Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Como Melhorar Seu Marketing Usando o Google Tag Manager

google tag manager

Você trabalhou por horas e horas dando início a novas campanhas.

Inúmeros dias gastos planejando seus objetivos, preparando suas landing pages e configurando suas análises.

Até que, alguns dias depois, você volta para verificar e percebe que nada está funcionando corretamente.

Tags foram adicionadas, mas não foram adicionadas da forma correta e estão relatando dados errados sobre as suas campanhas.

Esse é um caso muito comum no mundo do marketing. Para que qualquer serviço terceirizado se conecte com seu site, você precisa de scripts.

E um grande problema com scripts é que muitas vezes eles não são instalados corretamente — ou o código simplesmente está errado.

Quando essas complicações ocorrem, é impossível entender corretamente o desempenho das suas campanhas.

Você poderia estar recebendo dezenas e dezenas de leads de alta qualidade diariamente, mas é possível que não esteja recebendo o crédito por eles.

Pode dizer que foi “boca a boca” ou “a mais recente estratégia do time de vendas”, mas você sabe que isso não é verdade.

Foi você. Seu trabalho duro. Mas você simplesmente não recebeu o crédito por essa dedicação.

Por sorte, o Google Tag Manager pode te ajudar a resolver todos esses problemas rapidamente.

Aqui está tudo o que você precisa saber sobre o Tag Manager e como usá-lo para se certificar de que vai receber o crédito pelas suas campanhas de marketing.

O que é o Google Tag Manager?

As ferramentas de analytics não fazem o monitoramento dos acessos na força do pensamento.

Para que elas gerem dados, precisam ser conectadas aos sites, o que no caso do Google é feito por meio das tags, como vimos anteriormente.

Acho que ficou bem claro o que é e sua função mas, para reforçar, vamos imaginar que você esteja rodando uma campanha com o mesmo objetivo no LinkedIn, Facebook e Google Adwords ao mesmo tempo.

Para cada uma delas, você precisará inserir um código no site, de modo que cliques, conversões e engajamentos sejam registrados.

Sem o GTM, você provavelmente teria muito trabalho em encontrar desenvolvedores para criar um código específico para cada plataforma.

Isso sem contar que, se você tivesse que mudar alguma ação para ser monitorada, teria que ter todo um retrabalho, o que o levaria a perder o timing das suas campanhas.

Para evitar isso é que foi criado o Google Tag Manager, a plataforma criada para agilizar o monitoramento das ações de marketing digital, principalmente as campanhas pagas. 

Tag

Tag nada mais é do que um trecho de código.

Um exemplo disso é o script de análise de conversões do AdWords adicionado a uma página.

pasted image 0 489

Como o nome indica, a função da tag é “etiquetar” um site para que ele tenha um certo tipo de ação monitorada por meio de um conjunto de instruções.

Sem esse recurso, não seria possível para o Google Analytics saber o que foi feito em um site, tampouco a hora e o local de onde partiu uma determinada ação.

Gatilho

Uma vez que o site esteja “etiquetado”, é hora de definir que tipo de ação será monitorada.

Isso pode ser feito pela criação de um gatilho, que consiste basicamente em um comando pelo qual o site envia dados para o Analytics.

Isso significa que cada site deve ter o seu próprio gatilho, assim como diferentes campanhas pedem tags distintas.

Variáveis

Dependendo dos objetivos de marketing, uma campanha pode ser modificada em seus parâmetros ou mesmo ter suas metas completamente reestruturadas.

Nesse caso, podem ser definidas as chamadas variáveis, modificadores adicionais usados para receber ou armazenar dados de tags.

Por que ele é importante para a sua estratégia

Durante um bom tempo, o trabalho das agências e profissionais de marketing digital dependia muito da participação de um desenvolvedor.

Era ele quem detinha os conhecimentos necessários para fazer modificações no código fonte de um site, bem como de criar e gerir comandos em Javascript.

Por causa disso, era um custo danado medir o alcance de uma campanha ou mesmo controlar os acessos de um site, dependendo da plataforma em que foi criado.

Se o gestor de marketing precisasse alterar alguma tag ou o seu modo de funcionamento, era outra luta. 

Já vi muita gente rezando para encontrar o desenvolvedor disponível, porque o cliente estava querendo saber dos resultados ou questionando algo sobre suas campanhas.

O GTM deu fim a essa dependência, tornando muito mais simples e rápida a gestão dos códigos de rastreamento.

Hoje, ele é o “personal developer” (desenvolvedor pessoal) de todos os que trabalham com marketing digital e precisam de agilidade na hora de analisar dados e resultados.

