Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Marketing Educacional: 10 Estratégias Para Crescer Sua Instituição

ilustração de estrutura de marketing educacional

Não é de hoje que as instituições de ensino investem em marketing educacional.

Mas se antes o investimento era realizado por meios tradicionais, hoje as ações são prioritariamente digitais.

Muita coisa mudou nessa transição para o online.

Novas tecnologias surgiram, e as metodologias para captação de alunos se adaptaram a elas.

Atualmente existem muitas maneiras para atrair novos estudantes, manter sua lealdade e entender seu comportamento.

Essas estratégias envolvem recolhimento de dados, análise intensa e tentativa e erro.

Então, se você tem como objetivo escalar matrículas e aumentar as taxas de renovação da sua instituição de ensino, este artigo é leitura obrigatória.

Nas próximas linhas, você vai aprender tudo que há de mais moderno em termos de marketing educacional para decolar de vez a sua escola.

Ficou interessado?

Então, continue a leitura.

O que é marketing educacional?

equipe de marketing educacional

Marketing educacional é um conjunto de táticas aplicadas em instituições de ensino (IES) para atrair mais alunos e elevar a taxa de fidelização daqueles que já estudam. São utilizados diferentes canais para gerar boas experiências aos estudantes e engajá-los ativamente em ações presenciais e online.

Portanto, o conceito de marketing educacional alia estratégias de marketing no segmento de negócios das instituições de ensino.

Isso inclui escolas, faculdades, cursos profissionalizantes, cursinhos, plataformas de ensino a distância (EAD) e muito mais.

A educação é um setor essencial à sociedade, e um dos mercados mais quentes em qualquer época.

Mas, como qualquer nicho comercial, tem suas próprias características.

Diferentemente das lojas de varejo, por exemplo, há uma relação cotidiana entre a instituição e o aluno.

Por isso, o marketing escolar não é utilizado apenas para atrair novos estudantes, mas também para cultivar bons relacionamentos com os alunos já matriculados.

Embora haja exceções, o público do marketing para escolas geralmente é jovem.

Justamente pelo contato constante dele com a renovação tecnológica, as estratégias observam as mudanças de perto para se adequarem a novas realidades.

Portanto, são ações mutáveis e flexíveis.

Em um mundo no qual cada vez mais pessoas passam tempo online, o marketing digital emerge como grande filão no setor.

Muitas organizações educacionais têm seus próprios aplicativos, interagem nas redes sociais, atualizam blogs, investem em links patrocinados e muitas outras ações na internet.

Nessa nova realidade, alunos, pais e instituições se aproximam cada vez mais.

Ao aliar o marketing educacional à prestação de serviço de qualidade e um bom atendimento, certamente a instituição de ensino sai na frente na hora de engajar e atrair clientes.

4 Benefícios do marketing educacional

ilustração de estudante em frente de livro

Existem muitos benefícios ao utilizar o marketing educacional.

Esse é setor de negócios extremamente tradicional.

Graças a isso, percebo grande dificuldade de adaptação de grande parte das instituições de ensino.

Mas se por um lado essa é uma notícia ruim, por outro representa uma vasta gama de oportunidades para aquelas que realmente enxergam o potencial da estratégia.

Quando a concorrência não se renova, temos uma vantagem competitiva.

Ainda não se convenceu?

Então, a seguir, conheça alguns dos principais benefícios do marketing educacional.

1. Comunicação com o público

A utilização de recursos digitais no marketing educacional permite dialogar com o público certo na hora exata.

Apenas para utilizar um exemplo, vamos falar sobre o marketing de conteúdo para instituições de ensino.

Nessa estratégia, você utiliza o Google para trazer pessoas para o seu blog e, consequentemente, transformá-las em alunos.

A melhor parte é que você terá que lidar apenas com quem revela interesse nos serviços que você presta.

Essa espécie de filtragem economiza muito dinheiro.

Em vez de se comunicar com todos, você segmenta o público.

Com isso, aumenta-se a taxa de matrículas, já que somente as pessoas corretas receberão uma oferta.

Indo ainda mais adiante e tratando das pessoas que já assinaram um contrato, os meios de marketing online são ainda mais eficientes.

Com uma comunicação regular, atendimento qualificado e alto engajamento social, a tendência é que se criem vínculos cada vez mais duradouros entre escola e aluno.

