Redes Sociais: o Guia Completo para Definir Suas Estratégias de Rede Social

Você quer saber como as redes sociais podem fazer o seu negócio crescer?

As redes sociais fazem parte da tendência que mais cresce na história mundial. Esse setor tem crescido mais rápido que a internet em si.

É desnecessário dizer que, se você ainda não sabe como fazer marketing em redes sociais, você terá que aprender – ou vai perder a longo prazo.

Mas se fosse fácil sair por aí apenas criando conteúdos e postando nas redes, não teríamos tantos casos de fracassos, não é mesmo?!

Eu preparei esse material completo para ensinar você tudo o que você precisa saber sobre rede social.

Se você tem um orçamento para investir em Marketing, eu sugiro muito que você separe uma verba para investir em marketing de redes sociais, por menor que seja.

E não se preocupe! Neste guia, você vai entender os principais conceitos, as redes mais relevantes e seus contextos, os termos utilizados e terminará – tenho certeza – muito mais preparado para iniciar o seu plano de atuação nas redes sociais.

Boa leitura!

O que é rede social

Tenho certeza que, ao ouvir falar de “rede social”, imediatamente, você pensa em Facebook ou Instagram, ou qualquer outro aplicativo desse gênero.

Mas a verdade é que o termo “rede social” é muito mais antigo. A Sociologia o utiliza para analisar as interações e organizações das pessoas em grupos e sociedades, desde muito antes do surgimento da própria internet.

Porém, é também verdade que, com o mundo cada vez mais online, é impossível não ligar o assunto com os aplicativos e plataformas de interações no ambiente digital, afinal o conceito é o mesmo:

Rede social é uma estrutura composta a partir da conexão entre pessoas que têm em comum: culturas, interesses, valores, objetivos ou pensamentos.

Neste contexto, rede social é o site ou aplicativo que permite que as pessoas se manifestem e compartilhem informações. Compartilhar, aliás, é palavra de ordem.

Cada rede social pode ter um objetivo específico, seja profissional, de relacionamento, entretenimento e outros.

Muito se fala a respeito da mudança de comportamento dos usuários, que criam um mundo virtual de aparências e acabam por evitar o contato real entre pessoas.

Eu não pretendo aprofundar o assunto da psicologia em torno do uso das redes sociais, mas o Mário Sérgio Cortella faz isso brilhantemente neste vídeo, caso possa lhe interessar.

Mesmo assim, analisar a mudança de comportamento é útil, tendo em vista que isso influencia diretamente a maneira com que as empresas fazem seus negócios e geram seus resultados.

Se a grande maioria dos seus consumidores estão presentes e ativos nas redes sociais – sejam elas quais forem – não faz o menor sentido que a sua empresa também não esteja lá.

Quando surgiu

Na década de 1990, com a internet se tornando o meio de comunicação, de pesquisa e de trabalho, a ideia de rede social migrou rapidamente para este ambiente online.

Muitos atribuem ao Six Degrees o título de pioneiro nesse trabalho, afinal, em 1997, o site já permitia que você criasse um perfil e adicionasse outros participantes, muito semelhante com o que temos hoje.

O site atingiu o ápice de 3,5 milhões de usuários e foi descontinuado, em 2001. Na época, já existiam outras redes sociais que estavam cada mais populares entre as pessoas.

MySpace, o falecido (e tão amado pelos brasileiros) Orkut, e mesmo os de conversa, que embora não sejam considerados exatamente como rede social, ajudaram a moldar este comportamento de interações onlines dos usuários.

Tão antigos quanto o Six Degrees, o mIRC e o ICQ fizeram parte de uma geração ávida por compartilhar informações entre pessoas de todas as partes do mundo. (Se você tem menos de 30 anos, provavelmente nem saiba do que estou falando).

A partir daí, viver diferente parece impossível. Estar presente em pelo menos uma rede social é quase como um documento de identificação. Se você não está no Facebook, você não existe, não importa se você tem CPF ou certidão de nascimento.

Pode parecer exagero, mas uma pesquisa do Hootsuite aponta que 2,8 bilhões de pessoas usavam redes sociais no mundo, no final de 2016. Hoje, os números certamente são maiores.

Este é um caminho sem volta e, a cada dia que passa, novas redes surgem e novos usuários se cadastram.

Não tem mais como negar que a rede social é um veículo poderoso para a atuação das empresas.

Redes sociais x Mídias sociais

Tem muita confusão entre os termos e a maioria das pessoas acredita que sejam sinônimos. E não são.

Rede social, como falei anteriormente, é o local de encontro, de conexão entre pessoas que compartilham interesses em comum.

Mídia social, por sua vez, abrange todas as mídias utilizadas para transmitir uma informação ou comunicação, como vídeos, blogs e outros.

Você cria sua rede social quando se conecta com pessoas e utiliza as mídias sociais para transmitir informações e/ou compartilhar conteúdos.

É difícil separar uma coisa da outra, eu sei, mas vou tentar exemplificar.

Pense no objetivo primário de um site. O Facebook, por exemplo, existe para que as pessoas se conectem, criando uma rede de amigos que vão interagir e “conviver”.

Mas o Facebook tem uma funcionalidade de seguir, sem a necessidade de uma solicitação de amizade, certo?

Isso vai ser usado apenas para que você acompanhe o conteúdo publicado por determinada pessoa, sem que ela faça parte da sua rede de fato. Então, neste ponto, ele é uma mídia social.

O mesmo serve para o Twitter, cujo objetivo primário é o compartilhamento de conteúdos.

A mídia social é ampla e abrange todos os meios online para divulgação e relacionamento, e é chamada de “new media”. “Nova Mídia” por serem divergentes das mídias tradicionais, como a TV e o rádio, embora seu objetivo seja o mesmo: levar o máximo de conteúdos ao maior número de pessoas possível.

a rede social é uma parte da mídia social. Por isso, toda rede social é também uma mídia social, uma vez que só se constrói uma rede caso também haja a troca de informações e interações entre os usuários.

Mas o contrário não é verdadeiro. Uma mídia social não será, necessariamente, uma rede social, pois ela pode existir sem que haja a conexão entre as pessoas de interesses em comum. Um exemplo disso são as mídias pagas, como as display.

Pontos positivos das redes sociais

O uso crescente das redes sociais é realidade inegável no Brasil e em todo o mundo. Faz parte do dia a dia e interfere diretamente no comportamento das pessoas, em vários âmbitos.

Tamanha é a popularidade e presença na vida cotidiana das pessoas que as empresas acabaram presentes nas redes, mesmo sem querer.

Com a possibilidade de aproximação dos usuários, independente da sua localização geográfica, ficou muito fácil trocar opiniões, criticar ou espalhar rumores sobre algo que deu errado durante uma experiência de compra, por exemplo.

Por isso, uma coisa é certa: querendo ou não, a sua empresa estará, como se dizia antigamente, na “boca do povo”. Cabe a você decidir se fará parte desse discurso ou se deixará que falem por você.

São inúmeros os benefícios de uma atuação consistente nas redes sociais. Não é à toa que as empresas investem mais e mais em profissionais especializados neste trabalho.

Compartilhar a visão da empresa

Muitas empresas se esforçam para divulgar a sua visão, seus valores e no que acreditam. O que antes era um desafio, hoje pode ser feito de forma natural e genuína.

Se posicione em temas importantes e que estejam alinhados com o que sua empresa acredita e defende. Faça com que as redes sociais trabalhem como uma vitrine para você.

Seja transparente e honesto, e isso será valorizado, gerando valor para a sua marca.

A personalização da mensagem e a interação direta com o cliente

Enquanto as mídias de massa, como TV e rádio, transmitem uma mensagem única para inúmeros espectadores, a rede social lhe permite falar individualmente com cada um deles, na linguagem própria de cada um.

Para um público jovem, por exemplo, é interessante que a mensagem seja despojada, mais impessoal. Por outro lado, pessoas com um ar mais sério requerem uma mensagem mais formal, munida de caráter responsável.

Desta forma, cada público dispõe de uma maneira diferente de interação, logo, sua mensagem deve se adaptar a cada público definido.

Tente aproximar a sua relação com o seu público-alvo. Isso trará grandes benefícios à médio e longo prazo.

Possibilidade de segmentação do público

Ao publicar em uma rede social, é possível segmentar o público com detalhes bastante específicos, que possam atrair os usuários que têm tudo a ver com a sua marca. Se você oferece cursos profissionalizantes, por exemplo, seu público costuma ter bastante interesse nos termos “faculdade”, “livros”, “ensino ead”, entre outros.

Aqui, você precisa conhecer os gostos do seu público e definir uma comunicação direcionada e assertiva para atingi-lo.

Poder saber mais sobre cada um dos seus clientes

As pessoas compartilham tudo nas redes sociais. Preferências, desejos, sonhos, gostos pessoais, dúvidas, desconfianças e insatisfações.

Com um bom trabalho de análise e um pouco de interesse, você pode ter informações valiosas para a criação de um novo produto ou direcionamento de uma nova campanha, por exemplo. Trata-se de apresentar algo útil para quem busca aquilo que você oferece.

Possibilidade de vender por estes canais

As empresas não estariam presentes nas redes sociais se isso não gerasse resultado para elas.

Além de agregar valor à marca, ser um ótimo veículo de divulgação e possibilitar reverter possíveis consumidores insatisfeitos, as redes sociais também permitem que você faça negócios através dela, com a venda efetiva dos seus produtos e serviços ou, no mínimo, como ponto de início de uma possível negociação.

Criar um ambiente controlado pela marca

Aqui vale o que falei um pouco mais acima. Você estando ou não presente, será mencionado em algum momento. Assim sendo, vai de você participar do discurso, direcionando a comunicação para o caminho que você prefere seguir, ou deixar que façam isso por você – e aí o risco é todo seu.

Possibilidade de divulgação para empresas com baixo orçamento

Diferente das mídias tradicionais, que custam um absurdo, especialmente em horários nobres, as redes sociais têm um custo baixo e, dependendo do seu trabalho de conteúdo e de captação de seguidores, pode até ser nulo.

Além disso, você tem a possibilidade de mensurar os resultados com alta precisão, permitindo que tenha condições de avaliar que tipos de conteúdo têm mais efeito com o seu público, qual canal gera mais resultados, dentre outros diversos parâmetros igualmente importantes.

Informação em tempo real

Timing é muito importante. A rede social permite que a empresa faça comunicados importantes e de forma instantânea, sem precisar perder tempo aguardando uma publicação oficial em veículos tradicionais.

Ter essa atuação constante e cuidado com o timing pode ajudar a resolver ou, no mínimo, minimizar uma crise, passando comunicados menos dramáticos e que impactam no negócio, como, por exemplo, um horário de atendimento diferenciado em determinado dia, uma falha nos números de telefone da empresa, etc.

Quais os tipos de redes sociais

Talvez você nunca tenha parado para pensar sobre isso, mas existem tipos diferentes de redes sociais. Faz sentido?

