Google Analytics: O Que É, Como Funciona e Como Usar o Analytics

Você gostaria de aprender a ler e otimizar todos os dados do seu site?

O Google Analytics é um serviço oferecido de forma gratuita pelo Google.

Essa ferramenta exibe estatísticas de visitação do seu site, a fim de otimizar suas campanhas de marketing e o uso do Google Adsense.

Com isso, é possível entender como o seu público se comporta no site. Monitorar o Analytics é fundamental para crescer o seu site.

É muito importante entender sua audiência para que ela se conecte com você de maneira fluída e não troque seu site pelo dos concorrentes.

O Google Analytics mostra exatamente onde seu negócio está tendo sucesso e onde ele precisa melhorar, sendo um importante a liado do seu marketing digital.

Eu uso essa ferramenta em todos os meus negócios e com alguns dos meus clientes, como a Amazon e o Airbnb.

Então, eu sei que ela funciona muito bem e quero ajudar você a alavancar seus resultados agora mesmo!

Quer conhecer uma estratégia definitiva para gerar tráfego orgânico sem posicionar no top 10 do Google? Acesse aqui o passo-a-passo que criamos para você!

Neste artigo você vai aprender tudo sobre Google Analytics:

  1. Aprender o que é Google Analytics;
  2. Saber como usar esta ferramenta poderosa;
  3. Conhecer suas principais métricas;
  4. Entender as fontes de aquisição de tráfego;
  5. Aprender como trabalhar com campanhas;
  6. Saber configurar a busca do seu site;
  7. Entender o conceito de conversão;
  8. Aprender a configurar relatórios de metas;
  9. Conhecer os relatórios de redes sociais;
  10. Conhecer os segmentos avançados;
  11. Aprender a configurar os relatórios de Landing Pages;
  12. Aprender a configurar os relatórios de Lifetime Value.

Caso tenha alguma dúvida, deixe seu comentário no final da página.

Boa leitura!

O que é Google Analytics

google-analytics.png

O Google Analytics é uma ferramenta que monitora o tráfego de qualquer site, podendo ser instalada em um blog ou uma loja virtual, por exemplo.

O objetivo principal do Analytics é saber e entender o comportamentos dos visitantes ao navegarem pelas páginas do seu site.

Este comportamento é demonstrado através de relatórios diários, semanais ou mensais, que mostram exatamente o real interesse dos usuários em suas visitas.

Por isso, é muito importante que você conheça tais relatórios e suas métricas para que suas estratégias de marketing obtenham o máximo de sucesso possível.

É totalmente desaconselhável que você trabalhe sem o uso do Google Analytics, já que ela possibilita uma melhora considerável na sua presença online.

Muitas vezes, empresas focam apenas no aumento de vendas e não se atentam a todos os outros fatores que afetam suas campanhas de marketing digital.

Isso pode ser muito ruim, fazendo com que o seu negócio perca diversas novas oportunidades.

O Google Analytics possibilita que você saiba exatamente tudo que acontece com seu site, incluindo:

  • Número total de visitantes, visitantes que retornaram ao seu site e os que o visitaram apenas uma vez;
  • Origem do tráfego: o Analytics mostra de onde os acessos do seu site estão vindo;
  • Resultados de e-commerce: relata como está o desempenho da sua loja virtual;
  • Metas: especifica quais metas traçadas foram alcançadas;
  • Mídias sociais: mostra quais ações de redes sociais estão tendo mais acessos;
  • Marketing: exibe as campanhas de marketing que estão tendo os melhores resultados.

GoogleAnalytics.png

Além disso, este serviço mostra o dia da semana, do mês e as horas que seu público mais acessa o seu site.

Assim, você pode programar suas publicações e ações, além de entender os melhores horários para atualizar seu site sem que isso prejudique a boa experiência dos seus visitantes.

O Analytics também analisa a taxa de rejeição de suas páginas. Isto possibilita que você saiba o motivo pelo qual os visitantes abandonam seu site sem ao menos interagir com ele.

Ou seja, se você vende algum serviço ou produto e seu site não está gerando vendas, com o Google Analytics fica fácil entender e corrigir este problema.

Além disso, hoje em dia, todos os sites precisam estar otimizados para desktops e dispositivos móveis.

Caso essa não seja a realidade do seu site, saiba que isso pode prejudicar, inclusive, sua posição nos resultados de busca do Google.

Sabendo disso, o Analytics analisa o tráfego que seu site recebe através de cada dispositivo, possibilitando que você adeque seu conteúdo ao meio mais utilizado pelo seu usuário.

Então, é muito importante que você aprenda a usar corretamente essa poderosa ferramenta.

Como Usar o Google Analytics

Para poder ter acesso à como usar o Google Analytics no seu site além dos diversos benefícios, é preciso criar uma conta no site.

Após o cadastro inicial, você precisa saber como configurar o Google Analytics no seu site para que seu tráfego seja analisado e otimizado.

Agora, vou ensinar o que você deve fazer para instalar essa ferramenta e tirar o maior proveito possível dela.

Instalando

A instalação do Google Analytics pode ser feita de forma bastante simples. Primeiro, você precisa criar uma conta básica para ter acesso a todos os dados sobre o tráfego do seu site.

Acesse o site e clique em “Criar uma conta” no canto superior direito da página e insira sua conta de email do Gmail.

Se você ainda não possui, crie uma agora mesmo de forma gratuita.

O próximo passo é clicar em “Inscrever-se” e preencher todos os dados solicitados.

google-analytics-criar-conta.png
Quando esta parte tiver sido finalizada, você receberá um código de acompanhamento que será usado no seu site.

Recomendação

É importante saber que você pode atrelar uma mesma conta do Google ao Analytics para analisar múltiplas URLs ao mesmo tempo.

Isto quer dizer que você não precisa ter uma conta do Analytics para cada site que você possuir.

Apesar do que você possa estar pensando, possuir uma conta que agregue todos os seus sites não unifica os relatórios.

Você pode acessar todos os relatórios de todos os seus sites de forma separada, mesmo possuindo apenas uma conta.

Além disso, você tem a opção de compartilhar os dados da sua conta do Google Analytics com diversas pessoas, como seus sócios, o que facilita qualquer tipo de comunicação.

Então, eu recomendo que você crie um email profissional ou um email exclusivo para uso do Google Analytics.

Utilizar seu email pessoal pode não ser uma escolha muito boa, já que você não conseguirá utilizá-lo em mais de uma conta do Google Analytics.

