Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Mailing: O Que É e Como Montar Sua Estratégia em 2020

como montar estratégia de mailing

Mailing é um conjunto de e-mails agrupados de acordo com o público de interesse. Ele serve como uma base de dados pessoais de contatos relevantes, que podem ser segmentados em diferentes categorias (como sexo, idade, localização), interesses ou características em comum.

Um mailing completo e organizado é a base de toda estratégia de marketing de sucesso.

Pode soar como exagerada essa afirmação, mas tenho elementos que atestam o que estou dizendo.

Para começar, entenda que é por meio dessa lista de contatos que as empresas conseguem entregar a seus clientes, leads e prospects as principais novidades, promoções e, principalmente, os melhores conteúdos no tempo certo.

Sem uma base sólida de mailing, simplesmente não há como investir em inbound marketing e esperar bons resultados em um prazo aceitável.

Portanto, se você espera construir um relacionamento de confiança com o seu público, aumentar as conversões, impulsionar suas vendas e dar aquele upgrade no pós-venda, fique comigo até o final deste texto.

Neste artigo, vou falar com detalhes sobre a importância de um mailing para sua estratégia e ensinar como você pode se dar bem com esse recurso a partir de várias dicas práticas.

Vamos nessa?

O que é mailing?

estratégia de mailing pelo smartphone

Mailing é um conjunto de e-mails agrupados de acordo com o público de interesse. Ele serve como uma base de dados pessoais de contatos relevantes, que podem ser segmentados em diferentes categorias (como sexo, idade, localização), interesses ou características em comum.

A tão almejada lista de endereços de e-mail dá às empresas, então, a possibilidade de se comunicar com clientes, leads, prospects e mesmo ex-clientes.

E de fazer isso de forma muito mais direta, rápida e assertiva.

Afinal, toda empresa tem algo que precisa ser compartilhado, não é verdade?

Pois é por meio dessa lista que o relacionamento com o cliente começa a tomar forma e se estreitar.

Vale esclarecer que essa definição atende ao conceito de mailing dentro de uma estratégia de marketing, especialmente no âmbito digital.

O termo mailing, contudo, não é nenhuma novidade e não nasceu com a internet. Ele tem origem na palavra inglesa mail, cuja tradução é correio, um serviço tão antigo quanto você pode imaginar.

Já o sentido da palavra mailing, no gerúndio, é o de despachar uma correspondência – o que continua fazendo sentido também no mundo digital, não é mesmo?

Para estratégias de marketing online, o mailing é indispensável porque facilita a entrega de mensagens importantes para determinado grupo de uma vez só.

E isso acontece sem precisar selecionar a dedo um por um e sem deixar ninguém de fora.

Assim, o mailing também torna o envio dos conteúdos muito mais personalizados e certeiros.

Esses conteúdos, por sua vez, podem ser promoções, novidades, avisos, mensagens automáticas e todo tipo de informação de valor para atingir seus objetivos.

Inclusive, o mailing se aplica ao outbound marketing, no meio offline.

Até porque, além dos e-mails (como e-mail marketing), a mala direta (correio) e o telemarketing (telefone) são outros exemplos de ferramentas que se utilizam de mailings para chegar até determinado público.

Qual a importância de um mailing?

pessoa acessando laptop em estratégia de mailing

Sejamos realistas: hoje em dia, todo mundo tem um e-mail.

Até aquele seu tio que dispensa um smartphone porque não usa o WhatsApp tem um endereço eletrônico como cadastro em sua operadora, seja de telefonia ou tv por assinatura.

Ainda que algumas pessoas não utilizem mais o e-mail para se comunicar com familiares ou amigos, ele continua sendo imprescindível para acessar redes sociais, receber notícias ou fazer cadastro em serviços diversos, não é verdade?

Isso quer dizer que o e-mail está presente na rotina de grande parte da população, sendo uma forma bastante barata, prática e eficaz de chegar até o seu público, e o melhor: de um jeito muito mais personalizado.

Além disso, o e-mail é uma forma menos invasiva de entrar em contato com a sua audiência.

Afinal, ela só vai acessar a caixa de entrada ou, de fato, abrir o conteúdo na hora que for mais conveniente.

Não é como um SMS ou mesmo a ligação de telemarketing – embora, como já dito, o mailing também se aplica a essa estratégia de interrupção.

Acontece que, sem um mailing sólido, atualizado e devidamente organizado, alcançar as pessoas é tarefa praticamente impossível.

Ou reunir tantos dados e identificar cada cliente de acordo com seus interesses na hora de enviar um conteúdo?

