Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

O Que Fazer se os Resultados de Busca do Site Não Sobem?

thinking

Isso acontece o tempo todo.

Você faz várias tentativas. Investe tempo e dinheiro, mas praticamente não vê resultados.

Não, eu não estou falando daquelas máquinas caça-niqueis de cassino. Estou falando de rankings de busca.

Às vezes nada funciona. Você passa o tempo todo cuidando do SEO, mas os resultados de busca não sobem de jeito nenhum.

Eu vejo esse problema constantemente. Muitos dos meus clientes ficam atônitos porque não conseguem descobrir o que estão fazendo errado.

Eu mesmo sei como é desanimador passar horas usando técnicas white hat só para ter pouco ou nenhum resultado.

Essa é a natureza do SEO.

Às vezes você faz tudo certo e tudo funciona como deveria. Outras vezes, você faz tudo certo e nada acontece.

Mas eu tenho boas notícias.

Se os seus resultados de busca não sobem, existem algumas coisas que você pode fazer para ganhar posições nos SERPS. Isso é totalmente possível.

Hoje vou te mostrar exatamente o que fazer para que os seus rankings subam.

Não posso prometer que isso vai ser fácil. Mas se você fizer esse trabalho, realmente vai ver resultados.

Assim, se você está preocupado com seus rankings baixos, estou aqui para te dizer que isso não é necessário.

Sem mais. Vejamos as minhas técnicas favoritas para resolver a situação quando os seus resultados de busca não sobem.

Analise sua estratégia de SEO atual

É inacreditável quantas vezes isso acontece comigo.

Eu converso com um cliente e ele me conta que está enfrentando um grande problema com SEO.

Eu examino a estratégia de SEO dele… e encontro várias lacunas.

Isso é muito comum, porque o SEO é bem abrangente. O universo do SEO vai da criação de conteúdo a arquivos robots.txt.

Assim, é fácil entender por que isso acontece. E também é muito fácil corrigir o problema.

Eu recomendo que você escreva todos os detalhes da sua estratégia de SEO atual. Depois, compare-a a um guia, como o Quick Sprout’s Advanced Guide to SEO.

Se perceber que faltam algumas coisas na sua estratégia, comece a adicioná-las.

Outra boa técnica é seguir os 8 passos desta estratégia de SEO do Moz:

Confira se a sua estratégia tem todos esses componentes.

Se sua estratégia estiver boa, é hora de acionar seu arsenal.

Aqui estão algumas das minhas melhores e mais incomuns dicas de SEO, para te ajudar a resolver a situação quando os resultados de busca não sobem.

Além de tudo, ao aplicar cada uma dessas táticas, você vai contribuir para o SEO geral do seu site, o que sempre é bom.

Faça um upgrade para HTTPS e/ou HTTP/2

Eu já escrevi sobre isso anteriormente, mas vale a pena mencionar aqui.

Recentemente, o Google tem tomado providências para garantir uma experiência de usuário excelente. E isso envolve em parte a segurança.

Se o endereço do seu site começa com HTTP, ele não é considerado seguro.

Por outro lado, sites HTTPS são identificados como seguros, e assim os visitantes podem ver claramente que o site é confiável.

No Google Chrome, o texto do lado esquerdo da barra de endereço (geralmente o nome do site) fica verde, e você vê um cadeado. Outros navegadores usam convenções similares.

Por exemplo: se você visitar o PayPal usando o Chrome, vai ver o texto verde e o cadeado:

Isso é basicamente o certificado de autenticidade do Google. E todos os dias, milhões de pessoas confiam nesse sistema para julgar se um site é legítimo ou não.

Mas há ainda mais.

O Google também eleva os rankings de sites com HTTPS. Não é um aumento enorme, mas ajuda.

Ao pesquisar isso, Brian Dean constatou que o HTTPS é moderadamente correlacionado com rankings mais altos.

Tudo isso é mais do que razão suficiente para fazer a transição para HTTPS.

