Introdução: Guia Como Fazer Uma Introdução Incrível do Início ao Fim

introducao o que é

Você gostaria de criar textos que prendem a atenção do leitor logo na introdução?

A introdução dos seus artigos é um momento-chave.

Já ouviu a expressão: “a primeira impressão é que a fica?”

Se o seu leitor não tiver uma boa impressão, ele também não ficará no seu texto.

Por isso, é fundamental aprender a utilizar as técnicas certas para chamar a atenção do usuário e o mais importante, deixar claro e rápido sobre o que seu artigo trata.

Uma introdução forte começa com um título matador. E eu já falei sobre isso neste outro artigo.

Veja esse guia completo de como construir um título arrasador para o seu post. Saiba como lançar um isca poderosa para os seus leitores!

Ao redigir textos que prendem a atenção, o seu site dará sinais ao Google que o seu conteúdo é engajador.

Isso significa melhores posições no Google, mais tráfego, mais conversão e mais clientes!

Se você deseja crescer o seu negócio na internet, então continue lendo para aprender a fazer introduções incríveis.

Caso tenha alguma dúvida, deixe um comentário no final da página.

Boa leitura!

Como Fazer Uma Boa Introdução

ideias-introdução

O principal objetivo ao formular um post, é que o leitor absorva a maior parte do seu conteúdo. Entretanto, se ele clicar em um título arrasador, mas se deparar com uma introdução confusa, ambígua ou incoerente, ele não ficará lá por muito tempo.

Escreva uma introdução que represente fielmente o conteúdo do texto. Seja breve e direto. Incite emoções ao seu leitor, como alegria, surpresa e medo.

Faça promessas que serão cumpridas no decorrer do texto.

Uma boa introdução deve conversar diretamente com o título e com o desenvolvimento do seu texto – embora não pertençam a um mesmo bloco de informações.

Introduções e desenvolvimento são camadas do texto. Não trate um como se fosse continuação do outro, afinal, cada parte do texto tem sua função muito bem determinada.

O título é a primeira coisa que as pessoas observam em uma página. É a sua primeira impressão para os leitores!

Segundo o Copyblogger, aproximadamente 8 em cada 10 pessoas leem o título. No entanto, é muito importante lembrar que não é o título que faz com que elas continuem lendo um post.

Isso é função da introdução. Se a sua introdução é fraca, ela irá desencorajar o leitor a continuar lendo – mesmo que o título seja cativante.

Como um blogueiro e profissional de marketing de conteúdo, você já sabe como escrever títulos poderosos e atraentes – sem dúvida, você já leu artigos neste blog e em inúmeros outros, correto?

Mas, quantas vezes você já viu um guia sobre como escrever introdução em blog?

Pois é, talvez você esteja subestimando a introdução dos seus textos.

A introdução é um dos fatores que demandam mais atenção dentro do marketing de conteúdo.

Não há dúvida de que postar em blog pode lhe ajudar a construir um negócio online que se torne um case de sucesso. De acordo com o FactBrowser, “profissionais de marketing B2B que usam blogs, geram 67% mais leads por mês do que aqueles que não usam”.

Uma ótima introdução em blog lhe ajuda a atingir esse objetivo.

Recebo, diariamente, vários e-mails de clientes e leitores que leem e estudam uma grande quantidade de conteúdo sobre títulos. Agora, eles querem aprender como produzir uma melhor introdução para seus posts.

Você, que me segue de perto, sabe que eu contribuo para vários blogs de empresas nacionais e internacionais. Sempre separo um tempo significativo para aperfeiçoar a introdução, pois sei que é isso que faz com que as pessoas continuem lendo meu conteúdo.

Eu não posso publicar postagens com uma introdução fraca, generalizada ou entediante. É um risco que eu jamais correria.

O Que é Introdução

Vamos começar com a dúvida mais básica.

O que exatamente é a introdução de um texto?

Algumas pessoas acreditam que seja um breve resumo, uma parte repetida de trechos do texto ou, até mesmo, um resumo do contexto histórico.

Suponha que o seu texto seja sobre internet e seus benefícios, e você decide fazer uma introdução assim: “Em 1920, foi uma época de muita censura e bloqueio criativo… “

Percebe o quanto de tempo você vai ter que gastar para chegar, definitivamente, ao assunto de interesse do leitor?

Não caia nesse erro! A introdução é um pedaço importante e deve conter informações úteis, assim como no desenvolvimento do texto. Afinal, você quer que o seu leitor se interesse e leia o texto por completo.

No jornalismo, a introdução se refere ao lead (não é o mesmo lead do marketing digital, ok?) ou “lede”, que significa o parágrafo de abertura de uma notícia, redação ou artigo.

Para os blogueiros, a introdução é, basicamente, o primeiro parágrafo que aparece logo abaixo do título.

Dependendo do design do blog, a introdução aparece acima da barra de rolagem (a parte que os leitores vêem logo quando acessam o blog, sem rolar a barra para baixo). Ou logo abaixo da imagem principal.

introdução print

Você deve estar pensando que a introdução da postagem tem um impacto muito significativo nas chances de conversão, certo?

Sim, e você está correto!

Formule uma introdução que seja instigante, informativa, organizada, coerente e que estimule a leitura. Eu posso lhe garantir que o seu leitor ficará empolgado em permanecer na sua página.

Importância de Escrever Uma Boa Introdução 

introducao-importancia-de-escrever-uma-introducao

Bom, se você ainda não se convenceu da relevância de uma introdução bem formulada, preciso lhe mostrar mais alguns pontos.

O mundo é digital, e escrever é uma das ferramentas mais fortes na comunicação atual.

Quantos e-mails você recebe e envia por dia? A sua empresa está online? Quanto de conteúdo a sua equipe formula para posts, embalagens, e-mail marketing, convites e textos publicitários?

Percebe que a redação que você aprendeu no colégio está presente, diariamente, na sua vida como empreendedor?

Você pode até imaginar que a escrita é para grandes profissionais ou pessoas com um dom, e eu garanto que esta afirmação não corresponde à realidade!

Ler, estudar e praticar é o que você precisa para ser um expert em textos para blogs. Comece então com a introdução e garanta que o seu leitor permanecerá na sua página.

Tenho como prioridade fornecer o conteúdo mais valioso que posso aos meus clientes, mas eu preciso que eles consigam chegar a essa informação.

Invisto meu tempo e estudo para formular textos que não só atraiam, mas que conquistem meus clientes.

Com um título arrasador e uma introdução rica e atrativa, consigo convencer o meu cliente de que tenho um conteúdo de alto valor para fornecer!

Faça isso e você conseguirá converter uma ótima porcentagem de visualizações em clientes fiéis!

Como a Introdução Afeta a Experiência do Leitor

introducao-precisa-chamar-atencao

É responsabilidade da introdução deixar claro ao leitor que você vai resolver o problema dele. Ou seja, que o seu texto tem coerência, tanto com a frase de chamada, quanto com o título.

Se ele perceber que a introdução foge ao tema de interesse, ele não ficará na sua página e, muito provavelmente, será audiência para os seus concorrentes.

Quando montamos uma introdução breve, estimulamos o leitor a querer mais. Se for clara e organizada, ele ficará mais disposto a ler o conteúdo completo.

A introdução permite que você dispare gatilhos emocionais – incite alegria, raiva ou apreensão. E sabemos que nada desperta mais curiosidade dos leitores do que esses sentimentos.

Mesmo que o sentimento não seja exatamente bom, como o medo, por exemplo, ele será impulsionador.

Contar um dado sobre o número de cachorros abandonados pelos próprios donos, vai gerar, em muitas pessoas, um sentimento de raiva – o que pode ser muito bom se você estiver escrevendo um artigo sobre adoção responsável, por exemplo.

Afete positivamente o leitor e cative-o nos primeiros parágrafos do seu texto. O “positivamente” não está relacionado a sentimentos bons e ruins, mas a eficiência em despertar a curiosidade!

Se ele passar da introdução, a probabilidade de absorver o seu conteúdo de valor é muito maior, correto?