Depois disso, você só precisa definir algumas informações, como:

Nome da conta

É através do nome da conta que ela poderá ser identificada. Aconselho que você escolha um nome bastante direto, como “Analytics meus sites”.

Também pode ser interessante utilizar o nome da sua empresa, se ela possuir mais de um site.

Nome do website

Aqui você vai colocar o nome do site que será analisado pela ferramenta. Pode ser algo bem direto também, como “Meu blog”, “Blog X”, fazendo uso do nome do seu site.

Como uma mesma conta pode realizar a análise de diversos sites, é importante que eles estejam devidamente identificados.

Uma boa organização visual ajuda bastante na hora de identificá-los de forma correta.

URL do website

A URL do website nada mais é do que o endereço do site que você quer analisar. Então, ele deve possuir os seguinte formatos: “http://www.meusite.com” ou “http://www.meusite.com.br” (preste atenção, também, ao seu protocolo. Talvez ele seja https, e isso deve constar na URL informada nessa etapa).

Fuso Horário

Este item não é obrigatório e sua configuração requer muita atenção, pois o fuso horário precisa ser ajustado de forma correta.

Utilizar o horário certo auxilia a análise do gráfico “horário”, possibilitando que você conheça os hábitos de seus visitantes, o que auxilia muito a sua estratégia de marketing.

Configurações do compartilhamento de dados

As configurações do compartilhamento de dados permitem que seus dados sejam devidamente analisados pelos especialistas do Google.

Ao final da configuração você tem que aceitar os Termos de Compromisso.

Somente depois disso você poderá acessar o Código de Acompanhamento do Analytics.

codigo-de-acompanhamento-analytics.jpg

Para começar a análise, copie e cole esse código no código-fonte na página principal do seu site. Talvez você precise da ajuda de um programador para realizar esse procedimento.

É muito importante que esse passo seja realizado de forma correta, caso contrárioele pode acabar não funcionando e causando futuros problemas.

Este código precisa ser colocado antes do fechamento da tag “head” (), em todas as páginas que você quer analisar.

Por último, clique em “Salvar”, e pronto! O Google Analytics vai começar a rastrear e analisar o tráfego de todas as páginas que foram previamente configuradas por você.

Se você ainda tiver dúvidas sobre a instalação do código, veja o vídeo abaixo e aprenda como fazê-la, passo-a-passo.

Interface básica

Quando você terminar de configurar o Google Analytics em seu site, a interface básica ficará disponível. Ela mostra todos os dados do tráfego que o seu site está recebendo.

Você vai poder explorar várias opções na barra da esquerda, como dados sobre a aquisição de novos visitantes e informações sobre seu público-alvo, por exemplo.

interface-basica-analytics.png

O menu lateral é auto-explicativo, possibilitando que qualquer pessoa faça uso dele de forma bem simples.

Porém, o que vai diferenciar você dos seus concorrentes é a sua habilidade de interpretar os dados que o site disponibiliza à você.

Entendendo as métricas principais

metricas-analytics.png

Para fazer um bom uso do Google Analytics é preciso conhecer suas métricas, números e gráficos.

Pois, de nada adianta ter um trabalhão para configurar todo o seu site se você não conseguir entender os resultados apresentados.

O Google Analytics possui inúmeras métricas, mas você não precisa conhecer todas elas, apenas as principais.

E é por isso que agora eu vou compartilhar com você as métricas mais importantes existentes no Analytics.

Para acessá-las você precisa abrir a aba “Público-Alvo” e clicar em “Visão geral”.

publico-alvo-analytics.png

Sessão (ou Visitas)

A métrica “sessão” mostra o número total de visitas que o seu site obteve durante o período analisado.

Se você não escolher um período específico no Google Analytics, saiba que a configuração básica mostra os dados dos últimos 30 dias.

Este gráfico detalha a variação de tráfego, o número de pessoas que estão acessando seu site e a quantidade total de pessoas que entram em suas páginas.

Ou seja, essa métrica mostra quantas pessoas você está atingindo e quanto conteúdo do seu site está sendo acessado.

Usuários (ou Visitantes únicos)

Essa métrica do Analytics mostra o número total de pessoas que entraram no seu site apenas uma vez em um determinado período de tempo.

Ou seja, se uma pessoa entrou no seu site uma vez hoje e uma vez ontem, ela será considerada uma visitante única para cada dia.

Porém, se você analisar o relatório mensal, essa mesma visita será considerada recorrente, ou seja, as duas sessões de uma mesma pessoa contarão como uma única visita.

Então, a quantidade de visitantes únicos vai variar dependendo dos tipos de relatórios Google Analytics que você for analisar.

Essa quantidade precisa ser conferida constantemente, pois ela mostra que seu público está se tornando fiel a você, o que é ótimo!

Qualquer site precisa de visitantes novos e é muito importante que você saiba fidelizá-los, pois são esses visitantes que vão se identificar com você e com seus produtos.

Taxa de Rejeição (Bounce Rate)

A taxa de rejeição é a porcentagem de visitantes que saem do seu site depois de terem visto somente uma página.

Essa taxa costuma ser alta em blogs, já que seus visitantes normalmente entram para ler um post e saem do site logo em seguida.

Então, é essencial que você prenda a atenção do seu leitor e faça ele sentir vontade de continuar no seu site, a fim de visitar mais páginas e artigos.

Aconselho que você escreva muitos artigos interessantes que ensinem temas relevantes para a sua audiência. Além disso, use bastante Calls-to-action.

Páginas por visita

Essa métrica do Analytics nada mais é do que a média do número de páginas que um visitante acessou em seu site.

Então, é importante que você a acompanhe junto com a taxa de rejeição.

Um site que possui bastante chamadas para ação e um conteúdo relevante tende a apresentar uma taxa de rejeição baixa e um alto número de páginas por visita.

Duração média da sessão

Esse valor mostra o tempo que um visitante gastou em seu site. Mesmo que esse valor seja influenciado pelo número de páginas por visitas, ele não depende diretamente deste.

Quando um blog apresenta alta taxa de rejeição, ele também pode apresentar uma alta duração média da sessão.

Muitas vezes um usuário gosta de um artigo longo e relevante do seu site e permanece nele por um longo tempo.

E, se eles gostarem do seu site, com certeza voltarão em busca de mais informações, aumentando o número dos gráficos das outras métricas que apresentei aqui para você.

Entendendo as fontes de aquisição de tráfego

trafego-analytics.jpg

O Analytics possui um gráfico que permite que você conheça mais dados sobre o tráfego do seu site, para que você consiga realizar uma análise completa e eficaz.

