30 Lições que Aprendi com 30 Milhões de Visitantes de SEO

relatorio de trafego no google search console

Como você pode ver pela captura de tela acima, eu obtive mais de 30 milhões de visitantes do meu site através de SEO.

Tecnicamente, foram mais, mas não vamos nos prender aos números.

O mais engraçado é que eu quase não acompanho meu tráfego, mesmo com o Google sempre lançando atualizações de algoritmo.

Eu sei que parece contraditório, porque, se você é um profissional de SEO, como não ser obcecado com tráfego, certo?

Bom, é porque eu aprendi algumas lições difíceis ao longo do ano… Principalmente por ter cometido vários erros.

Então hoje eu quero compartilhá-las com vocês, para que possam aprender com meus erros. Aqui vão:

Lição nº 1: Não fique obcecado com os rankings, fique obcecado com as conversões

Eu tinha o hábito de checar meus rankings todo santo dia. Literalmente.

Além disso, eu entrava no Google Analytics 4 ou 5 vezes por dia para ficar sempre conferindo meu tráfego.

Era só o que me importava naquela época… Aumentar meu tráfego orgânico.

Mas o negócio é o seguinte: embora meus rankings e meu tráfego fossem aumentando com o passar dos anos, minha receita não aumentou proporcionalmente.

Por exemplo, em um semestre de 2017, meu tráfego de SEO aumentou 39,52%, mas minha receita de SEO subiu apenas 4,29%.

Eu logo entendi que tráfego não é tudo. Se você não consegue converter o tráfego em receita, ele deixa de ser importante.

Isso me ensinou que você precisa focar nas palavras-chave certas, que geram conversões e que estão sempre otimizando seu site para essas conversões. Um primeiro passo simples que você pode dar é instalar o Crazy Egg e usar um mapa de calor para ver onde as pessoas mais clicam, ajustando seu design e seu texto para obter mais vendas.

relatorio do crazy egg

Lição nº 2: O jeito mais fácil de aumentar seu tráfego de SEO é expandindo internacionalmente

Você já sabe que eu recebo bastante tráfego de SEO, mas você sabe qual país é o responsável pela maior parte do meu tráfego?

Se você chutou Estados Unidos, você errou.

Minha região mais popular é o Brasil, seguido da Índia.

SEO internacional é a maneira mais fácil de expandir e aumentar seu tráfego. Aqui vão alguns posts para você ler antes de expandir seu SEO globalmente:

Lição nº 3: Palavras-chave são muito, muito, muito, muito importantes

Quando eu escrevia meu conteúdo, eu não era tão obcecado com as palavras-chave quanto eu deveria.

Minha equipe me mostrou que eu estava errado.

Meu foco era escrever conteúdo para humanos sem me preocupar com mecanismos de busca. Minha equipe, por sua vez, é obcecada por palavras-chave.

Dê uma olhada no nosso tráfego no Brasil, graças à nossa obsessão com as palavras-chave certas.

Uma coisa simples que eu faço antes de escrever, e que é muito útil, é ir até o Ubersuggest e digitar algumas das palavras-chave que eu quero utilizar.

Depois de carregar, você verá um relatório como esse mostrado acima. Eu quero que você clique em “Ideias de Palavra-chave”, no menu à esquerda.

Você verá um relatório com uma lista de palavras-chave que você pode utilizar.

Clique nas abas “Relacionadas”, “Perguntas” e “Comparações” e desça toda a lista. Você verá centenas de palavras-chave. Selecione todas que sejam relevantes e preferencialmente tenham um alto custo por clique (CPC). Essas palavras-chave irão gerar não somente tráfego, mas também receita.

Sempre que eu escrevo um post, eu sigo esse passo. Todas as vezes.

Lição nº 4: Páginas AMP podem gerar mais tráfego de SEO 

Páginas AMP carregam mais rapidamente em dispositivos mobile do que páginas não-AMP.

Se você não conhece o framework AMP, dê uma lida aqui.

O que a maioria das pessoas não fala sobre páginas AMP é que:

  • Em regiões como os Estados Unidos, Canadá e Reino Unido, países com boa infraestrutura de Internet, não se vê um aumento muito relevante no tráfego.
  • Em regiões com menor infraestrutura de Internet, como o Brasil, pode-se observar um aumento de 10 a 15% no tráfego de SEO mobile com páginas AMP.
  • Páginas AMP não convertem visitantes em clientes tão bem quanto um web design responsivo normal. Então, você terá que testar suas páginas AMP para conseguir aumentar suas taxas de conversão.

