Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Dashboard: guia definitivo

dashboard

Dashboard é um painel visual que contém informações, métricas e indicadores da empresa. A ideia é que nele estejam representados os números relevantes para a estratégia de negócio e para o alcance dos objetivos organizacionais.

Trata-se de uma ferramenta gráfica que possibilita o monitoramento visual de números, métricas e KPIs. Geralmente, é monitorado por toda a equipe e serve para embasar decisões e acompanhar o desempenho da empresa.

Na prática, esse painel direciona o olhar da equipe para os dados, que são verdadeiros termômetros que indicam erros e acertos na performance.

Em meus negócios, eu sempre uso dashboard. Na minha opinião, é uma alternativa que pode ajudar (e muito) o dia a dia da gestão e o fluxo de trabalho.

Quer saber mais sobre o assunto? Vou me aprofundar no tema e explicar o que é, como criar e por que fazer um dashboard. Interessou? É só seguir a leitura:

Antes, um recado: eu e meu time trabalhamos em um guia definitivo com as principais estratégias de marketing digital. Tudo, de A a Z. Que tal conferir? É só baixar de graça:

O que é dashboard?

Dashboard é um painel visual que contém informações, métricas e indicadores da empresa. A ideia é que nele estejam representados os números relevantes para a estratégia de negócio e para o alcance dos objetivos organizacionais.

A partir dos dados da empresa, são selecionados os mais relevantes para o fim específico do painel.

É possível incluir, por exemplo, números de vendas, marketing, projetos ou qualquer tipo de desempenho organizacional.

Um dashboard serve para o monitoramento de dados em tempo real.

Seja para otimizar processos, seja para acompanhar a performance e crescimento da empresa.

E essas informações devem ser representadas com fácil compreensão visual.

Então, o mais comum é o uso de gráficos e tabelas para mostrar os indicadores e métricas.

O ideal, ainda, é que essas informações sejam compartilhadas, e não restritas à liderança.

Por isso, geralmente, o painel de gestão é disponibilizado em uma grande tela de TV para que esteja à vista de todos os colaboradores.

Para que serve um dashboard?

A tendência é que as empresas lidem com quantidades de dados cada vez maiores para embasar as decisões e criar estratégias.

Bem, o uso de números é eficaz para aumentar a assertividade dessas decisões. Mas não adianta simplesmente dispor de dados.

É preciso saber como extrair insights e interpretações a partir deles.

Um passo fundamental, então, é visualizar os dados de forma organizada. E é justamente para isso que serve o painel de informação. Afinal, ele mostra, em uma única tela, informações importantes do negócio.

Ou seja, na prática, é mais fácil acompanhar métricas e indicadores, o que permite melhorar as decisões feitas dentro da empresa.

Se uma estratégia não traz os resultados esperados, os números indicam que é preciso alterá-la, por exemplo.

Sendo assim, de forma geral, o painel de gestão tem as seguintes funcionalidades:

  • Mostrar indicadores e métricas de forma objetiva e clara
  • Embasar a tomada de decisão
  • Acompanhar o desempenho da empresa
  • Facilitar o monitoramento de dados.

Mas há ainda outra funcionalidade importante do dashboard:

Ela consiste em promover a transparência corporativa, colocando as informações à disposição de colaboradores de diferentes setores.

Com isso, o intuito é incentivar que mais pessoas tomem decisões e contribuam com ideias para o negócio.

E que cada colaborador se sinta engajado em relação aos objetivos organizacionais.

Dá para dizer que o dashboard é uma ferramenta que compõem a gestão à vista.

Quais dados podem ser visualizados em um dashboard?

A resposta curta? Qualquer coisa que seja mensurável. Um número, métrica importante ou dado relevante.

Ao comandar um negócio — ou setores dentro dele — há sempre 5 métricas que você tem que ficar de olho: as operacionais, estratégias, financeiras, comerciais e de marketing.

Bom, aí já estão 5 guarda-chuvas diferentes de dados que podem compor seu painel visual.

O importante aqui é entender quais números visualizar em relação ao objetivo por trás do painel de indicadores.

Mas veja bem: dificilmente essa ferramenta é utilizada só por utilizar. Ninguém acorda e fala “que vontade de criar um dashboard de vendas!”. Essa é uma ferramenta para ajudar você a visualizar seus objetivos.

O processo é mais ou menos assim:

Precisamos aumentar o lifetime value da nossa base de clientes, mas para isso precisamos monitorar algumas métricas importantes, como churn rate, custo de aquisição de cliente e taxa de fidelização.

Então, como você monitora tudo isso? Se pensou em “dashboard”, está no caminho certo.

