Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

SEO Marketing: 22 Estratégias Para Rankear Seu Site (+4 Ferramentas)

seo marketing

Seja qual for o formato ou a mídia utilizada em uma estratégia digital, lá está a dobradinha SEO e marketing se fazendo necessária.

Você pode explorar comercialmente vídeos, podcasts ou os tradicionais artigos de blog – como este aqui.

No entanto, sem o apoio de um bom material escrito otimizado, suas chances de ser encontrado na imensidão da web serão muito pequenas.

Por isso, quero ajudar você a performar bem na hora de lançar sua estratégia de marketing digital.

E aí, tudo pronto para atrair mais leads e gerar oportunidades de negócio?

Então, vamos lá!

1. Arrume a casa (diagnóstico do site e checklist de melhorias)

Dizem que sorte é quando o preparo encontra a oportunidade.

Começo com essa frase de efeito porque ela tem tudo a ver com uma estratégia baseada em SEO e marketing.

Sejamos honestos: será que, hoje, sua empresa está realmente equipada para gerar mais tráfego e vender mais pela internet?

Todo mundo quer aparecer bem no Google e se destacar nos negócios, mas a verdade é que isso não acontece sem o devido preparo.

Portanto, a primeira dica que quero passar para você é para arrumar a casa, ou seja, analisar seu site para saber por onde começar.

Uma maneira rápida de se fazer isso é pelo recurso SEO checker, 100% gratuito.

Basta digitar o endereço do seu site e, na hora, ele rastreia todas as suas páginas e URLs, classificando-as com uma nota de 0 a 100 e relatando problemas por níveis de prioridade.

E se você não estiver satisfeito, pode assinar um plano pago para ter dados ainda mais completos.

2. Cadastre seu site no Google Search Console, Bing Webmasters e Google Meu Negócio

Segundo o Internet Live Stats, hoje, são feitas diariamente no Google cerca de 3,5 bilhões de pesquisas por dia.

Não tem como fazer um negócio decolar sem marcar presença no maior motor de busca já conhecido, concorda?

Para isso, uma boa opção é cadastrar sua empresa na plataforma Google Meu Negócio.

Totalmente grátis, com ela você monta um site básico e, de quebra, ganha valiosas posições na busca orgânica.

Não deixe, ainda, de aderir ao Google Search Console, ferramenta que informa as palavras-chave que estão fazendo as pessoas encontrarem seu site.

Mas nem só de Google vive uma estratégia de SEO e marketing.

Uma excelente alternativa é o Bing Webmasters, da Microsoft, pelo qual é possível saber da performance do seu site nos resultados desse motor de busca específico.

3. Escolha as palavras-chave mais importantes

Agora que seu site está equipado e configurado para monitorar a origem do tráfego, é hora de inserir as keywords que vão induzir as pessoas a clicar em seus links.

Essa é uma parte fundamental em uma estratégia de SEO e marketing, por isso, a escolha das palavras-chave deve ser a mais criteriosa possível.

Para tanto, você pode usar o tradicional Keyword Planner, do Google – nesse caso, será preciso criar uma conta também na plataforma Ads – o antigo Adwords.

Ou, se preferir, pode utilizar a Ubersuggest, a ferramenta que eu e minha equipe de desenvolvedores criamos, da qual falarei com mais detalhes mais à frente.

4. Priorize as palavras de cauda longa (long tail keywords)

Imagine que você tem uma loja de calçados e quer atrair pessoas que estão no bairro para o seu estabelecimento.

Se o seu site estiver otimizado para o termo “loja de calçados”, provavelmente vai atrair indivíduos de todos os lugares, e isso não é bom para os seus objetivos.

Para resolver essa questão, a solução é buscar indexação e ranqueamento com as chamadas palavras-chave long tail (cauda longa).

Nesse caso, em vez de “loja de calçados”, você incluirá nas páginas do seu site e conteúdos termos como “loja de calçados esportivos na Mooca”.

Percebe a diferença?

5. Faça curadoria de conteúdo

A inclusão de palavras-chave não é a única forma de atrair visitantes para um site.

Uma outra maneira de se fazer isso, sem prejuízo para o funil de conversão, é por meio da curadoria de conteúdo.

Consiste, basicamente, em selecionar posts que tenham relação com temas em alta, que por sua vez podem ser detectados em suas redes sociais ou na web.

Você pode, ainda, utilizar ferramentas como o Buzzsumo, na qual os conteúdos mais relevantes para palavras-chave de interesse são encontrados.

6. Otimize o código-fonte do site

Para mostrar resultados em cada pesquisa, o Google utiliza os chamados “robôs”, que nada mais são do que rastreadores de conteúdo.

Eles são guiados por algoritmos, um conjunto de regras que determina certas condições para que as posts, depois de encontrados, sejam indexados e listados.

