Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Marketing Pessoal: O Que É e Como Fazer (+14 Dicas Práticas)

garota trabalhando m frente ao laptop em seu  marketing pessoal

Marketing pessoal é o conjunto de estratégias cujo objetivo é estabelecer uma percepção positiva acerca de um indivíduo. Em outras palavras, fazer com que o público observe uma pessoa como autoridade em um determinado tema, assim como exaltar suas ações e atividades com técnicas de marketing.

Muitas pessoas me perguntam qual é a importância do marketing pessoal.

Eu não me canso de dizer que essa estratégia não é apenas uma necessidade, mas uma obrigação para qualquer profissional.

Afinal, em um cenário no qual as marcas são cada vez mais humanizadas, os consumidores querem conversar com pessoas.

Quanto a isso, posso dizer que um rosto é tão significativo para negócios quanto a identidade visual, por exemplo.

Uma coisa é certa: uma companhia pode vir à falência, mas a impressão pessoal permanece durante toda a vida.

As ações de personal branding, o equivalente em inglês, trazem benefícios aos mais distintos profissionais e objetivos.

Um CEO que deseja aumentar as vendas da empresa, por exemplo, certamente pode trabalhar a imagem para adquirir a confiança do público.

De modo similar, um funcionário cuja percepção é positiva tem grandes chances de receber uma promoção.

E um freelancer certamente aumentará sua cartilha de clientes por meio de estratégias parecidas.

Então, se você deseja saber o que é e como fazer marketing pessoal, chegou ao lugar certo.

Neste artigo, aprenda tudo que é necessário para criar uma imagem de autoridade no mercado e atingir objetivos de negócios.

Me acompanhe nas linhas a seguir e confira.

O que é Marketing Pessoal?

ilustração de equipe analisando plano de marketing pessoal

Marketing pessoal é o conjunto de estratégias cujo objetivo é estabelecer uma percepção positiva acerca de um indivíduo. Em outras palavras, fazer com que o público observe uma pessoa como autoridade em um determinado tema, assim como exaltar suas ações e atividades.

Obviamente, isso não significa mentir para a audiência, mas gerenciar a imagem para que ela absorva os aspectos desejados e valorize os atributos pessoais.

Muito mais do que uma ferramenta de auxílio às vendas, a imagem pessoal torna-se a representação física da empresa.

Ou seja, é responsável por gerar credibilidade e visibilidade ao empreendimento.

Gosto de utilizar o termo “empreendimento” porque, mesmo nos casos em que a gestão da imagem tem objetivos pessoais, pode ser utilizado.

Afinal, você também empreende a sua carreira, não é mesmo?

Vale lembrar que muitos profissionais preferem o termo “marca pessoal”, já que no ambiente de marketing contemporâneo os aspectos que caracterizam o indivíduo se fundem aos elementos de branding.

Qual a importância do Marketing Pessoal?

equipe de plano de marketing pessoal

A importância do marketing pessoal vai muito além da mera percepção positiva do público.

Esse tipo de ação pode transformar negócios e carreiras, independentemente do tamanho da empresa ou do nível profissional no qual o indivíduo se encontra.

No mercado, temos alguns exemplos muito interessantes de marketing pessoal.

Gustavo Caetano, fundador e CEO da Samba Tech, é visto como uma referência nos âmbitos empresarial e tecnológico.

Além do título de LinkedIn Top Voice, é autor de um livro, ministra palestras no Brasil e no mundo e é referenciado em grandes veículos de imprensa com frequência.

Até mesmo as citações orgânicas são consequência de estratégias planejadas — aliadas a um trabalho competente, é claro.

Outros executivos importantes seguem o mesmo caminho.

Isso também é válido para profissionais liberais, que aparecem entre os mais influentes no LinkedIn.

5 Motivos Para Fazer Marketing Pessoal – Vantagens

equipe reunida em mesa analisando plano de marketing pessoal

Existem muitas razões pelas quais você deve trabalhar o marketing pessoal.

A seguir, conheça algumas das principais.

1. Divulgar o seu trabalho

O marketing pessoal é um ótimo método para mostrar ao mundo o que você faz.

