Produto Digital: O Que É, Como Criar e Vender o Seu (2019)

ilustrações obre compras virtuais

Você, provavelmente, já consumiu um produto digital.

Talvez não tenha se dado conta disso, mas posso apostar que já fez um curso online, baixou um ebook, contratou um software ou utilizou aplicativos.

Os produtos digitais estão mais presentes do que nunca em nossas vidas.

Quem já usou a internet e novas tecnologias para assistir a uma aula, aprender uma receita nova ou ler um livro sabe bem do que estou falando.

Mas você sabia que, ao invés de um mero consumidor, você pode ser protagonista na produção desses conteúdos?

Muita gente tem usado os próprios conhecimentos para gerar uma renda extra ou alcançar a tão sonhada independência financeira.

E nem precisa ser nenhum doutor de Harvard para isso.

Com um pouco de planejamento e boa vontade, qualquer pessoa que entenda bem sobre determinado assunto pode lucrar com a venda do produtos digitais na internet.

Quer saber como? Então, leia este post até o final.

O que é um produto digital?

sobreposição de imagem de mundo e carrinho de compras

Produto digital é todo material comercializado na internet, cujo conteúdo agrega algum valor ao usuário que o compra. É também chamado de infoproduto, já que, por definição, cumpre a função de instruir ou informar o usuário sobre algum assunto específico.

São exemplos de infoprodutos conteúdos em áudio, vídeo e texto, incluindo cursos online, webinários e livros digitais.

É, também, um novo formato de empreendedorismo.

Afinal, muita gente tem ofertado conteúdo dessa forma, saindo do zero e construído fama no mercado.

E como você vai ver ao longo do texto, dá para ganhar dinheiro com o seu produto digital.

Para que serve um infoproduto?

equipes de vendas de infoprodutos

O consumidor que procura um produto digital está preocupado em:

Resolver um problema

Pense em algumas dificuldades que você já passou na sua vida e como seria bom ter contado com alguém para ajudar.

Um infoproduto é uma maneira prática de apresentar soluções, sobretudo por quem realmente entende do assunto ou já passou por uma situação parecida e pode oferecer as melhores técnicas para ultrapassar aquele obstáculo.

Por exemplo: vencer uma dificuldade financeira, emagrecer de forma saudável e até ajudar a lidar com problemas emocionais.

Um curso de meditação online, por exemplo, pode beneficiar pessoas que sofrem com ansiedade.

Aprender algo novo

Todo mundo adora aprender coisas novas.

Mas, muitas vezes, a falta de tempo, de condições financeiras ou a famosa preguiça para dar os primeiros passos fala mais alto.

Um infoproduto pode ser uma ótima alternativa para esses casos.

Aquele curso de violão que você sempre quis fazer, algumas aulas de culinária para praticar no dia a dia ou um curso de idioma para se qualificar ou viajar o mundo.

Quem nunca pensou nisso?

Solucionar dúvidas

Infoprodutos também podem ser muito úteis para solucionar dúvidas em geral.

Por exemplo, uma empresa que acabou de lançar um produto pode produzir um material com todas as informações sobre o uso e com uma linguagem simples de entender.

Muito diferente daqueles manuais maçantes e complicados com os quais estamos acostumados.

Uma mamãe de primeira viagem também pode tirar dúvidas sobre maternidade.

Ou alguém que não sabe ao certo a melhor maneira de adestrar seu pet.

Para tudo (ou quase tudo) existem infoprodutos com boas soluções.

Como criar um produto digital de destaque?

ilustração de vendas pelo mundo

Você já deve ter percebido que qualquer pessoa com algum conhecimento em uma área específica pode criar um produto digital.

Mas não se engane: sem uma boa estratégia, seu produto digital está fadado ao fracasso.

Por isso, antes de mais nada, faça uma autoavaliação sobre o conteúdo escolhido para trabalhar seu infoproduto e leve em consideração três aspectos importantes:

1. Interesse

De preferência, que seja um assunto que desperte sua paixão.

