Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

O Guia Completo do SEO Off-Page

SEO off-page

O SEO Off-Page é uma estratégia de otimização com ações fora do seu site, mas também fundamentais para alcançar a performance desejada em buscas na web.

Em uma analogia, dá para dizer que é uma espécie de “patinho feio” da otimização.

Como nos ensina a fábula, nem sempre o valor de alguém ou alguma coisa está na aparência.

E o Off-Page é um SEO não tão evidente, que não chama a atenção diretamente em suas páginas, mas que dá uma enorme contribuição para que elas estejam no alto da busca orgânica.

Um indicativo da relevância desse SEO “invisível” vem de uma pesquisa da Backlinko (em inglês), que revela que 95% das páginas têm um total de zero backlinks.

Isso explica porque muita gente ainda faz SEO, mas não aparece no Google.

Acompanhe a leitura até o final para entender o poder do Off-Page para a estratégia e conhecer as melhores técnicas.

O que é SEO Off-page?

O “SEO Off-page” se refere a todas as atividades que você e os outros fazem longe do seu site com o intuito de aumentar o ranking de uma página nos resultados dos mecanismos de busca.

Apesar de muitas pessoas associarem o SEO Off-page com o link building, ele vai muito além disso. Muitas atividades, mesmo que não resultem em um link padrão em outros sites, são importantes para a otimização off-page.

SEO on-page acontece no próprio site, enquanto SEO off-page acontece fora do site. Se você escrever um guest post para outro blog ou deixar um comentário, você estará fazendo a promoção do site off-page.

SEO on-page e SEO off-page

Qual a importância do SEO Off-Page?

A pesquisa da Backlinko que citei na introdução deste texto traz outros dados que evidenciam o quanto o SEO Off-Page faz a diferença.

Ela mostra, por exemplo, que as páginas em primeiro lugar na SERP do Google têm, em média, 3,8 vezes mais backlinks do que as que figuram entre a 2ª e a 10ª posição.

Portanto, o SEO Off-Page é o caminho mais curto para obter volumes de tráfego maiores, sem depender tanto da publicação de conteúdos.

Detalhe: levando em conta o que diz a Backlinko, 3 a 4 links externos seriam suficientes para catapultar uma página à primeira posição nas buscas do Google.

Quais são as diferenças entre SEO Off-Page e SEO On-Page?

Leitor atento que é, você deve ter notado que existem dois tipos de SEO sobre os quais costumo escrever aqui no blog: o “On” (dentro) e o “Off” (fora) Page.

Assim, tudo que estiver “on” diz respeito aos elementos contidos em uma página, tudo que está visível.

Já os elementos “off” são aqueles que estão em outros sites, sendo por isso controlados por terceiros.

Por exemplo: se consigo um link externo espontaneamente, é porque alguém achou que o conteúdo que criei pode complementar um conteúdo interno.

O mesmo acontece se alguém cita o meu nome como referência em marketing digital sem que eu tenha solicitado essa citação.

SEO Off-Page vs. SEO Técnico

SEO off-page e SEO técnico

Otimizar um site ou conteúdo para que ele figure em destaque nas SERP vai além de usar keywords com alto volume de buscas.

Afinal, há também uma série de aspectos técnicos tão importantes quanto o próprio conteúdo, como a velocidade de carregamento da página e sua latência.

Esses e outros elementos fazem parte do chamado SEO técnico, que cuida dos aspectos funcionais e de performance de um site.

Você pode conferir esses indicadores pelo Google Search Console, que traz dados detalhados sobre parâmetros como CLS, FID e LCP.

Quais são os fatores de rankeamento do SEO Off-Page?

Como vimos, o SEO Off-Page não se resume aos links externos.

Na verdade, os links podem até pesar contra uma página, dependendo da forma como eles são inseridos.

Isso se considerarmos os fatores de rankeamento off page, que destaco a seguir.

  • Texto-âncora: para que um link gere autoridade e melhore sua posição na SERP, ele precisa ter relação com o texto em que está inserido
  • Diversidade: quanto mais citações externas de qualidade, mais pontos para o Google
  • Contextualização: é importante que a citação ou link tenha relação com a página em que aparece. Exemplo: um artigo meu citado em um blog sobre marketing digital
  • Citações: ter apenas o nome ou a página citada, mesmo sem links, já conta pontos a favor
  • Credibilidade: o Google identifica os sites mais seguros e confiáveis, concedendo pontos extras ao avaliar o SEO Off-Page.

Diferença entre Off-Page SEO e Link Building

Agora que você já entende o que é SEO Off-Page, talvez olhe para a expressão “link building” e pense se tratar de sinônimos.

Mas não se engane.

O link building vai muito além dos backlinks, esta sim uma estratégia de SEO Off-Page.

Todo o trabalho de linkagem que você faz em seu blog, criando uma rede de links internos e referências externas, também são uma parte importante do link building, embora nesse caso sejam parte da estratégia de SEO On-Page, feita nas suas páginas.

Então, basicamente, a diferença entre SEO Off-Page e link building é que o primeiro envolve apenas ações fora do site (e não somente links, já que o Google hoje já considera menções de marca como um fator importante). 

Já o segundo inclui também a estratégia de links internos e externos nos seus conteúdos e não apenas os backlinks que apontam para as suas páginas.

