Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Marketplace: O que É e Principais Vantagens e Desvantagens

Marketplace o que e principais vantagens e desvantagens

O mercado é o lugar ideal para você estar nas principais plataformas de vendas sem gastar muito com isso.

Você, como empreendedor, já deve ter percebido que o comércio eletrônico vem ganhando força há algum tempo.

O que antes era tendência, virou requisito básico para qualquer empresa, e ferramentas que podem otimizar esse comércio eletrônico vem surgindo, como o mercado, por exemplo.

Apesar de ser uma ferramenta para o comércio na web, não é obrigatório que você tenha loja virtual. O marketplace tem todas as funcionalidades necessárias para você começar a vender online já!

Essa ferramenta é extremamente útil para pequenos empreendedores que não sabem como aumentar o tráfego sem gastar muito.

Aliás, se você quiser saber mais sobre como aumentar o seu tráfego online, confira o meu artigo sobre Como Aumentar Ainda mais o tráfego Para os Seus Principais Posts.

Pesquisas feitas pelo estudo Panorama dos Marketplaces no Brasil, realizado pela Precifica e Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), levantaram que o número de vendedores em marketplaces chegou a 6.246 já até a final de 2016.

E esses números estão em franca ascensão.

O investimento inicial para ser visto por clientes do Walmart, Netshoes, Lojas Americanas e muitas outras é ZERO. Sim, você entendeu bem! Não tem investimento inicial para ingressar em um marketplace consolidado.

E eu garanto que muitos vendedores não perceberam ainda o quão vantajosa é essa ferramenta. E esse mercado ainda tem bastante espaço para crescer.

Os brasileiros são, naturalmente, mais dados em relação ao comércio digital,e estar em plataformas conhecidas seguras e solidificadas é uma alternativa bastante interessante.

A visibilidade, baixo custo, segurança e praticidade são os desejos de todos os empreendedores. Mas, como toda gestão online, é preciso ter bastante atenção com a administração de todos os itens.

Com esse artigo você saberá o passo a passo para colocar os seus produtos nos principais mercados, e como gerenciar a sua cadeia de vendas e enfrentar os principais desafios dessa tendência.

Parece bem interessante, certo? Continue lendo para saber tudo o que você precisa para não ficar para a dessa.

Boa leitura!

O Que é Marketplace?

Um mercado de terminologia não é exatamente novo no mercado. Ela começou a ser mais utilizada em 2012, mas ainda é um termo um pouco novo para os consumidores.

Uma das maiores nesse mercado é a B2W – fusão feita entre Lojas Americanas e Submarino e que, hoje, incluem também o Shoptime e Sou Barato.

B2W

Você pode achar que essa palavra é nova e se trata de comércio virtual, mas, na verdade, marketplace é um local onde os vendedores se concentram para disponibilizar seus produtos e serviços, tanto no ambiente virtual, em quanto aos estabelecimentos reais.

Marketplace é, na realidade, uma junção de palavras: mercado (mercado, em inglês) e lugar (lugar, em inglês).

É, basicamente, um lugar onde se faz comércio. O termo, em sua essência, é usado tanto para mercados de rua e feiras, quanto para os mercados virtuais e de negócios.

Na prática, o termo é mais usado para e-commerce colaborativo.

É uma tendência recente e que alguns profissionais chamam também de e-marketplace, onde lojas virtuais formam um conglomerado e anunciam seus produtos e serviços em um único site.

Neste artigo, vou me referir um marketplace no sentido mais atual da palavra – como e-commerce colaborativo. Então, sempre que o mencionar, entender que sou eu referindo-se ao e-marketplace, certo?

Você pode considerar que o mercado é uma espécie de compras.

Existem alguns que são um conglomerado de vendedores de produtos do mesmo segmento – que vendem apenas roupas ou apenas eletrodomésticos, por exemplo.

Há outros que são como uma espécie de feira, com vários departamentos em um único site.

mercado

Você pode ter acesso a este “shopping virtual” de duas formas distintas: como vendedor ou como comprador.

Se o marketplace para segmentado, o vendedor pode oferecer o produto específico que nicho e o comprador entra e analisa qual ofertante melhor lhe convém.

Já se o marketplace abranger diversos itens, os vendedores podem ser de diferentes mercados e, inclusive, oferta poder todos os produtos com os que trabalham.

Por fim, o comprador terá uma espécie de catálogo com todos os itens oferecidos – desde comida, até móveis, e tudo em um único site.

O pagamento é feito como se fosse para um fornecedor e um único frete é pago, mesmo que a compra seja feita com diversos vendedores.

Isso tudo porque a navegação é feita em um único site, ou seja, você não é encaminhado para outra plataforma quando clica em produtos diferentes.

Como funciona um marketplace

O funcionamento do marketplace é muito simples e, em alguns casos, completamente gratuito.

Esse ambiente virtual reúne em um único lugar de produtos de diversas lojas, além de que são comercializados pela própria rede que oferece o espaço de marketplace.

É possível encontrar na Amazônia, por exemplo, produtos vendidos pelo gigante americano e também outros comercializados por varejos menores.

Além da venda dos produtos, o marketplace, muitas vezes, também se responsabiliza por gerenciar o pagamento e a frete do produto até o cliente final, oferecendo até mesmo garantia em alguns casos.

Por mais que não haja um investimento inicial, é importante dizer muitas vezes que essas plataformas cobram uma comissão (em percentual) sobre cada venda realizada pela loja parceira.

Ou seja, aderir ao a um marketplace, talvez você não precise gastar nada para começar, mas sua margem será menor a cada venda.

Afinal, quem pode vender no marketplace?

Marketplace afinal quem pode vender

Embora seja um espaço abrangente, na maioria dos marketplaces é necessário cumprir alguns pré-requisitos para começar a vender.

No caso das pessoas físicas, o primeiro passo é obter um CNPJ na condição de Microempreendedor Individual (MEI), o qual deverá ser associado a uma CNAE que permita atuar no varejo.

Principais requisitos

Por outro lado, também podem operar em marketplaces indústrias e distribuidoras em geral, que usam o espaço como parte da estratégia de marketing.

Mas, como vimos, quem deseja atuar em um marketplace como varejista precisará se enquadrar em algumas exigências.

Vamos ver em detalhes quais são?

CNPJ / MEI ativo e sem restrições

Para quem ainda não tem um CNPJ, não há muito com o que se preocupar.

Basta solicitar o número no Portal do Microempreendedor, que faz o cadastro na hora.

No entanto, aqueles que pretendem ingressar como varejistas com um CNPJ já existente devem ficar atentos, já que eventuais restrições podem impedi-lo de ser aceito no marketplace.

Sendo assim, procure certificar-se no site da Receita Federal se seu cadastro está ok e, caso não esteja, regularize-o antes de se inscrever como vendedor.

