Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Google Ads Remarketing: como criar uma campanha de sucesso?

Google Ads remarketing

Que o Google Ads remarketing é uma excelente ferramenta para alavancar suas vendas, você já sabe, certo?

É tiro e queda: mostrar anúncios para usuários que já acessaram seu site ou app é uma tática efetiva, e barata, para converter leads em clientes.

Basicamente, é isso que o remarketing faz.

Aposto que você já se viu em uma situação do tipo: num dia, pesquisou por um produto na internet apenas para ver modelos, preços e tamanho. No outro, anúncios desse produto o “perseguem” em todos os sites e mesmo redes sociais que você visita.

Isso não é mera coincidência. É o remarketing em ação, garantindo que você não esqueça de maneira alguma aquele desejo por um serviço ou produto.

E bem, eu e você, que trabalhamos com marketing, sabemos: essa é uma estratégia extremamente eficaz.

Acontece que todos os negócios podem se aproveitar do poder do remarketing, inclusive o seu.

E o que o Google Ads Remarketing tem a ver com isso tudo? Bom, trata-se de uma das melhores ferramentas para você criar campanhas e maximizar suas vendas.

Neste guia definitivo, vou te ensinar não somente a teoria por trás do remarketing, mas sua relação com retargeting e como criar uma campanha pelo Google Ads.

Com todo esse conhecimento, o poder de conversão do seu empreendimento aumentará de maneira significativa. Está pronto para isso?

Então, vamos lá!

O que é remarketing?

O que é remarketing?

Primeiro, vou começar do básico: remarketing é uma estratégia que re-engaja usuários que visitaram o seu site ou app anteriormente.

Assim, caso uma pessoa tenha visitado o seu site, clicado em alguns produtos, mas não tenha efetuado nenhuma compra, o remarketing vai manter a chama do interesse acesa.

De que maneira? Exibindo anúncios, em diferentes formatos e locais, dos produtos que a pessoa visitou ou pesquisou.

É aquele tipo de estratégia que gosto muito, porque coloca uma pulguinha atrás da orelha do usuário.

Ei, veja só esse tênis que você pesquisou alguns dias atrás! Gostou dessas cores? Que tal comprar agora?

Para mim, sempre que vejo uma campanha de remarketing em ação, é nesse tipo de abordagem que penso.

Ou seja, resumindo: o remarketing é um modo de gerar impacto novamente em um consumidor que já se mostrou interessado em seu produto ou serviço.

É literalmente vencer pela insistência.

Remarketing vs. retargeting

Aqui preciso deixar claro que “remarketing” e “retargeting” são praticamente a mesma coisa.

Na verdade, um é o nome de marca do outro.

Isso porque “remarketing” nada mais é do que a forma como o Google chama a sua própria ferramenta de retargeting.

Existem outras plataformas que fazem esse mesmo serviço e utilizam o termo “retargeting” mesmo.

Assim, quando você ler “retarget”, é só uma maneira genérica de dizer. Como em “Bombril” e “palha de aço”.

Simples, certo?

Por que fazer remarketing?

Quando você foca em pessoas que já tiveram interesse em seus produtos, é bem mais provável que a venda aconteça.

Essa é a resposta mais direta que posso te dar.

Mas vamos lá, porque gosto de aparar as arestas de todos os assuntos que escrevo.

Como empreendedor, você sabe muito bem que dificilmente um cliente compra algo logo na primeira visita ao site.

É comum que ele só dê “uma olhadinha” e acabe voltando depois — uma coisa meio cultural até!

E faz sentido: o cliente quer entender custos, orçamentos, ver as ofertas dos concorrentes… Essas coisas todas.

O remarketing potencializa as chances de ele voltar porque aumenta a relevância da sua marca.

E como elas já conhecem seu site, voltarão quando ele aparecer de novo por aí nas páginas que elas navegarem.

Como funciona o remarketing?

Como funciona o remarketing?

Mas talvez você esteja se perguntando: “Neil, e como funciona o Google Ads remarketing?”. A boa notícia é que o sistema do remarketing é bem simples e intuitivo.

E antes de falar especificamente sobre o Google Ads remarketing, quero dar uma palhinha sobre esse sistema como um todo.

A melhor maneira de explicar o funcionamento é com um exemplo:

Imagine que você está buscando no Google por “canetas coloridas” e acaba clicando em um daqueles anúncios pagos que aparecem na página de resultados.

Ao entrar nesse site do anúncio, um cookie é armazenado em seu computador.

Esse cookie possibilita que o Google identifique sua preferência e necessidade e mostre para você, mais para frente, anúncios desse mesmo site.

