Marketing Digital Para Pequenas Empresas: Como Fazer em 2020

homem com avental lendo tablet

O marketing digital para pequenas empresas já deixou de ser um sonho distante há algum tempo.

Embora boa parcela dos gestores de micro e pequenos negócios ainda veja com desconfiança o potencial de se promover online, a realidade tem mostrado cada vez mais exemplos bem-sucedidos.

Já disse e vou repetir que sou um entusiasta do marketing digital em empresas menores. Afinal, são elas que movimentam a economia de um país.

Acredito que você esteja pensando mais seriamente em investir em ações online para seu negócio – e por isso, desde já, receba meus parabéns.

Em retribuição à sua iniciativa, preparei um conteúdo completo com todas as dicas necessárias para começar bem.

Vamos ver como isso funciona, então?

Vantagens do marketing digital para pequenas empresas

mulher lendo tablet

Pequenas empresas se caracterizam por terem estrutura e orçamentos enxutos.

Outra coisa que aprendi ao longo dos anos em que ajudei a começar diversas startups e negócios menores é que isso não é obstáculo para adotar estratégias conscientes.

Pelo contrário: quando uma pequena empresa investe para valer em marketing digital, os resultados costumam ser muito bons.

Conheça, a seguir, os principais benefícios dessa ação.

Mensurável

Imagine que você quer promover sua empresa em uma mídia offline, como em um outdoor.

Como você saberia quantas pessoas viram o seu anúncio em um dia ou um mês?

De que forma avaliar o impacto desse modelo de promoção a não ser pelo número de novos clientes?

Ou, ainda, como saber se esses novos consumidores realmente foram conquistados graças a essa estratégia?

Esse tipo de dificuldade não existe no marketing digital, porque, nele, todas as ações são mensuráveis por meio de ferramentas de analytics.

Ou seja, além de saber quantas pessoas visualizaram seus anúncios e conteúdos, é possível conhecer suas respectivas faixas etárias, gêneros, regiões e dispositivos de acesso.

Você tem muito mais informações sobre a efetividade das suas ações e, com isso, consegue tomar decisões que têm mais chance de sucesso.

Customizável

Um anúncio impresso será sempre o mesmo uma vez que passe para o papel.

Já na internet, a maior parte das campanhas é totalmente customizável.

Isso significa que você poderá, a qualquer momento, modificar textos, palavras-chave e outros pontos que julgar necessário, ajustando os anúncios conforme a performance demonstrada.

Se estiver abaixo do esperado, com base nos números, é possível fazer alterações e melhorar o desempenho.

Situação diferente aconteceria em uma mídia offline, na qual não há margem para o erro, tampouco para modificações depois que a campanha é veiculada.

Rápida implementação

Voltemos ao exemplo do outdoor.

Do pedido junto à empresa responsável pela sua produção até a veiculação de um anúncio nessa mídia, de quanto tempo você precisaria?

Muito, sem dúvida.

No marketing digital, esse problema também não existe, já que campanhas em redes sociais, como o Facebook ou Instagram, podem ser criadas e exibidas instantaneamente.

E não menos importante: tudo isso a um custo muito menor, se compararmos com as principais mídias offline.

Quais são os maiores desafios do marketing digital para pequenas empresas?

fechando caixa de papelão

A pesquisa Maturidade Digital no Brasil, realizada pela Capgemini, traz revelações interessantes sobre o quanto as empresas brasileiras estão preparadas para atuar em um contexto online.

Uma das conclusões que se pode tirar ao ler o documento é que as companhias compreendem que é importante ter presença no meio digital, mas ainda não sabem exatamente como fazer isso.

Com essa dificuldade, outros desafios aparecem, especialmente para pequenas empresas não tão amadurecidas em marketing online, como destaco a seguir.

Analisar o Big Data

A pesquisa da Capgemini revela que menos da metade das empresas entrevistadas utiliza analytics de forma significativa.

E se isso acontece até mesmo em corporações mais estruturadas, nas PMEs em geral, o cenário provavelmente é ainda mais desafiador.

Afinal, dados por si só não dizem nada. É preciso coletá-los das fontes certas e, em seguida, estruturá-los para que façam sentido e orientem decisões.

Existem no mercado diversas ferramentas para isso, parte delas com um custo de aquisição e manutenção.

Alguns exemplos são:

  • Kissmetrics
  • SAS
  • ClearStory Data
  • Google Analytics
  • Canopy Labs.

