Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

SaaS (Software as a Service): guia definitivo

SaaS, do inglês Software as a Service, é a oferta de softwares e soluções pela internet como serviço. Essas empresas disponibilizam tais aplicações para a realização das mais variadas tarefas, de forma remota e online, seja pelo computador ou por dispositivos móveis.

Contratar e cancelar serviços a qualquer momento nunca foi tão fácil. E o principal responsável por isso é o tal do Software as a Service.

Uma verdadeira revolução no modelo de consumo dos usuários e na forma com a qual as marcas disponibilizam as suas soluções .

Muitas empresas das quais você é cliente são SaaS desde a essência. E, com isso, aproveitam os benefícios para elevar receitas e reduzir custos.

Ficou curioso(a) para saber quais são elas? Vou citar algumas: Dropbox, Google Drive, Netflix, Pipefy e até mesmo conversores online.

Descubra como funciona um SaaS neste artigo. Vou descomplicar o tema e te mostrar como inovar ao utilizar essa tecnologia. E aí, preparado(a)? É só continuar a leitura!

Antes de seguir, uma dica: eu e meu time preparamos um material especial com as principais estratégias de marketing digital para o seu negócio. Tem tudo que você precisa! Baixe agora, é gratuito.

O que significa SaaS?

SaaS significa Software as a Service, uma modalidade onde uma aplicação ou solução tecnológica é vendida não como um produto fechado, mas como um serviço. Assim, o cliente não precisa instalar o software, apenas acessá-lo com uma conexão à Internet.

Não é mistério que o segmento de prestação de serviços abrange incontáveis especialidades.

E pode nem mesmo haver a necessidade de um espaço físico para que um negócio dedicado a esse setor possa se estruturar.

É onde se encaixa o Software as a Service, caracterizado como um tipo de serviço prestado virtual e eletronicamente, podendo ser ou não em rede.

Hoje, inclusive, a maioria dos SaaS são disponibilizados a partir da nuvem, ou seja, dependem da cloud computing para serem ofertados no mercado.

O que são empresas SaaS?

São chamadas de empresas SaaS aquelas que oferecem aos clientes a facilidade de usar aplicativos pela internet. Isto é, como um serviço.

A principal vantagem é que, para ter acesso a eles, não é preciso instalar ou atualizar softwares.

Uma aplicação online pode ser usada de maneira simples e remota, bastando apenas uma conexão ativa com a internet.

Como surgiu o Software as a Service?

O Software como Serviço surgiu da necessidade de respostas cada vez mais imediatas no dia a dia.

Uma evolução dos antigos programas que precisavam ser instalados a partir de CDs — você era nascido nessa época?

A principal revolução causada pelo SaaS é que ele transforma produtos em serviços.

E torna muito mais fácil, interessante e prático o uso de softwares.

Não precisam mais ser instalados a partir de CDs, já que são acessados remotamente, baseados em nuvem.

Como funciona o SaaS?

Já se foi o tempo em que era preciso comprar licenças, instalar e atualizar softwares. Com o Software como Serviço, tudo acontece online, seja em instalações locais ou via browser.

Ele funciona a partir do pagamento de uma solução como serviço e não como licença.

Ao contrário dos CDs de antigamente, é o próprio fornecedor que disponibiliza o sistema. Então, o usuário não precisa se preocupar com instalações, atualizações e renovações de licenças.

Tudo isso fica sob responsabilidade dos fornecedores.

Pense no exemplo da Netflix: ela oferece um serviço confiável e seguro para milhares de usuários.

Cada cliente tem sua conta protegida e sabe que ninguém vai acessar suas informações pessoais, ainda que todos façam parte de uma mesma plataforma.

Ou seja, o SaaS oferece serviços para vários clientes e, ao mesmo tempo, com segurança individual.

O que é PaaS, SaaS, BaaS e IaaS?

O acrônimo SaaS não é o único da categoria de serviços digitais ou de matriz tecnológica.

