Segmentação Demográfica: O Que é, Por Que Usar e Desvantagens

ilustração de segmentação demográfica por geração

A segmentação demográfica é um instrumento do marketing digital que busca delimitar o público-alvo de mensagens e publicidade a partir da criação de filtros e parâmetros predefinidos. Com a segmentação demográfica, é possível gastar menos e impactar pessoas com inclinação maior à conversão.

Muito se fala sobre a segmentação demográfica no ambiente de marketing.

O que é natural, já que o direcionamento de campanhas é a melhor maneira para otimizá-las.

Acredite em mim quando digo que um grande alcance nem sempre é o melhor caminho.

Muitas vezes, precisamos apenas alcançar o público certo no momento propício.

Isso evita gastos desnecessários, pois atinge somente potenciais compradores.

Ou seja, funciona como uma espécie de filtro para atrair apenas quem realmente pode vir a fechar um negócio e descartar pessoas sem chance alguma de conversão.

Se você deseja entender tudo sobre o tema, convido a continuar a leitura.

No texto de hoje, descubra o que é, por que usar, vantagens e desvantagens da segmentação demográfica.

Vamos lá?

Acompanhe comigo.

Antes de continuar, se você quer aumentar sua vendas e saber quais são as melhores estratégias para promover seu negócio online, clique aqui para receber o Guia Completo de Marketing Digital.

guia completo de marketing digital

Objetivo da segmentação de mercado

objetivos da segmentação de mercado

A segmentação de mercado é um recurso aplicado em estratégias de marketing, vendas e outras ações mercadológicas.

Seu principal objetivo é direcionar as ações de comunicação para realizar interações com públicos específicos.

Com isso, aumenta-se as chances de conversão.

No mundo digital, esse recurso tem impacto ainda maior.

Isso por conta do big data.

Com o alto volume de recolhimento de dados específicos na internet, há cada vez mais possibilidades de entregar a mensagem ao público correto.

Pense em uma plataforma como o Facebook, por exemplo.

De acordo com a Statista, a rede social possui uma base de usuários ativos de 2,41 bilhões.

Os robôs da ferramenta recolhem dados sobre cada um dos cadastrados.

Dados geográficos, relacionados à localização.

Dados comportamentais, relacionados ao comportamento e interesse.

Dados demográficos, relacionados a aspectos como natalidade, produção econômica, distribuição étnica etc.

E outros tipos de informações.

Quando um anunciante investe financeiramente no Facebook Ads, tem a possibilidade de utilizar essas referências para atingir uma parcela selecionada do público.

Isso significa que o dono de um ecommerce de moda feminina pode alcançar apenas mulheres, por exemplo.

Ou que um vendedor de bolas de tênis atinja somente pessoas que se interessem pelo esporte.

Isso aumenta significativamente as chances de venda.

Além disso, também economiza recursos.

Quando você faz um anúncio em ou outdoor, é muito difícil direcionar as ações.

Qualquer pessoa que passar por ele será impactada pelo material.

Teoricamente, o anunciante paga por cada uma delas.

Mas ao investir na segmentação de mercado online você alcança somente as pessoas que escolhe, minimizando os gastos.

Os grupos de pessoas têm problemas, necessidades e desejos diferentes.

Dependendo da parcela de mercado que você deseja atingir, não é preciso impactar um grande número de consumidores, mas somente aqueles com potencial de compra.

Vale destacar que há várias maneiras de segmentar um público.

Algumas delas com maior e outras com menor eficiência.

Ao recolher leads na internet, por exemplo, você poderá utilizar os dados para direcionar fluxos de nutrição de email para grupos específicos.

Nas plataformas de mídia paga como o já citado Facebook Ads e o Google Ads, os anúncios também são dirigidos.

Mas você também pode criar um blog sobre computadores, por exemplo, para atrair um público qualificado por interesse.

De qualquer forma, segmentar é sempre uma boa ideia, já que os recursos são otimizados.

Tipos de Segmentação de Mercado

quais os tipos de segmentação de mercado

Existem vários tipos de segmentação de mercado.

Eu preciso dizer que não existe uma melhor que a outra.

Cada uma delas tem seus benefícios.

Portanto, a escolha de qual utilizar depende unicamente de questões estratégicas.

Mas nada impede que você cruze as segmentações para especificar ainda mais o público.

A seguir, vamos conhecer os principais tipos.

1. Segmentação demográfica

A segmentação demográfica trabalha com informações frias.

