O Guia Passo a Passo Para Subir nos Rankings do Google Sem Ser Penalizado

seo

O topo dos rankings é o ápice do sucesso de negócios online.

Segundo um estudo da Infront Webworks, a primeira página do Google recebe 95 por cento do tráfego web, com as páginas seguintes recebendo 5 por cento ou menos do tráfego total.

Eu já conversei com muitos empresários e gerentes – novatos e veteranos – que quase ficaram loucos tentando descobrir os segredos de como melhorar posições e desempenho nos rankings do Google sem receber penalidades.

Eu tinha 16 anos quando entrei no mundo da otimização para motores de busca (SEO), e admito que eu também era uma dessas pessoas.

Gostaria de poder te dizer que existe um botão mágico que leva seu site à primeira posição dos rankings, sem erro.

Mas a verdade é que é preciso ter desenvoltura, dedicação, persistência e criatividade. Isso é particularmente verdadeiro por causa da natureza de constante mudança do algoritmo do Google.

Apesar de não existir mágica, existem passos que você pode tomar para chegar ao topo da página de resultados dos motores de busca (SERP).

Eu aprendi isso da forma mais difícil. Mas felizmente, você não precisa fazer o mesmo.

Vou voltar aos princípios básicos do SEO on-page para te ajudar a entender as novas regras do SEO, aprender como otimizar tanto para humanos quando para os rastreadores de motores de busca e entender como dominar o SEO on-page e off-page.

Aqui estão os passos que eu vou abordar nesse guia:

SEO é uma estratégia de longo prazo, então quando você publica um conteúdo novo, já sabe que ele não vai atrair tráfego orgânico no dia seguinte. Porém, você pode agilizar esse processo e receber tráfego mais rápido. Para descobrir como fazer isso, clique aqui e receba o Guia de Como Ranquear Conteúdo Novo Mais Rápido.

Como Ranquear Conteúdo Novo Mais Rápido


1º passo: Conheça o algoritmo de posicionamento do Google

Eu poderia começar com algumas estratégias de SEO práticas para você usar em seu site agora mesmo.

Mas quero te preparar para o sucesso no longo prazo, para que você não seja penalizado quando uma nova atualização for lançada.

Executivos do Google como Gary Illyes e John Mueller confirmam que o Google muda constantemente seu algoritmo, apesar da maioria dessas mudanças não serem anunciadas ou descritas publicamente.

image3

O Moz estima que são feitas 500 a 600 alterações por ano!

Apesar do Google anunciar grandes atualizações, a forma exata como o algoritmo funciona é desconhecida (e um pouco misteriosa) para o público em geral. A maior parte das informações por aí são somente especulação de profissionais da indústria.

Assim, faz sentido que 40% dos especialistas em marketing citem mudanças nos algoritmos de busca como o maior obstáculo para o sucesso com SEO.

Afinal, se todo mundo soubesse exatamente como chegar à primeira posição dos rankings sem receber penalidades por causa de atalhos ou estratégias de SEO black hat, o Google não teria sucesso posicionando apenas os melhores resultados. Qualquer pessoa poderia trapacear e chegar ao topo sem ter muito trabalho.

Isso não só dificultaria o sucesso de pessoas honestas como eu e você, mas também comprometeria seriamente a missão do Google:

A missão do Google’ é organizar as informações do mundo e torná-las universalmente acessíveis e úteis.”

O melhor conhecimento que temos sobre o algoritmo do Google vem na forma de grandes atualizações do algoritmo, como:

  • Atualização de adaptação para dispositivos móveis (abril de 2015), favorecendo sites com versões adaptadas para dispositivos móveis e abrindo caminho para futuras penalidades caso sites não cumpram as regras.
  • Pigeon (julho de 2014), trabalhando para integrar resultados de busca local como o Google Maps.
  • Hummingbird (agosto de 2013), buscando entender o contexto e a intenção por trás da busca de um usuário, ao invés de considerar somente as palavras que ele inseriu.
  • Penguin (abril de 2012), segmentando spammers e sites que compram links para impulsionar seus rankings.

Isso sem mencionar o Panda, o Google EMDs (nomes de domínio de correspondência exata) e as atualizações de desindexamento Private Blog Network (PBN). E há também o Phantom, que surgiu em maio de 2013 e acredita-se ter sido atualizado quatro vezes – mas nunca foi confirmado pelo Google. 

E então, como acompanhar tudo isso?

Existem alguns recursos ótimos para ajudar. O Google Algorithm Change History do Moz é uma base de dados incrível que organiza atualizações cronologicamente. Conheça também o Google Webmaster Central e o The Webmaster.

Veja o vídeo abaixo para aprender mais sobre minhas estratégias para link building, SEO on-page e métricas de usuário na hora de tentar posicionar no Google.

Agora que já vimos o básico sobre o algoritmo, vamos às estratégias práticas que eu mencionei anteriormente.

2º passo: Avalie sua posição atual nos rankings de busca

Para melhorar sua posição, você vai ter que saber onde está agora. Isso é verdadeiro mesmo para sites novos. Felizmente, existem várias ferramentas e recursos que podem te ajudar.

Use o SERPs.com para verificar a posição da palavra-chave do seu site

Se você está segmentando palavras-chave específicas no conteúdo da sua página, use o SERPs.com para avaliar sua posição. Insira sua palavra-chave (eu usei “marketing de conteúdo” nesse exemplo) e a URL do seu site. Você tem também outras opções, como ver os resultados do Yahoo, escolher entre desktop ou mobile e se aprofundar nos rankings locais por cidade ou CEP.

image6

A página de resultados vai mostrar alguns ítens:

  • Onde seu site se posiciona para aquele termo nos motores de busca
  • A primeira página do seu site que aparece nos resultados de busca para aquele tema
  • Sua média de buscas mensais
  • Seu custo médio por clique para a palavra-chave (para a busca paga, como o Google AdWords)
image1

Verifique a velocidade do seu site

A seguir, é importante verificar a velocidade do seu site, já que ela é um fator importante para os rankings do Google.

Se seu site é lento, você tem poucas chances de conquistar uma posição alta nas buscas. Isso vai afetar também sua habilidade de converter e vender para novos consumidores.

Segundo o WebPerformanceToday, o Walmart sofreu uma queda acentuada em suas conversões quando o tempo de carregamento de suas páginas aumentou de 1 para 4 segundos.