Isso não é estritamente necessário, mas o HTTPS é considerado por muitos uma melhor prática, e por isso é uma boa ideia fazer essa alteração.

E o Valet.io divulgou que o Google vai estabelecer ainda mais penalidades para sites não criptografados.

Adicionalmente, considere usar o HTTP/2. Ele é um update do HTTP que ajuda a aumentar a velocidade do site, o que por sua vez melhora o SEO.

Se você acha que essa atualização não é necessária, repense isso. Sean Allen, do Twelve Three Media lembra que o HTTP/1.1 (o tipo mais comum atualmente) existe desde 1999. Uau.

Se estiver interessado em configurar o HTTP/2, leia este artigo. Se você não tiver conhecimentos técnicos, talvez tenha que contratar alguém para fazer essa alteração.

Verifique se você realmente é amigável para dispositivos móveis

Acho que esse é um conceito que literalmente todos os especialistas em marketing e SEO e proprietários de sites devem conhecer.

Você já deve ter adivinhado isso, ao ver a frequência com que eu publico artigos sobre este tema.

Todos os dias eu vejo sites que se declaram amigáveis para dispositivos móveis. Na realidade, esses sites são apenas mais ou menos amigáveis.

Vou te mostrar o que eu quero dizer com isso.

Fonte: Shoutmeloud.com

Esse site para dispositivos móveis não é ruim, mas não está tão otimizado quando poderia ser. Ele parece a versão para computadores em miniatura.

Compare isso à versão móvel do site do Lean-Labs.com:

Fica bem claro que esse site é destinado a usuários de dispositivos móveis.

Com um conveniente menu hambúrguer em um canto e conteúdo adaptado para dispositivos móveis, esse é um grande exemplo de um site realmente responsivo.

Ter um design genuinamente responsivo vai aumentar muito sua taxa de engajamento em dispositivos móveis .

Mas isso não é o fim da história. Não basta ser responsivo para que um site seja amigável para dispositivos móveis.

Você precisa pensar mobile em cada aspecto do seu site.

Conteúdo, por exemplo. Alguns conteúdos são bem escritos mas ficam terríveis quando exibidos em ambientes móveis.

E pior ainda, a maioria dos conteúdos não é escrito com os usuários de dispositivos móveis em mente. E isso afasta definitivamente muitos dos seus visitantes.

Pense nisso: talvez seu leitor médio veja o site em seu smartphone, durante um intervalo ou no caminho para o trabalho.

Em poucas palavras: se o seu site não se adaptar aos usuários móveis, você vai perdê-los. E a maioria das pessoas está navegando na Internet com dispositivos móveis. 

Eu sei que isso soa meloso, mas o mobile deve ser sua forma de vida. Ele deve ser sua maior prioridade quando se trata de design.

Assim, mesmo se você achar que o seu site é amigável para dispositivos móveis, olhe para ele mais uma vez. Pode ser que existam algumas falhas que impedem o seu site de arrasar em ambientes móveis.

Mergulhe no SEO técnico

A expressão “SEO técnico” assusta muita gente. Aliás, até eu fico assustado!

Mas isso é superimportante para ter bom ranqueamento.

Já lidei com muitos clientes que tinham focado no SEO mas faziam muito pouco SEO técnico. E como resultado, os sites deles muitas vezes tinham dificuldade para subir nos SERPs.

Se você está redobrando seu esforço com SEO mas os resultados não sobem, talvez o problema seja a falta de SEO técnico.

Existem três categorias principais de SEO: on-page, off-page e técnico.

SEO on-page e off-page são os tipos que você vê com mais frequência.

Por outro lado, o SEO técnico não tem relação com o conteúdo da página. Isso significa nada de palavras-chave, otimização de página ou backlinks.

O SEO técnico lida com questões como velocidade do site, adaptação para dispositivos móveis e sitemaps HTML/XML.

Existem algumas técnicas de SEO técnico que são conhecidas pela maioria das pessoas. Mas outras são ignoradas. E é sobre elas que eu quero falar aqui.