Conceito de gestão à vista 

dashboard e o conceito de gestão à vista

O conceito de gestão à vista consiste em deixar indicadores e informações relevantes sobre os processos e o desempenho da empresa à mostra para toda equipe.

Ou seja: todos sabem qual é a real situação da empresa, quais projetos estão progredindo conforme o esperado e quais pontos devem ser corrigidos.

Um dos principais benefícios da gestão à vista é que ela permite que todos os colaboradores conheçam a sua importância para os resultados organizacionais.

Afinal, uma empresa é composta de processos e etapas de trabalho.

Se uma etapa não é bem executada, impacta negativamente nas próximas.

Mas, com a gestão à vista, a performance de cada processo é monitorada. O objetivo é que todos os colaboradores e líderes fiquem engajados em objetivos organizacionais comuns.

Para isso, o painel de resultados é uma ferramenta eficaz, porque deixa as informações visíveis a todos.

Os 3 tipos de dashboard

Dá para criar diferentes tipos de painéis, conforme a necessidade da empresa.

Por isso, na sequência, elenquei três deles que você pode colocar em prática para controlar a performance. Conheça:

Dashboard Operacional

O dashboard operacional, como o próprio nome diz, contém métricas referentes às operações da empresa.

Portanto, esse tipo de painel é usado por gestores e analistas que desejam acompanhar o desempenho dos processos organizacionais.

Seu objetivo é que, por meio da análise dos números, erros possam ser identificados.

Tudo para que os processos sejam continuamente otimizados na empresa.

É o caso, por exemplo, de uma transportadora que acompanha métricas no painel de gestão em relação às entregas realizadas, de maneira a identificar atrasos e erros rapidamente.

Ou de uma agência de marketing que acompanha métricas sobre os anúncios criados para os clientes com o objetivo de analisar os resultados.

Dashboard​ Tático

O dashboard tático apresenta indicadores que contribuem para a tomada de decisão.

Sobretudo para que a empresa alcance objetivos de médio prazo.

É por isso que ele recebe o nome “tático”, uma vez que faz parte da estratégia de negócio.

Nesse tipo de painel, insira indicadores-chave de performance, os KPIs, que sejam relevantes para avaliar a eficácia ou erros na estratégia da empresa.

Dashboard Estratégico

Já o painel de gestão estratégico apresenta KPIs relevantes para a validação da estratégia de negócio.

Dessa forma, fica mais fácil identificar quando ela não está funcionando e precisa ser alterada.

E até mesmo projetar um plano de ação visando ao crescimento da empresa.

A ideia é que as informações sejam comparadas com o registro histórico como forma de acompanhar a evolução dos resultados organizacionais.

Entre os dados que podem ser incluídos no dashboard estratégico estão, por exemplo, métricas de vendas e do financeiro.

Principais erros ao montar um dashboard

Ao montar um dashboard, é fácil cair em armadilhas que comprometem sua eficácia. Afinal, quem nunca se deparou com um painel informativo que mais confunde do que esclarece?

Agora, o que você deve prestar atenção ao montar seu quadro de dados? Veja minhas dicas:

Primeiro, a escolha dos dados.

Você já se perguntou se está realmente representando o que precisa? Um erro clássico é sobrecarregar o painel de gestão com uma avalanche de dados irrelevantes.

Imagine um gestor em busca de insights rápidos que se depara com um mar de números.

A dica de ouro é: menos é mais. Foque nos KPIs que realmente importam.

E a organização das informações?

Aí está outro ponto crítico. Um dashboard bem-sucedido não é apenas uma coleção de gráficos, mas uma história bem contada.

Por exemplo, ao apresentar dados de vendas, comece com os números gerais e depois detalhe por região, produto ou equipe.

Assim, você contribui para uma leitura mais fluída e intuitiva.

E as cores?

As mais vibrantes podem chamar a atenção para pontos importantes, mas em excesso, transformam o painel de indicadores numa confusão visual.

Já pensou em usar o vermelho para indicadores críticos e o verde para metas alcançadas?

Esse contraste não apenas embeleza, mas facilita a interpretação dos dados.

Afinal, a teoria das cores não está aí à toa.

Por fim, a visualização.

Gráficos errados para o tipo de dado podem levar a interpretações equivocadas.

Por exemplo, um gráfico de linhas é excelente para mostrar tendências ao longo do tempo, enquanto gráficos de barra são ideais para comparações.

Escolher o tipo errado é como tentar encaixar uma peça quadrada em um buraco redondo — simplesmente não funciona.

Lembre-se: evitar esses erros não é só uma questão de estética, mas sobre eficiência, clareza e, no final das contas, tomar decisões mais informadas.

Como fazer um dashboard?

