Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

CMS: O Que São, Quais São Os Melhores e Como Escolher

cms como estratégia

Em busca do CMS ideal para a sua empresa?

Esse tipo de sistema de gestão de conteúdos é praticamente obrigatório para quem deseja manter um site ou blog atualizado e otimizado.

E o melhor: sem precisar ser um expert em linguagens de programação ou contratar um profissional da área.

Aliás, este é justamente o objetivo do CMS: facilitar a criação, edição e publicação de conteúdos em sites a partir de uma interface simples e intuitiva.

Entre as principais vantagens desse tipo de plataforma, está o baixo custo de manutenção.

Ou seja, dá para implementar um sistema como esse sem prejudicar o orçamento da empresa.

Mas como escolher o melhor CMS, já que existem tantas opções disponíveis no mercado?

Se você não sabe como fazer isso, continue com a leitura.

Ao longo do artigo, você vai ver um guia completo de CMS, desde as suas funções e características básicas à escolha do sistema para o seu negócio.

Preparado?

Venha comigo.

O que é CMS?

CMS content management system

CMS é a sigla para o termo em content management system, ou sistema gerenciador de conteúdo, em uma tradução para o português.

Uma plataforma CMS permite criar, editar, publicar e remover conteúdos em sites de forma simplificada e a partir de uma linguagem intuitiva.

Em outras palavras, é uma interface em um site, acessada pelo navegador, na qual o usuário pode gerenciar todo o conteúdo ali presente.

Trata-se de uma alternativa para pessoas que não têm conhecimentos em linguagem de programação e precisam, portanto, de um método de gestão fácil.

No mercado, há plataformas pagas e gratuitas disponíveis, dependendo das funcionalidades que apresentam.

Na maioria dos casas, elas são softwares livres criados por programadores.

Como funciona um CMS?

smartphone com sigla CMS e termos relacionados

Como eu falei no tópico anterior, o CMS tem um funcionamento simplificado e amigável.

Isso faz com que qualquer pessoa possa utilizá-lo sem conhecimento em linguagens de programação.

E isso vale independentemente do tipo de site que você tem.

Pode ser que tenha um site institucional e um blog.

Ou, então, que o seu site seja um e-commerce onde você vende produtos.

Uma plataforma CMS é útil desde a criação de um site à edição e publicação dos seus conteúdos.

Ela é acessada por meio do próprio navegador e possui configurações intuitivas para a gestão do material publicado.

Nela estão presentes menus e opções de controle, e você ainda pode instalar plugins ou extensões com facilidade, dependendo das ferramentas que precisa.

Para você entender melhor como funciona um CMS, vou recorrer a um exemplo prático.

Vamos supor que você tenha um blog no qual publica artigos com o intuito de atrair usuários para a sua empresa.

Bem, então, você vai publicar e editar textos com frequência para manter o blog sempre com informação fresca, certo?

Mas você não tem conhecimento em programação, tampouco tem dinheiro para contratar um profissional especializado.

O CMS facilita esse caminho.

Você não precisa concentrar esforços na parte técnica da criação e gestão do site, pois a plataforma faz isso sozinha.

Basta gerenciar os conteúdos a partir do CMS escolhido e com um simples acesso no navegador.

Características de um CMS

ilustração de cms e suas características

Agora que você já sabe como funciona um CMS, é hora de conferir quais são os seus atributos.

Abaixo, listei as quatro principais características de uma plataforma CMS. Confira.

Permite o gerenciamento do conteúdo

A característica central do CMS é que ele permite gerenciar os conteúdos, controlando todas as suas fases, desde a produção e inclusão de imagens à revisão do material final.

Também dá para excluir postagens que já não fazem mais sentido para o site ou editá-las para melhorar o conteúdo.

Para isso, o CMS apresenta um painel onde é possível inserir o conteúdo, incluindo textos, imagens, fotos, vídeos, infográficos.