Preparando um Site/Página para o Link Building

Os links ainda são muito importantes para o Google. Na verdade, é quase impossível para o Google determinar o valor de qualquer página da web se não houverem links apontando para ela — não importa quão útil, novo, ou profundo o conteúdo da página possa ser.

Gráfico sobre o que é importante para o Google

Os donos de sites são sempre tentados a pular as preparações iniciais do link building. Mas é importante que você dê prioridade máxima a isso, pois preparar um site irá garantir que você esteja atento aos links que publica neles.

O Dr. Peter J. Meyers revisou algumas das marcas que ganharam (e perderam) posições nas buscas do Google em 2015. Os sites que perderam terreno no rankings de busca orgânica não tinham uma base forte. 

Perda de posição no Google

É claro que a maioria desses sites têm um domínio forte, estão na ativa há um tempo, mas os elementos básicos que impulsionam o poder da página não estão lá.

Então como você garante que suas páginas estejam prontas para link building? 

i). Planejando as suas páginas internas

Páginas internas otimizadas podem fazer uma grande diferença em seus rankings globais. Isso inclui interligar suas páginas usando palavras-chave alternadas (com mais ênfase no nome da sua marca).

De acordo com o famoso post do Brian Dean, em “200 Fatores do Ranking do Google”,

O número de links internos para uma página indica sua importância em relação às outras páginas no site.

Mais especificamente, você deve ter páginas silo que se conectam com suas páginas de categoria e de suporte (posts). Dessa forma, quando você mandar um link para a página inicial, o PageRank passa para suas páginas de categoria e de suporte, impulsionando assim sua performance de busca.

Páginas silo e páginas de categoria e suporte

Profissionais de SEO inteligentes não jogam links em uma página de forma aleatória. Eles organizam as páginas para que cada link passe seu PageRank para as outras páginas interconectadas.

Nenhuma das suas páginas internas deve ficar sozinha. Inclua uma navegação perfeita e faça de cada página uma parte integral do seu site. Isso é essencial para os usuários do seu site e para os seus resultados dos mecanismos de busca.

De preferência, as páginas que abordam tópicos semelhantes ou iguais devem ser ligadas umas às outras para proporcionar uma experiência rica para os usuários.

Exemplo sobre links

Na otimização de mecanismos de busca, as páginas internas sempre são negligenciadas. A maioria dos SEOs e donos de sites não percebem que muito do “valor do SEO” de um site flui de acordo com a forma que as páginas internas são estruturadas.

Isso geralmente acontece quando você tem links de páginas de alto valor no mesmo site. Faça páginas silo da forma certa se você quiser uma equivalência saudável de links em suas páginas internas.

Ken Lyons compartilhou 3 maneiras de garantir que suas páginas internas estejam bem estruturadas e seus links distribuídos uniformemente, antes de sair buscando links inbound de fontes externas:

Estrutura e distribuição de links

Lembre-se que não é apenas sobre a quantidade de links que você tem. A qualidade dos links para suas páginas internas é tão importante quanto a estrutura da página em si.

Na verdade, às vezes reduzir o número de links apontando para suas páginas internas pode ajudar os seus esforços de SEO.

Como exemplo, a CMS North America, um fabricante de máquinas CNC de 5 eixos, tinha um site com 170 páginas indexadas. Ainda assim, o site não estava gerando tráfego substancial de busca.

Exemplo da CMS North America

Através de uma auditoria em seu site usando a Ferramenta Interna de PageRank, eles descobriram que o site tinha 168 links apontando para a página inicial.

Era muito mais do que o recomendado nas boas práticas, o que é um problema, especialmente quando o PageRank do SEO destes links não flui para as páginas internas.

Eles começaram uma nova estrutura de navegação e removeram alguns links que apontavam para as páginas silo, enquanto mantiveram os links que suportavam a usabilidade (como o “nos contate” e as páginas de suporte). Ao todo, 70 links foram removidos.

Depois de 6 semanas reestruturando os links das páginas internas e da página inicial, a maioria das páginas e links novos foram re-rastreados pelo spider do Google.

A empresa viu melhorias nos rankings em 18 das 21 frases com palavras-chave focadas pelo site. As palavras-chave que já estavam classificadas na página 2 melhoraram em média 3,7 posições no ranking.

ii).   Faça o SEO on-page básico: O SEO on-page é importante. Afinal de contas, você não quer que o Google veja seu site como um portal negligenciado.

Eu tenho certeza que você já ouviu o suficiente sobre meta tags e densidade de palavras-chave. Ainda assim, existem outros fatores relevantes de SEO on-page que sempre são negligenciados. Este infográfico de SEO on-page do Backlinko mostra vários deles para você:

Infográfico de SEO on-page

Uma das razões pelas quais muitos sites de autoridade não dominam mais as melhores listas orgânicas é porque eles negligenciaram o SEO on-page básico.

Você quer vincular suas páginas internas usando palavras-chave que melhor definem aquela página.

Quando você cria uma landing page que você gostaria que fosse muito bem no ranking do Google, você deve passar mais PageRank SEO para aquela página a partir de suas páginas importantes.

Se o Google está vendo muitas páginas em seu site para um termo de busca em particular, e não tem certeza de qual ranquear melhor que as outras, você vai ter dificuldades para direcionar o tráfego orgânico não importa a quantidade de valor você proporcione.

E isso é o processo básico de SEO on-page. Não existe nenhuma fórmula mágica secreta. Apenas garanta que suas páginas estejam bem estruturadas, suas palavras-chave especificadas, e os sinais sendo mandados ao Google da maneira certa.

