Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Clipping: O que é, Como Usar e 13 Dicas Valiosas para Fazer

uso da estratégia clipping

Você utiliza o clipping em suas estratégias de marketing online?

Se a resposta foi negativa, não se sinta culpado.

A verdade é que não são muitas as agências, equipes e profissionais que aplicam esse recurso em seu cotidiano.

Acredite em mim quando digo que isso é um erro.

O entendimento da ferramenta traz alguns benefícios realmente valiosos para qualquer tipo de empresa.

Esse processo é oriundo do jornalismo, mas pode muito bem ser implementado em vários tipos de ações digitais.

E esse é exatamente o tema deste artigo.

Ao ler as linhas que se seguem, você saberá o que é clipping e aprenderá a utilizá-lo a favor dos seus objetivos de negócio.

Por isso, recomendo que prossiga em frente e descubra tudo que ele pode fazer por você e sua estratégia.

O que é clipping digital?

do que se trata clipping digital

Uma coisa é certa: quer você queira, quer não, as pessoas falarão sobre a sua marca.

O processo de clipping se resume ao monitoramento e documentação de menções feitas a uma empresa ou pessoa.

Quando éramos jovens, todos nós já tivemos que realizar algum trabalho escolar de colagem, no qual reuníamos textos e gravuras para colar no caderno.

Em um exercício sobre animais, por exemplo, fotos de rinocerontes, gorilas e formigas eram selecionados para compor o material.

O clipping funciona de maneira semelhante.

Em inglês, o termo significa recorte.

Em outros países, essa prática é também conhecida como “news monitoring” ou “media monitoring”.

Ou seja, é uma compilação de documentos que falam sobre um determinado tema.

Nesse caso, a empresa, a sua empresa.

Ora, se ela é citada em jornais, revistas, rádio e televisão, é natural que as pessoas que tenham interesse queiram observar de perto as informações, não é mesmo?

Se lhe parece um trabalho e tanto, saiba que está correto.

Porém, as coisas ficaram ainda mais caóticas na era da internet, quando surgiu o clipping digital.

Agora, além das mídias já citadas, surgiram sites, blogs, podcasts, vídeos online e redes sociais.

No entanto, por um lado, o número de citações aumentou por conta da facilidade de comunicação, mas seu monitoramento também se tornou mais prático.

Hoje, existem diversas ferramentas que varrem a web para identificar tais referências.

Mas por que esse mapeamento é tão importante?

Simples de responder: essa é a melhor maneira para compreender a percepção do público sobre as suas ações e o que você vende.

Nesse sistema, há também a identificação de canais interessados na sua marca para posterior envio de press releases, por exemplo.

Além disso, existe a possibilidade de elevar o alcance das notícias.

Ao compartilhá-las em seus próprios canais, ganha-se em branding, em engajamento e outros indicadores importantes.

Em outras palavras, é também uma maneira simples de melhorar a imagem que as pessoas têm do seu negócio.

Com um adendo: para as pessoas, essas serão fontes muito mais confiáveis.

Afinal, quando alguém fala bem sobre si mesmo, há menor credibilidade.

Por isso, informações vindas de terceiros são automaticamente melhor absorvidas pelo público.

Como funciona o clipping?

funcionamento da estratégia clipping

Existem dois modelos de aplicação de clipping no Brasil.

O primeiro deles é interno.

Ele ocorre quando há um profissional ou uma equipe de assessoria de imprensa responsável por monitorar os principais canais de notícias.

Assim, ao encontrá-las, são agregadas ao documento e repassadas a times de planejamento, marketing e qualidade.

No segundo caso, a empresa contrata um profissional ou agência que faça o serviço de clipping.

Quando identificados os materiais de mídia espontânea, são reunidos e enviados ao contratante para que tomem suas próprias medidas.

Por que fazer clipping de notícias?

ilustração referente ao clipping de noticia

Existem diversas razões pelas quais você deve fazer o clipping de notícias.

