Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Cadeia de valor: o que é, etapas e como fazer

cadeia de valor

Admita, mapear as atividades de um negócio para analisar seus pontos fortes e fracos pode ser uma tarefa… complicada. No entanto, sabia que existe algo que simplifica esse processo? É o que chamamos de cadeia de valor.

Pense nela como um raio-x do funcionamento interno da sua empresa.

Antes de tudo, para rotular corretamente: trata-se de uma ferramenta que abre um olhar aprofundado em todas as atividades que acontecem em sua empresa e entenda como elas contribuem para seus resultados. 

É algo prático que pode mudar a maneira como você vê sua operação.

Agora, por que isso seria útil para a sua organização?

Me diga: você já tentou montar um quebra-cabeça sem ter ideia da imagem final, completa?

Tentar administrar um negócio sem entender suas atividades internas e o que cria valor para o cliente é exatamente assim.

Falo de uma ferramenta para análise que ajuda você a discernir suas vantagens estratégicas, pontos de melhoria e como cada atividade contribui para sua proposta de valor geral.

E aí, gostou desse resuminho?

Então se prepare: minha missão aqui é descomplicar a cadeia de valor e mostrar como você pode ter uma gestão inovadora com ajuda dessa ferramenta.

Vamos lá?

Antes, que tal enriquecer ainda mais seu conhecimento? Preparei um e-book com as principais estratégias de marketing digital para o seu negócio. Decole sua operação, leia agora!

banner as principais estratégias de marketing digital

O que é cadeia de valor?

Uma cadeia de valor é um modelo que permite a uma empresa dissecar suas atividades e analisar como elas agregam valor ao processo produtivo. Desde o conceito inicial de um produto até sua entrega final ao cliente, cada etapa contribui para a percepção do cliente sobre o valor entregue.

O conceito de value chain foi desenvolvido por Michael Porter, um professor americano que lecionou em instituições como Harvard, ainda na década de 1980.

Pense nesse modelo como uma corrente (daí o nome) com elos que representam cada etapa do processo de produção.

Cada elo agrega algum valor que contribui para o produto ou serviço que o cliente recebe, ao fim de tudo.

Que tal entender na prática?

Vamos entender a partir de um produto simples — um livro.

O processo começa com o autor escrevendo o original (o ‘input’), que passa por uma série de transformações: edição, preparação textual, revisão, impressão e encadernação para formar um livro acabado – o ‘output’.

Mas isso não é tudo. Para que o livro chegue às mãos dos leitores, ele precisa ser distribuído — outro elo.

Pode ser vendido por meio de uma livraria, uma loja virtual ou diretamente da editora.

Percebe? A cada passo, valor é agregado.

A loja fornece um local para os clientes procurarem e comprarem o livro, a loja virtual oferece a conveniência do delivery e a editora pode oferecer cópias autografadas ou edições especiais.

Cada uma dessas etapas agrega valor ao produto final, o que aumenta seu valor para o consumidor final.

Assim, quanto melhor cada um destes elos for gerido, maior será a qualidade do livro e, consequentemente, a satisfação do cliente.

Outro ponto importante: o value chain abrange tudo. Veja só:

  • logística interna (como aquisição de matéria-prima);
  • operações (o processo de transformação de insumos em produtos);
  • logística externa (distribuição do produto acabado);
  • marketing e vendas (atividades que informam e induzem o cliente a comprar);
  • serviço (suporte pós-venda).

Mas não se trata apenas dessas atividades primárias, mas também leva em consideração as atividades de suporte, como compras, desenvolvimento de tecnologia, gerenciamento de recursos humanos e infraestrutura da empresa — que já, já vou explicar.

Quais são os objetivos da cadeia de valor?

objetivos da cadeia de valor

Ok, bacana, mas por que eu deveria me importar?