O Google Tag Manager te ajuda a gerenciar qualquer código que precisa ser instalado no seu site. Isso inclui tudo, desde análise de conversões até análise de chamadas e remarketing.

Agora que você já entendeu o básico, aqui está como configurar o Tag Manager no seu próprio site em apenas alguns minutos.

Como instalar o Google Analytics no GTM

Embora o GTM seja um recurso vinculado ao Analytics, é possível seguir na “contramão” e instalar o Google Analytics 4 a partir do Tag Manager.

A propósito, esse é um caminho que, além de mais simples, garante que eventuais modificações na plataforma do seu site não venham a arruinar suas configurações.

Nesse caso, o passo a passo que vou mostrar a seguir considera que já existe uma conta no GA4 ou pelo menos o usuário tem o conhecimento para criá-la, OK?

Vamos ao processo.

1. Crie uma conta no Tag Manager

Acesse o site e, se já tiver uma conta, basta fazer o login para prosseguir na instalação.

Não é obrigatório, mas facilita se você usar o navegador Chrome.

2. Insira os scripts

O próximo passo é instalar o contêiner do Google Tag Manager no site.

Para isso, você precisará obter dois scripts para serem inseridos, um, abaixo da tag <head> e outro, abaixo da tag <body>.

Ambos começam com a linha ← Google Tag Manager →.

3. Configure o Analytics

No menu à esquerda no dashboard do GTM, clique em “Variáveis” e “Adicionar nova variável”.

No campo que abrir, insira o ID de rastreamento do site que pretende controlar.

4. Vincule o GA4

Clique agora em “Tag” no menu à esquerda e depois em “Novo”, na parte de cima à direita da tela.

No campo de pesquisa do box que abrir, digite “GA – Pageview”, clique no símbolo da tag no box logo abaixo e, em seguida, no lado direito, em “Google Analytics:Universal Analytics”.

No box “Google Analytics Settings”, selecione a opção {{GA – UA}} e, no box “Triggering” abaixo, clique no ícone do meio.

Clique em “Page View”, salve as alterações e está feito!

5. Faça um teste

Não deixe de testar para saber se o procedimento foi bem sucedido.

Para isso, use o modo preview, tanto no GTM quanto no GA4.

Como configurar o Tag Manager para o seu site

Para começar a usar o Tag Manager, você vai precisar fazer algumas configurações básicas.

Elas envolvem criar uma conta no Tag Manager, adicionar um trecho de código ao seu site e migrar qualquer tag codificada de volta ao Tag Manager assim que estiver instalado.

Isso te permitirá ter apenas um trecho codificado ao seu site, ao mesmo tempo em que mantém todas as tags gerenciáveis no seu Tag Manager para mudanças rápidas.

Então vamos começar!

Acesse o site do Google Tag Manager e crie uma conta nova (ou adicione uma conta já existente).

pasted image 0 484

Primeiro, dê um nome à sua nova conta usando o nome da sua empresa na primeira lacuna:

pasted image 0 558

Daqui você pode inserir o URL do seu site na lacuna de “Recipiente”:

pasted image 0 532

Depois, você vai selecionar onde quer usar o Recipiente:

pasted image 0 505

Por exemplo, você quer que esse recipiente do Tag Manager gerencie trechos de código para AMP, aplicativos mobile iOS e Android ou no seu site?

O recipiente do Tag Manager é, essencialmente, um único trecho de código que você instala na sua fonte (página da web, aplicativo, AMP) e que contém todos os seus outros códigos, em vez de saturar a sua fonte com diversos trechos.

Depois, selecione o recipiente que você quer usar e aceite os termos e condições do serviço:

pasted image 0 515

A partir daqui você deve receber um aviso pop-up te dizendo para realizar dois passos para instalar a nova tag do recipiente em seu site, aplicativo ou AMP.

Primeiro, você deve copiar e colar o primeiro código em todas as páginas do seu site, na parte mais superior da seção de <head> delas.

pasted image 0 492

Depois, será necessário colar o próximo código imediatamente após a seção de <body> em cada página do seu site:

pasted image 0 542

Se você não estiver entendendo, use o Guia de Início Rápido deles para obter mais informações.

Assim que tiver instalado a tag do recipiente em cada página do seu site ou aplicativo mobile, pode gerenciar tudo no painel de controle de tags.

pasted image 0 536

Entretanto, você provavelmente terá tags adicionais que já estão codificadas no seu site atualmente.