Adaptar-se às diferentes plataformas

Para uma PME ainda pouco desenvolvida em suas estratégias digitais, entender quais são as nuances entre cada canal pode ser um processo demorado.

Até dominar efetivamente o marketing em redes sociais e conhecer as diferenças para o que se faz em um site, pode levar tempo.

Nesse caso, o ideal é contar com o suporte de um especialista ou, na falta de um, aproveitar a grande oferta de conteúdos online sobre o assunto.

Aqui mesmo, no meu blog, você pode se informar a respeito de como fazer marketing digital na sua empresa nos diferentes canais e mídias.

Acirramento de concorrência

Segundo uma pesquisa da HeroSpark, publicada no site Pequenas Empresas Grandes Negócios, 2020 é o ano do empreendedorismo digital no Brasil.

Portanto, a perspectiva para os próximos anos é de concorrência cada vez mais acirrada para MEIs e pequenas empresas em geral.

A boa notícia é que, nesse cenário, sobreviverão aqueles que fizerem o que você está fazendo agora: se informando para atuar em um mercado cada vez mais online e competitivo.

Quais são as principais métricas para acompanhar as ações de marketing?

loja com sinal aberto

Antes, eu destaquei a capacidade de mensurar resultados como principal vantagem do marketing digital para pequenas empresas – e não foi por acaso.

Afinal, esse é o grande “pulo do gato” que diferencia a estratégia das tradicionais soluções offline.

Com as ferramentas certas, é possível ter total domínio sobre os resultados das suas ações sem depender de agentes externos ou de empresas que façam isso.

É a inteligência de negócios, antes um privilégio das grandes corporações, agora acessível a todos os que se dispõem a coletar e interpretar suas métricas de performance.

Conheça as mais relevantes delas:.

ROI – Retorno sobre Investimento

Todo investimento é feito considerando um retorno esperado e, no marketing digital, não é diferente.

Por isso, nas suas estratégias, é fundamental medir o chamado ROI, o Retorno sobre Investimento.

Uma vantagem dessa métrica é a simplicidade em calculá-la. Para tanto, basta aplicar a fórmula:

  • ROI = (Receita – Custos) / Custos x 100.

CAC – Custo de Aquisição por Cliente

Ninguém discute que o objetivo de toda empresa é conquistar mais clientes.

Em contrapartida, aumentar o volume de vendas implica em um gasto que deve ser calculado.

Uma maneira de se fazer isso é medir o Custo de Aquisição por Cliente, o CAC. Sua fórmula consiste em:

  • CAC = Investimentos em marketing digital / Quantidade de clientes.

CPC – Custo por clique

Ao anunciar no Google ou no Facebook, você vai se deparar com uma métrica conhecida como Custo por Clique (CPC).

Por ela, você sabe quanto sua empresa gasta por cada clique que leads e visitantes dão em seus conteúdos de mídia paga.

Trata-se de uma métrica importante, já que ajuda a compreender se o seu funil de conversão está bem estruturado.

Um CPC alto aponta que poucas pessoas estão se interessando pelo que sua empresa tem mostrado na internet.

Por isso, tenha atenção a esse indicador sempre que rodar campanhas.

Seu cálculo é feito por meio da fórmula abaixo:

  • CPC = Custo Total / Quantidade de cliques

CPM – Custo por mil impressões

Estratégias de topo de funil, ou seja, com o objetivo de atrair um grande volume de pessoas, têm no CPM um indicador confiável.

Vamos imaginar, de 10 mil pessoas atraídas inicialmente, sua empresa converta 2% delas em clientes.

Essa seria a conta para fechar 200 vendas em um mês.

Nesse sentido, o sucesso de uma campanha pode ser medido por essa métrica.

Veja como fazer o seu cálculo:

  • CPM = Custo Total / Visualizações × 1000.

CPL – Custo por lead

Leads são pessoas que já conhecem a sua empresa e, por isso, já consumiram seus conteúdos ou clicaram em seus anúncios.

Sendo assim, esse é um tipo de cliente em potencial de se tornar um MQL, ou um lead qualificado para marketing.

A forma de calcular esse custo é similar ao do CAC.

A fórmula é a seguinte:

  • CPL = Investimento de Marketing ÷ Quantidade de Leads.

Portanto, procure medir esses dois indicadores em paralelo, já que um CPL mais alto que o CAC mostra que sua empresa está falhando na hora de fechar o negócio.