Elementos da Introdução

introducao-elementos

Bom, em assuntos detalhados, como construção de texto, eu gosto de separar os elementos, para que você consiga entender o passo a passo.

Dessa forma, você construirá algo forte e útil a longo prazo.

Vamos lá!

Gancho

Pense no significado literal da palavra gancho. É algo que serve para puxar alguma coisa, certo? Dentro da introdução ele tem a mesma função. 

Você pode formular uma sentença que conduza o leitor durante o seu texto. Pode ser uma pergunta ou uma afirmação que seja informativa, mas que instigue a curiosidade dele. É sempre a frase mais marcante da introdução, muitas costumam virar, até mesmo, um bordão, por exemplo:

“Nesta cidade todo policial tem que escolher: ou se corrompe, ou se omite ou vai para a guerra” – Introdução do Filme Tropa de Elite 1

Transição

A transição é a parte que vem depois do gancho, quando o leitor já recebeu o estímulo para prestar atenção ao texto. Nesta parte, você deve explicar o título do texto e fazer uma conexão com o desenvolvimento.

Nela, você deve citar os itens que serão abordados em cada parágrafo. Prefira seguir a ordem que esses argumentos serão dispostos no texto. Essa organização facilita a leitura, e estimula o leitor a utilizar o seu texto em artigos próprios.

Vamos supor que o exemplo do item anterior pertencesse a introdução de um texto sobre a ação dos policiais no Rio de Janeiro. A transição poderia ser:

A guerra é contra o tráfico, o crime organizado e a corrupção instalada na sociedade brasileira. Há quanto tempo ouvimos falar de mortes de civis e policiais em confrontos armados?

Os policias possuem família, e os bandidos, fuzis. Nenhum lado vence, é um guerra que destrói, diariamente, toda uma nação. 

Tese

É a “conclusão” da sua introdução. Você deve citar o título e reiterar para o leitor a importância em prosseguir com a leitura. É um ponto decisivo, então seja assertivo sem forçar o leitor.

Nesta parte, é interessante usar palavras como “continue lendo”.Seja simpático com o leitor para que ele se sinta confortável com a sua introdução e queira continuar a leitura.

Para você conseguir visualizar a introdução completa, vou continuar no exemplo do filme Tropa de Elite. Ele em formato de texto poderia ter o seguinte título: Guerra civil no morro do Rio de Janeiro. E a tese da introdução seria:

Você não precisa ser carioca para se preocupar com a guerra civil instalada na cidade do Rio de Janeiro. Essa guerra é de toda a Nação. Continue lendo para saber como e onde tudo isso começou.

Afinal, Como Fazer Uma Introdução Impactante

introducao-como-fazer

Quando se trata de criação de conteúdo não existem fórmulas mágicas, mas existem testes, estudos e análises de resultados, onde você pode utilizar o Google Analytics

Tenho percebido – e não estou sozinho nesta avaliação – que uma boa introdução é extremamente organizada, coerente e cativante.

Existem alguns fatores que fazem com que esses resultados sejam possíveis.

Continue lendo para descobrir quais itens são essenciais para uma introdução cativante!

Mas, lembre-se: não existem fórmulas! Estude e leia muito, sempre!

Como Começar Uma Introdução

Quando pensamos em introdução de texto, vem à mente redações e artigos que precisamos, em algum momento da vida, formular para que outra pessoa avaliasse.

E, seja na faculdade ou no colégio, é necessário seguir uma padronagem. O texto não precisa ser algo inovador e genial, mas, sim, seguir uma organização e um modelo comum a cada contexto.

Quando falamos de blogs e textos publicitários, conteúdos de alto valor ganham pontos com os leitores, e a organização e padronagem são essenciais para a “limpeza”, o dinamismo e a fluidez da leitura.

Seja no post ou na redação, procure, inicialmente, delimitar o tema que será abordado em todo texto. Situe esse tema no espaço e tempo.

Quero citar um exemplo desse item, tanto na redação, quanto na postagem, para ilustrar a congruência entre eles.

Na redação, você optou pelo tema: Diferença salarial entre homens e mulheres no Brasil do século XX.

Percebe que o espaço (Brasil) e o tempo (século XX) estão bem delimitados?  

Dessa forma, você coloca o leitor no ambiente correto que você determinou para o texto. O mesmo é feito para uma postagem de blog.

Mas a linguagem, abordagem e o público-alvo serão outros.

Não esqueça que fazer algo correto academicamente não é o suficiente para cativar o seu público em uma postagem de blog.

É preciso ser criativo, conquistar o leitor e convencê-lo a continuar lendo sua postagem.

Tratar o seu texto como se fosse o cartaz de anúncio do seu produto pode ajudar a formular uma introdução cativante e misteriosa. Afinal, você quer que o leitor deseje o seu produto!

E ler o texto integralmente aumentará essa probabilidade, certo?

Apontar as Limitações do Seu Conteúdo Pode Aumentar o Engajamento

introducao-limites-min

Procuro alertar as empresas que assessoro a serem extremamente honestas com os seus clientes. E isso é visto de forma extremamente positiva por eles.

Afinal, criar um blog que conquiste a confiança do leitor é o que irá estreitar a relação dele com a sua marca.

No título e na introdução, costumamos fazer algumas promessas. Essa é uma isca importante para o leitor se interessar pelo restante do conteúdo, mas se você garantir uma total eficiência e não tiver como cumpri-la, o seu leitor ficará decepcionado.

E você não quer que o seu cliente em potencial tenha como primeiro sentimento a frustração!

Por exemplo, este texto tem como finalidade instruir como formular uma introdução mais cativante, mas deixei claro que não existem fórmulas mágicas, afinal, o sentimento humano é complexo.

Falar sobre a complexidade é apontar uma limitação para o conteúdo exposto. Quando uso essa técnica, trago o leitor para participar do conteúdo. Ele pode se identificar com a limitação ou sugerir algo que possa ajudar.

Afinal, a internet tem esse poder de troca de conhecimentos, e você falar de igual para igual fará com que o leitor se sinta à vontade para fazer essa troca e, com uma coisa que, teoricamente, seria negativa, você conquista o engajamento que todo mundo busca. 

Querer passar competência e perfeição, se distanciando do leitor, não é um posicionamento atrativo. Fuja desse erro!

Deixe Claro Quaisquer Hipóteses

Quando eu digo que organização é um ponto fundamental para a introdução, pode parecer algo tão básico que você não vai dar a devida atenção.

Mas esse ponto é fundamental para que você e o leitor não se percam.

Se você não organizar as ideias e os argumentos já na introdução do texto, a possibilidade de ser incoerente ou confuso aumentará consideravelmente.

Textos que apresentam hipóteses novas durante o desenvolvimento, sem antes introduzirem o tema, são comums e confusos.

Isso não é um item surpresa positivo para você, muito menos para o leitor. Ele pode ficar confuso e sem saber de onde aquela informação veio – e nós sabemos bem que deixar o leitor confuso pode gerar interpretações ambíguas e negativas para o conteúdo.

Exponha na introdução o que vai ser discutido posteriormente. Conduzir o leitor corretamente irá aumentar a eficiência da emissão da mensagem.

Entenda que a introdução deve cativar tantos leitores quanto for possível. E ocultar uma hipótese ou uma tese pode fazer com que você perca um leitor que precisava apenas daquela informação especifica.

Por exemplo, o seu texto fala sobre carros esportivos. Na introdução, você fala sobre como e onde começaram a ser fabricados e quais são as características gerais e, no meio do texto, resolve falar quais os modelos mais vendidos.

Mas você não alertou o leitor que isso seria abordado. Aquele possível comprador, que gostaria dessa informação para escolher o modelo de carro esportivo, vai supor que o texto não tem tudo o que precisa e fechará a aba do seu post.

Imagina se você é a marca de um dos modelos mais vendidos!

Vai ter que torcer para que o possível cliente encontre outra página que cite o seu carro esportivo. Percebe o risco que você corre por não elencar todas as hipóteses do seu texto?