Tudo fica centralizado no painel para o gerenciamento seja simples.

Pode ser utilizado por vários usuários

Fazer a gestão de um site é algo que demanda trabalho em equipe.

Por isso, as plataformas CRM têm suporte para usuários múltiplos, o que permite delegar tarefas e responsabilidades a respeito do gerenciamento de conteúdos.

Assim, você pode gerar permissões, na plataforma, para os usuários responsáveis pelas publicações do site e para os editores que aprovam os materiais.

Permite agendamento de postagens

Outra possibilidade, dentro de um CMS, é a de deixar textos em rascunhos até que estejam prontos para a publicação e agendar as postagens.

Assim, a equipe pode visualizar o status de cada conteúdo, identificando quais tarefas são necessárias até que o material esteja no ar.

Essa característica também permite que os conteúdos sejam produzidos com antecedência, garantindo que imprevistos não atrapalhem o fluxo de publicação no site.

As mudanças no design do site são simplificadas

Ao usar um CRM, você também poderá gerenciar o design do site por meio de um processo simples.

Você não precisa ser um profissional com amplo conhecimento em programação.

Pode usar os templates prontos como base, personalizá-los e mudar a aparência do site sem prejudicar os conteúdos que já estão publicados.

Os 5 principais benefícios do CMS para empresas

profissional de CMS

Afinal, por que você deveria adotar um CMS no seu negócio?

Nas próximas linhas, eu explico quais são as cinco principais vantagens de aderir a esse tipo de plataforma.

Vamos nessa?

1. Gestão de conteúdo simplificada

Eu já mencionei esse benefício em vários pontos do texto, mas ressalto de novo neste ponto.

Ele já basta para que você considere a implementação do CMS.

Afinal, não é necessário entender de programação, pois todo o processo de gestão do conteúdo ocorre de forma intuitiva a partir da plataforma.

Ou seja: você pode publicar, atualizar, editar, excluir conteúdos conforme a necessidade, sem a necessidade de contratar um programador para isso.

Além disso, não é necessário ter um software específico.

Como a plataforma CMS é acessada no navegador, você pode gerir os conteúdos literalmente de qualquer lugar, desde que tenha um computador e acesso à internet.

As vantagens são o ganho de produtividade, a rapidez para a gestão e o controle em tempo real de todos os conteúdos do seu site.

2. Baixo custo de manutenção

Quando o empreendedor pensa em adotar uma nova ferramenta, é claro que uma questão central para ele é o custo envolvido na implementação.

Uma das principais vantagens do CMS é que os custos geralmente são baixos.

Isso quer dizer que você pode usufruir de uma plataforma sem fazer um grande investimento.

Desde a implementação do CMS à manutenção e atualização, você terá custos possíveis de adaptar ao orçamento.

Aliás, os gastos, sem dúvidas, serão menores do que você teria se contratasse um profissional de programação em tempo integral.

3. Possibilidade de integrar plugins

Além dos recursos básicos, as plataformas de CMS oferecem ferramentas extras para melhorar a experiência do site e deixá-lo mais completo.

Uma boa alternativa são os plugins, que podem ser integrados facilmente à plataforma.

Ou seja, dependendo da sua necessidade, sempre existe a possibilidade de verificar quais plugins podem ser baixados para facilitar a gestão.

4. Carregamento rápido do site

Não importa qual tipo de site você tem.

Se ele não tiver um carregamento imediato, vai afastar o usuário.

Então, é um benefício do CMS o fato de ele gerar um bom desempenho para o site.

Aliás, esse é um critério importante que precisa ser preenchido para que o site tenha um bom ranqueamento no Google a partir de técnicas de otimização.

5. Segurança

Quando você tem um site, precisa se preocupar com a questão da segurança.

Afinal, você não quer que as informações cadastradas por usuários, por exemplo, sejam roubadas.