Ou seja, dados genéricos como idade, gênero, classe social, ocupação e grau de instrução.

Ela normalmente é aplicada em sintonia com outros tipos.

Alguns exemplos de segmentação demográfica são:

  • Mulheres da classe C
  • Homens solteiros que atuam na área da saúde
  • Donas de casa entre 40 e 60 anos.

2. Segmentação geográfica

A segmentação geográfica é mais simples, pois se refere à localização dos consumidores.

Ela utiliza alguns parâmetros como País, Estado, cidade, bairro, endereço, CEP, entre outros.

Também podem se basear em dados em tempo real, com a utilização da tecnologia de GPS.

Alguns exemplos de segmentação geográfica são:

  • Consumidores em um raio de 25km do centro de Belo Horizonte
  • Consumidores que vivem no bairro Carlos Prates
  • Consumidores que estão próximos à loja.

3. Segmentação psicográfica

A segmentação psicográfica se relaciona aos valores e crenças dos clientes.

Ou seja, tem como foco pessoas com ideais semelhantes aos da empresa, gerando empatia e culminando em vendas.

É um ótimo método para fidelizar clientes.

Alguns exemplos de segmentação psicográfica são:

  • Consumidores preocupados com questões ambientais
  • Consumidores skatistas
  • Consumidores veganos.

4. Segmentação comportamental

A segmentação comportamental se baseia em ações previamente executadas pelo consumidor.

Ela se baseia no recolhimento de dados recente e é ativada mediante às atividades realizadas no ambiente digital.

Citando um caso: você pode oferecer uma determinada promoção apenas para quem é um seguidor em uma rede social.

Alguns exemplos de segmentação comportamental são:

  • Pessoas que já acessaram uma página
  • Pessoas que já se inscreveram em um evento
  • Pessoas que já compraram.

5. Segmentação por benefício

A segmentação por benefício é menos conhecida, mas é uma ótima oportunidade para alcançar consumidores por meio da resolução de problemas.

Ela ativa as campanhas com base nos atributos que o usuário vê como benéficos para ele.

Nem sempre as pessoas veem como vantagem as mesmas qualidades.

Alguns exemplos de segmentação por benefícios são:

  • Pessoas que veem como benefício o preço do produto
  • Pessoas que veem como benefício a velocidade de entrega do produto
  • Pessoas que veem como benefício a durabilidade do produto.

6. Segmentação corporativa

Existe um tipo de segmentação voltada não somente a públicos, mas a mercados.

Por exemplo, o ramo de atividade, tamanho da empresa, faturamento da companhia, número de funcionários e tipos de produtos e serviços.

Esse formato de direcionamento é muito utilizado no ramo B2B (de negócio para negócio) ou varejo.

Alguns exemplos de segmentação corporativa são:

  • Empresas do ramo de eletrônicos
  • Empresas com faturamento superior a 1 milhão
  • Microempreendedores individuais.

7. Segmentação transacional

A segmentação transacional também leva em conta algumas variáveis comportamentais.

No entanto, os dados recolhidos nesse caso são exclusivamente baseados no histórico de compras do cliente.

Nesse modelo você pode sugerir a compra de novos produtos relacionados nos e mails de confirmação, por exemplo.

O remarketing é uma ação de segmentação transacional.

Alguns exemplos de segmentação corporativa são:

  • Clientes que já compraram mais de 5 vezes
  • Clientes que abandonaram a compra no carrinho
  • Clientes que gastam mais de R$ 300,00 mensalmente.

O que é a segmentação demográfica?

entenda a segmentação demográfico no mercado

A demografia é a ciência que estuda e analisa as populações humanas.

Já a segmentação, para o marketing, diz respeito ao direcionamento de estratégias a determinadas parcelas da sociedade.

Uma academia poderia criar uma campanha de links patrocinados utilizando a segmentação geográfica, por exemplo.

Assim, ela atingiria somente pessoas que morem nos arredores do estabelecimento: em São Paulo, no bairro Vila Mariana.

Temos também a segmentação comportamental.

Nesse caso, você poderia atingir somente pessoas que realizaram uma ação específica, como clicar em um link.

Quando falo sobre segmentação demográfica, estou me referindo ao direcionamento de campanhas a um determinado público-alvo baseado em dados como idade, gênero e renda.

Se você apontar seus investimentos apenas para mulheres da classe A que têm entre 20 e 30 anos, está segmentando por demografia.

De maneira similar, ao reverter os esforços somente a homens entre 18 e 45 anos que completaram o ensino médio.