Se isso acontecer, não importa como é SEO on-page, sua meta description ou sua title tag. O algoritmo de busca vai te punir mesmo que você seja um gigante como o Walmart.

image15

É por isso que é importante fazer seus próprios testes de velocidade de site para descobrir como crescer nos rankings do Google. Existem dúzias de ferramentas que podem te ajudar com isso. Algumas das minhas favoritas são:

Aqui está como testar a velocidade do conteúdo em sua página usando o Pingdom.

Vá a  tools.pingdom.com e insira sua URL. Selecione o local de onde você gostaria de fazer o teste e clique em “Start Test.”

image5

O Quick Sprout obteve o score de performance 81. Desde que seu site recebe um score acima de 50, já é um bom começo.

Se você receber uma nota de performance abaixo de 50, o conteúdo da sua página é realmente lento e você precisa trabalhar para melhorá-lo.

image7

Verifique também o tempo de carregamento da página.

O Quick Sprout está se saindo muito bem com 1,89 segundos. Tenha como meta um número abaixo de 2 segundos para ter um site muito rápido, e abaixo de 1 segundo para dispositivos móveis. Segundo uma pesquisa citada pelo Optimizely, a latência artificial incluída no site do Telegraph causou uma queda de 11% nas visualizações de página para 4 segundos a mais no tempo de carregamento, e uma queda de 44% para 20 segundos a mais no tempo de carregamento. Assim, qualquer coisa acima de alguns segundos de tempo de carregamento pode te levar a perder uma quantidade significativa de tráfego.

Verifique a saúde do seu site

Após verificar a posição das palavras-chave nos rankings e a velocidade do site, avalie a saúde do seu site antes de começar a otimizar.

Você já teve uma queda súbita no tráfego orgânico após meses ou anos de números consistentes?

Está se perguntando se o Google desindexou (ou baniu) seu site?

Existem várias ferramentas ótimas para te ajudar a desvendar esse mistério. Experimente a ferramenta Domain Health Report do MxToolBox para verificar problemas críticos em 5 categorias diferentes: problemas gerais do site, blacklist, servidor de email, servidor web e DNS.

image2

É só clicar na caixa para cada categoria para ver erros e alertas específicos. A partir daí você pode trabalhar para corrigi-los um a um.

image14

Se quiser verificar se você foi penalizado por uma das principais atualizações de algoritmo, use a ferramenta Website Penalty Indicator da FE International.

image8

Você vai ver um gráfico que mostra o tráfego do seu site contra a implementação de grandes atualizações. Essa comparação te deixa mais próximo de saber se uma atualização afetou diretamente o seu site.

image12

Outro aspecto da saúde do site para os motores de busca é a idade do domínio. Apesar de Matt Cutts ter dito nesse vídeo que “a diferença entre um nome de domínio de seis meses e um nome de domínio de um ano não é nada enorme”, isso não significa que ela é irrelevante.

Algoritmos de busca continuam vendo e valorizando a idade.

O SerpIQ analisou mais de 160.000 SERPs e 1,6 milhões de URLs e concluiu que a idade do domínio contribuía para a primeira posição nos rankings para a maioria dos nomes de domínio incluídos no estudo:

image10

Isso também significa que você precisa ser paciente. Na medida em que seu domínio fica mais velho e os links apontando ao seu site ficam mais velhos, sua posição nos rankings de busca deve melhorar.

3º passo: Monitore e mensure as métricas certas

A seguir, é hora de monitorar algumas métricas essenciais do seu site para descobrir que outros fatores você precisa melhorar. Aqui estão as métricas mais importantes a avaliar:

Tráfego Orgânico

É importante saber quantos visitantes encontram seu site via Google. Um estudo do BrightEdge mostrou que a busca orgânica direcionava 51% dos visitantes de sites B2B e B2C, destruindo canais não-orgânicos como a busca paga e as mídias sociais, que direcionavam 10% e 5%.

O estudo mostrou também que a busca orgânica era a maior fonte de receita para todas as indústrias exceto mídia e entretenimento, para as quais email, display e referências lideravam com uma pequena margem.

image4

Para descobrir quantos visitantes chegam ao seu site, faça login em sua conta do Google Analytics e verifique o relatório de canais de aquisição. Esse tutorial em vídeo de Google Analytics é muito útil e vai te guiar.

Conversões de tráfego orgânico

Além de analisar seu tráfego de busca, vale a pena prestar atenção às palavras-chave que geram tráfego para o seu site.

Uma forma de encontrá-las é uma ferramenta simples chamada SERP Scan. Eu tenho usado ela para identificar as palavras-chave que convertem organicamente para o meu site.

O SERP vai te mostrar as palavras-chave que enviaram tráfego orgânico ao seu site dentro dos últimos 12 meses. Ele inclui um gráfico de desempenho de palavras-chave de SEO on-page.

Essa ferramenta facilita obter os dados que você precisa do Google Analytics e ter uma visão mais ampla a respeito das palavras-chave em seu site. Mas você precisa de ainda mais.

Posicionamento de palavras-chave para palavras-chave comerciais

O erro nº 1 na pesquisa de palavras-chave é não dedicar tempo suficiente às palavras-chave comerciais

Porque as palavras-chave comerciais são as que dão dinheiro. Para melhorar suas posições nos motores de busca e gerar receita, você precisa entender a diferença entre palavras-chave comerciais e informativas.

Se todas as suas palavras-chave forem informativas, você ainda vai gerar tráfego orgânico, mas pode ser difícil converter aqueles visitantes em compradores ou pessoas que compartilham nas mídias sociais.

A razão para isso é que visitantes que pesquisam palavras-chave informativas gostam de usar:

  • como eliminar acne com produtos caseiros
  • como instalar o WordPress
  • ganhar dinheiro online grátis
  • baixar ebook gratuito
  • 10 melhores ferramentas para artigos

Se eles não estão com vontade de fazer compras, querem que você fale a língua deles: a língua das buscas por coisas gratuitas.

Em contraste, há pessoas que usam palavras-chave como

  • melhores produtos para acne
  • 10 melhores provedores hospedagem
  • designers web em Nova York

Essas pessoas provavelmente estão procurando uma solução para comprar.

Se você está na indústria de e-commerce, espero que já saiba que palavras-chave comerciais tendem a converter bem.

Palavras-chave que têm as palavras abaixo como prefixo (antes) ou sufixo (depois) da frase de palavras-chave tendem a dar bons resultados:

  • Comprar
  • Avaliação
  • Desconto
  • Cupom
  • Oferta
  • Frete
  • Pedido

Anteriormente eu falei sobre as palavras-chave que estão te enviando tráfego orgânico. Elas também devem ser usadas na meta description e no SEO on-page (vamos falar mais sobre isso em breve).