CNAE de varejista

Outro detalhe importante para quem quer atuar como varejista é que o seu CNPJ deve estar inscrito na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) correta.

Caso ainda não tenha um CNPJ e não souber em qual CNAE se enquadrar, busque no site da Comissão Nacional de Classificação (CONCLA), do IBGE, pelo código adequado.

Todas as atividades que pertencem ao segmento varejista estão na divisão 47.

Caso já tenha MEI, mas não esteja enquadrado em uma CNAE de varejista, pode solicitar uma nova no portal do microempreendedor.

Pode, ainda, adicionar à sua lista de atividades, desde que a principal também seja relacionada ao varejo.

Apto para emitir notas fiscais

Outra exigência para quem tem o intuito de atuar como varejista é estar habilitado a emitir notas fiscais.

Nesse caso, é preciso buscar no site da prefeitura local e do governo do Estado os procedimentos necessários para poder fazer as emissões.

Normalmente, quem precisa emitir notas deve se cadastrar na Junta Comercial do Estado e, em alguns casos, deverá providenciar também uma assinatura digital.

Ter capital social igual ou superior a mil reais

Marketplace capital social

Uma forma que os marketplaces têm para avaliar a capacidade de investimento das empresas é pelo seu capital social.

No caso, alguns deles estipulam como mínimo para esse capital valor igual ou superior a R$ 1 mil.

Se você não se inscreveu como MEI, não deixe de observar esse detalhe ao solicitar seu CNPJ.

E se você já está inscrito, mas com um capital social menor, pode também pedir a alteração desse item pelo portal do microempreendedor.

Conta corrente CNPJ

Finalmente, há os marketplaces em que é necessário ter uma conta corrente do tipo empresa para poder receber os pagamentos.

Esse é um detalhe que também pode ser facilmente resolvido, já que a maioria dos bancos digitais oferece a possibilidade de abrir conta empresa a custo zero.

Como começou o marketplace no Brasil?

Marketplace como começou no brasil

O pioneiro dos marketplaces no Brasil é o Mercado Livre.

Ele deu início às operações no país em 1999, quando trouxe da Argentina o modelo de negócios C2C, ou seja, de consumidor para consumidor (atenção: não confundir com B2C, que é quando empresas vendem para consumidores).

Como funciona o marketplace B2B?

Marketplace como funciona b2b

Não são apenas as pessoas físicas que têm um marketplace para chamar de seu.

As empresas também contam com espaços próprios para esse tipo de comércio eletrônico, no qual elas negociam diretamente com outras empresas (B2B).

Em geral, eles funcionam como um intermediário entre fornecedores e compradores, sendo indicados para quem quer ter contato direto com as fontes de matérias primas ou mercadorias para revenda.

Por que o marketplace tem se tornado um mercado gigantesco?

Marketplace porque tem se tornado um mercado gigantesco

Os números estão aí para comprovar que o segmento de marketplaces já é uma realidade.

Uma boa amostra disso é o crescimento por setor, registrado pelo Movimento Compre & Confie, em parceria com a ABComm.

Os campeões de venda pela internet são:

SegmentoFaturamentoCrescimento (%)
Beleza e perfumariaR$ 2,11 bi107,4
MóveisR$ 2,51 bi94,4
EletroportáteisR$ 1,02 bi85,7
EletrônicosR$ 3,93 bi68,4
Esporte e lazerR$ 1,57 bi66,8

Fonte: ABComm

Além do crescimento do e-commerce como um todo, vale destacar o que diz o último Panorama dos Marketplaces no Brasil.

Segundo o estudo, só no período entre setembro de 2017 e 2018, o crescimento do setor foi de impressionantes 90,7%.

O que é um mercado de serviços?

Além das lojas virtuais que reúnem em um único lugar de produtos de diversos varejistas, existem no mercado outro tipo de marketplace – este dedicado especificamente para quem trabalha com a prestação de serviços.

O funcionamento aqui é bem parecido.

Ou seja, uma marca conhecida e se reunir e anunciar em sua plataforma o serviço de diversos profissionais diferentes.

Como o prestador de serviço geralmente trabalha sozinho ou com uma estrutura pequena de profissionais, essa solução pode ser bastante interessante para inserir seu nome no mercado e ajudar-lo a atrair clientes.

O marketplace também é especialmente interessante para o consumidor, que consegue solicitar orçamentos e comparar preços em um único lugar.

Ainda, existe a possibilidade de escolher um profissional a partir dos comentários e avaliações deixados por outros usuários da plataforma, o que oferece mais segurança à tomada de decisão de compra.

Quais os principais tipos de marketplace

No mercado de marketplaces, existe alguns tipos diferentes, que tem foco em atuar com diferentes segmentos do mercado.

O primeiro são os negócios B2C,que é o tipo mais conhecido pelo público geral.

A sigla em inglês para Business to Consumer significa que, nesse tipo de comércio, as transações acontecem entre uma empresa e o consumidor final, pessoa física.

Alguns exemplos desse modelo são Netshoes, Casas Bahia, Dafiti, Amazon e Lojas Americanas.

Do outro lado, temos os negócios Business to Business, ou B2B, que são empresas que vendem para outras empresas – pessoas jurídicas.

Aqui, entram exemplos como Nimbi e Alluagro.

No mercado, há também alternativas para pessoas físicas que querem vender algum produto para outros.

Os marketplaces Consumidor ao Consumidor (C2C) tem foco em conectar compradores e vendedores para a negociação de itens de segunda mão ou novos com estoque limitado.

Como plataformas que podem ser utilizadas aqui são Mercado Livre, OLX, Enjoei, entre outras.

Existe ainda como opções de marketplace de nicho,que podem ser interessantes para quem tem um produto que atende a um público muito específico e quer focar seus esforços.

Alguns exemplos desse tipo são Instacarro, Parafuzo, Moda It e Iguanafix.

Os marketplaces de nicho não são exatamente um tipo, podendo ser classificados também em B2B, B2C ou C2C.

Mas, com essa amostra, você consegue entender melhor como estamos falando sobre um mercado já amplo e que cresce cada vez mais.

Qual é a Importância de um Marketplace?

Hoje, você dificilmente vai encontrar uma empresa que não está na internet.

Cada vez mais, gestores estão atentos às mudanças dos consumidores em preferir comprar online do que ir pessoalmente às lojas.

mercado compra

No Brasil, ainda existe uma resistência considerável por parte dos consumidores em comprar online devido à falta de confiança, mas é um setor claramente em expansão.

No dia 23 de agosto de 2017, a consultoria Ebit fez um levantamento que mostrou que lojas online no Brasil faturaram R$ 21 bilhões no primeiro semestre do ano (2017) – um crescimento nominal de mais de 7% em relação ao mesmo período do ano anterior (2016).

Você, como gestor, deve acompanhar essas oportunidades e investir nessa tendência.

