Google Alerts: O Que É e Como Usar Alertas do Google no Marketing

Você já considerou aprimorar sua estratégia de marketing com o Google Alerts?

A gente sabe que é assim que funciona: Vivemos em um mundo onde as informações surgem de todos os lados e caem no nosso colo aos montes.

Fica quase impossível ter algum controle sobre o que está sendo dito.

Mensurar o quanto está sendo dito sobre determinado assunto é mais complicado ainda.

Da mesma forma, se torna quase impraticável distinguir no meio de tanta informação o que realmente importa.

No entanto, como profissional de marketing de conteúdo, é vital estar por dentro de absolutamente tudo o que está sendo dito.

Tanto pelos clientes quanto pela concorrência, assim como pelas suas referências de mercado.

Não há espaço para ser relapso ou omisso.

E como se manter a par de todas essas informações sem perder tempo com pesquisa ou tendo que separar o que é útil ou não no meio de tanta notícia?

É aí que entra o Google Alerts.

O Google Alerts é uma ferramenta pouco conhecida do Google, que colabora para que você sempre fique informado dos assuntos que mais são importantes para você.

Ela também é uma ótima ferramenta para ajudar você a encontrar novas ideias de conteúdo, além de se inteirar sobre o trabalho dos seus concorrentes, prospectar clientes e muitas outras possibilidades.

Quando se trata de turbinar sua estratégia de marketing de conteúdo de maneira rápida simples e, acima de tudo, sem custos, o Google Alerts é a grande pedida.

Para saber mais sobre estratégia de marketing em conteúdo, algum material auxiliar pode deixar as coisas ainda mais fáceis.

Você também pode se interessar por esses 8 Hacks de SEO dentro do Google Analytics, por esse artigo sobre como expandir sua estratégia de SEO no exterior e como otimizar conteúdos antigos e atingir a 1ª Posição no Google.

Para entender o poder do que o Google Alerts pode fazer por você e pela estratégia de marketing da sua marca, proponho um exercício.

Pense em uma palavra ou frase que você gostaria de saber quantas vezes foi publicada em algum site da Internet. Tente mensurar o número de resultados que você obteria.

Parece muito? E é mesmo. Mas com o Google Alerts esse trabalho fica simples.

Isso porque ao invés de realizar uma inspeção manual através de mecanismos de busca, com ele você recebe via email alertas sobre determinado tópico a cada nova matéria publicada na internet.

Você sabe que a quantidade de informações que se pode encontrar no Google é realmente imensa.

A empresa não divulga números oficiais, mas acredita-se que em 2014, só para se ter uma ideia, o número de páginas indexadas pelo Google era de 30 bilhões.

Por isso, mesmo que você saiba de alguma técnica ninja de refinamento de busca, ainda assim é trabalhoso demais investigar em todos os resultados obtidos até encontrar a informação que deseja.

No entanto, não há com o que se preocupar. O próprio Google já pensou em como resolver esse problema quando criou em 2003 o Google Alerts.

E hoje vamos aprender a tirar proveito disso, aprimorando sua estratégia de marketing e otimizando suas buscas por novo conteúdo ou informação.

Neste artigo, você vai aprender o que é o Google Alerts e aprender a utilizá-lo em sua estratégia de Marketing Digital.

Também encontrará dicas de utilização e um passo a passo para criar, editar e excluir seus alertas.

Depois de ler esse artigo você ficará totalmente por dentro de todas as possibilidades do Google Alerts e estará apto para começar a usá-lo em favor da sua marca de modo imediato.

Vamos lá?

O Que é Google Alerts?

Antes de mais nada, o Google Alerts é um serviço do Google que detecta novos conteúdos indexados pelo motor de busca e notifica por email seus usuários cadastrados.

Esses novos conteúdos podem incluir páginas da web, notícias, artigos, posts de blog etc, o que torna a abrangência do serviço extremamente ampla.

A ideia do Google Alerts surgiu em 2003 pelas mãos do engenheiro do Google Naga Kataru.