Isso porque existem variações, como Platform as a Service (PaaS), Banking as a Service (BaaS) e Infrastructure as a Service (IaaS), para citar alguns dos mais famosos.

Uma PaaS funciona como uma plataforma na qual uma empresa pode criar suas próprias soluções baseadas na nuvem.

De certo modo, é como se um Software como Serviço tivesse origem em uma PaaS, já que é nela que se desenvolvem aplicativos, plugins e outros processos digitais.

Por sua vez, a IaaS consiste em um recurso mais físico, no qual se contrata toda uma estrutura em hardwares.

Servidores, memória, chips de armazenamento e roteadores são algumas das soluções enquadradas nessa categoria de serviços tecnológicos.

O BaaS, por sua vez, trata-se do Banco como Serviço. O objetivo aqui é permitir que qualquer empresa ofereça serviços bancários e financeiros, como emissão de cartão de débito e crédito, conta digital, etc.

Um exemplo de BaaS comum é visto em grandes lojas de departamento que oferecem, entre outras coisas, oferta de crédito e emissão de cartões.

Vale mencionar que falamos de um sufixo (“as a service”) que cada vez mais se populariza em vários mercados. Você consegue encontrar soluções XaaS, que literalmente significa “Everything as a Service” ou “Tudo como um Serviço”.

SaaS é um modelo por assinatura?

Sim e não. Vou explicar: um Software como Serviço pode ser adquirido no modelo por assinatura. Mas existem casos em que um pagamento único basta. Isso vai depender do fornecedor.

Em geral, no entanto, é possível afirmar que a ‘norma’ é que os Softwares as a Service se enquadrem como serviços por assinatura.

É o caso marcante de soluções como Netflix, Apple TV e outras mais corporativas, como ERPs, CRMs e outras ferramentas do tipo.

Porém, a depender do modelo de negócio do fornecedor, é possível encontrar soluções em que um único pagamento basta.

É o caso de soluções recém-lançadas no mercado e que buscam promotores da marca. Nesse cenário, a empresa oferta sua aplicação por um preço cheio, em troca de acesso vitalício aos seus recursos e atualizações.

Quais são as diferenças entre SaaS e softwares convencionais?

Para que entenda melhor: a principal diferença entre empresas Softwares as a Service e os convencionais é o local da hospedagem dos dados.

No modelo convencional, o software precisava ser instalado no computador da empresa contratante. Já no SaaS, pode ser acessado através de um navegador na internet, pois os dados ficam salvos na nuvem.

Então, é muito mais vantajoso tanto para o usuário quanto para a empresa.

Não requer instalação e pode ser customizado de acordo com as necessidades de cada um.

Qual é a relação entre SaaS e Cloud?

O que posso dizer? Bem, sem um, não existiria o outro. Então sim, ambos os conceitos têm uma ligação quase umbilical. Basicamente, sem cloud, o Software como um Serviço não seria possível.

Afinal, como expliquei antes, é a computação em nuvem (hospedagem de dados remota) que possibilita que os fornecedores ofereçam suas aplicações como serviço, de modo que seus clientes as acessem de qualquer lugar, apenas com uma conexão à Internet.

Na verdade, vou dar dois passinhos atrás:

Não só o Software as a Service existe graças a computação em nuvem, mas todos os conceitos “as a Service” que se referem à soluções digitais.

O cloud é o que capacita esse tipo de modelo de negócio.

Vantagens do SaaS para sua empresa

Podendo ser usada tanto pela empresa quanto pelo cliente, o SaaS traz várias vantagens para qualquer negócio.

Confira as principais delas:

Custos iniciais reduzidos

Gastar horrores com licença, manutenção e infraestrutura de TI? Essas são práticas empresariais que ficaram no passado.

Com o uso do SaaS, as aplicações podem ser acessadas por meio de qualquer dispositivo, seja desktop ou smartphone.