Veja aqui um exemplo: A Daily Mail Online, uma revista online popular que é bem classificada para várias palavras-chave, falhou em dominar o topo das listas durante a Copa do Mundo de 2014. Outra marca tomou o lugar deles:

Exemplo de pesquisa no Google

A revista online perdeu a oportunidade de atrair milhares, ou até milhões de usuários de busca, dado o interesse imenso no torneio (com um pico por volta de 18 de Junho).

Exemplo de gráfico de interesse

Com várias marcas dominando a primeira página de rankings do Google, a Daily Mail Online ficou de fora com o termo “Copa do Mundo”. Cada artigo novo publicado sobre a Copa do Mundo se sobrepunha à landing page da Daily Mail, a qual eles queriam que fosse melhor ranqueada que outras páginas (mostradas em rosa).

Exemplo de pesquisa de palavra-chave

O que está acontecendo aqui é que o Google está vendo muitas páginas do Daily Mail Online para esse termo de busca, e não tem certeza de qual deve ser estar melhor no ranking.

Isso tem muito a ver com os links de páginas internas — ou a falta deles.

Para tirar proveito do termo de busca popular naquela época, a Mail Online poderia ter linkado todas as páginas internas de volta para a página principal (especialmente aquelas relacionadas com a “Copa do Mundo”).

Esse teria sido um sinal forte para o Google de que essa página era significante e talvez útil para os usuários.

Infelizmente, a Daily Mail teve muitas oportunidades para fazer links para a página principal através de posts e páginas relevantes, mas eles não fizeram.

Exemplo da Daily Mail

iii).   Escolha palavras-chave temáticas: Embora os links ainda sejam a cereja no topo do bolo, o que define todos os outros fatores no SEO são as palavras-chave que você escolhe.

Palavras-chave são as peças fundamental para sua campanha de conteúdo. No diagrama abaixo, a visão mais precisa de SEO on-page mostra que o uso de palavras-chave relacionadas e básicas contabilizam 7,5% e 40% do SEO on-page, respectivamente.

SEO on-page

Em seu livro, Pesquisa de Palavras-chave: Como Achar e se Beneficiar das Palavras-Chave de Cauda Longa de Baixa Competição, o autor Nathan George disse que para ser bem sucedido nos negócios, você precisa ajudar muitas pessoas.

Então a pergunta se torna, como você acha pessoas para ajudar? A resposta: Pesquisa de palavras-chave.

Mas nem todas as palavras-chave são criadas igualmente. Se você quiser melhorar a probabilidade de direcionar tráfego orgânico para o seu site, então você precisa escolher palavras-chave temáticas.

A palavra “temática” significa simplesmente ter ou ser relacionada a um assunto em particular.

Então quando você estiver escolhendo palavras-chave, foque naquelas que são relacionadas a um assunto específico. Você não poderá expandir suas opções demais. Veja um exemplo: 

Vamos assumir que o seu negócio forneça serviços de customização de temas no WordPress. É importante encontrar as palavras-chave certas e relacionadas com as quais você poderá criar conteúdo ao redor. 

Digite a sua palavra-chave principal (customização de tema no WordPress) na barra de busca do Planejador de Palavras-chave do Google. Clique no botão “Obter ideias”. Aqui estão frases de palavras-chave temáticas:

Planejador de palavras-chave do Google

Lembre que você está em seu negócio para ajudar os outros. Ao saber as palavras, frases, e termos de busca que eles usam, você pode facilmente moldar seu conteúdo para atender as necessidades deles.

Você pode aumentar o poder das suas palavras-chave criando palavras-chave de marca. Em outras palavras, ao invés de focar em “Dicas de SEO”, você pode especificar seu nicho e incluir sua marca ou nome do domínio (ex: Dicas Moz SEO, Neil Patel SEO).

Palavras-chave de domínio ou orientadas para uma marca normalmente trazem vários resultados do mesmo site nos resultados de busca do Google.

Palavras-chave de domínio

É claro, você precisa criar conteúdo útil. Quando você observa várias de suas páginas melhorando o ranking de resultados de busca do Google, não importa em que posições aquelas páginas estão – você pode passar mais RankPage para elas através de qualquer uma das estratégias de link building abaixo: 

Estratégias de link building

Palavras-chave de marca temáticas irão lhe dar uma vantagem sobre a concorrência. Não importa quantas marcas estejam dominando o top 10 das listas orgânicas, você pode acabar direcionando visitantes motivados para o seu site.

Quando se trata de SEO on-page, a tag do título é o fator mais importante. É por isso que é importante utilizar palavras-chaves da maneira certa em seus títulos.

Brian Dean fez alguns experimentos e descobriu que quando você começa um título com palavras-chave, você tem posições melhores nos rankings das páginas de resultados dos mecanismos de busca (SERPs). 

Normalmente, quanto mais perto você colocar a palavra-chave do começo da tag do título, mais peso ela vai ter com os mecanismos de busca.