É assim que funciona o Google Ads remarketing, capaz de impactá-lo por novos anúncios de produtos sobre os quais já pesquisou.

A investida ocorre durante algum tempo pré-configurado, normalmente dentro de 30 dias, com algumas variações a depender da campanha.

Como empreendedor, para o remarketing funcionar no seu site, é simples, você só precisa instalar uma tag de remarketing.

Ainda no caso da plataforma Google, para fazer funcionar, basta instalar uma tag em seu site.

Cada plataforma de site tem uma maneira diferente de instalar e integrar a tag, mas não deve ser difícil de fazer.

Você pode instalar a tag por conta própria, pedir o auxílio do seu webmaster por trás do desenvolvimento do site ou incluí-la junto de outras no Gerenciador de tags do Google.

Além disso, deixa eu te explicar os diferentes formatos de anúncios possíveis no Google Ads remarketing:

Remarketing na rede de pesquisa

Já aconteceu de você estar buscando algo no Google e aparecer ao lado dos resultados da pesquisa um produto ou serviço que tem afinidade com a busca que acabou de realizar?

Isso é uma campanha da Rede de Pesquisa.

Quando uma pessoa pesquisa termos que são relevantes a um anúncio de Campanha de Rede de Pesquisa, esses anúncios são exibidos em uma coluna lateral na página de pesquisa do Google e de outros sites do Google.

Essa relação entre os anúncios e as páginas de resultados de pesquisa é feita com base nos termos ou nas frases que o usuário pesquisa.

Um exemplo para ficar mais claro: uma pesquisa sobre “madrinha de casamento” pode exibir um anúncio de vestidos de festa ou de serviços de buffet.

A condicional aqui é o uso da palavra-chave certa.

Campanhas “Apenas na rede de pesquisa” são idealizadas para incentivar o cliente a realizar uma ação, como clicar no anúncio ou entrar em contato com a empresa.

É uma campanha de ação, antes de tudo.

Ela é perfeita para quem tem como objetivo fazer com que seus anúncios apareçam na página de resultados de pesquisa do Google.

Isso é bom também caso você queira alcançar somente clientes que buscam por um produto ou serviço específico que esteja sendo oferecido por você.

A configuração se dá no menu “Configuração Básica” do Google Ads, escolhendo a opção “Apenas na Rede de Pesquisa”.

Remarketing na rede de display

Você quer formatos de anúncios atraentes e variados, aptos para alcançar para a sua empresa uma ampla gama de clientes?

Considere então configurar sua campanha na Rede de Display do Google Ads remarketing.

Através dela, você pode escolher em quais sites ou páginas seus anúncios serão exibidos.

Esses sites são parceiros do Google e, a partir do momento que você corretamente segmentar sua campanha — levando em conta o público-alvo e as palavras-chaves.

Para configurá-la, os passos são bastante simples e intuitivos.

No menu “Configuração Básica” do Google Ads remarketing, coloque os seus anúncios na opção “Apenas na Rede de Display”. E a partir daí, você escolhe o “Objetivo de Marketing”.

Google Ads Remarketing vs. prospecção dinâmica do Google

Google Ads Remarketing vs. prospecção dinâmica do Google

Antes de me aprofundar no tema, vale a pena dar um passinho atrás para entender a diferença da ação de remarketing com a prospecção dinâmica do Google, outro recurso da plataforma.

Ele se baseia na ideia de combinar informações dos leads e dos produtos para exibir o item correto, no momento ideal, para os clientes em potencial.

Já o remarketing, como expliquei, busca re-engajar aqueles que já visitaram seu site ou pesquisaram um produto com determinada palavra-chave.

A prospecção dinâmica também utiliza todo potencial de machine learning para mapear tendências e preferências do público-alvo.

Remarketing nas redes sociais

Ei, sabia que o remarketing também está presente nas redes sociais?

Aqui, não preciso nem dar um exemplo prático, pois a forma que o retargeting acontece em redes sociais é bem semelhante ao que acontece no Google.

Você pode estar lá vendo as fotos de seus amigos no Instagram e entre uma selfie e outra aparece um anúncio de um produto que acabou de pesquisar.

E esse é apenas um exemplo.

Que tal aprender mais sobre o mecanismo de remarketing que as redes sociais oferecem? Vem comigo que te explico:

YouTube Ads

O Youtube está no topo entre os sites mais visitados do país. Isso amplia de maneira mais do que significativa o alcance dos anúncios veiculados por lá.

Para estar nesse meio, você pode criar seu anúncio no Google Ads, de maneira bastante simples.

A partir disso, é hora de segmentar esse anúncio, filtrando por gênero, idade, localização e interesses quais são as preferências do seu público-alvo.

