Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Algoritmo do Google: entenda o que é e quais as principais atualizações

algoritmo do google

Você já se perguntou qual o segredo do Google? Como o principal buscador do mundo consegue nos entregar respostas exatas e se tornou sinônimo de “procura”? A resposta é simples: algoritmo do Google.

Sim, parece um enigma — daqueles que decidem o destino do meu, do seu e de todo conteúdo publicado na internet.

Mas como isso realmente impacta o SEO? E porque é tão importante compreender o que é e como funciona o algoritmo do Google? Vou te contar tudo nesse artigo. Um overview geral sobre o tema, seu funcionamento, história e alguns dos principais updates que você precisa conhecer. Bora lá?

Antes, um recado: meu time preparou um guia completo com tudo que você precisa saber sobre as novas IAs generativas. Baixe, é gratuito!

ia generativa

Como funciona o algoritmo do Google?

Quando olhamos para o algoritmo do Google, estamos de fato analisando uma mente cibernética com uma missão: ajudar usuários a encontrar exatamente o que buscam.

Mas… Como ele faz isso? Por meio de atualizações constantes que refinam sua lógica, alterando como descobre, classifica e nos apresenta os resultados mais relevantes.

Já me aprofundei nesse tema em específico no meu artigo sobre os Google Updates, que tal separar para ler logo após esse?

Pare e pense: houve um tempo em que bastava encher uma página de palavras-chave para ver seu site decolar nos resultados de busca.

Lembra dessa época?

Palavras-chave aqui, palavras-chave ali, e puf! Seu site estava no topo.

Claro, essa abordagem — conhecida como keyword stuffing —, rapidamente caiu em desuso e hoje está sob a sombra do black hat SEO

Com o passar dos anos, o algoritmo do Google evoluiu, priorizando não só palavras-chave, mas também a relevância, autoridade do site e, especialmente, a intenção de busca do usuário.

Essa evolução garante que, hoje, o que realmente importa é a qualidade e a pertinência do conteúdo que você oferece.

O que é um mecanismo de busca?

O mecanismo de busca é exatamente a definição para o que o Google, Bing e Perplexity.AI e outros sites do tipo fazem. Um site que vasculha a internet em busca de links que melhor combinem com a requisição de busca de um usuário.

O que possibilita esse funcionamento é justamente o algoritmo — um procedimento lógico, destinado a resolver um problema.

Qual o problema? A busca que você faz no mecanismo.

Ou seja, na essência, o mecanismo de busca e seu algoritmo trabalham juntos, como uma dupla dinâmica, para conectar você ao exato pedaço de informação que busca.

A evolução do algoritmo do Google

evolução do algoritmo do google

Sem exageros: o algoritmo do Google é o camisa 10 da internet mundial há pouco mais de duas décadas. É ele quem dá ordem ao mundo das buscas online.

Porém, nem sempre foi assim. Como eu disse, lá no início, a técnica de encher uma página de palavras-chave era muito comum. Sim, era uma época mais simples, onde a quantidade muitas vezes superava a qualidade.

Bom, corta para hoje, e temos uma realidade completamente diferente.

A inteligência artificial generativa e a experiência do usuário agora reinam, transformando a busca em uma jornada mais intuitiva, relevante e, acima de tudo, útil.

O algoritmo do buscador tem evoluído de um conjunto básico de regras para uma complexa rede de fatores de classificação, aprendizado de máquina e milhares de ajustes — muitas vezes automatizados.

Mas não, essa jornada não é uma linha reta ascendente. É mais como uma montanha-russa, com altos e baixos ditados pelas inúmeras atualizações do algoritmo.

Cada nova mudança pode elevar um site ao topo da SERP ou afundá-lo nos resultados de busca.

O site First Page Sage fez um levantamento muito bacana dos principais fatores de ranqueamento para 2024. Dá uma olhada no top 5:

FatorPeso
Publicação consistente de conteúdo envolvente 21%
Palavras-chave em meta tags de título 15%
Backlinks 14% (em queda)
Especialização em nicho 14%
Envolvimento do usuário 11% (em queda)

Para os profissionais de SEO, isso significa uma constante busca pela adaptação, na tentativa de decifrar os movimentos seguintes do Google e antecipar como alcançar e manter o topo assegurado.

Componentes do algoritmo

O algoritmo do Google não é uma entidade que opera por mera intuição. Na verdade, ele segue diretrizes precisas, estruturadas em componentes-chave que, juntos, definem o destino de cada página na web.

Hoje, o Google define vários fatores como essenciais para seu ranqueamento — e isso na própria página onde explica como as buscas em sua plataforma funcionam:

fatores de ranqueamento

Vamos mergulhar nesses componentes para entender melhor como tudo funciona?

Índice de pesquisa

Imagine uma biblioteca gigantesca, mas em vez de livros, ela armazena páginas de sites e blogs.

Esse é o Índice de Pesquisa do Google.

Quando você realiza uma busca, o Google vasculha esse índice, procurando páginas que correspondam à sua consulta.