De início, a ferramenta era usada prioritariamente para clipping de notícias que diziam respeito a clientes de assessoria de imprensa, por exemplo.

Atualmente já existem recursos similares mais avançados que o Google Alerts, dentre os quais podemos citar o Moz e SEMrush.

Ainda assim, o Google Alerts segue firme como principal escolhido entre os desenvolvedores e produtores de conteúdo.

Isso se deve tanto pelo peso que a marca Google impõe quanto pelas próprias funcionalidades que se destacam na ferramenta.

Entre elas, o fato do Google Alerts ser gratuito e fácil de usar, com layout limpo e totalmente intuitivo para quem não quer perder nenhuma novidade sobre determinado assunto.

Mas esses são apenas alguns dos benefícios do Google Alerts. Falaremos mais sobre eles a seguir.

Benefícios do Google Alerts Para Sua Estratégia de Marketing

Quando você usa o Google Alerts, consegue ter um panorama muito mais amplo sobre como seu produto ou marca é visto pelo público.

Para ficar mais claro, considere esse exemplo: Você cria um alerta no Google para cada vez que o nome exato da sua marca é mencionado na internet.

Cada vez que falarem da sua marca, você ficará sabendo.

Esse é um modo incrível de ter um controle muito maior sobre como a sua empresa é vista pelos consumidores e até pelos concorrentes.

Tudo isso ao alcance de um clique, podendo ser consultado a qualquer momento.

Esse tipo de informação privilegiada dá a você uma enorme vantagem sobre seus concorrentes.

Sabendo como sua marca é vista e falada, você tem a chance de aprimorar sua estratégia de marketing, pois tem a chance de saber sobre oportunidades de negócios e principais mudanças de mercado muito antes que o público em geral.

É como se o Google Alerts fosse uma secretária que avisasse você de tudo o que precisa saber.

Mas se trata de um profissional muito mais dedicado, que trabalha 24 horas por dia, 7 dias por semana, sem falha.

Passo a Passo Como Criar Um Alerta do Google

O Google Alerts é uma ferramenta valiosa para o marketing digital, por isso se torna fundamental você fazer uso dela em sua empresa.

A configuração do Google Alerts é de fato muito simples. Mesmo os que têm pouca experiência com computadores podem se beneficiar desse recurso em poucos instantes.

Na obra “Google Hacks: Tips & Tools for Finding and Using the World’s Information”, em inglês, os estudiosos Rael Dornfest, Paul Bausch e Tara Calishain trazem dicas poderosas para a utilização do Google Alerts.

Você pode usar esse material como apoio.

Mas para ser bem prático e ir direto ao ponto, podemos começar agora mesmo.

Nos tópicos a seguir, vamos ensinar você a configurar o Google Alerts para que não perca nenhum conteúdo relevante para a sua empresa e a sua estratégia de marketing.

#1 Como Criar um Alerta

Tudo o que você precisa para começar é acessar a página central do Google Alerts por este link.

Logo em seguida, você deverá fazer login em sua conta do Google, para o caso de ainda não estar automaticamente logado, e configurar seus alertas na tela que aparecerá a seguir.

As opções disponíveis podem ser detalhadas nessa página inicial.

A primeira de todas as seções é a de “Meus alertas”, onde você pode editar os alertas já criados, se existir algum, e definir qual é o horário em que deseja recebê-los na caixa de entrada do seu email.

Você também pode deixar marcada a opção “Digest”. Essa funcionalidade é bastante interessante de se manter ativa, pois entrega as novidades relacionadas ao alerta em uma mensagem de email única.

A frequência dessa mensagem pode ser definida entre duas opções: “no máximo uma vez por dia” ou “no máximo uma vez por semana”.

Na segunda divisão você encontra a seção “Eu na web”. Aqui você pode criar um alerta com seu próprio nome ou email já cadastrados. Você pode fazer isso clicando no símbolo de “+”.