Selecionando essas configurações, você também pode escolher em quais horários seu anúncio aparecerá no Youtube.

Isso é um potencializador da taxa de conversão, já que ajuda você a entregar sua publicidade exatamente quando seu público está lá vendo.

Instagram Ads

A plataforma de anúncios do Instagram funciona por meio de posts patrocinados. Eles são expostos como um conteúdo normal da rede. Ou seja, podem ser vídeos, fotos ou carrossel de imagens.

Quem escolhe é você.

Normalmente, em um anúncio do Instagram, a diferença para um post comum é que ele será marcado como “patrocinado” ali onde costuma aparecer a localização do post e, também, ele será clicável, levando para o seu site.

Quando o post aparece na timeline do seu cliente em potencial, ele pode interagir de várias formas.

Dando “like”, comentando, seguindo, clicando e indo para a sua loja.

Veja como são várias as possibilidades de interação, o que só contribui para aproximar o cliente da marca.

LinkedIn Ads

O LinkedIn é considerado hoje a maior rede social para profissionais do mundo. É o lugar ideal para conhecer profissionais com os quais você quer trabalhar, além de ser a vitrine onde você se posiciona profissionalmente.

Por ser segmentado, pode ser o local ideal para o seu objetivo de venda.

Dependendo do seu produto e do seu público, o LinkedIn tem chances de ser uma forma muito mais assertiva de encontrar (e influenciar) a audiência que você está buscando.

Outra vantagem muito interessante desta rede é que ela abre a possibilidade de segmentar seu anúncio não só pelos padrões normais como região, idade ou sexo.

Como estamos falando de uma rede para profissionais, os filtros também são especiais, como cargo, tamanho da empresa, nicho e outras informações específicas que servem para filtrar com ainda mais eficácia a sua audiência.

Facebook Ads

Já pensou ter todo o alcance do Facebook, a maior rede social do mundo, na palma da sua mão?

É o que o Facebook Ads possibilita — é claro, figurativamente falando, pois para anunciar para bilhões de pessoas exigiria uma quantidade inacreditável de dinheiro.

O Facebook Ads é a plataforma de anúncios da rede social, que permite criar e configurar campanhas de todos os tipos, com base em diferentes objetivos.

Seja vender mais, aumentar o alcance da sua marca ou reforçar sua presença.

Passo a passo para fazer uma campanha de remarketing no Google Ads

Como fazer uma campanha de remarketing no Google Ads

Bom, chega da parte teórica, vou entrar no segmento prático deste guia: como criar uma campanha de retarget no Google Ads remarketing.

Lembrando que o principal objetivo é encontrar aquelas pessoas que mostraram interesse suficiente em suas soluções para visitar seu site.

Para simplificar, gosto de quebrar esse processo em alguns passos:

  • 1° Passo – a definição do tipo de campanha;
  • 2° Passo – escolher a forma de segmentação das audiências;
  • 3° Passo – realizar testes;
  • 4° Passo – encontrar oportunidades de otimização.

Vamos lá? Veja só:

Você pode escolher entre vários tipos de campanhas, incluindo:

  • Remarketing padrão: exibe anúncios em sites e aplicativos na Rede de Display.
  • Remarketing dinâmico: exibe anúncios de produtos ou serviços que usuários já visualizaram em seu site.
  • Remarketing para app móvel: se o visitante já utilizou seu app, é possível exibir anúncios quando ele visitar outros apps ou sites no dispositivo móvel.
  • Listas para redes de pesquisa: permite que você segmente visitantes anteriores na Rede de Pesquisa.
  • Remarketing em vídeo: anúncios no Youtube para visitantes que interagiram com seu canal ou seu site.
  • Lista de e-mails: com esse tipo, é possível usar os e-mails dos seus clientes para veicular anúncios enquanto estiver realizando uma pesquisa no Google, no Youtube ou Gmail.

Basta entrar no menu “Campanhas”, onde você vai ver todas as opções de configurações possíveis para o seu anúncio.

Exemplo de campanha de remarketing no Google Ads

Agora, é hora de selecionar o público-alvo. Aqui, o passo a passo entra no aspecto mais técnico: é necessário analisar seus dados para desenvolver a melhor estratégia.

O lado bom é que, no Google Ads remarketing, você pode criar uma audiência baseada em vários fatores, como:

  • Tempo no site;
  • O produto visitado;
  • Número de páginas visitadas;
  • Target demográfico e/ou geográfico;
  • Quem chegou no carrinho e não finalizou a compra;
  • Quem não visitou certa página (como uma landing page de confirmação, por exemplo).

Trago aqui um passo a passo para você criar a sua própria lista de remarketing.

