Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Entenda quais são os tipos de merchandising e como montar

o que é merchandising

O merchandising é assunto de interesse geral.

Por que eu digo isso?

Porque ele vale para marcas que querem se destacar no mercado e para as empresas que vendem seus produtos e serviços.

E porque a concorrência é sempre tão intensa que não basta apenas repetir a estratégia daqueles que disputam o público com você.

É preciso passar uma mensagem sutil, fixar-se na mente do consumidor de maneira quase despercebida e se posicionar como uma opção certeira para aquilo que ele precisa.

Nesse sentido, uma boa ideia é descobrir com quais técnicas de merchandising você conta e quais atendem aos seus objetivos junto ao seu cliente, certo?

É sobre isso que irei falar neste artigo.

Você vai entender o que é merchandising de forma descomplicado, quais são os tipos de merchandising e muito mais para criar uma estratégia inovadora.

Pronto para vender mais com o merchandising?

O que é merchandising?

Merchandising é um conjunto de técnicas que têm como finalidade tornar uma solução interessante para o consumidor ao mesmo tempo em que gera lucro para a empresa que a oferece.

Para isso, foca em melhorar o canal de comunicação com o cliente final.

Uma contribuição interessante vem do livro Merchandising no Ponto de Venda, de Regina Blessa, que fala o seguinte sobre as suas vantagens:

“Aumenta a média geral de vendas e o índice de compra por impulso; desenvolve a fidelidade dos consumidores à loja; atrai novos clientes para a loja; e aumenta os lucros.”

Parece uma boa razão para investir nessa estratégia, não é mesmo?

O fato é que não adianta a empresa fornecer um produto ou serviço de ótima qualidade se não conseguir persuadir seu público a comprar, convencendo as pessoas de que oferece de fato a melhor solução.

Basta se colocar no lugar do próprio consumidor para entender melhor.

Imagine você em um supermercado, onde há inúmeros produtos à venda.

O que vai determinar suas escolhas é justamente a mensagem que cada item passa. 

Ou seja, não depende apenas do ponto de venda, mas de toda a estratégia de merchandising por trás dele.

Origem do termo

A palavra inglesa merchandising tem suas origens lá na França. É uma variação da palavra merchandise ou, simplesmente, marchand ou merchant.

Aliás, essas duas últimas versões a gente bem conhece e fala muito, não é?

Quando, por exemplo, dizemos que vamos “fazer um merchan” para nossa marca, estamos basicamente nos referindo à essa mesma palavra francesa.

Tanto em inglês quanto francês, os primeiros significados do termo giravam em torno de “mercadoria, comércio ou troca”.

Naturalmente, ao longo dos anos, o termo foi ganhando consistência e complexidade, até se tornar o que conhecemos hoje.

Como funciona o merchandising?

O merchandising funciona através de uma combinação astuta de apresentação, promoção e estratégia de preço, tudo “combinado” para destacar os produtos de uma maneira que capta a atenção e desperta o desejo. 

É como colocar seus produtos sob os holofotes, garantindo que cada um deles tenha seu momento de fama no palco da loja (ou da página da web).

Para que ele realmente funcione, ele precisa:

  • Apresentação visual atraente: o rei do baile no mundo do merchandising. Esta é a arte de fazer sua vitrine ou página da web tão irresistivelmente atraente que os clientes são “magicamente atraídos” para dentro;
  • Estratégia de preços inteligente: a estratégia de precificação não só deve refletir o valor do produto, mas também ser psicologicamente atraente, talvez com preços que terminam em .99 ou descontos que fazem os clientes se sentirem “vencedores” ao economizar, certo?
  • Promoções e ofertas especiais: são como poções mágicas em ofertas — um pouco aqui, um pouco ali, e de repente, você criou uma demanda irresistível. Seja por meio de vendas relâmpago, brindes ou programas de fidelidade, essas táticas incentivam a compra imediata e a repetição de negócios;
  • Localização estratégica dos produtos: colocar produtos-chave onde eles são mais propensos a serem vistos (e comprados) é como escolher o lugar perfeito para um encantamento. Produtos populares na altura dos olhos ou itens de impulso perto do caixa podem transformar uma compra planejada em várias;
  • Interação e experiência do cliente: no fim das contas, o merchandising é sobre criar uma experiência que os clientes querem repetir. Elementos interativos, como provadores virtuais ou amostras grátis, não só aumentam o engajamento, mas também criam uma conexão emocional com a marca.