Você só precisa baixar o app ou se cadastrar no site do software e se conectar à internet para isso.

Acesso em qualquer lugar

Estou sendo repetitivo, mas é isso mesmo: tudo o que sua empresa precisa para usar um SaaS é estar conectada à internet.

Todos os dados do Software como Serviço ficam armazenados na nuvem.

Então, você pode acessá-los através de qualquer computador ou dispositivo móvel.

E nada é perdido, ao contrário de softwares convencionais que poderiam ser prejudicados pela falha de computadores ou smartphones.

Opções customizáveis

A qualquer momento, sua empresa pode comprar pacotes adicionais ou customizar o serviço para aumentar ainda mais a sua eficiência.

Atualizações automáticas

Com o Software como Serviço, as atualizações e manutenções dos serviços são agilizadas, já que acontecem automaticamente.

Afinal, os programas já estão hospedados na internet.

Isso ajuda a aumentar, inclusive, a satisfação do cliente final sem que o trabalho manual dos desenvolvedores seja maior.

Já viveu o drama de ter que esperar um técnico ir até o escritório para fazer uma manutenção de software?

Então, você sabe bem o desperdício de tempo e os prejuízos comuns ao uso de softwares convencionais.

É algo que não acontece quando sua empresa usa o Software como Serviço.

Pode até ser que surjam problemas de execução de software, mas a assistência é remota.

Então, você economiza tempo e tem acesso a soluções de um jeito bem mais eficaz do que antes.

Integrações com outros sistemas

A maioria dos provedores de Software as a Service oferecem integrações com outros sistemas.

Através do acesso a API’s (Interfaces de Programação de Aplicativo), você pode complementar a experiência do seu software com outros recursos.

Assim, pode fazer um gerenciamento contínuo dos requisitos que precisa para atender à demanda que possui.

Pacotes variados

O fornecedor da tecnologia pode oferecer pacotes variados com diferentes funções ao cliente.

Então, o cliente consegue escolher aquele pacote de funções e recursos de software que possui um melhor custo-benefício em relação ao orçamento.

Quer mudar de pacote, aumentar ou diminuir sua capacidade? Basta fazer um upgrade.

Pagamento apenas pelo uso

A principal vantagem de usar Software como Serviço é a precificação: sua empresa ou cliente paga apenas pelo que for usado.

Ou seja, não deve mais pagar pela licença de um pacote, mas usar o que realmente precisa.

Então, tem total liberdade para usar o serviço pelo tempo que achar conveniente.

O mesmo vale para quando quiser cancelar sua assinatura.

Como os consumidores pagam pela assinatura, sua empresa torna a receita previsível e sabe quanto terá em caixa todo mês.

Segurança de dados

Um dos pilares para um bom Software as a Service é que possua uma blindagem aos seus dados — tanto financeiros, quanto os dados que você insere na ferramenta em si.

Outro ponto importante é que, como a solução é atualizada automaticamente, o cliente sempre utiliza a versão mais nova presente no mercado.

Entrega de indicadores

A maior parte dos provedores de Softwares como Serviço sabe da importância que eu, você e todos nós damos à gestão de indicadores.

Por isso, é muito comum que as soluções do tipo possuam recursos que permitam aos usuários visualizar os principais indicadores, métricas e KPIs em relação ao trabalho realizado.

Na minha opinião, isso faz toda diferença para um negócio.

E claro, além disso, há um outro lado da moeda: por ser uma solução online, o provedor está constantemente monitorando a forma que seus clientes a utilizam.

O uso é monitorado com indicadores de excelência, que guiam o trabalho dos desenvolvedores por trás da interface que o cliente interage.

Assim, muitas vezes, o cliente não precisa avisar de um problema ou contar sobre um problema relacionado à UX, pois o provedor já está de olho nisso.

Desvantagens do SaaS

Embora sejam vantajosos por serem facilmente operacionalizáveis e ter baixo custo, os Softwares as a Service também apresentam alguns pontos não tão positivos.