Por exemplo, coisas como scripts do AdWords, Analytics, Facebook Pixel e qualquer outro software de terceiros que você já usa para fazer análises.

Então vamos instalar eles de volta ao Tag Manager e não no seu site.

Mude do Analytics para o Google Tag Manager facilmente

Ferramentas de gerenciamento de Tag são algumas das melhores ferramentas para poupar tempo no mundo quando falamos em marketing.

Especialmente se você está constantemente criando novas campanhas e ajustando scripts para se adequarem aos seus objetivos (o que deveria estar fazendo).

Mas, de alguma forma, elas ainda não são muito usadas. Inúmeros profissionais de marketing e clientes com quem já falei ainda não instalaram essas ferramentas simples.

Nesta seção, eu vou te mostrar como incorporar as tags codificadas, como sua análise de conversões, de volta ao Google Tag Manager para que você possa editá-las facilmente no futuro.

Se você tem o seguinte código do Google Analytics instalados no seu site, tem scripts codificados que podem ser transferidos:

pasted image 0 509

Ao usar o Tag Manager, podemos facilmente permitir que ele colete dados, remova scripts antigos e os substitua com o script do recipiente.

O grande problema que a maioria das pessoas tem com o Tag Managers usualmente é a mudança de softwares.

Ela vai impactar minha análise de conversões? Como os meus dados permanecem intactos ou não são amplificados por causa da mudança?

Siga estes passos e você terá certeza de que a transição será o mais suave possível.

Vamos começar.

1º Passo. Certifique-se de que o recipiente do Tag Manager está instalado.

Lembra daquela tag do recipiente com a qual você lidou no começo deste processo?

pasted image 0 492

O primeiro passo aqui é se cretificar de que você instalou essas tags no seu site corretamente.

Um jeito ótimo de fazer isso é usando a ferramenta Google Tag Assistant, que pode ser instalada no Google Chrome:

pasted image 0 554

Você pode usá-la para verificar se suas tags estão instaladas corretamente.

Assim que fizer isso, vá para o 2º passo.

2º Passo. Crie uma tag para rastrear as visualizações de página no Tag Manager.

Acesse a sua conta do Tag Manager e navegue até a seção de “Tags” do seu menu:

pasted image 0 548

Aqui, clique em “Novo” para gerar uma nova tag de análise:

pasted image 0 540

Durante a configuração, comece editando a seção de “Configuração da Tag” ao clicar na caixa:

pasted image 0 524

No menu, selecione o tipo de tag Análises, escolhendo tanto Universal ou Clássica, dependendo da tag que usar:

pasted image 0 538

Depois de selecionar o tipo da tag, habilite a análise de tipo “Visualização de Página”:

pasted image 0 550

Por último, na seção de “Gatilhos”, selecione “Visualização de Todas as Páginas” como o seu gatilho para início de análise.

Isso permitirá às Análises rastrear cada nova visualização de página quando um usuário acessa qualquer página do seu site.

pasted image 0 486

Agora é a hora de criar uma nova variável.

3º Passo. Crie uma nova variável no Tag Manager.

Agora, precisamos criar uma nova variável no Tag Manager para ajudá-lo a transferir as tags codificadas já existente automaticamente.

A variável vai ajudar a buscar scripts codificados no código-fonte do seu site.

Para começar, acesse a seção de “Variáveis” do seu painel de controle:

pasted image 0 561

Clique na seção de “Variáveis Definidas Pelo Usuário” e clique em “Novo” para criar uma nova variável:

pasted image 0 556

Aqui, clique no passo de “Configuração de Variável” e clique no centro do espaço disponível para escolher uma variável:

pasted image 0 512

Na lista de Variáveis de Página, selecione “JavaScript Customizado”:

pasted image 0 559

Depois, copie e cole o seguinte código na caixa de JavaScript:

function () {

if (jQuery(“script:contains(google-analytics.com/ga.js)”).length > 0) {

return “TRUE”;

}

if (jQuery(“script:contains(google-analytics.com/analytics.js)”).length > 0) {

return “TRUE”;

}

else

return “FALSE”;

}

pasted image 0 552

Assim que tiver copiado o código, seu produto final deve estar destacado em verde, da seguinte forma:

pasted image 0 530

4º Passo. Crie um novo gatilho no Tag Manager.

Agora que você já estabeleceu aquela variável, pode criar um novo gatilho para bloquear o rastreador de visualizações de página do Tag Manager quando já existir um script do Analytics no site.

Isso vai evitar a duplicação de dados que poderia impactar fortemente o seu Analytics. Este passo é essencial.