Tampouco que o site esteja vulnerável a invasões de terceiros.

Então, temos aí mais um motivo para recorrer ao CMS.

Em um artigo para o site TheeDigital, a consultora Gabrielle Tardive menciona que os sistemas CMS são testados consistentemente por desenvolvedores e cientistas da computação.

Juntos, ele reúnem esforços para proteger os usuários contra ameaças à segurança do site.

“Além disso, existem inúmeros plugins e ferramentas disponíveis que também são projetados individualmente para aumentar a segurança do seu site”, afirma a autora.

Possíveis desvantagens de usar um CMS

Ainda que possua inúmeras vantagens para as empresas, sobretudo no quesito praticidade, o CMS também possui alguns pontos de atenção.

Listei quatro possíveis desvantagens que esse sistema de gestão de conteúdo pode trazer, caso não sejam tomados os cuidados necessários.

Certa vulnerabilidade a ameaças virtuais

CMS: vulnerabilidade

Parece incoerente falar de vulnerabilidade a ameaças virtuais depois de dizer no tópico anterior que um CMS tem como ponto forte a segurança.

Porém, o que acontece é que é muito mais simples para um hacker invadir um sistema em que há códigos e linguagens populares, que a maioria dos sites utiliza, do que encontrar brechas em algo completamente novo.

Ainda assim, com atualizações constantes e, sobretudo, a instalação de plugins, é possível dificultar os ataques maliciosos.

Depende de plugins para acelerar o carregamento da página

Via de regra, sites gerenciados por CMS tem um carregamento mais lento do que as páginas que possuem códigos puros.

“Mas, Neil, você não acabou de falar que um dos benefícios da plataforma é, justamente, o bom desempenho?”, você pode estar se perguntando.

Sim, desde que sejam utilizadas extensões para acelerar essa velocidade.

Caso você não utilize nenhum tipo de plugin, seu site pode ficar mais demorado para carregar do que páginas com linguagens originais.

Pouca originalidade

Em termos de layout e design, as interfaces disponíveis nos CMS costumam ser pouco originais.

Por isso, o visual do seu site corre o risco de ficar com uma cara muito parecida com outras páginas disponíveis na web.

É bem verdade que muitos dos templates disponíveis ainda possuem uma certa customização.

Por isso, é importante dar uma boa atenção a esse aspecto da construção do seu site, se for feito com CMS. 

Menos flexibilidade

A limitação visual não é a única que os CMS costumam apresentar.

Em termos de funcionalidades, eles também tendem a ter menos opções que sites criados por programadores.

Dependendo do recurso desejado, você até consegue implementar com a ajuda de um plugin, mas existem casos em que é preciso contar com o suporte de um especialista em desenvolvimento back-end para conseguir a solução desejada.

Como se vê, essas questões não chegam a ser grandes desvantagens, pois para cada uma delas existe uma solução, que quase sempre inclui a integração de plugins e extensões.

Portanto, mais do que identificar essas carências, o segredo é buscar alternativas para driblá-las, se não quiser recorrer aos serviços de programadores e desenvolvedores.

As 5 melhores plataformas de CMS

ilustração sobre CMS

Afinal, quais são as melhores opções disponíveis hoje no mercado?

Nas próximas linhas, fiz uma lista com cinco plataformas de CMS populares para você conhecer.

1. WordPress

Essa é uma das plataformas mais populares no mundo que oferece versões gratuita e paga.

O WordPress é usado sobretudo para criação de blogs, mas também funciona como um CMS para loja virtual.

Um ponto a favor da plataforma é que ela oferece recursos e plugins extras para que o usuário consiga adaptá-la conforme suas necessidades.

Se você gosta da ideia de usar o WordPress, leia também estes artigos que escrevi sobre ele:

2. Drupal

Outra plataforma é a Drupal, que tem como vantagem suportar sistemas altamente personalizáveis.