Aqui está outro exemplo. Você consegue ver a diferença entre palavras-chave informativas e comerciais?

image11

Configure um dashboard de SEO para monitorar essas métricas

Eu recomendo que você configure um dashboard de SEO para poder monitorar todas as métricas importantes ao mesmo tempo.

Aqui está um exemplo, do bringshare.com:

image38

Além de configurar dashboards no Google Analytics, você pode obter dados ainda mais ricos conectando o Google Webmaster Tools ao Google Analytics. Aqui está um guia passo-a-passo sobre como fazer isso, do SERPs.com.

4º passo: Confirme se seu site é adaptado a dispositivos móveis

É estimado que até 60% das buscas são feitas em dispositivos móveis, e esse número continua crescendo.

Segundo o Smart Insights, nos E.UA., mais buscas são feitas em dispositivos móveis do que em computadores!

image18

Apesar de algumas alterações de algoritmo não serem muito claras, o Google não deixou nada por dizer quando se trata de dispositivos móveis. Em 10 de janeiro de 2017, o blog do Google Webmaster Blog dizia:

“A partir de hoje, páginas em que o conteúdo não é facilmente acessível a um usuário na transição a partir dos resultados de busca móvel podem não conseguir posições tão altas.”

O Mobile-Friendly Test do Google oferece uma forma rápida e simples de te ajudar a determinar se seu site é adaptado a dispositivos móveis ou está no caminho para receber uma penalidade. É só inserir sua URL e clicar em “RUN TEST.”

image9

Os resultados vão te dar uma resposta clara, “sim” ou “não”, além de uma lista dos problemas de carregamento de página encontrados. Dessa maneira, você pode corrigir e otimizar para garantir que seu site mobile funcione bem.

image13

Você vai poder investigar problemas de carregamento de página como erros de redirecionamento e páginas em que o robots.txt bloqueou o Googlebot de rastrear a página.

O Google Search Console tem também o Mobile Usability Report, que vai te dar uma lista dos problemas de usabilidade mobile do seu site.

Dicas para deixar seu site adaptado a dispositivos móveis

Se seu site não é móvel, eu recomendo vivamente que você coloque isso no topo da sua lista de tarefas.

  • Você pode obter uma solução rápida através de serviços como Mobify, Duda Mobile, or bMobilized.
  • Se seu site foi construído em uma plataforma de CMS popular, você vai conseguir encontrar um plugin mobile como o WPtouch para o WordPress, o ThemeKey para o Drupal ou o Responsivizer para o Joomla.
image17

Assegure-se de que seu site cumpre as melhores práticas de design web responsivo (RWD), o que ajuda a garantir que ele tenha funcionalidade completa em todos os dispositivos e usos móveis. Adicione a meta viewport tag ao cabeçalho de cada página para informar aos navegadores que a página vai se adaptar a diferentes dispositivos

<meta name=”viewport” content=”width=device-width, initial-scale=1.0″>

Para insights adicionais sobre SEO, veja as dicas do Google sobre como subir de posição nos rankings mobile.

Mobile e local: uma amizade de SEO

Existe uma conexão entre a busca mobile e a busca local. O Google está em uma jornada contínua para atender à busca hiper-local, conectando consumidores e marcas da forma mais fácil e rápida possível.

É por isso que é recomendado garantir que seu perfil Google Meu Negócio esteja atualizado e seja o mais completo possível.

Esses perfis podem fazer toda a diferença com alguém que está pesquisando em sua área. Assim, assuma e atualize o perfil do seu negócio o mais rápido possível, se ainda não tiver feito isso. Isso se aplica também a outros sites com resultados locais, como o Yelp, o Facebook, o Better Business Bureau e mais.

Veja a lista de negócios e diretórios locais do Hubspot para uma visão mais completa.

5º passo: Identifique e corrija suas penalidades atuais

Agora que você já entende sua posição nos rankings de busca e já configurou o rastreamento para suas métricas mais importantes, é hora de examinar seu site em detalhes para ver se há alguma penalidade.

Isso é fundamental, porque não adianta divulgar ou gerar links para um site com má saúde.

Como o link building mudou

Até 2012, links tipo spam melhoravam as posições de milhares de pessoas nos rankings de busca. Esse estudo de caso do Moz mostra como um site usou esquemas de links para gerar links inbound.

image20

Atualizações recentes do Google mudaram os padrões do algoritmo de busca para garantir que esquemas de links já não funcionem.

Independentemente do SEO on-page, links ruins são realmente prejudiciais. Use-os e você vai sofrer uma penalidade ao invés de contribuir para sua meta de subir nos rankings do Google

É por isso que é essencial pensar em como você gera links para o seu site.

Como disse Matt Cutts, ”seus links não devem PARECER naturais, eles devem SER naturais.”

image21

Para conseguir isso, você precisa identificar e eliminar links ruins. Veja como fazer isso.

Analise os links: Primeiro, analise os links recebidos pelo seu site. Existem várias ferramentas de análise de links que você pode usar para fazer isso:

Vou te mostrar passo a passo uma análise de links usando o SEOprofiler.

Cadastre-se para uma conta gratuita e vá a Link Profiler → Backlinks. Vamos usar o problogger.net:

image19

Os resultados mostram os elementos mais importantes a procurar quando estiver analisando seus backlinks:

  • Unique Active Backlinks – Isso mostra o número de links que afetam sua posição nos rankings do Google diretamente ou indiretamente. “Unique” significa que os links vêm de endereços de IP diferentes. Essa é uma maneira de identificar um link natural. Esses links foram indexados pelo Google nos últimos 90 dias.
  • Links Nofollow – O Problogger tem 10,2% de links nofollow, o que equivale a 1.522 backlinks em um total de 14.922. O Google introduziu a tag rel= “nofollow” em 2015 para impedir comentários de spam em blogs de manipular artificialmente os rankings. Após a atualização Google Penguin, se tornou essencial diversificar seu perfil de links. E como Matt Cutts mencionou, você precisa de uma mistura de links dofollow (links que transmitem valor de posicionamento aos motores de busca) e links nofollow links (links that don’t pass ranking value).
  • Industry – Se você lê o conteúdo do Problogger, pode pensar que a indústria dele é “blogs” ou “marketing na internet”. Mas quando você vê essa análise, descobre que é “mídia”. Saber qual é sua indústria pode te ajudar a identificar links relevantes que vão melhorar seu perfil de links no algoritmo usado pelo motor de busca.
  • Link Influence Score – Isso mostra como links do site influenciam o posicionamento das páginas com links nos motores de busca. Quanto mais alto o score, melhor. Sendo um site muito popular e influente, o Problogger tem um score incrível de 99%! Analise seu site e verifique seu próprio score.
  • Anchor text – Clique no link no menu à esquerda para acessar dados sobre textos-âncora (o texto-âncora é o texto que se transforma em seu link e aponta para sua página) levando ao seu site. A atualização Google Penguin foi implementada para evitar que proprietários de sites manipulassem os motores de busca com textos-âncora de correspondência exata. Se quiser evitar problemas com penalidades do algoritmo de busca, diversifique seus textos-âncora.
image23