Dados estruturados

Apesar de escrever muito sobre isso, eu ainda sinto que mais pessoas precisam aprender sobre esse tema.

Usar dados estruturados, também conhecido como marcações schema, pode te dar uma vantagem enorme sobre outros sites.

Os dados estruturados basicamente dizem aos robôs dos mecanismos de buscas o que todos os elementos do seu site significam.

Quando um mecanismo de busca rastreia um artigo em seu site, ele não sabe o que está vendo. Você precisa dizer isso a ele.

No nosso exemplo, os dados estruturados dizem ao mecanismo de busca que ele está rastreando um artigo.

Inserir dados estruturados é muito fácil com o Structured Data Markup Helper do Google:

Se quiser ler mais sobre dados estruturados, veja meu artigo sobre como usar esse recurso.

Ele pode parecer assustador no início, mas é mais fácil do que parece. Não tenha medo de experimentar.

Evite conteúdo duplicado

Não é segredo para ninguém que o Google detesta conteúdo duplicado.

Mas o que exatamente conta como conteúdo duplicado?

A maioria dos meus clientes acha que publicar guest posts antigos em seu site conta como conteúdo duplicado.

Talvez você fique surpreso ao ouvir que o Google não se importa com isso. Em vez disso, ele se preocupa mais com problemas de SEO técnico. E muitos sites não lidam bem com isso.

Os principais problemas são relacionados à estrutura de links.

Veja esta URL do IKEA.

Parece bem simples, certo? Isso é o que você veria se fosse ao site do IKEA e fizesse uma busca com as palavras Smart Lighting.

Agora veja esta URL:

É a mesma página, mas a URL é diferente.

Por que será? O segundo link foi enviado em uma campanha de email. (Veja como a URL termina em “mailing”).

Ou seja, o IKEA tem dois links diferentes que levam à mesma página. Em termos técnicos, isso é considerado conteúdo duplicado.

Talvez o usuário casual não veja nada, mas os mecanismos de busca podem penalizar um site por fazer isso.

Será que isso significa que você precisa deixar de rastrear emails, monitorar campanhas e usar outras estratégias que envolvem conteúdo duplicado? De jeito nenhum.

Existem formas de fazer isso que preservam a integridade do SEO do seu site.

Primeiro você precisa encontrar os conteúdos duplicados. Eu recomendo o Siteliner para fazer isso.

O Siteliner vai varrer seu site e fornecer resultados detalhados mostrando quanto conteúdo duplicado você tem e onde ele está localizado:

Para resolver problemas com conteúdo duplicado, você vai usar um recurso chamado canonical tag.

Não se preocupe, você não vai precisar de muito conhecimento de programação para usar isso. Mesmo pessoas sem conhecimentos técnicos, como eu, podem usar a canonical tag facilmente.

Talvez você já tenha visto a tag rel = “canonical”. Ela é muito popular no mundo  do SEO.

Se você ligar essa tag a um link, os bots dos mecanismos de busca vão saber que esse link é a URL que tem preferência.

Por exemplo: talvez você tenha uma página chamada https://exemplo.com/artigo. Os usuários também podem acessá-la através de https://exemplo.com/artigo&12334.

Se você usar a canonical tag em https://exemple.com/artigo, esse link será considerado a URL ideal para navegação.

Em outras palavras, é essa versão do link que vai aparecer nos SERPs.

Agora que os mecanismos de busca sabem que você tem várias versões desse link, eles não vão considerar isso conteúdo duplicado.

O Google facilita isso com uma página de suporte dedicada a te ajudar a utilizar a canonical tag corretamente.

Existem outros passos que você pode tomar para garantir que não tem conteúdo duplicado:

Você pode ver uma lista completa aqui.

Prevenir conteúdo duplicado é muito fácil se você for proativo, mas pode se acumular e criar uma dor de cabeça se você não agir.

Sempre que precisar de conteúdo duplicado, use a canonical tag desde o início para não ter que fazer isso depois.