Bom, se rede social é a conexão entre pessoas que tenham objetivos, interesses e valores em comum, então rede social é tudo igual, certo?!

Não, não é. Isso porque o objetivo daquela conexão vai variar, e é esse objetivo que determina o tipo da rede.

Trazendo isso pra vida real, imagine seus círculos sociais. Você tem uma rede de colegas de trabalho, profissionais da sua área; tem seu círculo de amigos para compartilhar uma cerveja num bar; tem sua rede de pessoas pelas quais você tem algum interesse amoroso ou físico; enfim, são vários os seus círculos sociais.

Sabemos, então, que existem grupos específicos na sua vida, seja para compartilhar assuntos, momentos ou informações diferentes. No mundo virtual não é diferente, e eu vou explicar para você quais os principais tipos de rede social e, assim, você poderá entender as suas respectivas diferenças e saber como se posicionar de acordo com o contexto de cada uma delas.

Rede social de relacionamento

Toda rede social é relacionamento, embora algumas plataformas foram criadas especialmente para promover o encontro e a interação entre as pessoas. É o caso do Facebook, que foi concebido com o propósito de conectar pessoas.

Outras redes sociais que você conhece, como o Twitter, LinkedIn e Instagram, também são redes de relacionamento, entretanto, elas se encaixam em outras categorias de rede social.

Rede social de entretenimento

A rede social de entretenimento tem como objetivo primário consumir conteúdo, e não conectar pessoas. O exemplo mais conhecido é o YouTube, que ganhou uma relevância enorme no cotidiano das pessoas pelo volume de conteúdo produzido.

O Facebook e o Instagram também acabam sendo redes de entretenimento com tantas evoluções de suas funcionalidades e pela forma que as pessoas utilizam, mesmo este não sendo o propósito de sua criação.

Outra rede bastante conhecida é o Pinterest, em que as pessoas compartilham imagens para inspiração, tutoriais e muito mais. O Pinterest é, hoje, uma ferramenta poderosa de busca.

Rede social profissional

Tenho certeza que “LinkedIn” foi o primeiro nome que lhe veio à cabeça, né?! E está certo. A rede social é focada em conexão entre pessoas com objetivos profissionais.

O tipo de conteúdo publicado é referente a assuntos de mercado e dentre as funcionalidades estão a interação entre pessoas para indicações, endossamento de conhecimentos e habilidades, entre outros.

O seu perfil é o seu currículo completo, que pode trazer, inclusive, informações de causas sociais pelas quais você se engaja, permitindo que você participe de processos de recrutamento para novas oportunidades, tudo isso dentro da própria ferramenta.

Rede social de nicho

A rede social de nicho é aquela voltada para um público específico, seja pela categoria profissional ou pelos interesses.

Uma das mais conhecidas é o TripAdvisor, em que as pessoas podem avaliar e deixar comentários em atrações relacionadas ao nicho de viagens e gastronomia, como restaurantes e hotéis.

É hoje uma referência para grande parte da população que procura indicações de um lugar para jantar numa cidade nova, por exemplo, onde o volume de interações é bastante alto.

Outro exemplo é o DevianArt, voltado para designers e artistas compartilharem suas criações. O Behance tem a mesma ideia e ambos também são utilizados como uma rede profissional, no qual os designers, publicitários e ilustradores utilizam o meio como portfólio online, a fim de gerar novos negócios.

Se parar para pesquisar um pouco, você encontra redes sociais para dezenas de nichos diferentes. Nem todas são tão conhecidas como as citadas acima, mas vale dar uma olhada nas que possam ter alguma relevância no seu segmento.

As redes sociais mais usadas no Brasil

De acordo com uma pesquisa realizada pelo We Are Social, 2,7 bilhões de pessoas no mundo estão ativas nas redes sociais. No Brasil, 58% da população acessa uma rede social pelo menos uma vez ao mês.

Na mesma pesquisa, o Brasil aparece como o segundo país que mais passa tempo nas redes sociais, com uma média diária de 3h43min.

redes-sociais-tempo-uso.png

Vamos conhecer as redes sociais mais usadas no Brasil. Se sua empresa não está presente em pelo menos uma delas, fique preocupado.

Facebook

O Facebook é a rede social mais popular do mundo, sendo a mais utilizada no Brasil, também. Com 120 milhões de usuários brasileiros (mais da metade da população), é quase que uma certidão de nascimento na internet. Se você não está lá, você não existe.

É a rede mais versátil e, com as evoluções constantes e implementações de novas funcionalidades a cada dia, o Facebook se torna o local mais propício para conhecer pessoas, gerar negócios, se divertir, conversar, compartilhar seu dia a dia, debater assuntos relevantes (ou nem tanto) e se expressar – até emocionalmente, com as opções de reações adicionadas ao botão “curtir”.

Enfim, trata-se de uma plataforma completa para se relacionar e se divulgar.

Para as empresas, é uma ferramenta poderosa de marketing. É a primeira rede social que você precisa ter participação, pois tem grande interferência na forma como as pessoas se comportam, consomem e se relacionam com a sua marca.

Instagram

O Instagram foi uma das primeiras redes sociais exclusivas para acesso mobile. Com o tempo, acabou sendo desenvolvido para desktop também.

Inicialmente criado a fim de compartilhar fotos no formato quadrado, imitando as antigas Polaroids – inclusive com filtros que auxiliam essa aparência -, o Instagram foi comprado pelo Facebook por 1 bilhão de dólares. É mole?!

Após a aquisição, o aplicativo ampliou consideravelmente suas possibilidades, sendo hoje possível compartilhar fotos de vários tamanhos, filmes, boomerangs e contando com o Stories, uma forma encontrada para enfrentar o sucesso do Snapchat.

45 milhões de pessoas no Brasil usam o Instagram, número que cresce a cada dia. Tem sido cada vez mais um meio poderoso para estratégias de marketing e geração de negócios, tendo a possibilidade de também gerenciar anúncios na ferramenta.

Youtube

Com mais de 1 bilhão de usuários ativos no mundo e mais de 500 milhões de vídeos visualizados diariamente, o Youtube é a principal rede social de compartilhamento de conteúdo audiovisual.

Com o uso do mobile em ascensão, o consumo de vídeos também aumentou muito, e é por isso que essa rede tem tido uma importância cada vez maior.

O Youtube é a segunda maior ferramenta de busca, ficando atrás apenas do Google.

No Brasil, são quase 100 milhões de usuários ativos. Não é à toa a popularização absurda dos chamados youtubers e a quantidade enorme de profissionais usando a ferramenta como forma de gerar negócios e ganhar autoridade em seu segmento.

Por isso, é altamente recomendado que a sua empresa produza conteúdos de qualidade e com autoridade para estar presente na plataforma, pois trabalho de SEO para o Youtube é tão importante (ou quase) quanto o voltado somente para os motores de busca.

LinkedIn

O LinkedIn, a maior rede corporativa do mundo, criada em 2002, demorou alguns anos até se tornar conhecida no Brasil.

Enquanto outros países já usavam o LinkedIn como porta de entrada para muitas oportunidades de trabalho e troca de experiências profissionais, o Brasil ainda estava sem entender bem o funcionamento da ferramenta – e arrisco dizer que ainda hoje a maioria das pessoas presentes na rede não tem total conhecimento do seu potencial.

Embora seja uma rede de relacionamento, como o Facebook, o LinkedIn é voltado para as relações profissionais e permite a divulgação de conhecimentos, experiências e habilidades profissionais de cada usuário, ampliando as chances de uma pessoa ser encontrada ou de encontrar vagas adequadas e interessantes ao seu perfil, além de possibilitar a troca de conhecimento entre profissionais do mesmo segmento ou com o público-alvo.

Como começou a se popularizar no país com um pouco de atraso, o LinkedIn tem um número menor de usuários – se comparado às três primeiras anteriormente citadas – com cerca de 29 milhões de usuários.

Nem por isso é menos importante (e muito pelo contrário!). Por se tratar de um ambiente profissional, a rede social tem grande potencial para geração de negócios e para agregar valor à sua marca, tornando-a autoridade no seu segmento através de criação de conteúdos de qualidade.

Twitter

O Twitter atingiu seu ápice em meados de 2009, com um boom de usuários e tweets compartilhados diariamente. Desde então, é verdade que deixou de ser tão popular, mas existem muitas pessoas que ainda utilizam essa rede social.

Certamente você já viu alguns memes no Facebook que consistem em, basicamente, uma print de uma mensagem de 140 caracteres. Pessoas ainda utilizam o Twitter e depois replicam o conteúdo em outras redes.

Conheço algumas pessoas que usam o Twitter somente para comentar, debater ou acompanhar algum acontecimento que esteja acontecendo no momento, como uma partida de futebol.

Muitas delas sequer postam nada, apenas estão ativas com o objetivo de seguir as pessoas ou empresas que admiram, a fim de consumir seu conteúdo.

O Twitter possui 319 milhões de usuários no mundo, sendo uma importante mídia social para o seu planejamento de marketing.

WhatsApp

Se você tem um smartphone, você tem WhatsApp. Eu acho muito improvável que não tenha.

O WhatsApp é o aplicativo de conversa mais famoso do Brasil, e mudou completamente a nossa forma de se comunicar. As crianças de hoje já nem devem mais saber o que é um SMS, por exemplo.

Inúmeras pessoas que conheço, preferem mil vezes mandar mensagens ou áudios pelo aplicativo, esquecendo-se da função primária de um telefone: ligar.

Fundado em 2009, conta hoje com 120 milhões de usuários no Brasil e é uma ferramenta poderosa de relacionamento com clientes.

Imagine você poder fazer um pedido de uma tele-entrega de pizza por WhatsApp, ou confirmando o agendamento de horário de uma consulta. Hoje, isso é realidade.

O potencial dos aplicativos de comunicação é enorme e, se bem aproveitado, pode gerar valor para sua marca junto ao seu público-alvo, sendo uma ferramenta muito capaz de fazê-lo melhorar seus resultados.

O Que é Marketing de Redes Sociais?

O Wikipedia é desapontador quando tenta definir marketing em rede social: “Marketing de redes sociais é o processo de melhorar o movimento ou atenção de um site da internet através de outros sites de redes sociais”.

Entendeu? Eu também não. Por isso, gostaria de fazer uma tentativa de definir marketing de mídia social:

Marketing de redes sociais é o processo de criar um conteúdo que é adaptado ao contexto de cada plataforma individual das redes sociais, com o intuito de direcionar o comprometimento e compartilhamento do usuário.

Você ganhar acessos é o único resultado do marketing de redes sociais. O que você faz para ter esse resultado? Cria conteúdo que funcione bem, dependendo das peculiaridades de cada plataforma.

É claro que todos querem que seus conteúdos se tornem virais, se possível.

Mas para fazer isso, ele tem que ser envolvente, para que as pessoas realmente queiram compartilhá-lo. Seu conteúdo precisa ser tão bom que faça o usuário querer contar a todos os seus amigos sobre ele.