Existem algumas etapas fundamentais na criação de um dashboard, desde a seleção de indicadores à organização das informações no painel.

Siga o passo a passo abaixo para garantir o êxito quando for elaborar essa ferramenta na sua empresa. Vamos lá?

Saiba qual é o seu objetivo

Tudo bem, você está decidido a criar um painel de indicadores.

Mas qual será a finalidade central dele? É necessário fazer essa pergunta inicial. Você quer:

  • Avaliar a performance de vendas?
  • Embasar a tomada de decisão a respeito da estratégia de negócio?
  • Acompanhar o desempenho das ações de marketing?

Em outras palavras, essa é a hora de definir a finalidade específica do dashboard.

Defina métricas e indicadores

A partir do momento em que você sabe qual é o propósito do painel de informações, já pode definir quais métricas e KPIs serão inseridos nele.

Antes de fazer a definição, saiba que esses dois elementos são diferentes.

É o que explica Rob Versaw, co-fundador da Green SE3D, em um artigo para a revista Forbes.

Segundo ele, a diferença é que os KPIs são voltados para a medição de um estado final, ao contrário das métricas.

Nas palavras do autor, os indicadores são um subconjunto de métricas.

KPIs devem refletir o desempenho real de uma empresa”, afirma.

Foque nos dados relevantes

O painel de informação deve apresentar dados com visualização fácil.

Mas ao incluir muitas informações no painel, essa característica marcante é descartada.

E aí, com excesso de dados, fica difícil organizar a visualização.

Isso, na verdade, tira todo o sentido da ferramenta — e aqui voltamos a um dos erros que mencionei anteriormente.

Portanto, a minha dica é que você foque nas métricas e indicadores que sejam realmente relevantes para o objetivo do dashboard. Dessa forma, o painel fica mais objetivo e sua utilização, mais eficaz.

Crie um layout

Já sabe quais dados serão integrados ao dashboard?

Então, a próxima etapa é elaborar o desenho do painel.

O design é importante, já que o foco da ferramenta é justamente a visualização fácil, clara e objetiva.

Existem várias ferramentas que ajudam nessa tarefa, como você verá adiante.

Busque referências, se inspire nelas e crie um layout que organize todas as informações que serão utilizadas.

Não use muitas cores

Uma dica adicional a respeito do layout: o uso de cores em excesso pode atrapalhar a visualização.

As cores diferentes devem sinalizar diferentes estágios ou padrões nos dados, e não para deixar o painel de resultados bonito.

Opte pela simplicidade

Organização é a palavra-chave quando falamos em dashboard eficiente.

Por isso, evite imagens desnecessárias. Insira apenas informações relevantes.

Mantenha todos os dados em uma única tela, sem que seja necessário rolar a barra da página.

Disponha o dashboard em um local de fácil visualização

Por fim, basta colocar o painel à vista de toda a equipe.

Usar uma tela grande de televisão é uma boa opção  — e geralmente a mais utilizada.

Garanta que o painel esteja posicionado em um local a que todos os colaboradores tenham acesso durante o dia.

Afinal, a ideia é que o painel de resultados seja acompanhado em tempo real.

Ferramentas para criar dashboards

ferramentas para criar dashboards

Você chegou até aqui, adorou a ideia de criar um dashboard, mas não sabe como fazer isso na prática?

Tudo bem.

Mesmo que você não tenha afinidade com design, é possível utilizar algumas ferramentas que facilitam esse caminho.

Eu menciono algumas delas abaixo. Vamos nessa.

Excel

O Excel é uma ferramenta útil para organizar dados, pois oferece diversas funcionalidades para criar planilhas e tabelas.

Pode ser usado para fazer um esboço do seu painel de informações.

Se você quer um painel simples e com poucos dados, o Excel pode ser uma boa opção.

A desvantagem é que os dados só podem ser atualizados automaticamente se você tiver conhecimentos avançados na ferramenta. Caso contrário, terá que inserir informações de forma manual.

E quando falamos em avaliar indicadores em tempo real, essa opção não é a mais adequada.

Cyfe

Outra opção é a plataforma online Cyfe, que permite a criação de dashboards em diferentes áreas: redes sociais, marketing, clientes, finanças, vendas, TI, gerenciamento de projetos.

A vantagem é que a plataforma integra dados de outros sistemas, como, por exemplo, Google Analytics, Google Ads, Facebook e YouTube.

Também é possível customizar os painéis conforme a sua necessidade.

E ainda há a opção “modo TV”, por meio da qual a plataforma alterna a visualização dos diferentes painéis na tela.

Klipfolio

O Klipfolio também é uma ferramenta online para criação de painel de gestão.

