Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Tudo sobre Gemini IA: novo modelo de inteligência artificial do Google

gemini ia

O Google Gemini promete ser o maior, mais hábil e melhor modelo de IA do mercado. Anunciado no fim de 2023, a nova plataforma de inteligência artificial é melhor do que o GPT-4.

Bom, isso é o que o Google diz.

Mas o que é essa nova plataforma e o que ela significa para os negócios — e, mais importante para eu e você, para o marketing digital e o SEO de forma geral.

Quero explicar o assunto e mostrar tudo que sei sobre o Gemini AI e como o Google entrou de cabeça no mundo dos modelos de inteligência artificial. Vamos lá?

O que é o Google Gemini?

O Gemini AI é um modelo de inteligência artificial multimodal desenvolvido pelo laboratório responsável pelas inovações do maior buscador do mundo: o Google DeepMind.

Mas o que seria um modelo multimodal? De acordo com o Google, significa que ele consegue “compreender, operar e combinar diferentes tipos de informações, incluindo texto, imagem, áudio e vídeo.

Antes de me aprofundar no tema, vale esclarecer: a novidade do Google não é exatamente a mesma coisa que o ChatGPT

Na verdade, a novidade é equivalente ao GPT-3 ou GPT-4, um modelo de IA no qual tais aplicações podem ser baseadas.

Originalmente, o Gemini foi lançado como uma coisa diferente do Bard — o chatbot de IA generativa do Google. Porém, no dia 08/02, a empresa anunciou uma mudança: o Bard se chamaria Gemini.

Além da questão do branding, a empresa quis simplificar o acesso ao seu modelo de IA unificando tudo. Falou em IA do Google? Falou em Gemini.

A promessa do buscador, no entanto, é que o seu modelo já é — no lançamento — muito mais poderoso do que qualquer outro modelo do mercado, especialmente o GPT-4 (a solução mais avançada até então).

gemini

A imagem mostra um gráfico divulgado pelo Google, que mostra que esse é o primeiro modelo de IA a superar os especialistas humanos em MMLU (Massive Multitask Language Understanding), um dos métodos mais populares para testar o conhecimento e as habilidades de resolução de problemas dos modelos de IA.

Em geral, os testes aos quais a IA do Google foi submetida incluem 57 áreas de conhecimento (como história, matemática, física e escrita de códigos). Ele excedeu as capacidades humanas (e de concorrentes, como mencionei antes) na maioria deles.

Quais são os diferenciais do Gemini?

O novo modelo de IA do Google ultrapassa benchmarks importantes tanto em relação à escrita de textos e códigos, como em testes multimodais que envolvem imagens, vídeos e áudios.

Ou seja, vai muito além do que qualquer coisa no mercado hoje em dia.

Por isso, o Google liberou o novo modelo em três diferentes “tamanhos”, que na verdade são versões relativas a sua capacidade de processamento. São eles:

  • Ultra: o maior e mais capaz modelo para realizar tarefas de alta complexidade.
  • Pro: o melhor modelo para escalar em diferentes e variadas tarefas.
  • Nano: o modelo mais eficiente para realizar tarefas em dispositivos.

Na prática, ele consegue gerar códigos, imagens, textos e áudios com simples comandos.

No exemplo a seguir, o usuário mostra um vídeo e pede uma demonstração com base no mesmo. Na tela ao lado, é possível ver a interpretação do modelo de IA do vídeo, sua versão recriada e o código escrito logo abaixo.

gemini

Bacana, certo?

A apresentação do Google sobre a capacidade do seu modelo é bem impressionante, vou confessar.

No vídeo, uma pessoa “conversa” com a IA, que interage com a pessoa, descreve o que ela está fazendo e responde suas perguntas.

Ao longo da demonstração, vemos a IA resolver pequenos problemas relacionados a: diálogo multimodal, multilinguismo, criação de jogos, puzzles visuais, criação de conexões, geração de textos e imagens, raciocínio lógico e espacial, tradução de elementos visuais e compreensão cultural.

Além disso, a parte de ‘Hands-on‘ da novidade ainda cita algumas funções que a nova IA do Google consegue surpreender, como:

  • Estabelecer recordes em programação competitiva, onde um problema de desenvolvimento é apresentado e os competidores precisam resolvê-lo com codificação o mais rápido possível.
  • Desbloquear insights em literatura científica, com leitura dinâmica e super rápida de artigos e estudos para compilar dados num piscar de olhos.
  • Processamento e compreensão do sinal de áudio bruto de ponta a ponta, sem a necessidade de processar o áudio por um programa de speech-to-text para então entender o texto (como acontece nos programas convencionais).
  • Explicando o raciocínio em matemática e física, por exemplo para utilizá-lo para corrigir provas e exames escolares, bem como para explicar conceitos complexos.
  • Raciocínio sobre a intenção do usuário de gerar experiências personalizadas.

Como usar o Google Gemini?

O Gemini AI 1.0 foi liberado no dia do lançamento, em 6 de dezembro de 2023. Mas como utilizá-lo? Bom, se você usa o Bard (agora também Gemini) desde essa data, te adianto: você já estava interagindo com a nova IA do Google.