Caso contrário, você irá acabar com nada.

Nenhum compartilhamento, nenhum conteúdo viral e sem acessos de volta ao seu site.

O trabalho de marketing de rede social vai muito além das propagandas nas ferramentas. Ele exige um real e genuíno esforço em criar conteúdos bons, que vão de fato servir para o seu usuário.

O trabalho de social media vai muito além de criar posts bonitinhos, e falaremos sobre isso mais à frente.

Visão Geral Sobre o Marketing de Redes Sociais

Embora você ouça sobre as mesmas poucas redes sociais o tempo todo, isso não quer dizer que não existam novas redes sociais por aí.

Só o Wikipedia lista mais de 200 delas.

Esse gráfico ótimo, chamado “O prisma da conversação”, dá uma boa visão geral.

redes-sociais-prisma.png

Embora não seja a visão mais atualizada – essa é a última versão e foi feita em 2013 -, ainda será uma surpresa para você que ela seja totalmente diferente da primeira versão desse gráfico de 2008, apenas 5 anos antes.

A cada nova versão os autores removem mais de 100 plataformas de redes sociais e adicionam outras 100. Você poderia imaginar?

O mundo das redes sociais está mudando incrivelmente rápido, então, se você está apenas começando, comece com as que já estão por aí há anos.

Apostar na “próxima grande novidade” pode surtir efeito se você já estiver bem posicionado nesse ambiente, mas para quem quiser começar com uma estratégia de redes sociais, você não pode deixar de ter uma página no Facebook, que é sem dúvida a mais importante rede social do Brasil.

Enquanto o Facebook é obrigatório, independente da sua empresa, outras redes sociais importantes e com forte presença no país precisam ser avaliadas. O que faz sentido para o seu negócio? Qual o seu potencial para geração de conteúdos?

YouTube é uma rede social incrível, segunda ferramenta de busca mais utilizada, mas criar um canal para deixar vazio, por exemplo, de nada adianta.

Avalie a sua realidade e os profissionais envolvidos, escolha a rede social que mais vai de encontro com os seus objetivos e mãos à obra!

Planejamento

Escolhida a rede para atuação, você cria o perfil da empresa. Após isso, é preciso ter o planejamento definido para orientá-lo em relação às publicações.

É preciso ter em mente o objetivo principal para participação naquela rede social.

Você quer fortalecer sua marca com um novo canal para divulgação?

Pretende usar a rede social para vender os seus produtos ou serviços?

Criar um canal de comunicação com os seus clientes e potenciais clientes?

Pense bem a respeito disso e defina um objetivo-chave. Não tente fazer tudo ao mesmo tempo, neste primeiro momento.

Lembre-se que o objetivo precisa estar de acordo com o momento da sua empresa e com o seu planejamento estratégico como um todo. Alinhe isso com suas equipes de marketing, inovação e vendas.

Uma vez que o primeiro objetivo seja atingido, então você pode começar a gerar conteúdo para atingir objetivos secundários (que, neste ponto, passarão a ser os principais).

Comece, por exemplo, buscando engajar seguidores. Com um bom volume de usuários, ofereça conteúdos que ensinem esses usuários, despertando uma necessidade.

Após despertar tal necessidade, supra e sacie essa necessidade com a oferta de uma solução da sua empresa, ou ofereça conteúdos profundos em troca de informações mais completas sobre os seguidores. A famosa geração de leads.

E assim começa um processo poderoso de promoção, captação de leads, nutrição de leads, fidelização… Com um trabalho bem feito, a consequência é uma só: mais clientes, mais vendas, mais valor.

Produção de conteúdo

Conteúdo é qualquer coisa que você estiver postando. Pode ser uma atualização no status do Facebook, uma foto no Instagram, um tweet, colocar algo em um quadro no Pinterest, um vídeo no YouTube, etc.

O que você precisa ter em mente na hora de produzir conteúdo é o contexto de cada rede social. Qual o objetivo dos usuários com o uso daquela rede?

Uma vez que isso estiver claro, fica mais fácil orientar a sua pauta de forma que o seu conteúdo seja relevante para os usuários.

Outra coisa importante é considerar a capacidade deste conteúdo ser disseminado. Você precisa criar um conteúdo com alto potencial de compartilhamento.

Receber muitas curtidas e comentários é ótimo, mas é com o compartilhamento do conteúdo que você vai ganhar escala. E escala é a coisa mais importante para uma atuação forte no meio digital.

Aproveite a capacidade multimídia das redes sociais para criar conteúdos de formatos variados. Imagens, infográficos, gifs, vídeos, transmissões ao vivo, textos, etc.

Conteúdos visuais tem mais chances de serem compartilhados, independente da rede social.

Invista na criatividade para poder abordar os assuntos de variadas maneiras, aproveitando todos os recursos possíveis.

Além disso, não esqueça que as redes sociais tem um potencial grande de geração de tráfego.

Se você tem um trabalho incrível na sua rede social, mas o site não está preparado para recepcionar os usuários – ou se eles não encontrarão conteúdos relevantes nele – , repense!

Hashtags

Até agora elas são uma forma bem comum de adicionar meta-informação em quase todos os canais de redes sociais. Twitter, Facebook, Instagram, Vine, Pinterest, enfim, todos estes usam hashtags para permitir que você descreva o assunto do seu conteúdo ou o marque como parte das atuais tendências.

Elas fazem seu conteúdo ser mais facilmente descoberto, e consequentemente, mais plausível de ser compartilhado.

O planejamento de hashtags é algo que precisa atenção. Acompanhe as tendências e procure utilizar as hashtags mais usadas no seu segmento, para poder concorrer com o seu conteúdo.

Compartilhar

Essa é a moeda corrente no mundo das redes sociais. Compartilhamentos são tudo que importa nas redes sociais.

Algumas pessoas vão continuar falando com você sobre ideias, taxas de cliques e alcance potencial e o quanto isso é importante. Mas nenhuma delas irá garantir que as pessoas realmente vão transmitir o que você tem pra dizer.

Quando as pessoas se engajam e interagem com o seu conteúdo, isso é bom. Mas é quando elas compartilham que você tem que comemorar.

Uma ótima ferramenta para medir compartilhamentos e o impacto em geral do seu conteúdo é o Buzzsumo:

redes-sociais-ferramenta.png

Quanto mais compartilhamentos, mais as pessoas gostam do seu conteúdo. É a melhor forma de engajamento que as pessoas podem ter com ele.

Viralizar é o sonho de qualquer social media, mas nem sempre isso é possível.

O importante é estar ciente de que seu conteúdo precisa ter os itens básicos para atrair o compartilhamento.

Um título poderoso, um conteúdo de qualidade, uma resposta para um problema real, criatividade e bom aproveitamento dos recursos visuais são algumas características para se criar um conteúdo compartilhável.

Engajamento

Engajamento é o termo usado para definir a interação das pessoas com o conteúdo que você produz. Pode ser um like, uma recomendação, um comentário ou um compartilhamento. Todos são bons, mas os compartilhamentos são o que há de melhor.

Uma empresa com uma página sem engajamento do público será uma empresa sem resultados.

Engajamento pode garantir autoridade, e isso é importante também para o SEO de redes sociais (e para os motores de busca).

Se você é popular, se as pessoas interagem com você e compartilham o seu conteúdo, então você será importante. E isso lhe dará mais oportunidades de negócios.

Geração de Leads

A geração de leads é uma estratégia poderosa de marketing online, e a sua capacidade de gerar leads está diretamente relacionada com o seu sucesso.

Mas, primeiro o que vem primeiro: o que é um lead?

O lead é um cliente em potencial. É alguém que tem algum tipo de interesse pela sua empresa, produto ou serviço e, por isso, deixa algumas informações pessoais, como nome, telefone e e-mail.

Uma boa estratégia para gerar leads nas suas redes sociais pode garantir um volume muito interessante de potenciais clientes para a sua equipe de vendas trabalhar.

“Só” produzir conteúdo não resolve. É preciso oferecer o conteúdo que as pessoas querem, que vão ajudá-las em algo.

Não é à toa que materiais como infográficos e tutoriais são tão populares. É uma maneira de gerar lead, ao mesmo tempo em que você ensina o usuário. Você resolve o problema que ele tem, naquele exato momento, disponibilizando um material que está o tempo inteiro na internet.

Em troca desse conteúdo, ele oferece algumas informações e vai de você continuar o trabalho de conversão desse lead.

A geração do lead nas redes sociais tem tudo a ver com o seu conhecimento sobre o público e o objetivo dele naquela rede.

De acordo com a rede social escolhida e com a definição da persona a ser trabalhada, você poderá direcionar os conteúdos certos e nos melhores formatos para transformar aqueles usuários em potenciais clientes.

Você pode ter alguma ideia depois de ler as 6 técnicas mais efetivas para geração de leads, que escrevi no meu blog. Nesse texto eu ensino como identificar um lead qualificado, que é um intermediário entre o lead, puro e simples, da oportunidade.

Gerar leads qualificados é o desafio número um das empresas B2B no ambiente digital. Se é o seu caso, sugiro que você comece agora a se aprofundar em formas de gerar mais leads para o seu negócio e melhorar seus resultados. Eu posso ajudar.

SAC 2.0

As redes sociais permitem uma interação pública ou privada entre clientes e empresa.

Isso é uma forma incrível de estreitar seu relacionamento e conversar com o seu público de forma pessoal, individual.

Aproveite para entender os problemas que seus clientes podem ter em relação à sua marca ou seu produto, esclareça os pontos importantes e seja ativo no discurso.

Não estou falando para sair se defendendo de qualquer comentário maldoso, mas sim para procurar entender a raiz daquele comentário e usar isso de forma a melhorar o seu trabalho.

É muito possível converter clientes insatisfeitos em clientes fiéis apenas com um bom relacionamento.

Fora isso, as mensagens privadas são uma forma fácil de se comunicar, esclarecer dúvidas e até iniciar uma negociação.

As pessoas buscam facilidade e, usar a rede social para permitir essa interação, pode ser uma boa maneira de permitir que o seu potencial cliente realmente compre algo de você, porque é fácil fazer isso.

Milhares de empresas aumentaram seu faturamento com vendas no Instagram, por exemplo. Pedidos via mensagem, privada ou pública, mesmo!

O legal é ter a capacidade de acompanhar toda essa movimentação, responder aos comentários e solicitações, ser ativo. Não demore dias para retornar uma mensagem.

Empresas estão investindo em profissionais para atendimento de rede social. O SAC não é um departamento novo nas empresas, o que está mudando é a forma de se fazer esse atendimento ao consumidor.

Monitoramento e análise

Monitorar as redes sociais significa estar constantemente acompanhando as publicações relevantes para o seu segmento de atuação.

Verifique os conteúdos que estão sendo publicados com assuntos e palavras-chave que competem com a sua empresa para poder criar estratégias em cima disso.