O processo começa com o Googlebot, um tipo de explorador digital que descobre e cataloga novas páginas, adicionando-as a essa biblioteca gigante.

Para os profissionais de SEO, garantir que uma página seja não apenas visitada pelo Googlebot, mas também adicionada ao índice, é o primeiro passo de qualquer estratégia. Você já fez isso?

PageRank

Agora, como o Google decide qual página é mais importante? Aqui entra o PageRank.

Cada página na internet recebe uma pontuação baseada na quantidade e qualidade dos links que apontam para ela.

Um link de um site renomado conta mais do que vários links de sites menos conhecidos.

Para quem trabalha na parte de análise de marketing, entender e melhorar o PageRank de um site significa — entre outras coisas — construir uma rede robusta de backlinks de qualidade, o que eleva a autoridade da página sob os olhos do Google.

Sinais de classificação

Por fim, mas não menos importante, temos os Sinais de Classificação.

Sabe do que se trata?

São os fatores que determinam a relevância e compatibilidade de uma página em relação à busca realizada pelo usuário.

Aqui, falo de vários, como a qualidade do conteúdo, a experiência do usuário, o uso estratégico de palavras-chave e a autoridade do website. Cada detalhe conta.

Para quem trabalha com SEO, decifrar e otimizar esses sinais significa a diferença entre se perder na multidão digital ou brilhar no topo dos resultados de busca.

Principais atualizações do algoritmo do Google

atualizações do algoritmo do google

Ao longo dos anos, o algoritmo do Google não somente se tornou mais robusto, mas mais seguro, tecnológico e inteligente. E suas mudanças são reflexos da nossa própria mudança como consumidores e, essencialmente, “buscadores”.

A forma que pesquisamos mudou muito dos anos 2000 até aqui — e o Google talvez foi a empresa que mais entendeu isso, justamente por testemunhar essa transformação conforme aprendemos a utilizar sua ferramenta.

Aqui, quero fazer um breve overview das principais e mais significantes atualizações do algoritmo desse buscador.

Em nota, vale adiantar: não vou abordar todos — seria realmente impossível — mas alguns que creio pontuar bem o início das buscas online, até o momento atual.

Vamos lá?

Update Florida – 2003

A primeira grande reviravolta no mundo do SEO. Essa atualização visava combater a manipulação de resultados que utilizavam técnicas como spam de links e keyword stuffing.

Mudou o jogo para sites que dependiam dessas táticas, forçando uma evolução para práticas mais orgânicas de SEO.

Update Panda – 2011

Focado na qualidade do conteúdo, o Panda penalizava sites com conteúdo fraco, duplicado ou pouco útil.

Assim, websites com conteúdo rico e valioso para o usuário ganharam destaque, alterando a forma como os criadores de conteúdo abordam a produção de material online.

Sua fama se deve ao grande baque que causou nos resultados de busca, enterrando links que antes eram unanimidade de sites comumente encontrados nas primeiras posições.

Update Penguin – 2012

O Penguin mirava em esquemas de links e keyword stuffing, promovendo uma internet mais limpa e relevante.

Assim, sites que praticavam técnicas éticas de construção de links se beneficiaram, enquanto outros tiveram que repensar suas estratégias de SEO.

Update Hummingbird – 2013

Introduziu uma compreensão mais profunda das consultas de busca, melhorando a capacidade do Google de interpretar questões conversacionais.

Na prática, significou um foco renovado na intenção de busca, influenciando a criação de conteúdo mais natural e informativo.

Update Mobilegeddon – 2015

Nome engraçado, certo? Foi um trocadilho criado pela comunidade, o nome real da atualização é “Mobile-Friendly Update”.

Como funcionava? O buscador passou a premiar sites mobile-friendly, refletindo a crescente importância da navegação via dispositivos móveis.

Assim, sites que não eram otimizados para mobile viram uma queda nos rankings, destacando a necessidade de design responsivo.

Update RankBrain – 2015

Foi a introdução do aprendizado de máquina na interpretação de consultas de busca, permitindo que o Google lidasse melhor com consultas nunca vistas antes.

Esse update enfatizou a importância de criar conteúdo que atenda às intenções de busca do usuário.

Update Diversity – 2019

Um pequeno, mas importante update de 2019.

Visou aumentar a diversidade nos resultados de busca, tornando mais raro ver várias páginas do mesmo domínio nos resultados principais.

Ou seja, encorajou os profissionais de marketing a diversificar suas estratégias de presença online.

Update Busca Local – 2019

E aí, você lembra dessa atualização?

Ela aprimorou os resultados da busca local com a introdução do “neural matching”, melhorando a capacidade do Google de entender como as palavras se relacionam com conceitos.

Desse modo, os negócios locais tiveram que otimizar ainda mais suas presenças online para aparecer em buscas relevantes.

Ou seja, apesar desses estabelecimentos terem que investir mais em SEO, foi algo que impulsionou o marketing digital para empresas que antes sequer o faziam.

Update BERT – 2019

Aqui, falamos de outro dos grandes updates.