Por conta disso, as fontes de aquisição compõem um dos melhores relatórios que essa ferramenta oferece.

Esse relatório ele mostra quais são os canais que estão gerando mais tráfego para o seu site, permitindo que você reavalie suas estratégias investindo naqueles que mais lhe dão resultado.

Sendo assim, ele se torna um dos melhores aliados para suas estratégias de criação e divulgação de conteúdo.

Muitas pessoas me perguntam: “Neil, por que isso é tão importante?” e eu respondo que essa é a métrica que ajuda qualquer negócio a melhorar bastante sua estratégia de marketing digital.

Você precisa ter em mente que o seu conteúdo terá melhores resultados em alguns canais do que em outros e o Analytics diz pra você exatamente isso.

Assim, você pode melhorar suas estratégias em outros canais e saber que está no caminho certo ao apostar no canal que tem lhe gerado mais tráfego.

É importante, ainda assim, entender a jornada do usuário. Muitos canais podem não ter tanta eficácia para a conversão, mas são importantes em etapas iniciais da jornada.

Busca orgânica/Organic Search

A busca orgânica mostra quantas pessoas acharam seu site através de sites de busca, como o Google.

Quando uma pessoa busca a palavra chave “marketing digital”, por exemplo, ela encontra um dos meus posts, ou mais de um, como resultado.

Se você clicar no link do meu artigo, o Analytics contará o seu acesso como sendo uma visita orgânica e você entrará no meu relatório.

É muito importante avaliar esse resultado, pois ele mostra o quão relevante seu conteúdo está sendo para as pessoas – além de lhe trazer informações sobre a eficácia do seu trabalho de SEO.

Social

Este aspecto mostra o alcance orgânico, ou seja, quantas pessoas acessaram seu site através de postagens em mídias sociais, como o Twitter e o Facebook, ou através de anúncios.

Assim, você consegue saber quais são as redes sociais que estão dando a você os melhores resultados e em quais mídias você precisa aumentar seus investimentos atuais.

Esses investimentos podem ser tanto de dinheiro quanto de tempo, como postando seu conteúdo em grupos do Facebook, por exemplo.

E-mail

Hoje em dia, uma das formas de divulgação de conteúdo que mais tem dado resultados é o e-mail marketing e as newsletters.

Eu posso garantir isso a você, pois é o que eu tenho feito de forma massiva em todos os meus negócios.

Se você seguir o meu conselho e começar a usar o e-mail marketing, todas as pessoas que entrarem no seu site através do e-mail que você enviou contarão neste relatório.

Isso vai ajudar você na realização dos seus testes, a fim de achar as melhores opções de envio de e-mail.

Direta/Direct

Visitas diretas são feitas por pessoas que digitam o link do seu site diretamente no navegador.

Por exemplo, se você digitar neilpatel.com/br/blog no seu navegador, você entrará no meu relatório Analytics como sendo uma visita direta.

Referências/Referral

Referências mostram os visitantes que acharam o seu site através de outro site que usou um link seu em um post, por exemplo, mas que não seja um mecanismo de busca.

Outra forma bem comum disso acontecer é quando sua empresa é citada em um jornal digital ou em uma matéria sobre um tema específico.

Então, eles citam seu site colando um link para ele. Assim, quando uma pessoa clica no link, ela entra no seu relatório Analytics como sendo uma visita por referência, e o site de referência aparecerá na listagem.

Uma técnica que pode ajudar bastante o aumento de valor dessa métrica em seu relatório é a construção de backlinks.

Esta atividade se baseia na coleta de links internos e externos em relação ao seu site.

Isso faz com que seu site seja melhor posicionado em todos os sites de busca.

Buscas pagas/Paid search

Buscas pagas contabilizam todos os visitantes que acessaram seu site clicando em um anúncio pago.

Sabe quando você cria uma campanha no Adwords, no Instagram ou no Facebook? Todas as pessoas que clicarem no seu anúncio entrarão no seu relatório como buscas pagas.

Isto é muito importante para que você saiba se suas campanhas estão ou não tendo resultados e onde você pode fazer melhorias.

Trabalhando com campanhas

criacao-de-campanha-analytics.png

Utilizar campanhas é uma forma bastante importante e eficiente de se classificar a origem do tráfego do seu site.

Quando você faz alguma campanha utilizando o Adwords, o Google Analytics já recebe automaticamente todos os dados do seu anúncio, pois ambos são ferramentas do Google.

Porém, quando você cria campanhas utilizando outros sites ou a realiza através de e-mail marketing, você precisa criar campanhas personalizadas.

Você pode até pensar que esse assunto é complexo demais, mas não se assuste.

Isso tudo pode até ser um pouco diferente do que você está habituado, mas vou explicar tudo o que você precisa saber para se tornar um expert em campanhas!

Uma campanha personalizada é aquela que é gerada de forma manual através da inserção de um código pessoal no link que direciona seu visitante para o seu site.

Então, se você estiver promovendo alguma ação especial através de redes sociais e e-mails, por exemplo, é importante que você junte todos os visitantes em uma mesma campanha.

Pensando nisso, o Google criou uma ferramenta chamada “Criador de URL” onde você só precisa inserir as informações da sua campanha que ela monta o link para você.

Essa ferramenta tem 3 parâmetros principais que precisam ser preenchidos por você, que são:

Fonte de tráfego

“utm_source=site” mostra o canal que você usou para obter o tráfego do seu site.

Então, o link criado é usado nos posts do seu blog, a fim de rastrear quem visitou seu site através do canal escolhido por você.

Você pode utilizar diversas fontes de tráfego em suas campanhas, como o Google e o Facebook.

Além disso, você tem que criar uma URL para cada canal onde sua campanha será divulgada.

Mídia das campanhas

“utm_medium=CPC” mostra qual foi a mídia usada na campanha, ou qual foi o tipo de canal utilizado.

CPC quer dizer Custo por Clique, ou seja, este parâmetro mostra qual foi a mídia utilizada pelo seu visitante para acessar seu site.

Nome da campanha

“utm_campaign=campanha1” mostra que a URL gerada faz parte da campanha criada por você.

Este parâmetro é o mais importante de todos, já que é ele que juntas todos os links criados em uma mesma campanha.

Assim, você pode gerar um link para ser enviado pelo Facebook ou em outro canal de forma paga.

Então, se todos eles estiverem em uma mesma campanha, fica muito mais fácil agregar todos os dados e compreender de forma clara seus resultados.

Porém, quando você utiliza uma URL parametrizada, ela gera um conteúdo duplicado, mostrando ao Google, por exemplo, que mais de um link possui o mesmo conteúdo.