É importante, também, monitorar as menções dos usuários sobre a sua empresa. Nem sempre eles marcam o seu perfil, e você precisa estar atento sobre o que andam falando de você.

Fora isso, as redes sociais oferecem diversos números para que você possa analisar a eficácia da sua atuação online. Número de impressões, curtidas, compartilhamentos, cliques. Defina quais métricas são importantes para o seu objetivo e acompanhe sempre!

Procure cruzar as informações oferecidas pela rede social com as informações do seu Analytics, por exemplo, para entender o comportamento dos usuários.

O tráfego que a rede social está gerando para o seu site ou blog é qualificado? Esses novos usuários estão convertendo?

Se não, é preciso que você avalie os seus materiais e a qualidade de sua landing page, para identificar potenciais problemas.

O monitoramento e análise de métricas é essencial para a continuidade do seu trabalho.

As estratégias vão mudando, evoluindo, se ajustando, tudo de acordo com os resultados observados.

Anúncios

Os algoritmos usados nas redes sociais impedem que o seu conteúdo seja visualizado por todo o seu público, infelizmente.

Isso quer dizer que se você tem, por exemplo, 100.000 curtidas na sua página, apenas um pequeno percentual desse volume irá ver a postagem que você fez hoje.

Por isso, os anúncios pagos são muito relevantes para alcançar um volume maior de usuários. Eles potencializam o trabalho orgânico e podem ajudar a, inclusive, aumentar os seus seguidores (o que vai proporcionar uma melhora também dos resultados orgânicos).

As redes sociais mais usadas no Brasil oferecem formatos de anúncios para ajudar a alavancar seus negócios. Conheça:

Facebook Ads

O Facebook é a rede social de maior penetração no Brasil. Mais da metade da população está presente nela, e é por isso que eu digo que este é o primeiro passo para sua empresa começar uma atuação em rede social.

Em 2017 o Facebook anunciou que tem 5 milhões de empresas anunciantes ativas em sua plataforma. A maioria são pequenas e médias empresas.

Por que o Facebook Ads é uma ferramenta importante para sua empresa? Porque é barato e muito bem direcionado.

Você pode ter anúncios a partir de 1 dólar! Já viu alguma mídia tradicional permitir investimentos tão baixos?

Além disso, o potencial de segmentação do público é maravilhoso! Você pode, literalmente, descrever em detalhes o seu público-alvo, incluindo gostos e preferências.

Esse trabalho focado te permite um retorno sobre o investimento muito maior do que qualquer mídia de massa te daria.

Aprenda como anunciar no Facebook neste guia passo a passo e comece agora!

Instagram Ads

Depois que o Facebook comprou o Instagram, logo a opção de anúncios foi disponibilizada. Ela também é uma importante ferramenta de geração de negócios para as empresas.

Para anunciar, você nem precisa ter conta no Instagram, basta ter uma no Facebook. Os anúncios podem ser feitos com imagens, vídeos ou carrossel, bastante semelhante aos formatos do Facebook, e as regras de criação são as mesmas.

Você pode querer conferir algumas dicas de como criar uma boa campanha paga para Instagram, antes de começar o seu planejamento.

Lembre-se que a rede social precisa ser estudada antes de qualquer estratégia. O contexto precisa ser respeitado, caso contrário, sair anunciando sem muito embasamento pode ser um verdadeiro tiro no pé.

Linkedin Ads

O LinkedIn Ads tem uma gestão de anúncios muito parecida com as redes sociais apresentadas anteriormente, mas ainda é menos conhecido no Brasil.

Focado para geração de negócios, possui grande potencial, uma vez que reúne profissionais dispostos e receber conteúdo que possa ser relevante para a sua empresa.

Isso significa que você pode resolver uma dor daquele profissional oferecendo o seu serviço ou produto, sem que ele se sinta invadido em um momento de lazer (o que, muitas vezes, pode acontecer com outras redes sociais de entretenimento).

Talvez pelo potencial de conversão, os custos para anunciar no LinkedIn acabam sendo maiores que do Facebook, entretanto, vale analisar, pois embora o investimento seja maior, a taxa de conversão também pode ser.

Para empresas B2B, essa é uma rede social que não pode ser ignorada. Veja o meu passo a passo de como utilizar o LinkedIn para aumentar as vendas e avalie se esse trabalho faz sentido para o seu negócio.

Twitter Ads

Em 2010, começaram a surgir os primeiros anúncios no Twitter. Primeiro um tweet patrocinado, depois tópicos promovidos junto ao trend topics (hashtags mais comentadas do momento) e, então, promoção de perfis.

Hoje o Twitter também conta com uma ferramenta para gestão dos anúncios, como o Facebook. No Twitter para Empresas você pode conhecer todos os tipos de anúncios.

Suas campanhas pagas podem ter vários objetivos. Você pode aumentar o número de seguidores, melhorar o engajamento, gerar leads, fazer a distribuição de um produto (um aplicativo ou um e-book, por exemplo) e muito mais.

Eu já publiquei guias de como gerar resultados com campanhas no Twitter, dicas de como melhorar seu anúncio e estratégias para segmentar melhor seu público-alvo no Twitter.

É, realmente, bastante conteúdo, afinal acredito que o Twitter é uma importante ferramenta de marketing digital para as empresas e que você deveria prestar atenção nele.

YouTube Ads

Eu sei, ninguém gosta de ser interrompido enquanto assiste um vídeo para ver uma propaganda.

Enquanto estávamos acostumados só com a televisão, os comerciais faziam parte da nossa vida. Tanto que somos mestres em ignorá-los por completo.

Com o conteúdo online, tivemos um breve momento de liberdade, em que poderíamos consumir o conteúdo que quiséssemos, sem interferências.

Mas a verdade é que os anúncios online são uma realidade e, a cada dia que passa, mais empresas os utilizam. Afinal, elas precisam vender, não é mesmo?!

Bom, para evitar uma experiência negativa, você precisa planejar bem a forma como você pretende divulgar, além do conteúdo dessa divulgação.

Faça dos anúncios um meio de gerar um impacto positivo, como este case da Coca-Cola, divulgado pelo Google.

Pode ser um desafio criar conteúdo para os anúncios de Youtube, especialmente por serem vídeos. Nem todos têm facilidade com criação de roteiros, por exemplo.

Eu posso te dar algumas dicas de como fazer seu negócio crescer através dos anúncios de vídeo. A partir daqui, faça um bom planejamento e invista nesta rede que só cresce.

Principais Redes Sociais e Sua Importância

Já falei sobre as redes sociais mais utilizadas no Brasil e mencionei algumas vezes sobre a importância de se entender o contexto de cada rede.

Agora, vou esclarecer melhor o que eu quero dizer com isso e orientar você a criar o melhor conteúdo para cada tipo de rede social.

Facebook

História

Como sugere o nome do filme, essa é A rede social. Fundada, em 2004, em um dormitório na cidade de Boston e, originalmente acessível apenas para estudantes de Harvard, Mark Zuckerberg e seus co-fundadores rapidamente perceberam o potencial do site.

Depois de expandirem para as faculdades Ivy League e algumas outras, eles abriram o acesso ao Facebook para todos no ano de 2006, onde o empreendimento explodiu completamente.

Atualmente é a maior plataforma de rede social existente. Ela oferece aos profissionais de marketing a maioria dos dados e os mais visados anúncios. Você pode ser específico ao ponto de definir seu consumidor pelas meias que ele usa.

Com o Facebook Ads, você pode focar em empresários de 45-54 anos morando no Jardins, que assistem ou pratiquem determinado esporte, que viajam frequentemente para países de determinado continente e que, regularmente, gastam dinheiro com vinhos importados (graças aos dados do cartão de crédito).

Contexto

O Facebook te dá muita liberdade em relação ao conteúdo. Imagens funcionam, vídeos funcionam, assim como postagens em texto. O que importa é que você integre à plataforma o tanto quanto possível.

Por exemplo, ao invés de postar o link de um vídeo do Youtube, faça o upload do vídeo no próprio Facebook. Se você quiser redirecionar as pessoas para uma página de doação ou uma página de destino, publique o link como uma aba dentro da sua fan page.

Tente manter seu usuário na plataforma o maior tempo possível. As pessoas confiam no Facebook e elas não querem sair do conforto de “sua casa”.

Conteúdo

Google+

História

O Google+ está em atividade desde 2011 e conseguiu reunir 250 milhões de usuários em curto período de tempo.

Esse foi o contra ataque do Google ao Facebook, e mesmo que certamente não tenha destronado o rei, foi razoavelmente bem feito.

Dos 2,5 bilhões de usuários do Gmail, por volta de 250 milhões ativaram sua conta no Google +, porém, apenas 25 milhões já postaram alguma coisa na plataforma, e apenas 4-6 milhões são realmente ativos.

A vantagem do Google+ é a sua consistente integração com o Gmail. Isto é devido à ideia de círculos, em torno da qual o Google+ agrupa tudo. Quando você adiciona alguém em sua rede, você pode instantaneamente marcá-lo como amigo, colega ou familiar.

O Google+ torna muito fácil se conectar com mais pessoas, pois ele recentemente começou a permitir que você adicione as pessoas a partir de seu e-mail.

Uma das ações mais bem-sucedidas foi a integração com o Google Hangouts, que várias pessoas utilizam para hospedar webinars.

Essa é também uma ferramenta muito usada internamente nas empresas para comunicação entre departamentos – e até filiais.

Contexto

De maneira similar ao Facebook, o Google+ permite uma extensa variedade de postagens, incluindo imagens, vídeos e até votações.

Mesmo que o seu canal principal seja o Facebook, postar juntamente no Google+ é uma vitória fácil, especialmente se os seus círculos diferem um pouco de seus fãs do Facebook.

Considere o popular canal de paródias musicais do Youtube Schmoyoho, por exemplo. A página deles no Google+ é divulgada apenas por um pequeno símbolo na página de seu canal, mas, com 2,5 milhões de inscritos, ainda há muitas pessoas que clicam.

Eu aposto que eles configuraram o perfil do Google+ apenas uma vez (ele mostra os vídeos deles no Youtube). No entanto, ele acumulou 15 milhões de visualizações e 26.000 seguidores, até agora.

Nada mal, considerando que é apenas um pequeno extra no topo de seu outro canal de rede social.

Conteúdo

Instagram

História

Esses caras fizeram tudo certo. Eles tinham o aplicativo perfeito e o lançaram no momento perfeito. Com 3 meses de lançamento do Instagram na loja de aplicativos, ele atingiu 1 milhão de usuários.

redes-sociais-quora.png

O crescimento deles foi inteiramente orgânico. O aplicativo era tão bom que dominou as principais posições das lojas de aplicativos por meses – anos até -, e ainda o faz.

O iPhone 4 tinha acabado de ser lançado, o que significou um maior salto à frente na qualidade das fotos tiradas com smartphones.