É importante também saber que links são prejudiciais ao seu site, para assim poder removê-los. O Google Penguin 2.0 facilitou muito identificar links de má qualidade. Eles são links que:

  • Vêm de sites PR-n/a ou PR0
  • São quase sempre links que aparecem em todas ou quase todas as páginas
  • Vêm de domínios de referência com pouco tráfego
  • Vêm de sites com o mesmo endereço de classe de IP
  • Vêm de sites com muitos links externos

Existem muitas ferramentas gratuitas para te ajudar a identificar links ruins. Duas que eu já experimentei são o Monitor Backlinks e o Linkquidator. Veja aqui como procurar links de má qualidade com o Linkquidator.

image29

Simplesmente insira a URL do seu site e clique em “search” para encontrar links antinaturais.

O Moz tem um tutorial detalhado sobre que links podem prejudicar seu site e o que fazer para resolver isso.

Lembre-se que você precisa também exportar a lista de links ruins depois de encontrá-la. Assim você vai poder consultá-la depois.

Quando descobrir links tipo spam apontando para sua página, não se apresse para retirar a página em si. São os links que precisam ser removidos para que o o motor de busca não te penalize.

Esse é o próximo passo para limpar seu perfil de links, e existem duas formas de fazê-lo:

1. Peça a remoção manual do link – Visite o site de onde estão vindo os links antinaturais e contate o proprietário. Peça ao dono do site para remover o link (a melhor opção) ou para adicionar uma tag nofollow a ele.
image16

Se você terceirizou o link building no passado, pode contatar também a pessoa que fez os links para você e pedir a ela que os remova. Aqui está um trecho de um post do Search Engine World explicando como isso funciona:

image26

Nesse caso, não peça ao proprietário do site para remover os links, porque eles podem assumir que é spam e te ignorar. Ao invés disso, siga esse tutorial do Search Engine Journal para aprender a melhor forma de contatar webmasters sobre remoção de links.

2. Use a ferramenta de rejeitar links do Google – Se você não teve sucesso ao tentar ter seus links removidos, sua única opção é usar a ferramenta de rejeitar links do próprio Google.

Apesar da remoção manual de links ser a melhor opção, essa é a segunda melhor.
image22

A ferramenta de rejeitar links é parte do Google Search Console. Após abrir o Search Console, você vai ver uma lista com todos os sites.

Vá ao site para o qual você quer rejeitar links. Você vai ver isso:

image24

Quando você procura links antinaturais, tem a opção de exportar os links que encontra. Se você fez isso, envie o arquivo aqui e clique em “done.”

Como você, o Google não pode remover os links em si, já que não tem acesso aos sites de referência.

No entanto, fazer isso autoriza o Google a parar de transmitir link juice (valor) desses links para sua página de conteúdo.

image28

3. Diversifique a distribuição de textos-âncora – O texto-âncora pode ter um papel essencail em melhorar ou destruir sua posição nos rankings de busca. Como mencionei anteriormente, se você quiser ter um perfil de links natural, precisa diversificar seus textos-âncora.

A distribuição de textos-âncora envolve como você espalha as palavras-chave ao gerar links. O gráfico abaixo tem algumas recomendações:

image27

Ao distribuir seu texto-âncora, pense em incluir esses tipos:

Vamos supor que o conteúdo da sua página venda calças jeans azuis. Se seu nome de domínio for jeansazul.com.br, como você vai distribuir seu texto-âncora?

Se você quiser três links de um site específico, o ideal é usar esse perfil de links:

  • Texto-âncora 1: site jeansazul.com.br – página de destino: homepage
  • Texto-âncora 2: avaliações de calças jeans azuis online – página de destino: a página onde você avaliou o item.
  • Texto-âncora 3: avaliações em jeansazul.com.br – página de destino: sua loja

4. Evite o excesso de otimização –  Utilizar textos-âncora demais pode resultar em excesso de otimização, e você pode ser penalizado. Geoff Kenyon sugere a porcentagem abaixo:

image30

Para evitar o excesso de otimização, siga essas duas orientações:

  1. Evite textos-âncora com excesso de palavras-chave – Se quiser criar links para suas páginas internas sobre um tema, como “estratégias de link building”, não use a mesma frase de palavras-chave que está em seu texto-âncora. Ao invés disso, use alguma coisa como “aprenda mais sobre link building” ou uma combinação de uma palavra-chave genérica e a palavra-chave exata. A variedade é essencial.
  2. Evite links irrelevantes – Para que criar links para seu site de treinamento para cães usando “melhor treinador de golfe” como âncora? Isso não faz sentido para melhorar sua posição nos rankings do Google e pode levar a uma penalidade.

Se você precisar de um guia detalhado sobre excesso de otimização, veja o Como Evitar o Excesso de Otimização em Seu Site.

6º passo: Melhore o SEO com a pesquisa de palavras-chave

Depois de ter se livrado de links ruins, é hora de melhorar seu SEO on-page da forma correta.

Um elemento essencial de uma estratégia de marketing inbound eficiente é a pesquisa de palavras-chave. Você não vai muito longe com seu negócio online sem entender como ela funciona.

Descubra como seu público encontra seu site

Para ser eficaz, você precisa identificar as palavras-chave que seu público-alvo está usando para encontrar seu site. Veja como fazer isso.

1º passo: Visite o Ubersuggest, insira sua palavra-chave e clique em Buscar.

2º passo: Clique em Ideias de Palavras-Chave.

3º passo: Examine as palavras-chave e o volume de busca mensal.

Veja como isso te ajuda.

Quando você pesquisa palavras-chave, obtém em primeira mão informações sobre seu público-alvo, as informações que eles querem saber e como eles querem isso.

Por exemplo, quando alguém pesquisa “tutoriais de html5 para iniciantes”, você sabe que o usuário é um iniciante que talvez pesquisou muito procurando soluções e quer conteúdo que ajude com esse assunto.