Persona

Você vai perceber que fazer o esqueleto dos itens do seu texto fará com que a introdução fique mais organizada e pode esclarecer alguns pontos essenciais, como com quem você está conversando.

Ter a persona claramente desenhada facilitará muito a construção deste esqueleto. Ao construir um texto, você deve ter em mente quem está lendo.

Você pode pensar: “mas o meu público é diversificado, não falo com uma pessoa apenas”.

Sim, isso é muito comum. Mas você está construindo uma solução para o problema do seu público-alvo, e delimitar características comuns dentro do seu nicho alvo aumenta significativamente a efetividade de qualquer texto.

Saiba o que a persona busca, qual o problema que a sua empresa pode resolver para ela. Demonstre, na introdução do texto, que aquele conteúdo foi feito exclusivamente para essa persona.

Dessa forma, você consegue fisgar os leitores certos e construir uma maior afinidade do leitor com a sua marca.

Tema

Você já deve ter notado que a introdução serve como guia para o restante do texto. Leve esse fato muito a sério!

Perder-se durante o desenvolvimento do texto pode ser um fator determinante para o leitor sair da sua página. Trace o tema e de forma alguma fuja dele.

Em redações e dissertações, fugir do tema é um item desclassificatório muito forte. Na internet, também é um erro imperdoável. Você vai perder o foco e muito provavelmente o leitor!

A introdução tem por função básica introduzir o tema ao leitor. Perceba que, expondo desse jeito, sem um tema, a sua introdução não existiria. Todo o seu texto funciona para que o tema seja devidamente explorado.

Escolha o tema com muito cuidado e mantenha o foco desde a introdução até a conclusão da postagem!

Linguagem

Falei, algumas vezes, durante este artigo a respeito de artigos técnicos e textos de postagens. Apesar da introdução ser muito parecida em ambos, isso não necessariamente ocorre com a linguagem.

Lembre da persona que você criou. É com ela que você quer se comunicar. Trabalhar com a linguagem certa para a sua persona é fundamental para que a comunicação seja feita corretamente.

Se você está falando, através de um trabalho de conclusão de curso, com uma bancada de especialistas, a linguagem precisa ser mais técnica e formal, correto?

Agora reparem na introdução de um texto sobre economia, mas de uma publicação mais popular:

Esse tom da linguagem deve ser dado logo na introdução para que seu texto flua coerente e homogêneo. Crie a persona e entenda qual a linguagem correta para falar com ela.

Se você conseguir fazer isso adequadamente, as chances da sua persona compreender o texto, se identificar e se engajar com o seu conteúdo serão maiores.

Contexto

Hoje, com a internet popularizada, temos muitas formas de nos comunicarmos com o espectador.

Você pode construir conteúdo para vídeos do Youtube, para palestras, postagens em blogs, entre outros.

Este contexto deve ser levado em consideração na construção da introdução do seu texto.

Por exemplo, se você se esquecer do contexto e montar a introdução de um vídeo de tutorial de maquiagem como faria a introdução de uma palestra sobre o mesmo tema, muito provavelmente seu vídeo seria mais longo do que o recomendado.

Portanto, não padronize suas introduções. Lide com cuidado a questão do contexto da fala para não ser inconveniente ou ineficiente. Afinal, um vídeo longo e tedioso será fechado rapidamente, sem segundas chances.

Objetivo do texto

Ter um objetivo claramente traçado pode parece algo muito óbvio, mas acredite, muitos profissionais se perdem neste item. E você, com certeza, já viu textos feitos sem um objetivo sólido.

Duvida?

Bom, puxe na memória: você já leu alguma introdução vaga, sem muita informação agregadora e tão generalizada que poderia ser um texto sobre tinta acrílica ou sobre bolas de futebol?

O autor, provavelmente, foi movido pelo piloto automático e não traçou claramente qual era o objetivo principal daquele conteúdo.

Por se tratar de um quesito básico para o texto, este pode ser um dos erros mais desastrosos. Uma postagem sem objetivo não vai gerar engajamento e será esquecida rapidamente por quem ler.

Ao traçar o objetivo, procure deixar seu leitor ciente dele já no início, na introdução do texto. Ele precisa entender qual o seu objetivo com aquele conteúdo e se tem, de fato, interesse ou não em prosseguir com a leitura.

Um objetivo bem estruturado fará com que sua postagem atraia mais leads qualificados. Fazer essa seleção de forma natural é um benefício e tanto para a sua equipe!

Estratégia Para Criar a Sua Próxima Introdução

Como eu sempre costumo falar, não existem fórmulas mágicas quando falamos da reação do interlocutor. Uma campanha elaborada com muito cuidado pode ter um resultado desastroso se a sua persona tiver uma compreensão diferente da esperada.

Mas existem 6 estratégias que tenho usado na formulação das introduções dos meus posts, e os resultados de engajamento e conversão têm se mostrado extremamente positivos.

Comece Com uma Abertura Controversa

Um dos principais propósitos de postar em blogs é construir uma audiência que confia, acredita e compra de você.

Profissionais de marketing de conteúdo investem nestas postagens devido ao resultado que isso produz. Na verdade, muitos blogueiros acreditam que é o tipo mais valioso de marketing de conteúdo.

No entanto, o sucesso dos posts não está na quantidade que você publica e, sim, na qualidade. O título do seu post deve atrair as pessoas e elas precisam ser conectadas em seguida pela sua introdução.

Uma forma de conectar os leitores corretamente, depois de ter capturado a atenção deles com o título, é desenvolver um tópico controverso em sua introdução.

Mas, calma! Você precisa ser cauteloso com essa tática. Toda vez que usar uma controvérsia em seu título, introdução ou corpo do texto, tenha cuidado para não ofender sua audiência.

De acordo com o HongKiat, a controvérsia pode vender, mas utilizá-la é “um convite ao problema”.

A controvérsia pode ser uma força atraente, porém, você precisa usá-la da forma correta e sem exagerar. 

Se você fizer isso em todos os artigos do seu blog, a controvérsia perderá poder e relevância.

A essência de começar sua introdução com uma afirmação ou declaração controversa é conectá-la rapidamente com o leitor e prender a atenção dele.

É uma ótima forma de produzir engajamento em blog, claro, mas, e se seus leitores se sentirem ofendidos?

Para que isso não ocorra, você deve ser capaz de proporcionar explicações, respostas e esclarecimentos razoáveis ao tópico controverso.

Melhor ainda, faça o papel de advogado do diabo com integridade. Isso significa assumir o lado menos popular da controvérsia e utilizar fatos para suportar seus argumentos. Isso se resume em fazer a ponte entre a percepção e a realidade das pessoas.

Ao contrário do que muitos acreditam, você não precisa ser um escritor profissional para escrever conteúdo atraente.

Na verdade, é totalmente possível criar um conteúdo irresistível que converta ao abordar todos os elementos do seu conteúdo de forma aberta, sem barreiras. Em outras palavras, se coloque no lugar do leitor e veja as coisas com outros olhos.

Anteriormente, eu achava os tópicos controversos complexos e perigosos. Eu não queria escrever sobre controvérsia, pois não queria ofender alguém ou irritar meus leitores.

Porém, há dois anos, eu descobri que se você for cuidadoso, há grandes chances de bons resultados.

Tudo que você precisa é de um processo de 3 passos:

  • Identifique um tópico controverso;
  • Comece sua introdução utilizando-o de forma audaciosa;
  • Forneça provas para sustentar seu argumento.

Se você não tem certeza de como produzir um conteúdo útil a partir de um tópico controverso, comece pela introdução até ganhar confiança.

Independente de qual indústria você esteja, existirão tópicos controversos, eu garanto.

Por exemplo, na indústria de marketing por e-mail, estes são alguns dos tópicos controversos:

  • Personalização de e-mail
  • Segmentação de e-mail
  • Qualidade vs. Quantidade da lista de e-mail

Email

Por que estes itens são controversos?