Se a sua empresa não está online, eu sugiro que você coloque isso no seu planejamento estratégico urgentemente.

Inserir o seu e-commerce em um marketplace pode aumentar ainda mais os seus resultados de vendas. Ele proporciona um aumento na visibilidade e credibilidade da sua empresa, principalmente para empresas pequenas e pouco conhecidas.

A internet tem um ponto positivo que é a liberdade para entrada de qualquer empresa. Mas isso, para as próprias empresas, é um fator negativo, afinal, a concorrência pela atenção dos consumidores é bastante acirrada.

Ao inserir a sua empresa em um marketplace, a pequena empresa pode se beneficiar com a publicidade do site para aumentar o tráfego e fazer isso a baixo custo de investimento em marketing.

A pequena empresa ganha visibilidade sem a preocupação dos altos custos com publicidade e, dessa forma, alavanca as vendas.

Um dos pontos mais interessantes disso tudo é que não é necessário ter o know-how de programação, TI e custo com montagem de site e manutenção. O próprio site do marketplace já cuida dessa área.

Outro ponto extremamente positivo é a escalabilidade que o marketplace proporciona às empresas. O gestor pode aumentar o portfólio e sempre mostrar novos produtos para os clientes.

Outro benefício é fornecer ao cliente uma boa experiência com a compra, o que faz com que ele pense na sua marca com mais atenção na próxima compra, ou seja, as chances de fidelização são maiores.

Manter sua loja online também é muito mais simples. Normalmente, a logística de um marketplace é mais prática, com facilidade na hora de criar os meios de pagamento, transporte e cadastro de produtos.

Dessa forma, inserir o seu e-commerce em um marketplace pode maximizar suas receitas e minimizar algumas despesas, o que pode aumentar consideravelmente o lucro da empresa.

O marketplace é uma ferramenta benéfica para todos os participantes.

Você conferiu acima as vantagens para o vendedor, mas todos os participantes das transações podem se beneficiar com a ferramenta.

Por exemplo, para o administrador, além dos benefícios acima, é possível aumentar o faturamento através da comissão por venda.

O comprador tem uma gama enorme de produtos em um só site, facilidade e praticidade de pagamento e frete único, além de preços mais competitivos.

Esses benefícios são os exclusivos para o marketplace, mas é bom lembrar que ele também agrega todos os pontos positivos de um e-commerce, como utilizar métricas que identifiquem tendências, práticas mais adequadas e soluções de problemas de planejamento, auxiliando, inclusive, na análise SWOT da empresa, afinal você está em um ambiente virtual com concorrentes.

Lojas virtuais também facilitam a participação da empresa em eventos na internet, como promoções e feirões que oferecem ao consumidor preços ainda melhores.

Sabemos que promoções e ofertas podem melhorar a visão do cliente em relação a sua marca, estimulando-o a comprar novamente.

Esse tipo de evento é mais simples de se organizar virtual do que fisicamente, e pode fazer com que um possível cliente compre pela primeira vez o seu produto devido aos atrativos, tornando-o um cliente fiel.

Outra possibilidade que o marketplace fornece é que a sua empresa esteja em mais de um local ao mesmo tempo. Se você selecionar 2 marketplaces que correspondam ao nicho do seu público-alvo você pode até dobrar o poder de alcance da sua marca.

Além disso, dois sites “divulgando” o seu nome dá uma segunda chance para o seu público se interessar pelo produto ou serviço ofertado. Afinal, sabemos que nem todas as call to action ganham os consumidores à primeira vista.

Como funciona a compra e venda?

Marketplace compra e venda

Para o cliente final, o marketplace funciona de forma idêntica a um e-commerce qualquer.

Ou seja, ele escolhe o produto, coloca no carrinho virtual, faz o pagamento e aguarda a entrega ou busca na loja, se preferir.

Já para quem vende, a diferença no processo de venda é ligeiramente diferente, em especial na parte do estoque, que é descentralizado.

Além disso, como vimos, em cada transação é cobrada uma comissão, da qual a marca operadora do marketplace tira os recursos para financiar suas próprias operações.

Diferença Entre Marketplace e E-commerce

Bom, você já entendeu o significado de marketplace, mas pode estar confuso em relação às diferenças dessa ferramenta para o próprio e-commerce.

É natural a confusão, afinal, são termos um pouco recentes para a maioria dos consumidores.

À primeira vista você pode achar que ambos desempenham o mesmo papel, mas existem diferenças consideráveis entre eles.

e-commerce de mercado diferenças

O e-commerce é administrado pela empresa A, com os fornecedores da empresa A, e enviados pela transportadora que a empresa A escolher.

Pode acontecer da empresa A ser multimarcas e disponibilizar, no estoque, produtos de outras marcas, mas ela continua sendo uma empresa só – que possui a mesma linha de preços, estratégias, equipe e gestores, etc.

Essa é a principal diferença entre marketplace e e-commerce. Quando você tem à sua disposição diversos produtos, mas apenas uma empresa no comando, não vai existir competição, um leque muito grande de variedades ou de visão empresarial.

Já o marketplace comporta diversos lojistas – do mesmo nicho ou não –, dependendo do posicionamento do site.

Por exemplo, você está no e-commerce da loja B de roupas e acessórios femininos fazendo compras de natal, e precisa comprar quatro presentes: uma roupa para sua filha, uma roupa plus size para sua tia, um sapato para o seu pai e uma bolsa para sua mãe.

Se a loja for voltada apenas para o público feminino e não tiver como visão a moda plus size, você vai ter que visitar, no mínimo, mais dois sites, pagar separadamente cada um, além do frete em cada loja.

Já se você entrar em um marketplace que comporte empresas de nichos variados, a possibilidade de você comprar todos os presentes que precisa de uma única vez é maior. Além de encontrar algo que não estava procurando, como um presente pessoal.

Apesar de ambos serem plataformas de divulgação e promoção de produtos e serviços online, você percebe que, enquanto o primeiro é limitado, o segundo é variável em todas as esferas.

Você pode encontrar dentro do marketplace empresas sustentáveis, empresas voltadas para moda plus size, algumas mais modernas e outras mais clássicas.

Vamos fazer uma analogia. O e-commerce é como se fosse uma loja de roupas na rua. Essa loja pode atrair pessoas que passam, quem já é cliente e quem pesquisou e encontrou aquela loja.

Já o marketplace funciona como uma loja de shopping. Você pode atrair quem veio exclusivamente para comprar em outra loja, quem veio comprar no concorrente, mas encontrou mais vantagens no seu produto, cliente fies e quem o encontrou na web.

Percebe que a variedade de pessoas que pode se interessar pelo seu produto é infinitamente maior?

Isso não quer dizer, de forma alguma, que você deva descartar seu e-commerce! Pelo contrário, as vantagens que mencionei no tópico anterior continuam válidas. A minha dica é que você coloque a sua marca em um marketplace e, se possível, tenha um e-commerce.