Por fim, temos as “Sugestões de alertas”, que serve para dar ideias de empresas, artistas, filmes e outros temas que são tendência na atualidade.

Você pode criar um alerta também sobre esses temas com apenas um clique.

Para criar um novo alerta, o que você precisa fazer é digitar o termo desejado na busca.

Vamos usar como exemplo “balanço anual”. Fica melhor se você escrever entre aspas o tema escolhido. Isso ajuda a obter resultados precisos.

Fazendo isso, o próximo passo é clicar em “Mostrar opções” e configurar seus alertas.

São possíveis ainda algumas customizações como a frequência com que deseja receber seus alertas.

Pode ser quando você estiver disponível, no máximo uma vez por dia ou no máximo uma vez por semana.

Você também pode definir de que fonte quer que esses alertas venham. De sites de notícias, blogs, web, vídeos e outros.

Também é possível definir idioma e país em que o conteúdo foi publicado, além de poder definir se quer ver somente os melhores resultados ou todos.

Não esqueça de colocar em qual endereço de email quer receber todos esses alertas.

Feito tudo isso, o Google Alerts mostrará uma pré-visualização dos últimos resultados que foram indexados pelo Google para o termo determinado por você.

Revise suas preferências, analise a pré-visualização e, se estiver tudo de acordo com as suas vontades e necessidades, é só clicar em “Criar alerta”.

Escolhendo as Palavras-Chave Que Você Quer Receber Conteúdo

Quando você acessa o painel de controle do Google Alerts, a primeira coisa a fazer é selecionar quais são os temas sobre os quais você quer que o recurso alerte você.

Pensando na sua estratégia de marketing digital, procure escolher palavras que se relacionam com sua marca e seus produtos.

Tente ser tão assertivo quanto possível.

Por exemplo, se você vende camisetas azuis de linho, colocar apenas o termo “camiseta” como alerta será algo amplo demais e provavelmente trará até você resultados de pouca ou nenhuma relevância.

Procure um meio termo que possa trazer resultados com algum valor para a sua campanha.

No caso do exemplo citado acima, o termo “camiseta de linho” pode ser uma boa escolha, apenas para se ter uma ideia.

Definindo Um Email Para Receber o Conteúdo

Se você não estiver logado em uma conta do Google quando for configurar seus Google Alerts, será necessário definir para qual email seus alertas devem ser enviados.

Caso esteja logado, as mensagens irão automaticamente para o seu contato de login.

De qualquer modo, é um processo bem simples e rápido.

Independentemente de qualquer coisa, tenha em mente que o email definido por você como o que receberá as correspondências do Google Alerts deve ser de fácil acesso.

Priorize o contato que você mais usa e acessa, assim não corre o risco de deixar de ver as mensagens enviadas pelo Google Alerts.

Definido isso, basta apenas que você digite o email escolhido na caixa “digitar email” e a configuração deste item estará concluída.

Recebendo Alertas Relacionados a Palavra-Chave Pré Estabelecida

O início do funcionamento do Google Alerts é imediato.

Assim que você termina de configurar seus alertas, já começa a receber em seu email listas dos conteúdos encontrados na internet de acordo com os termos especificados e definidos por você no Google Alerts.

Fique atento caso você tenha definido muitas palavras-chave.

Se acontecer da sua caixa de entrada de emails ficar muito lotada por conta disso, existe uma solução prática. O que você precisa fazer é criar um filtro para o email googlealerts-noreply@google.com.

Desse modo, todos os emails que chegarem do Google Alerts serão redirecionados para esse filtro, centralizando as mensagens em um lugar só e deixando sua caixa de email organizada.

Frequência de Emails

Por mais que seja interessante ficar por dentro de tudo o que está sendo falado dos temas do seu interesse, ter sua caixa de correspondência constantemente avisando que chegou email novo pode ser um pouco estressante.

O Google Alerts pensou nisso e desenvolveu uma solução bastante prática.