Para alcançar mais visibilidade, tais ações fazem com que os olhos de potenciais clientes se voltem para o seu trabalho.

Com o aumento do alcance, novas oportunidades de negócio surgem de maneira natural.

2. Construir autoridade

Outra função interessante do marketing pessoal é gerar autoridade para o indivíduo.

Mostrar-se como um especialista facilita uma série de objetivos, como educar o mercado, fidelizar clientes e estimular as vendas.

Essa ação é responsável por incentivar relacionamentos e aumentar os índices de confiança do público.

3. Reduzir o ciclo de vendas

Qualquer um que trabalhe com marketing sabe que, quanto menor o ciclo de vendas, menores os gastos para a empresa.

Quando o consumidor confia previamente no indivíduo, a tomada de decisão se torna um processo muito mais simples.

Com isso, as etapas que compõem o funil de vendas são reduzidas, acelerando a jornada do cliente.

4. Alavancar a sua carreira

Se engana quem pensa que uma promoção é conquistada apenas com trabalho duro.

A verdade é que o marketing pessoal é muito importante também para acelerar o desenvolvimento profissional.

Afinal, seus superiores também são pessoas suscetíveis às ações elaboradas para fortalecer a imagem do indivíduo.

5. Aumentar a cartilha de clientes

Quando você se torna conhecido e é percebido como alguém confiável aos olhos do mercado, a tendência é que mais pessoas o procurem em busca de soluções.

O que é ótimo, principalmente se estão relacionadas aos produtos que vende ou aos serviços que fornece.

Em outros termos, podemos dizer que o marketing pessoal é um dos principais agentes na hora de realizar a prospecção passiva.

6 dicas de Marketing Pessoal

prática de marketing pessoal em dupla de mulheres

Agora que você já entendeu o quanto o essa estratégia pode ajudá-lo, é chegado o momento de colocá-la em prática.

Abaixo, confira algumas dicas de marketing pessoal essenciais para a sua implementação.

1. Estabeleça sua presença digital

Para justificar este ponto, vou contar uma breve história.

Quando Pedro visitou a empresa de um potencial fornecedor, encontrou-se com Raísa, a presidente da empresa.

Ao fim da reunião, a primeira atitude que tomou foi buscar o nome da executiva no Google.

Assim, ele acabou caindo em seu site oficial, no qual observou suas principais atribuições, depoimentos de clientes e conteúdos ricos.

Dessa maneira, ficou fácil tomar uma decisão.

Observe que o estabelecimento da presença digital tem como objetivo principal fazer com que você seja encontrado.

Além disso, estabelecer uma perspectiva favorável para criar atalhos para seus objetivos de negócios.

Por isso, vale a pena investir em canais como site, blog e principais redes sociais.

No mundo corporativo, friso a importância do LinkedIn, principalmente para negócios B2B.

Entretanto, há outras plataformas que ajudam no cumprimento de funções específicas de marketing digital, como o Facebook, o Instagram, o YouTube, o Twitter e o Pinterest.

2. Crie uma identidade

Também conhecido como assinatura, esse elemento está para uma pessoa assim como a identidade visual está para uma organização.

No entanto, em vez de um logotipo e outros componentes visuais, temos o nome, o rosto, a voz, a apresentação, os trejeitos e demais itens que compõem a imagem individual.

O nome, por exemplo, não é necessariamente como o de registro, mas o pseudônimo pelo qual você deseja ser reconhecido.

Já a identidade do rosto inclui suas imagens em perfis sociais e outros canais digitais.

Nesse caso, vale a pena investir.

Assim como um designer é responsável por desenvolver uma marca profissional, um fotógrafo tem muito a contribuir para fotos qualificadas.

O restante dos elementos inclui técnicas de oratória, moda, habilidades sociais, entre outros.

3. Participe de eventos do seu mercado

Outra atividade que gera bons resultados no marketing pessoal é a participação em eventos.

Tais congregações não apenas geram visibilidade em um âmbito geral, mas contam com um grande diferencial: a segmentação do público.

Ora, ao participar de acontecimentos corporativos, há um filtro natural de pessoas interessadas em seus valores e ideias.

Ou seja, uma audiência altamente qualificada.