Taxa de conversão

Em ferramentas como o Google Analytics, a taxa de conversão é uma das métricas mais confiáveis para saber se uma estratégia digital está, de fato, sendo bem-sucedida.

Afinal, é ela que indica que leads estão sendo convertidos em clientes por meio de conteúdos, passando pelas diversas etapas do funil de vendas.

A taxa de conversão é calculada tomando a proporção entre o número de acessos e o de conversões.

Logo, é mostrada em valores percentuais.

A fórmula é:

  • Taxa de conversão = Vendas / Acessos (Visitas).

Por exemplo, digamos que seu site teve 25 mil acessos em um mês e, para esse período, teve 600 conversões.

Nesse caso, temos:

  • 600 / 25.000 = 0,02%

6 dicas para fazer marketing digital para pequenas empresas

mulheres lendo tablet

Não basta apenas ter intimidade com os números.

Embora eles sejam seus melhores parceiros, já que não mentem, é preciso considerar outros fatores para desenvolver ações em marketing digital que tragam bons resultados.

Lembre-se de que você está lidando com pessoas e, por isso, é fundamental investir também na construção da credibilidade.

O consumidor online é extremamente atento e exigente.

Assim, quem não estiver pronto para atendê-lo de forma eficiente, fica para trás.

Quer saber como fazer isso? Confira as dicas a seguir.

Pesquise as oportunidades

Será que as vendas não estão indo bem porque você está insistindo demais em um mercado sem muitas possibilidades?

Às vezes, o melhor a se fazer é mudar o foco, e isso significa ir em busca de novas oportunidades de crescimento.

É o que fazem, por exemplo, as empresas que abrem novas frentes de atuação pela internet, lançam novos produtos ou serviços e investem em promoções e merchandising.

Construa sua presença online

Não será do dia para a noite que você terá retorno investindo em marketing digital.

Em SEO, por exemplo, pode levar um tempo até que seus conteúdos sejam indexados e ranqueados pelos robôs do Google e apareçam em destaque nos resultados de busca.

Até lá, construa sua presença online, procurando investir em campanhas pagas, respondendo as dúvidas das pessoas em fóruns, gerando bons backlinks e, se possível, apoiando eventos.

Faça um plano de marketing prático

Ainda que um plano de negócios e, em consequência, de marketing digital, demande algum esforço, ele não precisa ser necessariamente complexo.

No contexto das PMEs, quanto mais simples, melhor.

Embora o ótimo seja um objetivo, há casos em que ele realmente se torna inimigo do bom.

Sendo assim, procure planejar suas ações de maneira que elas sejam aplicáveis no seu dia a dia.

Tem até um conteúdo em que eu mostro como fazer isso em um passo a passo sem complicação.

Consolide a sua marca no mercado em potencial

Digamos que o seu negócio está lançando hoje um site ou suas redes sociais.

Como construir uma boa reputação online quando sua empresa ainda não aparece em destaque nas buscas do Google?

Para isso, vale apostar em estratégias como guest posts em blogs de mais prestígio, responder dúvidas em redes sociais e, novamente, investir em anúncios.

Tenha certeza de que, com o tempo, os robôs do Google vão notar que a sua marca merece destaque.

Venda benefícios, não apenas produtos

Cada vez mais, as empresas orientam suas estratégias pela postura conhecida como customer centric.

Nela, o que importa não é se a companhia vendeu ou não, mas se o cliente, de fato, teve suas dores solucionadas ou seus problemas resolvidos.

Dessa forma, para que as suas ações de marketing digital sejam efetivas, não deixe de considerar, em primeiro lugar, o sucesso do seu cliente.

Afinal, ele (quase) sempre tem razão, não é?

Conclusão

Fazer marketing digital para pequenas empresas talvez seja desafiador, mas, ao mesmo tempo, pode ser uma empreitada bastante gratificante.

Desde que sua companhia coloque em prática as dicas que passei aqui, mantenha uma postura atenta ao mercado e focada em aprender, dificilmente, não será bem-sucedida.

Digo isso porque já vi diversos casos de sucesso de empresas que começaram uma estratégia de marketing digital do zero e conseguiram resultados fabulosos.

Agora, chegou a sua vez de brilhar investindo em ações pela web.

Se tiver mais alguma dúvida antes de começar sua nova trajetória, use o espaço de comentários.

Na sua empresa, quais são os objetivos a alcançar com uma estratégia de marketing digital?

Compartilhe