O chatbot utiliza uma versão Pro (otimizada e lapidada para o chatbot) e foi anunciada como o maior upgrade que a plataforma de IA do buscador já recebeu.

Já o Nano estará presente em alguns dispositivos Android mais avançados, começando pelo Pixel 8 Pro.

Ao longo dos próximos meses, devemos ver o modelo de IA sendo integrado a outros produtos e serviços da empresa, como no Search, Ads, Chrome e Duet AI.

De acordo com a empresa, o modelo também já foi integrado à nova experiência de busca, o Search Generative Experience (SGE), que traz a IA para o buscador.

Até aqui, já foi observada uma redução de 40% na latência das respostas em inglês (apenas nos EUA).

Além disso, ainda em dezembro, a versão Pro foi liberada no Google AI Studio e Google Cloud Vertex AI para desenvolvedores utilizarem o modelo em seus aplicativos e sistemas.

E a versão mais promissora, o Ultra?

No anúncio do dia 08 de fevereiro, a empresa anunciou o Gemini Advanced, que dá acesso ao Ultra 1.0. De acordo com o próprio Google, o modelo mais poderoso pode:

  • Ser seu colaborador pessoal — criando instruções passo a passo, exemplos de questionários ou discussões personalizadas de acordo com seu estilo de aprendizagem.
  • Ajudá-lo em cenários de programação mais avançados, servindo como uma caixa de ressonância para ideias e ajudando você a avaliar diferentes abordagens de programação.
  • Ajudar os criadores digitais a passar da ideia à criação, gerando novos conteúdos, analisando tendências recentes e debatendo melhores formas de aumentar o seu público.

Curtiu? Para ter acesso, você deverá assinar o plano Google One AI Premium, com valor mensal de R$96,99 — mas, ei! Você começa com uma avaliação gratuita de dois meses.

Conclusão

E agora, o que o futuro reserva com essas inovações em IA, como o Gemini e GPT?

É uma realidade ainda estranha, mas muito promissora, onde nossos papos irão muito além da escolha de palavras-chave e de estratégias de backlinks.

Falaremos cada vez mais sobre intenção de busca, semântica e hacks para posicionar seus conteúdos cada vez mais alto na SERP…

Mas não apenas isso.

Com o SGE, por exemplo, uma nova forma de receber respostas do Google já se criou. A nossa luta agora é entender como posicionar nossos links e conteúdos ali, nessa resposta gerada pela IA ao vasculhar certos conteúdos da internet.

E aí, como garantir que o meu conteúdo seja o escolhido — em vez do meu concorrente?

É o início de uma nova era.

Pegue o novo modelo do Google como exemplo.

Você percebeu como ele está mudando as regras do jogo?

Ele não se limita a texto, falo de um universo onde imagem, áudio e vídeo entram no campo do SEO.

Agora, o ato de procurar algo na internet será quase como um papo cabeça, um bate-papo interativo e personalizado.

É a IA trazendo um toque pessoal na sua experiência de busca.

Então, qual é o take?

Simples: mantenha-se de olho no que acontece no mundo do SEO.

Hoje, o nosso campo de trabalho está mais entrelaçado com IA do que nunca antes. É hora de aprender, adaptar e inovar.

Por isso, fica aqui o convite: continue acompanhando o blog. Vamos juntos descobrir os desafios dessa nova era, combinado?

Até a próxima!

Perguntas frequentes sobre o Google Gemini

O que é o Google Gemini?

O Gemini é uma inovação do Google. É um modelo de inteligência artificial (IA) avançado e superior ao GPT. Ele supera os especialistas humanos em MMLU (Massive Multitask Language Understanding), abrangendo 57 áreas de conhecimento, com benchmarks importantes em escrita de textos, códigos e testes multimodais, incluindo imagem, áudio e vídeo.

Como testar o Gemini?

Para testar o Gemini, você pode acessar o gemini.google.com. A empresa “descontinuou” o nome Bard e agora tanto seu modelo de IA, quanto o chatbot se chamam Gemini. Você também pode ter acesso aos modelos Gemini mais avançados assinando os planos pagos.

Como usar o Gemini no Bard?

O nome Bard foi descontinuado e substituído por Gemini. Ou seja, ao acessar gemini.google.com, você acessa o que antes era o Bard. A empresa resolveu unificar o nome em favor de um branding menos confuso.

Como criar uma conta no Gemini?

Qualquer um com uma conta Google pode acessar via gemini.google.com, que funciona como um chatbot. Porém, no caso de desenvolvedores de aplicações, é possível ter em mãos versões mais avançadas da novidade do Google por meio do Google One AI Premium, Google AI Studio ou Google Cloud Vertex AI.

NP Digital Brasil

Você quer resultados imediatos?

Minha agência pode fazer todo o trabalho pra você. Somos especialistas em:

  • SEO - Colocamos seu site no topo das pesquisas do Google
  • Mídia Paga - Fazemos seu negócio alcançar quem importa no momento certo
  • Data & Conversion Intelligence - Desbloqueamos as conversões do seu site e criamos dashboards para melhores análises

Fale com um especialista

Consultoria com Neil Patel

Compartilhe