Ao clicar no botão “mais opções” você tem a possibilidade de customizar ainda mais seus alertas e definir a frequência com que recebe emails da ferramenta.

Os ajustes vão além, sendo possível determinar com qual frequência deseja receber alertas, quais as fontes favoritas, os idiomas prediletos, as regiões que são prioridade, além de poder dizer se quer ver todos os resultados ou apenas os melhores.

O Google Alerts também dá a opção de receber atualizações “instantâneas”, “uma vez por dia” ou “uma vez por semana”.

Você pode escolher qual atende melhor suas necessidades e mudar sempre que preciso.

Desse modo, você decide quantos alertas receberá e conquista um controle maior sobre a ferramenta, deixando de correr o risco de ser surpreendido por uma quantidade absurda de emails na sua caixa de entrada.

Você Pode Determinar os Tipos de Sites Exibidos

A internet é um mar de informação, isso é fato.

Diariamente temos acesso a essas informações nos mais diversos formatos.

Com o tempo, acabamos desenvolvendo preferência e confiança maior em determinado formato em detrimento de outros.

Sabendo disso, o Google Alerts tem um recurso para filtrar qual será a fonte de informações do seu alerta.

Você pode escolher entre notícias, blogs, vídeos e discussões. Pode escolher mais de um item ou todos, se for o caso.

Analise bem sua estratégia de marketing e veja o que funciona melhor para você e para a sua marca.

Idioma

Você pode configurar o idioma dos alertas.

Essa é uma função muito importante principalmente se você lida com negócios internacionais ou visa construir relações com marcas de outros países.

Definindo as palavras-chave da sua preferência, configure também em quais idiomas essa busca deve ser feita pelo Google Alerts para você.

Desse modo, seu radar se amplia e atinge todas as informações que você precisa ter acesso.

Origem Geográfica

Além de idioma, origem geográfica é outro item de busca que pode ser definido por você no Google Alerts.

Se você está prospectando negócios em países estrangeiros ou mesmo quer saber como é aceitação do seu produto fora de sua terra natal, pode contar com uma ajudinha do Google Alerts.

É uma maneira prática e altamente eficaz de acompanhar as últimas notícias sobre o assunto do seu interesse que venham de uma área geográfica específica.

Assim você não deixa nenhuma informação passar.

#2 Como Editar um Alerta

Saber tudo o que está sendo falado sobre o assunto do seu interesse é ótimo, mas isso não quer dizer que o modo de tratar esse assunto será sempre o mesmo.

Eventualmente, você precisará “realinhar as rotas” dos seus alertas para que eles possam se adequar com perfeição às suas necessidades.

O Google Alerts possibilita que se edite os seus alertas com total praticidade, sempre que precisar.

Tudo o que você precisa fazer é acessar a páginas do Google Alerts e encontrar seus alertas.

Ao lado do alerta que precisa de modificações, clique em “Editar”. Este é o procedimento padrão, mas caso você não encontre nenhuma opção, clique em “Mostrar opções”.

Isso deve resolver. O próximo passo é fazer as alterações de que precisa e então clicar em “Atualizar alerta”.

Você também pode alterar a forma com que você recebe seus alertas. Por tanto, clique em “Configurações” e então marque as opções desejadas. Por último, clique em “salvar”.

E pronto, seus alertas estão atualizados e novamente de acordo com as necessidades da sua estratégia de marketing!

#3 Como Excluir um Alerta

Da mesma forma que você pode precisar editar seus alertas para adequá-los a novas necessidades, também pode acontecer de alguns de seus alertas simplesmente se tornarem desnecessários.

Quando você está atento ao seu negócio, é fácil diagnosticar isso.

O Google Alerts não se priva de ajudar você também nesse ponto. Mais uma vez, o procedimento todo é extremamente simples.

Você precisa apenas acessar o Google Alerts e, ao lado do alerta que deseja remover, clicar em “Excluir”.

Outra possibilidade de exclusão de alertas se mostra disponível nos próprios emails recebidos com novidades do alerta em questão, sem que você precise acessar a página do Google Alerts.