Isso pode te guiar para escrever títulos e conteúdos que posicionem bem nos resultados de busca do Google.

É útil entender os personas de comprador e o ciclo de vida do seu público-alvo, para assim entender a motivação dele. E aí oferecer conteúdos relevantes que vão te ajudar a melhorar sua posição nos rankings do Google.

A Alexa pode te ajudar a descobrir os dados demográficos do seu público, como no exemplo abaixo, do Upworthy.

image35

Lembra de quando eu mencionei palavras-chave comerciais e informativas?

Quando você faz pesquisa de palavras-chave, pode descobrir facilmente se os usuários estão simplesmente procurando informações ou querem comprar.

Isso se chama intenção do usuário, e veja como fica no exemplo de pesquisa de palavras-chave usado anteriormente.

Nesse exemplo, web design gratuito é um exemplo de palavra-chave informativa. Cursos de web design gratuitos é um exemplo de palavra-chave comercial.

Você precisa ter tanto palavras-chave informativas quando comerciais no conteúdo de sua página a fim de melhorar as posições do seu site nos rankings do Google.

Palavras-chave comerciais segmentam compradores que já foram pré-vendidos (informados sobre o produto) antes de vir ao Google para fazer uma busca.

Palavras-chave informativas geram afinidade contínua com aqueles que ainda não são compradores/consumidores.

É seu trabalho educar, informar, inspirar e gerar interesse antes de recomendar um produto.

Palavras-chave informativas podem ser usadas para se criar listas de emails e nutrir potenciais clientes antes de se oferecer a venda de um produto.

Ao fazer pesquisa de palavras-chave, não ignore palavras-chave de cauda longa.

Rand Fishkin do Moz mostra como segmentar palavras-chave de cauda longa gerou um aumento de 80% no tráfego dele e melhorou as posições nos rankings do Google.

image32 1

Espione seus concorrentes

Se seus concorrentes estão em posições mais altas do que você nos resultados do Google, é hora de espioná-los.

Se o algoritmo de busca gosta deles, você pode aprender e copiar as estratégias deles.

Eu gosto de usar o Google Keyword Planner para isso, porque ele me fornece uma estimativa precisa das palavras-chave segmentadas pela concorrência.

Digamos que você trabalhe no sub-nicho de “facas para sobrevivência”. Um dos blogs com autoridade que você pode espionar é o survivallife.com.

Na página principal do Ubersuggest, ao invés de inserir uma palavra-chave seed, simplesmente insira a URL do seu concorrente na caixa de landing page e clique em Buscar.

Aí, desça na página até ver “Palavras-Chave de SEO”. Você vai ver as palavras-chave que seu concorrente está segmentando.

Além das palavras-chave, outros dados incluem:

  • Volume – O número de buscas que a palavra-chave tem durante um mês.
  • Posição – A posição em que a URL está posicionada na busca do Google.
  • Visitas estimadas – O tráfego estimado que a página recebe para a palavra-chave.

Por exemplo: seu concorrente aparece na primeira posição para o termo “sobrevivência”. Com a primeira posição, ele recebe aproximadamente 395 visitantes por mês para o termo. Assim, se você conseguir superá-lo, sabe que tipo de tráfego pode esperar.

Isso funciona para qualquer nicho e pode te ajudar a encontrar palavras-chave ocultas que te ajudem nos rankings.

Impulsione palavras-chave em posições mais baixas

Se você encontrar seu site na página 2 dos resultados, como pode levá-lo para a primeira página?

Você pode usar o método skyscraper, popularizado por Brian Dean, do Backlinko.

Encontre um post ou artigo que já está posicionado, melhore-o e divulgue em todos os lugares possíveis. Isso levou a um aumento de 457% no tráfego orgânico dele.

image43

Se quiser fazer isso com seu tema (por exemplo, “guia de terceirização para pequenos negócios”), siga esse guia simples:

  • Pesquise extensivamente o assunto, incluindo estudos de pesquisa.
  • Identifique as palavras-chave a segmentar, usando as estratégias que eu compartilhei com você nesse post.
  • Escreva um post mais aprofundado (mais longo, mais preciso e prático).
  • Faça links para blogs com autoridade que usam bem a terceirização.

É essencial também criar um título poderoso e clicável.

Por exemplo, se seu primeiro título é:

Guia de Terceirização Para Pequenos Negócios

Você pode melhorá-lo assim:

Guia Completo de Terceirização Para Pequenos Negócios

Um Guia Aprofundado Sobre Terceirização Para Pequenos Negócios

X Formas Como a Terceirização Pode Revolucionar Seu Pequeno Negócio

Contate os proprietários dos blogs que você mencionou em seu post e peça a eles para verem seu artigo.

Com sorte você vai conseguir que alguns sites de autoridade criem links para você.

Fazer isso vai melhorar as posições do seu conteúdo no Google.

Use a análise de palavras-chave para melhorar o conteúdo

Vamos deixar uma coisa clara.

Não existe porcentagem ideal de palavras-chave em um artigo.

No entanto, saber que palavras-chave segmentar é extremamente importante. Essa é a base da pesquisa de palavras-chave.

O Wordstream define a análise de palavras-chave como:

O ponto inicial e alicerce das campanhas de marketing de busca. Ao entender que termos visitantes qualificados ao seu site digitam nos motores de busca, os especialistas em marketing de busca podem personalizar melhor suas landing pages para aumentar as taxas de conversão.

A não ser que você saiba os termos que visitantes qualificados inserem no Google, você vai ter dificuldades para melhorar sua posição nos rankings e sua taxa de conversão.

Até agora, você já aprendeu como fazer pesquisa de palavras-chave. Essa é a parte fácil. A parte difícil é saber que palavras-chave estão trazendo tráfego orgânico.

Anteriormente, eu te acompanhei no processo de gerar as melhores palavras-chave usando o SERP Scan. Agora vamos examinar os resultados para encontrar as verdadeiras palavras-chave que as pessoas inserem no Google antes da sua página aparecer.

Você pode usá-las para escrever conteúdo de SEO que corresponda à intenção do usuário (lembra?). Isso vai melhorar a posição das suas páginas nos rankings do Google.

image44

Como você deve inserir suas palavras-chave segmentadas em seu conteúdo?

Vamos assumir que você queira escrever uma avaliação aprofundada sobre “melhores tacos de golfe sênior”. Aqui estão alguns títulos que você pode usar.