É aquele tema que você domina mas também admira, e tem interesse de continuar estudando e aprendendo cada vez mais sobre ele.

Afinal, se a ideia é dar continuidade ao seu infoproduto, é bom que o conteúdo escolhido faça seus olhos brilharem.

2. Habilidade

Apenas conhecimento pode não vai garantir um bom infoproduto.

É preciso saber falar sobre ele de forma que prenda a atenção dos consumidores.

Se não é esse seu caso, não se preocupe.

Sempre há como aprender – e temos certeza que também existe um infoproduto sobre isso para você.

3. Demanda

Procure saber se as pessoas têm interesse em adquirir o seu produto.

Hoje em dia, uma simples navegada no Google é capaz de mostrar o que as pessoas têm falado sobre o assunto e se o que você quer desenvolver é viável.

Os 12 formatos de produto digital mais usados

envio de compras online

Decidido a se tornar um produtor digital?

Então, que tal começar escolhendo o formato que mais lhe agrada?

Listo 12 deles para você agora.

1. Ebook

Ebook é a abreviação em inglês referente a livro eletrônico (eletronic book).

Se você tem um conteúdo bacana para oferecer, mas sabe que posts nas redes sociais não conseguem dar a profundidade que precisa sobre o assunto, os ebooks, com certeza, são a melhor alternativa atualmente.

Eles podem ser pagos ou gratuitos.

Seja como for, são a forma mais direta para você chegar até as pessoas, e vão mostrar que você tem total autoridade sobre aquilo que está escrevendo.

2. Webinários

É o mesmo que seminário na web, e pode ser ao vivo ou gravado.

Webinários têm um ótimo apelo visual e são excelentes maneiras de cativar o público, já que os vídeos costumam gerar identificação e empatia.

Na comparação com um seminário comum, o webinário apresenta inúmeras vantagens devido à sua versatilidade.

Uma dessas vantagens é a possibilidade de realizá-lo sem qualquer preocupação logística, como aluguel de espaço físico, podendo ser feito até mesmo na sala da casa.

3. Vídeo-aulas (curso)

É um dos infoprodutos mais rentáveis, e não é difícil entender o porquê.

São aulas gravadas em vídeo, geralmente em formato de cursos, sobre determinado assunto.

Assim como os webinários, também garantem mais conforto tanto para os alunos quanto para os professores.

As vídeo-aulas são interessantes porque podem ser assistidas quantas vezes for necessário e de onde for mais conveniente.

São muito procuradas tanto por quem busca conteúdos complexos e densos, como os concurseiros, quanto por quem pretende aprender um novo hobby, como tocar um instrumento, por exemplo.

4. Audiobook

Um livro em áudio pode resolver vários problemas de uma só vez – especialmente a falta de tempo para ler, tão comum nos dias de hoje.

Se você também sofre com isso, já pensou em acessar livros narrados sobre seus assuntos favoritos enquanto faz outras atividades?

Quem opta pelo audiobook adquire conhecimento ao mesmo tempo que cozinha, dirige, malha ou toma banho, por exemplo.

5. Podcast

Funciona mais ou menos como o exemplo anterior, mas, em vez de livros, são conteúdos mais curtos.

Existem várias formas de explorar os podcasts, que podem funcionar muito bem como programas de rádio, com entrevistas e bate papos descontraídos.

6. Site para membros

São sites mais reservados para divulgar conteúdos exclusivos aos assinantes.

É uma alternativa interessante para quem tem uma grande de conteúdo para compartilhar, já que os sites permitem a combinação de vários infoprodutos.

7. Softwares

Soluções armazenadas em nuvem são cada vez mais utilizadas pelas empresas.

Basta ver que gigantes têm aderido ao formato de software como serviço.

Se você tem uma ferramenta que agrega valor ao usuário, pode ganhar dinheiro com ela.

8. Aplicativos (Apps)

Estão entre os produtos digitais mais vendidos da internet.

E a razão é muito simples: eles apresentam diversas funcionalidades em um único programa e são extremamente úteis porque facilitam tarefas complexas.

