Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Marketing digital para advogados: como fazer?

Marketing para advogados

Vai longe o tempo em que o marketing digital para advogados era um tabu.

Hoje, é crescente o número de profissionais e escritórios que se valem das estratégias online para divulgar seus serviços.

E isso não acontece por acaso.

Afinal, o segmento jurídico já descobriu as potencialidades da internet para fins de negócio, considerando que 75% da população brasileira, um total de 160 milhões de pessoas, estão conectadas.

Abrir mão do marketing digital nesse contexto seria um grande desperdício.

Leve em conta ainda que o número de usuários de internet cresce 6,4% anualmente – os dados são da pesquisa Digital in Brazil, da Hootsuite (em inglês).

O seu escritório pode tirar vantagem desse crescimento por meio da promoção online, de forma ética e focada no cliente.

Entenda como fazer isso neste artigo.

O que é marketing jurídico digital?

O marketing jurídico digital é um conjunto de estratégias conduzidas para trazer visibilidade a advogados e escritórios de advocacia na internet.

São muitas as ações que podem ser realizadas para isso, como vou mostrar ao longo do texto.

Blogs, redes sociais e e-mail marketing são bons exemplos.

Uma inspiração para explorar o marketing digital e elevar suas receitas vem da área médica.

Até há poucos anos, o assunto era tratado entre os profissionais de medicina da mesma forma como no meio dos advogados: com muitas reservas.

Não tardou para que os médicos e gestores de empresas de saúde percebessem que estavam equivocados.

Hoje, existe toda uma área do marketing dedicada a essa vertente, o marketing médico, inclusive com agências especializadas.

Então, o marketing jurídico digital segue o mesmo caminho, desenvolvendo um ramo do marketing exclusivo.

Seu foco, no caso, é a promoção de serviços advocatícios nas esferas cível, familiar, empresarial e criminal, entre outras.

A verdade é que, seja qual for o serviço que você e seu escritório ofereça, ele deve ser divulgado na web.

Importância do marketing digital para advogados

Como vimos, o número de usuários de internet no Brasil não para de crescer.

A empresa que não se faz presente online hoje certamente vai ficar para trás, e isso inclui os escritórios de serviços jurídicos.

Advogados que atuam de forma autônoma também podem se beneficiar da divulgação de seus serviços online, tanto em sites quanto nas redes sociais mais usadas.

Vale destacar também o papel educativo que os sites exercem, principalmente por meio de posts em blogs e canais no YouTube.

Perceba, então, que é por meio do marketing digital que um advogado aumenta suas chances de ser conhecido pelo público e encontrado para solucionar suas demandas.

Ou seja, atrair clientes é a grande importância dessa estratégia.

É permitido marketing jurídico?

Marketing para advogados

Sim, é o marketing digital para advogado é legalmente permitido.

Porém, para isso, devem ser observadas as limitações previstas pela Ordem dos Advogados do Brasil, a OAB.

A principal entidade da classe advocatícia do país trata dessa questão há um bom tempo, apesar de eventuais focos de resistência que ainda possam existir no meio.

Afinal, desde 2000, os profissionais do segmento tem uma referência em que podem pautar suas condutas: o Provimento 94/2000.

O que diz o Provimento 94/2000

Logo de cara, em seu artigo 1º, o Provimento 94/2000 assim define:

“É permitida a publicidade informativa do advogado e da sociedade de advogados, contanto que se limite a levar ao conhecimento do público em geral, ou da clientela, em particular, dados objetivos e verdadeiros a respeito dos serviços de advocacia que se propõe a prestar, observadas as normas do Código de Ética e Disciplina e as deste Provimento.”

À primeira vista, pode não ficar muito clara a diferença entre o marketing jurídico e o que se pratica em outros setores.

Vamos ver, então, um novo trecho do Provimento 94/2000.

Ele estabelece em seu artigo 4º que “não são permitidos ao advogado em qualquer publicidade relativa à advocacia a menção a clientes ou a assuntos profissionais e a demandas sob seu patrocínio”.

Isso significa que, em um site, o escritório ou profissional não poderá ter a tradicional seção de clientes atendidos.

A alínea “g” desse mesmo artigo afirma que o escritório não pode divulgar informações sobre a sua infraestrutura, como tamanho da sala e tipos de acomodação que venha a oferecer.

No entanto, o Provimento 94/2000 deixa algumas lacunas que tiveram que ser preenchidas por novos provimentos da OAB.

Um dos mais recentes deles é o de número 95, publicado em 2011, e que trouxe, entre outras, uma importante mudança no artigo 6º.