Configurando a busca do seu Site

Normalmente, blogs ou outros tipos de site, como e-commerces, possuem um mecanismo de busca interna que visa gerar uma melhor experiência aos seus visitantes.

Esta também facilita a busca por outros conteúdos no seu site.

E o que isso tem a ver com o seu site? Isso mesmo: tudo!

Essa ação faz com que você consiga ver e saber quais são os conteúdos mais visitados em seu site, sendo capaz, também, de analisar suas páginas de vendas.

Isso permite que você conheça quais são os conteúdos mais buscados pelo seu público dentro do seu site, podendo produzir ainda mais posts relacionados ao assunto em questão.

Para começar a configuração do seu Google Analytics, você precisa seguir os seguintes passos:

  • Vá em “Administrador”, na parte esquerda da sua tela e, em seguida, clique em “Visualizar configurações”, no canto superior direito.

configuracao-busca-analytics.png

  • Então, ative o acompanhamento de pesquisa no site.

pesquisa-interna-analytics.png

  • Depois, faça a identificação do parâmetro de pesquisa que aparecerá na URL do seu site.

Fique atento a essa parte, pois cada site possui sua própria nomenclatura. Alguns utilizam “busca”, outros “keywords” e você também pode utilizar a forma que mais lhe agradar.

Ele pode ser identificado facilmente em sua URL como sendo o termo que aparece antes do sinal “=”.

Ou seja, se você escolher o termo “s”, seu link de pesquisa interna conterá o termo “s=”.

Após isso, clique em “Salvar” e pronto!

finalizando-pesquisa-interna-analytics.png

Depois de fazer isso, o Google Analytics coletará todas as informações das buscas que os visitantes realizaram em seu site e as disponibilizará em um relatório para você.

Conversão, o que é isso?

Todas as vezes que um visitante exerce alguma atividade no seu site que seja importante para o seu negócio, uma conversão é feita.

Existem conversões de diversos tipos, como, por exemplo:

  • Compra de um produto em seu site e-commerce;
  • Assinatura de uma newsletter,
  • E-mail de contato para um representante.

Não sei se você já entendeu muito bem o que isso quer dizer, então vou explicar mais detalhadamente para você.

Conversão significa levar o usuário a cumprir o objetivo da sua página. Sim, simples assim.

Então, se o objetivo da página em questão for conseguir mais inscritos para sua lista de e-mail, cada inscrição caracteriza uma conversão.

Além disso, todo planejamento de marketing de sucesso precisa ter KPIs (indicadores-chave de performance) bem definidos.

Isto se dá para que você saiba se os seus negócios estão tendo os resultados esperados e trazendo os retornos desejados.

Então, é fundamental que você acompanhe as conversões do seu site para que a eficiência dele possa ser medida e para que você possa realizar as melhorias necessárias.

O Google Analytics mede essas conversões através de Metas ou Goals que são configuradas dentro da ferramenta.

Com isso, sempre que uma meta é alcançada, ela entra para o seu relatório de conversões.

Criar Metas pode ajudá-lo a monitorar as conversões para que você descubra quais atividades de marketing estão gerando os melhores resultados.

Apenas olhar para a taxa de conversão do seu site não é útil, pois com isso você não consegue descobrir o que está contribuindo para o sucesso ou para o fracasso da sua estratégia.

Então, comece criando um objetivo básico dentro do Google Analytics.

Por exemplo, se alguém se inscrever para utilizar sua nova versão de avaliação gratuita, você pode criar uma Meta com a URL da página de agradecimento.

Assim, todos os novos opt-ins bem-sucedidos serão gravados no seu relatório, fazendo com que você saiba exatamente quantas pessoas estão sendo alcançadas.

Páginas de Alta Conversão

Sempre que você vai lançar alguma campanha, seja ela de vendas ou de divulgação de conteúdo, é importante estar atento ao poder de conversão dessas páginas.

Quando uma empresa investe em marketing digital, ela normalmente consegue trazer várias pessoas novas aos seus sites.

Isto normalmente acontece através de links patrocinados, como o Google Adwords, mas também pode acontecer de forma orgânica através de uma boa técnica de SEO.

Além disso, divulgações em mídias sociais e ações offline também entram nessa lista.

Porém, apenas uma parte bem pequena do seu público se torna cliente.

E isso, na maioria das vezes, está relacionado à falta de uma boa página de conversão.

Antes de mais nada, quero deixar claro que estou falando de conversão de páginas e não necessariamente de conversão de vendas.

Conversão de uma página depende, exclusivamente, de como configurar objetivos que ela possui.

Por exemplo, se o seu cliente quiser fazer o download de algum produto, realizar alguma compra ou solicitar um orçamento, esses serão os objetivos inteligentes das páginas em questão.

Então, é imprescindível que suas páginas sejam todas de alta conversão.

Normalmente, o objetivo de uma conversão é fazer com que o visitante do seu site se torne seu cliente. E alguém só se torna seu cliente quando compra algo de você.

Existem dois tipos de conversão: a direta e a indireta.

A conversão direta acontece quando um usuário toma uma ação ao ver um anúncio ou uma oferta sua online.

Já a conversão indireta é caracterizada por uma troca de benefícios.

Se o seu visitante precisa deixar um e-mail para poder receber um e-book grátis, uma conversão indireta está acontecendo.

Mesmo que ela não gere resultado em um curto espaço de tempo, ela é uma ótima estratégia para se obter leads (potenciais clientes) que podem se interessar por seus produtos no futuro.

As Landing Pages, por exemplo, são páginas criadas com o único objetivo de conversão.

Elas possuem menos conteúdo do que uma página de artigos. Porém, elas são feitas dessa forma para evitar que o visitante se distraia, o que impediria a realização da conversão desejada.

Uma página de alta conversão precisa entregar um conteúdo valioso que realmente ajude o visitante do seu site.

Se o usuário estiver procurando por “técnicas de venda”, de nada adianta enviá-lo à sua homepage.

Uma página de conversão precisa entregar o conteúdo que seu visitante está procurando, incentivando-o a tomar uma ação, como deixar seu e-mail em um formulário.

Vou contar uma coisa para você que pode mudar suas páginas de conversão: a atenção é um recurso limitado.

Então, quanto mais decisões seus visitantes precisarem tomar, menor é a chance que eles as tomem.

E isto está diretamente ligado à taxa de atenção que, nada mais é, do que a quantidade de coisas que você pode fazer dentro de uma determinada página.

Então, campanhas de marketing digital efetivas precisam ter uma taxa de 1:1. Ou seja, o ideal é que cada página possua uma ou duas chamadas para ação.