Bem, nem todos os profissionais de marketing na internet acreditam que a segmentação de e-mail (o que significa dividir sua lista em grupos ou segmentos com base em onde eles estão na jornada de compra) é necessária.

Por outro lado, alguns profissionais de marketing dizem que vale a pena, pois melhora as taxas de abertura e de cliques.

Segmentação de e-mail não é simples. E a complexidade é ainda maior se você estiver usando um serviço autoresponder que não deixa a segmentação fácil.

Você terá que fazer tudo manualmente – o que pode levar meses, dependendo do tamanho da sua lista.

Será que você consegue estes benefícios sem segmentar sua lista?

Outra controvérsia na construção de lista de e-mail  é o debate “qualidade vs. quantidade”.

Isto é, de quantos inscritos você precisa antes de ser bem-sucedido com marketing por e-mail? Uma lista de 500 inscritos fiéis e engajados é realmente melhor do que uma lista de 10.000 inscritos não engajados?

Então, de volta ao nosso contexto: iniciar sua introdução em blog com uma controvérsia. Utilize controvérsias como essas em sua introdução mesmo que queira evitar escrever um post verdadeiramente controverso ou polêmico.

Se você sabe realmente o problema com o qual seu público-alvo está lidando diariamente, já está alguns passos à frente dos seus concorrentes que não sabem.

Então, por que não começar sua introdução em blog com isso?

Um exemplo: Pedir demissão para abrir um novo negócio é a melhor solução?

É um tema muito controverso. Você deve pedir demissão do trabalho e abrir um negócio, em vez de começar um negócio enquanto estiver no seu trabalho normal?

O problema de pedir demissão, para começar um negócio, tem sido bem difícil de resolver. Ainda mais nos dias atuais.

Vários autores expressaram suas opiniões a respeito.

Mas a verdade é que você ainda pode construir um negócio sem pedir demissão do seu trabalho. Existem inúmeras histórias de sucesso provando esse fato. Com certeza essa questão despertou sua curiosidade!

De vez em quando, eu descubro posts que começam em controvérsia e, quando eu acho, normalmente me sinto atraído a continuar lendo.

Às vezes, um tópico controverso pode ser aquele que os blogueiros aparentemente não querem falar a respeito. Eles têm medo de levantar esses tópicos, pois estão preocupados sobre como as pessoas irão entendê-los.

Sempre que você achar um tópico complexo, e que a maioria dos blogueiros não tem se mostrado disposto a escrever, agarre! Provavelmente você achou um bilhete premiado.

Então, a próxima vez que você escrever uma introdução, veja se consegue achar um ângulo controverso e comece com ele. Desde que consiga provar seu argumento e convencer os leitores, você se sairá bem.

Ofereça o “Porquê” do seu conteúdo

Uma vez eu vi um palestrante dizer que os consumidores não compram o produto – eles compram o “porquê” você o fez.

Por exemplo, se o seu produto ajuda pessoas a se livrarem do mau hálito, é com a razão por trás do produto que as pessoas se identificam.

Nessa mesma linha de pensamento, você pode atrair leitores ao oferecer o “porquê” do seu post. Por que as pessoas devem ler seu conteúdo, considerando que existem 2 milhões de posts publicados todos os dias?

Você tem uma razão forte por trás do seu conteúdo? Esse é o seu “porquê.”

O “porquê” de cada parte do conteúdo são os seus benefícios, por assim dizer. Podem existir muitas razões pelas quais as pessoas compram um certo produto, mas a razão mais convincente são os benefícios.

Benefícios conduzem sua mensagem e vendem seus produtos, enquanto as características enfatizam a composição do produto.

Uma das principais razões pelas quais os consumidores mudam para o concorrente é por acreditarem que você não se importa com eles. Seu conteúdo não oferece nenhuma informação útil antes ou depois que eles compram o produto.

Um recente estudo feito pela UffindellWest sobre a fidelidade dos funcionários descobriu que 70%  da percepção do consumidor em relação à marca é determinada pelas experiências que ele tem com as pessoas.

Em outras palavras, como ele é tratado ou os benefícios que ele adquire da marca são os grandes responsáveis pela fidelização do cliente.

exemplo-introduçao
O mesmo ocorre com a compra de carros.

De acordo com Charles Kurasky, da Selling Power, as pessoas não compram um carro para ter uma escultura bonita feita de ferro, plástico e vidro. Elas compram um carro para ir ao trabalho com segurança, viajar com conforto, impressionar ou para expressar seu bom gosto.

Como blogueiro, é fácil começar a introdução do seu artigo oferecendo o “porquê.” Vamos supor que você esteja escrevendo sobre “link building.”

Você pode começar desta forma:

Você já sabe que o Google utiliza backlinks para medir a autoridade de uma página de conteúdo. A verdade é que há muitas razões pelas quais as pessoas têm dificuldade de adquirir links de autoridade.

Percebe que já na introdução eu consigo vender o “porquê” do meu conteúdo? Faça isso sempre que puder. Esclareça ao possível cliente porque seu produto ou serviço existe e porque ele precisa daquilo!

Inicie Com uma História Inesquecível

introducao-inicie-com-uma-historia

“Histórias de marketing de marca de sucesso, que são consideradas interessantes, expressam a personalidade de uma persona em foco (o consumidor ideal da marca) ou alguém que a persona em foco se importa”, (Flora Richards-Gustafson).

Iniciar sua introdução com uma história inesquecível é uma ótima forma de atrair seus leitores. De acordo com o LinkedIn Technology Marketing Community, “57% do que faz um conteúdo ser atraente é a narrativa”.

A web é movida por conteúdo. É por essa razão que existem os buscadores, exatamente pela busca por conteúdos de valor. Na verdade, conteúdo é a razão pela qual a busca começa, em primeiro lugar.

Aprender como construir melhor o seu conteúdo lhe dará uma vantagem significativa sobre a concorrência.

Transmitir a sua personalidade em forma de história pode produzir um grande efeito no seu leitor. Afinal, uma história inesquecível atrai as pessoas. Gostamos de ouvir e contar causos – é natural do ser humano.

Não importa se a história for sobre você, seu meio ou sobre outra pessoa. Histórias evocam emoções e provocam discussões e pensamentos que podem ter um impacto duradouro nas pessoas.

A identificação com as histórias ajudam os consumidores a tomarem as decisões certas.

Seres humanos sempre adoraram histórias. Na Idade da Pedra, era por meio do folclore que as pessoas compartilhavam conhecimento. Contar histórias tem a ver com produzir um impacto e um carimbo na memória do outro.

E você não precisa nem despir sua alma ou contar todas as suas histórias de vida. Seja seletivo e estrategista.

Nós estamos vivendo na era da sobrecarga de informação. É preciso capturar a atenção do usuário ou outra pessoa irá.

Veja algumas das estatísticas esclarecedoras do HubSpot:

  • A cada 60 segundos, 700.000 buscas são conduzidas no Google.
  • Mais de 5,3 trilhões de anúncios online são exibidos a cada ano.
  • Um consumidor médio processa 100.500 palavras digitais por dia.

Uma forma de fazer com que seus consumidores se engajem com o conteúdo é mostrar resultados. A narrativa da introdução ajuda as pessoas a visualizarem o que você está pensando.

Nessa era de sobrecarga de informação, obedeça o mantra: “não fale, mostre”

A narrativa simplifica o assunto. Ela consegue quebrar o complexo em formas simples, facilitando, assim, a compreensão. No TED talk feito por Andrew Stanton da Pixar, ele disse: “não dê a eles 4, dê a eles 2+2”.

A maioria dos blogs de sucesso têm feito da narrativa uma estratégia fixa. Eles a utilizam com mais frequência do que os iniciantes que ainda têm dificuldades em formular uma introdução que engaje o leitor.

Você, como empreendedor, já teve que aceitar a importância de utilizar SEO, marketing por e-mail, marketing em mídia social, e assim por diante, para fazer a sua marca crescer.

Mas sabemos que seguir só o que os outros estão fazendo não trará destaque para o seu conteúdo.