Antes, este item proibia a oferta de serviços mediante intermediários, o que impedia a contratação de agências.

No novo provimento, essa decisão foi retirada, abrindo caminho para que os escritórios contratem empresas especializadas para cuidar da parte estratégica e ações de marketing.

Vale destacar ainda a mais nova das decisões da OAB, publicada no Provimento 205/2021.

Um ponto interessante desse novo texto legal é o tratamento dado à publicidade na advocacia.

Em seu artigo 3º, por exemplo, fica proibida a adjetivação dos profissionais, assim como eventuais (e ilegítimas) subespecializações que denotem um nicho de mercado.

Não pode, por exemplo, se intitular como “o advogado que representa os fisioterapeutas”.

Por que trabalhar o marketing jurídico

Motivos não faltam para que profissionais e gestores de escritórios de advocacia considerem a possibilidade de investir no marketing jurídico.

Logicamente, o retorno na forma de mais clientes é o principal, mas há outras vantagens que não podem ser desprezadas, até por gerarem ganhos intangíveis e de valor incalculável.

A imagem institucional, por exemplo, se bem trabalhada na internet, pode levar um escritório a se tornar referência em sua área de atuação.

Confira então o que mais o marketing jurídico pode oferecer e porque essa é uma ideia que merece sair do papel. 

Visibilidade

Enquanto empresas, escritórios de advocacia também precisam ser promovidos.

“Será mesmo, Neil, depois de sobreviver tanto tempo sem nunca precisar de marketing?”

A questão, nesse caso, não é se um escritório pode ou não se sustentar, mas a quantidade de clientes que ele deixa de atrair sem ações estratégicas de marketing digital.

Pode ter certeza: com uma proposta de marketing sólida, a quantidade de clientes tende sempre a aumentar, já que é garantida a maior visibilidade.

Uma marca mais conhecida gera mais visitas em seu site que, por sua vez, levam à formação de mais leads qualificados, ou seja, com potencial para converter.

Autoridade

Em marketing, chamamos de posicionamento de mercado a maneira como uma empresa deseja ser vista por clientes e parceiros.

No segmento jurídico isso também se aplica, talvez com mais ênfase até do que em outros setores.

Afinal, um escritório que não transmite para o público uma imagem de autoridade naquilo que faz está fadado ao insucesso.

No caso, a autoridade tem a ver com o domínio de todos os “macetes” da profissão, de maneira que o cliente saiba que está contando com os profissionais certos.

Ainda que em certas áreas do Direito o sucesso de um contencioso ou de uma petição não seja garantido, ninguém ingressaria na Justiça se não percebesse chances de êxito.

Para o cliente, essas chances são maiores quando ele tem a segurança de estar contando com um escritório que é autoridade naquilo que faz.

Captação de mais clientes

Mais visibilidade e mais autoridade geram um efeito cascata que termina sempre da mesma forma: a atração de mais clientes.

Nesse sentido, é preciso adotar uma perspectiva em que o escritório de advocacia seja visto como uma empresa que, como tal, precisa gerar lucros.

Para continuar cumprindo a sua missão, ele precisa ser gerido de maneira que possa atrair clientes em uma base estável.

Embora alguns façam isso a ponto até de gerar receitas recorrentes, no geral o marketing e os processos de geração de clientes são pouco explorados nesse setor.

Afinal, não são todos os escritórios que adotam KPIs como quantidade de oportunidades geradas, MQLs gerados e conversões no site como métricas de sucesso.

Podem parecer indicadores estranhos ao segmento jurídico, mas acredite: sem eles, a captação de clientes fica cega e, por isso, muito mais difícil de prever e controlar.

Credibilidade

Todo segmento profissional precisa ter credibilidade para que possa atrair clientes.

No jurídico, a credibilidade é um fator ainda mais importante, considerando que, nele, ética e transparência fazem parte do core business.

O marketing digital para advogados e escritórios pode contribuir decisivamente para aumentar a credibilidade.

Sempre observando os limites impostos pela OAB, é possível explorar conteúdos escritos, vídeos e podcasts, de modo a gerar empatia com o público e, assim, conquistar sua confiança.

Nada impede, por exemplo, que um advogado tenha um canal no Youtube para tirar dúvidas das pessoas sobre assuntos envolvendo a área jurídica.

Por sua vez, escritórios podem explorar o marketing de conteúdo para criar artigos otimizados, com o objetivo de gerar tráfego e, assim, construir uma imagem positiva.

Estratégias de marketing jurídico digital para advogados

Profissionais do segmento jurídico têm no marketing digital um universo de possibilidades a serem exploradas.