Abrindo a correspondência, tudo o que você precisa fazer é clicar em “Cancelar inscrição” na parte inferior do email de alerta.

Rápido e fácil você encerra a questão.

Google Alerts e Sua Estratégia de Marketing Digital

Chegando até aqui, você já pode ter uma noção do que é o Google Alerts e de como é simples configurá-lo, não é mesmo?

Agora você deve estar se perguntando como essa poderosa ferramenta e tudo o que ela entrega podem ser usados em seu benefício na estratégia de marketing digital da sua empresa.

É fato que qualquer analista de marketing, seja marketing digital ou tradicional, precisa estar atento ao que acontece em seu mercado.

O Google Alerts pode ser extremamente útil para a sua gestão, sendo uma ferramenta que faz a diferença na hora de monitorar e criar conteúdo para a sua marca.

A seguir, trazemos algumas ideias de aplicação direta do Google Alerts para a o marketing da sua empresa.

Acompanhe o Que Está Sendo Falado Sobre um Determinado Tópico

Pense em quanta informação de qualidade, selecionada de maneira otimizada, você pode ter acesso com o Google Alerts.

Com ele, você pode criar alertas sobre determinado tema para não perder nenhuma novidade.

Além disso, uma outra opção para se levar em conta é usar o Google Alerts em conjunto com o Google Trends, ferramenta que dá uma lista das histórias mais importantes das últimas 24 horas.

Desse modo, você fica por dentro do que as pessoas estão comentando e pode programar o Google Alerts para enviar atualizações para o seu email.

Se o seu foco é notícia, o Google Alerts pode ajudar também.

O recurso permite que você crie um alerta para enviar atualizações toda vez que algum site publica sobre o assunto especificado por você.

Você pode optar entre ser avisado a cada publicação ou, se preferir, receber um resumo diário ou semanal das notícias.

É importante salienta que quando você seleciona para receber apenas notícias, o Google Alerts faz uma seleção prévia do conteúdo mais confiável e de qualidade naquele contexto.

No entanto, no email do alerta, você ainda tem a opção de destacar determinados sites como irrelevantes, deixando de receber qualquer notificação a respeito deles.

Se você precisa ficar por dentro do que estão falando do seu produto ou marca em outros países e idiomas, também pode configurar alertas nesse sentido.

Funciona de modo muito parecido com a pesquisa normal do Google: basta colocar mais termos e refinar seus alertas.

O Google Alerts também é ótimo para quem trabalha diretamente com conteúdo e precisa sempre renovar seu estoque de ideias.

Você pode criar um alerta no Google com os temas que são do seu interesse profissional.

Por exemplo, se você escreve sobre cinema, pode receber as últimas novidades sobre esse tema direto em seu email, apenas utilizando essa palavra.

Uma outra dica é monitorar seu próprio blog ou site, adicionando nas opções para aparecerem somente “os melhores conteúdos”.

Dessa forma, sempre que você receber um alerta sobre um post seu nos emails, saberá que o conteúdo está sendo considerado pelo Google como um dos melhores.

Sua estratégia de marketing pode ser aprimorada consideravelmente com apenas essas práticas. Mas é possível melhorar ainda mais. É o que veremos a seguir.

Adquira Novas Ideias Para Sua Estratégia de Conteúdo

Quando se trata de marketing de conteúdo, você precisa estar sempre inovando. Isso é fato.

https://www.youtube.com/watch?v=SEPSz5WNwig

Com o Google Alerts, você tem a chance de descobrir tudo o que as pessoas estão falando sobre os mais diversos assuntos, inclusive em outros idiomas e países.

Isso amplia o seu conhecimento e coloca você em contato com diferentes ideias, projetos e perspectivas.

Usar o Google Alerts para detectar tendências é uma maneira muito prática e inovadora de se ter sempre novas ideias de pauta para produzir conteúdo para o site ou blog da sua marca.