O BERT é um algoritmo de processamento de linguagem natural (NLP) que ajuda o Google a entender melhor a nuance e o contexto das consultas de busca.

Na prática, resultou em uma melhora significativa da correspondência entre consultas e resultados.

Para as estratégias de SEO, o impacto foi bem direto: reforçou a necessidade de conteúdo bem escrito e contextualmente rico.

Update Page Experience para Mobile – 2021

Mais recentemente, essa atualização introduziu os Core Web Vitals como fatores de ranking para mobile, destacando a importância de uma experiência de página otimizada.

Assim, sites que oferecem uma navegação rápida e sem frustrações se destacaram.

No mesmo ano, o update foi ampliado para os desktops, o que torna os Core Web Vitals fatores essenciais para ranqueamento nas SERPs de dispositivos móveis ou de computadores.

Helpful Content Update – 2022

Outro grande update, o Helpful Content tem como foco promover conteúdo útil, feito por pessoas e para pessoas.

Essa atualização reiterou a importância de criar conteúdo genuíno e valioso, voltado principalmente para satisfazer as necessidades do usuário, não apenas os motores de busca.

Qual é a relação entre o algoritmo do Google e SEO?

Em poucas palavras? Um eterno jogo de gato e rato — assim que eu defino a relação entre SEO e o algoritmo do buscador.

Me diga: você já parou para pensar que, no fundo, todo o conceito de SEO (Search Engine Optimization) e SEM (Search Engine Marketing) gira em torno de decifrar essa caixa-preta que é o algoritmo do Google?

Basicamente, entender o algoritmo é a chave para desbloquear o topo das páginas de busca.

O trabalho de um SEO é basicamente esse: investigar, testar e aplicar estratégias que nos aproximem dos primeiros resultados de pesquisa.

Mas como?

Bem, começa com a qualidade do conteúdo. E não, não basta apenas criar conteúdo, tem que ser conteúdo de primeira, relevante, informativo, que realmente acrescente valor ao leitor. E claro, as palavras-chaves.

Mas não para por aí.

É necessário construir autoridade com estratégias de backlinks de qualidade, bem como otimizar as páginas do site para que sejam amigáveis tanto para os usuários quanto para o Googlebot.

Então, sim, nosso trabalho em SEO é um eterno jogo de tentativa e erro, uma busca incessante para entender o que faz o algoritmo do Google funcionar e como podemos nos alinhar a ele.

Agora, que tal entender mais sobre uma das principais inovações do mundo do SEO? Confira meu material sobre IAs generativas, onde discuto seu impacto no marketing digital. Baixe agora!

Conclusão

E assim, passamos pelo passado, presente e um pouco do que pode vir no futuro para o algoritmo do Google.

Desde o Update Florida até a revolução do Helpful Content Update, cada mudança nos ensinou a valorizar ainda mais a qualidade, a relevância e a experiência do usuário.

Mas, isso é fato: há muito mais no horizonte, com inovações como a ascensão da IA generativa, que vai redefinir as regras desse jogo (que nós também jogamos).

Como profissionais de SEO, eu sei como é estar sempre na busca de decifrar o algoritmo para que ele coloque nossos links nas primeiras posições da SERP.

E você, gostou do conteúdo? Caso tenha alguma dúvida, é só deixar na seção abaixo que responderei logo.

Obs: se você ou seu time ainda estão tateando o mundo do SEO, buscando alcançar aquelas cobiçadas primeiras posições da SERP, nossos consultores estão aqui para iluminar o caminho. Converse com meu time!

Perguntas frequentes sobre o algoritmo Google

Como funciona o algoritmo do Google?

O algoritmo do Google avalia páginas usando centenas de sinais para determinar sua relevância e autoridade, priorizando conteúdo útil e confiável nas buscas. Ele é constantemente atualizado para melhor atender às necessidades dos usuários.

Quais são os componentes do algoritmo do Google?

Componentes principais incluem o Índice de Pesquisa, PageRank, e sinais de classificação como qualidade do conteúdo, uso de palavras-chave, e experiência do usuário, todos trabalhando juntos para entregar os resultados mais relevantes.

Como funciona o sistema de busca do Google?

O sistema de busca do Google utiliza o Googlebot para rastrear e indexar páginas, depois usa seu algoritmo para classificar e exibir as mais relevantes com base na consulta de pesquisa do usuário.

Qual é a relação entre o algoritmo do Google e SEO?

O algoritmo do Google serve como o núcleo do SEO, guiando profissionais a otimizar sites para melhor visibilidade. A compreensão do algoritmo permite implementar estratégias eficazes para aparecer no topo dos resultados de busca.

NP Digital Brasil

Você quer resultados imediatos?

Minha agência pode fazer todo o trabalho pra você. Somos especialistas em:

  • SEO - Colocamos seu site no topo das pesquisas do Google
  • Mídia Paga - Fazemos seu negócio alcançar quem importa no momento certo
  • Data & Conversion Intelligence - Desbloqueamos as conversões do seu site e criamos dashboards para melhores análises

Fale com um especialista

Consultoria com Neil Patel

Compartilhe