Assim, uma Landing Page precisa possuir um objetivo muito claro, quase nenhuma distração e uma taxa próxima de 1:1.

Configurando suas metas no Analytics

Configurar Metas no Analytics é uma tarefa um pouco trabalhosa, porém, não tão difícil e você pode configurar até 20 Metas em sua conta do Google Analytics.

Então, para criar novos Goals você tem que clicar na opção “administrador” na barra superior, em “metas” e, em seguida, em “+ nova meta”, na terceira coluna que aparecerá na sua tela.

[print criação de metas]

Depois de criar uma nova meta, o Google Analytics vai lhe mostrar diversos modelos prontos que servem para classificar suas metas e para entendê-las.

Você pode escolher qualquer meta, porém, todas elas se baseiam nos seguintes comportamentos:

Destino

O tipo de meta mais comum é o “destino”. Ele registra uma conversão no instante em que um visitante acessa uma página específica.

Normalmente essa página é a de agradecimento pelo usuário ter deixado seu contato em uma landing page ou feito o download de algum material gratuito, por exemplo.

Então, se a sua meta é que o usuário do seu site tome alguma ação, elabore layouts bastante conversivos, para que seu público chegue até a página em questão.

Quando o visitante do seu site acessar tal página, essa ação será registrada em sua meta.

O funil de conversão

Quando você decide escolher o modelo de conversão como sendo “destino”, é possível ativar a opção que monitora o funil de conversão.

Com isso, você consegue saber exatamente qual caminho o usuário do seu site percorreu até chegar na sua página de conversão.

Se você decidir criar um funil de conversão – o que eu recomendo fortemente que você faça – você precisará colocar nele, manualmente, todas as páginas que precisam ser monitoradas.

Além disso, também é necessário especificar a sequência das páginas. Com isso, o relatório do Analytics mostra em que etapa do seu funil os visitantes mais saem e entram nele.

Por exemplo, se você tiver criado um formulário de cadastro para o recebimento de um e-book gratuito com 3 etapas e mais uma página de agradecimento, fica fácil utilizar o funil.

Pois, se você alocar cada etapa do cadastro em um funil diferente, é simples identificar melhorias nas etapas onde as pessoas mais abandonam seu funil, ficando sem completar todo o cadastro.

Duração

É essencial que você conheça este comportamento. É a partir dele que você sabe se as pessoas estão passando muito ou pouco tempo no seu site.

Um tempo muito alto de visita pode ser uma coisa muito boa ou muito ruim. Tudo vai depender do objetivo do site em questão.

Quando você está analisando o tempo gasto por seus visitantes em seu site de notícias ou em seu blog com artigos longos, é fundamental que o tempo gasto em suas páginas seja longo.

Porém, se a análise estiver sendo feita em uma página que possui um formulário, é importante que o usuário passe pouco tempo nela.

Se o tempo de permanência nessa página estiver elevado, saiba que você precisa modificá-la ao ponto dela se tornar mais objetiva e conversiva.

Páginas / Tela por sessão

Quando o número de páginas / telas por sessão está elevado, significa que os usuários do seu site estão navegando por várias páginas / telas diferentes.

Essa métrica é muito importante quando você possui algum tipo de aplicativo web e precisa saber como as pessoas têm feito uso dele.

Evento

Esta meta é a mais avançada de todas e bem diferente das anteriores, que são baseadas em dados rastreados por um padrão do Analytics e associadas a hábitos dos usuários.

Já um evento é criado de forma personalizada e não está ligado ao carregamento de nenhuma página do seu site.

Criar um evento é uma tarefa não muito simples, pois eles precisam ser colocados no código da página em questão de forma manual, além de serem configurados apropriadamente.

Um evento é caracterizado por uma ação do visitante do seu site. Esta ação pode ser o clique em um botão de ação ou um envio de e-mail de contato, por exemplo.

Se você quiser facilitar o rastreio dos resultados que seus eventos estão gerando, associe uma meta a cada evento criado, no Google Analytics.

Atribuindo valores às metas

Ao criar uma meta, o Google Analytics apresenta a você a opção de alocar um valor em reais em cada conversão feita em seu site.

E você pode até me perguntar: “Neil, eu ganho algum dinheiro com essas conversões, então?” E a resposta, infelizmente, é não!

Então, qual é a real finalidade de atribuir valores às metas?

Isto é feito para conseguir estimar qual é o valor real que o seu site está gerando para o seu negócio.

A fim de saber qual valor melhor representa cada ação, é fundamental que você faça um cálculo retroativo.

Ele pode ser feito da seguinte maneira:

Pense que você vende um produto que custa R$200,00, por exemplo, e que a cada 10 pessoas que entram em contato com você, uma venda é fechada.

Então, cada contato seu possui um valor médio de R$20,00 (R$200,00/10).

Mesmo que esse número não mostre exatamente quanto dinheiro você ganhou com as pessoas que entraram em contato, ele mostra o retorno que o seu marketing está tendo.

Isso é fundamental para que você saiba se suas estratégias estão sendo efetivas ou não.

Configurando relatórios de metas

Depois de configurar suas Metas, diversos dados vão começar a aparecer em alguns relatórios que, antes, estavam vazios.

Quase todos os relatórios do Analytics são afetados quando você configura suas metas.

Isto acontece porque quase todas as tabelas existentes nos relatórios-padrão apresentam um conjunto de métricas conhecido como “Conversões”.

Você pode averiguar o que estou falando no relatório de idiomas, por exemplo.

Para acessá-lo procure “Público”, no canto esquerdo da sua tela, depois clique em “Geográfico” e, por último, em “Idioma”.

Depois disso, um relatório de idiomas aparecerá para você. Eu coloquei um exemplo aqui embaixo para que possamos analisá-lo juntos.

Essa imagem mostra as métricas de “Conversões” de uma determinada Meta 1.

Se você tiver mais de uma meta configurada em sua conta do Analytics, você pode facilmente acessar todas elas com o botão que aparece em cima dessas colunas.

Existem 3 métricas que podem ser analisadas nesse relatório:

1. Taxa de conversão: essa métrica mostra de forma percentual a quantidade de visitas que resultaram em uma conversão.

Então, se o seu site obteve 50 conversões no mesmo período que ele teve 500 sessões, sua taxa de conversão será de 10% (50/500).

2. Conclusões de meta: é essa métrica que contabiliza efetivamente a quantidade absoluta de metas concluídas.

Ou seja, cada vez que um usuário completa uma meta, esse número aumenta.