Tipos de merchandising

Antes de começar a elaborar suas ações de merchandising, vale entender qual formato se mostra como o mais eficiente para a sua realidade e objetivos.

Para isso, vou apresentar os cinco diferentes tipos de merchandising, ok?

Bora lá!

1. Visual merchandising

A identidade visual não pode ser negligenciada, pois dá vida a uma marca.

Ou você ficaria totalmente à vontade para comprar em uma loja cujo site tem layout duvidoso?

O mesmo vale para um ponto de venda físico.

A questão central aqui é que as cores escolhidas, o logo definido e mesmo a tipografia utilizada servem como estímulos ao consumo também ao moldar uma imagem para a marca.

O visual precisa ser irresistível, é claro, mas principalmente combinar com os gostos da persona.

De nada adianta apostar em luxo e requinte se esse não é um interesse do seu perfil ideal de cliente.

Mas como acertar nessa definição?

A sugestão é que comece questionando qual é o posicionamento estratégico da marca e qual a imagem que deseja projetar.

Tudo isso deve aparecer em todas as comunicações, tanto internas quanto externas.

Vai fazer uma ação de marketing? Precisa pensar no apelo visual desejado para divulgar suas soluções.

No caso de um estabelecimento físico, a organização dos móveis e a disposição dos produtos também devem ser planejadas.

A vitrine, então, é um cartão de visitas.

E o visual merchandising ensina que você pode ganhar (ou perder) vendas a partir dela.

2. Merchandising editorial

O chamado merchandising editorial surgiu nos Estados Unidos, ainda na década de 1930.

É um conceito antigo, mas não ultrapassado!

Em um primeiro momento, foi bastante utilizado pela indústria cinematográfica para promover produtos de forma mais sutil do que acontecia nas propagandas de televisão.

Se você assistiu ao filme Homem de Ferro (2008), talvez tenha percebido a presença da marca Burger King nele.

Não foi nada muito acintoso, pois merchandising não se trata de fazer referência direta.

Só que ela estava lá passando a sua mensagem e também aproveitou a ligação com o filme para ações no “mundo real”, como a distribuição de bonecos colecionáveis baseados no filme da Marvel.

Mas esse é só um exemplo.

Outro que vale ser citado e que foi bastante marcante como merchandising editorial ocorreu no filme O Náufrago (2000).

Quem não lembra da bola de vôlei Wilson na qual o personagem de Tom Hanks desenha um rosto e da qual ele se torna amigo e confidente?

O sucesso foi tanto que ainda hoje é possível encontrar na internet réplicas à venda da bola usada pelo personagem.

Trazendo para a nossa teledramaturgia, esse tipo de merchandising também está no cinema brasileiro, mas aparece bastante nas novelas.

Tanto é assim que a menção às marcas costuma ser feita nos créditos de encerramento de cada capítulo.

3. Merchandising no ponto de venda

Este tipo de merchandising tem relação com a identidade visual, sobre a qual falei antes.

Tem a ver com a organização dos produtos na loja física, de maneira a atrair o cliente para que ele ingresse no estabelecimento e, estando lá dentro, faça compras.

Não é por acaso que, em um supermercado, produtos como chocolates, balas, pastilhas, salgadinhos e outras guloseimas são posicionados perto dos caixas.

A ideia por trás dessa ação de merchandising no ponto de venda é despertar a vontade da compra quando a pessoa já não tem muito tempo de raciocinar se realmente precisa daquilo.

Além do produto exposto, é comum haver cartazes promocionais para incentivar o consumidor a optar por determinada compra.

4. Merchandising de varejo

O merchandising de varejo busca seduzir o cliente ao apresentar a ele aspectos que vê como vantagem na compra.

Um exemplo é quando ele é convencido a pagar por determinado produto para participar de uma promoção, sorteio ou levar um brinde.

Todo o tipo de campanha que visa aumentar o consumo, dando visibilidade a um produto, se encaixa nessa categoria.