Lição nº 5: SEO nunca vai ter uma conversão tão boa quanto anúncios pagos

Quando eu comecei com SEO, eu fazia projeções sobre o retorno financeiro que o tráfego me geraria.

Entretanto, eu nunca acertava os números, mesmo que eu conseguisse entrar nos rankings.

E o principal motivo é: se você está dando lances em termos como seguro para carros através de anúncios, você pode direcionar as pessoas a uma landing page como essa:

Mas, se você quer ranquear organicamente, você precisa fazer isso através de conteúdo. Então, a sua página com uma boa posição no ranking terá mais essa cara e converterá menos…

Isso não quer dizer que SEO seja ruim. Na verdade, é muito mais barato a longo prazo do que anúncios pagos e gera um ROI melhor. Mas não ache que, se você obtiver 100 visitantes e três vendas a partir de anúncios pagos, você terá a mesma taxa de conversão com o seu tráfego de SEO.

É bem provável que ela será talvez duas ou três vezes mais baixa, mas, pelo fato de SEO custar bem menos, será bem mais rentável.

Lição nº 6: Remarketing é um dos melhores jeitos de gerar ROI a partir de SEO

Se você consegue bastante tráfego de SEO, tem uma estratégia simples que você pode implementar para aumentar suas conversões.

Faça o remarketing para todo mundo no Facebook, Google e YouTube.

Assim, as pessoas entram no seu site, leem seu conteúdo e criam confiança em você e na sua marca.

Em seguida, você faz o remarketing para elas através de anúncios na web que divulgam seu produto ou serviço e as direcionam a uma landing page para gerar vendas.

Eu faço isso há anos, olha só um anúncio de remarketing antigo meu…

Para as regiões nas quais eu uso remarketing, ele é responsável por 46% dos meus leads.

Lição nº 7: Não se esqueça de atualizar seu conteúdo antigo

Eu publico um post novo por semana no meu blog. Estou trabalhando para aumentar esse número assim que tiver tempo, mas, por enquanto, é um por semana.

Sabe quantos posts eu atualizo diariamente? Tecnicamente, 0 (eu, pelo menos), mas minha equipe tem como objetivo atualizar pelo menos 3 posts antigos por dia. Isso é aproximadamente 90 posts por mês.

Quando você chegar a algumas centenas de páginas, concentre-se em atualizar seu conteúdo antigo, senão, seu tráfego logo irá cair.

Você pode usar essa ferramenta de queda de conteúdo para ver quais posts você deve atualizar primeiro.

Isso ajudará a manter seu tráfego de SEO sempre subindo, sem atingir platôs ou sofrer grandes quedas.

Lição nº 8: Não se esqueça de otimizar suas tags de título

Um dos jeitos mais fáceis de subir nos rankings é otimizando suas tags de título.

Se você for capaz de escrever um texto persuasivo e obter mais cliques, você subirá no Google rapidamente.

No Brasil, a gente passa mais tempo fazendo isso do que nos Estados Unidos.

Temos uma quantidade parecida de impressões no Brasil, porém, mais pessoas focadas em melhorar nossas tags de títulos e em testes. Por isso, nosso tráfego de SEO no Brasil é 95% maior.

Se você quer dicas de como aumentar seus cliques, dê uma olhada nesse artigo.

Outra tática simples é usar o relatório “Ideias de Conteúdo”, no Ubersuggest.

Do lado direito do relatório, você pode ver o número de compartilhamentos no Facebook e no Pinterest. E, do lado esquerdo, os títulos dos posts.

As pessoas costumam compartilhar mais quando gostam do título. Então, procure títulos que tenham muitos compartilhamentos, pois eles te darão ideias do que usar no seu site para obter mais cliques e te fazer subir nos rankings.

Lição nº 9: Não coloque datas nas suas URLs

Eu costumava colocar datas nas minhas URLs, assim:

Neilpatel.com/2017/12/título-do-post/

Isso faz com que os mecanismos de busca achem que seu conteúdo está relacionado a uma data específica. E, passado um tempo dessa data, esses mecanismos entendem que seu conteúdo é irrelevante e ultrapassado.