É uma ótima alternativa para quem busca sites seguros e com velocidade no carregamento.

3. Magento

Trata-se de uma plataforma de e-commerce.

Com ela, além de criar páginas com produtos, pedidos e entregas, é possível, entre as funcionalidades, gerar landing pages.

O Magento oferece opções para todos os portes e tipos de empresas.

4. Joomla

Sistema gratuito, o Joomla também é uma boa escolha para quem vai implementar um CMS, pois permite a criação de sites com flexibilidade e rapidez.

Pode ser usado tanto para sites, portais, jornais e blogs quanto para lojas virtuais.

Uma das vantagens é que a plataforma permite a integração com extensões baixadas pelo usuário.

5. Media Portal

Que tal um CMS para vídeos?

Se esse é o seu foco, o Media Portal é uma alternativa, pois pode ser integrado a outros portais de distribuição, como YouTube e Facebook.

Com ele, dá para gerenciar os diferentes canais onde você publica vídeos em um único local.

6. TextPattern

A sexta plataforma da lista pode até ficar devendo para as outras em termos de quantidade de templates, no entanto, não perde em nada quando o assunto é plugins e extensões.

O modelo também utiliza a linguagem PHP e se destaca sobretudo por sua simplicidade e leveza.

Não à toa, é uma alternativa que agrada muitos designers, pois permite que os conteúdos desenvolvidos carreguem mais rapidamente.

7. Radiant

A última alternativa é também aquela com recursos mais modernos, uma plataforma útil para projetos de qualquer tamanho.

O Radiant utiliza a Ruby, uma linguagem de programação interpretada multiparadigma, que se assemelha bastante ao HTML.

A partir de seus códigos, é possível ter acesso a uma boa variedade de layouts, extensões e plugins, oferecendo mais opções na gestão do conteúdo.

Outra boa notícia é que todas as estruturas e recursos disponíveis para organização podem ser acessados de forma gratuita, não importando o seu tipo de licença.

Como migrar um CMS?

É possível que você já faça uso de um CMS e, a partir das informações deste artigo, esteja interessado em trocar o seu sistema de gerenciamento de conteúdo.

Neste caso, como fazer a migração?

Infelizmente, não tenho como dar uma resposta universal, porque o processo varia de plataforma para plataforma, mas posso oferecer duas dicas valiosas que não mudam nunca, independentemente do cenário:

Faça um backup de seus arquivos e databases

CMS: backup

Em primeiro lugar, a segurança.

Fazer um backup de seus arquivos e databases é uma medida de segurança que impede que você tenha qualquer tipo de prejuízo caso a migração não funcione.

Com o backup, você consegue restaurar seu site com o CMS antigo e garante a preservação de 100% do seu banco de dados.

Busque o suporte do CMS desejado

A comunidade online é muito dedicada e tem muita gente sempre disposta a ajudar os demais usuários.

Isso vale também quando o assunto é CMS: tutoriais, fóruns e uma série de conteúdos de suporte podem ser encontrados para fazer com que a migração seja descomplicada.

CMS e SEO: qual o impacto?

SEO na estratégia de content management system

E aí, já está convencido a adotar um CMS?

Então, é preciso combinar a implementação de uma plataforma com o emprego de uma estratégia para aumentar a visibilidade do site.

Estou falando de técnicas de otimização para mecanismos de busca (SEO).

Com elas, o seu site tem chances de ranquear melhor nos motores de busca do Google.

E aí, consequentemente, mais acessos serão gerados.

A vantagem de fazer esse “combo” é que o CMS já ajuda os buscadores a indexarem o conteúdo do seu site e facilitam o cruzamento de dados.

Com técnicas de SEO, você potencializa esse benefício.

A maior vantagem, no entanto, é que o CMS facilita o próprio trabalho de SEO.

É o caso, por exemplo, do plugin Yoast, que é integrado ao WordPress.