Tudo porque eles consistem em uma solução que depende, em geral, da cloud computing para se manterem disponíveis.

Isso significa que, se um servidor remoto falhar, toda a sua operação cai junto.

Você mesmo pode ter passado por isso com o site da sua empresa, caso ele tenha caído alguma vez.

Outro aspecto a ser destacado é que, dependendo do servidor, podem ser encontradas vulnerabilidades e, dessa forma, a segurança dos dados fica comprometida.

Claro que essas são apenas situações possíveis e que nem sempre se verificam, por isso, antes de adquirir uma solução do tipo, é importante checar a credibilidade do fornecedor.

Desafios do SaaS

Existem alguns desafios importantes quanto ao uso do modelo Software como Serviço pelas empresas.

Entre eles, estão a necessidade de ajuste de mercado e a redução da taxa de rejeição.

Também toda solução do tipo precisa ser bem segmentada para crescer rapidamente. E uma de suas principais barreiras nesse sentido é a retenção de clientes.

Mas existem soluções viáveis para superar esses desafios.

Uma delas é testar abordagens verticais de negócio em vez de horizontais, para dar mais velocidade aos testes e facilitar o entendimento do mercado.

Outra é criar um produto que gere valor para o cliente desde o início.

Exemplos de empresas que usam o SaaS

O conceito ainda parece abstrato na sua cabeça?

Fique tranquilo: selecionei alguns exemplos de empresas que estão se destacando com a oferta de Software como Serviço.

Veja só!

Adobe

Oferece diferentes serviços por assinatura dentro da Adobe Creative Cloud.

Netflix

Já soma mais de 247,2 milhões de usuários em todo o mundo, assistindo a seus conteúdos em streaming.

Salesforce

O CRM online mais usado e famoso do mundo também dispõe de soluções de software as a service.

LinkedIn

Uma das principais redes sociais do mundo, voltada para perfis exclusivamente profissionais, é outro bom exemplo de uso bem-sucedido de Software como Serviço.

ServiceNow

A ServiceNow é uma empresa norte-americana, que hoje fatura cerca de US$8 bilhões oferecendo serviços de TI baseados em Serviço.

Entre as suas principais concorrentes, estão as poderosíssimas Hewlett-Packard e IBM, além da já destacada Salesforce.

The Ultimate Software Group

Outra empresa que atua no segmento de tecnologia e cujas soluções são baseadas na nuvem é a The Ultimate Software Group.

Sua receita anual ultrapassou a casa do US$1,1 bilhão, o que a coloca entre as gigantes que exploram o mercado tecnológico voltado a pessoas jurídicas e físicas.

Resultados Digitais

Bastante conhecida no mercado por suas soluções em automação e de marketing digital, a Resultados Digitais é uma referência em seu campo de atuação.

Com milhares de clientes, ela usa o modelo “as a Service” para oferecer diversos serviços, do e-mail marketing à produção e publicação de conteúdo.

Clicksign

Os certificados digitais vieram para substituir as assinaturas em documentos físicos em papel.

Na onda da digitalização, a Clicksign é uma empresa cuja proposta é oferecer serviços de gestão de contratos em formato eletrônico totalmente baseados na nuvem.

Com isso, as companhias atendidas têm toda a segurança jurídica de contratos assinados eletronicamente, podendo dispensar os sempre inconvenientes arquivos físicos.

Arquivei

Outra empresa que atua na gestão de documentos é a Arquivei.

Assim como a Clicksign, ela se vale do Software as a Service para gerir e armazenar incontáveis documentos e notas fiscais dos seus clientes.

Ela assumiu uma relevância tão grande no mercado brasileiro que tornou-se, inclusive, parceira do Ministério da Economia na realização de estudos e projeções do mercado.

Como é o cenário das empresas SaaS no Brasil?

Mas como é o mercado de SaaS no país?