Indo além, é possível encontrar inspiração e conteúdo até para a produção de itens mais extensos do que um artigo de blog, como um ebook, por exemplo.

Conteúdo Para Redes Sociais

Você também pode encontrar muitas referências de conteúdo de redes sociais no Google Alerts.

Imagine que você ainda não domina muito bem a parte de conteúdo e precisa atualizar as redes sociais da sua marca com textos.

Utilizando o Google Alerts como fonte de pesquisa e programando alertas com temas que se referem ao conteúdo sobre o qual você precisa falar, é possível encontrar maneiras de desenvolver seu texto através da observação das marcas similares.

Além disso, o Google Alerts é uma ótima fonte de novidades que valem a pena compartilhar com seu público, o que enriquece e facilita muito a sua própria curadoria.

Encontre Oportunidades Para Link Building

Eles ainda são um dos principais fatores de rankeamento do Google. Estamos falando dos links externos, que são ótimos para gerar links por menções à sua marca.

Tudo o que você precisa fazer para criar esse link building e usar links externos para fortalecer os seus próprios é cadastrar o nome da sua marca e também variações dele, como sem espaço ou com alguma característica específica, no Google Alerts.

Quando receber um alerta, verifique se a menção possui link para seu site ou blog. Se não for o caso, o passo seguinte é entrar em contato com o responsável pela publicação e solicitar o link.

Assim fica muito mais fácil controlar o que está sendo dito sobre a sua empresa e se beneficiar disso fazendo com que a conversa converta para ela.

Dicas Para Usar o Google Alerts

Como já falamos, existem vários sistemas de alerta por aí, mas o sistema do Google é o mais potente por ter o grande diferencial de contar com o motor de busca mais rico do mercado.

Consequência disso, o Google Alerts se beneficia de toda a capacidade de pesquisa da busca do Google para encontrar toda e qualquer informação em qualquer lugar, sobre o que você quiser.

Se trata de um recurso dos mais competitivos para a sua empresa na hora de fazer benchmarking, marketing de conteúdo, inbound marketing ou qualquer estratégia que queira usar, inclusive para monitorar a concorrência ou equivalentes.

A seguir, traremos algumas dicas complementares de como usar todo esse arsenal tecnológico a seu favor.

Busque Por Palavras-Chave de Cauda Longa

“Quando consumidores possuem escolhas infinitas, a verdadeira demanda se revela.”

– Chris Anderson, editor-chefe da revista Wired e CEO da 3D Robotics

Você já ouviu falar em “cauda longa”? O termo se popularizou há alguns anos com o famoso livro de Chris Anderson, A Cauda Longa – Do mercado de massa para o mercado de nicho.

Cauda Longa é uma forma de descrever e explicar a estratégia de atacar várias coisas com pouca demanda, em detrimento a atacar poucas coisas com muita demanda.

Por exemplo como quando a Americanas vende vários itens populares, de alimentos até roupas e O Boticário, por outro lado, vende apenas cosméticos.

No conceito de palavras-chave, a cauda longa tem uma aplicação bastante específica que potencializa os resultados no marketing, como podemos ver no gráfico do site Eliance, demonstrado a seguir:

Observe atentamente o gráfico. Note como os itens mais “genéricos” possuem maior demanda, porém essa demanda é limitada pela quantidade.

Enquanto isso, os itens mais específicos, que fazem parte da cauda longa, possuem menor demanda, mas possuem tantas opções que acabam superando os “genéricos” em quantidade.

Analisando esse conceito sob a ótica do varejo, entendemos que trabalhar com produtos que fazem parte da cauda longa tornam o investimento mais rentável no acumulado total.

E se avaliarmos esse mesmo conceito sob a ótica da estratégia de marketing digital da sua empresa, chegamos à conclusão de que usando palavras do tipo cauda longa você obterá muito mais sucesso do que usando as palavras mais comuns.

Mas quando levamos esse conceito para o marketing, quais são palavras-chaves cauda longa?