Esse plugin já tem a interface para o preenchimento das informações relativas ao SEO, o que permite fazer a otimização corretamente e de maneira simplificada.

Então, maiores são as chances de você fazer um bom trabalho e levar o seu site para os primeiros resultado do Google.

O resultado disso?

Você gera tráfego e atrai leads de venda para a empresa, podendo, eventualmente, convertê-los em clientes.

Como escolher o melhor CMS para o seu negócio?

características do content management system

Bem, você optou por implementar um CMS.

Mas como escolher a melhor opção para a sua empresa, uma vez que existem várias plataformas disponíveis no mercado?

Não basta avaliar as ferramentas do CMS por si só.

Você precisa conferir se elas, de fato, entregam o que você precisa.

“Uma das razões mais comuns pelas quais as implementações do CMS falham é que as decisões são tomadas exclusivamente com base na tecnologia ou no conjunto de recursos”, afirma Petr Palas, CEO da Kentico, em um artigo para a revista Forbes.

Isso quer dizer que a escolha do CMS varia conforme a sua necessidade, pois você precisa encontrar a plataforma mais adequada para elas.

Primeiro considere o tipo de site: blog, institucional, loja virtual.

Verifique também os templates de cada CMS, avaliando quais plataformas possibilitam a criação de um site com o design desejado.

Considere as funcionalidades das quais você necessita, verifique os plugins e extensões disponíveis para as plataformas e defina quantas pessoas terão acesso ao CMS.

Além disso, defina quanto você está disposto a pagar, sobretudo porque o domínio e a hospedagem do site são um investimento considerável.

Por fim, a minha recomendação é que você dê preferência a um CMS que tenha recursos para SEO, uma vez que essas técnicas são cruciais para a performance digital da empresa.

De acordo com Palas, para evitar qualquer erro, a dica é criar um projeto de amostra e realizar um teste de usabilidade com a plataforma antes de aderir a ela completamente.

Qual é a diferença entre CMS, WCM, ECM, DAM e DXP?

Já falei bastante sobre o CMS, mas você sabia que ele comporta uma série de outros softwares, que desempenham funções distintas e atendem a necessidades diferentes?

Abaixo, falo um pouco mais sobre cada uma dessas categorias:

Web Content Management

O WCM é um dos softwares mais úteis no CMS, pois serve para desempenhar as mais diversas atividades relacionadas a conteúdo, como criação, gerenciamento, armazenamento, exibição, atualização e automação dos materiais.

É através do WCM, por exemplo, que você consegue programar a publicação de uma determinada postagem para uma data e horário específico, que possuam um maior tráfego.

Com ele, também é possível preparar o conteúdo antes de colocá-lo no ar, pois você consegue visualizar a postagem, corrigindo determinados erros, e só depois aprovar a divulgação.

Enterprise Content Management

É uma tecnologia mais completa, que tem o WCM como uma de suas ferramentas.

Graças ao ECM, é possível acompanhar todos os processos de distribuição de conteúdo, desde o gerenciamento em si até os mecanismos de segurança e preservação.

O ECM não é destinado a nenhum tipo de arquivo em específico, mas funciona melhor com os conteúdos textuais.

Digital Asset Management

Tem os mesmos objetivos do ECM, mas a diferença principal está no seu tratamento especial a determinados tipos de mídia.

Enquanto o Enterprise Content Management não tem nenhum foco especial, a Digital Asset Management oferece um gerenciamento mais eficaz em arquivos de áudio, vídeo e imagens, por exemplo.

Ou seja, se a sua página possui conteúdos multimídias, essa solução pode ser a ideal.

Digital Experience Platform

É a solução mais imprescindível no gerenciamento de conteúdo, pois se preocupa em garantir a mesma experiência ao usuário, não importando qual for o seu canal de acesso.