Cupons de desconto e programas de fidelidade são outros exemplos.

Também a distribuição de amostras grátis é uma ação que pode funcionar bem para tornar um produto conhecido do público.

Obviamente, qualquer que seja a estratégia, ela precisa ser muito bem planejada para ter sucesso.

É por isso que um dos segredos do merchandising de varejo é conhecer exatamente o tipo de promoção que atrai seu público.

Sempre lembrando que experiências diferentes e enriquecedoras ajudam a fixar uma marca ou produto na mente dos consumidores.

5. Merchandising digital

Realizar ações de merchandising através da internet é quase uma tarefa obrigatória a todo o tipo de negócio.

É assim simplesmente porque não dá para desperdiçar o potencial imenso que o meio online oferece.

Aqui, cabe lembrar que merchandising não é publicidade.

Ou seja, estamos falando sobre menções a um produto ou serviço de forma sutil e implícita, diferente do que ocorre em um anúncio.

É possível contar com influenciadores digitais para isso, como em vídeos nos quais eles utilizam seus produtos.

Como exemplo, pensa em uma blogueira que ensina técnicas de maquiagem e que usa na demonstração um batom de determinada marca.

Mesmo que não a cite diretamente, a marca estará lá presente, aparecendo no vídeo e tendo seu produto apresentado.

Cabe aos profissionais por trás da estratégia entenderem onde o seu público está e que canais acessam para consumir conteúdo.

A partir daí, identificar neles oportunidades de inserção da marca.

Como montar uma estratégia de merchandising?

Uma boa estratégia de merchandising deve ser capaz de atrair a atenção do consumidor e despertar nele o desejo imediato de adquirir um produto ou serviço.

Até porque, em tempos de tanta variedade de opções e concorrência a dar com rodo, “fazer um merchant” para sua marca é fundamental.

Então, vamos ver como se chega lá!

Defina seu público-alvo

Para atingir um público com suas estratégias, é preciso conhecê-lo primeiro.

Isso quer dizer que você precisa entender a forma como ele consome os mais diversos produtos e serviços.

Pesquisar as suas necessidades é essencial para oferecê-lo soluções efetivas.

Defina metas e objetivos

Toda estratégia precisa de metas claras e bem definidas. Se não sabemos onde queremos chegar, fica impossível trilhar o caminho.

Em primeiro lugar, é importante saber qual objetivo você deseja atingir com seu merchandising.

Aumentar as vendas? Captar leads? Fidelizar clientes?

Cada um deles requer um planejamento e abordagem diferentes, concorda?

Em segundo lugar, não deixe de definir prazo para suas metas.

Assim, fica muito mais fácil acompanhar a evolução da sua estratégia.

Crie estímulos ao público-alvo

Se o dever de casa foi feito e você já conhece tudo sobre seu público-alvo, desde seus medos, anseios, até seus sonhos e objetivos de vida, então, atrair a atenção deles não deverá ser tão difícil.

Com base no perfil e nas necessidades do seu público, os estímulos deverão ser criados para criar uma conexão imediata com a marca.

Desenhe um ponto de venda bonito e agradável

Tanto no mundo virtual quanto no físico, um ambiente visualmente agradável faz toda a diferença na hora de conquistar os consumidores.

No primeiro caso, um site bem construído, bonito e funcional com certeza vai atrair mais visitantes do que um layout sem a menor usabilidade.

Já uma loja física também requer um espaço convidativo.

De preferência, que envolva o estímulo de vários sentidos do consumidor.

Uma música ambiente no tom ideal, um aroma que reforce a identidade da sua marca ou um espaço dedicado à degustação de algum produto, por exemplo.

Todas são opções que criam sensações de afinidade e despertam as mais diversas emoções.

Formule um calendário de promoções anual

Datas comemorativas podem ser sinônimo de descanso para muita gente, mas, para você, é trabalho dobrado.

Isso se quiser transformar essas ocasiões em oportunidade.

Natal, Dia das Crianças, Dia dos Pais…

Elabore um calendário que reforce a importância dessas datas para passarmos um tempo ao lado de quem amamos, e ofereça promoções ou sorteios relacionados aos seus produtos para tornar a data ainda mais especial.