Quando eu passei a remover as datas das minhas URLs, meu tráfego de SEO aumentou 58% em 30 dias.

Se você tem datas nas suas URLs, faça um redirecionamento 301 das suas URLs antigas para as suas novas quando fizer a modificação, senão, seus rankings irão cair.

Lição nº 10: Não tenha medo de usar pop-ups

Você não odeia pop-ups? Quem não odeia?

Mas as pessoas os usam porque eles funcionam.

A maioria das suas páginas que vão ranquear são conteúdo de blog. E posts de blog tendem a gerar menos conversões diretas porque as pessoas estão no site para ler o conteúdo.

Então, para maximizar suas conversões de SEO, uma boa ideia é usar pop-ups de saída para converter mais visitantes em clientes quando eles saírem.

Quando você sai desse site, na maioria dos casos, aparece um pop-up assim:

E ele te leva para esse quiz, que me permite converter visitantes de SEO em clientes.

Você pode copiar essa minha técnica facilmente usando a Hello Bar. Ela funciona para todos os mercados, incluindo B2B, ecommerce e até sites de geração de leads.

Lição nº 11: Consultas de marca afetam os rankings

Todo mundo fala sobre como links são necessários para se subir nos rankings.

Mas poucas pessoas falam sobre consultas de marca.

Ao falar sobre o assunto, tanto o ex-CEO quanto o ex-chefe de web spam do Google, destacaram a importância das marcas.

Uma das principais razões para o crescimento do meu tráfego de SEO é o crescimento da minha marca. Eu percebi uma correlação direta, na qual quanto mais as pessoas conseguem me encontrar pelo meu nome, mais tráfego de SEO eu obtenho.

Dê uma olhada no crescimento da minha marca com o tempo:

Eu obtive mais de 1,9 milhões de visitantes nos últimos 16 meses a partir de pessoas digitando variações do meu nome no Google.

Lição nº 12: Não desperdice seu dinheiro com links pagos

Eu faço SEO desde os 16 anos. Há bastante tempo…

Quando eu comecei, bem novo, eu ia fundo nos links patrocinados e reinava soberano no Google para termos como cassino online, poker online, hospedagem web, seguro de carros, e até cartões de crédito.

Eu estava ganhando uma receita afiliada bem respeitável com esses sites.

Porém, não durou muito.

Por quê?

Porque eu comprava links, e o Google acabou por penalizar todos esses sites.

Se eu nunca tivesse comprado links, esses sites teriam demorado mais para ranquear, mas eles estariam por aí até hoje, e eu teria gerado uma receita total maior.

Não compre links, é ruim e é uma estratégia de curto prazo.

Lição nº 13: Faça um guest post para construir uma marca, não para obter links

Eu falei logo acima da importância de uma marca.

Uma ótima maneira de construir sua marca e indiretamente aumentar seu tráfego de SEO é através de guest posting.

Mas não use o guest posting para obter links.

A maioria dos sites que oferecem guest posts fazem links nofollow (com razão), e o Google é inteligente o suficiente para saber o que é um guest post, e por isso eles ignoram links de guest posts de sites como o da Forbes.

É muito fácil identificar um guest post, tanto para um humano quanto para um algoritmo…

Mas se você o está utilizando para construir uma marca, ótimo. Foque na qualidade do conteúdo e não nos links.

Lição nº 14: Não se esqueça dos interlinks

Sabe quais são algumas das minhas páginas com melhores posições nos rankings?

As que têm links entre si.

Os interlinks demoram entre 6 meses e um ano para terem resultados, mas ainda assim, são eficazes.

Sempre que eu escrevia conteúdo eu colocava links para posts mais antigos quando fazia sentido. Mas eu estava cometendo um grande erro… Eu não entrava nos meus posts mais antigos para adicionar links para meus conteúdos mais recentes.

Essa mudança foi crucial para mim. Os resultados demoraram a aparecer, mas funcionou extremamente bem.

É isso que me faz ranquear alto para termos como “e-mail marketing”.

Lição nº 15: O Google não é a única opção

Embora o Google seja o mecanismo de busca mais popular, ele não é o único no qual você precisa focar.

Você sabia que o YouTube é o segundo mecanismo de busca mais popular?

Até o Bing recebe um volume grande de tráfego.

Se você quer ranquear alto no Bing, siga esses passos.