A princípio, temos a análise de percepção do público.

Como você sabe, as pessoas são influenciadas pela mídia o tempo todo.

Isso acontece mais ainda na era digital, quando são bombardeadas por conteúdo 24 horas por dia.

Essa também é uma medida que pode gerar engajamento ao compartilhar os materiais nos canais de mídia própria da empresa.

Além disso, quando são divulgadas informações erradas, equívocos ou, em casos mais extremos, inverdadeiros, é preciso agir.

Imagine o quão problemático pode ser quando um veículo noticia erroneamente a data de realização de um evento.

Por fim, mas não menos importante, essa também é uma ferramenta essencial na gestão de crises.

Isso pode acontecer por diversas maneiras.

Para observar o impacto social desse tipo de problema, o clipping é fundamental.

Assim, é possível elaborar táticas para gerenciar o momento ruim e driblar o período de instabilidade.

Acompanhamento dos concorrentes

O clipping é uma verdadeira ferramenta multiuso.

Além de permitir o acompanhamento sobre notícias, citações e comentários sobre sua empresa, com ele também é possível monitorar a concorrência.

Veja que não há nada de antiético nisso, você apenas estará acessando informações públicas sobre as empresas que atuam no seu mercado.

Sabendo dos seus passos, é possível definir estratégias de vendas mais precisas, seja explorando as falhas dos concorrentes ou mesmo fazendo benchmarking.

Identificar oportunidades e ameaças

Considere que, ao monitorar a concorrência, você descobre que um deles está prestes a lançar um novo produto no mercado.

Para piorar, esse produto era justamente o que sua empresa pretendia levar aos seus clientes.

Nesse caso, o clipping ajudou você a se preparar para enfrentar a ameaça de um produto concorrente, como previsto nas 5 Forças de Porter.   

Gerenciar crises com agilidade

clipping gerenciar crises com agilidade

Vamos imaginar que você implementou o clipping há pouco tempo e não teve como evitar os prejuízos causados pelo lançamento do novo produto do concorrente.

Como era de se esperar, suas vendas caem de forma drástica, forçando sua empresa a adotar medidas de contenção.

Agora que você tem um clipping, pode ficar a par dos passos que outros concorrentes dão e para as novas tendências do mercado.

Dessa forma, sua empresa saberá também as respostas que empresas como a sua estão dando e, a partir disso, terá mais informações para lidar com eventuais crises.

O mesmo se aplica em momentos de turbulências internas, ou seja, causadas por falhas nas suas operações, imprudência dos gestores e até corrupção.

Nesse caso, o clipping serve como um termômetro, ajudando a avaliar o sucesso das medidas tomadas para minimizar os impactos na imagem e nos resultados.

Promoção das atividades da empresa   

Como vimos no início, o clipping ajuda a promover a empresa de uma maneira menos autocentrada.

Ou seja, a tarefa de elogiar publicamente suas iniciativas fica a cargo de veículos de mídias externas.

Digamos, nesse caso, que sua empresa tomou parte de uma ação social em prol de pessoas com câncer.

Em vez de você noticiar o fato em seus canais, pode publicar que um importante portal de notícias repercutiu o evento, dando ainda mais credibilidade ao seu belo gesto. 

Gera credibilidade

Nem precisamos ir muito longe para concluir que a mídia espontânea gerada por canais externos é muito mais confiável.

Vale destacar aqui o que diz uma pesquisa da Datafolha, segundo a qual os meios em que os brasileiros mais confiam são a TV e os jornais impressos.

Então, quando sua empresa ganha espaço nesses e em outros meios, pega emprestada a credibilidade que eles já conquistaram.

Como fazer clipping digital de qualidade em 13 passos?

como fazer o clipping

Se é adepto do “faça você mesmo”, saiba que é possível realizar o clipping digital internamente.

É claro que a mágica não acontece da noite para o dia.

Mas com as ferramentas e o treinamento corretos, aliados à experimentação, podemos chegar a um resultado satisfatório.