  • Os 10 Melhores Tacos Sênior
  • Guia do Comprador Para Os Melhores Tacos de Golfe Sênior
  • Melhores Tacos de Golfe Sênior – O Guia Definitivo

Você pode começar sua introdução assim:

Existem muitos tacos de golfe sênior no mercado. Mas encontrar o taco certo para você é a decisão mais difícil. Se você ler esse guia do início ao fim, vai saber quais são os melhores tacos de golfe sênior acessíveis e confiáveis.

Ou você pode começar sua introdução fazendo uma pergunta:

Quer encontrar os melhores tacos de golfe sênior? Essa página não só vai te falar sobre os tacos, mas te mostrar como usá-los para melhorar seu jogo e fornecer dicas práticas sobre como conseguir um desconto enorme em sua compra.

Está vendo como eu coloquei a palavra-chave segmentada no primeiro parágrafo sem que ficasse parecendo spam?

Como eu disse anteriormente, segmente uma palavra-chave específica de forma natural, não tente apenas fingir que o texto é natural.

7º passo: Melhore suas posições com o SEO on-page

Agora que você já sabe que palavras-chave quer segmentar – e deve segmentar – para amplificar ao máximo sua performance, você está pronto para fazer alterações significativas no SEO on-page.

O Backlinko tem um infográfico excelente que detalha 16 fatores de SEO on-page que vão gerar muita boa vontade para você com o Google e seus visitantes.

Vamos examinar algumas considerações essenciais.

Otimize suas title tags

As title tags sobreviveram à passagem do tempo. Elas ainda são uma parte enorme de como o seu site vai funcionar.

Assegure-se de que todas as suas title tags sejam descritivas, únicas e apropriadas para suas palavras-chave segmentadas.

Evite usar as mesmas palavras-chave e title tags várias vezes. Assim você vai diversificar suas oportunidades enquanto evita canibalizar seus próprios esforços.

Digamos que você seja uma empresa de ecommerce. Uma boa fórmula para suas páginas de produto pode ser:

[Nome do Produto] – [Categoria do Produto] | [Nome da Marca]

Assim:

Condicionador Leave-in Para Cachos – Cuidados com o Cabelo | Diana’s DIY

Aqui estão mais algumas dicas de otimização de title tags:

  • Use chaves ( | ) e hífens ( – ) entre termos para aproveitar ao máximo o espaço.
  • Evite títulos todos EM MAIÚSCULAS. Eles são irritantes.
  • Nunca use title tags padrão como “Página de produto” ou “Página Principal”. Elas fazem o Google pensar que você tem conteúdo duplicado, e também não são muito convincentes para usuários que estão procurando informações específicas.
  • Coloque as palavras-chave mais importantes e únicas primeiro.
  • Não encha tudo com palavras-chave. O Google valoriza cada vez mais strings relevantes. contextuais e naturais ao invés de frases de palavras-chave mecânicas ou forçadas.
  • Ponha seus visitantes à frente do Google – title tags podem ser cruciais para tráfego e conversões.

Tenha em mente que o Google vai exibir aproximadamente 60 caracteres em um resultado de busca, mas não corte o texto se um título maior for apropriado para o conteúdo. O título do snippet que o Google exibe pode ser dinâmico segundo o termo da consulta. Assim, no fim das contas, você pode fazer um favor a si mesmo ao ser mais descritivo.

Além disso, os títulos de snippets em desktops são limitados pela largura do pixel, enquanto títulos exibidos em mobile geralmente são mais longos.

Aqui está um exemplo do Hobo Web:

image37

Na imagem acima, o Google exibe o máximo de caracteres possível desde o início. Mas na imagem abaixo, o Google corta o meio do título para mostrar o termo “Hobo” ao final, para mostrar a relevância para a busca do usuário.

image39

Enquanto as meta descriptions têm um impacto insignificante sobre os seus rankings, elas ainda servem para ajudar a determinar seu snippet de busca e adicionar um fator extra de singularidade. Isso por sua vez pode influenciar sua taxa de cliques (CTR) nos SERPs.

Veja esse artigo do Kissmetrics sobre como aproveitar ao máximo suas meta descriptions para seu CRT.

Use marcação schema (também conhecida como marcação de dados estruturados) 

O Searchmetrics estima que quase um terço dos SERPs do Google SERPs incorporem rich snippets baseados em Schema. Mas somente 0,3% dos sites estão aproveitando isso!

image46

A marcação Schema pode ser vista como “etiquetas” extras com informações que dizem ao Google o que seu conteúdo significa. Por exemplo, digamos que meu nome aparece em um artigo, e portanto o Google exibe meu nome em um resultado nos SERPs.

Mas se eu usar os Schema corretos em torno do meu nome no HTML do artigo, posso indicar ao Google que sou o autor do artigo, não apenas outro termo em um mar de palavras indistintas.

image40
image42

A marcação Schema não só ajuda o Google a entender o seu site, mas também faz uma diferença enorme para atrair tráfego para ele.

Schema ajudam a dar aos usuários mais informações relevantes de uma forma visualmente organizada e agradável.

Além disso, featured snippets aparecem mais em SERPs em dispositivos móveis, que como vimos, são mais comuns nos E.U.A do que buscas em desktop.

O Structured Data Markup Helper do Google é uma ótima ferramenta para implementar marcação Schema em seu site.

Você pode usar tags de Schema para identificar vários tipos de informações dos SERPs, incluindo:

  • Artigos
  • Avaliações de livros
  • Eventos
  • Negócios locais
  • Filmes
  • Produtos
  • Restaurantes
  • Aplicativos de software
  • Episódios de TV
  • Episódios de TV com classificações

Schema podem ser usados também para identificar informações em emails de HTML, como:

  • Reservas de ônibus, aluguel de carro, eventos, vôos, hospedagem, restaurantes e trens
  • Encomendas
  • Entrega de pacotes

Esse artigo do Kissmetrics oferece um tutorial passo-a-passo de marcação Schema para te ajudar a começar.

Crie um sitemap para motores de busca

Um sitemap fala com os motores de busca sobre a organização do conteúdo do seu site.

Dessa maneira, quando o Googlebot lê o arquivo, ele pode rastrear seu conteúdo de forma mais inteligente. Isso ajuda a deixá-lo disponível para posicionamento nos SERPs mais rapidamente.

Sitemaps também fornecem metadados valiosos sobre páginas no seu site, como quando elas foram atualizadas pela última vez, com que frequência você faz alterações e como as páginas se relacionam a outras páginas em seu site.

Você pode usar o XML-sitemaps.com, um gerador de sitemaps simples.