Crie uma identidade para o negócio

Todo negócio precisa de uma identidade.

Além de diferenciar a sua marca das demais, também reforça a sua personalidade, que deve ser única.

Estou falando de identidade visual interessante, marca forte, logotipo memorável, um slogan criativo e experiências únicas para seus clientes.

É importante ainda deixar claro qual a missão e visão de futuro da empresa.

Detalhes como esses é que vão gerar identificação no público.

Envolva diferentes sentidos na experiência

É aquilo que mencionei uns tópicos atrás.

Dependendo do seu tipo de negócio e da sua estratégia, envolver diferentes sentidos na experiência do cliente pode ser um grande diferencial na hora de fechar uma venda.

É sempre bom estudar o ambiente para ter certeza de que a iluminação está adequada, a música está no volume certo ou de que o aroma não está incomodando os clientes.

Um ambiente agradável, além de convidativo, faz com que os visitantes queiram passar mais tempo na sua loja.

Ofereça exclusividade

Foque naquilo que torna a sua marca única e trabalhe em cima disso.

Para isso, uma boa pesquisa de mercado deve ser capaz de informar o que a concorrência anda fazendo para atrair ou afastar os consumidores.

Procure também conversar com seu público para descobrir o que o deixa feliz.

Às vezes, gestos simples podem agradar em cheio e diferenciar sua marca das demais.

Use a tecnologia para encantar

Na era digital, adotar a tecnologia no merchandising é como adicionar um superpoder ao seu arsenal!

Imagine utilizar displays interativos na sua loja física que reagem ao movimento dos clientes, mostrando diferentes características de um produto com um simples gesto. 

Ou, para os aventureiros online, implementar realidade aumentada que permite aos clientes verem como um móvel ficaria em sua sala antes da compra. 

Incrível, não é mesmo?

São ferramentas que se transformam em convites cativantes para uma experiência de compra mais rica e envolvente.

Faça testes

Testar, testar e testar novamente. 

Cada mudança que você faz, seja na disposição dos produtos, nas estratégias de precificação ou nas campanhas promocionais, é como um novo encantamento que precisa ser refinado. 

Use testes A/B para comparar diferentes abordagens, veja o que ressoa melhor com seu público e ajuste sua estratégia com base em dados reais, não em suposições. 

Essa abordagem  garante que você esteja sempre aprimorando seu feitiço para capturar os corações (e as carteiras) dos clientes.

11 técnicas populares de merchandising para vender mais produtos

Muita gente acha que fazer merchandising custa caro.

E elas até tem certa razão nisso, pois tomam como exemplos da prática as inserções em filmes de Hollywood!

Mas quem disse que na sua loja não há espaço para “fazer merchan”?

Com as técnicas que vai conhecer agora, fica claro que essa é uma estratégia ao alcance de todos.

Coloque a sua criatividade em prática e venda mais.

1. Estímulos sensoriais

Não é novidade para ninguém que estimular os sentidos do cliente contribui com sua decisão de compra.

O problema costuma estar na forma como isso acontece.

Por exemplo, muitas lojas usam música para conduzir o consumidor enquanto ele observa os produtos à venda.

Mas nem sempre têm critérios para a escolha dessa música, ou priorizam apenas o próprio gosto do responsável pela ação.

Além dos ouvidos, você pode encantar pelos olhos (dedicando um cuidado especial à decoração da loja, à iluminação dela ou ao layout do site, no caso do comércio eletrônico).

Também consegue estimular as vendas pelo paladar, oferecendo degustação de produtos para que o consumidor experimente.

Não dá para esquecer ainda do tato, que costuma funcionar bem em uma loja física ao deixar itens ao alcance das mãos do cliente.

E o bônus pode estar ao explorar o olfato, com aromas que cumprem a mesma função da música.

Contudo, essa é uma abordagem arriscada: se errar na escolha, pode afastar e não atrair o público.

2. Cross-merchandising

Você talvez ainda não conheça o cross-merchandising, mas certamente é provável que saiba do que se trata a venda cruzada.