A minha dica é: coloque personalidade através de narrativas. Você estará abrindo espaço para a amplificação do conteúdo!

Em outras palavras, as pessoas irão naturalmente compartilhar o post, pois ele capturou sua atenção de uma forma profunda.

E outra dica de peso: se você conseguir combinar o visual com a narrativa, as chances de fixar o conteúdo na memória de quem o lê aumentam. Você conduz rapidamente a sua mensagem, de forma profunda, na mente do usuário.

A Visa, um dos cartões de crédito mais extensivamente utilizados no mundo, identificou uma distância emocional entre seus consumidores e sua fidelidade.

Ciente da curta duração da atenção do consumidor, a Visa criou uma campanha simples, com apenas seis palavras: “To bean, or not to bean”.

A campanha correu por todos os canais sociais da companhia. No processo, a Visa inspirou influenciadores a compartilharem suas próprias histórias de seis palavras.

A empresa Visa observou uma dramática reversão nas tendências de fidelidade de marca dos consumidores. Sua pontuação de engajamento no Facebook aumentou de sétimo lugar para primeiro em “finanças” e subiu para segundo entre todas as marcas de estilo de vida.

E, mais especificamente, a campanha teve 284 milhões de impressões adquiridas – 5x mais do que a campanha anterior da Visa, que gastou 18X mais em mídia.

Da mesma forma que a narrativa funciona em anúncios, comerciais e em conteúdo visual, ela pode funcionar em posts de blog – especialmente quando você a usa para fazer um gancho dentro da introdução.

Faça com que os Leitores Concordem com Afirmações Óbvias

É claro que mais empreendedores estão utilizando o marketing de conteúdo para crescer. Essa é uma das estratégias que mais tem dado resultado.

Um estudo em conjunto feito pelo Content Marketing Institute e pelo MarketingProfs descobriu que 88% dos profissionais de marketing B2B do Reino Unido, em 2014, já utilizavam marketing de conteúdo em seus empreendimentos.

Essas são boas notícias, certo?

Mas a real preocupação deve ser quão bem o público-alvo recebe todo esse conteúdo. Pois, se eles não o receberem bem e não se interessarem em ler, é um investimento perdido.

Frequentemente os blogueiros abordam e escrevem sobre tópicos com os quais não são muito familiarizados. Isso pode ser arriscado, especialmente se eles não pesquisarem adequadamente sobre o tópico antes de expressarem sua opinião.

Isso pode até mesmo prejudicar sua reputação online – que é o bem mais precioso como blogueiro e deve ser protegido a todo custo.

O melhor conselho que eu posso dar é: escrever sobre os tópicos que você conhece bem e com os quais você já tenha experiência.

Esses são os tópicos sobre os quais você pode escrever com mais autoridade em seu conteúdo e persuadir os leitores a compartilharem isso com os amigos.

Quando as pessoas compartilham seu post, sua empresa pode entender como uma ajuda de alcance, mas a questão é muito mais profunda.

As pessoas que compartilham estão, na verdade, compartilhando as boas experiências que você entregou a elas no momento da leitura.

Essa ação pode ser inconsciente, afinal, o desejo de mobilizar os outros a lerem o seu post é interno, não externo.

Uma forma de dar a elas uma experiência melhor é fazer com que concordem com você logo de início, na introdução



Quando você começar seu post, imediatamente depois de construir um título forte, você pode fazer com que os leitores concordem com declarações óbvias.

Diga a eles o que eles já sabem e você estabelecerá, instantaneamente, uma harmonia com os seus leitores. Dessa forma, eles vão sentir que você entende de verdade o que estão passando.

Ninguém quer ouvir um amador. Como blogueiros e consumidores, nós nos animamos quando um especialista nos oferece ajuda.

Se você achar que está faltando uma ligação entre o seu conteúdo e o que o leitor realmente quer ver, tente começar a introdução do seu próximo post “afirmando o óbvio.”

Ao contrário do que muitas pessoas acreditam, afirmar o óbvio não significa que você é fraco ou sem criatividade. Essa tática, na verdade, ajuda o seu público-alvo a lhe entender melhor.

Muitas pessoas pensam que não são criativas (inclusive muitos dos seus leitores, provavelmente). De acordo com o Adobe, apenas 25% de nós acreditamos que estamos vivenciando nosso potencial criativo.

Então, ao adicionar algo novo ao seu post, você está ajudando o leitor a se perceber como uma pessoa criativa.

Por exemplo, se você quer escrever sobre um assunto que a maioria das pessoas conhece, como “marketing no Twitter”, você pode começar sua introdução no blog ao afirmar o óbvio, desta forma:

O Twitter é uma poderosa ferramenta de marketing de mídia social. A maioria dos profissionais de marketing o usa – e eu sei que você também. Você sabe que o Twitter pode lhe ajudar a construir um negócio online, em termos de geração de lead.

Mas eu quero levar isso um passo adiante e lhe mostrar uma fórmula de 3 passos que pode triplicar seus resultados de marketing no Twitter em apenas 90 dias.”

Você percebeu como essa introdução é óbvia? Eu simplesmente afirmei o que os leitores já sabem, mas eu fiz de forma prática e benéfica. Como?

  • Eu prometi compartilhar uma fórmula de 3 passos.
  • Eu dei um prazo de 90 dias.

Esses dois elementos persuasivos redefiniram a introdução – que era um tanto óbvia. Se os leitores, eventualmente, não lerem o post, você pode ter certeza que isso não é devido à introdução!

Entenda uma coisa: criação de conteúdo de sucesso se resume a ilustrar percepções poderosas sobre o que os consumidores ou leitores querem ver.

Seu post pode não fazer sucesso (porque o sucesso é relativo), mas ele pode ser valioso. É isso o que você deve buscar.

Não importa o que você estiver escrevendo – um título, introduções, texto, benefícios dos produtos, críticas, texto de e-mail, ou qualquer coisa –, desde que você entenda verdadeiramente o que o seu público-alvo precisa!

Entenda o que acontece com o público e responda as perguntas dele sem ser chato ou arrogante e, dessa forma, eu garanto que seu conteúdo vai ser compartilhado.

Use uma Analogia, Metáfora, ou Parábola.

Se você quiser adicionar vida às suas introduções de postagens, a analogia correta pode fazer toda a diferença. As analogias mudam a perspectiva e afastam o tédio.

Para mim, a principal função da analogia é poder simplificar um assunto complexo.

Tanto a metáfora, quanto a parábola, são estratégias simplificadoras de discursos (escritos ou orais). É possível referir-se a a uma coisa em particular, mais simples, para conseguir explicar outra coisa, mais complexa.

A parábola nem sempre é uma comparação indireta. Ela utiliza palavras como “assim” e “como”. Por exemplo:

  • O escritor bebe como um peixe.
  • Aquele garoto é bonito como um modelo.

A metáfora, por outro lado, é, normalmente, uma comparação direta entre duas coisas. Por exemplo:

  • O espião é um fantasma. (isto é, “você nunca o achará”)

Dessas 3 importantes técnicas de escrita, a analogia é provavelmente a mais utilizada em títulos de post, introduções e desenvolvimento do conteúdo.

Eu utilizo analogia algumas vezes para introduzir meus posts. Mas lembre-se de explicar essa analogia no decorrer da postagem.

Utilize a analogia quando estiver escrevendo sua introdução e você conseguirá mais impacto na mensagem enviada!

É a “artimanha de escrita pouco utilizada que lhe faz mais poderoso, popular e persuasivo”, Glen Long, editor do Boost Blog Traffic.

Cite uma Estatística Chocante.

introducao-cite-uma-estatistica

Leitores adoram estatísticas!

Criar posts orientados por dados pode lhe ajudar a se destacar na multidão e a persuadir potenciais clientes a trabalharem com você.

O artigo que eu escrevi chamado “38 Estatísticas Sobre Marketing de Conteúdo que Todo Profissional Precisa Saber” foi um dos meus posts de maior sucesso, pelo menos até agora.