Palavra-chave no título

Então vamos imaginar que você escolha focar estas 3 frases com palavras-chave abaixo:

  1. estratégia de web design
  2. desenvolvedor de tema no WordPress
  3. custo de design de sites

Você pode moldar esses títulos pois todos empregam palavras-chave no começo:

  • Estratégia de Web Design: Como Finalmente Fazer o Design de um Site Que Converta
  • Desenvolvedor de Tema no WordPress: 7 Fatores que Você Deve Considerar Primeiro
  • O Custo de Design de Sites Para Donos de Pequenos Negócios

Começar sua tag do título com as palavras-chave visadas é importante. Mas, isso só se aplica quando você quer verdadeiramente melhorar sua performance de busca de uma determinada palavra-chave. Existem situações em que você cria conteúdo sem focar em uma palavra-chave. Veja como o Brian explica isso:

Explicação sobre palavra-chave

Quando você está focando palavras-chave na otimização on-page, não fique apenas repetindo aquelas palavras-chave de novo e de novo.

Ao invés, use sinônimos ou termos de indexação semânticos (LSI). Palavras-chave LSI tem um propósito – ajudar os spiders dos mecanismos de busca a extrair significado de palavras-chave normais (especialmente aquelas com mais de um significado). Por exemplo, Apple (maçã), a companhia de computador x apple, a fruta.

Idealmente, se você estiver escrevendo conteúdo de um assunto relacionado à Apple, a empresa, o Google espera que você mencione palavras e termos relevantes que são comuns à organização.

Apple

No mesmo estilo, se você estiver escrevendo sobre o Microsoft Windows 10, para ajudar os spiders do Google a extraírem o significado exato da sua página e servirem aos usuários certos, eu mencionaria palavras e frases como Bill Gates, Sistema Operacional, OS, Windows 8.0, etc.

Evite mencionar suas palavras-chave iniciais (ex: passagens de avião baratas) de novo e de novo em seu conteúdo. O Google irá visualizar que existe um excesso de otimização e pode penalizá-lo.

Exemplo de penalização do Google

Quando você menciona outros sinônimos, você pode otimizar seu conteúdo da maneira certa (pelo menos da maneira que o Google e os usuários querem).

Se eu fosse escrever um artigo focando a palavra-chave “Como conseguir tráfego de blog,” veja o que eu faria: substituiria os termos de busca com essas palavras-chave LSI:

  • Como conseguir tráfego de blog
  • como gerar tráfego de blog
  • direcione visitantes para seu site
  • visitantes online de blog
  • Atrair tráfego para o meu blog

Facilmente, você pode observar que as palavras-chave acima estão relacionadas com a palavra-chave primária (como conseguir tráfego de blog).

Em suas páginas internas, você pode usar essas palavras-chave LSI em suas tags de título e você ficará bem. Mas, imagine como seria se todas as suas páginas estiverem focadas em uma palavra-chave – sem variações.

No algoritmo de ranking do Google, a presença ou ausência de palavras-chave de indexação semânticas latentes percorrem um longo caminho no sentido de determinar onde ranquear suas páginas da web, pois é um forte sinal de qualidade para o Google. 

Vamos supor que o seu negócio ofereça serviços de personalização de temas para o WordPress. É importante encontrar as palavras-chave relacionadas certas para criar conteúdo em torno delas.

Simplesmente insira sua palavra-chave principal (personalização temas wordpress) na caixa de pesquisa do Ubersuggest. Clique no botão “Buscar”. Aqui estão as frases de palavras-chave temáticas:

Exemplo Ubersuggest

Talvez você esteja se perguntando como pode encontrar esses sinônimos. A boa notícia é que existem várias ferramentas que você pode usar para pesquisar termos de busca LSI. Basta seguir esses passos:

1º passo: Vá ao Ubersuggest e insira sua palavra-chave primária (ex: passagens aéreas baratas). Clique no botão “Buscar”:

Exemplo de pesquisa no Ubersuggest

2º passo:  Clique em Ideias de Palavra-chave na barra lateral esquerda.

Ideia de palavra-chave no Ubersuggest

3º passo:  Analise as Ideias de Palavra-chave

Exemplo de pesquisa de palavra-chave no Ubersuggest

4º passo: Selecione as palavras-chave

Seleção de palavras-chave no Ubersuggest

No exemplo acima, eu escolhi a frase de palavras-chave “desconto em passagens aéreas”. O volume é respeitável, com 8.100 pesquisas mensais no Google. Isso é combinado a uma SEO difficulty relativamente baixa de 34, o que mostra boas chances de posicionar na primeira página.

O último passo é obter uma ideia melhor do que você precisa para superar seus concorrentes na primeira página. Nos resultados acima, você pode ver o seguinte:

  • Google SERP – as 100 melhores páginas quando você pesquisa a palavra-chave no Google.
  • Est. Visitas – estimativa de visitantes mensais que a página recebe para a palavra-chave
  • Links – número de backlinks vindos de outros domínios.
  • Domain Score – a força do site em geral, sendo 1 o mais fraco e 100 o mais forte.
  • Comp. Sociais – total de vezes em que a URL foi compartilhada em redes sociais.

Em média, as 10 primeiras páginas têm 1.681 backlinks e um domain score de 79. No entanto, você não precisa necessariamente igualar ou superar esses números. Por exemplo: a 5ª posição é ocupada por uma página com apenas 104 links e um DS de 67.

A otimização de palavras-chave on-page se resume a pesquisar, escolher e integrar palavras-chave que você pode facilmente melhorar seu ranking. Você não quer competir com marcas famosas, com maior e mais forte autoridade de domínio que você.

