Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Escalabilidade: O Que É e Como Escalar o Seu Negócio (+Exemplos)

escalabilidade nos negócios

A escalabilidade nos negócios é um dos pontos mais discutidos no ambiente corporativo nos dias de hoje.

Mas, afinal, o que é isso?

Empreendedores iniciantes lidam com problemas o tempo todo.

Precisam adquirir investimentos, gerir contas, contratar pessoas, planejar ações, escolher ferramentas tecnológicas e dar conta de mais uma série de tarefas.

Tudo isso simultaneamente àquele que é o foco de qualquer empresa: realizar vendas.

Para isso, são utilizados diferentes modelos e práticas.

Muitos oferecem produtos semelhantes, mas oferecem estruturas diferentes.

E essa pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso.

Um padrão escalável é aquele que, comprovadamente, deixa as contas no azul no fim do mês.

Isso garante o crescimento contínuo, atraindo olhares e moldando os pilares da empresa conforme o tempo passa.

Em outras palavras, falamos em certeza e adequação.

É o que acontece com empresas como Netflix, Nubank e Airbnb, por exemplo.

Viu só?

É por isso que a escalabilidade é tão importante.

Se você quer aprender mais sobre o tema e escalar o seu negócio de maneira sólida, aterrisou no local certo.

No texto de hoje, vamos aprender quais são os principais conceitos que cerceiam o desenvolvimento calculado e veremos alguns exemplos.

Para adquirir esse conhecimento, continue a leitura.

guia completo de marketing digital

Mas o que é escalabilidade?

anotação da palavra escalabilidade

Escalabilidade é o nome dado ao objetivo central de negócios embrionários ou startups. Em termos mais diretos, significa aumentar o faturamento sem a necessidade de aumentar os investimentos. Ou seja, encontrar um modelo de crescimento acelerado, cuja confirmação é realizada por meio de dados.

Vamos a um exemplo em um dos segmentos que mais se desenvolvem no cenário contemporâneo: o mercado de aplicativos.

Então, supondo que você tenha uma ideia incrível.

O seu app é inovador e resolve problemas de uma parcela considerável da população.

Parece ótimo, não é mesmo?

Bem, talvez as coisas não sejam tão fáceis como gostaria.

Ao perceberem que há aderência por parte do consumidor, outros desenvolvedores decidem pular de ponta, oferecendo soluções semelhantes.

Um dos concorrentes desenvolve processos mais ágeis.

Outro, descobre canais de marketing digital mais eficientes.

Tem ainda um terceiro, que encontra fontes de mão de obra mais baratas.

E, quando você menos espera, há uma série opções com maior escalabilidade, já que buscaram outros métodos para alcançar seus objetivos.

Um caso da vida real ocorre com as aplicações Uber, Cabify e 99.

Você se surpreenderia se eu lhe dissesse que essas empresas não foram pioneiras?

Elas simplesmente encontraram modelos escaláveis.

Essa é a importância da escalabilidade: garantir o desenvolvimento sustentável de negócios.

Por essa razão, está diretamente associada ao growth hacking, estratégia voltada à identificação de oportunidades de crescimento rápido.

Em outras palavras, é um formato no qual existe a busca incessante pela melhoria e otimização de recursos.

Com a afirmação do modelo escalável, os investidores sentem-se a vontade e os clientes seguros.

Em termos diretos, existe potencial explícito de crescimento.

Vale lembrar que há, ainda, modelos diferentes de escalabilidade.

Vou falar sobre os dois principais agora mesmo.

Escalabilidade horizontal (out)

No exemplar horizontal de escalabilidade, o objetivo é a dominância no segmento.

Uma loja virtual que abrange diferentes tipos de produtos, como o Submarino e a Netshoes, por exemplo, se encaixam nele.

Com uma atuação abrangente, o alpinismo é direcionado a diversos setores e público, visando uma parcela significativa do mercado.

Escalabilidade vertical (up)

Já no modelo vertical de escalabilidade, a intenção é especificar o público, atingindo um grupo menor, mas com maior excelência.

É o caso de e-commerces como Kabum, no setor de eletrônicos, e da Centauro, no segmento esportivo.

Ou seja, nesse formato de subida, há um direcionamento para um nicho de mercado.

3 motivos para buscar a escalabilidade

busca da escalabilidade nos negócios

A busca pela escalabilidade tem razões muito claras.

Aparelhos gerenciáveis, testáveis e com possibilidades de ganhos exponenciais representam o sonho de qualquer empreendedor, não é mesmo?

Mas existem outros motivos que justificam olhar para o assunto com carinho.

A seguir, conheça três dos principais pelos quais a escalabilidade traz brilho aos olhos dos profissionais das áreas de investimentos e empreendedorismo.