Ele gerou mais de 300 compartilhamentos e mais de 40 comentários.

Pense sobre o que profissionais de marketing B2B e B2C estão buscando no Google e em blogs. Você acha que eles procuram meramente por artigos para ler ou vídeos para assistir?

Não, eu não acredito nisso.

O que eles realmente buscam são resultados, comprovações e estatísticas. É claro: artigos, vídeos e outros tipos de conteúdo podem entreter, mas o objetivo principal é conseguir resultados ao ler qualquer conteúdo.

Estatísticas são a melhor forma de provar resultados!

Ao citar uma estatística chocante logo na introdução, você conquista os leitores e os conduz para dentro do seu post.

Vamos trazer isso para nossa realidade. Quando você lê blogs ou livros, não é porque quer melhorar de alguma forma sua vida, empreendimento, família, ou carreira?

Em poucas palavras, o que você está procurando não são realmente as palavras bem escritas do post ou os valores da produção do vídeo (embora ambos sejam importantes), mas os resultados, benefícios e propósitos que vêm junto com o conteúdo.

Em várias ocasiões eu citei estatísticas chocantes em meu título e na introdução.

As “estatísticas” não precisam ser apenas os dados dos experimentos que você mesmo conduziu, certo? Não tem problema nenhum em utilizar os dados e estatísticas de outras pessoas, desde que você coloque o devido crédito.

Você pode trabalhar com isso imediatamente. Em vez de começar sua introdução com palavras chave, frases ou sentenças comuns, por que não citar estatísticas e dar os devidos créditos?

Por exemplo, se você quiser escrever sobre “Como Criar uma Campanha de Marketing de Conteúdo Efetiva”, você pode começar assim:

“Você está pronto para conseguir resultados com marketing de conteúdo? Um estudo recente descobriu que 42% dos profissionais de marketing B2B se sentem, de alguma forma, eficientes em marketing de conteúdo.

A pergunta é: qual objetivo específico você quer atingir com a sua campanha de conteúdo? Separe um tempo para escrever um objetivo principal, pois este post lhe dará incentivo e ferramentas certas para atingir esse objetivo.”

Você consegue perceber que o estudo e a porcentagem refletem um profissionalismo e aumentam a credibilidade que você sente ao ler esta introdução? O seu leitor vê essa tática da mesma forma.

Portanto, use, sempre que possível, estudos seus e de terceiros para ratificar a informação que pretende enviar aos seus leitores e clientes.

Comece Com uma Pergunta Instigante

As perguntas certas sempre irão provocar a curiosidade por respostas. Em qualquer momento que você fizer uma pergunta, em sua introdução, a natureza humana irá compelir os leitores a continuarem lendo em busca da resposta.

Isso porque eles querem ver se as expectativas deles serão atendidas com as suas respostas.



No entanto, é melhor fazer perguntas em que as respostas sejam óbvias. Dessa forma, as pessoas não irão se confundir ou se desmotivarem com algo complexo ou incomum a elas.

A tática que costumo usar é fazer perguntas de identificação!

Como assim?

Bom, eu lanço uma pergunta retórica, com a qual o leitor possa se identificar, e deixo subentendido que posso solucionar isso durante o meu texto.

Por exemplo: Você gostaria de aumentar a sua taxa de conversão?

Para o leitor, que entrou por acaso, consigo despertar essa necessidade de aumentar a conversão, que talvez ele não tenha se atentado em investir.

Já, para os leitores que entraram no post com esse problema específico – que são exatamente a minha persona –, sugiro uma solução objetiva diante da questão exposta.

Além disso, tento sempre trazer o leitor para participar comigo do artigo, afinal, quando eu faço uma pergunta, ele a recebe e acaba respondendo-a, mesmo que mentalmente.

Digo sempre que fazer perguntas provocam o leitor. É uma forma eficiente de despertar emoções, um gatilho emocional de curiosidade, desejo e ansiedade.

Comece despertando estes sentimentos e o seu leitor não vai resistir à curiosidade de descobrir a resposta para a questão levantada.

Mas, lembre-se de não concluir a ideia. Você está tentando convencer o leitor a ficar no seu post. Se você lança o problema e já fornece a solução na introdução, ele não tem motivos para continuar com a leitura.

Estudos descobriram que fazer uma pergunta, de determinada forma, pode obter respostas tendenciosas e mudar o comportamento da pessoa que responde.

Descobri que, a cada vez que eu começo uma introdução em blog com uma pergunta, o número de comentários que eu consigo em 24 horas é normalmente mais alto comparado com quando eu uso outra técnica de introdução.

Não importa qual seja o assunto, você pode fazer sua introdução, em artigos para blog, de uma forma cativante, relevante e compartilhável.

Dicas Imprescindíveis Para Uma Ótima Introdução

dicas-introducao

Eu sempre digo que para formular qualquer tipo de conteúdo é essencial que você se coloque no lugar do interlocutor. Mas, entenda uma coisa: se colocar no lugar dele de uma forma que não seja empática, será inútil.

Não encare o texto no alto da sua profissionalização e capacidade. Saiba quem é sua persona e só assim você conseguirá produzir um conteúdo de alto valor e engajamento para os seus leitores.

Existem alguns itens padrões para facilitar essa conversa direta, franca e eficiente. Vamos lá?

Mantenha a Introdução Curta 

Você deve se lembrar do significado de introdução, certo? É, com o perdão da redundância, introduzir o assunto que será abordado pelo texto.

Se essa etapa for enorme e sem conteúdo interessante, fará com que seu leitor fique entediado e resolva não investir o tempo dele com o seu post. Sabemos o quão escasso é o tempo para a sociedade moderna.

Não estimule o seu leitor a fugir do seu blog!

Não vá para o outro extremo também! Uma introdução curta demais, vaga e muito concisa não irá despertar a curiosidade do leitor. Utilize todas as partes do seu texto para cativar o visitante.

Um texto de 1.000 palavras, por exemplo, pode ter uma introdução entre 6 a 8 linhas, ou seja, 2 ou 3 parágrafos. Mas, se ultrapassar de uma forma dinâmica, não se desespere. O meu alerta é sobre não entediar ou lograr seu leitor!

Defina o Problema a Ser Abordado

Outro item de alto valor dentro de todo texto é o problema da sua persona. E não confunda, em hipótese alguma, com o problema da sua empresa, certo?

Quando construímos um texto, possuímos um objetivo claro com ele: resolver uma questão que muitas pessoas têm e não sabem o que fazer.

Ao pesquisar e “conversar” com o seu público-alvo (por testes, formulários e muito estudo) você conseguirá levantar o problema que aflige essas pessoas. Como elas são, naturalmente, o nicho do seu interesse, o problema também será.

E, independentemente da área que sua empresa atua, se o seu público de interesse tiver um problema, faça o que for possível para resolvê-lo.

Por exemplo, sua empresa fabrica escovas de dentes e você percebe que a preocupação com germes e bactérias está crescendo. O problema, portanto, é esse: os microorganismos. O que você pode fazer para atendê-lo?

Minha sugestão: crie posts sobre cuidados com a escova de dente e formule um produto que proteja as cerdas da escova.

Perceba que, sabendo o problema do cliente, você consegue fidelizá-lo fornecendo conteúdo de valor, engajá-lo com as dicas e, com certeza, irá conseguir novas vendas com o produto lançado.

Mantenha a Introdução Organizada

Uma dica que costumo utilizar muito nas minhas postagens é criar um esqueleto do texto. Quais serão os objetivos, argumentos, itens abordados e etc. Isso me ajuda muito a formular uma introdução mais organizada.

Afinal, eu posso visualizar tudo o que será exposto e sei exatamente o que devo ou não falar na introdução. Uma dica importante da escola que você deve trazer para o texto é:

Monte frases, na introdução, que conversem diretamente com cada parágrafo do seu desenvolvimento!

Essa é uma estratégia adorada pelas bancas de provas de redação, afinal, você fornece para eles um mapa de onde encontrar cada argumento e cada resposta para as perguntas lançadas.

