Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Cashback: O Que É e Como Funciona Na Prática (Com Exemplos)

ilustração sobre cashback e como funciona

Você vai fazer uma compra online e, de repente, tem lá uma mensagem sobre cashback.

Afinal, do que se trata? Será uma boa oportunidade?

Já posso adiantar que tem tudo para ser, esteja você no papel de consumidor ou enquanto empresa.

Hoje, muita gente já utiliza o recurso de dinheiro de volta, que é o significado de cashback, um conceito moderno, pois tem relação total com a transformação digital.

É fácil perceber como a internet modifica o dia a dia das pessoas.

Antigamente, você precisava ir até uma loja para comprar.

Mais recentemente, revoluções nas áreas de tecnologias móveis, delivery e geolocalização modificaram completamente esse costume.

Agora, com alguns toques na tela do celular, o produto chega diretamente às suas mãos.

Bom para quem compra e uma nova exigência para quem vende.

Com isso, as empresas tiveram que mexer seus palitinhos.

Afinal, promoções, liquidações e descontos perdem sua eficiência quando todo mundo está usando, não é mesmo?

É justamente aí que entra uma das mais recentes estratégias de vendas, que é o programa de cashback.

Com a possibilidade de reaver ou reutilizar parte do dinheiro investido, os consumidores vislumbram ótimas oportunidades.

Acredite, esse diferencial conta muito na hora de fechar o negócio.

Tanto é assim que, no Brasil, cerca de 6,4 milhões de estabelecimentos estão cadastrados nesses programas, conforme dados recentes do Sebrae.

Quer aproveitar você também?

Então, recomendo que siga a leitura.

Neste artigo, vou trazer todas as informações para compreender o conceito de dinheiro de volta e darei exemplos para ilustrar.

O que é Cashback?

o que é cashback

Cashback significa dinheiro de volta, em inglês.

Ou seja, quando o consumidor faz uma compra, parte do investimento retorna para o seu bolso.

A quantidade varia e, normalmente, é calculada sobre uma porcentagem.

Se você buscar pela internet, vai encontrar valores que variam: 0,5%, 5%, 10%, 25%, 50%… ou até 100%.

Esse último exemplo, caso você esteja se perguntando, geralmente ocorre quando a empresa intermediária busca a aquisição de novos clientes.

Ou seja, um método para realização de cadastros que visa aumentar a aderência ao programa.

Mas se trata de uma exceção, é claro.

Na maioria dos casos, o cashback funciona como um incentivo à compra.

Ou seja, se um mesmo produto custa R$ 800 em dois sites diferentes, mas um deles possui um programa que devolve 5% do valor, a compra se torna R$ 40 mais barata para o consumidor.

Faz sentido, assim, que ele escolha o site que oferece o cashback, concorda?

No próximo tópico, ao conferir detalhes sobre o funcionamento do programa, você vai entender melhor as oportunidades que ele abre.

Como funciona o cashback?

ilustração sobre o funcionamento do cashback

Para o consumidor, o cashback funciona de maneira bem simples.

A princípio, ele se inscreve em um programa, que normalmente tem parceria com outras empresas.

A seguir, ele entra em um site de compras e coloca os itens desejados no carrinho.

Ele precisa ativar o dinheiro de volta.

Isso é feito por meio de soluções como aplicativos, navegadores ou extensões.

A loja tem um prazo para avisar ao intermediário sobre a compra e, após um período, ele fica disponível para recolhimento.

Alguns programas oferecem dinheiro, outros incluem um crédito para reutilização.

No primeiro caso, o valor pode ser resgatado diretamente para a conta corrente do banco à escolha do usuário e pode ter um valor mínimo para saque.

No segundo, o saldo disponível funciona como uma criptomoeda, que pode ser reaplicada em situações específicas.

Em outras palavras, as regras para cashback são variáveis.

Por isso, é recomendada a leitura dos termos de cada programa para garantir que não haverá nenhuma surpresa.

Outro elemento que varia é a presença do intermediário.

Alguns bancos realizam a ação sem a existência do facilitador.

Assim, basta fazer compras nos estabelecimentos parceiros da instituição financeira para conseguir o retorno.

No entanto, na maioria dos casos, há um canal interposto na negociação.

E isso nos leva ao ponto de vista das empresas no processo.

Esse método visa alcançar um maior número de clientes, já que o intermediário possui uma base de consumidores fidelizados e seus próprios meios de divulgação.

Ou seja, ganha visibilidade – o que, naturalmente, é um eficiente meio para aumentar as vendas.

Já o agente recebe uma comissão a cada transação realizada.