A seguir, descubra como elaborar o seu próprio processo de clipping na web.

Defina um objetivo

O primeiro passo para elaboração do material consiste na definição do objetivo.

O que você espera ao ter em mãos os materiais de mídia referentes ao seu negócio?

Alguns dos mais comuns são:

  • Divulgar nos principais canais de comunicação corporativos
  • Avaliar a percepção do público em relação à marca
  • Gerenciar eventuais crises de imagem.

Nada impede que você escolha dois ou mais.

No entanto, esse passo é fundamental, já que os responsáveis poderão categorizar os conteúdos recolhidos.

Escolha as ferramentas

Existem algumas ferramentas de monitoramento de notícias disponíveis no mercado.

Elas analisam os principais veículos de comunicação do país, assim como portais, blogs, sites e mídias sociais.

Algumas delas, inclusive, facilitam a identificação de citações em veículos offline – uma mão na roda para profissionais da área.

Elas não apenas rastreiam as menções diretas e marcações, como também encontram backlinks que apontam para as páginas do seu site.

Defina métricas para a análise

Clipping defina métricas para a análise

Em algumas empresas, o clipping é também utilizado como uma forma de justificar os investimentos em comunicação.

Sendo assim, é preciso medir os resultados periodicamente, a fim de reportar aos escalões mais altos o retorno gerado.

No entanto, é preciso adotar métricas que realmente expressem um retorno efetivo. 

Métricas de vaidade, nesse caso, devem ser evitadas.

Algumas das mais usadas em clipping são:

Centimetragem

Nessa métrica, mede-se o espaço em centímetros ocupado por uma citação.

Dessa maneira, a empresa tem retorno, ganhando exposição gratuita em um espaço que, normalmente, seria pago.

Autoridade da fonte

Ser citado por mídias externas não é o desafio maior, mas, sim, ganhar espaço em veículos de maior expressão.

Isso é avaliado pela métrica que busca qualificar o grau de autoridade da fonte, em que você classifica a notícia conforme a relevância e a credibilidade do veículo

Teor da notícia

Não seria interessante receber espaço na mídia quando ela fala mal da empresa.

Por isso, ao analisar o clipping, não deixe de mensurar se o teor do que foi publicado é positivo, neutro ou negativo.

Destaco, ainda, outras três métricas relevantes:

  • Mensagem-chave: alinhamento da notícia aos objetivos da empresa
  • Audiência do veículo: quanto mais tráfego, leitores ou telespectadores, melhor, caso a menção seja positiva
  • Exposição: no qual se mede a quantidade de veículos que noticiaram suas ações e se o impacto foi positivo, neutro ou negativo.

Defina os veículos que irá monitorar       

É importante que sua marca preste atenção não só nas mídias digitais, como nos demais veículos, ou seja, rádio, TV e impressos em geral.

Afinal, como vimos, eles ainda desfrutam da simpatia da população, sendo importantes meios para se conquistar credibilidade.

Sendo assim, escolha os veículos que julgar mais alinhados à sua marca ou que de alguma forma possam gerar mídia espontânea em algum momento.

Isso, claro, sem contar aqueles veículos para os quais você normalmente envia releases ou que noticiam suas ações com regularidade.

Busque as palavras-chave

A maior parte das plataformas citadas no tópico anterior são alimentadas por palavras-chave.

Isso quer dizer que, para que os motores de pesquisa sejam eficientes, é necessário escolher os termos que devem ser identificados.

Nem sempre apenas o nome da sua marca é suficiente para encontrar as referências.

Muitas vezes, produtos, profissionais, hashtags e outros elementos relacionados também são necessários.

Mas como escolher palavras-chave para o clipping de notícias?

Para que seu clipping gere resultados, você precisa selecionar com critério as palavras-chave que serão usadas no monitoramento da mídia online.

É importante que elas tenham relação com o seu negócio ou que possam levar a citações positivas ou negativas.