Lembre-se: quanto maior o número de vezes que seu cliente visualizar a sua marca, mais chances você terá de conquistá-lo!

Vantagens de um marketplace

Talvez a mais óbvia vantagem de utilizar um marketplace para suas vendas online é a grande exposição que esse modelo de negócio oferece.

Nele, lojas pequenas desfrutam do público de uma marca que já está consolidada no mercado digital.

Junto à maior exposição, a dinâmica das grandes lojas garante também uma maior retenção de público.

Por estar repleto de produtos e informações, é comum que esses sites de vendas consigam prender a atenção do cliente por mais tempo, para que ele analise o produto com calma.

Outra vantagem a se considerar na hora de escolher um marketplace é que o modelo é, além de tudo, econômico.

Quem vende seus produtos em uma loja já consolidada precisa gastar bem menos com ações de marketing.

Por fim, todos esses benefícios são capazes de conferir um crescimento exponencial para a loja que utiliza o marketplace para alavancar suas vendas.

Maior visibilidade

Uma das grandes vantagens para quem adere a um marketplace é a visibilidade instantânea.

No maior deles, o Mercado Livre, o lojista encontra de cara um público de mais de 76 milhões de usuários cadastrados, em um espaço que movimenta cerca de US$ 20 bilhões por ano.

Aumento das Vendas

Com um tráfego gigantesco de pessoas, é difícil imaginar que isso não se reverta em mais vendas.

Afinal, marketplaces como o da Magazine Luiza são acessados diariamente por milhões de consumidores, todos em busca de ofertas e boas oportunidades.

Então, se você tiver um bom produto para vender a preços competitivos, é certo que essa enorme audiência seja revertida a seu favor.

SEO

Marketplace seo

Começar um e-commerce do zero envolve um trabalho árduo com otimização para motores de busca (SEO) e anúncios, principalmente na fase inicial, em que a audiência não está consolidada.

Em um marketplace, não há necessidade de todo esse esforço, já que é garantido o tráfego de potenciais clientes.

Custo-benefício  

Ainda que cada venda gere uma comissão para o marketplace, na maioria dos casos a relação custo-benefício é vantajosa para o vendedor.

Isso sem contar que, em uma plataforma virtual, sua loja deixa de arcar com os custos típicos das lojas físicas como, por exemplo, com aluguéis, salários e comissões.

Desvantagens de um marketplace

Por outro lado, também existem desvantagens em vender por meio de um marketplace.

A primeira coisa que precisa ser observada são os custos cobrados pela plataforma.

Para que a conta feche, os gastos com a marketplace precisam ser menores do que a economia que você está fazendo ao não ter de pagar pelo desenvolvimento e divulgação de site próprio.

Outro ponto negativo de utilizar esse serviço é que, muitas vezes, a loja fica dependente de outra marca gigante e nunca consegue se posicionar de maneira independente no mercado digital.

Quem anuncia seus produtos em lojas de terceiros acaba abrindo mão do controle dos aspectos técnicos do seu marketing.

E isso nos leva a outra desvantagem: o branding.

Ao vender seus produtos exclusivamente em ambientes de marketplace, você acaba abrindo mão de fortalecer sua marca em troca de uma exposição imediata.

Assim, o branding acaba fraco e, sua empresa, pouco conhecida junto ao público.

Afeta a personalidade de uma marca

Para quem tem pretensões de alçar voos mais altos, o marketplace pode representar um limitador.

Como a loja será mais uma no meio de tantas, acaba por ter sua identidade pulverizada entre os concorrentes, sem contar a influência da própria gestora do marketplace. 

Então, se está em seus planos ser uma marca de destaque, não deixe de colocar esse fator na balança antes de se cadastrar em um shopping virtual.

Gera dependência

Embora vantajoso, um marketplace pode ser uma faca de dois gumes para o lojista.

Nesse caso, o problema está na dependência em relação ao tráfego gerado pela marca que abriga a loja. 

Se por algum motivo ele cair, o lojista ficará refém dos gestores da plataforma para ver o tráfego e suas vendas se normalizarem.

Qual o custo médio para vender no marketplace?

Marketplace qual o custo medio para vender

Cada canal de vendas tem custos característicos em suas operações.

Com a ajuda do site CanalTech, veja em uma tabela comparativa quais os custos envolvidos em ter um e-commerce próprio e vender em um marketplace.

Marketplace%E-Commerce%
Vendas 100 100 0
Custo por Produto Vendido 50 500
Impostos 10 100
Custo por Meio de PagamentoSomente antecipação (outros custos assumidos pelo marketplace)4Todos os custos são assumidos pelo cliente: gateway, antifraude, chargeback, cartão, antecipação1163
Plataforma 3 30
Picking, Packing, Entrega 11 110
Subtotal 22 1546
Marketing ou comissionamento marketplaceComissão paga ao marketplace por compra efetuada15Índice sobre o total de vendas para investimento em marketing1050
Margem de contribuição 7 528

O marketplace é vantajoso para todos os tipos de negócio?

Marketplace vantajoso para todos os tipos de negocios

Considerando suas características, custos envolvidos e o retorno esperado, é seguro dizer que um marketplace é bom para todo mundo.

Destaco nesse caso as vantagens tanto para grandes empresas quanto para as PMEs.

Grandes empresas

Empresas já estabelecidas no mercado também se beneficiam do imenso volume de tráfego gerado pelo marketplace.

Essa pode ser, inclusive, uma boa estratégia para driblar as oscilações nas vendas em razão de sazonalidades, por exemplo.

Pequenos negócios

Marketplace pequenos negocios

Já as PMEs em geral, como vimos, se beneficiam não só do tráfego, como da infraestrutura que os marketplaces disponibilizam para suas operações.

Além disso, elas pegam emprestada a boa reputação da plataforma, ajudando assim a superar mais facilmente a desconfiança do consumidor.

Como definir um nicho de mercado para o mercado

Para ter bons resultados em seu negócio digital, há algumas etapas obrigatórias.

Entre elas, o ponto de partida talvez seja definir o nicho de mercado.

Portanto, antes de criar sua loja, estude bem quem é o público-alvo e, sempre que possível, elabore estudos de persona para guiar sua comunicação.

O comércio nichado pode ser uma boa estratégia para o sucesso dos negócios, já que parte de uma pesquisa do público para definir sua área de atuação junto a uma demanda identificada.

Apesar de parecer limitante em um primeiro momento, a escolha de um nicho de mercado garante maior assertividade em seus investimentos de marketing.

Em outras palavras, você gasta menos para ter mais resultados.

Por isso, a dica que eu deixo para você é investir em estudo de mercado, verificando a viabilidade da ideia e ouvindo seus potenciais clientes antes de investir pesado.

Tenho um artigo sobre análise de mercado que pode ajudar você a cumprir essa etapa.