Especialmente em supermercados, essa é uma técnica que aparece com frequência. Aliás, neles, a estratégia é praticamente obrigatória.

Afinal, quando vai comprar leite, encontra cereais e achocolatados por perto.

Quando compra macarrão, tem o molho de tomate logo ao lado.

A disposição dos produtos dessa forma visa estimular o consumidor a completar a sua compra, levando para casa itens que combinam uns com os outros.

Para as próprias marcas, é interessante que a técnica seja adotada nos pontos de venda.

Afinal, a sua simples presença ali pode funcionar como uma lembrança ou mesmo como uma oportunidade para que ela seja experimentada.

3. Decoração de vitrines

O uso de vitrines como estratégia de merchandising se explica pelo mesmo princípio do cross-merchandising.

Ou seja, a ideia é que ela chame a atenção de quem passa por ali e desperte uma necessidade de compra até então desconhecida ou ignorada.

Se você pensar, é um efeito muito próximo da menção a uma marca em um filme ou novela.

O consumidor pode estar caminhando na rua sem nenhuma intenção de compra, quando uma vitrine se destaca na paisagem e toma o seu olhar.

Para isso, é claro, não basta dar preferência aos produtos que estão sendo lançados ou mesmo aos sucessos de venda, o que também é uma boa prática.

Mas é preciso ir além e apostar na criatividade, inserindo no espaço algo que fuja do lugar comum.

Cores e iluminação diferenciadas são um bom ponto de partida, mas dá para inovar mais.

Até mesmo apresentações artísticas no espaço podem funcionar bem.

O mais importante, cabe repetir, é atender aos gostos do seu perfil de cliente.

4. Datas comemorativas

Por mais básica que seja essa estratégia, ela não pode ficar de fora.

Você precisa saber explorar as principais datas do ano para dar destaque a produtos relacionados a elas.

Hoje em dia, a Páscoa vai muito além de chocolates, assim como o Natal não é só peru e panetone.

Dá para adaptar a técnica de cross-merchandising nesses casos, aproximando os itens conforme sua relação com o evento.

Tenha sempre em mente que a presença de um produto pode despertar na mente do consumidor o gatilho para a compra – isso vale para qualquer ação de merchandising.

5. Regra de três

Ainda quanto à disposição de produtos, existe um conceito relacionado à simetria visual que é aliado das estratégias de merchandising.

É a chamada regra de três.

Nunca ouviu falar sobre ela?

Basicamente, consiste na escolha de três produtos de tamanhos diferentes para dar ao cliente uma ideia de movimento em meio a tantos itens estáticos.

Uma boa forma de fazer isso é recorrendo ao formato de pirâmide, com o mais alto posicionado no meio.

Também dá para usar três tamanhos diferentes: pequeno, médio e grande.

A ideia aqui é simples: se tudo tem o mesmo porte na gôndola, nada vai chamar a atenção do consumidor.

6. Stopper

O Stopper é aquele material que costumamos encontrar nas prateleiras de produtos enquanto estamos percorrendo os corredores de uma loja, geralmente nos supermercados.

Como o próprio nome sugere, que vem da palavra “Stop” (pare), é uma forma de fazer com que a pessoa pare!

Automaticamente, ela vai olhar para aquela seção de produtos antes de prosseguir.

É um gatilho de merchandising bastante eficaz, já que chama a atenção do cliente para um produto que, provavelmente, passaria despercebido se não fosse por esse detalhe se destacando nas prateleiras.

Para sua loja, eles podem ser usados para fortalecer alguma mensagem específica ou destacar ações promocionais, por exemplo.

7. Wobbler

Wobbler é uma peça de papel, normalmente redonda, sustentada por uma haste de plástico que vemos nos corredores e gôndolas dos supermercados.

Seu uso, porém, é super versátil e pode ser facilmente adaptado para as necessidades de marketing da sua loja.

Por trazer uma sensação de que está flutuando no ar, também é uma ótima maneira de chamar a atenção do consumidor para promoções e vantagens.

É ainda fácil de fazer e de rápida instalação.

8. Adesivo de piso

Adesivos de piso são super eficazes para sinalizar algum elemento da sua loja.

Isso porque, geralmente, são grandes e coloridos, sendo praticamente impossível que o consumidor fique indiferente ao anúncio.