Como sabemos, esse é um dos objetivos mais importantes para qualquer tipo de negócio.

Afinal, é muito mais fácil manter antigos alunos do que conquistar novos.

2. Captação de alunos

equipe em análise de gráficos de marketing educacional

No tópico anterior falei sobre a atração de alunos por meio do mais utilizado mecanismo de buscas.

Mas você sabe como fazer isso?

O nome da técnica utilizada para tal é SEO (Searching Engine Optimization).

Nela são aplicadas palavras chave relevantes em artigos para blogs.

Assim, quando alguém buscar por elas, as chances de caírem em suas páginas são grandes.

Apesar disso, essa não é a única opção que as estratégias digitais nos trazem.

Os links patrocinados alcançam um público qualificado por meio de campanhas segmentadas.

As redes sociais engajam e convertem.

Mas falarei mais sobre elas em um tópico mais adiante.

Por enquanto, apenas saiba que o marketing educacional é ótimo para atrair novos alunos para a sua organização.

3. Posicionamento no mercado

Em um ambiente de mercado cada vez mais acirrado, o posicionamento da instituição de ensino conta muito para a tomada de decisão do cliente.

Por isso, firmar-se como uma referência, colocar-se ao lado de causas e demonstrar valores é muito importante nesse segmento.

Tanto os meios digitais como os offline permitem esse tipo de ação, gerando uma imagem positiva para o público desejado.

Ao posicionar-se como uma marca respeitável, ganha-se em alcance, lucro e rentabilidade da escola.

4. Escalabilidade

Por fim, não poderia deixar de falar da escalabilidade do marketing educacional.

Principalmente nas estratégias digitais.

A grande vantagem do marketing na web é que você tem acesso a uma grande quantidade de dados.

Um simples post no Facebook, por exemplo, mostra números relacionados ao engajamento, alcance, desempenho e muito mais.

Com essas métricas em mãos, tudo que um bom administrador de campanhas deve fazer é comparar a performance.

Assim torna-se possível otimizá-las, mantendo ações que funcionam e descartando ou alterando aquelas que falharam.

Em outras palavras, o ambiente digital permite atividades sem margem de erro.

Sua perfeita aplicação faz com que os gastos de marketing sejam cada vez mais otimizados e, como consequência, a corporação ganha de maneira geral.

10 estratégias de marketing educacional para sua instituição

estratégias de crescimento para marketing educacional

Como ficou claro, o marketing digital educacional tem muito a oferecer para instituições de ensino.

As opções são muitas, e nem sempre é fácil decidir quais delas é a melhor.

Por isso, conheça-as individualmente a seguir.

Depois de observá-las, selecione aquelas que considera aplicáveis em sua escola e coloque a mão na massa.

Mas lembre-se de, seja qual for a sua escolha, utilize os dados para definir o que funciona e o que apresenta baixa performance.

1. Persona

O conceito de persona é um dos pilares do marketing digital.

Basicamente trata-se de um personagem fictício que representa o cliente ideal da empresa.

Ou seja, a pessoa que você deseja atingir com suas estratégias.

Ela tem nome, sobrenome, problemas, costumes e outras características que possam ser úteis no momento da aplicação das ações.

Ocorre que, no marketing educacional, muitas vezes as pessoas ficam confusas sobre quem atingir.

Afinal, devo dirigir minhas atividades aos alunos ou à família?

A resposta não é tão simples, mas aqui vai uma dica: fale com o tomador de decisões.

É bem provável em escolas infantis você deve dialogar com os pais ou responsáveis.

Já em instituições de pós-graduação e MBA, o decisor é, provavelmente, o aluno.

Mas e quanto a um vestibulando de 17 anos?

Não se preocupe, essa dúvida é muito comum.

Para tal, você pode realizar pesquisas de mercado e descobrir quem toma a decisão final no geral.

Ou, quem sabe, utilizar duas personas diferentes e verificar qual delas traz melhores resultados.

O importante é que você defina uma pessoa específica com quem quer conversar.

Assim, todas as suas ações de comunicação serão direcionadas a ela, mantendo um padrão de linguagem.

2. Segmentação

segmentação no marketing educacional

A segmentação consiste em personalizar suas mensagens para públicos específicos.

Isso acontece em diversas estratégias digitais.

Mas para facilitar a compreensão, utilizarei aqui o e-mail marketing como exemplo.