1. É ensinável

Um dos fatores determinantes que comprovam o sucesso de um negócio é o fato de os processos serem replicáveis.

Com isso, quero dizer que é possível ensinar aos próximos colaboradores como devem atuar, com ações práticas, didáticas e mensuráveis.

Nesses moldes, o crescimento torna-se viável e contínuo, garantindo a evolução dia após dia.

2. É valioso

Gerar valor é outra variável determinante em modelos escaláveis.

Ao encontrar padrões de desenvolvimento únicos, suas ações tornam-se verdadeiros tesouros no fim do arco-íris, elevando seu valor intangível.

Por conta disso, dados internos são muito valiosos e considerados como trunfos para as empresas que os utilizam na hora de realizar suas operações.

3. É repetível

O terceiro elemento característico da escalabilidade é que ele pode ser replicado em diferentes modelos de negócios.

Observe a fórmula utilizada por serviços de entrega, como o iFood, por exemplo.

Como um intermediador, a metodologia pode ser copiada por outras indústrias, reproduzido por farmácias, distribuidoras e floriculturas, apenas para citar alguns casos.

Isso significa que os mesmos moldes podem ser usados para produzir receita em mercados diversos, possibilitando a sua expansão.

Exemplos de negócios escaláveis

ilustração representando app como um dos negocios escalaveis

Atualmente, podemos ver uma vasta quantidade negócios escaláveis em atuação no mercado.

Com o surgimento de novas tecnologias e a adaptação aos hábitos e costumes do consumidor, oportunidades não faltam.

Por isso, não há um padrão para a criação de ideias originais que se adequem ao conceito.

No entanto, alguns setores demonstram maior aplicabilidade.

A seguir, veja alguns casos.

Aplicativos móveis

O mercado de aplicativos para smartphones, tablets e outros dispositivos móveis é um dos que mais se destacam em questões de escalabilidade.

Por isso, há milhares de desenvolvedores ao redor do mundo se arriscando por essas bandas.

Os apps são gerenciados à distância, atualizados em tempo real e permitem o constante desenvolvimento para melhor se adequar às necessidades de consumo.

Um dos pontos principais para que isso aconteça é o acesso aos dados de utilização, que levam em consideração o desempenho das aplicações quando inseridas no mercado.

Com isso, são gerados updates e melhorias, desenvolvendo frequentemente os padrões de qualidade de entrega.

Um bom exemplo é o aplicativo da Nubank, que vigia e altera suas funcionalidades de acordo com a experiência do usuário.

Software As A Service (SaaS)

Outro molde no qual a escalabilidade é levada em consideração é no mercado de softwares vendidos como um serviço.

Aqui as soluções tecnológicas geram receita recorrente.

Isso significa que, em vez de vendê-la uma única vez, ocorre no formato de assinatura.

Por conta de seu caráter de fidelização, são realizadas melhorias constantes.

Além disso, é comum a criação de setores totalmente dedicados à resolução de problemas, como no caso da área conhecida como Sucesso do Cliente.

Nesse caso, os colaboradores acompanham a performance e os índices de satisfação dos compradores para garantir a continuidade do contrato e recolher informações que levem ao aperfeiçoamento.

Serviços como Uber ou Airbnb

Ainda com foco na expansão contínua, chegamos ao setor de serviços.

Se você parar para pensar, a maior empresa de transportes do mundo não possui um único carro na frota.

Também o maior fornecedor de serviços hoteleiros não tem sequer uma franquia.

E, para completar, a maior loja virtual do mundo não tem produtos em seu estoque.

Falo de Uber, Airbnb e Alibaba.

Esses são alguns dos exemplos perfeitos de empresas escaláveis, que encontraram fórmulas de sucesso sem a necessidade de investir diretamente em questões estruturais.

Ou seja, apenas com inovação e tecnologia, conseguiram sagrar-se como algumas das mais bem-sucedidas em caráter global.

Cursos online

Não são só gigantes do mercado que alcançam o objetivo da escalabilidade.

Ao redor do mundo há diversos pequenos empreendedores e autônomos que agarram as oportunidades quando as enxergam.

Um bom exemplo disso são os cursos online.

E não falo sobre intermediários de sucesso, como Udemy, Hotmart e Samba Tech.

Aqui, quero tratar sobre o próprio criador de conteúdo, que encontra soluções inovadoras em marketing e geração de autoridade para alcançar seus públicos e gerar receita recorrente.

Lembre-se: a escalabilidade é tangível para diferentes nichos, tamanhos e investimentos.

Encontrar um modelo aplicável está ao alcance de qualquer pessoa.