Como dito, o desenvolvimento de um personal branding eficiente gira em torno da aquisição de público e conquista de confiança.

Por conta disso, é preciso aproveitar-se de circunstâncias favoráveis para criar uma imagem ainda mais condizente com seus objetivos.

4. Faça networking online e offline

As relações pessoais são um dos pilares do marketing pessoal.

A maneira com a qual você expande a sua rede de contatos é um método valioso para prospecção de potenciais compradores.

Por isso, nas esferas on e offline, invista em interações.

Pode parecer pouco, mas as pessoas realmente levam em consideração o convívio, o diálogo e as experiências passadas.

No mercado atual, os laços precisam ser estreitos para garantir a segurança necessária para o fechamento do negócio.

5. Gere conteúdo relevante

Você já deve ter ouvido falar que o conteúdo é rei.

Eu concordo plenamente com essa afirmativa.

A criação de material relevante para a sua persona é capaz de gerar resultados realmente eficientes para o negócio.

Por meio de técnicas de marketing de conteúdo, você gera valor ao público e constrói a sua própria reputação no mercado.

Os formatos podem variar: artigos otimizados para o Google, LinkedIn Pulse e Medium, ebooks aprofundados, podcasts, videoaulas e infográficos estão entre os mais populares.

6. Adquira mídia

A mídia adquirida é uma das principais responsáveis pela geração de autoridade.

Trata-se, por exemplo, da citação em outros sites e blogs, entrevistas concedidas a órgãos de imprensa e referências em jornais e revistas.

Em outras palavras, qualquer tipo de mídia orgânica, gerada de maneira espontânea.

As pessoas tendem a confiar mais em informações divulgadas por terceiros, pois pressupõem uma análise imparcial.

Esse tipo de reconhecimento tem ainda o efeito “bola de neve”, estimulando convites para participação em outros eventos.

Influência das redes sociais no Marketing Pessoal

uso de redes sociais no marketing pessoal

Não dá para negar a influência das redes sociais no marketing pessoal.

Como essa estratégia está vinculada à imagem, é preciso marcar presença nos pontos de encontro das pessoas no ambiente digital.

Ou seja, nas plataformas de interação.

Cada uma delas tem seus pontos fortes e fracos, que devem ser analisados na etapa do planejamento.

O LinkedIn é uma rede social profissional, que incentiva a composição de parcerias e é uma excelente fonte de aquisição de clientes.

O Facebook tem como foco a versatilidade, servindo também como alicerce para divulgação de eventos, criação de grupos e interações interpessoais.

Já o Instagram é uma rede social voltada aos vídeos e imagens, o que culmina em boas oportunidades para negócios voltados à estética do produto ou serviço.

O YouTube, por sua vez, é ótimo para gerar autoridade, já que o marketing em vídeo alia todos os elementos da imagem pessoal.

Existem ainda diversas outras mídias sociais que oferecem distintas oportunidades para desenvolver o marketing pessoal.

Pesquise, analise e decida qual delas tem o maior potencial de estímulo para o seu negócio.

O que não fazer para o seu Marketing Pessoal

erros na prática de marketing pessoal

Até aqui, eu mostrei algumas das práticas que você deve incluir em sua rotina para desenvolver o seu marketing pessoal.

Agora, vamos olhar pelo outro lado da janela: o que você não deve fazer.

A seguir, conheça alguns erros comuns que devem ser evitados.

Focar no produto

Como você viu em outro trecho, o marketing pessoal é muito importante para vender produtos e serviços.

No entanto, sua principal função é fortalecer a pessoa, para posteriormente fazer o mesmo com o que se vende.

Não confunda as coisas.

Se você apresentar o produto logo de cara, pode acabar afastando a audiência.

Falar apenas sobre si

Muitas pessoas confundem o marketing pessoal com autopromoção.

Não se engane: aprimorar a sua imagem não é o mesmo que enaltecer as suas qualidades.

Na realidade, você deve cumprir o seu papel e deixar a avaliação para o público.

Se você focar em mostrar seus feitos, conquistas e façanhas, as pessoas podem se entediar facilmente.

Não alinhar o Marketing Pessoal a outras estratégias

Para mensurar o sucesso de suas estratégias de marketing pessoal e otimizar seu potencial, você deve alinhá-la com outras ações.