No funil de vendas, por exemplo, o mailing é essencial para segmentar os públicos e entregar diferentes tipos de conteúdo para as várias etapas na jornada de um lead ou cliente.

Para ficar mais claro, te convido a pensar na seguinte situação.

Você está prestes a lançar uma promoção exclusiva para atrair clientes e ex-clientes – ou seja, apenas para quem já comprou da sua loja.

Nesse caso, você precisa informar a esses grupos sobre a novidade por e-mail, mas não pretende incluir leads e prospects no campo dos destinatários, que são aqueles que ainda não compraram de você.

Com um mailing organizado, você saberá exatamente quais grupos selecionar e irá enviar a mensagem com apenas um clique, sem perder tempo ou quebrar a cabeça identificando cada um.

Essa comunicação one-to-one aproxima o cliente da empresa, e faz com que ele se sinta verdadeiramente compreendido em suas dores e necessidades do momento.

E não pense que apenas de e-mail é feito um bom mailing.

Além do endereço eletrônico, um banco de dados relevante para sua empresa deve conter o máximo possível de informações, como essas listadas abaixo:

  • Nome completo
  • Endereço
  • Telefone
  • Profissão
  • Empresa onde trabalha
  • Histórico e hábitos de compra
  • Interesses.

E por aí vai.

O importante é entender que, quanto mais completo o mailing de leads e clientes, mais efetiva será a sua comunicação com eles.

Como montar uma lista de emails: passo a passo

mon tagem de lista de emails

Agora que você já sabe o que é um mailing e como ele pode ajudar a impulsionar as suas vendas, que tal aprender a construir uma lista de e-mails matadora?

Para funcionar com assertividade e eficiência, um bom mailing precisa estar alinhado a uma série de ferramentas, ações e cuidados.

Então, mãos à obra!

1. Tenha uma boa ferramenta

Não importa o tamanho da empresa.

Organizar a base de dados dos clientes e leads é sempre uma árdua tarefa, que envolve tempo e energia.

Ainda bem que nada disso precisa ser feito à mão!

Com uma boa ferramenta de automação, por exemplo, você consegue:

  • Capturar contatos
  • Gerenciar os endereços
  • Customizar as mensagens
  • Programar o envio de campanhas
  • Manter o relacionamento com seu público
  • Nutrir leads em todas as etapas do funil
  • Receber insights sobre o envio dos e-mails.

Parece interessante?

Então, conheça agora 5 ferramentas que podem fazer isso por você:

  1. MailChimp: com o plano grátis, você pode armazenar até 2.000 contatos e enviar até 12.000 e-mails por mês
  2. Nitronews: a ferramenta cria automaticamente um ranking dos seus contatos, desativando aqueles menos engajados e inválidos. Isso pode gerar listas com mais qualidade, além de economizar no custo das campanhas. O plano grátis permite enviar 10.000 e-mails por mês para até 1.000 contatos
  3. Zoho Campaings: o Zoho permite a criação, o envio e o monitoramento de campanhas de e-mail, ajudando a manter uma base de clientes sólida. O software oferece ainda modelos de e-mail a um editor fácil de usar, além ferramentas de automação a análises em tempo real
  4. Mailjet: cria, gerencia, segmenta e monitora sua lista de contatos. Você pode mandar 12.000 e-mails por mês para até 1.000 contatos gratuitamente
  5. SendPulse: trabalha com automação de marketing completa, gerenciando mailings em diversos canais de comunicação, como e-mails, SMS e Viber.

2. Produza conteúdo de qualidade

Um conteúdo rico, útil e relevante para quem lê é o primeiro passo para conquistar a atenção do seu público alvo.

Quem se identificar com seu material não vai pensar duas vezes antes de ceder o e-mail em busca de novos conteúdos, mesmo que ainda não esteja preparado para fechar negócio.

Por isso, não deixe de manter uma frequência de posts tanto no seu site ou blog, quanto em suas redes sociais.

3. Disponibilize amostras de seu produto

Que tal oferecer amostras dos seus produtos para despertar um gostinho de quero mais?

Essa é outra excelente maneira de captar os dados de todos que demonstrarem interesse naquilo que você oferece.

Você pode, para isso, organizar sorteios de brindes em redes sociais ou oferecer uma consulta ou serviço gratuitamente, por exemplo.

O melhor das amostras grátis é que elas podem ser utilizadas em qualquer etapa do funil de vendas.

4. Ofereça e-books e outros materiais gratuitos

ebooks gratuitos em estratégia de mailing

Todos nós adoramos receber materiais gratuitos sobre assuntos de nossos interesses, não é mesmo?