Ou, se você preferir em vídeo, veja aqui:

Quanto ao YouTube, esse guia vai te ensinar SEO para YouTube. Funciona muito bem, basta olhar para o meu tráfego de SEO no YouTube (YouTube search):

Ao longo dos últimos 28 dias, eu tive 429.501 visualizações de vídeo através de SEO para YouTube.

Lição nº 16: Velocidade é tudo

Quanto mais rápido for o seu servidor e mais otimizado seu site, mais tráfego você terá.

Alguns anos atrás, meu amigo Otis incluiu mais servidores no seu site GoodReads.

Em um mês, o tráfego de SEO dele subiu mais de 20%.

Velocidade é parte do algoritmo do Google, então, otimize tanto para web quanto para mobile.

Uma boa maneira de checar a velocidade do seu site é colocando sua URL aqui.

Você verá um relatório dizendo seus tempos de carregamento mobile e desktop, bem como, o que você pode fazer para melhorá-los.

Lição nº 17: Qualidade acima da quantidade

SEO costumava priorizar quantidade sobre qualidade.

Mas não é mais esse o caso. Com mais de um bilhão de blogs por aí, não faltam sites para o Google escolher.

Veja o About.com. Eles mudaram o nome para Dotdash e mudaram de estratégia.

Eles pegaram todo o conteúdo do About.com e transferiram para seis sites específicos, além de deletar 900.000 páginas de conteúdo inútil.

Isso fez o tráfego e a receita deles aumentarem incríveis 140%.

Foque em escrever conteúdo de alta qualidade. É por isso que eu posto menos e procuro deixar meu conteúdo incrível.

Lição nº 18: Ferramentas são melhores do que marketing de conteúdo 

Eu concentrava toda a minha energia em marketing de conteúdo, pois era algo que gerava muitos links e tráfego de SEO.

Mas, com o tempo, eu percebi que criar ferramentas gratuitas gerava mais links naturais do que qualquer outra coisa que eu já tinha testado.

Veja só o Ubersuggest. Eu passei anos criando-o e veja quantos links ele gerou…

31.503 backlinks! É link pra caramba.

Se você não tem recursos para criar uma ferramenta personalizada como a minha, você sempre pode começar comprando uma ferramenta white label no Code Canyon por US$10 ou 20. Eles têm ferramentas para praticamente todos os setores.

Lição nº 19: Não dependa só de SEO

Quando eu comecei com SEO, eu só pensava nisso.

Para mim, era o melhor canal de marketing que existia, pois ele permitia que eu competisse com grandes empresas.

Até hoje eu adoro SEO, mais do que qualquer outro canal.

Mas isso não me impede de usar outros canais de marketing.

Alguns anos atrás, negócios eram construídos a partir de um único canal de marketing.

O Yelp foi criado a partir de SEO. O Dropbox, através de recomendações nas redes sociais. O Facebook, através de convites por email…

Mas esse tempo já passou. Não dá mais para gerar tráfego a partir de um único canal.

Você deve, sim, fazer SEO, mas deve também experimentar anúncios pagos, social media marketing, email marketing, notificações push e qualquer outra coisa que for lançada.

Diversifique suas fontes de tráfego e não dependa apenas de SEO.

Lição nº 20: As pessoas adoram linkar para dados

Gastar tempo e dinheiro para obter seus próprios dados é uma maneira fácil de fazer link building.

Dê uma olhada nos meus posts sobre tendências de marketing de conteúdo e tendências de mídias sociais.

Eu adicionei vários dados originais, métricas e tabelas a cada um desses posts.

O resultado final? Mais backlinks. 🙂

O post sobre tendências de marketing de conteúdo recebeu 365 backlinks.

Se você não tem tempo de obter dados personalizados, você pode encontrar alguém no Upwork para te ajudar.

Lição nº 21: Não se esqueça dos infográficos

Uma das minhas estratégias preferidas de SEO e que ainda funciona muito bem hoje em dia são infográficos.

Eu tenho vários deles no blog do NeilPatel.com.

Eu não comecei com os gráficos aqui… Eu os fazia no meu blog antigo, o Quick Sprout e no KISSmetrics.

Aqui vai um número interessante para você, quando eu enchia o KISSmetrics de gráficos.

Ao longo de dois anos, de 2010 a 2012, 47 infográficos geraram 2.512.596 visitantes e 41.142 backlinks a partir de 3.741 domínios únicos. Eles também geraram 41.359 tweets e 20.859 curtidas.