Como o dinheiro fica retido por um tempo indeterminado, pode ser reutilizado em outros investimentos, o que garante uma boa margem de lucro.

Como surgiu o cashback?

O sistema de cashback é muito popular no Reino Unido e nos Estados Unidos, onde programas do tipo são aplicados principalmente em empresas de cartão de crédito.

Ele foi criado em 1998 pela empresa norte-americana Ebate.

No Brasil, foi implementado já em 2007 e, desde então, ganhou muita força no mercado, especialmente nas compras online.

Cashback é seguro?

Até aqui, nada faz crer que o cashback não seja seguro, muito pelo contrário.

De qualquer forma, é sempre válido prestar bastante atenção aos termos e condições de uso, como destaquei anteriormente.

Afinal, existem diversas formas de oferecer cashback, então, é preciso ficar atento para não ter decepções.

Outro ponto importante ao qual o consumidor precisa ficar atento é a reputação da empresa.

Nesse caso, não conheço termômetro melhor para avaliar isso do que o portal Reclame Aqui.

Já para as empresas, o cuidado recai sobre a margem que será devolvida ao cliente. 

Lembre-se que, da mesma forma que um desconto normal, para dar cashback é preciso considerar o quanto da sua margem de lucro será comprometida.

Além disso, vale contar com mecanismos de proteção contra fraudes online, para evitar que uma mesma pessoa acumule cashbacks indevidamente.

Quais são as vantagens para os usuários?

cashback vantagens para os usuários

Claro que ter desconto é bom, mas ganhar dinheiro enquanto compra parece ainda melhor.

O cashback parece apenas um desconto disfarçado, mas na verdade vai além das promoções e liquidações convencionais.

A sua principal vantagem está em ser uma forma mais flexível de conceder benefícios para o cliente.

Afinal, se vamos oferecer descontos, por que não deixar a critério do consumidor escolher onde, quando e como usar esse valor abatido do preço final?

Essa é, para mim, a grande vantagem para o usuário quando compra com cashback: a liberdade de escolha.

Como veremos mais à frente, isso é bom também para as empresas, porque abre possibilidades ainda mais interessantes de vender e fidelizar.

Quais as vantagens para as empresas?

vantagens para empresas que oferecem cashback

O cashback não é uma boa ideia apenas para os consumidores.

Sim, as empresas têm muito a ganhar ao aderir a esse tipo de programa.

A seguir, conheça seus principais benefícios.

Aumento de visibilidade

Como os programas de fidelização têm um público próprio e normalmente vasto, há ganhos em questão de branding.

Ou seja, a marca passa a ser reconhecida e percebida aos olhos do consumidor.

O cashback pode receber um valor fixo ou ser alterado em promoções e circunstâncias especiais, na quais a divulgação se torna ainda maior.

Aumento da base de clientes

Com a exposição nas plataformas de cashback e o buzz marketing gerado por meio de recomendações, há um aumento contínuo na base de clientes.

Quando mais pessoas visualizam seus produtos e serviços, organicamente, há o crescimento das vendas.

Portanto, não é nenhum exagero dizer que é também uma ferramenta de marketing.

Fidelização de clientes

Quando as pessoas enxergam um real benefício ao receberem dinheiro de volta, a tendência é que elas voltem a comprar.

Assim, há o aumento gradual no ticket médio e taxa de recompra.

No entanto, vale lembrar que a qualidade do produto, a velocidade de entrega e outros elementos processuais são essenciais para que o bom funcionamento da estratégia.

Oferta de benefícios

Não é novidade que o público gosta mesmo de pagar barato e ter descontos ao comprar.

Um fato que talvez não seja tão conhecido é que, das modalidades conhecidas de promoção, o cashback já é uma das preferidas pelos consumidores, principalmente os mais jovens.

É o que aponta uma pesquisa publicada no UOL, segundo a qual 31% das pessoas disseram que o cashback é a sua forma favorita de promoção.

Portanto, se a sua empresa está em dúvida sobre o formato a adotar na hora de fazer uma promoção, eis aí uma ótima alternativa.

Outro ponto da pesquisa que merece ser destacado é que o canal ideal para fazer esse tipo de promoção são as redes sociais, com 41% da preferência.

Tudo isso representa para as empresas uma tremenda oportunidade de oferecer benefícios e, ao mesmo tempo, atrair um público com alto potencial de consumo e de fidelização.

Aumento de vendas

Por falar em fidelização, o cashback é uma ótima estratégia para aumentar a proporção de clientes recorrentes.

Como acabamos de ver, o consumidor adora receber um mimo e, nesse sentido, o cashback está entre os preferidos.