Nesse processo, eles tomam como referência o código-fonte do site, aquelas linhas de comando que sempre começam com o sinal de “<”.

Para otimizá-lo, você pode, por exemplo, limpar do seu site tudo o que não seja conteúdo indexável, passando para arquivos externos o que estiver em linguagens como scripts e css.

7. Reduza o tempo de carregamento das páginas

Além do conteúdo, os robôs do Google e de outros motores de pesquisa também ranqueiam sites tomando como critério sua velocidade de carregamento.

Então, uma página mais lenta que o normal certamente o fará ser penalizado com perda de posições nos resultados de busca (SERP).

Por outro lado, como saber se um site está carregando no tempo certo?

Uma das ferramentas mais simples de se usar e que eu particularmente gosto muito é o Google PageSpeed Insights.

Ela faz uma varredura em seu site, identificando fatores que possam estar deixando-o mais lento e, com isso, é gerado um relatório de possíveis ações de melhoria.

8. Organize as heading tags de forma hierárquica

Os robôs do Google são sistemáticos.

Tudo que possa sugerir que um domínio não cumpre com os requisitos indispensáveis para ser destacado nas melhores posições conta muito.

Um desses fatores é a hierarquia das heading tags, ou seja, dos menus e submenus em todo o site e em seus conteúdos.

Por isso, na elaboração dos seus artigos e páginas, procure sempre respeitar a hierarquia dos tópicos, evitando pular de um “Título 2” direto para um “Título 4”, ok?

9. Construa a presença digital da marca ou empresa

Talvez uma das maiores provas de que um site é autoridade no seu campo de atuação seja a quantidade (e a qualidade) de backlinks, isto é, de links externos que apontam para seus conteúdos.

Para consegui-los e construir a sua presença digital, você pode recorrer a guest posts, para os quais tenho dicas matadoras em um artigo exclusivo.

10. Crie URLs amigáveis

Alguma vez você já navegou em um blog e, na URL do post, estava algo como “www.umblogqualquer.com/123456”?

Pois essa é uma prática a ser evitada, já que impede que os motores de busca encontrem e indexem seu conteúdo pela palavra-chave, que deve estar sempre inserida na URL.

Uma alternativa melhor para o exemplo seria “www.umblogqualquer.com/seo-marketing”.

11. Faça linkagem interna de conteúdo

Além de sistemáticos, os robôs dos motores de busca também não são bobos.

Eles sabem que quanto mais conteúdo um site tem publicado, mais autoridade no assunto ele tende a ser.

Uma maneira de fazê-los ver isso no seu domínio é criar links internos em todas as suas publicações.

Não tem uma quantidade certa, mas estima-se que três links a cada 500 palavras esteja de bom tamanho.

12. Otimize o conteúdo para feature snippet (posição zero)

No Google, melhor do que o primeiro lugar na SERP é a chamada posição zero ou feature snippet.

Trata-se daquele quadrado que aparece em destaque depois de um busca, no qual é mostrado um resumo curtíssimo do conteúdo.

Para conquistar essa cobiçada posição, procure inserir, depois da introdução do texto, um subtítulo em H2 que comece respondendo à questão principal do conteúdo, como “SEO marketing é…”.

Esse tópico deverá ter, no máximo, 50 palavras e estar logo no início da publicação.

13. Prepare seu conteúdo para busca por voz

Segundo o Google, cerca de 20% das pesquisas feitas na web, hoje, são por voz.

Sendo assim, seu site também precisa ser otimizado para que as pessoas o encontrem mesmo que não usem a digitação de palavras-chave em suas buscas.

Algumas maneiras de se fazer isso você já viu, como usar long tails, por exemplo.

Outro modo é otimizar seus conteúdos para responderem a perguntas que as pessoas fazem ao pesquisar por voz, usando títulos em formato de dúvidas comuns.

14. Otimize o layout para dispositivos móveis

Já falei aqui no blog sobre a relevância do design responsivo para as metas de SEO e marketing, o que significa que o site exibido em celulares deverá ser adequado ao dispositivo.

Esse ponto é indispensável porque, em primeiro lugar, garante a melhor experiência de navegação e, nesse caso, o seu cliente ou lead agradece.

Não menos importante, os algoritmos dos motores de busca detectam sites configurados para exibição responsiva.

Logo, os que não contam com esse recurso tendem a perder posições na SERP.

15. Poste com frequência no Google Meu Negócio

Ser uma plataforma do maior motor de busca do mundo não significa que o Google Meu Negócio dispensa uma boa estratégia de conteúdo.

Sendo assim, ao criar o seu site por essa ferramenta, não deixe de publicar materiais regularmente para ganhar ainda mais posições de destaque na pesquisa orgânica.

16. Crie conteúdo para busca navegacional

Para cumprir com seus objetivos de marketing, um conteúdo precisa ser direcionado para a intenção de busca certa.

Na busca navegacional, as palavras-chave em geral remetem diretamente ao site.