Imagine que você tenha uma base de 1500 alunos em sua escola, todos eles cadastrados em uma mailing list.

Mas, claro, eles não são todos iguais.

Você pode segmentá-los por uma série de variáveis, mas nesse caso vamos selecionar as turmas.

Uma menina da quinta série provavelmente não terá os mesmos problemas que um jovem do segundo ano, certo?

Agora, vamos supor que haja uma alteração na grade curricular em uma série específica.

Em vez de enviar um comunicado a todos os alunos, faz muito mais sentido anunciar somente aos estudantes daquela classe.

Esse é apenas um exemplo de segmentação, mas existem muitos outros.

Ao personalizar suas mensagens, ganha-se em engajamento e fidelização.

3. Produção de conteúdo

A produção de conteúdo é uma ótima maneira de atrair potenciais alunos e reter estudantes.

Neste mesmo texto eu já citei os artigos otimizados para o Google, que é uma das principais ações utilizadas para atrair visitantes para um blog e convertê-los em clientes.

Mas saiba que a produção de conteúdo vai muito além disso.

São muitos os formatos utilizados com diferentes objetivos.

Pense em um cursinho de pré-vestibular que cria um ebook cujo título é “Como criar uma redação nota 100 no ENEM”, por exemplo?

É bem possível que um grande número de pessoas se interessem, não é mesmo?

Ou, quem sabe, um webinar no qual os alunos podem enviar as principais dúvidas sobre cada carreira para alguns especialistas.

Mais: imagine uma escola que produz um podcast semanal contando sobre as atividades escolares e entrevistando os próprios alunos.

Interessante, né?

A produção de conteúdo oferece muitas oportunidades.

Vídeos, apresentações de slides, posts em redes sociais, quizzes…

Você só precisa de criatividade e qualidade na hora de criar os materiais e utilizá-los para atração e retenção de alunos.

4. Omnichannel

uso da tecnologia do omnichannel no marketing educacional

A estratégia omnichannel é uma aliada de instituições de ensino que querem se aproveitar dos mecanismos de marketing digital.

Trata-se da conexão entre diferentes canais para capturar leads e transformá-los em alunos.

Ou seja, a utilização de múltiplas ferramentas com o mesmo objetivo.

Um exemplo bem simples: você pode ter uma central de atendimento ao aluno e, ao mesmo tempo, atendê-los pelo Twitter.

Essa integração entre canais traz benefícios para o estudante e sua família, mas também gera ótimos resultados para a instituição.

Nesse caso, um sistema de CRM auxilia bastante no recolhimento e registro de dados valiosos que representam oportunidades.

Ao agregar informações relativas aos clientes, você certamente será capaz de tomar decisões mais acertadas.

5. Influenciadores

O marketing de influenciadores é mais uma ótima opção para aquisição de alunos.

São pessoas com forte presença digital em nichos.

Por isso, influenciam nas decisões de compra dos usuários.

Nesse caso, a minha recomendação é apostar em parcerias com influenciadores menores voltados a públicos específicos.

É claro que grandes digital influencers terão um alcance muito maior.

Mas a verdade é que os menores têm um maior grau de lealdade dos fãs, já que interagem diretamente com eles.

6. E-mail marketing

O e-mail marketing em instituições de ensino tem um grande poder de fidelização.

Hoje o mundo é agitado.

As pessoas têm pouco tempo para se engajar com questões escolares.

Essa ferramenta é um meio de comunicação bastante pessoal.

Isso significa que as mensagens são valiosas e geralmente levadas em consideração, diferentemente de outros canais.

Por isso, aproveitar-se do recurso para engajar, informar e levar utilidade aos alunos e suas famílias é essencial.

Você pode enviar informes, novidades, notas, documentos oficiais, materiais ricos, dicas de conteúdos e muito mais.

Tudo com foco na experiência do aluno, é claro.

Nesse cenário, o e-mail marketing se apresenta como um grande agente para facilitar sua vida e reter o público.

7. Redes sociais

As redes sociais são uma grande febre entre usuários de internet, principalmente os mais jovens.

Graças a isso, apresentam-se como uma solução para manter-se em contato com o público.

A maior vantagem desses canais é o engajamento.

Ou seja, a possibilidade de estreitar relações com o público, sejam eles alunos ou apenas pessoas interessadas.

As mídias sociais são plataformas de interação.