Embora pareça um contrassenso, dar dinheiro para o cliente é uma forma de vender mais.

A ideia aqui é fazer com que ele se sinta sempre estimulado a comprar, pois sabe que a sua fidelidade será recompensada.

Aliás, o cashback oferece várias possibilidades de fidelização, podendo ser progressivo, por exemplo.

Quanto mais o cliente compra, maior o desconto que ele ganha.

Para aqueles que não compram há algum tempo, pode ser uma maneira de atraí-los novamente, concedendo cashback na compra de itens anteriormente adquiridos. 

Coleta de dados dos clientes

A Transformação Digital está aí e quem não ajustar as velas para navegar em um mar de dados vai ficar para trás.

Nesse caso, o cashback é uma forma bastante inteligente não só para reter clientes, mas para extrair deles algo ainda mais valioso, que são os seus dados – de forma consentida, é claro.

Pode não parecer muito, mas os dados são fundamentais para a sustentação de um negócio.

Isso porque é por meio deles que uma empresa se habilita a mapear e compreender o comportamento de compra de seus clientes.

Quem conhece as motivações por trás das decisões dos clientes tem, sem dúvida, um tremendo diferencial sobre a concorrência.

Para isso, é preciso antes se municiar com dados, e é aí que o cashback pode servir como uma estratégia eficaz, por meio de promoções condicionadas ao envio de certas informações.

Quais são os tipos de cashback?

cashback tipos

Basicamente, o cashback é uma reserva em dinheiro que pode ser usada pelo cliente como crédito numa compra futura.

Como veremos mais à frente, existem sites de compras especializados em cashback, nos quais toda aquisição é obrigatoriamente premiada.

No entanto, há empresas que dão dinheiro mesmo, revertendo um percentual dos gastos diretamente para a conta bancária do consumidor.

É o que fazem, por exemplo, algumas instituições financeiras e bancos, que pagam clientes que fazem certos investimentos ou indicam novos clientes.

E há ainda o chamado cashback social, uma das formas mais incríveis de atrair novos consumidores e de fidelizar.

Isso porque as empresas que recorrem a esse tipo de cashback revertem o valor para instituições filantrópicas e assistenciais.

Então, se você é uma pessoa entusiasta de causas como a dos animais de rua, crianças, idosos e pessoas com doenças crônicas, eis aí a chance de consumir e, ao mesmo tempo, ajudar quem mais precisa.

3 Maneiras de ganhar cashback

3 maneiras de ganhar dinheiro de volta com o cashback

O dinheiro de volta é uma técnica de prospecção que funciona bem no ambiente virtual.

Porém, ele pode ser estendido em outros modelos de negociação.

Veja quais são as principais maneiras de movimentar uma iniciativa de cashback.

Na internet

Na web, o modelo funciona de maneira automatizada.

Ou seja, depois de realizada a compra e ativado o cashback, o dinheiro retorna ou é debitado junto ao saldo.

Existem, inclusive, extensões para os principais navegadores que alertam o usuário da possibilidade de ativação.

Em lojas físicas

O cashback também pode ser aplicado em lojas físicas, como supermercados e farmácias.

Nesse caso, a pessoa precisa conceder alguns dados, normalmente o número de telefone, na hora de realizar o pagamento.

Da mesma maneira que acontece nas vendas online, o estabelecimento fica responsável por apontar as transações realizadas por meio do programa.

Pagamentos e transferências

Algumas instituições financeiras, como bancos e fintechs, oferecem o cashback automático nas compras realizadas nas lojas indicadas.

Nesse caso, não é preciso realizar a ativação do recurso, pois o saldo será agregado à conta de maneira automática.

Em qualquer compra

Atualmente já existem programas de fidelização que permitem o uso do cashback em todas as compras.

Nesse formato, o usuário recebe um cartão de crédito cadastrado e paga algumas taxas para usufruir do benefício.

6 Apps de Cashback

aplicativos que geram cashback

Para facilitar o recebimento de cashback, os intermediários criam aplicativos que auxiliam no descobrimento de promoções e ativam o processo.

No entanto, tais ações também podem ser realizadas manualmente por meio de sites.

A seguir, saiba quais são os mais utilizados aplicativos para receber dinheiro de volta.

1. Méliuz

Maior empresa de cashback do Brasil, a Méliuz tem mais de 1.600 empresas parceiras, que vão de lojas virtuais a estabelecimentos físicos.

Para realizar a ativação pelo aplicativo, basta buscar a loja desejada no mecanismo de buscas ou no catálogo disponibilizado na interface.