Se você não tem dinheiro para contratar um designer, você pode usar o Infogram ou o Canva para criar um você mesmo.

Lição nº 22: O Google não penaliza por conteúdo duplicado

Não é bom sair postando um monte de conteúdo duplicado no seu site, já que é algo que prejudica a experiência do usuário, mas lembre-se que o Google não te penaliza pela duplicação.

O máximo que pode acontecer, é o conteúdo duplicado não ser ranqueado.

Então, se você dedica tempo a produzir conteúdo original e de qualidade, por que não publicá-lo PRIMEIRO no seu próprio site?

Depois de algumas horas ou dias, por segurança, pegue exatamente o mesmo conteúdo e publique-o no Facebook, LinkedIn, ou qualquer outro lugar que aceite seu conteúdo.

Literalmente, é só pegar palavra por palavra e colar nessas redes sociais.

Isso vai gerar maior conscientização para sua marca e um trabalho de branding. Além disso, o conteúdo já deve estar indexado no seu site, para que o Google saiba que estava lá primeiro… E duvido que você se importe se a versão duplicada do LinkedIn vai ranquear. Continua sendo um ótimo trabalho de branding.

Ou seja, não tenha medo de reaproveitar seu conteúdo, mesmo que isso signifique duplicá-lo.

Veja este post, por exemplo. Eu vou reaproveitá-lo na forma de uma série de podcast de quatro episódios.

Lição nº 23: Não precisa inventar a roda

Eu passava horas por semana pesquisando palavras-chave, tentando decidir para quais termos novos ranquear.

Depois de um tempo, eu descobri um jeito melhor e mais fácil de encontrar novas ideias de conteúdo e palavras-chave para usar.

Vá até o Ubersuggest, digite o nome de domínio do seu concorrente e clique em buscar.

No menu à esquerda, clique em Páginas Principais.

Você verá um relatório com todas as páginas populares no site do seu concorrente. Isso vai te dar ideias sobre o tipo de página que você deve criar no seu site.

Depois, eu quero que você clique em “Ver Tudo”, em Est. Visitas (estimativa de visitas). Aqui, você verá todas as palavras-chave que geram tráfego para aquela página.

Agora, você tem uma lista de temas e palavras-chave sobre cada um deles para utilizar.

Lição nº 24: Não escolha um nome de domínio genérico

Lembra que na Lição 11 eu falei sobre consultas de marca e como elas ajudam nos rankings?

Depois que eu entendi isso, eu resolvi comprar nomes de domínio que correspondessem exatamente à palavra-chave.

Assim, eu obteria um monte de consultas de marca sem nenhum esforço.

Mas tem um problema… Mesmo numa posição alta no ranking, você vai ver que sua taxa de cliques será baixa, na maioria dos casos.

Se a sua taxa de cliques for baixa, o Google vai entender que sua marca não é forte e que as pessoas não dão preferência à ela, o que pode prejudicar seu ranking.

Então, em vez de focar em domínios com correspondência exata, a não ser que você tenha milhões para gastar em branding como o Hotels.com, concentre-se em desenvolver uma marca inesquecível.

Escolha algo original, fácil de escrever e de lembrar.

Lição nº 25: Aprenda com o SEO blackhat, mas não mude de lado 

O SEO blackhat nos traz alguns dados e experimentos interessantes.

Muitos deles não funcionam por muito tempo, mas ainda assim, são interessantes.

Apesar de eu não recomendar a prática de blackhat SEO, eu recomendo segui-los.

O jeito mais fácil de aprender com eles é lendo o Blackhat World.

Por lá, as pessoas compartilham ideias interessantes, principalmente quando o Google faz alguma atualização grande no seu algoritmo.

Mais uma vez, eu não recomendo a prática de blackhat SEO, mas segui-los pode te levar a desvendar técnicas“white hat” que podem te ajudar a subir nos rankings. Nem tudo o que eles fazem é ruim… Muitos deles, também usam táticas válidas.

Lição nº 26: URLs curtas ranqueiam melhor do que longas

Minhas URLs costumavam ser o título do meu post.

Por exemplo, nesse post eu teria usado a seguinte URL…

Neilpatel.com/blog/30-lições-depois-de–30-milhões-de-visitantes-de-seo/

Depois, eu migrei para URLs curtas.