Por exemplo, imagine que uma empresa do ramo de tratamento de efluentes quer acompanhar o que a mídia diz dela. 

Nesse caso, além do nome da própria empresa, algumas possíveis palavras-chave seriam:

  • Tratamento de esgoto
  • Tratamento de efluentes
  • Poluição ambiental
  • Meio ambiente.

Monitore veículos offline

No mundo digital, é comum que os profissionais deixem de lado os canais de comunicação tradicionais.

Junta-se a isso à dificuldade em monitorá-los e está feito o desastre.

Negligenciar os veículos offline é um grande erro.

Para se ter uma ideia, nada menos que 96,7% dos domicílios brasileiros têm televisão, conforme dados de 2017 da Teleco – o que equivale a mais de 70 milhões de casas.

Já o rádio atinge a 86% da população brasileira, de acordo com a Kantar Ibope Media.

Isso sem contar o consumo de jornais e revistas, que apresentam queda, mas ainda são utilizados por uma parcela considerável da população.

Monitore as redes sociais

O monitoramento das principais redes sociais é mais uma prática muito comum para realizar clippings.

Existem diversas ferramentas para realizar a ação, mas, muitas vezes, a própria plataforma permite uma pesquisa apurada.

Entre as principais, destacam-se aquelas focadas em conteúdo textual e em vídeo, como Facebook, Twitter, LinkedIn e YouTube.

Aqui, você também tem acesso a dados do próprio consumidor, o que é uma boa ideia para avaliar a percepção do público.

Nesse caso, abre-se ainda a possibilidade de respostas, já que as interações são o foco nas praças digitais.

Faça análise de sentimento

Como vimos no tópico sobre as métricas, uma das mais importantes é a análise do teor das notícias e citações. 

Para tornar mais simples a mensuração, você pode simplesmente classificar uma notícia como positiva, neutra ou negativa e, ao final do dia, contabilizar cada uma delas, gerando uma pontuação.

Crie um diagnóstico dos dados coletados   

clipping: crie um diagnóstico dos dados coletados

De nada adiantaria analisar o teor das notícias se, no final de um período, os resultados dessa análise não são consolidados.

Sendo assim, ao final do dia, semana ou mês, inclua em um relatório os resultados obtidos, sem deixar de apontar possíveis ações a serem tomadas com base neles.

Elabore relatórios

Os relatórios são representações gráficas que facilitam o entendimento das informações.

Acredite, o volume de dados recolhidos será enorme, e nem todas as pessoas da equipe poderão analisar friamente cada um deles.

Por isso, para facilitar a interpretação e realizar apresentações, esse recurso é fundamental.

Muitas das ferramentas aqui citadas compõem planilhas e infográficos automáticos, agilizando o processo.

Divulgue o relatório com o seu público de interesse       

Quem não é visto não é lembrado, certo?

Para que seus esforços em clipping sejam ainda mais efetivos, compartilhe sempre seus relatórios com seus parceiros de negócio e demais pessoas que possam se interessar.

Extraia insights       

Não menos importante, o clipping deve ser usado como uma fonte de informação, da qual você pode extrair insights para orientar suas ações de marketing.

Use-o sempre para saber que tipo de assunto gera mídia para seu negócio e para evitar o que possa prejudicar sua imagem.

Avalie a concorrência

Se você deseja realizar um clipping completo, a avaliação da concorrência é um passo fundamental.

Ao observar o que os órgãos de imprensa e usuários de redes sociais dizem sobre outras empresas, você será capaz de identificar oportunidades.

Além disso, essa prática é excelente para verificar tendências e criar o seu próprio calendário editorial.

Muitas vezes, notícias importantes sobre temas relacionados ao que você vende serão publicadas.

Ficar de fora quando seus concorrentes estão aproveitando as chances é um tiro no pé.

O que são tiers de veículos e por que são importantes para o clipping de notícias?   

clipping o que são tiers de veículos e por que são importantes para notícias

Tiers de veículos são uma espécie de ranking, no qual você classifica as citações conforme o porte de quem veiculou a notícia.