Inserir o Seu Produto no marketplace em 3 Passos

Depois de compreender o que de fato é marketplace e a importância para o seu negócio, quero lhe ensinar o passo a passo de como inserir a sua marca e os seus produtos nesta tendência.

mercado

Você está pronto para utilizar essa plataforma para alavancar suas vendas? Então, vamos lá!

Passo 1: Definição do Marketplace

Hoje, existem inúmeros marketplaces na internet, tanto gerenciados no Brasil, quanto no exterior. É natural que você, empreendedor, fique um pouco confuso sobre qual escolher e como fazer essa inserção nesta tendência.

Quero falar neste tópico sobre esse primeiro contato que você vai ter ao entrar em um marketplace.

Encontrando os Melhores Marketplaces

Sabemos que um dos fatores essenciais para uma empresa é a pesquisa de mercado. Entender o ambiente e o público alvo são fatores chave para criar estratégias eficientes.

Em se tratando de inserir o seu e-commerce ou a sua loja física no ambiente do marketplace, esse fator é ainda mais importante.

Como falei anteriormente, existem marketplace setorizados, ou seja, que aceitam apenas lojas de determinado segmento em seu portfólio; e outros que possuem em sua vitrine diversos nichos.

A primeira decisão que você deve tomar é qual deles você considera mais viável para a sua empresa. Conhecer o seu público-alvo é o primeiro passo para tomar essa decisão de uma forma mais assertiva.

Por exemplo, se você escolher um marketplace que tenha desde produtos de limpeza, decoração até eletrodomésticos, mas o seu público são os consumidores de obra de arte, não faz o menor sentido colocar os seus vasos, quadros e enfeites neste marketplace.

Agora, se você tem uma loja de enfeites de led, por exemplo, e o seu público alvo costuma acessar marketplaces de roupas modernas, eletrônicos e decoração, seria interessante inserir o seu e-commerce em um ambiente com essa variedade.

Após entender o segmento no qual a sua empresa está inserida, o comportamento do mercado, o público alvo e o consumo dos seus produtos e serviços, você já está com dados suficientes para escolher o marketplace certo para a sua empresa.

Os principais marketplaces no Brasil são: Walmart, Netshoes, Mercado Livre, Amazon, Dafiti, Submarino, Americanas, Magazine Luiza, Pontofrio, Kanui e muitos outros. Para saber a lista completa basta acessar o site Market Place BR.

Brainstorm

O brainstorm faz parte do processo de escolha do marketplace ideal. Trabalhar com ideias é sempre uma ótima solução para criar estratégias de sucesso.

Brainstorm

Existem algumas táticas inteligentes para você entrar nesse mercado da melhor forma possível. Pensar em quais feriados o seu público-alvo costuma comprar mais e quais promoções e ofertas mais combinam com a sua empresa, por exemplo.

Essa etapa é essencial para a escolha correta do marketplace.

Crie um Ranking Com Todos Eles

Com o brainstorm feito, a próxima etapa é elencar os marketplaces, segundo as ideias que surgiram.

É interessante fazer um ranqueamento com todos aqueles que forem atrativos para alavancarem suas vendas.

Vale avaliar os que o seu público alvo mais acessa, os que podem abrir novas perspectivas, e aqueles que estão em franca ascendência dentro do seu nicho.

Escolher os 3 Melhores

A primeira listagem pode ter quantos marketplaces você quiser, mas o próximo passo deve ser tratado com muito mais objetividade.

Seja extremamente seletivo e monte uma lista com os 3 melhores que você puder elencar.

Gabaritos testar e coletar

É interessante fazer uma pesquisa com clientes e clientes em potencial para verificar que estes três são, definitivamente, os mais interessantes para a sua estratégia.

Dê uma conferida em sites que possibilitam que os compradores transcrevam suas impressões – sejam elas positivas ou negativas. Esse feedback é extremamente importante para você não manchar o nome da sua marca.

Afinal, da mesma forma que você pode se beneficiar com a visibilidade e nome do mercado, uma visão também negativa será transferida para a sua empresa.

Foque nos Melhores

Não perca tempo, de forma alguma.com marketplaces medianos ou pouco visitados. Você quer alavancar sua marca e não fazer qualquer coisa apenas para seguir essa tendência.

Falo sempre sobre agregar valor à sua marca, e, para isso, é fundamental manter o foco apenas nas melhores opções.

Aproveite Datas e Feriados Comemorativos

mercado oportunidades

Como mencionei no brainstorm, existem táticas que você pode utilizar para aproveitar melhor as oportunidades. Entrar em um marketplace antes da Black Friday, por exemplo, é uma ótima estratégia.

Feriados de final de ano e dados que muitas alavancar como vendas no comércio podem ser bons dados para você inserir a sua marca.

Pense bem que dados são os melhores para os seus negócios.

Por exemplo, se você possui uma empresa de ferramentas, querer aproveitar os dias das crianças é uma estratégia inútil, afinal, o seu público alvo não estará propenso a comprar mais do que em outros dados.

Passo 2: Disponibilizando o Seu Produto

Bom, depois de selecionar um ou mais marketplaces que você quer, definitivamente, inserir a sua loja, o próximo passo é partir para a parte prática.

Vamos ao passo a passo dessa inserção.

Entrando em Contato Com o Mercado

A primeira etapa é entrar em contato com o mercado. Basta acessar o site e fazer uma solicitação.

Alguns sites fornecem um formulário, como o Mercado Livre; e outros que solicitam que você entre em contato por e-mail, como a Netshoes.

mercado de e-mail

Você pode fazer a solicitação para entrar em quantos preferir.

Efetuando o Cadastro

Caso o mercado escolhido forneça um formulário, ele vai ser mais ou menos como a imagem abaixo.

kanui mercado

Depois de preenchê-lo, é normal solicitarem mais alguns dados pessoais e informações sobre o seu CNPJ.

Para os marketplaces que solicitam o contato por e-mail, você pode informar o interesse em efetuar o seu cadastro e o contato é feito direto com o administrador ou alguém da equipe.

Documentação Necessária

Existem algumas variações dentro de cada marketplace, mas alguns documentos são fundamentais na maioria deles.

Veja a lista abaixo:

  • CNPJ: você dificilmente conseguir entrar em algum mercado se a sua empresa não está cadastrada.
  • e-CNPJ: esse item é o seu CNPJ digital, e é um documento essencial para a assinatura do contrato com o marketplace.
  • CNAE: é a sua classificação como varejista, Classificação Nacional de Atividades Econômicas.
  • Certidão negativa de débitos: é o documento que ratifica que a sua empresa não possui quaisquer pendências no CNPJ. Consulte a situação de sua empresa no site da Receita Federal.
  • Sintegra: é o registro no Sistema Integrado de Informações Sobre Operações Interestaduais com Mercadorias e Serviços. É um item essencial para que você possa emitir nota fiscal. Caso não tenha esse registro, procure o seu escritório de contabilidade.