Para começar, acesse a aba de “Gatilhos” no seu painel de controle do GTM:

pasted image 0 500

Aqui, clique em “Novo” para criar um novo gatilho. Selecione a lacuna de “Configuração de Gatilho” novamente para continuar:

pasted image 0 544

No menu, selecione “Visualização de Página” como seu tipo de gatilho:

pasted image 0 497

Agora, aqui está o passo crucial. Ao configurar seu gatilho, habilite-o para ter início em “Visualização de Algumas Páginas”:

pasted image 0 521

Isso vai buscar uma fórmula na qual você pode selecionar quando o gatilho terá início. Primeiro, selecione a variável anterior que acabamos de configurar no passo acima.

Depois, defina que o gatilho “contains TRUE.” Isso vai impedir que o Tag Manager rastreie páginas em que o script codificado do Analytics já está ativo, evitando a contagem dupla da mesma visualização.

5 Passo. Modifique o rastreador de visualização de página existente.

Por último, volte até a seção de tags da sua conta e localize a tag inicial do Google Analytics que você configurou.

Aqui, crie uma nova exceção para a tag usando o script codificado do Analytics:

pasted image 0 503

6º Passo. Publique!

Voila! Você terminou. Você merece muitos elogios.

O único passo que falta é avisar seus desenvolvedores para removerem a tag codificada do Google Analytics do seu site por completo.

Agora que você tem esses scripts no lugar, assim que a tag codificada for removida, o Tag Manager entenderá que o seu código não está mais lá, permitindo que a tag do Tag Manager que criamos inicie seu trabalho.

Motivos para usar o Google Tag Manager

“Legal Neil, isso parece bom, mas afinal qual é a grande vantagem de usar o Tag Manager?”

À primeira vista, realmente, o GTM pode dar a impressão de que não é nada demais.

Contudo, esse é um recurso extremamente importante, principalmente porque assegura o monitoramento de tags de rastreamento em um só lugar.

Mas os benefícios não ficam só nisso.

Com o GTM, você torna o seu processo de análise de dados muito mais simples e menos exposto a falhas.

Confira na sequência o que você ganha ao agregar essa ferramenta.

Mais seguro

Imagine que você criou uma conta em uma plataforma de anúncios que pede para inserir um script de rastreamento em seu site.

Se essa plataforma não tiver uma boa reputação, é grande o risco de que, por meio dessa tag, seu site seja contaminado e até usado para disseminar vírus e malwares.

Lembre-se que scripts são linhas de comando, logo, todo cuidado é pouco ao adicionar recursos de terceiros.

Com o GTM, você fica mais tranquilo em relação a isso, porque ele conta com o recurso de verificação de tags.

Caso ele identifique uma fonte suspeita, automaticamente o script é cancelado.

Isso sem contar que ele permite gerir quem acessa ou não a sua conta, revogando o acesso de quem não faz parte da sua equipe.

Rápida implementação de códigos de rastreamento

Como já destaquei, o GTM permite que você gerencie todas as tags de terceiros em um único dashboard.

Parece pouco, mas esse é um tremendo avanço, se considerarmos como funcionava poucos anos atrás.

Digamos que, naqueles tempos, eu contratasse uma nova plataforma de CRM para monitorar o comportamento de compra das pessoas.

Essa plataforma pediria que eu inserisse uma tag de rastreamento, a qual, sem o GTM, ficava a cargo de um desenvolvedor.

Imagine então o tempo que seria perdido se o desenvolvedor estivesse ausente ou só pudesse fazer isso dentro de uma semana?

É isso que você evita quando passa a trabalhar com o Google Tag Manager, com o qual o processo de “tagueamento” é muito mais rápido e independente.

Tags gerenciadas em um só lugar

No passado não muito distante, as tags de rastreamento não eram organizadas em um painel de controle específico.

Elas iam sendo inseridas no código-fonte do site, ficando misturadas às outras tags.

Era um verdadeiro “Deus nos acuda” quando precisávamos modificar um script ou inserir uma nova tag ou função.

O GTM veio para acabar com esse pânico, permitindo que todas as tags sejam geridas em uma única plataforma.

Melhora a usabilidade

A experiência do usuário (UX) é também uma necessidade para quem gerencia um site.

O GTM melhora tudo nesse quesito, ao implementar o conceito de gestão de tags.

Com ele, você tem à disposição um histórico de modificações, pelo qual é possível se orientar caso alguma mudança não funcione.

Nesse caso, basta cancelá-la e tentar novamente.

Possibilidade de fazer testes

Lembro bem da luta que se seguia quando eu finalmente conseguia inserir a tag no meu site antes do GTM.