Depois, o usuário deve clicar no botão referente à ação.

Nas lojas físicas, é necessário fornecer o telefone, além de realizar o pagamento por meio de uma máquina da Cielo.

Para recuperar o percentual de investimento, é necessário atingir um valor mínimo de R$ 20,00.

Depois, basta acessar o app ou o site e clicar em “resgatar o dinheiro”.

Ambas as aplicações também revelam informações extras, como o extrato e o histórico de recebimento.

Também oferece um programa de indicações, no qual o usuário recebe um crédito de R$ 5,00 a cada compra realizada por pessoas recomendadas.

2. Beblue

Outra solução muito popular no Brasil é a Beblue.

O cadastro no aplicativo é feito por meio do CPF de maneira rápida e segura.

A principal diferença é que essa opção só funciona em lojas físicas.

Para solicitar o dinheiro de volta é necessário que o estabelecimento tenha uma máquina Beblue, que aceita bandeiras de crédito e débito da Visa, Mastercard, Elo e Hipercard.

Assim, ele digita o seu cadastro de pessoa física no próprio equipamento e aguarda pelo recebimento.

O recolhimento também tem o valor mínimo de R$ 20,00 e as condições do sistema de recomendações são aplicadas nos mesmos moldes que o da Méliuz.

3. PicPay

O PicPay apresenta um modelo diferenciado de cashback.

Essa aplicação permite o recebimento de dinheiro de volta até mesmo entre pessoas físicas.

Ou seja, negociações entre consumidores estão aptas a receber o benefício.

O app permite o pagamento e parcelamento de boletos, transferências bancárias, compras em estabelecimentos, jogos online, crédito para celular e transporte, entre outros processos.

Assim, o usuário recebe o cashback mediante a ações realizadas por meio do app.

Esse valor é adicionado ao salda da carteira e pode ser reutilizado em outro momento.

Em lojas físicas, precisa ser aplicado em maquininhas da Cielo, presente em mais de 1 milhão de estabelecimentos no Brasil.

A tarefa é simplificada, já que basta escanear o QR Code na hora de realizar o pagamento.

Outro elemento importante é o rendimento.

No PicPay, o seu saldo é automaticamente aplicado em 100% do CDI, Certificado de Depósito Interbancário, que oferece rendimento de aproximadamente 5% ao ano.

4. Ame Digital

Na corrida dos programas de cashback, o Ame Digital chegou com tudo.

Para utilizá-lo é preciso, necessariamente, baixar o aplicativo, que está disponível para Android e iOS.

Isso porque ele funciona no sistema de QR Code, o que proporciona o benefício de economizar nas taxas de transferência de TED e DOC.

É importante frisar que, nesse modelo, não há a possibilidade de transferir o saldo diretamente para uma conta corrente.

No entanto, ele pode ser utilizado em qualquer uma das lojas parceiras, o que inclui alguns dos principais comércios eletrônicos do Brasil, como Lojas Americanas, Submarino, Shoptime e Sou Barato.

Frequentemente, o app também libera o uso do cashback para pagamento de contas.

Outra funcionalidade interessante é a transferência de saldos entre usuários.

5. Cashback World

O Cashback World é uma solução menos conhecida, mas que apresenta alguns benefícios exclusivos.

Nesse modelo, o usuário recebe um Cashback Card.

Assim, só precisa utilizá-lo nas lojas parceiras para receber o dinheiro de volta na conta bancária.

O valor é transferido automaticamente ao chegar ao montante de R$ 25,00.

Um diferencial são os shopping points, créditos extras que são utilizados em ofertas específicas chamadas de shopping points deals.

A aplicação investe em responsabilidade social e parte dos ganhos é revertido para ONGs como a Child & Family Foundation e a Greenfinity.

6. Mooba

O economizador Mooba é o sistema de cashback desenvolvido junto ao grupo Reclame Aqui.

Trata-se de um plugin para Google Chrome e Mozilla Firefox que alerta o usuário quando identifica uma oportunidade de receber o dinheiro de volta.

Nesse caso, o desconto retorna automaticamente para a conta bancária cadastrada pelo usuário.

Ele é aceito tanto nas mais diversas lojas virtuais, inclusive em aplicativos de viagens.

O usuário também recebe um cartão Mooba, que permite até mesmo o saque em dinheiro.

7. Banco Inter

Outra empresa que paga os seus clientes para fazer compras é o Banco Inter.

Embora seja uma instituição financeira, eles contam com um robusto programa de cashback, mesmo para quem não é correntista.

Para isso, basta fazer compras no Inter Shop, a plataforma de e-commerce do Banco Inter, que oferece até 20% de cashback nas compras.