O recolhimento de leads, por exemplo, é um meio eficaz para se aproveitar do e-mail marketing e fidelizar usuários.

Os links patrocinados, por sua vez, também servem como auxílio para alcançar ainda mais pessoas.

Redes sociais, SEO, experiência do usuário, materiais impressos, rádio…

Utilize as ações digitais e mídias tradicionais a seu favor para obter melhores resultados e ter acesso a dados quantificáveis.

Exemplos de Marketing Pessoal

pessoas exemplos de marketing pessoal

Mesmo com tanta argumentação, existem aqueles que duvidam do potencial do marketing pessoal.

Por isso, a seguir, conheça alguns exemplos reais de pessoas que obtiveram o sucesso por meio da estratégia.

Seth Godin

Seth Godin é um dos maiores nomes do marketing mundial.

Mas não foi apenas boas campanhas que o transformaram em um ícone.

Desde a década de 1980, ele trabalha seu marketing pessoal por meio de canais digitais, palestras, livros, consultorias e muito conteúdo.

Aaron Ross

Autor do livro “Receita Previsível”, Aaron Ross é considerado o pai do Customer Success (Sucesso do Cliente).

Além de um profissional de renome, ele levou sua própria imagem a outros países por meio do Marketing Pessoal e hoje é considerado uma celebridade internacional no mundo do marketing.

Livros sobre Marketing Pessoal

ilustração sobre livros relacionados ao marketing pessoal

Se o seu desejo é saber ainda mais sobre o tema, aqui estão listados alguns livros sobre marketing pessoal que não podem faltar na sua estante.

Marketing Pessoal, de Dorene Ciletti

De maneira didática, o livro “Marketing Pessoal”, de Dorene Ciletti, traz um passo a passo para trabalhar o próprio marketing e elevar o valor do profissional diante do mercado.

É recomendado por tratar diretamente sobre o tema e ir direto ao ponto.

Nunca Almoce Sozinho, de Keith Ferrazzi

Já a obra “Nunca Almoce Sozinho”, de Keith Ferrazzi, é focado no networking para trabalhar a imagem.

Depois de lê-lo, você aprenderá que não deve subestimar o poder dos relacionamentos.

Foco, de Daniel Goleman

Em “Foco”, de Daniel Goleman, o autor nos mostra dados obtidos por meio de pesquisas que a melhor maneira para atingir qualquer objetivo é por meio do foco.

Mas, é claro, não se resume a isso.

O livro também revela como atingir novos níveis de concentração e resistir aos impulsos do cotidiano.

Perguntas Frequentes Sobre Marketing Pessoal

O que é Marketing Pessoal?

Marketing pessoal é o conjunto de estratégias cujo objetivo é estabelecer uma percepção positiva acerca de um indivíduo.

Qual a importância do Marketing Pessoal?

A importância do marketing pessoal vai muito além da mera percepção positiva do público. O marketing pessoal pode transformar negócios e carreiras, independentemente do tamanho da empresa ou do nível profissional no qual o indivíduo se encontra.

Quais as Vantagens de Fazer Marketing Pessoal?

Conheça algumas das principais: 1. Divulgar o seu trabalho; 2. Construir autoridade em seu nicho de atuação; 3. Reduzir o ciclo de vendas; 4. Alavancar a sua carreira; 5. Aumentar a cartilha de clientes

Conclusão

Chegamos ao fim de mais um texto no qual você aprendeu tudo sobre marketing pessoal.

Primeiro, passamos pela conceituação e descobrimos o que é essa estratégia.

Depois, vimos alguns bons motivos pelos quais ela pode ser útil para pessoas e empresas.

Na sequência, partimos para dicas certeiras para trabalhar o seu personal branding, além de traçar um paralelo com as redes sociais.

Por fim, observamos alguns dos principais erros cometidos por quem se arrisca na área.

Eu espero que este texto entregue o que você esperava ao acessá-lo.

Mas, caso contrário, deixe a sua dúvida ou sugestão na caixa de comentários.

E agora me conte: quais são os seus objetivos ao investir no marketing pessoal?

Compartilhe