Para responder a essa pergunta, compilei os principais dados revelados pela primeira pesquisa sobre esse mercado. Vamos a eles?

São Paulo é o estado que possui o maior número de empresas Software as a Service. Hoje, o mercado de Software como Serviço no Brasil vale US$3,9 bilhões, conforme dados da Statista.

A digitalização das PMEs deve causar um boom neste mercado, com 20% de crescimento ao ano para os próximos 5 anos, de acordo com o que vi em matéria da Exame.

No entanto, o dado que impressiona é esse: apesar de tudo, hoje, apenas 5% dessas empresas utilizam Software como Serviço. No caso de startups, o percentual é maior: 41%.

Um indicativo importante que mostra um enorme potencial. Ainda assim, parece pouco em relação ao tamanho e importância que empresas Software as a Service possuem, concorda comigo?

O desafio das organizações é avaliar como podem empoderar suas experiências e ampliar seu alcance no mercado.

Os dados de um recente estudo da Vindi são muito esclarecedores sobre os pormenores do mercado SaaS, veja só:

Em relação às estratégias comerciais, a separação das empresas Software as a Service brasileiras ficou:

  • Sales-led Growth (SLG): 52,8%
  • Product-led Growth (PLG): 34,9%
  • Community-Led Growth (CLG): 12,3%.

Além disso, o top 3 de “foco” das organizações entrevistadas ficou assim:

  • Eficiência (28,6%)
  • Crescimento escalável (22,8%)
  • Inovação (12,3%)

Principais segmentos que usam o SaaS

É difícil enumerar os segmentos que utilizam Softwares como Serviço em suas operações, porque, bem… São incontáveis os casos.

No entanto, existem áreas que se destacam por usar esse tipo de solução de forma mais intensiva.

Talvez a mais eminente seja a de marketing digital, na qual diversas empresas desenvolvem soluções em automação e gestão de conteúdo.

Aqui, CRMs (que servem tanto ao marketing, quanto ao setor de vendas e mesmo atendimento) saem na frente. São famosos por centralizar informações de leads e clientes — e, assim, simplificar várias ações de engajamento com essas pessoas.

O setor financeiro também é, de certo modo, um heavy user de Softwares as a Service, com especial ênfase para os bancos digitais.

Um exemplo? Vou partir para algo mais simples: soluções de segurança online, que protegem os dados dos clientes e da empresa.

E-commerces também são parte da estatística — e, honestamente, se você conhece alguma loja online que não opera com base em SaaS, me diga, pois quero testemunhar com meus próprios olhos.

Nesse caso, falo especialmente de plataformas de e-commerce, soluções de processamento de pagamentos, softwares logísticos para organizar estoque e envios de mercadorias, entre vários outros.

Ah! Quer saber um Software como Serviço que muitas empresas já têm — e que, se não possuem, o farão no futuro próximo? Um ERP — basicamente, um sistema de gestão empresarial.

O que são vendas SaaS?

Pense no SaaS como um buffet de software. Você paga pelo que consome, sem ter que comprar o restaurante todo.

Agora, quanto ao modelo de vendas, ele é tão variado quanto os pratos do nosso restaurante hipotético. Vou te explicar alguns dos principais:

Self-Service

O equivalente ao “sirva-se sozinho”.

Nesse modelo, os clientes identificam suas necessidades, testam a solução e fazem a compra, tudo por conta própria. É simples, rápido e eficiente

Uma solução perfeita para quem quer evitar aquelas longas negociações e processos de vendas demorados.

Transacional

Um passo acima do self-service. Aqui, você tem algum nível de interação com os vendedores, mas o processo é mais curto e direto.

Ideal para empresas que já sabem o que querem, mas precisam de um empurrãozinho para tomar a decisão final.

Empresarial

Ah, esse é o peixe grande!

Esse modelo envolve vendas de alto valor, com longos ciclos de vendas e uma abordagem mais personalizada.

Se você está mirando grandes contratos com empresas maiores, este é o caminho a seguir.