Basicamente, o que eu fazia era cruzar os dedos e torcer para que o desenvolvedor tivesse acertado na configuração.

Ou seja, não havia como testar as novas funções que eram inseridas no código-fonte.

O GTM acabou com esse problema, graças à função que permite depurar quais tags que estão ativas e quais não estão, antes de colocá-las no ar.

Modelos prontos de tags

Para agências, o GTM é quase como a nova invenção da roda.

Ele permite exportar todas as tags que estão sendo usadas, de modo que possam ser replicadas para uso em outros sites.

Rastreio de eventos

Digamos que você queira controlar um evento específico, como o envio de um formulário.

Por meio do GTM, você consegue rastreá-lo com códigos Javascript únicos, graças ao recurso “rastreamento de eventos automáticos”.

Gestão de equipes

Você não precisa fazer tudo sozinho no GTM.

Ele conta com áreas de trabalho e ambientes, pelos quais você pode incluir e excluir membros sempre que precisar.

Como usar o Tag Manager para ajustes fáceis de marketing

O forte do Tag Manager está em seu software e painel de controle simples.

Quanto tempo seria necessário atualmente para que seu desenvolvedor fizesse uma enorme mudança em cada página do seu site?

Por exemplo, digamos que você tem uma campanha de marketing de e-commerce. Você percebe que suas conversões não estão muito boas. Então, quer inserir o seguinte evento: adicionar ao carrinho.

Isso quer dizer que você deseja rastrear cada vez que alguém adiciona um produto ao seu carrinho. Quanto tempo seria necessário para o seu desenvolvedor finalizar essas tarefa?

Alguns dias, pelo menos, com os problemas normais pelos quais os sites passam diariamente, sem falar naqueles enfrentados a cada hora.

É aqui que entra o Tag Manager. Com seu painel de controle, você pode adicionar esses eventos em alguns segundos e eles entram em funcionamento no seu site instantaneamente.

Por exemplo, digamos que você queira rastrear uma nova tag no seu site usando uma ferramenta como o Crazy Egg:

pasted image 0 560

Você simplesmente cria a nova tag no Tag Manager e seleciona o Crazy Egg como a fonte.

A partir daqui você não precisa criar nenhum código para realizar a tarefa. É possível adicionar funções extremamente avançadas, como um planejamento de publicações temporizado, sem tocar em uma linha de código sequer:

pasted image 0 528

É possível, então, criar gatilhos e variáveis para cada script, como, por exemplo, somente ativar o script do Crazy Egg quando alguém descer a página até uma determinada altura:

pasted image 0 534

Por exemplo, você quer criar os mapas de calor somente com os usuários mais interessados. Então profundidade de rolagem da página pode te ajudar a filtrar os usuários que leem apenas as primeiras duas linhas e vão embora.

Adicionar isso sem o Tag Manager iria demandar um conhecimento superior de codificação.

Ou quando alguém carrega uma janela específica, você pode habilitar o gatilho do rastreamento para iniciar ali:

pasted image 0 546

As opções são praticamente infinitas e te dão poder completo sobre a customização de cada script que roda em seu site.

Conclusão

Estabelecer campanhas demanda muito trabalho. Especialmente quando falamos em configurar os scripts corretamente.

Tudo, desde o AdWords até o Analytics e o Crazy Egg, tem scripts que precisam rodar no seu site. E codificá-los em todas as páginas pode levar horas.

Além disso, quando chega a hora de editá-los para diferentes objetivos ou cenários, você precisa saber como codificá-los. Senão, simplesmente não é possível mudá-los.

E isso significa que todo o seu esforço de marketing pode estar passando despercebido. Análise básica de conversões não é o suficiente. Ela não te conta a história inteira.

Micro-conversões não receberão crédito algum. Apenas os grandes eventos, como preenchimento de formulários e ligações de telefone.

Por sorte, o Google Tag Manager existe. E você não precisa saber nenhuma linguagem de código para usá-lo.

Comece configurando o Tag Manager para o seu site e criando uma nova conta. Depois, você pode mudar qualquer uma das suas tags codificadas usando os passos que eu te ensinei acima.

Por último, você pode começar a customizar todos os seus scripts para se adequarem às novas campanhas e aos novos cenários que deseja testar.

Use o Tag Manager para gerenciar todos os seus scripts em uma base de dados e editá-los sempre que precisar para obter um melhor desempenho e melhores análises de marketing.

Quais são seus jeitos preferidos de usar o Tag Manager do Google?

Compartilhe