7 Mandamentos dos Links Internos Que Vão Melhorar o seu SEO

Quase todo artigo sobre links internos começa com uma discussão sobre como a discussão é muito complicada, mas o assunto é muito importante. Por um lado, os links internos são um conceito tão simples, e todo mundo deveria usá-los. Por outro lado, a teoria, o processo e as melhores práticas para links internos são extraordinariamente complexas. Assim, o assunto tanto é simples quanto avançado. Mas independente de você considerar isso complexo ou básico, uma coisa é indiscutível: links internos são importantes.

Ter links internos estratégicos é uma técnica de poder de SEO, especialmente para o marketing de conteúdo. Nesse artigo, eu optei por focar em links internos para o marketing de conteúdo, porque essa é uma das formas mais diretas e simples de se ver uma melhora no SEO. Além disso, links internos entre artigos de blog e outros conteúdos são coisas que você pode usar continuamente.

Nesse artigo, quero entregar um nível de conhecimento de SEO que beneficie um especialista experiente, mas também forneça dados práticos para ajudar iniciantes em SEO.

Introdução aos Links Internos

Qualquer que seja seu nível de habilidade com o SEO, esse guia vai te ajudar a entender alguns princípios básicos sobre os links internos.

A Definição de Links Internos

Um link interno conecta uma página de um site a outra página no mesmo site. Em um link interno, o domínio de origem e o domínio de destino são os mesmos.

O Propósito dos Links Internos

A criação de links internos tem três propósitos principais:

  1. Ajudar na navegação do site
  2. Definir a arquitetura e hierarquia de um site
  3. Distribuir autoridade de página e poder de posicionamento pelo site.

Vamos dedicar nosso tempo aqui a discutir o terceiro objetivo: como links internos podem disseminar autoridade e posicionamento por várias páginas de um site.

A Teoria Por Trás dos Links Internos

A maior parte das “informações sólidas” e “estratégias poderosas” envolvendo links internos são pouco mais do que previsões sofisticadas. Ainda assim, há algum mérito em se teorizar sobre como o Google posiciona e valoriza a rede interna de links.

A teoria básica é a seguinte: links internos fortalecem o valor geral de otimização para pesquisa de um site. Links internos fazem isso ao fornecer rotas claras para spiders, sessões prolongadas para usuários e uma rede integrada de páginas e posts.

E então, como fazer isso? Aqui estão os sete mandamentos.

Os Sete Mandamentos dos Links Internos Para o Melhor SEO

1. Crie muito conteúdo.

Para criar muitos links internos, você precisa ter muitas páginas internas.

O primeiro passo para uma estratégia de links internos matadora é ter uma estratégia de marketing de conteúdo matadora. Você não pode ter uma sem a outra.

Quando você criar muitos conteúdos, vai ter muitos conteúdos para linkar. Quanto mais links você tiver, para mais lugares, melhor será a sua estratégia de links internos.

Algumas estratégias de links internos propõem camadas de páginas extremamente complexas, silos de conteúdo e uma fórmula de equilíbrio matemático para número de links por nível de página. Eu acredito que isso não importa. Links internos não exigem planilhas organizacionais e gráficos derivativos trigonométricos.

Uma estratégia de links internos com muito conteúdo é menos parecida com um gráfico organizacional do que com uma teia.

Não há “ciclos”. Não há “silos”. Não há “níveis”. Não há diagramas de fluxo estruturado. Há somente muitos links felizes levando a lugares úteis.

Para criar conteúdo rico em palavras-chave com a ideia de conectar páginas naturalmente, você precisa de uma estratégia. O Ubersuggest pode te ajudar a encontrar palavras-chave apropriadas, o que te dá a direção necessária para criar muitos conteúdos de alta qualidade.

1º passo: Insira sua palavra-chave e clique em Buscar.

2º passo: Clique em Ideias de Palavras-chave no menu lateral esquerdo.

3º passo: Selecione suas palavras-chave com sabedoria.

Com 292 palavras-chave, não faltam opções. Ao fazer essa seleção, foque nas palavras-chaves que têm um volume de busca alto (1.000 ou mais é um bom começo) e uma SD (SEO difficulty) baixa. Isso aumenta suas chances de chegar à primeira página. E quando você fizer isso, vai saber que há buscas o suficiente para valer a pena.