3. Valor da meta: Se você tiver atribuído algum valor às suas metas, essa métrica o multiplica pelo total de conclusões de metas.

Se seu site apresentar 30 conversões a um valor de R$60,00 cada, o total que você verá em seu relatório será de R$1800,00 (30*R$60,00).

Porém, se você não atribuir valores às metas essa métrica não será preenchida.

Relatório de metas

Após configurar suas metas, você também terá acesso a relatórios específicos de metas que vão mostrar uma visão geral dessa métrica.

Esse relatório mostra, basicamente, a taxa de conversão, conclusões e valor de todas as metas que você possui na sua conta.

Se você possui 5 metas, esse relatório vai lhe mostrar a soma total de suas conclusões em um determinado período.

Ele também lista todas as URLs onde suas metas foram concluídas. Isso é muito importante se você tiver uma meta que pode ser convertida em diversos lugares do seu site.

Por exemplo, seu site pode ter a opção de assinatura de uma newsletter em diferentes páginas.

Se um visitante concluir essa meta enquanto estiver na home do seu site, esse relatório deixará isso bem claro.

Relatório de funil

Esse relatório pode ser facilmente acessado em “Conversões” > “Metas” > “Visualização de Funil”.

Se você tiver configurado uma meta com etapas de funil, você pode analisar o caminho que seus visitantes fizeram desde que entraram nele até a conclusão da meta em questão.

Esse relatório apresenta dados de maneira intuitiva em formato de funil. O exemplo que eu botei aqui embaixo para você é uma meta que possui 5 passos, sendo o 5º sua conclusão.

O centro do relatório mostra todas as etapas do funil e o número de sessões que passaram em cada uma delas.

O exemplo acima mostra que 9.476 pessoas passaram pela primeira etapa do funil e 2.544 chegaram na última etapa.

Então, fica fácil identificar qual etapa apresenta mais desistências por parte dos visitantes e entender o motivo disso.

Assim, você pode encontrar soluções, a fim de aumentar ainda mais sua taxa de conversão.

Relatórios de Redes Sociais

Antes de mais nada é importante que você entenda que é impossível existir uma boa estratégia de marketing digital em redes sociais sem analisar dados e métricas.

A Social Media Trends estima que 25% das empresas existentes no Brasil não realizam a análise de nenhuma métrica em sua estratégia.

Isso significa que todas essas empresas estão jogando tempo e dinheiro fora, pois não sabem se seus investimentos estão tendo ou não resultados.

Por isso, vou lhe dar um conselho de amigo porque me preocupo muito com o futuro do seu negócio: jamais entre na cultura do achismo.

Esse conselho vai ajudar bastante o seu negócio, tenho certeza disso.

Quando o assunto é redes sociais, saiba que cada uma delas possui um Analytics básico disponível para a sua página.

Então, vou mostrar cada um deles para você e como eles podem ser utilizados de uma forma bem simples.

Analytics Youtube

O Analytics do Youtube é uma ferramenta bastante completa. E, como eu já falei, sempre existem algumas métricas que são mais relevantes para sua análise.

As métricas que você precisa ficar de olho no relatório do Youtube são: seguidores, likes, visualizações e minutos assistidos.

Recomendo que você analise todas as funções que essa ferramenta oferece.

Assim, você consegue saber qual vídeo seu possui mais acessos e como as pessoas estão chegando ao seu canal, por exemplo.

Analytics Twitter

Para acessar o Analytics do Twitter você só precisa clicar no seu perfil e, depois, em “Estatísticas”.

Na página inicial dessa ferramenta você vai encontrar diversas informações sobre o seu perfil, como visitas, número de menções e impressões dos seus tweets.

Além dessas, o Twitter Analytics também possui outras métricas bastante interessantes.

Um bom exemplo disso é a aba “Tweets”, pois ela mostra a performance de cada tweet publicado por você, sua taxa de envolvimento e suas impressões gerais.

Já a aba “Públicos” apresenta informações importantíssimas sobre seus seguidores, como idade, sexo, principais interesses e até a operadora de celular mais utilizada.

Esta aba também possibilita que você compare o seu público com o de outros perfis. Isso lhe ajudar a saber se perfis semelhantes possuem ou não públicos com interesses em comum.

Além disso, o Analytics Twitter também permite que você acompanhe seus aplicativos e suas conversões.

Facebook Analytics

A ferramenta de análise do Facebook tem um nome um pouco diferente das demais redes sociais, ela se chama “Facebook Insights”.

Você pode acessá-la através da sua página clicando na aba “informações”.

O Facebook Insights possibilita a análise de diversas métricas, como:

Em “visão geral” você tem acesso ao resumo da sua fanpage, com as métricas principais, que são:

  • Ações na Página;
  • Visualizações;
  • Curtidas;
  • Alcance;
  • Envolvimento;
  • Mensagem;
  • Vídeos.

Dentro das principais informações existe um grupo de métricas que eu chamo de “primordiais”, que são: Alcance, Publicação, Curtidas e Pessoas.

Alcance

O alcance nada mais é do que a quantidade de pessoas que visualizaram suas publicações.

Infelizmente, o algoritmo do Facebook tem diminuído cada vez mais o alcance orgânico de qualquer publicação.

E sim, a diferença entre o alcance de anúncios pagos e gratuitos é gritante!

Dentro da aba “Alcance”, você vai encontrar outras métricas valiosas, como a de denunciar como spam, ocultar e descurtidas.

Com elas, você consegue saber a quantidade de pessoas que não estão muito satisfeitas com as suas publicações e monitorar quando foi que isso aconteceu.

Métricas negativas também são importantes, pois mostram onde você precisa melhorar.

Publicação

A métrica “Publicações” é bastante importante. Ela mostra os dias e horários em que suas publicações tiveram um maior alcance junto ao seu público.

Se você quiser visualizar o alcance que suas publicações tiveram dividindo-as entre alcance de impressões pagas e orgânicas, ou entre o alcance entre fãs/não fãs, basta clicar na setinha.

Agora, se você quiser segmentar todas as métricas de suas publicações, basta clicar na setinha da direita.

Assim, você consegue ver suas publicações de acordo com o engajamento, ocultações, cliques e taxa de envolvimento.

Curtidas

A quantidade de curtidas é uma das métricas mais básicas do Facebook, principalmente se sua página for recente.

Ela indica o crescimento de qualquer página, e por isso é muito importante conhecê-la.

Quando você abrir a aba de curtidas, você vai encontrar dois dados que são relevantes para sua página: quais publicações obtiveram curtidas e o total líquido de curtidas.