Talvez você se pergunte isso e é justamente o que eu vou responder agora. Separei alguns dos principais pontos:

Identificar oportunidades para vantagem competitiva

O primeiro e talvez mais importante objetivo por trás dessa análise é identificar onde você cria valor e constrói uma vantagem competitiva diante da concorrência.

Você sabe, nem todas as empresas são criadas iguais.

Cada um tem pontos fortes únicos e, ao dissecar sua cadeia de valor, você pode identificar os pontos exatos onde supera os competidores.

Identificar oportunidades de redução de custos

Aqui, a lógica é a semelhante.

Eu sei, comandar uma operação “enxuta” é o sonho de todo CEO, certo?  Essa é, inclusive, uma buzzword do nosso mundo corporativo moderno.

Bem, a ferramenta que eu apresento aqui é o roteiro para esse sonho.

Ao analisar cada elo da cadeia, é possível identificar áreas passíveis de redução de custos sem comprometer o valor oferecido aos clientes.

Aumentar o valor do cliente

Esse ponto já ficou claro, certo?

Hoje — e sempre, sejamos justos — o cliente é rei. E adivinha? A ferramenta pode ajudá-lo a tratá-los como a realeza.

Ao entender como cada atividade contribui para o produto ou serviço final, você pode encontrar maneiras de aumentar o valor percebido.

Talvez sejam prazos de entrega mais rápidos, atendimento pós-venda aprimorado ou novas funcionalidades em seu produto — as possibilidades são infinitas!

Promove a inovação

O próximo passo é óbvio, eu acho: inovação.

Entender os elos da sua cadeia permite que você identifique oportunidades para renovar seu processo de produção, introduzir novas tecnologias ou até mesmo criar uma campanha de marketing exclusiva.

No fim das contas, falo de vantagem competitiva.

Qual é a diferença entre cadeia de valor e mapeamento de processos?

diferença entre cadeia de valor e mapeamento de processos

Qualquer um que já esteja no mundo da gestão estratégica há tempo suficiente, provavelmente já ouviu falar sobre mapeamento de processos.

À primeira vista, soa bem parecido à ferramenta deste artigo, certo?

Eu concordo que sim, mas tratam-se de coisas diferentes.

Vou explicar levando em conta três pontos: o foco, o escopo e o resultado. Veja só:

O foco

A diferença mais significativa está em seu foco.

Uma cadeia de valor analisa como as atividades dentro de uma empresa agregam valor ao produto ou serviço final, traçando essencialmente a jornada de criação de valor.

Por outro lado, o mapeamento é uma ferramenta para visualizar a sequência de eventos que compõem um processo.

É mais sobre o âmago da questão de como as coisas são feitas dentro de um único departamento ou processo.

O escopo

O value chain tem um escopo mais amplo, que abrange todas as atividades críticas de um negócio. É uma visão de alto nível de como sua empresa opera e onde o valor é criado.

Já o mapa de processos é mais específico.

Ele trata de processos individuais dentro da organização. Por exemplo, pode detalhar as etapas envolvidas no desenvolvimento do produto ou como as reclamações dos clientes são tratadas.

O resultado

Uma análise do value chain ajuda a identificar vantagens competitivas, áreas de redução de custos e oportunidades de criação de valor para o cliente.

Trata-se de posicionamento estratégico e obtenção de vantagem competitiva.

Já o mapeamento, em contraste, é sobre eficiência operacional.

Ele ajuda a identificar maneiras de otimizar processos, reduzir erros e melhorar a produtividade em um processo específico.

Principais atividades da cadeia de valor

Como eu falei lá no início, a análise dos elos de valor do seu negócio depende da diferenciação das atividades realizadas. Na prática, as dividimos em duas categorias: primárias e de apoio.

Vou explicar ambas, veja só:

Atividades primárias

As atividades primárias são as principais operações que criam o produto ou serviço. Elas diretamente agregam valor ao produto final.