O Google as prefere. E eu pude ver isso em primeira mão. É por isso que eu uso URLs curtas agora.

URLs na primeira posição têm, em média, menos 9,2 caracteres do que URLs na décima posição. Então encurte-as.

Lição nº 27: O poder da lista

Se você quer que seu conteúdo ranqueie alto no Google, você precisa que mais pessoas o vejam.

Seja através de compartilhamentos nas redes sociais, notificações push ou disparos de emails… Quanto mais gente vê seu conteúdo, mais engajamento ele vai ter e mais pessoas vão linkar para ele.

Eu fazia muito contato manualmente sempre que eu publicava um post novo, enviando um email pras pessoas e pedindo para que elas linkassem pra mim.

E funciona, só toma muito tempo e é um saco.

Hoje em dia, eu tenho uma estratégia melhor. Eu faço um disparo de emails sempre que publico um novo post.

Hoje, eu consigo entre 20.000 e 50.000 cliques a cada email que eu envio.

Claro que você não vai conseguir isso no primeiro dia, já que eu levei anos pra construir minha lista de emails.

Mas você pode começar agora mesmo coletando emails. Dá para fazer isso sem dificuldades com a Hello Bar.

E, conforme sua lista for aumentando, aumentarão também os cliques e o número de links para você, o que, por sua vez, fará você subir nos rankings.

Lição nº 28: Não perca o ritmo

Essa foi uma das lições mais difíceis que eu aprendi.

É bem cansativo postar no seu blog e fazer seu próprio SEO. Às vezes, você só quer dar uma pausa.

No meu antigo blog, o Quick Sprout, eu publicava 12 posts por mês, e fiz isso de forma consistente durante três anos.

Um dia, eu resolvi parar por um mês. Então, eu fiz essa pausa de 30 dias.

Adivinha o que aconteceu com o meu tráfego?

Ele caiu 32%.

Depois disso, eu voltei a postar. E já sabe o que aconteceu com meu tráfego depois que eu voltei a postar, né?

Ele não voltou logo de cara.

Eu levei três meses para voltar para onde estava.

Quando as coisas estiverem funcionando para você, não diminua o ritmo. Continue indo além, mesmo que você esteja exausto. Porque, assim que você parar, você vai cair, e vai dar muito trabalho voltar para onde você estava.

Lição nº 29: Os melhores ensinamentos de SEO vêm de conferências

Os melhores ensinamentos de SEO que eu já recebi nesses anos todos, vieram de conferências.

E eu não estou falando de ficar sentado nas palestras, embora você possa aprender assim também.

Os melhores segredos e ensinamentos de SEO que eu ouvi, vieram de networking. Quando você vai a essas conferências, você encontra centenas ou milhares de profissionais de SEO.  E quando você vai para o happy hour e conversa com as pessoas, você aprende muitas coisas em pouco tempo.

Você não acreditaria no que as pessoas te falam. Foi assim que eu aprendi várias das táticas que eu continuo usando hoje em dia.

Lição nº 30: Nunca pare de aprender

Essa aqui pode parecer óbvia, mas, quando as coisas estão indo bem, as pessoas se acomodam.

O Google faz uma média de 3.234 atualizações por ano, e esse número só vem aumentando com o tempo.

Pare para pensar um instante… São aproximadamente nove atualizações de algoritmo por dia.

E por eles estarem mudando tão rápido, você não irá sobreviver se você não se atualizar.

Sim, a estratégia ideal é fazer o que é melhor para os seus usuário ou visitantes, já que a longo prazo, o Google quer promover esses sites, mas isso não significa que você pode ignorar as mudanças no mercado.

Leia todos os blogs de SEO que existem, frequente conferências, como eu falei acima… Faça testes no seu site… Se force a ser melhor.

Esse ímpeto de sempre melhorar e querer aprender mais, me ajudou muito. É uma das razões para a minha subida nos rankings ao longo dos anos.

Conclusão

Tem muitas lições que você irá aprender conforme for subindo nos rankings e dedicando mais tempo ao SEO.

Mas, espero que você não precise perder seu tempo e cometer os mesmos erros que eu cometi. Você não precisa aprender essas lições na marra.

Foi por isso que eu quis compartilhá-las. Eu quero poupar seu tempo e te ajudar a atingir suas metas de tráfego mais rápido.

Quais lições de SEO você aprendeu?

Compartilhe