Além disso, o adesivo de piso também ajuda a deixar o ambiente mais leve e descontraído, servindo como item decorativo.

9. Clip strip

Em toda loja existem aqueles produtos que ficam meio de lado, jogados solitariamente nas prateleiras.

O clip strip é uma tira de plástico que serve para organizar e destacar esses produtos, para que fiquem mais fáceis de serem encontrados.

Geralmente usada para sustentar produtos menores, essa tira funciona como suporte e mantém os itens pendurados bem à altura dos olhos do consumidor.

Um exemplo clássico do uso dos clip strips são os pacotes de queijo ralado sustentados verticalmente nas prateleiras dos supermercados.

Lembrou agora?

10. Móbiles

O móbile é aquela peça, geralmente promocional, que fica pendurada no teto das lojas, suspensa apenas por um fio de nylon.

Assim, conforme o vento vai batendo, eles giram para um lado e para o outro.

Esse movimento, além de causar um efeito bem bacana, também estimula a visibilidade do anúncio, que pode trazer diferentes mensagens na frente e no verso.

11. Banner promocional

Essa peça todo mundo conhece, não é mesmo?

Em eventos como feiras de negócios e exposições, tem aos montes.

Mas nem precisa ir longe. Basta reparar nas lojas da praça de alimentação dos shoppings ou na entrada dos cinemas para ver dezenas deles.

Assim como nos exemplos anteriores, os banners são bastante eficazes – porém, mais sofisticados e elaborados.

Impressos em lona, são grandes o suficiente para chamar a atenção do consumidor, detalhar uma ação promocional e incentivar a compra por impulso.

Além disso, são ótimas ferramentas de fortalecimento da marca.

5 dicas de como fazer um bom merchandising

Depois de conhecer as técnicas, resta saber como colocar em prática a sua estratégia de merchandising.

As dicas a seguir podem ser aplicadas nas mais diversas ações.

Significa que, independente da abordagem escolhida, vale considerar essas sugestões para otimizar os resultados alcançados.

1. Atenda ao seu público

Fique atento aos interesses e necessidades do seu público-alvo.

Tente se colocar no papel do cliente e reflita: o merchandising está de acordo com ele?

Para essa resposta, leve em conta todas as características que levantou sobre ele na definição de personas.

Uma decoração especial ou mesmo a disposição dos produtos em loja só vai funcionar se combinar com aquilo que o consumidor gosta.

2. Ouça o cliente

É importante manter aberto o canal de comunicação com o público consumidor.

Afinal, a intenção é sempre agradar o cliente para que ele fique satisfeito e retorne para fazer mais compras.

Peça um feedback para que seja possível melhorar ainda mais o merchandising.

Uma opção é mandar um e-mail, perguntando como ele se sentiu ao ser atendido. Mas as opções são muitas, ok?

Fique atento para as críticas que, invariavelmente, você escutará e não desanime: utilize elas de forma construtiva e não hesite em fazer mudanças (se for o caso).

3. Monitore os resultados

Será que as ações de merchandising utilizadas têm revertido nos resultados que gostaria?

Sem monitorar, você talvez insista em algo que não gere vendas como gostaria.

Também pode desperdiçar oportunidades melhores.

Olhe para o caixa, analise as vendas e o faturamento. Depois de recorrer a determinada técnica, os números melhoraram?

Essa é a análise que você precisa fazer.

Afinal, se algo precisa ser ajustado, o primeiro passo é a sua identificação.

4. Observe a concorrência

Você já ouviu falar em benchmarking?

Nada mais é do que um estudo sobre as práticas empregadas pelos concorrentes, de modo a identificar o que funciona ou não para vender mais.

Não se trata de copiar uma determinada ação de merchandising, mas de buscar inspiração.

Ela pode vir até mesmo de concorrentes indiretos, que não atuam no mesmo segmento, mas focam suas estratégias no mesmo perfil de cliente.

Como vantagem, otimiza seu investimento, ao permitir direcionar recursos (tanto de tempo como financeiros) ao que dá resultado.