São mais de 200 lojas cadastradas e uma ampla variedade de produtos que o consumidor pode adquirir, recebendo parte do dinheiro de volta.

Já para os correntistas, o Inter oferece uma modalidade de cashback para quem cadastrar contas no débito automático, com retorno de até 1% sobre cada fatura debitada.

O mesmo vale para quem faz investimentos, alguns dos quais oferecem 100% de cashback, como os fundos e ofertas públicas.

8. PagBank

O Pagbank é o programa de cashback do Pagseguro, uma das maiores plataformas de pagamentos eletrônicos do Brasil.

As suas regras de funcionamento são bem simples.

Em qualquer pagamento feito pelo Pagseguro, o cliente ganha cashbacks progressivos, conforme a tabela abaixo:

Forma de pagamento (quantidade de parcelas)*

Cashback

Pagamento parcelado de 2 a 5 vezes

5% (cinco por cento) do valor total pago. Limitado a R$ 600.

Pagamento parcelado de 6 a 9 vezes

10% (dez por cento) do valor total pago. Limitado a R$ 600.

Pagamento parcelado de 10 a 12 vezes

16% (seis por cento) do valor total pago. Limitado a R$ 600.

Conclusão

Chegamos ao fim de mais um artigo no qual você aprendeu tudo que é necessário sobre o cashback.

Receber dinheiro de volta já é uma realidade que auxilia tanto consumidores quanto empresas.

Neste texto, você descobriu o que é e como funciona esse recurso para pessoas, comércios e intermediadores.

Também viu quais são seus principais benefícios e as principais maneiras de receber cashback: online, em lojas físicas ou por meio de transferências.

Por fim, observou quais são as principais aplicações utilizadas no Brasil para tomar a sua decisão.

Agora, se restou alguma dúvida ou se tem uma opinião a respeito, deixe seu comentário.

Você já utiliza algum programa de cashback?

Perguntas frequentes sobre cashback

cashback perguntas frequentes

Cashback é um assunto que desperta muito interesse das pessoas, e não é para menos.

Eu mesmo admito que, antes de comprar, procuro saber se existe algum tipo de programa de devolução de parte do valor como critério decisório.

Com base nessas pesquisas, acabei descobrindo que o tema também levanta diversas dúvidas, como era de se esperar.

Algumas delas eu respondo aqui mesmo, confira.

O que é e como funciona o cashback?

Cashback é o termo em inglês para “dinheiro de volta”.

Consiste em reverter parte do valor de uma compra para o cliente, podendo ser na forma de créditos ou dinheiro em conta.

Há ainda o cashback social, que consiste em reverter um percentual dos gastos para instituições assistenciais conveniadas.

Cada empresa define as suas próprias regras, condições e limites de cashback, portanto, é preciso conhecer bem essas regras antes de comprar.

Em algumas lojas e instituições, o cashback é fixo, mas na maioria dos casos o valor é progressivo, aumentando conforme a pessoa compra mais.

Qual a vantagem do cashback?

Como estratégia comercial, o cashback é bastante vantajoso porque é uma forma de estimular o consumo nos mesmos moldes de uma promoção, mas com benefícios adicionais.

O principal deles é dar ao consumidor a liberdade de escolher como quer utilizar o valor que seria descontado da compra.

Isso pode ser feito por meio de créditos acumulados para uso em futuras compras ou simplesmente colocar crédito em dinheiro direto na conta bancária do cliente.

Quais apps dão cashback?

O cashback é não só uma modalidade de promoção, mas também um lucrativo nicho em que diversas empresas trabalham para oferecer descontos e vantagens.

A maioria delas conta com aplicativos para celular, nos quais os clientes têm acesso imediato a muitas ofertas.

Alguns dos mais conhecidos são:

  • Ame Digital
  • BeBlue
  • Banco Inter
  • Banco Next
  • In Mais
  • Méliuz
  • Meu Dimdim
  • Mooba
  • Mycashback
  • myWorld
  • Nubank
  • Picpay
  • Trigg.

Cashback é o mesmo que um desconto?

Embora se pareça com um desconto, o cashback é uma forma diferente de promoção porque reverte um valor real em benefício do cliente.

Ou seja, enquanto nas promoções convencionais o consumidor só se beneficia com um simples abatimento no preço, no cashback ele pode usar esse percentual da forma que achar melhor.

Para as empresas, isso abre a possibilidade de incrementar as vendas e até de aumentar a saída de itens com pouco giro.

Portanto, o cashback pode ser considerado a evolução do desconto na forma que conhecemos.

Compartilhe