A parte de “descurtidas” também é essencial, pois nela você começa a entender quais publicações podem ter levado um seguidor a deixar de seguir a sua página.

E, sabendo disso, você pode pensar em ações e estratégias que estimulem mais curtidas – ou evitar temas que gerem um impacto negativo com seus usuários.

Pessoas

A métrica “pessoas” é de suma importância quando você quer compreender quem acompanha suas publicações com frequência.

Nela você pode saber quantas pessoas foram alcançadas com suas publicações e quantas pessoas se envolveram com elas.

Web Analytics

Conhecer e entender o comportamento do seu público-alvo é muito importante, a fim de realizar ações de forma mais assertiva.

Por sorte, existe uma ferramenta para auxiliar essa tarefa que é o Web Analytics.

Este termo se refere ao monitoramento de informações referentes às estatísticas do seu site, o que deixa claro quais são as melhoria que precisam ser feitas no seu site.

Ela coleta todos os dados do seu negócio, analisa-os e toma as decisões mais certeiras que envolvam menos risco.

O objetivo do Web Analytics é otimizar a sua empresa, sempre levando em consideração seus resultados anteriores.

Então, a melhora de desempenho do seu negócio pode se dar através dele.

O Web Analytics ajuda empreendedores a investirem seu dinheiro em estratégia mais certeiras e inteligentes.

Tenho certeza de que, se você fizer uso dessa ferramenta, seu negócio vai melhorar bastante.

Pois quanto mais você entende as necessidades do seu cliente, mais você melhora seu produto e, consequentemente, faz mais vendas.

A análise de informações pode mudar o rumo do seu negócio.

A Universidade de Harvard estima que todas as empresas que utilizam o Web Analytics são 5% mais produtivas do que as demais.

Porém, o serviço não é sinônimo de sucesso por si só. Você precisa aprender a usá-lo da maneira correta.

Por isso, eu vou ensinar a você como tirar o melhor proveito dessa poderosa ferramenta.

Análise Descritiva

Existem duas formas de se analisar seu negócio, de forma descritiva e preditiva / prescritiva.

A primeira delas foca em perguntas baseadas em “qual” e “o que”. Assim, você consegue obter resumos simples sobre os dados recebidos.

O objetivo dessa análise é conhecer o significado das informações do agora para que você consiga relacioná-las a suas ações futuras.

Análise Preditiva / Prescritiva

Depois de conhecer todos os dados recebidos através do Web Analytics, você precisa saber como eles funcionam e quais são sua principais estatísticas.

Essa análise vai fazer você conseguir “prever” o que está por vir e as possíveis consequências de cada ação.

Também é importante que você conheça todos os padrões dessa análise.

Primeiro, você precisa analisar todos os detalhes das informações obtidas e traçar uma meta, a fim de saber qual é o melhor jeito de alcançar aquilo que você quer.

Com isso, as chances de você obter os melhores resultados aumentam consideravelmente, o que possibilita que você realize ações cada vez mais assertivas no futuro.

Segmentos avançados

Segmentos são subconjuntos de dados do Google Analytics. Estes subconjuntos são as métricas e dimensões que existem nesta ferramenta.

Os segmentos avançados permitem que você filtre tópicos específicos de tráfego dentro dos seus relatórios.

Se o seu objetivo é visualizar dados de relatórios padrão para visitantes brasileiros, por exemplo, você pode fazê-lo facilmente com o uso dos segmentos avançados.

Com ele você também pode:

  • Visualizar todos os relatórios do Google Analytics para visitantes que correspondem a critérios específicos;
  • Customizar todos os tipos de segmentos: demográfico, tecnológico, origens de tráfego, comportamental e dados da primeira sessão;
  • Adicionar informações demográficas às suas segmentações de dados, como gênero, idade e interesses do seu público;
  • Compartilhar dados personalizados com outros usuários, através de um link específico.

Fatores demográficos

Os fatores demográficos segmentam os visitantes do seu site baseados em diversas informações, como localização, idioma, gênero, idade e principais interesses.

Para considerar os dados referentes a categorias, gênero e idade, você precisa ir em “Público” > “Demográfico” > “Visão Geral”.

Assim, você vai poder verificar se existe a necessidade de atualizar seu código do Analytics, a fim de suportar as novas opções de dados.

Fatores comportamentais

Fatores comportamentais segmentam os usuários do seu site de acordo com a frequência que eles visitam suas páginas.

Eles levam em consideração a quantidade de visitas obtidas, o último acesso e a duração de cada acesso.

Fatores tecnológicos

Estes fatores segmentam seus visitantes de acordo com o dispositivo utilizado para acessar seu site, sistema operacional e resolução de tela.

Essas informações são muitos importantes para que você consiga otimizar o seu site da melhor forma possível para que seus visitantes tenham boas experiências em suas sessões.

Exemplos

Todos os fatores utilizados em segmentos avançados também auxiliam a análise de relatórios de conversão.

Elas podem acontecer das seguintes maneiras:

Conversões através de dispositivos móveis

Quando uma pessoa utiliza um dispositivo móvel, como celular, tablet, ipad ou smartphone, para converter em uma ação, ele entra neste relatório de conversões do Google Analytics.

Com o Analytics, é possível saber a quantidade do tráfego do seu site que veio através de dispositivos, a marca dos aparelhos, quantas páginas foram acessadas, duração, entre outros.

Ao clicar em “M-commerce”, você consegue saber quantas vendas foram feitas através desses dispositivos e qual foi a receita gerada por cada tipo de aparelho.

Esses dados são importantíssimos, pois se você vende mais para pessoas que utilizam aparelhos da Apple, por exemplo, você pode fazer anúncios especialmente para eles.

Conversões por quantidade de visitas

Você também pode analisar a taxa de conversão que seu site teve de acordo com a quantidade de visitas que ele obteve.

Então, se a cada 1000 visitas você fechou 200 vendas ou obteve 200 novos leads para sua lista de e-mail marketing, sua taxa de conversão foi de 20 %(200/1000).

Conversões vindas do blog

Também é possível analisar quantas ações foram originadas através do seu blog.

É muito importante que você possua um blog com várias formas de conversão.

Elas podem ser no formato de Landing Pages ou de iscas digital, como um curso grátis, newsletters, dentre tantos outros.

O importante é que você saiba trabalhar isso de maneira inteligente e lucrativa.

Conversões por limites geográficos

É possível realizar análises de conversões de acordo com os limites geográficos dos seus usuários.

Com isso, você pode saber exatamente onde estão seus maiores clientes, podendo focar na continuidade do marketing nesses lugares e na melhora da sua estratégia para os outros.