Existem três deles.

Tier 1

No qual estão todos os veículos de massa, incluindo as mídias televisivas, jornais de grande circulação e as principais rádios.

Tier 2

Veículos de menor alcance, mas com alguma relevância, como jornais, sites e revistas especializadas.

Tier 3   

Tier em que entram blogs, sites e demais mídias online de menor alcance, mas que ainda assim contam para a geração de mídia espontânea.

Qual é a melhor forma de organizar um clipping?   

clipping: qual é a melhor forma de organizar

Fazer um clipping completo demanda trabalho em equipe.

Você precisará investir em profissionais que possam monitorar notícias e citações em tempo integral.

Dependendo da sua capacidade de investimento e dos seus objetivos, pode ser mais interessante organizar seu clipping com ajuda de uma empresa especializada.

Quanto investir em clipping?

O investimento necessário varia bastante, afinal, tudo vai depender do porte da sua empresa e das metas que você tiver ao contratar uma equipe para fazer clipping.

Considere, nesse caso, os gastos com as seguintes despesas:

  • Salários
  • Internet de alta velocidade
  • Assinaturas de TV, jornais e portais de notícias
  • Estúdio e software de edição de vídeos
  • Contratação de uma empresa especializada.

Principais erros de clipping empresarial

erros empresarial ao aplicar o clipping

Quando falamos em clipping editorial, algumas empresas não enxergam o seu real valor.

Mas, na realidade, essa má impressão pode ser fruto de falhas em avaliações e processos.

Para evitá-los, nada melhor do que conhecê-los, não é verdade?

Por isso, a seguir, veja quais são os principais erros de clipping corporativo.

Ignorar as notícias negativas

Não importa o que você faça, as notícias negativas surgirão.

Se não ocorrerem em veículos tradicionais ou canais de comunicação online, elas virão diretamente dos consumidores.

Inclusive, há redes sociais voltadas exclusivamente aos direitos do consumidor, como o caso do Reclame Aqui.

Nesse cenário, a avaliação de uma única pessoa pode ter efeitos desastrosos.

Por isso, é interessante acionar o setor de atendimento nesses caso.

Mesmo em redes sociais voltadas às interações, o monitoramento se faz necessário para minimizar o impacto.

No caso dos veículos tradicionais, é uma boa ideia entrar em contato com o órgão e tentar informar um posicionamento da empresa.

A seguir, é feita uma solicitação para que o depoimento seja incluído no material ou retratado.

Na maioria dos casos, o silêncio é uma admissão de culpa para os clientes.

Por isso, se colocar à disposição do canal é sinônimo de transparência.

Ignorar as mídias tradicionais

Não há como negar que a internet tem uma força esmagadora nos dias atuais.

No entanto, não devemos nos esquecer dos veículos de imprensa tradicionais.

Avaliar as menções em jornais de TV, rádio e mídias impressas não é uma tarefa fácil.

Mas, certamente, é necessária.

Afinal, você não quer ser o último a saber de uma notícia que pode impulsionar ou abalar as estruturas do negócio, não é mesmo?

Não divulgar as notícias boas com o seu público

Na era das redes sociais, as pessoas querem cada vez mais fazer parte do dia a dia das empresas.

Elas interagem, reclamam, elogiam e fazem parte da construção de produtos e serviços.

Ou seja, convivem.

Assim, é mais que natural que tenham interesse naquelas notícias que causam um impacto positivo na sociedade.

Marcas representam ideias, tribos e valores.

Ao mostrar ao seu público suas ações e como você lida com acontecimentos, além do ganho em imagem, isso pode gerar compartilhamentos.

Ou seja, não dá para abrir mão.

6 Apps de Clipping Digital

google trends como exemplo de app para realizar clipping

Se você deseja investir em clipping digital, saiba que não está sozinho.

Hoje, no mercado, são oferecidas várias soluções para facilitar a vida dos profissionais desse ramo.