Quando já tiver seu sitemap, visite meu artigo sobre sitemaps XML, que vai te acompanhar pelo processo de baixar o arquivo do seu sitemap, colocá-lo na pasta raiz do domínio do seu site e adicionar a URL do sitemap à sua conta no Google Webmaster.

Agora que já vimos alguns fatores essenciais do SEO on-page, é hora de discutir como levar sua marca de boa a ótima, com conteúdo único, estratégico e cheio de propósito.

8º passo: Use suas palavras-chave para criar conteúdo excelente

Apesar de eu já ter falado um pouco sobre a inserção de palavras-chave, nessa seção, vamos ver mais sobre como usar as palavras-chave que você pesquisou.

Infelizmente, muitas pessoas compreendem mal a essência da pesquisa e colocação de palavras-chave.

Mesmo antes do Google lançar sua primeira atualização Google Panda, em fevereiro de 2011, os melhores especialistas em marketing de busca sabiam que conteúdo de qualidade, valioso e útil deveria segmentar um grupo específico de pessoas. 

Otimize para palavras-chave informativas e melhore sua posição nos rankings escrevendo conteúdo inteligente e detalhado, além de complementá-lo com uma meta description e title tags descritivas.

Esse processo vai atrair fãs ávidos, fazer seu conteúdo ser compartilhado nas plataformas de mídias sociais e gerar links relevantes e com muita autoridade naturalmente.

Se você quiser escrever conteúdo inteligente e detalhado, siga o guia abaixo:

Use artigos baseados em dados: Segundo o ConversionXL, uma abordagem baseada em dados pode aumentar seu tráfego. Suporte fatos com dados precisos para que as pessoas vejam seu conteúdo como autoridade e compartilhem nas mídias sociais, expandindo seu alcance orgânico. Esse post sobre como criar e divulgar um infográfico é um exemplo de conteúdo baseado em dados.

Outros exemplos de conteúdos baseados em dados incluem:

A Ciência da Produtividade [Vídeo]
5 Coisas Que Você Está Medindo Incorretamente com Analytics Digitais e o Que Fazer Sobre Isso
7 Estratégias Comprovadas Para Aumentar o Tráfego do Seu Blog em 206%

Os recursos abaixo vão te ajudar a comprovar seu conteúdo com dados precisos:

A Lista Definitiva de Estatísticas de Marketing do Hubspot
38 Estatísticas de Marketing de Conteúdo Que Todo Especialista Em Marketing Precisa Saber
Marketing: 96 Estatísticas e Fatos Incríveis Sobre as Mídias Sociais

Mais de 100 Fatos e Estatísticas Incríveis Sobre as Mídias Sociais [infográfico]

Estatísticas: Calendário de Lançamentos

Técnicas para experimentar incluem fazer experiências e escrever estudos de caso para o seu público ou expandir o que outras pessoas fizeram.

Você pode até micro-segmentar conteúdo. Por exemplo, se um blogueiro experimenta fazer marketing de nicho, leve isso mais longe e experimente fazer marketing de nicho com um nome de domínio antigo, e aí escreve essa história.

Use histórias: Histórias podem cativar seu público, gerar emoções e melhorar sua taxa de conversão.

A história do Alibaba na China, que focou na paixão dele pelo comércio, ajudou-o a se tornar uma empresa de e-commerce multi-bilionária.

image45 1

Veja aqui como contar uma história que prenda o seu público:

Comece com alguma coisa única: A Harvard Business School recomenda que você comece com uma mensagem singular que ressoe com seu público. Idealmente, isso deve se conectar às perguntas ou Às dores do seu público.

Inclua suas próprias experiências: O nome é história por boas razões. Use suas próprias experiências (positivas ou negativas) como parte da mensagem. Nada de fingir!

Jon Morrow usou essa técnica de conteúdo de SEO on-page para fazer seu blog chegar a 1.740 assinantes fiéis em apenas 7 dias. Aqui está o post que o ajudou a se conectar com o público: Como Sair do Seu Emprego, Se Mudar Para o Paraíso E Ser Pago Para Mudar o Mundo.

Adicione um call-to-action (CTA): Toda história precisa ter um fim. Depois que você cativar a atenção dos seus leitores, eles vão esperar que você os informe sobre a solução. Afinal, sua história deve resolver um problema, não alimentá-lo.

Use um link ou botão de call-to-action para levar as pessoas ao seu funil e convertê-las. O MatchOffice aumentou sua taxa de conversão em 14,79% ao alterar o texto do seu CTA.

image48

O Unbounce oferece mais exemplos de botões de CTA práticos para substituir seus botões genéricos:

image49

Escreva títulos compartilháveis: O Google fez muitas alterações aos rankings de busca, mas um elemento permanece crucial: o título.

Se você escrever um título compartilhável para o seu post, ninguém vai poder impedir que ele receba cliques, seja lido e compartilhado por fãs verdadeiros.

Peep Laja do ConversionXL aumentou sua taxa de conversão trocando a palavra “hoje” por “agora” em um título. Isso também ajudou a aumentar as vendas 332%.

Títulos realmente atraem cliques.

Mesmo que sua página apareça na 1ª posição do Google para o conteúdo, isso não significa que você vai receber cliques.

O SEO on-page te dá chances de competir, mas o título pode transformar impressões em cliques.

Vamos pesquisar o termo como terceirizar. Veja como o título mais clicável está na 2ª posição.

image52

O exemplo perfeito de um site que usa títulos compartilháveis para aumentar sua taxa de conversão é o Upworthy.

Eu usei o Buzzsumo para analisar os títulos do Upworthy. Veja só o número incrível de compartilhamentos que o primeiro artigo acumulou.

image51

Se eu quisesse criar um título melhor para o meu conteúdo, veja o que eu faria:

Adicionar números: O post do Upworthy foi compartilhado mais de 1,6 milhões de vezes no Facebook porque contém um número definido. Se o título fosse “Os Americanos Estão Totalmente Errados Sobre Esse Fato Incrível”, tenho certeza que o número total de compartilhamentos nas mídias sociais seria mais baixo.

Aqui estão mais exemplos. Quando eu escrevi esse post, esses títulos estavam entre os 10 primeiros no Google para suas respectivas palavras-chave. Mas um ajuste simples poderia resultar em uma taxa de cliques mais alta.