Nesse meio, palavras-chaves cauda longa normalmente são formadas por três ou mais palavras, criando uma pequena frase e representando uma busca mais assertiva e personalizada.

Essas palavras acabam por representar uma chance da marca se diferenciar nas buscas de seus clientes tanto com a compra de palavras-chave no Google quanto com a execução de um SEO focado.

Dessa maneira, deixamos os termos genéricos de lado e damos preferência a palavras-chave mais específicas, que se alinhem com mais propriedade com o conteúdo que você pretende divulgar.

Fazendo uso de palavras-chaves que representem com mais propriedade a intenção da sua busca você também segmenta as suas visitas, trabalhando melhor a atração dos seus leads.

É claro que quando você analisa friamente, essa parece uma estratégia arriscada. Afinal, estamos falando aqui de usar palavras com um volume menor de busca.

No entanto, é preciso atentar que serão mais palavras utilizadas. Assim, ainda que um número menor de usuários busque por aquela palavra, serão tantas disponíveis que acaba compensando.

Outro fato que não pode ser esquecido é que a estratégia com cauda longa é mais humanizada.

Ao fazer uso de várias palavras, ele emula a forma como as pessoas normalmente fazem suas pesquisas, o que acaba representando um ganho substancial de acessos e converte em uma visibilidade muito maior.

Isso sem nem mencionar a forma como essa estratégia contribui para o aumento da qualidade do seu anúncio no Google AdWords.

Em artigo recente na revista Wired, Chris Anderson cita uma pesquisa de Erik Brynjolfsson, Jeffrey Hu e Michael D. Smith que é muito interessante para o que estamos tratando aqui.

A pesquisa focou no uso da cauda longa para demonstrar a relação entre as vendas da Amazon e os rankings dos produtos.

O que ela mostrou? A pesquisa comprovou que uma parte considerável das vendas de livros da gigante Amazon são oriundos de livros que não se acham em lojas físicas e só são encontrados através de busca na internet.

Isso só reforça o poder da cauda longa para a marketing.

Apresentamos agora um exemplo de cauda longa para ser analisado na prática.

Imagine que você tem um site que venda artigos esportivos e queira se destacar na busca do Google de forma orgânica, tendo também as primeiras posições anunciando pelo AdWords.

O uso de palavras-chave como loja patins, patins tradicionais, patins online, dentre outras que são bem genéricas, pode fazer com que o consumidor não chegue até a sua página, posto que a concorrência entre esses termos é muito grande.

Quando falamos em mídia paga é ainda mais complicado, já que nesse caso você ainda estará investindo financeiramente sem garantias de que visitante será levado a comprar.

Para contornar essa situação, você pode apostar em palavras-chave cauda longa que especificariam os interesses desse consumidor como: patins novos, patins usado, onde comprar patins, preço patins e etc.

São palavras que possuem média mensal de pesquisas menor do que simplesmente “patins”, mas, em compensação, são palavras que aumentam as chances de compras com o consumidor interessado.

Isso porque essas palavras indicam interesses diretos, especificados de uma forma mais clara.

Dessa forma, são palavras que geralmente possuem uma taxa de conversão maior, assim como uma concorrência menor que a habitual.

Além disso, é importante dar atenção aos termos pelo direcionamento que eles dão ao consumidor.

Cabe lembrar que eventualmente o consumidor usa expressões mais informais em sua busca.

No caso do exemplo, pode ser algo como: como encontrar o patins certo, como escolher patins, marca boa de patins e etc.

Não esqueça de levá-las em consideração também.

Por outro lado, também existem os consumidores já em um momento avançado em sua jornada de comprar.

Esses procuram por textos mais comerciais, indo direto para termos como: comprar, alugar, desconto, cupom, promoção e etc.

Não deixe de considerar que o objetivo maior de usar as palavra-chave cauda longa não é manipular os sistemas de busca, mas sim entender melhor o que sua clientela está buscando.