Se você utiliza o iFood, por exemplo, basta reparar como ficou melhor pedir uma comida com desde que baixou o app.

9. Templates

O visual de um produto digital é tão importante quanto seu conteúdo.

Por isso, muita gente tem aproveitado para lucrar em cima de templates, que são modelos profissionais prontos que facilitam o trabalho de produção.

Os templates são úteis porque dispensam a necessidade de contratar um designer profissional para trabalhar no visual de um produto.

10. Jogos

Já pensou em lucrar transformando jogos em produtos digitais?

Ainda que o usuário não pague pelo download do seu jogo, você ainda pode monetizar o produto oferecendo adicionais pagos, para que ele possa evoluir e personalizar seu game.

11. Newsletter

São conteúdos fresquinhos sobre o seu assunto de preferência na sua caixa de e-mail periodicamente.

As newsletters são uma ótima maneira de estar sempre atualizado sobre os assuntos que você mais gosta.

12. Pacotes de Serviços

Ideal para quem não tem expertise ou tempo para impulsionar um negócio.

Um pacote de serviços pode, por exemplo, oferecer a uma empresa uma sequência de e-mails perfeita, personalizada e prontinha para promover seu produto aos clientes certos.

4 Formas de criar seu produto digital e colocar ele no mercado

mini carrinho com caixas de produtos sob laptop

Definido o formato, é hora de amadurecer a ideia.

Veja como você criar e colocar seu produto digital no mercado.

1. De forma autônoma

Se possui conhecimento em alguma área específica, seja por meio de especialização acadêmica ou pura experiência de vida (e acredite, isso conta muito), vale compartilhar suas habilidades.

Com o preparo e as ferramentas necessárias, é totalmente possível tornar essa ideia realidade.

2. Com colaboração

Você pode não ser expert em determinados assuntos, mas, certamente, pode contar com a sabedoria de experts para lançá-los no mercado de forma inteligente.

Por meio de um congresso online, por exemplo, você pode convidar especialistas em determinados temas para agregar bastante valor ao conteúdo.

A partir disso, consegue pensar em diferentes formas de lucrar com essa parceria, como gravar a palestra, editar o vídeo de forma bem bacana e vendê-lo futuramente como um poderoso produto digital.

3. Licenciando produtos do exterior

Já pensou em adaptar um produto que esteja bombando no exterior para o seu público-alvo?

Primeiro, você deve se informar sobre produtos de seu interesse com bastante retorno fora do seu país.

Depois, basta entrar em contato com o dono do conteúdo para combinar uma forma de reproduzir o material para o mercado brasileiro uma versão adaptada.

Pode ser a tradução de um ebook ou de um podcast, por exemplo.

4. Pagar para ser feito

Essa é uma estratégia bastante utilizada, e consiste basicamente na contratação de um especialista para que ele crie um conteúdo para você.

Por exemplo, se você quiser falar sobre atividades físicas para emagrecer, pode pagar um personal trainer para produzir um material bacana com os conhecimentos que ele tem sobre o assunto.

Antes, é interessante que você faça uma pesquisa com as principais palavras-chave sobre o que é mais importante abordar de acordo com as preferências do seu público.

Depois, é só entregar as coordenadas para quem melhor entende sobre o assunto.

Como precificar um produto digital?

vendas de produtos online

Uma boa precificação do seu produto pode gerar vários benefícios para seu negócio, que, cá entre nós, devem ir muito além do lucro.

Se essa etapa for bem-sucedida, é certo que vai garantir maior competitividade no mercado e um público para lá de satisfeito.

Por isso, procure considerar:

  • Tudo o que caracteriza a sua persona
  • O preço ofertado pela concorrência
  • Os gastos com produção
  • A projeção dos ganhos
  • O valor que o seu público dá ao seu produto.

4 Ferramentas para divulgar seu produto digital

dupla de profissionais de vendas online

Entrando no campo prático, agora, listo para você as principais ferramentas para tornar o seu produto digital conhecido do público.

1. E-mail marketing

Conseguir o e-mail do usuário é uma das melhores estratégias para iniciar um relacionamento com ele.

