URLs das páginas, eu não recomendo isso, pois fica muito longo para os leitores memorizarem e lembrarem. Por exemplo, você consegue memorizar a URL desse post?

É muito mais fácil para o usuário, memorizar e falar com outras pessoas sobre essa página específica, visto que a URL é curta e contém apenas as 3 palavras que representam o tema principal do artigo:

image55

Acima de tudo, sua URL deve ser auto-explicativa. Em outras palavras, o usuário não deve precisar de ninguém para interpretar o que está publicado naquela página. Seja claro e evite erros de ortografia.

Resolução de Erros de Rastreamento: No processo de se fazer otimização para o usuário, a fim de atrair a atenção das spiders dos motores de busca, é possível encontrar um erro de rastreamento.

Lembre-se que o processo de SEO é a melhoria contínua de landing pages, conteúdo, arquitetura e público. Assim, qualquer que seja o erro, não entre em pânico: apenas deixe que isso te motive a fazer o que for necessário.

Se você for ao Google Webmaster Tools (agora chamado Search Console) e clicar na aba “Health”, no topo à esquerda, e posicionar o cursor sobre Crawl Errors, você verá algo assim:

Esses erros, geralmente, significam que suas páginas da web não estavam facilmente acessíveis quando o bot visitou um link para o seu site, ou foi diretamente ao seu site.

image71

Isso pode até ser causado por um erro no arquivo robot.txt.

Quando eu digo “ir ao seu site”, não estou falando da forma como as pessoas fazem isso. A forma como os bots visitam uma página é bem diferente. Isso faz sentido, porque eles são programas avançados criados para vasculhar toda a web, procurando páginas novas e links para adicionar ao seu indexamento.

Quando você vê erros de rastreamento, isso significa que outros sites não podem ter acesso a algumas das suas páginas. Isso é caótico. Quanto mais rápido você resolver o problema, melhor será.

Se você tiver um erro tipo “não encontrado”, ele pode ser resolvido de forma similar, com uma pequena diferença.

image28

5. Adaptação Para Dispositivos Móveis (Responsividade)

Quando o Google Panda foi implementado, muitos sites não o levaram a sério. E consequentemente, pagaram caro por isso. Por exemplo, o Ebay perdeu 80% das suas posições altas nos rankings, o que foi uma perda enorme.

Moral da história: Antes que uma nova atualização te afete inesperadamente, você precisa se preparar para ela.

21 de abril de 2015 foi um dia feliz para usuários de dispositivos móveis. O Google deu a eles um presente ao estabelecer padrões que forçam todos os proprietários de sites a considerar usuários móveis. Foi previsto que a atualização poderia afetar mais de 40% dos sites na lista Fortune 500.

Aqueles que não estavam preparados, foram rebaixados nos rankings de busca. Uma empresa de software legal com um design responsivo, inicialmente viu uma queda nos rankings, mas viu uma subida substancial uma semana depois:

image23

O Box Office Mojo, por outro lado, não tinha um site adaptado para dispositivos móveis. Quando a atualização foi lançada, as posições nos rankings de busca e a visibilidade deles despencaram:

image44

Searchmetrics compilou uma lista de sites com autoridade, que tiveram perdas, e daqueles que ganharam com a atualização mobile. Aqui estão alguns deles:

image33

Acredite, a paixão do Google por usuários mobile só tem a crescer com o passar do tempo. Uma vez que, o uso de dispositivos móveis só está crescendo.

O propósito de todas as estatísticas acima é, te ajudar a entender as oportunidades que estão disponíveis em dispositivos móveis.

A razão pela qual você deve incluir a responsividade como um dos seus fatores de SEO on-page que merecem atenção, é que a maioria dos seus usuários vão acessar seu site a partir de dispositivos móveis.

Você precisa organizar o seu site para usuários móveis. É possível verificar, a qualquer momento, se seu site ou blog é responsivo, utilizando a ferramenta de teste de adaptação para mobile do Google. Basta inserir a URL do seu site na caixa de pesquisa e clicar no botão “Test URL”:

Meu blog é adaptado a mobile. Se o seu não for, você verá o seguinte resultado:

image62

Conclusão

Tempos atrás, eu publiquei um artigo chamado “A Cheat Sheet Definitiva do Algoritmo do Google”, em que meu objetivo era te dar uma visão geral e, mostrar os passos exatos de como criar um blog focado em conteúdo que gerasse os leads certos para você.

Usei a mesma abordagem nesse artigo aprofundado. No entanto, se você não conseguir lembrar de tudo o que foi mencionado aqui, lembre-se somente do verdadeiro propósito do SEO on-page: educar, inspirar e guiar seus usuários corretamente na medida em que eles navegam em seu site.

Prepare seu site antes de sair por aí para gerar links de autoridade para ele, pois o alicerce é o mais importante quando se trata de SEO. Estude sempre as ferramentas de webmaster do Google e o seu analytics, já que ambos irão te informar o que seus clientes ideais realmente querem do seu site.

Especialistas em marketing B2B, e também B2C, estão começando a entender a necessidade de implementar práticas básicas de SEO. Você precisa ter um compromisso com o processo, não só com os resultados que deseja.

Você aprenderá muito mais com essa mentalidade do que aprenderia se simplesmente chegasse ao topo dos rankings no Google.

Você já implementou alguma dessas hacks de otimização para motores de busca on-page? Quais foram os resultados?

Compartilhe