Como tornar um negócio escalável?

estratégia de nuvem nos negócios

Agora que chegamos até aqui, você provavelmente está ansioso para saber como tornar um negócio escalável, não é mesmo?

Então, a seguir, veja algumas dicas incríveis e utilizadas por empreendedores que alcançaram o sucesso para aplicar às suas estratégias a partir de hoje.

Utilize soluções em nuvem

À tecnologia responsável por armazenar dados em nuvem damos o nome de cloud computing.

Os ganhos ao aplicá-la são muitos.

Essa solução agiliza diversos processos, protege as informações da empresa contra invasões e perdas e facilita o acesso remoto.

Muitas empresas relatam o aumento da produtividade e contenção de gastos ao utilizá-la, o que é um grande incentivo rumo à escalabilidade.

Implemente o home office

Se, antigamente, a presença física do colaborador era a única possibilidade oferecida pela empresa, hoje em dia, esse sistema cada vez mais cai em desuso.

Apesar de muitos empreendedores ainda resistirem ao modelo, ele é muito indicado na busca pelos melhores resultados.

Além dos ganhos em produtividade dos profissionais, que se beneficiam em qualidade de vida, há contenção de despesas com transporte e alimentação, por exemplo.

Para ser inovador, é preciso reinventar conceitos.

E o home office já é uma realidade em negócios disruptivos.

A comunicação é realizada via aplicações, o alcance de metas calculados por softwares e há até mesmo soluções para confirmação dos horários de entrada e saída.

Por conta disso, vale a pena dar um voto de confiança aos funcionários e implementá-lo.

Terceirize considerando qualificação e custo

Nem todos os processos da empresa precisam ser internos.

Existem muitos serviços qualificados que apresentam um custo-benefício melhor do que a contratação de pessoas em caráter CLT.

Hoje em dia existem empresas, profissionais autônomos e freelancers que podem contribuir muito na obtenção de resultados.

É claro que você deve considerar diversos fatores, como a possibilidade de expansão, para aplicar a terceirização.

Contudo, essa é uma boa ideia para reduzir os investimentos e extrair o máximo potencial dos recursos.

Valide sua estratégia

A validação da estratégia só pode ser realizada de uma maneira: através de dados.

Um dos erros mais comuns de empreendedores iniciantes é o crescimento com base em achismo, o que pode ser fatal.

Por isso, assegure-se de avaliar frequentemente o desempenho da empresa por meio de números e informações recolhidas.

Quando um indicador é negativo, é um sintoma claro que você precisa rever suas ações e considerar mudanças nos processos.

Acompanhe o mercado

Observar soluções que empresas concorrentes aplicam é uma ótima maneira para encontrar soluções e se inspirar.

Não há problema algum nisso.

Nem sempre você terá as melhores ideias, então, é necessário avaliar o mercado para acompanhar o ritmo e encontrar inovações que podem trazer benefícios ao negócio.

O monitoramento dos adversários, principalmente no ambiente digital, é auxiliado por plataformas e profissionais voltados a essa atividade.

Aplique a escalabilidade em diferentes setores

Escalar não é uma atividade voltada somente aos setores administrativos do negócio.

Essa ação deve ser utilizada em toda e qualquer equipe, visando a melhor performance dela.

Marketing, vendas, Sucesso do Cliente, financeiro, recursos humanos…

Todas as áreas precisam ter metas quantificáveis, visando a melhoria rotineira.

Ao realizar ajustes pontuais, certamente, você encontrará brechas em processos que podem ser melhorados.

Sistematize os processos

Em uma empresa que visa a escalabilidade, os processos devem ser sistemáticos.

Em outras palavras, há padrões a serem seguidos para garantir o bom funcionamento mesmo que você não esteja presente.

Manuais de operação devem ser observados e replicados para que tudo funcione dentro do que foi estabelecido como o ideal.

Lembre-se, também, de prever problemas comuns e, com o tempo, você verá todas as operações realizadas com a fluidez desejada.

Desenvolva-se

Por fim, não fique parado.

O desenvolvimento constante é essencial para escalar.

Implemente novos processos, crie novos setores, experimente novas ferramentas.

A inovação é o caminho para os empreendedores que querem alcançar o sucesso em sua empreitada.

Conclusão

Neste artigo, você aprendeu tudo que é necessário para desenvolver um sistema escalável em seu negócio.

Primeiro, vimos o que é a escalabilidade e as principais razões pelas quais você deve implementá-la.

Depois, observamos alguns exemplos de empresas de sucesso nesse quesito.

Ao fim do texto, conhecemos algumas dicas para escalar uma empresa.

Essas informações foram úteis para você?

Então, deixe o seu comentário caso sinta falta de alguma coisa.

E conte também: qual exemplo de negócio escalável inspira você?

Compartilhe