Apesar de oportunidades para links internos deverem surgir naturalmente, você pode empurrar as coisas na direção certa ao usar palavras-chave de cauda longa em seu conteúdo.

Por exemplo, talvez você crie um post chamado “Como Comparar Cases À Prova D’água”. Dentro dela, você usa palavras-chave como iphone 6s com case à prova d’água e iphone 7 case à prova d’água. Aí, quando você criar conteúdo com essas palavras-chave como as principais, vai poder conectar as páginas entre si.

2. Use texto-âncora

Mantendo o tema de conteúdo dos links internos, seus links internos devem usar texto âncora, não imagens com links. Links de imagem são bons desde que as imagens não sejam a principal fonte de links, e que a imagem tenha uma alt tag apropriada.

E já que estamos falando sobre alt tags, Sean Work declara:

Claro, o uso apropriado do texto âncora traz uma outra série de problemas. Obviamente, você não quer âncoras otimizadas. É só usar fragmentos de frases naturais, não otimizadas como texto âncora e você vai ter sucesso. Nada de truques bonitinhos. Não pense demais nisso. É só destacar, criar o link e pronto.

Veja essa discussão sobre link building para uma argumentação completa sobre âncoras estratégicas.

3. Faça links profundos

Quanto mais profundos forem os seus links, melhor.

Existem dois tipos de links que você deve evitar usar em seu conteúdo:

  • Homepage. A maioria dos sites já têm links demais na homepage. É melhor para você fortalecer páginas internas para melhorar o SEO geral do seu site, ao invés de simplesmente inserir mais links na homepage.
  • Fale Conosco. Esse é um erro comum entre muitos iniciantes no marketing de conteúdo. Como parte do call to action obrigatório no final do post, eles escrevem coisas como “Ligue para nós para saber mais sobre esses serviços incríveis!”. E aí colocam um link para a página “Fale Conosco” usando o texto âncora “Ligue para nós”. Não crie links para a página Fale Conosco a não ser que seja estritamente necessário.

No geral, você deve evitar links para as páginas no primeiro nível da sua página – páginas para as quais o menu de navegação já tem links.

Os melhores links – e os mais naturais em uma estratégia de marketing de conteúdo – estão em partes profundas da estrutura de um site.

4. Use links que sejam naturais para o leitor.

Criar links internos exige uma abordagem focada no usuário para adicionar valor e informação. O valor de links que é distribuído pelo site é secundário a esse ponto-chave: fornecer valor ao leitor.

Um dos benefícios comprovados dos links internos é que eles melhoram o envolvimento do usuário em seu site. Quando um usuário vê um link informativo que realmente corresponde ao contexto do conteúdo, há uma chance maior de ele clicar naquele link. Isso pode ser um link externo, desde que seja alguma coisa em que o leitor vai ter interesse. Se o link for interno, o visitante fica mais tempo no site e se envolve mais com a experiência dele.

Dave Davies, em seu artigo no Search Engine Watch, traz um argumento importante.

Quando você coloca links em seu conteúdo, está dizendo ao motor de busca que o destino do seu link é tão importante e relevante que você quer que seu visitante possa simplesmente clicar no link e ir direto a ele. Basicamente, que o que você está linkando é potencialmente tão relevante que o visitante pode querer parar de ler e ir para a próxima página.

Links para conteúdos são um sinal forte tanto para o motor de busca quanto para o usuário que o conteúdo para onde vai o link é muito bom. Os leitores querem isso. Assim, links internos ajudam o leitor. Mas você também ajuda o seu SEO.

Você só ganha com isso.

5. Use links relevantes

Criar links internos, como eu deixei claro, é menos rigoroso e científico do que pensam algumas pessoas. Mas você ainda assim precisa ter intenção. Não crie links só por criar. Ao invés disso, crie links para conteúdos relevantes ao contexto de origem.

Em outras palavras, digamos que eu tenha uma página no meu site sobre ração para cães. E outra página sobre os hábitos de ninho de periquitos. (Não tenho nada disso.)

Será que eu devo conectar essas duas páginas?