5. Cogite ajuda profissional

Montar um negócio lucrativo através da utilização correta das técnicas de merchandising é uma tarefa que dá muito trabalho, pois é necessário estar atento aos detalhes.

Por isso, pense na opção de contratar um profissional que o auxilie a atingir seus objetivos com maior rapidez, em menor tempo e correndo menos risco!

Quais fatores influenciam no merchandising?

E então, já decidiu quais tipos de merchandising quer adotar para sua empresa?

Mas, antes de colocar a mão na massa, é importante conhecer quais os principais fatores que podem influenciar no seu merchant.

Confira.

Inovação

Um bom merchandising deve ser original. Aposte em diferentes ferramentas (aqui, apresentamos já 11 para você explorar) e na criatividade para se destacar da concorrência.

Novas tecnologias

Você pode até não se dar muito bem com elas, mas a verdade é que as tecnologias estarão sempre evoluindo.

A boa notícia é que, com um pouco de boa vontade para aprender a utilizá-las no seu negócio, a produtividade da sua empresa pode aumentar assustadoramente.

Portanto, passe a enxergar novas tecnologias como aliadas.

Aumento do autosserviço

Essa é uma das maiores tendências para o varejo e que, cá entre nós, é muito interessante para você também!

O autosserviço, ao mesmo tempo que garante mais autonomia para os clientes, traz também mais agilidade no serviço.

Aumento do valor de serviços

O que faz com que marcas que oferecem produtos semelhantes trabalhem com preços, muitas vezes, tão discrepantes e ainda assim tenham a preferência dos consumidores?

Bom, as pessoas tendem a associar um produto a toda uma experiência. 

A isso, damos o nome de valor.

Preço é aquilo que você paga, valor é o que você leva para casa. 

É por isso que tantas pessoas não se importam de pagar um preço mais elevado, mesmo havendo outras opções mais baratas no mercado.

Eficácia e eficiência na gestão

Quanto mais preparada é a gestão de uma empresa, melhores as chances de sucesso com o merchandising.

Uma gestão eficaz é aquela capaz de criar um bom clima organizacional, motivar a equipe e investir em treinamentos contínuos para capacitar seus representantes.

E não se esqueça de prezar por um bom relacionamento também com os fornecedores: eles são a peça-chave para garantir preços mais competitivos e entregar tudo no prazo certo.

3 exemplos de merchandising que vendem e fazem sucesso

Como acabei de destacar, buscar inspiração é importante para acertar em suas ações de merchandising.

E ela pode vir de diferentes fontes, o que inclui marcas poderosas, que lideram seus respectivos mercados.

Quer saber o que elas podem ensinar a você?

Confira três cases de sucesso em merchandising e descubra.

1. Coca-Cola

Falar sobre a Coca-Cola é destacar uma das marcas mais famosas do mundo e sucesso de vendas há várias décadas.

Mas essa gigante da indústria de bebidas dá aula também de marketing e merchandising.

Aliás, as ações da Coca-Cola nessa área são as grandes responsáveis por ela ter se tornado tão importante na vida das pessoas.

É uma marca viva na mente de seus consumidores.

Tanto é assim que, além da bebida tradicional e outros sabores produzidos por ela, o logo da Coca-Cola também é encontrado em livros de receita, canecas, lápis, chinelos, roupas, camisetas de futebol, quadros, chaveiros, cadernos, lápis, mochilas, óculos e muitos outros produtos.

Mas esse é só o início da estratégia.

A marca está presente também no cinema, em séries e até nas telenovelas brasileiras.

As menções aparecem ainda em vídeos de influenciadores digitais e muitos outros não tão famosos — muitas vezes, de forma espontânea.

E se falarmos de exemplos de merchandising nos pontos de venda, a lista fica ainda maior.

Já veio em sua mente os freezers pintados da cor vermelha e com as palavras Coca-Cola em branco?

Essa é uma ação da marca para reforçar a sua presença em restaurantes, lanchonetes e outros estabelecimentos nos quais a linha de bebidas é vendida.

Não por acaso, o reconhecimento da marca é espontâneo e o sucesso continua, geração após geração.

2. Boticário

Outro exemplo de merchandising bem-sucedido é de uma marca bastante conhecida dos brasileiros: O Boticário.