O leitor de uma postagem de blog também se sente confortável com essa coesão e organização, principalmente se ele estiver usando seu texto como estudo. Assim, ele irá saber, através da sua introdução, onde está cada item.

Fazer uma introdução que siga uma linha de raciocínio e prenda o leitor é uma ótima receita para manter esse possível cliente mais tempo na sua página!

Melhores Palavras Para Iniciar Uma Introdução

Bom, vou ser muito sincero com você, este é um dos tópicos mais controversos. Muitos professores ensinam formas mais adequadas de começar uma redação, tais como:

  • É de conhecimento geral que…
  • Cogita-se que…
  • Muito se tem discutido…
  • Muito se debate hoje em dia…

E eu considero frases muito boas, para uma introdução de redação, mas o texto publicitário, de campanhas e posts, possibilita que você use mais a criatividade.

Alguns blogueiros e redatores gostam muito de frases de peso, como:

  • É de fundamental importância…
  • É indiscutível que…
  • Ao analisar dados X…

Mas podemos ousar um pouco e trazer a parte do controverso também para o começo da introdução, usando a tática de refutação:

  • Apesar de muitos acreditarem que…
  • Ao contrário do que você imagina…

É possível ser criativo dentro de blogs e textos publicitários. Não existem formas exatas. E, mesmo se elas existissem, o meu conselho seria quebrá-las. Afinal, surpreender o leitor é uma das minhas estratégias favoritas!

Principais Pontos a Serem Abordados em Diferentes Tipos de Introdução

Bom, mencionei anteriormente que o contexto da fala é fundamental para você conseguir construir uma introdução coerente. É preciso levar em consideração qual o meio de propagação que será usado para espalhar a mensagem.

Abaixo elenquei alguns dos principais e quais itens você precisa ficar mais atento!

Introdução Para Vídeos

O Youtube é uma das redes sociais mais acessadas no país e a principal rede de compartilhamento de vídeos do mundo. Preste atenção a este tópico e procure inserir essa ferramenta na sua estratégia de marketing de conteúdo.

play video-min

Mas fique atento: não existe apenas um tipo de introdução para vídeos!

Você já reparou que muitos vídeos usam vinhetas e chamadas como introdução?

Pois é! Canais de games, moda e beleza utilizam esse método de introdução. Porém, vídeos de workshops, aulas e etc., mantém a introdução padrão. Mas, proporcionalmente, o tempo de leitura da introdução deve ser menor.

Vídeo é um formato rápido para propação do conteúdo. Quem procura esse tipo de meio quer algo dinâmico. Então, é válido expor a introdução cativante, mas de uma forma concisa.

Vale lembrar que introdução é diferente de vinheta, ok? Apesar de tutoriais e canais usarem os dois termos como sinônimos, são termos teoricamente diferentes.

Introdução Para Infográficos

Infográficos são informações contadas em um formato mais fácil e lúdico. Faça uma introdução breve e não confunda introdução com legenda.

infografico introdução

A introdução para infográficos deve narrar o tema que será abordado e vem, naturalmente, antes do quadro de infográficos. Já a legenda, normalmente, estará localizada depois e explicará pontos relatados no box.

Seja breve e use uma pergunta retórica para maximizar a importância dada às informações que serão apresentadas.

Introdução Para Vídeos de Vendas

A minha dica principal para a introdução de vídeo para vendas é: use dados impactantes. Afinal, resultados vendem! Essa estratégia vai prender o espectador de uma maneira positiva e eficiente. 

Dentre todos os formatos de conteúdo, este é o que a introdução deve ser mais chamativa e convincente. Afinal, a sua equipe está criando um conteúdo especificamente para vendas.

Introdução Para Apresentações

Essa introdução deve ser extremamente detalhada e informativa. Você, provavelmente, estará se comunicando com quem já tem um interesse em relação ao conteúdo narrado.

Seja detalhista, abuse de dados e estatísticas. É na introdução para apresentações que você deve transparecer o máximo de profissionalismo possível.

Quem está lhe ouvindo precisa acreditar que você é expert no assunto!

Exemplos de Introdução

Nada melhor para aprender sobre um assunto do que visualizar ele na prática, correto?

Então, quero citar alguns exemplos de introduções que considero eficientes dentro das dicas que abordei neste guia.

Clara, 7 anos, olhos castanhos e cabelos ondulados. Era uma menina doce, ativa e muito prestativa, mas ao caminhar para a escola, na manhã de quarta-feira, descobriu um caminho complemente novo que levou ela até outro lugar…

Você, provavelmente, ficou ansioso, preocupado e curioso para saber o final da história, certo? É o que uma introdução em forma de parábola ou narrativa consegue fazer com o leitor.

Mais de 97% das empresas estão no Facebook – uma das redes de maior engajamento na internet. Você, com certeza, não está fora desta estatística! Mas, será que faz isso da forma mais eficiente possível?

Neste exemplo, coloquei um dado estatístico e uma pergunta que pode afetar diretamente o leitor. Abuse dessas duas estratégias.

E, por fim, quero mostrar um exemplo de introdução real, de um site de investimentos.

Você sabia que o Tesouro IPCA foi considerado o melhor investimento dos últimos 10 anos?

O Tesouro IPCA+ é um título do Tesouro Direto que pode ser utilizado em estratégias de médio e longo prazo.

Trata-se um investimento seguro e se gerido de forma ativa, pode ser ainda mais rentável do que diversas ações da Bolsa de Valores.

Segundo publicação do Infomoney, nos últimos 10 anos, o Tesouro IPCA+ rendeu mais do que qualquer outra categoria de investimento. Veja o ranking.

Mas como um investimento de renda fixa pode trazer tanto retorno?

Simples. Você pode aplicar no Tesouro IPCA + esperando a valorização do seu título do Tesouro.

Se der certo, você ganha muito dinheiro. Caso não, basta levar até a data de vencimento para assim obter a rentabilidade garantida da renda fixa.

É um investimento que só traz possibilidades de ganho. Mas você precisa dominar a gestão ativa do Tesouro Direto e é isso que vamos ensinar neste artigo. Saiba o que é Tesouro IPCA+ e como ganhar dinheiro com ele.

Se tiver qualquer dúvida, deixe o seu comentário no final da página!

Boa leitura!

Considero este tipo de introdução um dos mais cativantes. O autor conquistou muitos leitores com uma pergunta retórica que disparou gatilhos emocionais. A introdução é extremamente organizada e coesa.

O redator conversa diretamente com o leitor, falando o que ele ouvir: a melhor rentabilidade.

E faz com que exista uma comunicação, não um monólogo. E, você notou que, discretamente, ele chama o leitor para se engajar em “deixe seu comentário”?

O tamanho da introdução corresponde a menos de 10% do texto – o que considero um tamanho ótimo. Não cansa o leitor e, em nenhum momento, existe informação descartável.

Essas técnicas estimulam o leitor a permanecer na página do seu blog!

A minha maior dica é: siga profissionais dos assuntos que lhe interessam, veja como eles formulam os textos. Leitura é sempre o melhor estudo!

Modelo de Introdução

Bom, como vocês já perceberam, eu procuro não passar fórmulas mágicas para nenhum assunto. Dou dicas e estratégias com as quais obtive resultados positivos.

Neste tópico, não será diferente. Quero passar um modelo básico de introdução, mas não use isso como uma corrente. Marketing de conteúdo tem muito mais a ver com criatividade do que com fórmulas.

Bom, vamos ao modelo!

A introdução de post deve ser formada por problema da persona, objetivo do texto, contexto, suposição da resolução do conteúdo, e informar brevemente o que você tem a oferecer neste texto. Mas, lembre-se: não entregue o jogo na introdução!

Estes são itens que não podem faltar dentro da introdução, mas existem outros menos objetivos que você precisa tentar alcançar.

Vamos desenhar uma introdução fictícia (dados e informações não reais) para entender melhor o planejamento.