Suas funcionalidades são variáveis, então, é recomendada uma análise apurada na hora de escolher a ideal.

A seguir, conheça algumas delas.

Google Trends

A mais famosa delas é a gratuita Google Trends, que permite a configuração de envios de alerta sempre que encontrar uma menção.

Além de revelar dados valiosos com respeito ao monitoramento, também traz palavras-chave relacionadas para compreender as relações do público com a marca.

Google Alerts       

Uma das ferramentas mais úteis para se fazer clipping online é o Google Alerts, que é totalmente gratuito.

Para usá-lo, basta incluir as palavras-chave de interesse e, sempre que ela surgir na internet, você será alertado por e-mail.

NewsMonitor

Na sequência, temos o NewsMonitor, que tem em sua base de cadastros mais de 50 mil sites.

E o mais importante: em tempo real, para que você não perca nenhuma novidade.

Knewin

Outra solução popular é Knewin, que oferece relatórios mais completos e também monitora redes sociais e até mesmo veículos de comunicação tradicionais.

BuzzMonitor

Para acompanhamento específico de plataformas de interação, uma boa opção é o BuzzMonitor.

A ferramenta ainda possibilita o tagueamento automático, recurso essencial para avaliar as citações.

Ahrefs

O famoso Ahrefs, por sua vez, realiza a varredura de links apontando para suas páginas, uma ótima maneira de encontrar citações.

Dúvidas frequentes sobre clipagem digital (guia rápido de consulta)   

clipping; dúvidas frequentes sobre clipagem digital (guia rápido de consulta)

O clipping ainda é, de certa forma, incompreendido. 

Há quem pense até que se trata apenas de ler notícias e nada mais.

Por isso, não me surpreende que, na web, existam tantas dúvidas frequentes sobre o tema, como pude comprovar ao detectar três delas. 

Acompanhe a seguir.

O que é um clipping de notícias?   

Clipping de notícias é uma coletânea de todas as citações e notícias nas quais palavras-chave de interesse sejam destacadas. 

Elas podem se referir tanto à sua empresa quanto aos concorrentes.

Como usar o clipping?   

O clipping pode ser usado como um recurso para justificar investimentos em marketing e comunicação, demonstrando assim os resultados obtidos. 

Também pode ser usado como forma de promoção e para auxiliar na gestão de crises.

Como fazer um clipping digital?   

No seu formato digital, o clipping pode ser feito com ferramentas como o Google Alerts ou, de forma indireta, pelo Google Trends

De qualquer forma, há ferramentas específicas que podem ser adquiridas de forma gratuita ou por assinatura.

Vale destacar novamente que o clipping pode ser realizado tanto por uma equipe interna quanto por empresas que se dedicam a fazer esse tipo de trabalho.

Conclusão

O clipping é uma ação que pode tanto encontrar oportunidades quanto salvar a sua pele.

Neste artigo, vimos o que é, como funciona e porque é importante monitorar as principais notícias relacionadas à sua marca.

Também descobrimos como criar o seu próprio material e incorporá-lo ao cotidiano das equipes.

Além disso, observamos os principais erros cometidos durante essa atividade

Por fim, acessamos uma lista com algumas das melhores ferramentas para clipping digital disponíveis na web.

Está pronto para usar esse recurso a favor da sua estratégia?

Caso tenha alguma dúvida ou opinião a respeito, deixe seu comentário.

Como o clipping já tem ajudado a sua empresa?

NP Digital Brasil

Você quer resultados imediatos?

Minha agência pode fazer todo o trabalho pra você. Somos especialistas em:

  • SEO - Colocamos seu site no topo das pesquisas do Google
  • Mídia Paga - Fazemos seu negócio alcançar quem importa no momento certo
  • Data & Conversion Intelligence - Desbloqueamos as conversões do seu site e criamos dashboards para melhores análises

Fale com um especialista

Consultoria com Neil Patel

Compartilhe