Um fato importante que você precisa se atentar é a linguagem usada em seu marketing.

Ela precisa ser adequada ao seu público, principalmente no que diz respeito ao seu limite geográfico.

Usar “uai” em propagandas voltadas para mineiros pode ser ótimo, porém, o resultado será o oposto se você utilizar essa expressão em anúncios voltados para o Paraná, por exemplo.

Relatórios de Landing Pages

Existem muitas formas das pessoas acessarem seu site e realizarem alguma tarefa de conversão.

Pode ser digitando a URL do seu site diretamente no navegador, através de algum anúncio pago ou de um compartilhamento de um link seu, por exemplo.

Isso mostra a você como seus visitantes estão interagindo com as páginas do seu site. As que têm uma alta quantidade de visitas possuem mais chances de terem boa conversão.

É muito importante que você foque na criação de Calls-to-action que levem até uma Landing Page de alta conversão.

Afinal, o principal objetivo de uma Landing Page é aumentar o número de vendas, contatos qualificados ou qualquer outra forma de conversão, dependendo do objetivo.

Então, você tem que observar o volume do tráfego de cada página do seu site e relacioná-lo à taxa de conversão.

Porque, assim, você pode tentar corrigir ou transferir o tráfego para uma Landing Page de melhor desempenho.

Esse relatório pode ser acessado em “Behavior” > “Site Content” > “Landing Pages”.

Relatórios de Lifetime Value

As conversões de metas são extremamente importantes, pois elas ajudam no auxílio da determinação do que está funcionando versus o que não está.

No entanto, elas não são infalíveis.

Às vezes, seus números de conversões brutos podem ser enganadores. Por exemplo, digamos que você tenha duas campanhas pagas no momento:

  • Campanha A: 10 Leads em R$ 100,00;
  • Campanha B: 5 Leads em R$ 100,00.

Inicialmente, parece que a primeira Campanha A possui o melhor desempenho. Especialmente porque você gastou o mesmo valor em cada uma uma delas.

Então, você naturalmente começa a alocar mais tempo e dinheiro nesta campanha.

Mas você não pode decidir isso tão rapidamente, já que com estes dados você não consegue ter uma verdadeira noção do que está de fato acontecendo.

Em primeiro lugar, esses números mostram apenas leads e não vendas. Com isso, as taxas de conversão reais podem ter sido assim, na verdade:

  • Campanha A: 2 Clientes pagantes;
  • Campanha B: 5 Clientes pagantes.

Ou podem ser assim:

  • Campanha A: 2 Clientes pagantes gastando R$ 100,00 / cada;
  • Campanha B: 2 Clientes pagantes gastando R$ 500,00 / cada.

Entendeu onde eu quero chegar?

Você pode facilmente ser induzido ao erro se confiar apenas em realizações de metas.

Então, você precisa de uma métrica diferente para ajudá-lo a ver o contexto adicional em torno do que realmente está acontecendo em seu negócio.

Se esse for o seu caso, abra a seção de relatórios do Google Analytics , procure por “Público” e, em seguida, valor de vida (lifetime value):

O valor de vida de cada cliente lhe mostrará, mais precisamente, quais campanhas estão respondendo melhor ao seu ROI.

Veja como usá-lo:

1º passo.

Comece definindo o intervalo de datas de aquisição no lado esquerdo da sua tela. Esse intervalo mostra quando ocorreram as novas conversões do período selecionado.

Então, “Maio de 2017” vai mostrar para você todas as conversões que aconteceram em maio.

2º passo.

Em seguida, selecione qual métrica você gostaria de analisar primeiro.

Na maioria dos casos, é importante verificar apenas a receita por usuário, pois, assim, você consegue medir os resultados totais.

3º passo.

Agora escolha uma métrica para comparar com a primeira métrica analisada por você.

Digamos que você realizou uma campanha promocional ou uma venda on-line durante o mês de maio.

Seu gráfico passará a mostrar todos usuários do site adquiridos durante o mês de maio e como o seu valor de vida muda com base na segunda métrica selecionada.

Essas outras métricas podem ser as visualizações de página e a duração da sessão durante um determinado período de tempo.

Curso Google Analytics

O Google Analytics possui diversos recursos educacionais em seu site oficial.

Então, não importa se você é um iniciante em Google Analytics ou se quer aprimorar suas habilidades.

O site oferece um leque de artigos e vídeos gratuitamente, a fim de ajudar seus usuários a obterem o máximo de sucesso com essa ferramenta.

Google Analytics Tutorial

O Google Analytics criou a Analytics Academy, que auxilia na aquisição de conhecimento mais rapidamente.

Nele, você encontra informações e tutoriais oficiais sobre todas as ferramentas de avaliação do Google.

Com isso fica muito mais fácil expandir os seus negócios através da análise dos dados coletados pelo Google Analytics no seu site.

Além disso, as perguntas mais frequentes feitas por clientes do serviço são respondidas de forma simples e clara, ajudando a rápida tomada de decisão no seu negócio.

Suas dúvidas podem ser respondidas através de um autoatendimento na versão Google Analytics Standard, que é gratuita.

Para ter um suporte por telefone ou e-mail, você precisa fazer o upgrade para o Analytics 360.

Além disso, a Analytics Academy oferece cursos gratuitos sobre o Analytics e outras ferramentas de análises de dados.

Você ainda pode utilizar esse canal para se preparar para o exame de Qualificação Individual (IQ) do Google Analytics, que vai fazer com que você seja reconhecido pelo setor.

Conclusão

O Google Analytics possui centenas de variáveis ​​diferentes que podem rastrear todos os infinitos dados do seu site.

Basta fazer login no Google Analytics e olhar para toda a informação presente na ferramenta para ver como elas são irresistíveis.

Felizmente, você não precisa olhar para todas elas. Você só precisa saber como encontrar os dados certos para entender melhor seus resultados.

E a melhor parte disso tudo é que você não precisa desperdiçar horas analisando relatórios, nem exportando dados para o Excel, para depois usar alguma modelagem complexa com tabelas dinâmicas para classificar tudo.

Depois que você aprende a utilizar todas essas métricas corretamente, você está apto a corrigir seus erros rapidamente, a fim de obter cada vez mais novos clientes.

Quais são os seus relatórios favoritos no Google Analytics? Há alguma métrica que você segue religiosamente? Estou muito curioso para saber!

Aprenda mais estratégias de aumento de tráfego com esses artigos do blog:

Obrigado por ler até aqui!

Compartilhe