Então, capriche nessa etapa para divulgar o seu produto enviando materiais de qualidade, e, o mais importante: mantenha o foco nos assuntos relacionados ao seu produto.

Afinal, foi pensando no seu infoproduto que o cliente te deu carta branca para que você o enviasse e-mails, e você não quer estragar esse relacionamento, certo?

Quanto mais conteúdo bacana você envia ao cliente, maiores suas chances de vendas futuras.

2. Redes Sociais

As redes sociais são ferramentas poderosíssimas para você divulgar seu produto, mas se, e apenas se, forem usadas com sabedoria.

É importante saber quais redes usar e qual a linguagem que mais se aproxima com sua persona.

Utilize ainda pesquisas e métricas para descobrir qual o melhor horário para fazer a divulgação e monitorar como está a performance das publicações.

3. Blog

Mantenha um blog sempre atualizado com as novidades sobre o seu produto.

Aproveite para produzir conteúdos relevantes e interativos que tenham relação com aquilo que você vende.

4. Programa de Afiliados

Para quem não sabe, programas de afiliados são meios que permitem a divulgação dos seus produtos por terceiros em troca de comissão pela venda.

A vantagem é que, geralmente, esses programas contam com uma plataforma online que fazem todo o serviço de maneira gratuita.

É uma estratégia bastante utilizada, que pode ser super eficiente para dar mais visibilidade ao produto por quem entende do assunto.

4 Dicas de como vender um produto digital

vendas de produtos digitais

Tudo entendido até agora?

Então, vamos ao passo a passo derradeiro para criar e vender com sucesso o seu infoproduto.

1. Defina seu público

Não deixe de pesquisar diferentes nichos e defina o mais apropriado.

Vamos supor que seu assunto de interesse seja culinária.

Então, que tipo de público você quer atingir? Carnívoros ou vegetarianos? Brasileiros ou estrangeiros? Iniciantes ou avançados nessa arte? Solteiros ou casados e com filhos?

Enfim, temos aí um leque enorme – e quanto mais detalhado o perfil do seu público, mais eficiente será sua estratégia.

2. Pesquise sobre seu mercado

Vá atrás de dados estatísticos sobre a performance do seu produto no mercado.

Isso vai te dar uma boa ideia de como anda a sua concorrência e vai ajudar a responder perguntas como: quais são seus gargalos? De que maneira você pode se destacar fazendo diferente?

3. Faça a divulgação do seu produto

Essa, talvez, seja a parte mais importante de toda a sua estratégia.

Mas, atenção! Como já mencionado neste post, a ideia aqui é divulgar nos canais certos, e não sair atirando para todos os lados.

Nesta etapa, você já deve ter um bom conhecimento sobre a sua persona, em quais redes sociais ela está mais presentes, se costuma acessar blogs, e-mails, etc.

Também não deixe de criar um website com todas as informações sobre o seu produto.

Caso contrário, como as pessoas poderão se interessar ou conhecer os detalhes sobre ele?

4. Venda – e receba por isso

Depois de concluídas as etapas anteriores, você deve se preocupar em entregar o produto de forma automática e receber por eles.

Hoje em dia, existem inúmeras plataformas que oferecem toda a infraestrutura necessária para isso, com acompanhamento real das vendas, formas de pagamento entre outras funcionalidades importantes para o produtor digital.

Conclusão

Todo mundo tem um conhecimento ou uma vivência que pode ser útil para alguém.

E, como vimos neste post, não precisa ser nada muito complexo.

Uma boa notícia é que conteúdos relevantes podem ser compartilhados na internet de maneira descomplicada e com baixíssimo custo para quem produz.

Com o avanço tecnológico e as pessoas cada vez mais conectadas, nunca foi tão fácil disseminar e monetizar conhecimento.

Basta ter planejamento, uma estratégia sólida e usar as ferramentas certas.

E você? Tem algum conhecimento ou habilidade que poderia compartilhar com outras pessoas?

Deixe seu comentário!

Compartilhe