A plataforma permite integrar dados de diversas fontes, incluindo arquivos, bases de dados e outros aplicativos web.

Para quem não tem conhecimento em design, ou precisa elaborar seu painel com agilidade, há templates pré-configurados que você pode usar como base.

Google Data Studio

A quarta sugestão é Google Data Studio, que permite criar relatórios a partir de dados integrados de outras ferramentas, como Google Ads e arquivos de Excel.

Usando a ferramenta, é possível compartilhar os relatórios diretamente com os membros da equipe, garantindo que todos fiquem atentos aos dados.

5 exemplos de dashboards para você se inspirar

Agora que você já sabe como criar um dashboard, que tal conferir algumas possibilidades de implementação?

Afinal, você não precisa ter um único painel na empresa. Pode criar mais de um, conforme a necessidade.

Nas próximas linhas, confira cinco exemplos que podem ser úteis para o seu negócio.

Dashboard comercial

Uma possibilidade é criar um painel de resultados para avaliar a performance da área comercial da empresa.

Nesse caso, há vários dados relevantes, como funil de vendas, faturamento, número de vendas e produtos mais vendidos para clientes, por exemplo.

Dashboard financeiro

Outra opção é o dashboard financeiro, em que ficam dispostas informações sobre vendas e receitas, despesas a pagar e valores a receber.

Também dá para incluir o faturamento nesse tipo de painel.

Basicamente, é uma forma de acompanhar o fluxo de caixa em tempo real.

Assim, é possível manter o controle sobre a saúde financeira do negócio e criar estratégias para melhorar o orçamento.

Dashboard de marketing

No setor de marketing, o painel de indicadores é praticamente obrigatório.

Tanto para empresas que fazem o próprio marketing quanto para agências que elaboram estratégias para outras marcas.

Trata-se de um recurso para acompanhar a performance da atuação digital, podendo controlar anúncios pagos, desempenho em redes sociais e blog e número de conversões, por exemplo.

Nesse caso, uma boa estratégia é integrar plataformas de dados ao dashboard, como Google Analytics, Search Console e Facebook Ads.

Dashboard de recursos humanos

O painel de resultados de recursos humanos é uma alternativa para controlar a gestão de pessoas.

Nele, podem estar inseridas informações como pedidos de férias, contratações, demissões, investimento em treinamentos e bonificações, por exemplo.

Dashboard de projetos

Que tal gerenciar os fluxos de trabalho em cada projeto?

Um dashboard dá conta dessa tarefa. E ele pode ser simples.

Uma alternativa é o uso da metodologia ágil Kanban, que divide as tarefas em três categorias: a fazer, fazendo e pronto.

Aí, é possível identificar facilmente em qual etapa está cada projeto.

Que tal mergulhar em ainda mais dicas e estratégias de marketing digital para melhorar seus resultados? Preparei, junto com meu time, um guia completo. Baixe, é gratuito!

Conclusão

Agora que você chegou ao fim do artigo e já sabe o que é dashboard, é hora de elaborar o seu primeiro painel.

Lembre-se de que o mais importante é que ele tenha um objetivo claro.

E que contenha as métricas e indicadores certos para esse objetivo.

Depois, foque na organização, monte um layout e disponibilize para toda a equipe.

Vale usar as ferramentas que eu citei ao longo do texto.

Se você ficou com alguma dúvida sobre a criação de dashboards, deixe nos comentários abaixo.

E se tiver alguma dica extra, compartilhe também para que outros leitores do blog confiram.

Perguntas frequentes sobre dashboard

O que é um dashboard?

Dashboard é um painel visual que contém informações, métricas e indicadores da empresa.

Para que serve o dashboard?

O dashboard tem as seguintes funcionalidades: Mostrar indicadores e métricas de forma objetiva e clara, Embasar a tomada de decisão, Acompanhar o desempenho da empresa, Facilitar o monitoramento de dados.

Quais os 3 Tipos de Dashboards?

1. Operacional; 2. Tático; 3. Estratégico.

Como fazer um dashboard?

Saiba qual é o seu objetivo; 2. Defina métricas e indicadores; 3. Foque nos dados relevantes; 4. Crie um layout; 5. Disponha o dashboard em um local de fácil visualização.

NP Digital Brasil

Você quer resultados imediatos?

Minha agência pode fazer todo o trabalho pra você. Somos especialistas em:

  • SEO - Colocamos seu site no topo das pesquisas do Google
  • Mídia Paga - Fazemos seu negócio alcançar quem importa no momento certo
  • Data & Conversion Intelligence - Desbloqueamos as conversões do seu site e criamos dashboards para melhores análises

Fale com um especialista

Consultoria com Neil Patel

Compartilhe