E alguns outros como: Comprovante de Inscrição Estadual; Declaração do regime de tributação; Certidão Negativa de Falência e Concordata; Contrato Social atualizado.

Alguns marketplaces dispensam alguns desses itens e outros alguns pedems outros, mas a maioria segue essa listado acima. Ter todos esses documentos em mãos facilitará o cadastro, afinal não queremos que essa parte demore mais do que o necessário.

Após a confirmação dos dados e o aceite do mercado, você receberá um login e senha de acesso.

Integração Loja Virtual + Marketplace

O próximo passo é realizar a integração do seu e-commerce com a plataforma do marketplace.

Se a sua empresa tem um gama grande de produtos, fazer a integração de forma manual será um trabalho um pouco complexo. Você sabe que esse tipo de coisa pode resultar em erros e você não quer perder vendas por falhas assim, certo?

O que eu adquirem é que você utilize um integrador (Marketplace Hub) para que as informações de ERP sejam mantidas, além de facilitar o alinhamento destas informações com as plataformas e canais que a sua empresa utiliza.

Esse é um passo importante para que o seu estoque seja controlado da forma correta, além da precificação e quantidades de produtos adequadas.

Aprovação do Produto

Bom, o passo seguinte é fazer o upload das fotos dos produtos selecionados com suas descrições e funcionalidades. Com um integrador, esse passo é feito automaticamente.

Essa etapa é um pouco mais burocrática em alguns marketplaces porque eles precisam fazer uma conferência dessas informações. Entenda que é preciso manter a mente e qualidade do que está sendo ofertado.

Produtos ilegais, que não estão com a descrição correta ou que não estão de acordo com as normas do mercado não serão aprovados.

É importante que você facilite essa etapa cumprindo com os requisitos estipulados. O prazo máximo para aprovação – ou rejeição – do produto é de 30 dias. Alguns marketplaces, como o Mercado Livre, possuem prazos menores.

Faça o seu planejamento com o prazo máximo para não correr o risco de seus prazos perder ou alguma etapa importante.

Venda do Produto

Pronto, seu produto já está na vitrine do mercado de “compras”. E você está disponível para que o consumidor veja a sua oferta e compre o produto.

vitrines marketplace

No momento da integração do seu e-commerce com o marketplace você selecionou as formas de pagamento de acordo com sua política e a do marketplace.

Existem algumas plataformas de marketplace que a venda, emissão de nota faturamento e feitos todos por você; e outros que fazem o processo de venda e depois transferem o valor na conta do vendedor.

O produto aparece como pertencente à sua loja, mas a venda é efetuada diretamente na página do mercado.

imagem vendedor

Contato Após a Venda

Ao preencher o formulário e entrar em contato com o mercado, os administradores pedem os dados do seu contato, e depois através dele que você pode contatar o cliente.

Alguns marketplaces estão implementando uma ferramenta pelo qual você pode se comunicar diretamente com o cliente, bastando abrir um chamado dentro da venda efetivada. Você pode comunicar se houve algum imprevisto com a entrega ou o estoque do produto, por exemplo.

Passo 3: Administrando as Tarefas Diárias no Marketplace

O marketplace facilita muito a questão das tarefas diárias, tanto que você terceirizar algumas coisas que ficam a carga da política do próprio site.

Aqui, é essencial criar estratégias e rotinas que sejam congruentes com suas internas, mas também tem itens diferenciados, afinal, é uma plataforma diferente e pode seguir alguns itens diferentes de sua loja física ou do seu e-commerce.

Desempenho de entrega

Uma das atividades que está normalmente em suas mãos é o envio do produto. Alguns marketplaces possuem prazo médio de entrega e outros, como a B2W, deixam a sua encargo a escolha do prazo.

marketplace compras carrinho

Então, você escolhe qual o prazo máximo que você enviará o produto e isso é computado junto com os prazos das transportadoras ou dos correios.

Você deve colocar o seu prazo máximo, e tente não ultrapassá-lo. Lembre-se que a sua principal função é trazer valor para a experiência do cliente na compra.

Ultrapassar prazos vai fazer com que sua nota decaia, e alguns marketplace, como o Mercado Livre, podem travar o seu recebimento e você terá grandes problemas para resolver. Outros, como as Lojas Americanas, fazem um termômetro em relação aos seus atrasos, e podem entrar em contato com a sua empresa caso isso se repita muito.

A grande maioria desativa o seu perfil caso você não melhore o desempenho. Então, é extremamente importante computar o tempo de envio corretamente, inclusive vale colocar nesse cálculo possíveis surpresas.

Reclamações e chamadas no SAC

As reclamações e o SAC serão feitas para o próprio marketplace. Existe um campo na própria página do produto que possibilita fazer comentários a respeito do produto, vendedor ou da compra.

Após efetivar a compra, o cliente tem a possibilidade de avaliar e fazer reclamações. Fique de olho nessa questão para responder e resolver esses problemas o mais rápido possível. Atender bem e sanar atritos com clientes pode cooperar para que eles voltem a comprar em sua empresa.

Avaliações e nota mínima

Os marketplaces costumam solicitar ao usuário que ele conte a experiência dele com a compra, avaliando alguns itens com notas entre 0 e 5, e comentando a respeito da experiência que teve com essa transação.

Alguns marketplaces categorizam as avaliações em relação ao estoque, produto, prazo de entrega, etc., ou seja, o cliente pode julgar cada item separadamente. Ficar com uma nota abaixo de 3 pode ser extremamente prejudicial para a imagem da sua marca.

Essa avaliação vai refletir sobre o seu posicionamento no seller box e buy box. Alguns, inclusive, solicitam uma nota mínima para você permanecer entre as principais ofertas. Fique de olho nisso!

Você pode ter o perfil desativado se não ficar atento às más avaliações.

Porcentagem de produtos que são buy box

Buy Box ou Seller Box ou Caixa de Compra é o local que destaca os principais sellers de um determinado produto. É necessário cumprir alguns requisitos para entrar nesse grupo seleto de vendedores, como prazo de entrega, reputação, preço e estoque.

Essa área aumenta a visibilidade e, consequentemente, pode corroborar para o aumento de vendas daquele produto. Acompanhe a porcentagem dos seus produtos dentro do portfólio que estão na buy box. Acompanhe essa métrica semanalmente.

Precificação do produto

Os preços dentro do marketplace são mais competitivos, isso, somado à comissão, deve ser algo a se considerar antes de precificar o seu produto.

Produtos que possuem, devido ao mercado, margens de lucros menores podem ser retirados da sua vitrine nessas plataformas. Além dos seus custos, é preciso computar a comissão, que varia de 8 a 20%. Lembre-se sempre que o ambiente é muito competitivo.