Mais de 5 anos e 400 milhões de usuários depois, o aplicativo funciona quase inteiramente da mesma forma. As pessoas postam fotos, marcam amigos, inserem hashtags e tocam duas vezes na tela para mostrar que curtem o que os outros compartilham.

Pode parecer que nada aconteceu, mas não vamos esquecer o fato de o Instagram ter sido adquirido pelo Facebook em 2012, apenas 24 meses depois que eles começaram, por uma quantia gritante de 1 bilhão de dólares.

Mais recentemente, eles ativaram o uso de anúncios para todos.

Contexto

Fotos. O Instagram é, e foi, sempre sobre fotos. De todas as grandes redes, o Instagram tem a maior taxa de engajamento. Um dos segredos é que o “curtir” é mais fácil (você só precisa tocar duas vezes sobre a foto conforme for rolando pelo seu feed), que as pessoas tendem a fazer mais do que no Twitter ou no Facebook.

Depois de sua compra pelo Facebook, vieram possibilidades de publicações de vídeos e transmissões ao vivo. Hoje, muitas pessoas fazem isso e acumulam milhares de seguidores.

Anitta e Neymar são algumas personalidades que utilizam muito a ferramenta e todas as funcionalidades possíveis e disponíveis.

Assim como o YouTube, o Instagram também tem muitos influencers, ou seja, pessoas que postam dicas e reviews de produtos que ganham das empresas. Camila Coelho e Gabriela Pugliesi são nomes que, tenho certeza, você deve reconhecer.

Mas, se fosse para começar uma nova conta no Instagram, eu focaria inteiramente em fotos. Aqui estão algumas categorias que funcionam bem:

– Frases inspiradoras

– Perguntas em forma de texto (elas entretêm seus seguidores)

– Fotos de itens de marcas luxuosas (como bolsas Louis Vuitton, carros da Ferrari, Coca Cola, etc.)

– Mulheres com pouca roupa (quem teria adivinhado?)
É claro que você também precisa fazer uso de hashtags. Coloque um “call to action” para cada foto e certifique-se de que você esteja usando sua biografia corretamente (é a sua única chance de fazer uma ligação com seu site).

Conteúdo

Youtube

História

Ah, o vídeo no Google. Alguém lembra do player antigo?

redes-sociais-youtube-antigo.png

Quem imaginaria que iria explodir para mais de 1 bilhão de usuários mensais, em menos de 10 anos?

Essa plataforma mudou a maneira que consumimos vídeos, desde que tornou fácil (a transmissão online é super rápida), grátis, e nos deu uma maneira de expressar nossa opinião instantaneamente (graças aos comentários).

Mais ou menos 200 milhões de horas de vídeos são assistidas a cada mês – isso são 22.000 anos em tempo.

O Youtube gerou indústrias inteiras e impulsionou milhares de carreiras. 10 anos atrás, ninguém poderia ganhar a vida jogando video games.

Felix Kjellberg, conhecido como PewDiePie, é o número um na lista dos youtubers mais famosos do mundo. Você sabe quem é o segundo?

Whindersson Nunes, piauiense, ele é um fenômeno e vem em segundo lugar na taxa de influência da plataforma. Seu canal conta com mais 20 milhões de seguidores!

Outros brasileiros que alcançaram a fama graças à visibilidade dos seus canais no YouTube foram Felipe Neto, Kéfera, Júlia Tolezano, e vários e vários outros.

O caminho inverso também aconteceu. Famosos da televisão estão hoje com seus canais no YouTube, tamanha relevância da ferramenta.

Fernanda Souza e Giovanna Ewbank são alguns exemplos, além do famoso canal Porta dos Fundos, que reuniu atores e comediantes em vídeos com produção independente, embora eles já tivessem trabalho em teatros e em outros meios.

Graças ao Youtube, as pessoas agora podem ganhar a vida ensinando coisas, como tutoriais de maquiagens, fazendo compilação de vídeos engraçados ou fofos (cachorros e gatos são um verdadeiro sucesso!), compartilhando suas habilidades atléticas, etc.

Para profissionais de marketing, é um ótimo meio de compartilhar conteúdo com seu público, especialmente se eles não são leitores ávidos. Você pode, por exemplo, transformar suas postagens de blog em vídeos de tutoriais.

Dica Profissional

Use outros canais de rede social como porta de entrada para dirigir seus seguidores para o Youtube, dando resumos, fragmentos e pré visualizações de seus vídeos, por exemplo. Os pequenos pedaços de vídeo irão aguçar a curiosidade e fazer com que as pessoas queiram ver o vídeo todo.

Contexto

Existem duas formas de ser bem-sucedido no Youtube: você pode entreter ou ensinar.

Não existe limite sob quão longos os vídeos podem ser. As pessoas publicam cursos inteiros na forma de um único, vídeo de 3 horas.

Se você está tentando ser engraçado, você deve ser engraçado em todos os canais. Não faz sentido para a marca ter um blog sobre propaganda PPC e de repente fazer piadas sobre animais no Youtube. Seria melhor, então, ensinar algumas das suas estratégias no vídeo.

Não pense muito. Você não precisa de um equipamento de gravação de alta qualidade ou de uma edição extravagante. As chances são de que você esteja alguns passos à frente da maioria das pessoas em sua área de interesse, então apenas vá para a frente da sua webcam e comece.

Como diria Nathan Barry:
Ensine tudo que sabe.

Conteúdo

LinkedIn

História

O LinkedIn é mais velho que o Facebook. Ele foi fundado em 2002, por um dos primeiros membros do Paypal, Reid Hoffman. Mas o crescimento inicial foi lento, alguns dias e tinham apenas 20 registros.

O crescimento do LinkedIn nunca explodiu tanto quanto o do Facebook, mas eles estão por aí há 15 anos já e cresceram para mais de 400 milhões de membros.

As estratégias que deram a eles algum progresso foram focar no que estava indo bem, por exemplo, a página inicial, que justificava 40% dos registros.

Eles rapidamente aumentaram o número para 50% em 4 meses (13.000 pessoas a mais por mês), enquanto que aumentar os convites por email de 4% a 7% (19.000 pessoas a mais por mês) levou 2 anos.

redes-sociais-linkedin.png

O que eles sempre tiveram ao seu favor foi serem rentáveis bem cedo. Depois de apenas 3 anos estando no negócio, já ofereciam registros premium, com algumas funcionalidades diferentes dos perfis gratuitos.

Por fim, algumas viradas decisivas depois, como permitir que os usuários importassem seus contatos, focando no cenário profissional tecnológico de São Francisco e a aquisição e integração de ótimos serviços, como o Slideshare e o Pulse, ajudaram a crescer para uma empresa de 7.600 pessoas, consolidada publicamente e avaliada em cerca de 18 bilhões de dólares.

Contexto

No LinkedIn tudo é sobre ser profissional. O estilo de escrita casual, utilizado para produzir alguns blogs, inclusive o meu, é muito popular e não funciona tão bem no LinkedIn. As pessoas estão lá para apenas uma coisa: Negócios.

Eles querem saber sobre o que há de novo em sua indústria, quem está contratando, quem está demitindo e como otimizar sua performance no trabalho.

Um slideshare sobre assar cupcakes não será nem de perto tão bem-sucedido quanto uma profunda apresentação de uma empresa de uma conferência tecnológica.

Se você ajudar as pessoas a expandirem sua rede ou conduzirem seu negócio de uma forma melhor, seu conteúdo terá seu lugar no LinkedIn. Se não, é melhor focar em outro canal primeiro.

Conteúdo

Reddit

História

A auto descrita “primeira página da internet” não é muito remota. Com mais de 200 milhões de incomparáveis usuários mensais, poderia até ser.

O Reddit é outro site de rede social originado em uma faculdade, e uma bem especial em sua função.

Focado inteiramente no benefício da comunidade, os usuários do Reddit irão atacá-lo ferozmente por compartilhar links de spam e por despejar links promocionais em suas páginas, chamados subreddits.

Dois fatores chave que ajudaram o Reddit a crescer tornando-se uma grande plataforma são as AMA’s (pergunte-me qualquer coisa) e suas ferramentas de votação.

Os usuários podem aumentar e diminuir a entrada de votos, links e comentários. Assim, as publicações mais populares e úteis serão mostradas sempre no topo.

As contas são beneficiadas (ou punidas) com karma, que é mostrado separadamente para links e postagens em texto.

Dessa forma, os usuários não precisam ficar procurando através de toneladas de conteúdo antes de acharem o que é bom, mas podem ver logo à primeira vista o que é popular.

Quando algumas celebridades começaram a fazer AMA’s, ficando por um tempo no topo da plataforma respondendo perguntas dos usuários ao vivo, a plataforma decolou.

As pessoas que fizeram AMA’s incluem Barack Obama, Arnold Schwarzenegger, Tim Ferriss, David Copperfield e até o Bill Gates.

Contexto

O Reddit é duro de roer. Você não pode usá-lo como um outro canal de distribuição e apenas postar um link toda vez que publica algo em seu blog.

Você tem que estar presente, se comunicar, e dar valor aos parceiros Redditors sem perguntar por nada primeiro.

Poste links úteis e engraçados por um tempo, apenas para construir seu karma, e então refira ao seu conteúdo apenas quando apropriado. Tenha a certeza de fazer dos links uma nota, em vez de um conteúdo inteiro de um post.

Conteúdo

Snapchat

História

Eu me lembro de baixar esse aplicativo em 2012, pensando “Isto é estúpido”. Vou deletar de novo e não vou ouvir mais sobre ele.

Eu ainda o acho estúpido, mas 30% dos adolescentes da América entre 13 e 17 anos não acham. O Snapchat tem mais de 100 milhões de usuários ativos diariamente.

Enquanto a maioria é de meninas (por volta de 70%), os meninos na plataforma compartilham entre si apenas uma coisa em comum: todos são jovens.

70% dos usuários estão abaixo de 25 anos de idade. As armadilhas e spams e os escândalos das selfies nuas podem facilmente distrair uma média de adultos do fato de que essa é uma plataforma séria para profissionais de marketing.

Fundado há apenas 4 anos, em setembro de 2011, o aplicativo já é avaliado em 10-20 bilhões de dólares (dependendo da fonte).

Contexto

Se o seu produto foca meninas de 14 anos e você não está no Snapchat, você está fazendo algo errado. No entanto, mesmo que você esteja na plataforma, é fácil fazer várias coisas erradas.

Visto que todas as imagens e vídeos desaparecem depois de no máximo 10 segundos, o contexto sugere que todo o conteúdo na plataforma seja efêmero, de vida curta e não dure para sempre.

Naturalmente, faz sentido proporcionar conteúdo ao redor do mesmo tema.

Por exemplo, você pode dar ao seu público acesso a um evento ao vivo. Se você está dando uma palestra em uma conferência, tire alguns snaps enquanto você estiver no palco e compartilhe com seus seguidores.

Deixe que eles fiquem por trás das cenas, no happy hour de sexta no escritório, e mostre a eles como você se comporta quando está sozinho em casa.