E a técnica mais marcante é a de estímulos sensoriais, que vão muito além do cheiro de suas fragrâncias.

A empresa criou um novo conceito de loja para agradar aos seus clientes através do uso da tecnologia.

No interior do estabelecimento, as pessoas podem acessar tablets para conhecer melhor os produtos nos quais há interesse.

Também existe um espaço que ganhou o nome de “Monte seu presente”, ou seja, é o próprio cliente que customiza a embalagem que será dada de presente.

A ideia ajuda o consumidor a entrar em sintonia com a marca!

3. Extra Hiper

Outro exemplo vem da rede varejista Extra Hiper (que agora não existe mais dessa forma).

A ideia era reformular o espaço reservado para a compra de roupas dentro do mercado.

Mas como isso foi feito com sucesso?

O piso da parte têxtil é diferente, assim como o teto é mais baixo e a iluminação diferenciada faz o cliente se sentir em um local diferenciado.

Mais uma vez, são trabalhados estímulos sensoriais para despertar uma reação do consumidor.

Também foram utilizados manequins para expor as roupas e instalado provadores para o público masculino e feminino.

Em comum com outras estratégias, o Extra focou na experiência do consumidor, o que faz toda a diferença para os resultados do merchandising.

Conclusão

E assim chegamos ao final de nossa jornada pelo universo do merchandising. 

Espero que tenha sido tão proveitosa para você como foi para mim falar sobre esse tema!

Armado com conhecimento sobre o que é, exemplos inspiradores e dicas de como fazer, posso dizer que você está bem mais pronto para lançar seu próprio merchan, não acha?

Ele é mais do que apenas uma estratégia; é uma arte de encantar, envolver e transformar o interesse em ação. 

E com os fatores certos influenciando suas decisões — inovação, tecnologia e uma profunda compreensão do seu público —, seu merchandising não apenas venderá mais produtos, mas criará uma história de marca forte.

Então, vá em frente!

O que você está pensando em fazer? 

Me conte aqui nos comentários para te ajudar!

Até uma outra vez!

Perguntas Frequentes Sobre Merchandising

O Que É Merchandising?

Merchandising é um conjunto de técnicas que têm como finalidade tornar uma solução interessante para o consumidor ao mesmo tempo em que gera lucro para a empresa que a oferece.

Quais os Cinco Principais Tipos de Merchandising?

Visual Merchandising;
Merchandising Editorial;
Merchandising no Ponto de Venda;
Merchandising de Varejo;
Merchandising Digital.

Como Montar uma Estratégia de Merchandising?

Defina seu público-alvo;
Defina metas e objetivos;
Crie estímulos ao público-alvo;
Desenhe um ponto de venda bonito e agradável;
Formule um calendário de promoções anual;
Crie uma identidade para o negócio;
Envolva diferentes sentidos na experiência;
Ofereça exclusividade.

Quais fatores influenciam no merchandising?

Inovação;
Novas tecnologias;
Aumento do autosserviço;
Aumento do valor de serviços;
Eficácia e eficiência na gestão.

Conclusão

O merchandising desempenha um papel muito importante ao estimular os clientes a investir em determinado produto, fazendo isso de forma sutil, mas interessante.

Com tamanha concorrência em praticamente todos os segmentos, quem pode abrir mão de alcançar vendas dessa forma?

É por isso que recomendo a você colocar em prática as dicas que conferiu neste artigo, não sem antes elaborar um planejamento que considere todas as características específicas do seu negócio.

Olhe para seu público, identifique o que ele quer e entregue isso na medida certa.

Qual das técnicas de merchandising funcionam melhor com ele? Encontre a resposta e conte nos comentários!

guia completo de marketing digital
NP Digital Brasil

Você quer resultados imediatos?

Minha agência pode fazer todo o trabalho pra você. Somos especialistas em:

  • SEO - Colocamos seu site no topo das pesquisas do Google
  • Mídia Paga - Fazemos seu negócio alcançar quem importa no momento certo
  • Data & Conversion Intelligence - Desbloqueamos as conversões do seu site e criamos dashboards para melhores análises

Fale com um especialista

Consultoria com Neil Patel

Compartilhe