Ou a advogados brasileiros com rendimento superior a R$ 4 mil reais por mês.

Ou seja, a qualquer distinção de um certo grupo social de acordo com dados gerais da população.

A seguir, vamos conhecer as principais variáveis consideradas na segmentação demográfica.

Idade

Essa variável é também é regularmente referida como faixa etária.

Ela é importante pois as pessoas têm diferentes necessidades.

Veja alguns exemplos de segmentação por idade:

  • Consumidores abaixo de 30 anos
  • Consumidores entre 15 e 20 anos
  • Consumidores acima de 65 anos.

Ciclo de Vida

Já o ciclo de vida leva em conta as fases da vida, e não necessariamente é traduzido em números.

Alguns exemplos são:

  • Crianças
  • Adultos
  • Idosos.

Estado civil

O estado civil é outra variável considerada na segmentação demográfica.

Alguns exemplos são:

  • Consumidores solteiros
  • Consumidores casados
  • Consumidores viúvos.

Sexo

Muitas vezes definido como “gênero” nas plataformas de segmentação, é uma das mais populares variáveis de mercado.

Se refere ao direcionamento para o público masculino ou feminino.

Com a modernização, existem ferramentas que já permitem uma abordagem mais branda desse fator.

Alguns exemplos:

  • Mulheres
  • Homens
  • Não-definidos
  • LGBTQ
  • Transgêneros.

Rendimento

A variável rendimento toma conta do poder de compra traduzido em números do consumidor.

Ou seja, quanto ele ganha individual ou coletivamente, no caso do rendimento familiar

Alguns exemplos são:

  • Pessoas com rendimento de até R$ 4 mil reais
  • Pessoas com rendimento acima de R$ 15 mil reais
  • Pessoas com rendimento familiar de até R$ 1 mil reais.

Classe social

Ao contrário do que muitos pensam, a classe social não tem influência somente no poder de compra do consumidor, como no caso do rendimento.

Nesse caso, há também influência cultural sobre as pessoas.

Alguns exemplos dessa variável são:

  • Consumidores da classe A
  • Consumidores da classe B
  • Consumidores das classes C e D.

Geração

segmentação de geração no mercado

Outro elemento frequentemente considerado para se fazer segmentação demográfica é a geração.

Ela trata de um período específico que agrega características culturais únicas entre os indivíduos.

Alguns exemplos de gerações são:

  • Baby boomers (entre 1946 e 1964)
  • Geração X (entre 1960 e 1980)
  • Geração Y (entre 1980 e 2000)
  • Geração Z (entre 1990 e 2010)
  • Geração alpha (a partir de 2010).

Ocupação

A ocupação profissional do indivíduo é outra variável de mercado utilizada para segmentar.

Ela se refere exatamente à profissão do público que você deseja atingir.

Alguns exemplos desse tipo de direcionamento são:

Nível hierárquico

Algumas redes sociais, como o LinkedIn, têm acesso a informações relacionadas ao grau de hierarquia dos usuários.

Por isso, esse é outra variável utilizada regularmente.

Alguns exemplos de níveis de cargo utilizados são:

  • CEO
  • Executivo (C-level)
  • Gerente
  • Analista
  • Estagiário.

Nível de instrução

Já o nível de instrução leva em consideração o grau de escolaridade do público atingido.

Por exemplo:

  • Ensino fundamental completo
  • Ensino médio incompleto
  • Ensino superior em curso
  • Pós-graduado
  • Mestrado completo
  • Doutorando.

Religião

A religião é mais um componente importante para direcionar campanhas de marketing.

Dependendo da área de atuação do negócio, ele pode fazer toda a diferença.

Alguns exemplos são:

  • Católicos
  • Muçulmanos
  • Evangélicos
  • Judeus
  • Budistas.

Nacionalidade

Você também pode utilizar a nacionalidade para segmentar o mercado.

Essa variável é muito utilizada, principalmente, em multinacionais.

Nesse caso, até mesmo o idioma utilizado é diversificado.

Alguns exemplos são:

  • Brasileiros
  • Canadenses
  • Japoneses
  • Ingleses
  • Norte-americanos.

Peso e altura

Por mais estranho que possa parecer, elementos como peso e altura são muito importantes para alguns nichos.

Por exemplo, as empresas relacionadas à moda.

Por isso, são variáveis utilizadas para segmentação nesse tipo de mercado.