Você pode mostrá-los como treinar seu discurso, como você estragou sua maquiagem, ou o carro legal que mandaram pra te buscar no aeroporto.

O snapchat diz respeito a compartilhar aqueles momentos preciosos, os quais nós temos tão pouco na vida.

Conteúdo

Pinterest

História

O Pinterest é a plataforma de rede social número 1 para profissionais de marketing que querem focar em mulheres. 85% dos 100 milhões de usuários são do sexo feminino, e o site pode ser visto com um gigante livro de recados virtual.

Em seu lançamento fechado, entre 2010 e 2012, você precisava de um convite para entrar na plataforma.

Apesar disso, sua lideranças são consideradas de alta qualidade e, de rodada em rodada de financiamento, eles aumentaram seu valor, que estava em 11 bilhões na última vez que fizeram o levantamento.

Mesmo que o Pinterest não faça nenhum dinheiro sério agora, exceto alguns anúncios para marcas famosas, eles são definitivamente umas das 10 plataformas sociais mais influentes.

Contexto

Sempre, sempre e sempre lembre-se que 85% do público são mulheres. Elas colecionam, elas cuidam, elas compartilham. Tópicos como decoração, design de interiores, cozinha e roupas vão extremamente bem.

O Pinterest é também uma das únicas plataformas em que as imagens são melhor visualizadas verticalmente, devido à natureza dos pin boards. Tenha em mente que suas fotos precisam de uma formatação especial para parecerem boas lá.

Conteúdo

Vine

História

Você deve ter percebido que quanto mais novo o canal de mídia social, mais curtas são as unidades de conteúdo.

Por exemplo, um post no Facebook pode ter até 60.000 caracteres, os vídeos do Youtube nem tempo limite tem.

Nota: até alguns anos atrás você precisava de uma “Conta de Diretor” no Youtube para postar qualquer coisa mais longa que 10 minutos.

Então, olhe para o Twitter. 140 caracteres. O Snapchat, 10 segundos no máximo. O Vine cai bem nessa categoria também.

Assim como nossa capacidade de concentração fica cada vez menor, informação em bits sob medida se tornaram norma sobre como nós consumimos nosso conteúdo.

O Vine faz uso disso através da permissão de vídeos com apenas 6 segundos de duração. A plataforma foi fundada em Junho de 2012 e adquirida pelo Twitter por 30 milhões de dólares, antes de seu lançamento oficial, apenas 5 meses depois.

Contexto

Lembra que eu disse que você pode ensinar ou entreter no Youtube? No Vine, você pode apenas entreter.

Mesmo que existam algumas campanhas na categoria “Ahh, interessante”, como a #6secondscience pela GE, a pequena quantidade de tempo que você tem para ganhar o coração das pessoas será melhor utilizada fazendo-as rir.

Existe uma razão pela qual os mais bem-sucedidos canais do Vine são TODOS de comediantes e brincalhões. Há também exceções, como essa menina que dança.

A música é uma outra opção para ser bem-sucedido no Vine. Se a sua marca se juntar a um artista, você pode lançar pequenos pedaços do trabalho dele (ou ele pode escrever uma música para sua campanha), para construir uma consciência sobre o seu novo produto, por exemplo.

Conteúdo

Yik Yak

História

Você pode não ter ouvido ainda do Yik Yak, mas você irá em breve. Pense em uma fusão entre o Reddit, o Twitter e o Tinder.

Visto que esse é também descendente de uma faculdade, fundada por dois recém formados da Carolina do Sul em 2013, eles pensaram em tentar usar o modelo de crescimento do Facebook e começaram em apenas um campus da faculdade.

Até agora eles estão em mais de 1.600 deles.

No Yik Yak, os usuários se registram anonimamente (como no Reddit), e então podem postar um texto de 200 caracteres (similar ao Twitter).

Qualquer um à sua volta em sua área geográfica (como no Tinder) pode, então, votar a favor ou contra sua afirmação, dando assim um Yakarma positivo ou negativo (também como no Reddit).

O aplicativo se auto proclama como um meio de encontrar pessoas e conversar sobre suas ideias livremente. Para ter uma ideia melhor, você pode ver o vídeo promocional deles abaixo:

[vídeo] [ https://youtu.be/O825ko-BK0k ]

Em 6 meses de lançamento, já era o 9º aplicativo de rede social mais baixado, nos Estados Unidos.

O Yik Yak contabiliza mais de 100.000 usuários mensais, emprega 60 pessoas e recebeu 60 milhões de dólares em financiamento, avaliando a startup para mais de 350 milhões de dólares em menos de um ano, depois do seu lançamento.

Contexto

Se você olhar para os Yik Yak mais populares, eles são quase todos engraçados. Vê um padrão aqui?

Isso é porque a coisa mais fácil de tirar das pessoas é a risada, considerando que você só tem uma pequena quantia de tempo para fazê-las sentirem algo.

Felizmente, o Yik Yak postou os mais populares em sua conta no Twitter, assim você pode ter uma ideia do que funciona ou não em sua plataforma.

redes-sociais-yik-yak.png

Como fazer um direcionamento de mídia social para o seu site?

O Yik Yak atualmente ainda não está monetizando o aplicativo, mas, considerando a sua dimensão, é provável que existam oportunidades para profissionais de marketing em breve.

Fique de olho nele e você poderá ter a chance de pegar um pedaço da torta no primeiro movimento.

Conteúdo

Tumblr

História

Grande para algumas indústrias, completamente despercebido por outras, o Tumblr é meio que um misto de blog, Instagram e Twitter.

Os donos o chamam de Plataforma de Microblogging.

Essa plataforma é mais utilizada para manter imagens, que podem ser facilmente reblogadas e curtidas pelos seus usuários, como se fossem retweets e/ou favoritos.

Você pode rolar para baixo um infinito feed, que faz com que seja fácil consumi-lo. Foi fundado em 2007 e, em 1 de Novembro de 2015, atribuía mais de 260 milhões de blogs.

Alguns desses pertencem a celebridades, como Lady Gaga.

O Tumblr foi adquirido pelo Yahoo em 2013 por 1 bilhão de dólares. Até aquele momento, eles tinham coletado cerca de 1/10 disso em financiamento – por volta de 125 milhões de dólares.

Agora, mais de 50 milhões de posts são criados a cada dia, e o site faz dinheiro através de propagandas.

Contexto

A ferramenta de rolagem infinita faz com o que o Tumblr seja naturalmente bom para imagens. É um meio muito visual, utilizado com frequência por designers para expor seu portfólio, ou por fotógrafos profissionais.

Marcas fashion e blogueiros podem usá-lo para manter conteúdo de sua indústria.

Existe um tipo de arquivo, porém, onde o Tumblr é indiscutivelmente o número 1 entre as outras redes: GIFs. As imagens móveis animadas estão bem no meio das fotografias e vídeos.

Enquanto a maioria das pessoas prefere o Instagram para fotos (e os vídeos não funcionam bem no Tumblr, pois eles interrompem a continuidade, onde você tem que parar, apertar play, então parar o vídeo de novo, e rolar para o próximo), os GIFs são o cruzamento dos dois.

Memes engraçados, clipes animados e pedaços de vídeos curtos fazem os usuários rolarem infinitamente e acabarem de consumir o conteúdo.

Se você está no meio fashion, de design, fotografia ou qualquer outra indústria visual, tenha certeza de que você precisa dar uma olhada bem séria no Tumblr.

Conteúdo

Medium

História

Você deve estar pensando agora que existem plataformas suficientes de blog por aí. Mas, não (ou, pelo menos, aparentemente, não). De alguma forma, em apenas 2 anos, o Medium cresceu para um dos maiores sites de blogging na internet, com um ranking Alexa de 578.

Uma grande parte disso é seu design simples e suave. Ev Williams, um dos cofundadores do Twitter, inicialmente o lançou em um beta fechado, em 2012, antes de eventualmente abrir para o público.

Parecido com alguns aplicativos como o Hemingway, a interface do usuário é incrivelmente simples. A diferença é que os usuários podem publicar nele mesmo, em vez de copiar o conteúdo para o seu próprio blog.

Antes de Williams ter fundado o Medium, ele também criou o Blogger, que ele eventualmente vendeu ao Google. Ele tem alguma aptidão para plataformas de blogging, não é mesmo?!

Por ter numerosas publicações, o Medium pode ser um meio de construir um público inteiro, sem nunca ter criado seu próprio site.

redes-sociais-medium.png

Os tópicos mais populares são design, startups, marketing, assim como assuntos sociais, família, maternidade e política.

Contexto

Por ser uma plataforma de blog, o Medium naturalmente se dá bem com conteúdos longos – embora, não deve ser tão longo, assim -, pois o Medium mostra o tempo estimado de leitura para cada postagem no topo.

redes-sociais-medium-tempo.png

Se as pessoas veem que irão levar 20 minutos para ler sua postagem, a maioria delas vai se assustar, não querendo se comprometer por um tempo tão grande.

7 minutos é o melhor, assim faz sentido que se quebre artigos longos em uma série de postagens.

Se você já tem um público grande, você pode usar isso para lançar seus artigos para o topo, uma vez que as postagens mais recomendadas ficam nas histórias principais, as quais são vistas pela maioria dos usuários.

Poucas recomendações dentro de uma hora ou duas (50 a 100, por exemplo) podem levar seu artigo para a página inicial.

Um conteúdo que se deu bem no Medium é também selecionado com frequência por grandes canais como o Huffington Post, Business Insider ou Entrepreneur, os quais proporcionam uma exposição adicional.

Conteúdo

Quora

História

A Quora é outra startup originada no Vale do Silício e fundada por dois ex-funcionários do Facebook. Eles pensavam que Q&A (Question and Answer) era um dos ótimos formatos da internet, mas que ninguém havia construído alguma coisa sólida ainda.

Acontece que eles estavam certos. Com comparativamente baixos – 80 milhões em financiamento até agora -, eles construíram o Quora para mais de 100 milhões de usuários, em 7 anos.

Perguntas podem ser feitas e, se populares, refeitas. Pode-se votar em favor das respostas, a fim de garantir que as respostas de qualidade apareçam primeiro.

As pessoas construíram plataformas inteiras apenas respondendo perguntas no Quora, e algumas respostas ostentam mais de 1 milhão de visualizações.

Contexto

Essa plataforma gira em torno de uma coisa: perguntas. Você pode tirar o máximo de proveito fornecendo resposta de qualidade para perguntas populares, as quais já foram refeitas muitas vezes.

Graças ao sistema de votação, as respostas de qualidade ficam no topo. E elas normalmente ficam lá por bastante tempo.

Tente dar respostas que ainda serão válidas em um ano, ou dois, ou até cinco. Algumas das respostas mais populares do Quora foram escritas há um ano.

Você pode se beneficiar em dobro com o Quora se você usá-lo para apresentar conteúdo, como escrever uma postagem em um blog que dá uma resposta bem detalhada para uma pergunta popular.