Título original:

Princípios Básicos de SEO Para Otimizar Seu Site

Vamos adicionar números:

  • 6 Dicas de SEO Básico Para Otimizar Seu Site
  • 12 Princípios Básicos de SEO que Você Precisa Conhecer para Your Site

Título original:

  • Dicas Para Redação Freelancer Para Mães que Trabalham Em Casa
  • Trabalhos de Redação Freelancer Para Ganhar Dinheiro

Vamos adicionar números:

  • 5 Dicas Para Redação Freelancer Para Ajudar Mães que Trabalham Em Casa a Ganhar Dinheiro
  • 10 Trabalhos de Redação Freelancer Para Você Ganhar Dinheiro

Provoque curiosidade: A curiosidade vai fazer as pessoas clicarem em seu título, mas faça isso com cuidado e não deixe de cumprir a promessa no seu título com conteúdo de qualidade.

Por exemplo, se seu título for:

7 Segredos da Musculação que Você Não Conhecia

Aí lembre-se de relevar os 7 segredos, e idealmente, o que você vai revelar deve ser novo ou único.

Aqui está outro exemplo de título compartilhável que provoca curiosidade:

Crie uma experiência multimídia: Apesar de publicar no blog regularmente ser importante, não pare por aí.

Aprofunde-se em suas palavras-chave para descobrir as perguntas que trouxeram seus visitantes ao seu site. Aí, use diversos tipos de conteúdo para responder a essas perguntas, como:

  • Vídeos
  • Guias
  • Ebooks
  • Infográficos
  • Webinários
  • Demonstrações
  • Checklists
  • Séries de emails
  • GIFs animados
  • Quadrinhos
  • Podcasts

Para ver uma lista completa, veja os 20 tipos de conteúdo que geram leads do HubSpot, além de 14 tipos de conteúdo experimental que você precisa tentar fazer.

image55

Elimine o conteúdo duplicado: Use ferramentas como o Copyscape, o SiteLiner e o Screaming Frog para garantir que você não se repita.

Apesar de um conteúdo duplicado ocasional não destruir sua posição nos rankings, você vai se beneficiar se mostrar ao Google que cada conteúdo seu é original, relevante e útil.

Quando você já tiver bom conteúdo de SEO on-page que inclua palavras-chave informativas e comerciais e conta uma história que tem apelo para o seu público, é hora de gerar links da forma certa para melhorar suas posições nos rankings do Google.

9º passo: Gere links da forma certa

Anteriormente, eu mostrei como analisar links para o seu site usando o SEOprofiler.

Aqui está outra análise que eu fiz para o site Business Insider.

image56

Perceba que ela mostra uma gama de tipos diferentes de texto-âncora para links recebidos.

É exatamente isso que você precisa fazer para gerar links da forma certa.

Aqui estão algumas formas de fazer isso e os tipos de links que você precisa ter.

Links de texto-âncora (links in-text): Links de texto-âncora são links simples que aparecem dentro do conteúdo. Veja um exemplo abaixo…

image50

Eu descobri que quando você coloca links de texto-âncora “acima da dobra”, as taxas de conversão podem subir.

A estratégia de usar links em textos-âncora é usada principalmente quando você quer posicionar uma palavra-chave específica.

Você pode usar sua palavra-chave a segmentar como texto-âncora, mas para ter mais segurança e evitar penalidades do algoritmo de busca, misture-a a palavras-chave genéricas.

Por exemplo: se sua palavra-chave principal for avaliações de câmera digital, ao construir seus links de outro site, faça links naturais como esse: encontre as melhores avaliações de câmera digital, melhores marcas de câmera digital, etc.

Uma boa mistura é SEO on-page inteligente.

Links de imagem: Você pode também usar imagens para construir links quando escrever artigos ou guest posts. Veja aqui como fazer isso no WordPress.

Quando estiver pronto para adicionar uma imagem a um post, insira a palavra-chave que você gostaria de usar como texto-âncora na caixa “Alt Text”. Imagens são indexadas pelo Google, e isso significa que você vai receber um link de volta para o seu site.

image53

Links editoriais: Se você seguir esse guia de SEO, vai poder criar conteúdo útil e compartilhável através das mídias sociais, e isso naturalmente vai resultar em links inbound valiosos.

Um bom exemplo é o post sobre 200 fatores de posicionamento escrito por Brian Dean. Ele já foi citado múltiplas vezes.

image47

Para o Google, o que as pessoas dizem sobre você é muito mais importante e relevante do que o que você diz sobre si mesmo, quando se trata de melhorar nos rankings do Google.

Ao longo dos anos, eu criei milhares de conteúdos de blog ricos, baseados em dados e úteis.

Se você procurar qualquer coisa relacionada ao marketing de conteúdo, o Quick Sprout e o neilpatel.com aparecem, o que significa que eu recebo muitos links editoriais.

O Copyblogger cria links para posts com recursos úteis e relevantes para o envolvimento que eles já têm com seu público:

image54 1

Eu acredito veementemente que os proprietários dos sites não fizeram nada para conseguir esses links editoriais.

Eles simplesmente ganharam os links por causa da utilidade de seu conteúdo. Foque em conteúdo excepcional se quiser ganhar links que vão melhorar o posicionamento das suas páginas nos rankings.

Link building em escala: A diversidade de links é a meta final para gerar links adequados para o Google e subir nos rankings dele enquanto se evita penalidades.

Esse tutorial completo de Chris Liversidge vai te mostrar como escalar seu link building para se beneficiar no algoritmo de busca.

Técnicas antigas como envios para diretórios, marketing em fóruns, sites wiki e até guest posts e press releases já não funcionam tão bem agora quanto no passado.

Para ter um perfil de links diverso, escreva conteúdo que ganhe links de sites locais, regionais e internacionais relevantes ao seu.

Aí você vai criar um perfil de links natural, com SEO on-page segmentado e natural que vai resistir a qualquer desafio que o Google faça.

Conclusão

Entender os desafios para crescer nos rankings de busca do Google envolve um certo mistério. Mas no fim das contas, existem algumas estratégias-chave que vão ajudar seu site a ter uma boa performance de forma confiável.

Você vai precisar tirar tempo para estudar e realmente entender seu público-alvo e os desejos dele.

Faça a pesquisa necessária para identificar as palavras-chave de cauda longa que eles estão usando para chegar ao seu site.

Quando tiver essa informação, você vai poder criar conteúdo incrível para atender às necessidades deles, resolver os problemas deles e fazê-los voltarem sempre.

Continue criando conteúdo excelente e divulgando-o com toda a sua energia.

Repita o processo e eu garanto que você vai dominar os rankings dos motores de busca e evitar penalidades do algoritmo.

Como está seu site depois da atualização mais recente do Google? Você viu alguma alteração nos rankings, no tráfego ou na conversão? 

Como Ranquear Conteúdo Novo Mais Rápido

Compartilhe