O preço é fundamental para ficar na buy box e converter as vendas. Considere sempre os custos fixos e variáveis, margem e faturamento, além, é claro, de analisar os preços dos seus concorrentes diretos.

Oscilação da posição de seus principais produtos no marketplace

É natural que as empresas possuam mais de um produto de destaque – aqueles que recebem mais pedidos, e, muitas vezes, se preocupam tanto em estar na buy box, que não percebem as oscilações de posição e número de vendas.

Por exemplo, pode ser que um dos seus produtos seja o segundo colocado – mais caro, mas gera o mesmo número de vendas que a primeira colocação. O será que você precisa fazer para ficar em primeiro?

Analisar esse tipo de oscilação e como ele influencia nas vendas é essencial para maximizar seu faturamento de uma forma mais inteligente.

Itens ou categorias mais vendidas

Fique de olho na lista dos produtos mais vendidos. E eu sugiro que você faça isso sempre – seja diariamente ou no máximo semanalmente. Essa métrica é importante para entender o comportamento dos usuários em relação aos seus produtos.

O resultado dessa análise pode nortear a sua equipe a criar estratégias diferentes para produtos que demandam mais atenção.

Dicas Para Utilizar Junto ao Marketplace

Fique atento aos itens essenciais do seu negócio dentro do mercado.

Quero dar algumas dicas para que você possa usufruir dessa ferramenta o máximo possível.

Estratégia Para Analisar a Viabilidade do Seu Marketplace

Existem muitas plataformas de marketplace hoje em dia. O mais importante é você pesquisar o tanto de informações quanto possível. Analise o quão viável é aquele mercado para a sua empresa. Algumas perguntas que você deve responder:

  • A sua empresa está crescendo?
  • O que as ferramentas do Google Analytics estão mostrando?
  • Os clientes voltam a comprar?
  • Você está tendo prejuízo com algum produto?

A minha dica é: ficar de olho nas métricas e traçar suas estratégias em cima delas.

Conquiste a Confiança dos Consumidores

Sabemos que os brasileiros ainda são muito reticentes em relação às compras online, afinal, os crimes cibernéticos são muito recorrentes aqui.

Procure passar para o cliente o máximo de profissionalismo possível, desde as imagens dos produtos, passando por eles descrição e, por fim, o envio e embalagem. Sim, você precisa ganhar a nota de ção mesmo após a venda.

Não deixe, em hipótese alguma, de responder perguntas e fazer isso o mais breve possível. Eu sempre digo: não basta ser seguro, é preciso parecer seguro.

Os marketplaces apenas passar mais a mais em conta por serem empresas grandes, conceituadas e conhecidas no mercado. Faça sua parte para corroborar essa imagem!

Controle Bem o Estoque

mercado de gestão

Mencionei no item sobre integração que administrar o estoque é um item importante para a sua empresa. Quando o empreendedor tem uma loja física, um e-commerce, e faz parte de um marketplace, mas sem integração, acaba por perder em relação ao estoque.

E esse item pode causar uma má interação com o seu cliente

Tenha Atenção ao Sistema de Entregas

Não atrase! Esse é meu conselho fundamental. Tenha contratos com os Correios ou transportadoras que não vão deixar na mão. Tenha transportadoras reservas e fique de olho em possíveis greves.

Falhas no estoque também podem gerar atrasos. Não deixe que isso aconteça.

envio marketplace

Como Lidar Com Compras Reclamadas

Reclamações são o calcanhar de Aquiles para muitos empreendedores, e ainda mais com a possibilidade de dispersar esse tipo de informação via web.

A minha dica é: seja o mais rápido possível para sanar quaisquer reclamações que surgirem. Entre diretamente em contato com o cliente e procure resolver a situação da forma mais tranquila e solicita possível.

Lembre-se que ele precisa ter uma boa experiência com a compra para avaliar bem, transmitir sua opinião positiva a outras pessoas e voltar a comprar na sua empresa.

Administrando o Fluxo de Caixa

Sabemos o quão importante é o fluxo de caixa para qualquer empresa. Dentro do comércio digital não é diferente. Muitos empreendedores acabam falindo porque acreditam que o comércio digital não precisa de muitas coisas.

Pode parecer lógico, mas o primeiro passo é verificar se você não está gastando mais do que ganhando. Muitas empresas acreditam que comprar um produto por 50 reais e vende-lo por 100, o lucro será de 50 reais. Não cometa esse erro.

Existem fornecedores, transportes, investimentos.

Ter um fluxo de caixa organizado pode ser fundamental em épocas de crise e em oportunidades de investimento. Não descuide dessa área administrativa. O seu comércio digital deve ser administrado com a mesma seriedade de uma empresa física.

Modelo de negócio para marketplace

Quem é empreendedor sabe que a escolha de um modelo de negócios pode ser decisiva para a trajetória da empresa e, inclusive, para os resultados que virão pela frente.

Por isso, pense bem antes de optar por um ou outro caminho.

Se você está planejando o lançamento de um marketplace, busque antes entender qual é a demanda do público que o seu comércio se propõe a suprir.

Lembre o que falei antes sobre a importância de estudar o mercado e ouvir seu público para entregar a ele o que procura, da forma que deseja.

A partir disso, você terá uma boa noção do modelo de negócio que deverá ser seguido e, inclusive, do tipo de marketplace a investir, se B2B, B2C ou C2C.

Um bom estudo de público e mercado pode indicar ainda qual nicho tem maior potencial de consumo para que o seu negócio possa se desenvolver de maneira escalável e exponencial.

Indico a você a leitura do meu artigo sobre modelos de negócio, com dicas para colocar sua estratégia em prática.

Estratégias de marketing digital para atrair clientes para marketplace

Hoje em dia, é difícil encontrar um negócio digital que não conte com estratégias de marketing no ambiente virtual.

E não tem como ser, diferente já que é na web que os consumidores estão pesquisando, comparando e comprando.

O melhor de tudo é que não ações a escolher. Com certeza, alguma delas combina com seus objetivos e com sua audiência.

Você pode otimizar conteúdo para se destacar nas buscas e no Google Shopping.

Também pode apostar em propagandas segmentadas que vão mostrar o produto certo para quem de fato se interessar.

Dentro das estratégias, é importante incluir também campanhas de remarketing para garantir que o cliente que visualizou o produto do seu marketplace vai retornar para a compra.

E, para quem já é cliente, é importante contar com ações para manter o relacionamento, com notificações sobre a compra e disparos de e-mail marketing sobre as ofertas mais recentes da plataforma.

Exemplos de Marketplace de Sucesso

Bom, falei sobre todos os aspectos que circundam o mercado tema. Chegou a hora de você saber quem são os maiores exemplos de sucesso.

mercado

O grupo segue em um crescimento acelerado, posicionando-se como líder no mercado de varejo. Apenas no último trimestre de 2014, a companhia apresentou um crescimento de 31% nas vendas eou a receita bruta de R$ 9,1 bilhões.