Facilite o rastreamento e o indexamento

Os processos de rastreamento e indexamento de páginas são cruciais para o SEO. Todo mundo sabe que os mecanismos de busca devem poder examinar seu site inteiro de forma fácil e rápida.

Mas as formas de influenciar o rastreamento e o indexamento não são óbvias. Assim, vou te dar alguns conselhos especializados para ajudar.

Vamos começar com um fato surpreendente.

Você sabia que você pode pedir ao Google para indexar seu conteúdo?

Essa função é legal e não é tão usada quando deveria ser.

Basicamente, você vai submeter seu conteúdo ao Google. Isso pode levar o seu site a ser indexado mais rapidamente do que o normal, apesar de isso nem sempre acontecer.

O Google permite que você submeta vários tipos de conteúdo:

Normalmente, você vai usar a ferramenta Submit URL para alertar o Google sobre uma nova página no seu site.

Essa ação manual vai notificar o Google sobre a nova página e solicitar a indexação.

Isso funciona quando você tem uma página nova. Mas e se você tiver um link antigo (sua homepage, por exemplo) e quiser direcionar atenção para ele?

Bem, você também pode pedir ao Google que rastreie páginas novamente. Não é incrível?

Apesar desse processo nem sempre ser muito rápido, ele aumenta muito as chances de melhorar a posição da sua página nos SERPs.

Você pode fazer isso facilmente a partir do Google Search Console.

No Search Console, vá a Crawl > Fetch as Google, no menu lateral esquerdo.

Nessa página você pode escolher entre ver a versão para computadores ou para dispositivos móveis. Isso pode ser muito útil se você já estiver pensando mobile (e você deve estar.)

Após escolher entre as versões desktop e mobile, insira a URL que você deseja simular na caixa. Caso você queira ver a homepage, deixe a caixa em branco.

Depois, clique em “Fetch.”

Você verá a simulação em uma tabela, junto a todas as outras feitas anteriormente:

Clique em “Request Indexing.”

Na próxima tela, você terá que fazer uma escolha importante. Você tem duas opções:

  1. A) Pedir ao Google que rastreie mais uma vez apenas a URL especificada.
  2. B) Pedir ao Google que rastreie mais uma vez a URL especificada e todos os links na página.

Na maioria dos casos, você deve escolher a opção A.

Selecione a opção desejada e clique em “Go.”

O Google diz que normalmente leva “vários dias” para rastrear mais uma vez uma página. Apesar de isso parecer bastante tempo, esse método é na verdade mais rápido do que outros.

Outra forma de facilitar o rastreamento e o indexamento é remover erros de rastreamento.

Você pode ver todos os seus erros de rastreamento ao abrir o Google Search Console e ir até Crawl > Crawl Errors.

Alguns dos erros mais comuns são os erros DNS, 404 e de servidor.

Aqui está um guia do Moz que te acompanha ao longo dos passos para corrigir todos esses erros comuns.

Após consertar tudo, volte à página Crawl Errors e marque as URLs como corrigidas.

Isso vai garantir que o Google saiba que os seus links foram corrigidos com sucesso.

Conclusão

Se os seus resultados de busca não sobem, não desista ainda.

Mesmo que você ache que nada vai ajudar, experimente essas técnicas.

Você provavelmente não vai precisar refazer toda a sua estratégia de SEO. Em vez disso, você pode fazer alguns ajustes para ter os resultados que deseja.

Lembre-se: você só deve utilizar esses métodos depois de já ter tentado de tudo. Não comece com essas táticas – elas devem ser o último recurso.

Como eu mencionei, visite este guia do Moz e verifique se a sua estratégia atual é realmente sólida.

Mas se mesmo assim seus resultados de busca não sobem, vá em frente e use as técnicas que eu compartilhei aqui.

Já usei algumas delas para retirar alguns clientes do fundo do poço, e na maioria das vezes elas funcionam.

Claro, seu objetivo final deve ser ter uma estratégia de SEO tão boa que você não vai precisar usar nenhum desses métodos.

Você vai usar alguma dessas técnicas para resolver situações em que seus resultados de busca não sobem?

Compartilhe