Alguns exemplos são:

  • Homens com mais de 100 kg
  • Mulheres com mais de 1,80
  • Pessoas entre 70 e 80 kg e abaixo de 1,70.

Raça

Os conceitos relacionados à raça são abstratos, mas existem diversas plataformas que ainda permitem esse tipo de segmentação.

Alguns exemplos são:

  • Brancos
  • Negros
  • Amarelos.

Outros tipos de segmentação demográfica

Existem ainda diversos outros tipos de elementos que interferem na segmentação.

Eles variam de nicho para nicho, mas são muito valiosos para uma abordagem mais pessoal nas campanhas de marketing.

Alguns exemplos de outros tipos de segmentação são:

  • Pessoas que torcem para um determinado time de futebol
  • Pessoas que utilizam um dispositivo móvel específico
  • Pessoas que têm piscina em casa.

Por que fazer a segmentação demográfica?

importancia de segmentar o mercado

A segmentação demográfica apresenta uma série de benefícios.

Mas acima de tudo, é a base da pirâmide de segmentação.

Ela representa o nível mais básico de direcionamento, já que suas informações se referem à população como um todo, e não em parcelas como na comportamental e geográfica.

Muitas vezes elas são suficientes para abranger o público desejado.

Mas em grande parte dos casos, são aliadas a outros tipos de segmentação para atingir audiências ainda mais específicas.

Essa é uma das regras gerais do marketing digital: quanto mais preciso o direcionamento, melhor.

Ao contrário do que pensam muitas pessoas, não vale a pena alcançar um grande número de usuários.

Nesse caso, o mais importante é atingir os internautas certos, o que aumenta muito as chances de conversão.

Quando o trabalho é realizado apenas com aqueles com potencial de compra (levando em consideração os dados e a intenção), a tendência é a otimização das vendas.

O conceito de persona

Embora a segmentação demográfica trabalhe com públicos, aqui faz-se necessária a utilização do conceito de persona.

Trata-se de um personagem fictício que representa o cliente ideal do negócio.

Ao defini-la, você será capaz de compreender as dores e problemas das pessoas para as quais você quer vender e trabalhar com muito mais eficácia suas estratégias de marketing.

Outros fatores como canais de comunicação favoritos, hábitos e informações demográficas acompanham esse recurso.

Ela também ajuda muito na hora de estabelecer campanhas direcionadas por meio da segmentação, já que reflete dados essenciais para o seu perfil de público.

Desvantagens da segmentação demográfica

desvantagens em definir segmentação demográfica

O grande problema da segmentação demográfica é que, sozinha, ela provavelmente não trará os melhores resultados.

Isso porque suas definições são amplas.

No mundo digital, os consumidores estão cada vez mais em busca de personalização.

Imagine que você tenha uma loja de cosméticos.

Em suas campanhas, você seleciona um público por meio da segmentação demográfica: mulheres entre 20 e 40 anos.

Por mais que isso possa gerar um bom retorno, a eficácia será muito maior ao casar essa ação com outros tipos de segmentação.

Assim: mulheres entre 20 e 40 anos, que vivem em São Paulo e Região Metropolitana, casadas, com rendimento superior a R$ 3 mil mensais, ativas em questões relacionadas ao feminismo, que frequentam blogs de viagem e curtiram alguma página de maquiagem no Facebook nos últimos 6 meses.

Viu só?

Com isso, você será capaz de tomar decisões mais certeiras e terá um retorno muito melhor durante a execução da estratégia.

A segmentação, é claro, deve ser observada de perto por meio do recolhimento de dados.

Feita a análise, realize os ajustes necessários para gerar os melhores resultados com o mínimo de investimento.

Com isso, estabelece-se um padrão e modifica-se o público de acordo com a performance.

Conclusão

Chegamos ao final de mais um texto, e eu realmente espero que as informações aqui contidas sejam úteis para você.

Hoje aprendemos muito sobre o direcionamento de campanhas digitais.

Primeiro, vimos qual é o objetivo da segmentação e por que ela é tão importante.

Na sequência, compreendemos que ela apresenta diversos tipos e quais são os principais.

Mais à frente, nos aprofundamos especificamente na segmentação demográfica e conhecemos diversas das variáveis utilizadas em sua aplicação.

Por fim, observamos que também há algumas desvantagens ao aplicá-la.

Você acha que faltou alguma informação neste artigo?

Então deixe a sua dúvida ou sugestão nos comentários.

Será um prazer respondê-la 😉

guia completo de marketing digital

Compartilhe