São os pontos de contato pelos quais um produto ou serviço passa da concepção ao consumo, como:

  • Logística de entrada: tudo relacionado ao recebimento, armazenamento e distribuição de insumos internamente. Pense nos relacionamentos com fornecedores, manuseio de materiais e gerenciamento de estoque.
  • Operações: é aqui que a mágica acontece. Trata-se de transformar inputs em outputs — produção, montagem, controle de qualidade, etc.
  • Logística outbound: uma vez que o produto sai da linha de produção, ele precisa chegar até o cliente. É aí que entra a logística externa. Inclui armazenamento, atendimento de pedidos, transporte e distribuição.
  • Marketing e Vendas: e agora, como os clientes descobrem seu produto? Por meio de marketing (digital e offline) e vendas, é claro! Essa atividade envolve publicidade, promoção, força de vendas, seleção de canais, SEO, e-mail marketing, precificação e branding, etc.
  • Serviço: após a venda, o relacionamento não acaba. A atividade de serviço inclui suporte ao cliente, serviço pós-venda, garantia e outros serviços que aumentam ou mantêm o valor do produto.

Atividades de apoio

Já as atividades de suporte desempenham um papel crucial no aumento da eficiência e eficácia das primárias.

Eles fornecem a base que permite que as atividades acima citadas ocorram. Entre elas, posso mencionar:

  • Aquisição: trata-se de como você obtém os recursos necessários para operar. Falo da seleção de fornecedores, negociação de contratos e decisões de compra.
  • Desenvolvimento de tecnologia: desde a melhoria dos processos de produção com tecnologia avançada até a criação de novos produtos.
  • Gestão de RH: seu capital humano é o seu recurso mais valioso. As atividades de gestão de RH envolvem recrutamento, treinamento, política de remuneração, retenção e garantia de um ambiente de trabalho positivo.
  • Infraestrutura da empresa: refere-se aos sistemas e funções de toda a empresa, como finanças, planejamento, controle de qualidade, jurídico, administração e gerenciamento.

Etapas de uma cadeia de valor: como fazer?

etapas da cadeia de valor

É hora de arregaçar as mangas e mergulhar no lado prático das coisas.

Quer entender como criar seu value chain? Trouxe as principais etapas da cadeia de valor, dê uma olhada

Passo 1: Identifique as atividades

Fácil, né? Agora que você sabe as diferenças e os tipos de atividade, é hora de destrinchá-las.

Veja bem: você lida com fornecedores? Temos um ‘check‘ em logística interna. Você tem uma equipe robusta de suporte ao cliente? ‘Check‘ em atividade de serviço.

A chave aqui é não deixar pedra sobre pedra.

Toda atividade que agrega valor deve fazer parte da sua cadeia de valor.

Etapa 2: Analise o custo e o valor de cada atividade

Aqui, você precisa avaliar quanto custa cada atividade e o valor que ela contribui para o produto ou serviço final.

É como um check-up de saúde empresarial.

Lembre-se que custo e valor significam coisas diferentes: valor é o preço monetário que seu negócio arca. O valor é o que o seu cliente ganha.

Isso ajuda você a entender para onde seu dinheiro está indo e onde o valor é agregado.

Etapa 3: Analise as conexões entre as atividades

Compreender as interdependências e ligações entre as atividades é crucial.

Esse entendimento permite que você otimize seus processos, evite gargalos e garanta o andamento de operações mais tranquilas.

Por exemplo, seus esforços de marketing podem estar diretamente relacionados aos seus resultados de vendas.

Etapa 4: Identificar oportunidades ou lacunas

Esse é o seu momento de brilhar.

Use os insights das etapas anteriores para descobrir áreas em que você pode diferenciar sua oferta, reduzir custos ou aprimorar a experiência do cliente.

Por que uma cadeia de valor melhora a experiência dos usuários e os resultados da empresa?

Quer saber a real? Uma cadeia de valor bem construída faz mais do que apenas mostrar erros e acertos da jornada produtiva.