Usar corretamente as palavras-chave de cauda longa em Marketing Digital é primordial para que seu site receba visitas de maior qualidade e tenha resultados melhores.

Busque Por Palavras-Chave Negativas

Palavras-chave negativas são aqueles termos que você não quer se sejam incluídos no rastreamento do seu Google Alerts.

Isso é muito comum quando um mercado ou nome de marca é normalmente relacionado com tópicos de conversa irrelevantes para o negócio.

É aí que entra o filtro.

Por exemplo, se uma empresa vende apenas uniformes de enfermagem, deverá adicionar como palavras negativas termos como “escolares”, “colégio” e “escola” para que não rastreie conversas sobre uniformes escolares.

Monitore os Grandes Influenciadores e Experts do Seu Nicho

Use o Google Alerts também para aprender.

Você pode configurar seu Google Alerts para receber inspirações de seus grandes influenciadores e experts no seu ramo de trabalho.

Isso é muito útil para manter você sempre antenado com o que está acontecendo no mundo e por dentro do que as grandes mentes estão pensando.

Monitore as Dúvidas e Problemas do Seu Nicho de Mercado

Outra forma de usar o Google Alerts é para monitorar as dúvidas e problemas do seu nicho.

Como profissional, você sabe que se manter conectado com a sua área de atuação é fundamental para a saúde do seu negócio.

É necessário estar sempre ligado para o que acontece além do seu domínio.

Invista um pouco do seu tempo em buscar saber o que o público tem dito sobre seu produto no que se relaciona a dúvidas e problemas.

São questões que ajudam a crescer e apontam caminhos muitas vezes não pensados ainda.

Monitore os Seus Concorrentes

Saber o que estão falando de você não é o suficiente. Você precisa saber também o que estão falando dos outros.

O Google Alerts é uma ferramenta ótima para monitorar a concorrência.

De forma simples e prática você fica sabendo de tudo o que eles estão produzindo e onde estão inovando.

Use esse conhecimento a seu favor.

Monitore a Sua Base de Clientes Atuais e Prospects

Outra funcionalidade importantíssima do Google Alerts: você pode usá-lo para monitorar tudo o que sai na internet sobre seus potenciais e atuais clientes.

É bom ter esse controle.

Assim, qualquer novidade pode ser usada em benefício da sua empresa e você dificilmente será surpreendido por algo inesperado em uma negociação ou prospecção com novos clientes.

Saiba o Que Estão Falando Sobre Você e Sua Empresa

Uma última dica que não pode ser deixada de lado: adicione o nome da sua empresa ou o endereço do seu site no Google Alerts.

É o que chamamos de “ego search” e funciona muito bem para fazer o acompanhamento do que as pessoas estão falando da sua marca.

Além disso, abre a chance de estabelecer um diálogo com seu público e responder a possíveis elogios, reclamações ou dúvidas.

Conclusão

Agora você é capaz de confirmar: o Google Alerts é uma ferramenta incrivelmente fácil de configurar e usar.

E o melhor de tudo? É gratuita, então você pode testar bastante, o quanto precisar, até descobrir como funciona melhor para as necessidades da sua empresa.

O Google Alerts pode ser usado na obtenção de ideias de conteúdo, para acompanhar notícias que são veiculadas sobre a sua empresa e sobre seus concorrentes, além de ser um bom modo de pesquisar referências.

As possibilidades são inúmeras, como vimos por aqui.

Ainda nesse assunto, não deixe conferir esse artigo com dicas de 9 ferramentas gratuitas de marketing para superar seus concorrentes.

Estes artigos também podem ser bastante úteis, confira:

Se você já utiliza os Google Alerts, não deixe de comentar e compartilhar sua experiência. Ela pode ser muito enriquecedora para os outros leitores!

Do mesmo modo, se você ainda é novato no tema, a caixa de comentários é o lugar ideal para depositar suas dúvidas.

O que está esperando para começar a usar o Google Alerts de maneira otimizada e dar um gás na estratégia de conteúdo da sua empresa?

Compartilhe