É por isso que você deve também focar em palavras-chave de cauda longa. Você já sabe como achá-las e usá-las para aperfeiçoar seus rankings de busca. Eu gero mais de 20.000 visitantes orgânicos para este blog, especificamente de busca de cauda longa. 

Com apenas 5 horas de trabalho, Jamie Press transformou as idéias do Google Autocomplete em tráfego e rankings. Ele ajudou seus clientes a criar conteúdo útil que se classificou em #2 e #3 nos resultados de busca naquela época. 

Exemplo de ranking no Google

Como Conseguir Backlinks Relevantes, Importantes e Amigáveis ao Usuário.

Quase 100 bilhões de buscas por conteúdo, produtos e serviços são feitas todo mês no Google. E essa é apenas uma porção do mercado.

Isso foi anunciado recentemente na Conferência Re/code’s Code/Mobile  por Amit Singhal, vice presidente sênior do Google Search.

Amit Singhal

Ele também explicou que mais da metade dessas buscas estão vindo de dispositivos móveis.

Para a maioria dos SEOs, profissionais de marketing de conteúdo, e blogueiros, os backlinks são o fator SEO off-page mais importante. E, eles podem estar certos.

Isso porque links naturais de sites relevantes e de autoridade agem como um “voto de confiança” independente, que ajuda os mecanismos de busca a confiar mais em seu site.

Confiabilidade

Quando o spider de busca do Google percorre seu site, procurando por conteúdo novo (às vezes, dependendo das suas configurações de sitemap), ele indexa suas páginas novas e as prepara para os usuários de busca.

Depois que suas páginas são adicionadas ao vasto index para se tornarem resultados de busca, quando consultas de busca relevantes forem desencadeadas, o Google usa vários fatores de algoritmos para determinar onde essas páginas irão ranquear.

No mundo SEO, nós nos referimos a eles como fatores de ranking do Google. Eles são os fatores determinantes para rankings orgânicos de página. Felizmente, você não precisa memorizar todos os fatores de ranking — boas notícias, pois segundo o Google, existem mais de 200 deles. 

Mas o fator mais importante no âmbito de SEO são os links. Bem, não os links em si, mas o impacto causado por esses links. Alguns outros fatores off-page são:

Fatores off-page

Antigamente, se eu gerasse 100 links para a minha página, e você gerasse apenas 20 links, o Google veria minha página como mais importante e valiosa que a sua.

A qualidade do link não era tão importante naquela época.

Mas hoje, os links são interpretados de forma diferente. Várias perguntas surgem quando o Google vê um link apontando para a sua página. Por exemplo:

  • De onde esse link vem?
  • O que levou o dono do site a se conectar à você?
  • Qual é a qualidade do link? (isso é, é de um site importante?)
  • Quão novo é o seu link?
  • Quão natural é o perfil do seu link?
  • E assim por diante…

Quando estiver construindo links para o seu site ou páginas internas (as quais são mais ideais em SEO hoje em dia), foque em links relevantes, de autoridade e amigáveis ao SEO.

Vamos discutir algumas maneiras de conseguir esses links valiosos:

1). Link building quebrado: Mesmo que eu tenha escrito toneladas de posts sobre link building quebrado, infelizmente, muitas pessoas não o fazem. Várias pessoas ainda confiam em guest blogging. Não me entenda mal – guest blogging ainda é uma ótima maneira de adquirir os links certos.

Mas, guest blogging pode demorar muito. Pior, exige muita pesquisa pelo tópico certo. E então você tem que achar os blogs certos, escrever o post, submetê-lo e esperar para ser publicado.

Por outro lado, link building quebrado é fácil, mais rápido que guest blogging e pode ser uma forma fácil para ganhar os links certos.

Link building

Quando eu lancei meu blog de nutrição, eu investi em táticas de link building quebrado e gerei um punhado de links naturais de sites confiáveis através dessa estratégia.

As oportunidades são intermináveis quando você tira proveito de links mortos. Pois na realidade, a internet está quebrada… literalmente.

Vários links que você vê em blogs de autoridade estão mortos. Conforme o host expira, os sites ficam bagunçados durante a transferência de arquivos ou migração, ou quando erros de digitação acontecem e os links se rompem. Eles levam a páginas de erro 404, que não são atraentes para o usuário (falamos mais sobre isso depois).

Todos esses links quebrados são sua vantagem.

Não existe nada de novo ou chique sobre consertar links quebrados. Essa tática de link building nunca se tornará ultrapassada ou ineficiente, pois a internet sempre irá ter novos links quebrados que precisarão ser consertados.

Se você tem muitos links mortos em seu blog, e está se perguntando se sua performance de busca vai ser afetada, você não tem que se preocupar. De acordo com O blog oficial Google Webmaster Central, páginas de erro 404 ou páginas quebradas não irão afetar o ranking do seu site.

404 são uma parte perfeitamente normal da internet; a Internet está sempre mudando, conteúdo novo nasce, conteúdo velho morre, e quando ele morre (idealmente) retorna para um código de resposta HTTP 404. Mecanismos de busca estão cientes disso; nós temos erros 404 em nossos próprios sites, como você pode ver acima, e nós os encontramos eles toda a internet. Na verdade, realmente preferimos isso, quando você se livra de uma página em seu site, você garante que ela retorne um código de resposta 404 ou 410 (ao invés de um “404 suave”). 

Embora o Google goste de ver uma página de erro 404 apropriada, você acha que é uma boa experiência para o usuário? Com certeza não.