Na verdade, é um espelho para que você entenda (e melhore) a experiência do usuário e os resultados de negócios.

Vou me aprofundar nesses dois fatores para explicar meu ponto a você:

Melhora a experiência do usuário

Cada estágio da sua cadeia de valor afeta direta ou indiretamente a experiência do usuário.

Por exemplo, uma logística interna eficiente garante que os produtos estejam disponíveis quando os clientes precisarem deles.

Da mesma forma, operações como controle de qualidade afetam diretamente a qualidade do produto.

Além disso, entender seu value chain permite que você tenha uma visão panorâmica da jornada do cliente.

Você pode ver como cada atividade afeta a experiência do cliente e, assim, identificar áreas de melhoria.

Gera melhores resultados

Por outro lado, essa análise também tem um impacto significativo nos resultados do seu negócio.

Ao analisar o custo e o valor em cada estágio, você identifica áreas em que gasta demais e que não trazem retorno suficiente.

Você também pode encontrar atividades em que vale a pena gastar mais, pois aumentaria o valor para o cliente final.

Pense nos atuais Apple Watch, que contam com versões exclusivas de marcas como a Gucci e a Nike.

Em questão de hardware, pouco (ou nada!) muda, apenas a pulseira. No entanto, isso traz valor para o cliente, que topa pagar um pouco a mais!

Ei, antes de encerrar, que tal baixar meu e-book completo com as principais estratégias de marketing digital para o seu negócio? É um complemento ótimo a esse artigo. Baixe agora!

banner as principais estratégias de marketing digital

Conclusão

Entender os pormenores do seu negócio vai além de saber o orçamento, os preços praticados e quem são seus clientes.

Antes de pensar em melhorar seus resultados, é preciso olhar para dentro, para seus elos de valor, e se perguntar: “o que eu faço para melhorar minhas entregas aos meus clientes?”.

É nesse momento que a ferramenta que apresentei aqui, a cadeia de valor, é tão importante.

Neste artigo, você conferiu tudo sobre o value chain: conceito, objetivos, diferenças para outras ferramentas de processos, e mais.

Saiba que, para mim e para muitos outros líderes de negócio, esse continua sendo um farol constante, que nos orienta a reconhecer onde nos destacamos e onde precisamos intensificar nossos esforços.

É o modelo para excelência operacional, satisfação do cliente e, por fim, sucesso nos negócios.

E você, já utilizou essa ferramenta? Ficou com alguma dúvida? Converse comigo e outros leitores nos comentários abaixo.

Até o próximo conteúdo!

Perguntas frequentes sobre cadeia de valor

O que é cadeia de valor?

É um modelo organizado em um tipo de fluxograma que descreve todas as atividades dentro de uma organização que criam valor para seus clientes.

Quais são os objetivos da cadeia de valor?

Os objetivos incluem identificar áreas de criação de valor, simplificar operações, descobrir eficiências de custo e aprimorar a experiência do cliente.

Quais são as etapas da cadeia de valor?

As etapas incluem a identificação de atividades primárias e de suporte, realização de análise de custo e valor, análise das conexões entre as atividades e descoberta de oportunidades de maior valor.

Como fazer uma cadeia de valor?

Primeiro, liste suas atividades principais e de suporte. Em seguida, analise o custo e o valor de cada um, estude suas interconexões e identifique oportunidades para gerar mais valor.

NP Digital Brasil

Você quer resultados imediatos?

Minha agência pode fazer todo o trabalho pra você. Somos especialistas em:

  • SEO - Colocamos seu site no topo das pesquisas do Google
  • Mídia Paga - Fazemos seu negócio alcançar quem importa no momento certo
  • Data & Conversion Intelligence - Desbloqueamos as conversões do seu site e criamos dashboards para melhores análises

Fale com um especialista

Consultoria com Neil Patel

Compartilhe

Neil Patel

source: https://neilpatel.com/br/blog/cadeia-de-valor/