Por exemplo, o termo “SEO marketing Neil Patel” é claramente uma pesquisa dessa categoria.

17. Crie conteúdo para busca informacional

Já a busca informacional não deixa muita dúvida sobre o teor da pesquisa.

Nesse caso, “o que fazer no Rio de Janeiro à noite” ou “quanto custa um apartamento em Porto Alegre” são bons exemplos de keywords nesse sentido.

18. Crie conteúdo para busca transacional

Finalmente, nas buscas transacionais, a pessoa deixa claro sua intenção de fazer uma compra.

Pode ser o nome de uma mercadoria, mas, em geral, esse tipo de pesquisa começa com a palavra “comprar”.

Seja qual for a modalidade de busca em questão, não deixe de criar textos adequados, segmentando-os para cada etapa do funil de conversão.

Isto é, procure relacionar a cada palavra-chave conteúdos direcionados às fases de atração, consideração e decisão.

19. Aumente o tempo de permanência na página

Uma experiência frustrante para quem desenvolve conteúdo é abrir o dashboard do Analytics e ver que as pessoas gastaram 0:00:00 para ler os artigos.

Em alguns casos, isso pode acontecer porque a página não está otimizada para estimular a permanência dos leitores.

Veja algumas soluções que podem ser aplicadas:

  • Aumentar a quantidade de vídeos, já que esse formato tem um potencial de engajamento maior
  • Publicar textos escaneáveis, ou seja, que possam ser lidos rapidamente e sem cansar
  • Ter cuidado com as palavras-chave – nada mais decepcionante do que buscar uma coisa e se deparar com outra ou uma promessa não cumprida
  • Abolir toda e qualquer prática de clickbait.

20. Otimize o tamanho dos arquivos de imagem

Os algoritmos não estão preparados ainda para visualizar imagens.

Por isso, eles se orientam pelos atributos “alt” e “title” para saber o que quer dizer uma foto exibida em uma publicação.

Outro fator que deve ser considerado é o tamanho da imagem, já que arquivos muito grandes influem no tempo de carregamento da página.

Além disso, a maioria das plataformas redimensionam imagens quando elas são publicadas.

Portanto, procure não usar arquivos grandes demais, já que eles não serão exibidos em tamanho original.

O mesmo cuidado se aplica às imagens com baixa resolução, já que dão uma impressão de amadorismo, além de não ajudar a criar engajamento.

21. Utilize lazy load para diminuir o tempo de carregamento

Uma boa alternativa para diminuir o tempo de carregamento de uma página é usar o padrão lazy load de programação.

Com ele, só o conteúdo requisitado é carregado, o que torna o site muito mais “leve”, melhorando a experiência do usuário.

Converse com o seu desenvolvedor para saber como utilizar esse recurso para aumentar a velocidade do seu site, inclusive mobile.

22. Invista em ferramentas de SEO

google trends

Claro que eu não falaria sobre SEO e marketing sem indicar as ferramentas mais úteis do mercado para colocar uma estratégia em prática.

Vamos conhecer quatro delas?

Ubersuggest

Não é porque eu ajudei a desenvolver, mas poucas ferramentas gratuitas são tão completas quanto a Ubersuggest.

Ela vai ajudar não só a encontrar as melhores keywords para o seu negócio, como dar uma visão das estratégias no seu nicho do mercado que estão funcionando.

Google Trends

Certas sazonalidades ou períodos do ano específicos pedem uma abordagem de conteúdo mais localizada e que leve em conta o que está mais em evidência no momento.

É aqui que o Google Trends pode gerar ótimos insights, revelando as últimas tendências de busca para os termos que interessam para o seu negócio.

Ahrefs

Entre as ferramentas pagas, vale destacar a Ahrefs, uma das mais robustas para otimização de sites e para desenvolver uma estratégia de conteúdo campeã.

Além de encontrar palavras-chave, com ela você pode fazer auditoria em seu domínio e analisar o tipo de material que cai melhor para o seu nicho de mercado.

Moz

Vale também fazer um teste com o Moz, uma das mais completas plataformas voltadas ao SEO e marketing.

Na versão gratuita, há recursos bastante interessantes, como a Moz Bar, uma extensão para navegadores que dá visão panorâmica acerca das principais métricas de SEO.

Conclusão

Tenho certeza de que se você não tinha conhecimento sobre SEO e marketing, agora tem tudo o que precisa para desenvolver suas próprias estratégias.

Colocando em prática os 22 hacks que você acaba de conhecer, seu site ou blog vai ser bem ranqueado e começar a gerar mais conversões.

E se você já tem algum conhecimento a respeito de SEO, é bastante provável que pelo menos uma das estratégias que contei aqui seja nova ou não tenha sido tentada.

Agora eu quero saber de você: seu site está pronto para fazer a diferença ou ainda falta muito para chegar lá?

Compartilhe