Quando as pessoas clicam na sua página a partir de uma página de resultados orgânicos, elas não estão esperando uma página de erro 404, mas ao invés disso elas querem ver o conteúdo exato que elas pesquisaram.

Página com erro

Imagine quão frustradas as pessoas irão ficar quando elas procurarem por “melhores relógios digitais de pulso,” só para clicar no primeiro resultado e ver uma página de erro.

Alguns desses pesquisadores irão provavelmente marcar o endereço desses sites e nunca mais irão voltar. Obviamente, a experiência do usuário foi ruim. E não há nada que afaste mais as pessoas do que uma experiência ruim, que é uma indicação natural do seu atendimento ao cliente a quem pesquisou.

O resultado disso pode ser desastroso. De acordo com o Sacramento Design Network, “85%  do seu negócio pode ser perdido devido a uma experiência ruim de atendimento ao clientes.” 

Impactos de experiências ruins dos clientes

Em poucas palavras, links building quebrado pode ser separado em 4 simples passos: conduzir uma análise de backlink em um site relevante, achar um link quebrado, entrar em contato com o dono e informá-lo sobre os links mortos.

Link building quebrado

Como você está ajudando o dono do site a localizar links não funcionais, eles podem lhe fazer o favor de incluir um link para o seu site. Idealmente, oferecem um link substituto quando apropriado.

Se eu tenho um link de uma página em particular no meu blog Neil Patel e descubro que o link está morto, eu posso facilmente substituí-lo com outro recurso relevante e de alto valor. Se essa página de alto valor pertencer a você, será tanto PageRank SEO quanto um link valioso.

Confie em mim, você pode fazer isso da maneira certa logo na primeira vez, e construir os links certos para sua página usando essa tática. Você irá achar esses recursos realmente úteis:

2). Criar e distribuir infográficos atraentes: Não há dúvida sobre isso – infográficos ainda funcionam e provavelmente irão continuar funcionando no futuro. 

Infográficos atraentes

Embora os infográficos possam ainda produzir resultados impressionantes, você tem que entender que nem todos os infográficos irão dar conta do trabalho.

Se você estivesse lendo o QuickSprout no primeiro e segundo quadrimestre de 2015, você provavelmente iria concordar que os meus infográficos são excelentes. Na verdade, eu gasto cerca de 1.000 dólares para ter um único infográfico com design trabalhado.

No entanto, se você estiver com o orçamento apertado ou apenas começando, você pode não ser capaz de gastar 1.000 dólares em infográficos.

Alternativamente, você pode usar o Dribbble para achar designers de infográfico profissionais pela metade do preço. Se você decidir utilizar o Visual.ly, você terá um design melhor – mas com um custo mais alto.

Layout do Dribbble

Muitos profissionais de marketing de conteúdo ainda usam infográficos para atrair o público-alvo certo, adquirir links de autoridade, e crescer suas listas de email.

Por exemplo, Ken Lyons compartilhou um estudo de caso recentemente de como o WordStream criou um infográfico útil que ajudou várias pessoas. Interessantemente, o infográfico ganhou um link da CNN, que direcionou uma grande quantidade de tráfego para o site deles. 

Ann Smarty, uma produtiva profissional de marketing de conteúdo, criou um infográfico útil que gerou 10 links poderosos em apenas 2 dias.  

O Right Casino Media também gerou mais de 10 links de qualidade a partir de domínios fortes com seus infográficos.

Right Casino Media

Se você for uma companhia B2B ou B2C, você pode utilizar marketing visual para direcionar engajamento com seu público-alvo e ganhar links editoriais dos sites certos.

E tem mais, seus consumidores ideais irão responder melhor ao conteúdo visual do que somente a texto. Dados do HubSpot mostram que o cérebro humano processa informação visual 60.000 vezes mais rápido do que de um texto apenas.

Isso pode ajudar a explicar a demanda contínua por infográficos, a qual tem crescido em 800%.

Veja a atual tendência de crescimento:

Tendência de crescimento

Eu adoro criar e distribuir infográficos atraentes. Como qualquer conteúdo atraente, quando você dá a ele promoção suficiente, tem um ótimo potencial de se tornar viral.

A boa notícia é que você vai continuamente gerar tráfego orgânico para o seu blog quando as pessoas começarem a compartilhar seus infográficos.

Em minha experiência, eu descobri que os infográficos geram 37,5% mais backlinks do que um post comum em blog. Isso faz com que criar infográficos seja uma tática irresistível de link building que você deve definitivamente tentar.

Se você estiver pronto para criar e distribuir infográficos para melhorar seus esforços de SEO off-page, os recursos abaixo lhe serão úteis:

É claro que existem outras maneiras de construir links de qualidade para suas páginas. Por exemplo, você pode impulsionar a divulgação de um blog para construir relacionamentos que irão render links melhores, e utilizar a divulgação de mídia social para reivindicar nomes de marca não linkados de blogs relevantes.

Produza materiais compartilháveis

Os infográficos são, de certa forma, um tipo de conteúdo que estimula o compartilhamento.

Por esse motivo, vejo sites que disponibilizam os artigos escritos como arquivos em PDF, um formato que pode ser compartilhado até pelo WhatsApp.

Isso sem contar os conteúdos que, no final, têm ícones para compartilhamento direto nas principais redes sociais e fóruns.