Na prática, a Digital Experience Platform busca integrar as diferentes plataformas e otimizar a UX. Com isso, a identidade da marca sai fortalecida, pois os consumidores sabem que receberão um bom atendimento, não importa qual seja o canal de interação com a empresa.

Conclusão

O CMS pode ser o seu melhor amigo na hora de gerenciar os conteúdos do seu site.

Além de facilitar a gestão, ele permite que vários integrantes da equipe usem as ferramentas e aumenta a segurança do seu site.

E se você quer ter boas posições nas páginas de busca do Google, saiba que um trabalho eficiente de SEO vem acompanhado do uso de uma plataforma CMS.

Na hora de escolher a melhor opção, considere todas as questões técnicas envolvidas.

Veja se existe compatibilidade entre o que a plataforma entrega e as suas necessidades.

Não se esqueça de fazer um teste com um projeto de amostra para validar a sua decisão.

Espero que as dicas deste artigo tenham sido úteis para você.

Aliás, você já usa um CMS na sua empresa?

Se sim, quais resultados você obtém a partir dele?

Ficou com alguma dúvida sobre o assunto?

Compartilhe nos comentários abaixo para que eu possa ajudar 😉

Perguntas frequentes sobre CMS

O universo CMS é muito interessante, porém, complexo e cheio de particularidades.

Para resumir, trouxe alguns dos pontos mais importantes do artigo, a partir de perguntas frequentes sobre o sistema de gestão de conteúdos.

Venha conferir e tire todas as suas dúvidas.

Como funciona um CMS?

Ele funciona como um facilitador, ajudando pessoas que não têm nenhuma experiência e conhecimento em programação a gerenciarem os seus conteúdos na web.

Na prática, são softwares livres em que é possível criar, administrar, armazenar, exibir, atualizar e automatizar a publicação de postagens.

Ou seja, ele cuida de toda a parte técnica e você só precisa se preocupar em seguir os passos intuitivos que os CMS dispõem.

Por que ter um CMS?

CMS: por que ter?

Resumi os principais benefícios que um CMS pode trazer para uma empresa na gestão de suas páginas.

  • É fácil e prático, qualquer pessoa pode administrar, mesmo sem conhecimento técnico em programação
  • Sua manutenção é extremamente intuitiva
  • Ele é versátil para projetos de diferentes tamanhos e complexidades
  • Possui uma vasta gama de recursos adicionais
  • Conta com um baixo custo de atualização
  • Tem uma relativa segurança se os plugins corretos forem utilizados
  • Sua velocidade de carregamento pode ser bem rápida.

Como escolher um CMS?

Em um primeiro olhar, menos técnico, os CMS são muito parecidos, o que pode dificultar a escolha da plataforma ideal.

No entanto, minha dica é focar em alguns critérios principais para tomar essa decisão:

  • Quanto você está disposto a pagar? Afinal, a hospedagem e o domínio exigem um bom investimento
  • Qual é o propósito do seu site? Se sua página for uma e-commerce, existem determinados CMS mais indicados, mas se for um blog, as melhores opções podem ser outras
  • Que design busca? Analise os templates disponíveis para escolher aquele CMS que pode deixar o seu site com a cara que deseja
  • Quais ferramentas deseja? Pesquise pelos principais plugins e extensões disponíveis em cada plataforma para verificar se são compatíveis com o que espera
  • Oferece recursos para SEO? O ideal é que sim, para que seja possível medir e melhorar a performance digital da sua empresa
  • Qual o histórico do sistema? Veja se ele é bem avaliado, se possui um bom suporte e uma comunidade de usuários ativa
  • Qual é a sua experiência de uso? Teste a usabilidade para ver se você se adapta aos recursos do sistema.

Quais os principais CMS?

O CMS mais famoso é o WordPress, mas também existem outros com funcionalidades, recursos e templates personalizáveis semelhantes, como:

  • Drupal
  • Magento
  • Joomla
  • Media Portal
  • TextPattern
  • Radiant.

Compartilhe