Nos últimos 3 anos, o grupo praticamente dobrou de tamanho nas vendas e reduziu pela metade a quantidade de reclamações, conquistando, assim, o título de melhor atendimento ao cliente da internet brasileira.

Marketplace Americanas

Um dos nomes mais conhecidos do varejo físico e online no país, como Lojas Americanas oferecem sua estrutura para parceiros que querem anunciar seus produtos no B2W Marketplace.

Com milhões de acessos mensais em seus sites, a plataforma inclui ainda exposição em outras duas lojas do grupo – Submarino e Shoptime – e cruza as informações do usuário para melhorar sua estratégia de vendas.

Os dados são muito impressionantes:

mercado de dados

No site, o B2W informa que não cobra taxa de cadastro, apenas uma comissão fixa de 16% sobre o valor total da venda.

Marketplace Submarino

Em relação à confiança dos clientes, o Submarino tem um gama consistente de clientes que confiam plenamente nas compras dentro dessa plataforma.

Marketplace Magazine Luiza

mercado exemplo

Os mais de 220 mil itens que são expostos no mercado da Revista Luíza recebem 35 milhões de acessos. Com uma grande variedade no portfólio, você pode encontrar desde móveis até eletrônicos.

Marketplace Walmart

exemplos de mercado

O marketplace do Walmart, da Rede Americana, tem em seu portfólio mais de 1 milhão de produtos. Os extremamente preços competitivos geram 11 milhões de visitas. A plataforma faturou em 2014 mais de R$ 25 bilhões só em solo brasileiro.

A rede varejista Walmart tem um histórico muito positivo com os clientes. Veio para o Brasil em 1995 e, em 2002, a Revista Fortune declarou-se como primeiro lugar entre as 500 maiores empresas do mundo.

Marketplace Mercado Livre

O Mercado Livre é gigantesco e isso se comprova não só pela quantidade de usuários cadastrados, como pelo seu próprio faturamento.

Uma demonstração de força dessa plataforma foi dada em plena pandemia, quando suas receitas mais do que dobraram no 1º trimestre de 2021, com um faturamento de US$ 1,4 bilhão.

Isso representou um aumento de 111,4% em dólares, e de 139% se convertermos para reais.

Como funciona o marketplace do Facebook?

Fora dos sites especializados no comércio eletrônico, como redes sociais são mais uma opção para quem quer aproveitar o fluxo de um grande portal para expor seus produtos.

Ativo no Brasil desde 2018, o marketplace do Facebook oferece uma experiência que usa a geolocalização para conectar vendedores e compradores que estão próximos.

Por enquanto, a plataforma atendeu apenas vendas C2C e funciona como um serviço de classificados – isso significa que o pagamento e a entrega ficam por conta do vendedor.

O potencial dessa plataforma é gigante e não dá para ignorar, especialmente se você tem algo a vender.

Segundo dados atualizados do Statista,são mais de 2,7 bilhões de usuários ativos em todo o mundo.

Quais os maiores marketplaces do mundo?

Quando o assunto é marketplace, nós temos vários exemplos de sucesso pelo mundo todo.

Talvez o mais conhecido seja a Amazônia.

Não é a toa que seu fundador, Jeff Bezos, se tornou recentemente a primeira pessoa do mundo a acumular mais de US$ 200 bilhões em patrimônio.

Outros grandes nomes mundiais incluem também eBay (C2C), AliExpress (B2C e C2C), AirBnb (C2C e B2C) e Craigslist (C2C).

No Brasil, a Americanas é o que podemos chamar de gigante das vendas, consolidado pela compra do Submarino e do Shoptime.

Por aqui, temos ainda OLX (C2C), Mercado Livre (B2C e C2C), Magazine Luiza (B2C), Netshoes (B2C), entre outros nomes de destaque.

Dúvidas frequentes (guia rápido)

Mercado duvidas frequências

Abaixo, destaco algumas dúvidas frequentes sobre marketplaces que recebo em meus canais de comunicação e pelo que vejo em minhas pesquisas na web.

Confira.

O que é um marketplace?

Marketplace é um espaço virtual em que diferentes lojistas hospedam páginas em que vendem produtos e serviços, podendo ser de uma única categoria ou não.

Como funciona o sistema de marketplace?

Para o cliente final, a compra em um marketplace segue um processo similar ao de qualquer outro e-commerce.

Todas as etapas desde o checkout até a conciliação são feitas pela empresa responsável pelo shopping virtual.

O que é plataforma de marketplace?

Como todo e-commerce, um marketplace funciona a partir de uma plataforma, na qual são hospedadas as lojas, os gateways de pagamento e demais funções necessárias ao comércio eletrônico.

Conclusão

Pronto para apresentar a sua empresa para milhões de clientes em potencial?

mercado

Você deve ter notado que o mercado é útil para todos os envolvidos, e extremamente democrático. Você pode colocar uma empresa de pequeno porte, com produção em pequena escala, junto com monstros do mercado.

Neste artigo mencionei que são os principais benefícios desta ferramenta, como:

  • Visibilidade
  • Escalabilidade
  • Fidelização
  • Competitividade
  • Variedade
  • Confiabilidade

Não cometa o erro de achar que é algo para ser gerido com menos pulso. Pelo contrário, ter uma loja física, virtual e estar em um mercado demanda do gestor uma capacidade de controle e planejamento intenso com estoque, prazos, qualidade e atenção com o cliente.

Lembre-se que a internet da voz para todos, e essa voz tem o poder de se alastrar com muita facilidade. Qualquer deslize durante o processo de venda não pode apenas fazer um cliente frustrado, como também uma queda nas notas de avaliações.

Essa queda pode fazer com que os clientes possíveis não queiram correr o risco de comprar com a sua marca, e sabe o quanto esse tipo de falha pode prejudicar sua empresa. Foque no gerenciamento de vendas e, se necessário, usar integradores para manter suas informações de ERP e controlar de forma eficiente seu estoque, seus prazos e pagamentos.

Escolha os marketplaces conforme o seu portfólio, comportamento do seu público-alvo, e leve em conta, principalmente, como taxas de comissões e as margens de lucros mínimos e máximas de seus produtos.

E, se você puder, participe de mais de um marketplace. Você pode dobrar o poder de alcance de sua marca e atrair novas conversões.

Mas, como falei, atente-se para o gerenciamento dessa ferramenta. Itens que demandam mais atenção:

  • Fluxo de Caixa
  • Prazos de despacho e entrega
  • Precificação
  • Estoque
  • Contato direto com o consumidor

Existem facilitadores no mercado, e ter um diálogo com o seu gerente dentro do mercado pode facilitar – e muito – alguns dos itens acima.

E você? Já participou ou ainda participa de algum marketplace? Obteve bons resultados? Deixe um comentário.

Obrigado por ler até aqui!

Compartilhe