O objetivo com essa tática é ampliar ao máximo a capacidade de disseminar um conteúdo na internet, por meio dos compartilhamentos, com o mínimo de trabalho para o leitor.

Eu mesmo faço sempre isso nos meus conteúdos, ao inserir botões como esses aqui no final de cada artigo:

Conteúdo compartilhável

Planeje o conteúdo

Recebo com alegria muitos feedbacks, dúvidas e comentários nos artigos que escrevo.

Os leitores também enviam queixas, relatando dificuldades com os seus conteúdos, que não estariam gerando o volume de tráfego esperado.

Na maioria dos casos, o problema não é a quantidade de artigos nem a de palavras, mas a qualidade dos materiais.

Cabe destacar aqui que os algoritmos do Google são refinados o bastante para diferenciar conteúdos de qualidade daqueles que só “enchem linguiça”.

Portanto, o ideal é planejar muito bem cada publicação, cuidando já na pauta de detalhar o que será abordado em cada tópico, bem como a linkagem interna e até o tom de voz.

Crie um ponto de vista único sobre o assunto

Cá entre nós, é entediante ler um artigo que começa com um monte de clichês e expressões como “muitas pessoas hoje em dia” ou “pesquisas dizem que” (sem citar a pesquisa ou dar números).

A propósito, o Google já lançou uma atualização cujo objetivo é penalizar conteúdos maçantes, repetitivos e plagiados.

Se tem uma coisa que aprendi e que tenho buscado desenvolver ao longo dos anos trabalhando com conteúdo é que cada artigo, vídeo ou infográfico deve ser único.

Para isso, uso como mantra a frase do Google: “sempre há mais informação em algum outro lugar”.

A partir disso, é colocar a mão na massa e trabalhar duro para criar conteúdos que sejam exclusivos, informativos, que entretenham e gerem backlinks em razão da sua autoridade.

Como evitar as penalidades do Google para links artificiais

Como evitar penalidades do Google?

O Google também penaliza, e com especial rigor, as páginas que disseminam links ruins e as que recebem esses links.

Embora haja o Black Hat SEO e as intenções duvidosas por trás dessa prática, em alguns casos o dono do site faz isso sem perceber que está cometendo um erro.

Veja então o que fazer para não levar um “gancho” do Google.

i). Crie conteúdo e otimize para os usuários primeiro: Você provavelmente já sabe o que isso significa. A questão é, você está pondo seus usuários em primeiro lugar?

Para verdadeiramente colocar os usuários em primeiro lugar, nem pense em mencionar suas palavras-chave várias vezes no post, especialmente se elas não fluem naturalmente.

Colocar os usuários em primeiro lugar vai além do uso de palavras-chave. Algumas vezes você pode não focar em absolutamente nenhuma palavra-chave, e ainda assim de alguma forma seu conteúdo parecer muito promocional.

Os usuários não gostam de ser vendidos. Em vez disso, ajude-os criando conteúdo de valor. Integre dados em seus posts o quanto você puder, e use o visual para transmitir sua mensagem claramente.

Se você os ajudar com um ótimo conteúdo, eles irão querer saber mais sobre você.

ii). Diversifique textos âncora: Depois de conduzir uma análise completa de backlink e observar de onde os seus links vem, você deve em seguida trabalhar para diversificar seus textos âncora.

Diversificar seus textos âncora significa simplesmente usar diferentes tipos de frases de palavras-chave, nomes de marcas, e termos genéricos para que o Google veja seus links como naturais e não manipulados.

Diversidade de textos âncora

Afinal de contas, se você não fizer nada duvidoso para conseguir os links, então os seus links não deverão ter uma combinação exata de palavras-chave nos seus textos âncora, certo?

Ao diversificar seus textos âncora, faça da relevância sua principal prioridade. O Google vai analisar o seu link baseado no assunto da página de referência e o quanto ele é consistente com o tema do seu texto.

Você sabe que é impossível controlar de onde você consegue seus links. Qualquer um pode compartilhar seu conteúdo e criar links da forma que eles quiserem.

Como você não pode controlar seus textos âncora ou de onde os links vem, você deve usar seu nome de marca como texto âncora mais frequentemente.

Nome da marca no texto âncora

Se você for um especialista de mídia social e for entrevistado por um blog de carros, você deve usar seu nome de marca como texto âncora.

Isso porque esses assuntos — carros e mídia social — não são temática ou intimamente relacionados e o Google usa o texto âncora de links externos para a página para julgar a qualidade, relevância e utilidade de qualquer link.

Por último, mas não menos importante, garanta que você consiga links de sites de alta qualidade, repudie links de baixa qualidade de páginas ruins, combine links nofollow ao seu perfil para torná-lo natural e publique conteúdo novo para aumentar as menções à marca.

Não compre links

Existe uma espécie de “fair play” do Google, cujo objetivo é coibir a compra de links externos.

Isso evita que grandes empresas dominem os resultados de busca na base do poderio econômico.

É uma prática sujeita a penalidades por qualquer um que tente fazer uso dessa artimanha.

Dicas para fazer SEO Off-Page

SEO Off-Page pode parecer muito complicado no começo, afinal, existe a dependência de outras páginas para que possa ser explorado.

Por isso, além de produzir conteúdo de extrema qualidade, você também precisa promovê-los, de maneira que possam ser vistos por mais pessoas.

Também pode formar parcerias, conforme a primeira das dicas para fazer SEO Off-Page a seguir.