Não há uma ligação forte entre ração para cães e ninhos de periquitos, especialmente em um nível superficial. Essas duas páginas provavelmente não teriam melhorias mútuas devido a links internos entre si.

Mas se eu tiver uma página sobre alimentos para periquitos, talvez ela seja um ótimo link interno para o meu artigo sobre ninhos  de periquito. O mais provável é que informações sobre “periquitos” apareçam em ambas as páginas. E por causa dessa sobreposição de conteúdos, o link é relevante.

Crie o máximo possível de links para conteúdos relevantes em seus links internos.

6. Use links follow

Links follow são a melhor forma de expandir a arquitetura de links internos do seu marketing de conteúdo.

Uma estratégia teórica do passado sobre estratégias de links internos era usar nofollow na maioria dos links em uma página, a fim de aumentar o link juice para uma única página. Esse tipo de escultura de pagerank não funciona como estratégia de SEO.

Em 2005, os motores de busca criaram o nofollow, conhecido pelo atributo rel=nofollow. A ideia por trás do nofollow era que o link “não deve influenciar o posicionamento do destino do link no índice do motor de busca”. Como declarou a Wikipedia, esses links deveriam “reduzir a eficácia de certos tipos de publicidade na internet, porque o algoritmo de busca deles depende fortemente do número de links para um site.”

Apesar do tumulto e da confusão geradas pelo link nofollow, hoje a maioria das pessoas concorda que ele é uma boa ideia. Como Danny Sullivan explicou, links nofollow podem ajudar sites a “evitar problemas com motores de busca que acreditam que eles estão vendendo influência ou estão envolvidos em esquemas considerados práticas de SEO inaceitáveis.”

Mas apesar do seu valor, usar links nofollow não é uma estratégia que você deve adotar com seus links internos de conteúdo. O valor do link precisa fluir livremente de e para as páginas internas, ao invés de ser bloqueado por um nofollow. Deixe as coisas livres e fluidas.

7. Use um número razoável de links internos.

Você não precisa de montes de links em seu conteúdo interno. As instruções do Google são simples: “Limite os links em uma página a um número razoável.”

Pergunta: O que raios é um número razoável?

Resposta: Ninguém sabe.

Pessoas inteligentes já tentaram responder a essa pergunta, mas nem mesmo Matt Cutts forneceu uma declaração definitiva. Ele escreveu “Parece correto recomendar mais ou menos 100 links”, e “em alguns casos, pode fazer sentido ter mais do que 100 links.”

E então, será que você deve ter até 100 links? Talvez, mas esses total de 100 links inclui todos os links em uma página: rodapé, cabeçalho, barras de navegação, anúncios, tudo. 100 links não é tanto quanto parece quando você calcula o número total de HREFs em uma página toda.

Quando se trata de links internos, eu sugiro entre 3 e 4, dependendo da extensão do seu post. Eu geralmente escrevo artigos com mais de 1.500 palavras, e não tenho uma barra de navegação cheia de links. Assim, eu não ficaria preocupado de inserir 10 ou 20 links internos se for preciso.

Não existe número mágico. Mas existe o mais importante, o usuário. Adicione tantos links quanto for útil para o usuário.

Não crie blocos gigantes de links no rodapé em todo o site.

Essa era uma prática muito comum em sites de viagens e imobiliárias uns dois anos atrás. Esses sites incluíam seus links internos mais valiosos, cheios de palavras-chave, próximo do rodapé. Não era raro ver mais de 50 desses tipos de links junto ao rodapé. O problema é que quanto você tem um site com centenas de páginas, isso rapidamente se multiplica em dezenas de milhares de links tipo spam, que levam os motores de busca a penalizar o seu site rapidamente. Em 2013, muitos desses sites receberam penalidades de algoritmo por causa dessas práticas.

Conclusão

Usando esses sete mandamentos, criar links internos é muito fácil. Não é opressivo, complicado ou difícil. O mais incrível é que você vai conseguir um perfil de links mais forte e um SEO melhor ao criar links internos de forma consistente. Vale a pena até voltar e auditar seu conteúdo antigo para confirmar se ele inclui links internos suficientes.

Compartilhe