São as famosas iscas digitais.

Iniciativas como essa aproximam você da sua audiência e mostram que você é uma verdadeira autoridade na sua área.

Geralmente, esses materiais focam em assuntos mais complexos ou temas mais aprofundados, cujo conteúdo não caberia em um simples artigo de duas mil palavras ou vídeos muito curtos.

Podem ser relatórios, e-books, tutoriais, webinar, audiobook, infográficos ou o que mais se encaixar com a proposta da sua marca.

Então, tudo o que seu público deverá fazer para recebê-los é ceder o e-mail.

5. Use opt-in para capturas de email

Opt-in são aqueles formulários que encontramos em diversas páginas da internet, oferecendo algum tipo de conteúdo ou material em troca dos nossos dados.

Esses formulários não estão ali à toa: eles são excelentes formas de capturar e-mails de leads qualificados, ou seja, aqueles clientes em potencial que estão demonstrando interesse no seu negócio.

Por ser uma tática não invasiva e que conta com a ação voluntária do consumidor ao inserir seus dados, esse tipo de estratégia é também conhecida como marketing de permissão.

6. Cuidados com o mailing de clientes

Construir uma base sólida de e-mails não se resume a apenas captar esses contatos.

Durante esse processo, é preciso trabalhar com ética, profissionalismo e não descuidar da manutenção da sua tão estimada lista.

Pequenos cuidados com o uso do mailing podem fazer toda a diferença para o sucesso da sua estratégia.

Vamos conhecer alguns deles!

7. Valide a qualidade do mailing

No universo do marketing digital, qualidade vem sempre acima de quantidade.

Por isso, por mais que você se orgulhe do número de endereços na sua lista de e-mail, não hesite em excluir aqueles que não servirão para o seu propósito.

Geralmente, são e-mails desativados, falsos, com erro de digitação ou aqueles que simplesmente não têm a ver com a proposta da sua marca.

Hoje em dia, existem vários programas que podem fazer essa verificação e excluir ou corrigir os endereços inválidos por você.

Um deles é o Neverbounce, que faz tudo isso em tempo em real.

8. Não compre listas de e-mail

Se existe um mandamento básico do marketing digital, é: só envie e-mails para quem quiser receber.

Logo, ainda que a ideia de comprar uma farta e longa lista de e-mails seja tentadora, fuja dessa cilada.

Importunar pessoas que nunca ouviram falar do seu negócio e certamente não têm nada a ver com o que você oferece só vai direcionar todo o seu trabalho para um local bem específico: a caixa de spam!

Ou seja, além de tudo, comprar e-mails ainda pode acabar com a reputação da empresa.

9. Mantenha os dados atualizados

Imagine criar constantemente campanhas sensacionais, mas não obter nenhum resultado ou poucas visualizações entre os e-mails enviados?

Muitas vezes, isso acontece porque a sua base de contatos está desatualizada.

Nesse grupo, podem estar os e-mails desativados, ou aqueles contatos que, por alguma razão, não se encaixam com a proposta do seu negócio.

Por isso, uma boa faxina no seu mailing é recomendável de tempos em tempos.

Além de apagar os endereços inexistentes, vá atrás de antigos clientes para confirmar se os dados ainda são os mesmos

Tudo isso vai ajudar a evitar a direcionar melhor suas mensagens e a conseguir insights muito mais assertivos sobre a eficiência das suas campanhas.

Conclusão

Não é de hoje que o mailing vem sendo usado para fins de marketing.

Desde os tempos da mala direta através de correspondência física nos correios, passando pelo telemarketing, até chegar na era dos e-mails: um banco de dados pessoais sempre será necessário para estreitar o relacionamento com os clientes.

Isso porque um mailing bem feito e organizado potencializa os resultados de campanhas, já que ajuda a entregar as mensagens para o público ideal, no tempo certo e de forma simples e automatizada.

Mas construir uma base sólida de contatos relevantes não acontece da noite para o dia.

Esse processo precisa ser feito com paciência, sempre observando os cuidados básicos de boas práticas.

Neste artigo, eu mostrei como criar uma lista de e-mails efetiva, além de dicas sobre o que o fazer e o que não fazer durante esse processo.

Lembre-se: a sua lista de clientes é o bem mais precioso da sua empresa e, por isso, deve ser mantida sempre atualizada e bem tratada.

E agora? Está pronto para colocar na mão massa?

Conte aí: como o mailing já tem ajudado você em sua estratégia?

Compartilhe