Você é um professor particular de redação e deve fazer um texto de 1.500 palavras para ajudar o público-alvo a colocar as ideias no papel de uma forma eficiente.

Sua persona é Flávio, 29 anos, escritor e com bloqueios no trabalho por não conseguir organizar suas ideias.

Você gostaria de transformar as milhões de ideias que tem em textos de alto valor?

Pode parecer estranho, mas as pessoas mais criativas e inteligentes não sabem como organizar as próprias ideias em uma folha de papel.

Segundo o jornal El País, Está comprovado empiricamente, mediante alguns experimentos realizados na Universidade de Minnesota que, (…) as desordenadas, por sua vez, são mais rebeldes e muito mais criativas.

A explicação é que as pessoas criativas realizam conexões e precisam de estímulos para que isso aconteça. Se tudo está espartano e ordenado, não encontram o que conectar porque tudo corresponde a uma regra; está, digamos assim, “solucionado”, resolvido.

Apesar do caos ser positivo em alguns pontos da vida, dentro de um texto ele é inaceitável. Neste artigo, você perceberá que itens e subitens são os grandes aliados de um texto organizado e que é possível ser criativo e imaginativo sem descuidar da padronagem.

Vamos fazer uma avaliação desta introdução fictícia:

  • É uma introdução curta? Sim, 150 palavras para um texto de 2.000 representa menos de 10%;
  • A linguagem é adequada. É uma linguagem informal, mas feita para um profissional da área;
  • Tem uma pergunta retórica;
  • Tem pesquisas;
  • Tem citações;
  • Todos os itens que serão abordados no texto são citados;
  • É escaneável;
  • Faz com que o leitor se identifique logo de cara.

Este é um modelo bem simples, mas pode servir de base para a sua introdução. Faça um checklist do que considera importante para o seu texto e siga o planejamento.

Mas lembre-se que existem diversos tipos de textos e de meios de propagação. Respeite cada contexto.

Por exemplo, se o seu texto for científico, a introdução precisa conter qual metodologia foi usada na pesquisa e elaboração; se o desenvolvimento for uma lista, você precisa mencionar quantos itens serão abordados; e assim por diante.

Produzir um esqueleto do artigo e seguir alguns modelos podem aumentar a fluidez do seu texto, além de garantir que nem você, nem o leitor, se percam no caminho.

Próximos Passos

Tenho certeza que você já se sente confiante para construir uma introdução cativante, mas deve estar um pouco inseguro em relação ao que vem depois, certo?

A introdução precisa ser cativante e manter o seu visitante lendo o artigo, para que ele possa usufruir do conteúdo de alto valor que você produziu. Pode parecer estranho ter que convencer o leitor a receber algo útil, mas é isso que devemos fazer.

Afinal, ele não sabe se o seu conteúdo realmente é interessante. Isso ficará a cargo da sua argumentação.

Vou narrar rapidamente os pontos principais da formação de um texto para que você fique mais confiante na formulação do seu próximo artigo.

Não se esqueça de me contar nos comentários quais ações lhe trouxeram maiores resultados!

Introdução Desenvolvimento e Conclusão

Você já deve conhecer essa tríplice das redações de colégio: todo texto deve ter introdução, desenvolvimento e conclusão – exclusivamente nesta ordem.

E estas três etapas do texto devem estar muito bem delimitadas e precisam conversar entre si para que o texto tenha coerência.

O Que é Desenvolvimento

Bom, você já tem todas as dicas para fazer uma introdução excepcional. Se você conseguiu desenvolvê-la da melhor forma, com certeza, fazer o desenvolvimento será algo mais simples.

Uma introdução eficiente deixa o leitor ciente do que encontrará no texto. Cabe a você conseguir construir argumentos fortes e coerentes para convencer o leitor da proposta lançada.

Responda, de forma extremamente organizada, todas as perguntas que criou na introdução. Se você puder fazer um parágrafo para cada questão é melhor. Facilita para o leitor e deixa o seu texto visualmente mais atrativo.

Essa etapa do texto serve para validar o que você propôs na introdução e cumprir as promessas que deixou subentendidas. Não frustre o leitor com conteúdo sem valor!

Um dos erros mais comuns é linkar a introdução e o desenvolvimento como se um fosse continuação do outro. São fases, obviamente, ligadas, mas devem estar bem delimitadas.

Dicas fundamentais:

  • construa tópicos (H2) e subtópicos (H3);
  • desenvolva uma leitura leve, com parágrafos curtos e dinâmicos;
  • não tente preencher espaço com conteúdo de baixo valor.

Apresentei alguns dados básicos sobre a argumentação ou desenvolvimento do texto e vamos para um apanhado breve sobre a conclusão!

O Que é Conclusão

Algumas pessoas acreditam que a conclusão é só repetir ideias e pronto. Não cometa esse erro!

Se você fizer uma introdução brilhante, um desenvolvimento com argumentos fortes e coesos e uma conclusão rasa, vai ser a última impressão que ficará com o leitor.

É como se o leitor visse um filme maravilhoso, que roubasse a atenção e o carinho dele, mas que acabasse de uma forma indiferente – pobre ou sem emoção. Ele não vai indicar este filme para mais ninguém. Você não quer o mesmo para o seu texto, certo?

Construa uma conclusão agregadora. Deixe claro para o leitor a sua opinião e o que você sugere para o problema dele.

Lembre-se: a conclusão deve ser uma síntese do texto.

Dicas fundamentais:

  • Não repita tudo o que foi dito;
  • Não queira desenvolver argumentos novos, não é o espaço correto;
  • Feche todos os loops;
  • Chame o leitor para interagir com o texto (curtir, comentar, compartilhar, fornecer e-mail ou visitar algum outro post);
  • Retome alguns pontos que você considera essenciais.

Pronto! Você está munido de informações valiosas para construir um texto coerente, cativante e de alto valor!

Caso tenha alguma dúvida, deixe nos comentários!

Conclusão

introducao-conclusao

Existem muitos redatores e blogueiros na internet, e muitos não sabem como criar o tipo certo de conteúdo. Esse desconhecimento gera blogs e sites que não conquistam!

Eu posso garantir que muitos desses blogs têm potencial, principalmente se eles conseguirem formular títulos poderosos e uma introdução cativante, com conteúdo de valor.

Promover é o ingrediente definitivo para um blog crescer, mas se os posts não estiverem alinhados ao público-alvo certo ou não oferecerem valor, não há promoção que baste para salvar o blog. Ele ainda assim irá falhar.

Sabemos quais tipos de conteúdo geram mais engajamento:

  • Textos práticos e úteis;
  • Que provoquem emoções (exemplo: risada, medo, etc.);
  • Forneçam uma ideia positiva (ideias positivas são compartilhadas mais do que as negativas).

Para construir textos assim é imprescindível passar um tempo adequado pesquisando, escrevendo e revisando seu conteúdo. Não se apresse na sua introdução – você pode perder potenciais clientes nesse ponto delicado.

Continue aprendendo em nosso blog com esses outros guias:

Quanto mais irresistível sua introdução for, mais engajamento você criará com os leitores e consumidores.

Lembre-se de ser breve e cativar o cliente com uma pergunta que desperte algum sentimento.

Em textos para postagens seja um pouco mais ousado, traga controvérsias e ideias incomuns para debater com o leitor.

E, claro, seja organizado. Criatividade sem organização fará com que seu leitor fuja do texto rapidamente. A falta de organização também pode influenciar na coesão e no uso do seu texto por profissionais e estudantes. E desestimular pessoas da área a compartilharem e citarem seu artigo é um péssimo resultado.

A introdução pode parecer algo básico, mas neste texto você conseguiu perceber o quanto ela influencia em toda a cadeia de vendas. Um introdução cativante pode ser a isca perfeita para um leitor tornar-se um cliente fiel!

Você  ficou com alguma dúvida a respeito do tema? Quais outras estratégias você utiliza quando escreve sua introdução, em postagens de blog que produzem bons resultados?

Comente logo abaixo com sua opinião!

Compartilhe