Republicação de conteúdo

Seus melhores conteúdos não precisam ser publicados apenas no seu blog.

Pode haver casos de sites externos solicitarem a republicação de um artigo que seja muito bom ou uma referência para um tema de interesse, por exemplo.

Nesse caso, é preciso que, junto à publicação, seja incluído o link para o artigo original, informando ao Google que se trata de uma republicação, e não plágio.

Podcasts

Podcasts

Sou fã de podcasts e da variação que está mais em voga, os videocasts.

Acredito até que essa seja a forma mais eficaz de SEO Off-Page no atual contexto, principalmente por causa da popularidade que esse formato adquiriu no reels do Instagram.

Você pode criar o seu próprio podcast ou, se tiver a chance, participar de podcasts de outros autores, sempre lembrando de criar descrições que citem seu nome quando o conteúdo for publicado.

Eventos

Eventos como palestras, simpósios e webinars sempre geram audiência, que pode ser amplificada por publicações.

As pessoas que participam de feiras e seminários estão em sua maioria em busca de contatos e de fazer networking.

Pode estar aí uma boa forma de fazer SEO Off-Page, desde que você se apresente como alguém que mereça ser destacado em um site.

Marketing de influência

SEO Off-Page não precisa se restringir ao conteúdo de sites.

As redes sociais também são um espaço onde você pode ampliar o alcance da sua marca, principalmente trabalhando o marketing de influência.

Tudo que você precisa é contar com a parceria de alguém que tenha muitos seguidores e que possa promover seus produtos ou serviços em publicações que, como tais, deverão gerar uma contrapartida.

SEO local

Outro formato de parceria que você pode fazer com ganhos mútuos é com negócios locais ou empresas cujos nichos sejam limitados a regiões específicas.

Cursos em geral, autoescolas, serviços de manutenção e instituições de ensino são algumas delas.

Desde que suas soluções possam agregar ou complementar o que elas fazem, sempre há a possibilidade de trabalhar em cima de promoções do tipo “compre aqui, ganhe ali”.

Fazendo isso online, você acaba promovendo não só o seu negócio, mas também gerando audiência qualificada.

Ferramentas de SEO Off-Page

O SEO Off-Page requer ferramentas de analytics para ter seus resultados avaliados, da mesma forma que o SEO On-Page.

Embora haja soluções comuns a ambas modalidades, algumas ferramentas são mais indicadas pela precisão dos seus relatórios e recursos extras.

Destaco quatro das que eu mais utilizo em minhas estratégias:

Google Search Console

Assim como o Google Analytics é praticamente obrigatório para quem tem um site, o Google Search Console é imprescindível para avaliar o sucesso do SEO Off-Page.

Ele informa quais das suas páginas recebem links e também de onde esses links estão vindo.

Além disso, existe a opção de remover links maliciosos e de spam.

Ahrefs

Uma das ferramentas mais completas para análises de resultados em SEO Off-Page, o Ahrefs dispõe de recursos como relatórios de keywords e de backlinks.

Além disso, ele faz uma varredura completa nos sites concorrentes, mostrando como o seu se encontra posicionado em relação a eles.

Outro recurso valioso é o explorador de conteúdo, que mostra páginas com potencial para gerar backlinks para o seu negócio.

Moz Link Explorer

Já o Link Explorer da Moz segue uma linha um pouco diferente.

Ele parte da análise direta de URLs, mostrando em um painel indicadores como page e domain authority, além de informar se o link está quebrado e o número de ocorrências na web.

Também serve para analisar a concorrência e detectar oportunidades de link building em sites que contenham links direcionando para seus conteúdos.

Majestic

Na mesma pegada do link explorer, o Majestic também traz dados fundamentais sobre o SEO Off-Page a partir da análise de uma URL.

Além de informar na versão gratuita a quantidade de backlinks para o endereço informado, ele também mostra os textos âncora usados, entre outros dados.

Tudo bem que a maioria dos recursos mais interessantes é pago, mas não deixa de ser uma ferramenta a mais para você analisar a eficácia das suas estratégias de SEO.

Conclusão

Tá na hora de sair do seu site e se conectar com outros blogueiros da indústria e donos de sites se você quiser crescer nas suas perfomances de busca.

Entenda que o Google Penguin e outras atualizações de algoritmo não estão focando primariamente em resultados de busca que não tem toneladas de links de entrada.

Você deve sempre utilizar estratégias white-hat de link building para aperfeiçoar sua otimização off-page.

No entanto, você precisa preparar suas páginas para receber links de PageRank de autoridade conforme você trabalhe pesado para construir e ganhar links. Certifique-se de que seu site é facilmente navegável.

Quando se trata de criar uma experiência melhor de conteúdo, tudo se resume a responder as perguntas dos usuários. Comece identificando as perguntas feitas pelos seus consumidores ideais. Você pode achar essas perguntas no Quora, Twitter e outras redes sociais.

Acima de tudo, a otimização de mecanismos de busca não é uma abordagem de marketing de “bater e fugir”. Você deve fazer a abordagem sabendo que os esforços que você faz hoje irão refletir no futuro.

E principalmente, seja consistente e paciente e você irá gradualmente subir ao topo dos resultados do Google. 

Quais outras boas práticas de SEO off-page você acha que são importantes para aperfeiçoar seu ranking de busca orgânica?

Compartilhe