Como alcançar o sucesso com SaaS?

Não existe uma receita secreta para o sucesso com o uso de softwares como serviço. A verdade é que, sim, eles simplificam o seu dia a dia.

Afinal, falo de um modelo de solução que não exige compra de licenças e nem instalações demoradas em cada PC, notebook ou dispositivo móvel. Basta ter acesso à internet, um login e senha.

No entanto, quero compartilhar alguns passos que podem fazer a diferença aqui, que são:

Sempre acompanhe a utilização do produto

Acompanhar a utilização do produto não é só sobre números e gráficos; é sobre entender a história que seus usuários estão tentando contar.

Você já se perguntou por que certas funcionalidades são mais populares que outras? Ou por que alguns usuários parecem se perder na jornada?

Mergulhar nesses insights pode ser o mapa que você estava procurando para entender se o produto cumpre com o que promete (ou se apenas drena mais recursos do seu negócio).

Não fique dependente de estratégias tradicionais

As estratégias tradicionais têm o seu valor, mas será que elas estão realmente em sintonia com a rapidez do mercado atual? Inovar é a chave.

Pergunte-se: como posso reimaginar a jornada do meu cliente? Existe uma nova abordagem para o meu marketing que pode virar o jogo?

Use a flexibilidade das soluções “as a service” como uma vantagem nesses momentos.

Obtenha feedback

Aqui, não estou falando de um simples “esse novo software de gestão é bom?”.

Falo de cavar fundo, buscar as verdades não ditas, aquelas que seus funcionários podem hesitar em compartilhar.

Como você faz isso?

Abrindo canais de comunicação que vão além do convencional, criando uma cultura onde há um ciclo de feedbacks.

Já imaginou o impacto de transformar cada pedaço de informação em novas funcionalidades ou melhorias? 

Quais métricas podem ser utilizadas em um SaaS?

Acompanhar as métricas do SaaS é a melhor forma para compreender e otimizar serviços.

Então, aqui vão as principais delas:

Churn rate

É o índice de cancelamento.

Mostra quantos clientes cancelaram a assinatura do seu produto em um certo período de tempo.

LTV

Leva em conta o valor que um cliente gasta com a sua solução ao longo de todo o relacionamento com a empresa.

Compreende também o potencial que ele tem para continuar a usar seus produtos e a se relacionar com seu negócio.

Arpa

Pode parecer um instrumento musical, mas nada mais é do que a receita média gerada por um cliente.

MRR

Diferente da Arpa, a MRR é a receita mensal recorrente.

Ou seja, mostra o valor que você recebe e perde com base em suas previsões de ganhos.

CAC

Mede o investimento necessário para conquistar um cliente ou, em outras palavras, quanto custa para que uma assinatura seja confirmada.

Qual é o custo para essa aplicação?

Antes de abrir a calculadora e começar a somar os números, respire fundo. Vou te contar um segredo que pode mudar a forma como você vê o custo de implementação de um SaaS.

A verdade é que o SaaS se adapta facilmente às mais diversas realidades orçamentárias.

Mas como isso funciona na prática?

É aqui que entra a beleza da flexibilidade do SaaS.

Com um espectro vasto de opções, desde as mais acessíveis até as mais robustas, sempre existe uma solução feita sob medida para o seu negócio.

Além disso, tente encarar dessa forma: o custo real não está no preço em si, mas na capacidade de escalabilidade e adaptação que o SaaS oferece.

Portanto, antes de investir em uma assinatura, pense no todo — de olho em todo o contrato e nas possibilidades que a ferramenta oferece — e não apenas no valor mensal creditado no seu cartão.

No fim das contas, o custo de um SaaS é um investimento na agilidade, na inovação e, sobretudo, na liberdade de seu negócio.

Modelos de cobrança de SaaS

Quer oferecer soluções “as a Service” para os clientes? Então, pense bem sobre os modelos de cobrança que vai oferecer a eles.