Ganham os autônomos, ao tornarem seu trabalho mais conhecido, e também os escritórios, que elevam suas marcas.

Os clientes também ganham, ao tomar conhecimento dos profissionais capazes de solucionar suas questões envolvendo a justiça.

Confira na sequência algumas estratégias que podem ser utilizadas para gerar mais valor no segmento jurídico.

Tenha um site responsivo

Responsividade é o atributo que têm os sites que, não importa o dispositivo, fornecem os mesmos serviços, sem prejuízo na experiência do usuário.

Logo, um site responsivo é aquele que funciona bem tanto em celulares quanto no desktop ou em tablets.

Essa é uma condição fundamental para ter sucesso no marketing jurídico: sem um site responsivo, não há como ter sucesso online, tanto em mídia paga quanto na orgânica.

Trabalhe com conteúdo

Anúncios têm e sempre terão o seu valor, mas para profissionais e empresas do setor jurídico, o conteúdo é talvez o meio mais indicado para divulgação.

Primeiramente, porque é mais alinhado às restrições da OAB em relação ao marketing jurídico.

Não que anúncios não possam ser adaptados, mas em artigos, é possível trabalhar temas com a profundidade que merecem.

Sendo assim, as estratégias de SEO são ainda mais indicadas para advogados, até porque geram resultados que se prolongam com o tempo.

Use SEO

Search Engine Optimization, ou apenas SEO, é, para mim, o meio mais seguro e com maiores possibilidades de sucesso no segmento advocatício.

Como vimos, é um formato mais indicado por permitir trabalhar com mais profundidade temas em geral mais complexos.

Imagine, por exemplo, que seu escritório especializado em direito de família pretende atrair mais clientes que estejam passando por um divórcio.

Com conteúdos otimizados, você aumenta a probabilidade de que essas pessoas tomem conhecimento dos seus serviços, ao explorar em artigos as palavras-chave de interesse do público.

Tenha e-mail marketing para advogados

Segundo uma pesquisa da Shopify, mais de 8 bilhões de e-mails são enviados por dia no Brasil e são abertos em uma taxa de 20,39%.

Ou seja, um em cada cinco e-mails é aberto pelos seus destinatários.

O email marketing é o caminho para explorar as possibilidades abertas por esse público, desde as estratégias de topo de funil até ações visando à conversão de clientes.

Use as redes sociais

Outro canal indispensável em ações de marketing digital são as redes sociais.

O Facebook continua sendo quem gera mais visibilidade, embora divida cada vez mais a audiência com o Instagram e outras redes sociais emergentes.

Nelas, o escritório pode explorar publicações orgânicas e informativas e anúncios com objetivos de conversão mais avançados, principalmente na plataforma Facebook Ads.

Terceirize o serviço

O marketing digital é democrático, permitindo até mesmo a leigos desenvolver uma estratégia.

Contudo, em escritórios jurídicos, não há espaço para conciliar a atuação nos tribunais e fóruns com a atividade de digital marketer ou de social media.

A melhor solução para otimizar o uso do tempo e dos recursos é contar com uma agência de marketing digital – é possível encontrar algumas especializadas no segmento advocatício.

Como usar o Call to Action

Os provimentos da OAB são claros em vedar a publicidade ostensiva para empresas do ramo jurídico.

Por isso, as chamadas para a ação, ou call-to-actions (CTA), nas publicações precisam observar certos limites.

Um aspecto muito importante é o tom de voz usado.

Para escritórios e advogados, o mais adequado é sugerir ao leitor de um conteúdo ou anúncio que faça contato para uma conversa mais aprofundada.

Lembre que a legislação proíbe a garantia de resultados financeiros, bem como a ostentação de bens materiais que possam induzir a uma decisão por parte do cliente.

No link acima, dou dicas úteis para ajudar você a encontrar o CTA certo para divulgar seus serviços.

Conclusão

O marketing digital para advogados é uma realidade, e quem não se adaptar vai ver os concorrentes que o utilizam para se promover deslancharem.

Por isso, se você é do segmento jurídico e ainda não explora todo o potencial do marketing pela internet, não perca mais tempo.

E se precisar de uma força extra, conte comigo e a minha equipe para orientar em seus esforços promocionais!

É permitido marketing jurídico?

Sim, porém, para isso, devem ser observadas as limitações previstas pela Ordem dos Advogados do Brasil, a OAB.

Principais estratégias para marketing de advogados

SEO, Ads, e-mail marketing e redes sociais. É importante contar com um especialista para dar suporte nas estratégias.

Compartilhe