Você não só vai ter uma postagem ótima no blog, como também vai ser possível apenas republicá-la como resposta àquela pergunta.

Isso irá ajudar também a construir uma reputação de especialista em seu tópico, visto que as pessoas sempre procuram outras respostas que alguém pode ter dado, se elas gostam da primeira resposta que leram dele.

Conteúdo

Periscope

História

O Periscope é um aplicativo de transmissão ao vivo pela internet, criado em 2014.

Alinhado com a tendência de produzir mais e mais experiências ao vivo, o Periscope permite aos profissionais de marketing saltar em frente da câmera do celular e conversar com o público que pode se juntar ao vivo e comentar.

A pessoa fala, os comentaristas reagem, perguntam e dão feedback. A ideia surgiu aos fundadores quando protestos aconteceram enquanto eles estavam viajando por Istanbul. Eles puderam ler sobre no Twitter, mas não puderam ver ao vivo.

Depois de levantar uma quantia gritante de 1,5 milhão de dólares em financiamento, a companhia do aplicativo foi adquirida pelo Twitter, antes mesmo de ser lançada, por 50-100 milhões de dólares.

O Twitter, então, fez o lançamento ser muito mais fácil, ajudando o aplicativo a armazenar 10 milhões de usuários em 4 meses – um crescimento insanamente explosivo.

O sucesso foi tanto que o Facebook, em seguida, implementou a funcionalidade de transmissões ao vivo, replicando isso também para o Instagram.

Contexto

Visto que um Periscope é sempre um evento ao vivo, faz sentido ou levar seus fãs para um evento especial, ao vivo em sua vida (lembra que você pode realizar um por trás das cenas com o Snapchat?), ou fazer do Periscope em si um evento que vale a pena comparecer.

Uma forma de fazer isso é dar coisas para os comentaristas ao vivo, outra é resolver um problema específico que o seu público tenha, ou fazer perguntas e respostas.

Para obter espectadores ao vivo, você precisa se certificar de promover a transmissão antecipadamente. Para que as pessoas cliquem, você também precisa de um ótimo título.

Então, usando hashtags relevantes, twittando algumas vezes antes de entrar ao vivo e potencialmente a promovendo em outros canais, você pode ter certeza que irá conseguir os primeiros espectadores ao vivo, que podem compartilhar com seus seguidores para convidar mais pessoas.

Conteúdo

Beme

História

Lançado pelo famoso produtor de cinema e Youtuber Casey Neistat, o Beme quer romper seriamente a rede social.

No vídeo de lançamento, Neistat diz que nós normalmente só publicamos os mais filtrados, revisados, perfeitos momentos das nossas vidas.

Ao invés de compartilhar quem nós queremos ser, o Beme supostamente nos ajuda a compartilhar quem nós realmente somos.

Dentro de 1 semana, após o lançamento fechado (as pessoas tiveram que usar cupons para ter uma conta), mais de 1,1 milhão de visualizações de vídeos de 4 segundos foram coletadas.

Funciona assim: você simplesmente segura seu celular, um sensor de proximidade ativa a câmera e você grava o que vê, sem olhar para a tela.

O que você grava é instantaneamente compartilhado. Não tem como filtrar coisas ou melhorar sua aparência.

As reações funcionam de forma similar: você pode compartilhar selfies instantâneas, enquanto assiste ao Beme, apenas clicando na tela.

Uma vez que o vídeo foi assistido, elas desaparecem para sempre, como o Snapchat.

Contexto

De novo, muito parecido com o Vine, Snapchat e o Periscope, o tema é: ao vivo e agora. Você compartilha uma experiência ao vivo e o Beme provavelmente cria a versão mais crua e sem filtros dela.

Enquanto não há informações sobre o número de usuários, muito menos anúncios ou monetização, o Beme pode te ajudar a mostrar ao mundo que você é uma pessoa ou companhia autêntica.

Conteúdo

O que faz um social media?

Talvez você não tenha percebido ainda, mas o volume de profissionais que se dizem “social media” aumentou consideravelmente nos últimos anos.

Muitos desses profissionais são responsáveis por criar posts para as redes sociais. Quando digo criar, é criar mesmo, ou seja, uma peça com chamada e imagem.

Mas a verdade é que social media é uma profissão muito mais ampla do que isso, e o profissional pode ser responsável tanto pelo operacional, quanto pela estratégia.

Um profissional coringa – capaz de atuar em várias frentes -, é essencial para que uma empresa consiga acompanhar as constantes e rápidas evoluções do marketing.

Se você tem dúvidas sobre o que esperar de um social media, vou explicar agora. Conheça as funções principais e avalie se sua empresa conta com um profissional para esse trabalho.

Atendimento

Como já falei, as redes sociais servem como um SAC 2.0. Os usuários querem um atendimento instantâneo e esperam ser capazes de resolver os seus problemas através de uma mensagem na rede social da empresa.

O social media é responsável por monitorar as menções da marca, os comentários positivos e negativos, as dúvidas e questionamentos e responder a cada uma delas.

Por ser a linha de frente com o público alvo, é essencial que ele esteja alinhado com os valores e posicionamento da empresa, afinal é ele quem vai controlar uma crise, como uma enxurrada de avaliações negativas.

Algumas empresas foram brilhantemente incapazes de reverter a situação, piorando ainda mais o problema, já outras tem uma atuação de atendimento que é elogiada e referência para muitos casos.

O Netflix é um exemplo clássico e não posso deixar de falar dele.

redes-sociais-netflix.jpg

Postagens

O social media também é responsável pelas postagens. Nem sempre haverá um time de criação para isso, então, muitas vezes, é ele próprio quem cria os materiais.

Mas a tarefa de postar não é tão simples quanto parece, também.

É preciso definir os melhores horários para isso, desdobrar os conteúdos para todas as mídias utilizadas, conforme o contexto de cada uma e alinhar o discurso com o da empresa.

Produzir conteúdo

Ser capaz de produzir conteúdo conforme as especificidades de cada rede social é um trabalho que exige muito conhecimento, criatividade e planejamento.

Não deve ser feito de forma isolada, já que a produção de conteúdo precisa oferecer algo relevante para os usuários, alinhado com as estratégias do time de vendas e outros departamentos da empresa.

A facilidade para acompanhar tendências e criar coisas inovadoras é um diferencial importante para que o social media aproveite o timing para gerar conteúdos impactantes, aproveitando os formatos variados.

Curadoria de conteúdo

Eu sei que nem sempre é possível produzir um volume alto de conteúdo próprio, mas manter a constância das publicações é muito importante.

Por isso, oferecer conteúdos relevantes de outras empresas ou profissionais que tenham a ver com o seu negócio, pode ser uma saída inteligente.

Mas o profissional social media precisa ser capaz de selecionar bem os conteúdos que serão reproduzidos para manter a qualidade da sua presença na rede social.

O trabalho de curadoria de conteúdo é exatamente isso. Conseguir extrair os melhores conteúdos de terceiros para a sua página – quem sabe até gerando uma parceria com essas outras empresas e profissionais -, auxiliando no marketing de ambos os lados.

Análise

Já falei várias vezes e em muitos posts, mas nunca é demais relembrar: nenhuma estratégia de marketing online será 100% se não for possível de ser medida.

Não tem como você aprimorar o seu planejamento se você não tem condições de avaliar o que foi feito, quero dizer, não tem como comprovar o sucesso de uma ação, se você não analisa os resultados.

O social media precisa analisar as métricas, seja através das plataformas de redes sociais, seja pelo Analytics, com o uso de URLs parametrizadas.

As análises devem ser diárias, para que as ações de melhoria possam ser aplicadas imediatamente.

E é por isso que muitos dizem que essa história de “sou ruim com números porque sou de humanas” já não cola mais. O trabalho do profissional de comunicação está cada dia mais próximo das exatas, você gostando ou não.

redes-sociais-math-man.jpg

Estratégia e planejamento

Antes de sair postando qualquer coisa, ter um planejamento bem definido e estratégias a serem seguidas é essencial para orientar a produção do conteúdo.

É importante que o social media tenha definido um calendário de publicações para não esquecer de datas ou assuntos importantes para o segmento.

O planejamento também precisa estar orientado com a rede social, pois cada uma tem suas peculiaridades.

Com uma organização clara de todas as possibilidades de pautas e datas, o profissional consegue manter uma visão geral da estratégia de marketing e ficará mais fácil se manter alinhado ao planejamento estratégico da empresa.

O Que Significa Cada Termo Utilizado nas Redes Sociais

Muitos termos podem parecer grego, mas são termos simples que explicam as interações, funcionalidades, métricas e tudo o que envolve uma rede social.

Para sua alegria, montei um glossário para facilitar o seu entendimento sobre cada termo.

Alcance das Publicações

É uma métrica do Facebook que mostra para quantas pessoas sua publicação foi exibida. Você pode ver o alcance de um conjunto de publicações ou de cada publicação individualmente.

Alcance Orgânico

O alcance das publicações se divide em orgânico e pago. O orgânico é quando as pessoas vêem sua publicação sem que você tenha feito algum investimento. O número tende a ser cada vez menor, pois o Facebook incentiva que as empresas façam anúncios pagos.

Alcance Pago

Ao contrário do orgânico, o alcance pago é o número de pessoas que visualizaram sua postagem patrocinada. Dependendo da segmentação, esse número pode ser bastante alto, passando, muitas vezes, do número de seguidores da página.

Alcance Total

Essa métrica do Facebook engloba todas as interações que as pessoas viram da sua página, seja postagens, avaliações, check-ins, marcação de amigos e etc.

Algoritmo

Algoritmo é a fórmula usada para determinar os conteúdos que aparecerão no seu Feed de Notícias ou na listagem de resultados do Google. Ele calcula os melhores conteúdos, baseado em uma série de filtros e critérios.

Anúncio

Muitas redes sociais permitem que você criem campanhas pagas, que serão direcionadas para um público segmentado por você. Uma campanha pode ter mais de um público e você paga, geralmente, por clique.

API

A API é uma documentação que permite que outras empresas utilizem funcionalidades de um sistema integrados ao seu. Uma API do Facebook permite que você utilize os dados dos usuários para a criação de um usuário em outro aplicativo, por exemplo. Já viram que muitos oferecem, na hora do cadastro, a possibilidade de logar-se com o Facebook?

Avaliações

As avaliações são feitas pelos usuários e dizem respeito ao seu sentimento por sua empresa. No Facebook, elas se dão por estrelas, de 1 a 5. Uma boa avaliação é fundamental para comprovar a qualidade e seriedade da empresa, e os usuários cada vez mais levam a nota em consideração na hora de escolher.

Campanha

Campanha é um conjunto de ações e peças que buscam divulgar algo. Um novo produto, por exemplo, provavelmente será lançado com uma campanha que poderá envolver diversos materiais de comunicação. Pode compreender um post no blog, uma landing page, anúncios pagos e ações offline.