Essa escolha pode impactar em suas vendas e, inclusive, na lucratividade do negócio. Conheça os dois modelos de cobrança mais recomendáveis para evitar prejuízos:

Freemium

É uma mistura de free com premium: oferece funcionalidades gratuitas e outras pagas.

Tudo depende da necessidade do cliente que vai usar o produto. Se ele quiser usar todas as aplicações, por exemplo, pode optar pela opção premium.

A grande sacada de se oferecer um software freemium é dar aquela “degustação” do seu serviço para o público em potencial.

Self-service

A ideia do self-service é oferecer todas as informações possíveis sobre o seu serviço para que o usuário possa comprá-lo sozinho — assim como expliquei no tópico anterior.

Uma boa prática, neste caso, é criar uma página explicando as principais vantagens de cada opção de plano de serviço.

E, claro, o que cada um inclui.

Conclusão

Aplicações em nuvem, como o SaaS, vieram para revolucionar não só os negócios, mas a vida dos usuários.

Elas tornam tudo mais fácil, prático e rápido!

E nada mais justo do que poder, por exemplo, pagar pelo uso de um software e não pela licença envolvida.

Significa ganhar autonomia para contratar e cancelar serviços conforme quer e precisa.

Ou seja, empoderar ainda mais os usuários sobre o uso das ferramentas que necessitam.

Em âmbito empresarial, investir em soluções de cloud computing torna os negócios mais competitivos.

Com isso, podem se destacar ao entregar soluções com agilidade e eficiência em um mercado cada vez mais imediatista e exigente.

Como você pode ver, usar o Software como Serviço na sua empresa é fazer mais por menos. Reduz custos, tempo e traz modernização para dentro.

Pode parecer clichê ou exagero ao afirmar isso, mas as empresas que não se modernizarem correm o risco de se tornarem obsoletas.

Então, é preciso estar de olho nas necessidades do próprio negócio e de seus potenciais clientes para criar soluções inovadoras.

E você, já usou ou quer levar o Software como Serviço para o seu negócio? Compartilhe aqui nos comentários deste artigo a sua experiência com essa tendência que está revolucionando a distribuição de serviços.

Perguntas frequentes sobre SaaS

O que é SaaS em vendas?

A sigla quer dizer Software as a Service. Refere-se ao uso de softwares baseados em nuvem, que são fornecidos como um serviço mediante assinatura. Isso permite que empresas acessem ferramentas poderosas sem ter que comprá-las, gerenciando e otimizando vendas com eficácia.

Como o SaaS funciona?

Esse tipo de solução opera online, sem necessidade de instalação local. Em vez de comprar um software, os usuários pagam uma assinatura para acessá-lo via internet. Com atualizações automáticas e armazenamento em nuvem, garante acesso de qualquer lugar e a qualquer momento.

Quais são os exemplos de SaaS?

Alguns exemplos populares de Softwares a a Service incluem CRM como Salesforce, plataformas de automação de marketing como HubSpot, ferramentas de colaboração como Slack e sistemas de gestão como Trello ou Asana.

O que é um sistema SaaS?

Um sistema Software a a Service é uma solução disponível via web que não requer instalação completa no dispositivo do usuário (normalmente, é possível acessá-la por uma interface simplificada ou mesmo por um site). Oferece ferramentas e serviços em um modelo de assinatura, eliminando a necessidade de infraestrutura e manutenção de hardware pesados.

NP Digital Brasil

Você quer resultados imediatos?

Minha agência pode fazer todo o trabalho pra você. Somos especialistas em:

  • SEO - Colocamos seu site no topo das pesquisas do Google
  • Mídia Paga - Fazemos seu negócio alcançar quem importa no momento certo
  • Data & Conversion Intelligence - Desbloqueamos as conversões do seu site e criamos dashboards para melhores análises

Fale com um especialista

Consultoria com Neil Patel

Compartilhe