Nelas você pode comunicar-se, levar conteúdo e até mesmo atender oficialmente por meio do SAC 2.0.

Acredite: seus alunos estarão nessas praças online.

E você perderá boas oportunidades de criar conexões com ele caso não marque presença nesses ambientes.

Alguns exemplos de canais com boa aceitação do público brasileiro são:

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube
  • WhatsApp
  • LinkedIn
  • Pinterest
  • Quora.

Você não precisa utilizar todas elas, mas deve entender o comportamento de seus alunos para compartilhar o ambiente com eles.

A partir disso, há muitos objetivos de marketing que podem ser suportados pelas redes sociais.

8. Mídia paga

A mídia paga é outra opção para quem quer se aventurar pelo marketing educacional.

O método mais conhecido nesse formato são os links patrocinados.

Ou seja, links clicáveis que aparecem em plataformas de anúncio e levam o usuário a páginas desejadas.

A maior e mais popular é o Google Ads.

Nela, o anunciante pode aparecer nos resultados de pesquisa do mecanismo de buscas.

Geralmente, são posicionados antes do ranking orgânico.

Ou optar por aparecer em ads clicáveis ou gráficos em alguns dos muitos parceiros da Google que se cadastram no AdSense.

Existem alternativas, mas esses são os modelos mais utilizados.

Essas campanhas devem ser otimizadas, levando o estrategista aos melhores resultados com o menor investimento possível.

Há ainda outras diversos canais, como o Facebook Ads e o Twitter Ads, que também geram ótimos resultados.

9. Chatbots

inclusão de chatbots no marketing educacional

Os chatbots são robôs de conversação que dialogam com o público.

Eles são geralmente atrelados aos websites e servem tanto para o primeiro contato do potencial aluno quanto para o atendimento de estudantes já matriculados.

Esse tipo de solução é muito interessante, pois pode ser tão eficiente quanto uma pessoa mas gera gastos muito menores.

10. Inbound marketing

Também conhecido como marketing de entrada, o inbound marketing alia uma série de estratégias digitais para atrair, converter, fechar negócios e fidelizar clientes.

Ela é baseada no conceito de funil de vendas.

Em outras palavras, é um sistema que transforma um usuário desconhecido em um comprador.

Esse método apresenta grande eficiência.

No entanto, não é imediato.

Por isso, são criados fluxos de automação que realizam a maior parte das atividades de maneira espontânea.

Para compreendê-lo, vamos falar um pouco mais sobre cada uma das etapas.

Na primeira delas, a atração, o objetivo é trazer desconhecidos para um blog.

Por isso, são aplicadas técnicas de SEO que garantem um bom posicionamento nos rankings de pesquisa dos principais motores.

A segunda consiste na conversão.

Ao final dos textos, são inseridas chamadas para ação que visam estimular a inscrição em uma newsletter.

Já na terceira, ocorre o fechamento do negócio.

Depois de ser nutrido por meio de mensagens de e-mail, o lead é identificado como potencial aluno e recebe uma oferta.

Por fim, temos a quarta fase, na qual os esforços são voltados à retenção do estudante.

Vale lembrar que esse é um exemplo básico do funcionamento do funil.

Portanto, existem muitas outras ações que o alimentam.

Conclusão

No artigo de hoje você aprendeu os principais conceitos do marketing educacional: o que é e como utilizá-lo para impulsionar sua instituição de ensino.

Além disso, conheceu seus principais benefícios, bem como as melhores estratégias para aplicá-lo em sua escola.

Como você viu, um bom plano de marketing educacional pode garantir o sucesso do seu negócio.

Garanto que, se você aplicar as estratégias aqui citadas com consistência, os resultados virão.

Agora me conte: como você pretende implementar as ações de marketing na sua instituição de ensino?

Compartilhe suas ideias e insights nos comentários abaixo.

NP Digital Brasil

Você quer resultados imediatos?

Minha agência pode fazer todo o trabalho pra você. Somos especialistas em:

  • SEO - Colocamos seu site no topo das pesquisas do Google
  • Mídia Paga - Fazemos seu negócio alcançar quem importa no momento certo
  • Data & Conversion Intelligence - Desbloqueamos as conversões do seu site e criamos dashboards para melhores análises

Fale com um especialista

Consultoria com Neil Patel

Compartilhe

Neil Patel

source: https://neilpatel.com/br/blog/marketing-educacional/