Capa

No Facebook, sua página terá uma foto de perfil e uma foto de capa. É uma forma de personalizar aquela página, conforme o guia de identidade visual da marca.

Check-in

Com essa funcionalidade, o usuário pode contar que está presente na sua empresa, loja ou restaurante. Muitas empresas têm o check-in obrigatório para liberação da wi-fi, por exemplo, que é uma excelente forma de divulgar sua empresa.

Community Manager

As responsabilidades do Community Manager se resumem a gerenciar os relacionamentos nas redes sociais, buscando criar novos meios de comunicação e interação, aumentando a presença da empresa no ambiente digital.

Conexões

Conexões é a rede de contatos do LinkedIn. Enquanto no Facebook você tem amigos e no Instagram seguidores, no LinkedIn você tem conexões. Como essa é uma rede social focada em oportunidades profissionais, nem todos ali serão seus amigos, entretanto, todos podem ser conexões relevantes.

CPC

Sigla para “Custo por Clique”. É a forma de avaliar o valor que você paga pelas campanhas nas redes sociais. Você define a sua verba de acordo com o custo por clique que aquela campanha ou palavra-chave terá.

CPM

Sigla para “Custo por mil impressões”. É um custo de mídia paga, como banners em sites, e se refere ao valor que será pago para cada mil impressões (visualizações) do anúncio.

CTR

É o número de cliques dividido pelo número de impressões (visualizações) do anúncio. É uma métrica que serve para avaliar a qualidade/resultado de uma campanha. Um CTR baixo demonstra que a campanha não teve tanto sucesso, onde embora tenha atingido muitas pessoas, poucas clicaram. Deve ser acompanhado diariamente para que a campanha seja otimizada o quanto antes.

Curtir

Indicação de que um usuário gostou da sua publicação. No Facebook tem opções de reações, como “Uau”, “Triste” e “Amei”, que ajudam os usuários a se expressarem ainda melhor.

Descurtir

É o número de pessoas que deixam de curtir a sua página no Facebook. É bom ficar atento a este número para avaliar se o conteúdo pode estar resultando num abandono de interesse dos seus usuários.

Direcionamento

Essa é a segmentação de público. Você pode fazer uma postagem direcionada para um grupo de pessoas que tenham determinados interesses ou características, possibilitando um melhor CTR, já que o conteúdo estará atingindo um público realmente potencial.

Direct

São as mensagens privadas do Instagram. Se você não segue a pessoa que te enviou mensagem, ela aparecerá em outro local da caixa postal e é preciso ficar atento a ele.

Embed

É uma tag de HTML que permite que você adicione mídias diretamente na sua página, como um vídeo do Youtube.

EMOJI

São desenhos que representam sentimentos ou traduzem, de forma iconográfica, as palavras. Podem ser expressões, locais, alimentos e muito mais. É bastante popular no WhatsApp, tanto que recentemente foi lançada uma animação sobre o tema.

Engajamento

Essa é uma métrica usada pelo Twitter e pelo LinkedIn. No Twitter, representa o número de vezes interagiu com um tweet. Já no LinkedIn, é o número de interações, cliques ou seguidores, dividido pelo número de impressões da publicação (mais ou menos como funciona o CTR).

Envolvimento

Métrica do Facebook, se refere ao número total de interações dos usuários com uma postagem, seja elas cliques, comentários ou compartilhamentos.

Feed de Notícias

O feed de notícias é a lista atualizada que aparece para você ao entrar no Facebook. Essa lista é atualizada constantemente (a cada milésimo de segundo, literalmente) e é carregada com conteúdos que, segundo o algoritmo, sejam mais relevantes para você.

Filtros

São os efeitos que podem ser aplicados instantaneamente nas fotos ou vídeos. É muito popular no Instagram e no Snapchat.

Fixar Publicação

É uma funcionalidade que permite que a empresa deixe uma publicação fixa no topo da sua página. Em grupos no Facebook, normalmente podem ser vistas publicações fixadas no topo com as regras do grupo, por exemplo.

Fórum

É um espaço que permite discussão de vários assuntos, incluindo para troca de conhecimentos. Você posta uma dúvida e uma série de usuários interagem com sua postagem, a fim de ajudá-lo a resolver o seu problema.

Funções da Página

É uma funcionalidade do Facebook que permite atribuir funções com níveis de permissões diferentes para cada usuário da página da empresa. As funções oferecidas são: Administrador, Editor, Moderador, Anunciante e Analista.

Geotagging

É uma forma de ver pessoas e fotos de um determinado local através do GPS. Está sendo cada vez mais utilizado, embora ainda tenha muito espaço para crescer.

GIF

O gif é formado de várias imagens que, colocadas em sequência, dão movimento à cena. É muito usado na internet, tanto que existem gifs para expressar qualquer tipo de sentimento ou sensação. Sério! Qualquer uma, mesmo.

Hashtag (#)

É uma forma de ser facilmente encontrado através de filtros por assunto. Se você escolhe bem as hashtags – usando algumas que sejam comuns no seu segmento -, você será encontrado quando o usuário pesquisar por ela. Também pode-se ver todas as postagens que usaram essa hashtag ao clicar em cima dela.

Impressão

A impressão é o número de vezes que os usuários viram sua publicação. A diferença dela pro alcance é que o alcance se refere ao número de pessoas que viram o seu post, já a impressão é quantidade de vezes que essas pessoas o visualizaram.

Impulsionamento

É uma funcionalidade de algumas redes sociais, como o Facebook, de impulsionar uma publicação por meio de pagamento.

Inbox

Assim como o Direct funciona no Instagram, o Facebook tem o Inbox, que são as mensagens privadas enviadas para sua página ou perfil.

Informações da Página

É uma aba que aparece para quem possui alguma função na página. Nela, podem ser analisadas as principais métricas, avaliando a performance das publicações.

Meme

É uma imagem gerada a partir de uma situação engraçada. É muito utilizado na internet. O Brasil é conhecido como especialista em criação de memes.

Menção

Existem várias ferramentas que permitem que você monitore quantas vezes o seu nome ou o da sua empresa foram mencionados nas redes sociais, em publicações diversas. Para ver as menções no Facebook, acesse Notificações > Atividades > Menções.

Mensagem Instantânea

É uma aplicação que permite o envio e recebimento de mensagens em tempo real. O Facebook Messenger e o WhatsApp são dois exemplos muito populares.

Notificações

São os alertas que você recebe para avisar que alguém interagiu com sua publicação, perfil ou página. Serve para que você não perca nenhuma atividade ou mensagem enviada, embora você possa configurar algumas preferências e até desabilitar essa funcionalidade.

Ocultar

O Facebook permite ocultar publicações, suas ou de terceiros. Quando você oculta, apenas quem enviou a publicação continuará vendo-a. Isso é importante para você evitar comentários com conteúdo indesejado ou suspeito, por exemplo.

Pasta

No Pinterest você pode organizar as suas imagens em pastas, de acordo com o conteúdo. Isso facilita a procura dos usuários por um determinado assunto.

PIN

O pin é quando você publica uma imagem no seu quadro do Pinterest.

Post Patrocinado

É quando uma postagem é impulsionada através de um investimento financeiro.

Power Editor

O Power Editor é a ferramenta para criação e gerenciamento de anúncios do Google. É útil para empresas que precisam gerenciar um volume grande de campanhas (agências de marketing digital, por exemplo).

Prova Social

Social Proof é um fenômeno psicológico que resulta em ações tomadas, baseado nas ações de outras pessoas, ou seja, se um post é compartilhado muitas vezes, a tendência é que esse número aumente, pois quanto mais pessoas compartilham, mais pessoas irão continuar compartilhando. O volume de likes, comentários e compartilhamentos influenciam nas ações do público.

Públicos Personalizados

Como o direcionamento, os públicos personalizados é uma forma de segmentar uma publicação de acordo com um público muito específico. Você pode selecionar sexo, faixa etária, região, gostos, preferências e muito mais.

Registro de Atividades

O registro de atividades do Facebook é como uma “ata” onde está registrado tudo que você fez na rede social. Postagens, curtidas, compartilhamentos, pedidos de amizade, enfim, todas as atividades realizadas pelo seu perfil fica armazenado no registro de atividades.

Regram

São aplicativos que permitem o compartilhamento de fotos no Instagram. O Instagram, por si só, não tem essa funcionalidade e exige o uso de um outro aplicativo para possibilitar esses compartilhamentos de imagens.

Retweet

É quando você compartilha o tweet de outro usuário, no Twitter. O retweet fica marcado na publicação para dar os créditos a quem publicou, originalmente. Muitos usam o retweet como forma de responder ao tweet.

Seguidores

É o número de pessoas que seguem o seu perfil. Você tem seguidores no Instagram, no Pinterest, Twitter e no Facebook. A diferença entre seguir e ser amigo é que, para seguir, o dono do perfil não precisa aceitar o outro como amigo.

Seguindo

É a mesma coisa que seguidores, exceto que, aqui, é você quem segue. Conta quantos perfis você segue para acompanhar seus respectivos conteúdos. Os números entre seguidores e seguindo não são os mesmos, afinal nem todo mundo que você segue te segue de volta (e vice-versa).

Status

É uma funcionalidade do Facebook em que o usuário compartilha um sentimento, uma atividade, pensamento ou conteúdo.

Timeline

Todo perfil, em qualquer rede social, tem uma timeline. Ela organiza todas as suas postagens por ordem cronológica, como uma linha do tempo, da mais atual para a mais antiga.

Trending Topics

São os assuntos mais comentados no Twitter no momento. Se monitorado, pode ser uma ótima forma de ter insights para gerar conteúdo, contanto, claro, que você não perca o timing.

Tweet

É a publicação feita no Twitter. Pode ter vários objetivos e exige bastante criatividade, pois tem um limite restrito de caracteres.

Twitter Card

São cartões que complementam ou explicam algo de um tweet (que tem limitação de caracteres), sem que a pessoa tenha que sair da rede social.

Visualizações

Bastante comum no Youtube, conta o número de visualizações do vídeo. É uma métrica importante para definir o sucesso de uma postagem, juntamente com o número de seguidores. O Instagram também passou a utilizar a contagem de visualizações nas postagem de vídeos na sua timeline e stories.

Conclusão

Ufa! Eu sei que foi bastante conteúdo. Mas você tem agora uma visão geral das redes sociais e marketing de redes sociais, além de ter aprofundado o conhecimento sobre as 15 redes sociais mais relevantes.

Você sabe que o contexto de cada canal deve ser respeitado na hora de planejar sua estratégia de entrada nas redes sociais e entende que deve ser capaz de produzir bons conteúdos para cada uma delas.

Agora que você aprendeu como definir uma estratégia nas redes sociais, você irá mudar a sua estratégia?

Em qual plataforma você irá focar mais?

Me conte através dos comentários como você pretende melhorar sua presença nas redes sociais.

Share