  • No menu “Ferramenta”, abra a Biblioteca compartilhada;
  • Clique em Gerenciador de públicos-alvo;
  • Clique em Listas de públicos-alvo;
  • Para adicionar uma lista de visitantes do site, clique no botão de adição e selecione “Visitantes do site”;
  • Na página a seguir, escolha um nome para a sua lista de remarketing. Aqui a tag ou snippet de que falei anteriormente já deve estar configurado, caso contrário o processo não funciona;
  • Escolha um modelo no menu “Membros da lista”;
  • Você deve selecionar um conjunto de regras nos menus “Páginas visitadas”. Vá adicionando as condições para as páginas do seu site em que você deseja coletar cookies de visitantes;
  • Defina o tamanho inicial da sua lista, ou seja, insira ali o número de visitantes que você teve durante um período definido por você. É possível aumentar esse tamanho inicial ao incluir os visitantes dos últimos 30 dias;
  • Defina a duração da associação, ou seja, o tempo que um visitante pode ficar na sua lista. Essa informação pode ser alterada a qualquer momento;
  • Defina uma descrição para seu público-alvo. Essa parte é opcional;
  • Agora, clique em “Criar Público-Alvo” e pronto!

Por fim, é hora de realizar testes para entender quais tipos de anúncios, para diferentes audiências, melhor funcionam.

Ao configurar pela primeira vez uma campanha de remarketing, você precisa antes ter criado a tag e também suas listas de remarketing. Acredito que isso já está pronto, nessa altura, certo?

Tenha em mente que a sua tag de remarketing não pode de maneira alguma ter associação com nenhum tipo de informação confidencial ou que dê margem para identificação pessoal.

Questão de ética e bom senso, você precisa guiar suas tags baseadas em interesses e local, apenas.

Agora, um exemplo de passo a passo prático para criar uma campanha segmentada com lista de remarketing:

  • Já tendo feito login no Google AdWords, clique em Campanhas;
  • A seguir, clique em +Campanha, selecionando “Apenas na Rede de Display”;
  • Selecione “Objetivos de marketing” e então, “Comprar no seu website”;
  • Defina o nome da sua campanha, sua estratégia e seu orçamento;
  • Clique em Salvar e continuar;
  • Escolha um lance e um nome para o seu grupo de anúncios;
  • No menu “Escolha como segmentar seus anúncios”, marque suas escolhas;
  • Em “Selecionar categoria”, clique em Listas de remarketing;
  • Selecione “Configurar remarketing”;
  • Defina um lance e um nome para o seu grupo de anúncios.

Caso você queira concluir ali mesmo a criação da sua campanha, clique em “Salvar e continuar”. Se preferir continuar depois, a opção a ser selecionada deve ser “Pular criação de anúncios”.

Este é um modo bastante prático de criar a sua primeira campanha!

Como otimizar as campanhas de remarketing do Google Ads?

Após todas essas dicas e exemplos, trarei aqui algumas observações finais para otimizar suas campanhas de remarketing.

Atenção para elas, pois são muito importantes!

Trabalhe Bem as Suas Landing Pages

Depois de todo o esforço em construir bons anúncios que convertem, você precisa ter uma boa estrutura esperando o cliente, afinal, isso pode ajudar na hora que ele clicar no seu anúncio.

Dê especial atenção à sua Landing Page.

Ela deve ser coerente com o anúncio veiculado, bem sinalizada e agradável de ser vista. Deve ser convidativa, como seu anúncio foi.

Fique de Olho nas Métricas!

De nada adianta um bom anúncio e uma campanha matadora se você não acompanha o progresso dela através das métricas.

São as métricas que vão dizer como está o desempenho da sua campanha, onde ela está indo bem e onde ainda pode melhorar.

Busque configurar suas métricas e gerar relatórios periódicos sobre seus anúncios. O próprio Google Ads dá esse suporte.

Cuidado com o Excesso de Exibições Para Um Só Usuário

É claro que a base do remarketing é a insistência, mas procure evitar o excesso de exibições de um mesmo anúncio ao mesmo cliente.

Isso pode forçar um pouco o relacionamento, passando uma imagem ruim de uma empresa desesperada.

Conclusão

Com esse artigo, você aprendeu o que é o Google Ads remarketing, como funciona e como usá-lo para aumentar sua taxa de conversão. Também descobriu suas vantagens como estratégia de venda.

Finalmente, teve exemplos práticos de como configurar vários modelos de campanha.

Gostou do conteúdo? Então fique a vontade para ler outros de meus guias e artigos aqui no blog.

Caso ainda tenha alguma dúvida, não deixe de comentar aqui embaixo!

Até a próxima.

Compartilhe