Native Ads: O Que São, Como Aplicar e 14 Plataformas Para Você Usar

ilustraçao demonstrando carrinho de compras em fundo azul

Native ads serão o futuro da publicidade online nos próximos anos.

Opa, ainda não sabe o que esse termo significa?

Tudo bem, vou explicar para você.

Os native ads são anúncios que aparecem no formato de conteúdo recomendado para usuários em blogs, sites de notícias e redes sociais.

Na prática, eles são mais orgânicos e menos intrusivos, tendo a aparência de um conteúdo editorial feito pela própria página, e não por um anunciante.

Por essa razão, levam a mais cliques entre os usuários.

De acordo com um relatório de 2016 da IHS Technology, em 2020, 63,2% dos anúncios de exibição nos dispositivos móveis serão nativos, representando 53 bilhões de dólares em receitas de publicidade.

Sabe o que isso quer dizer, não é mesmo?

Que marcas que não investirem nesse recurso perderão oportunidades significativas de obter leads e convertê-los em clientes.

Se você não quer que isso aconteça com o seu negócio, siga lendo este guia e entenda o que são native ads, como planejar uma campanha e quais plataformas podem ajudar.

Interessado em dominar esse tema?

Venha comigo.

O que são Native Ads?

homem segurando tablet ao clicar em native ads

Native ads são anúncios online dentro de blogs, sites de notícias e redes sociais que não têm o formato tradicional de propaganda. Traduzindo para o português, o termo significa publicidade nativa. Trata-se de um tipo de anúncio que geralmente aparece para o usuário no formato de recomendação de conteúdo.

Os native ads surgem na tela como conteúdo destacado, como se fizessem parte do fluxo editorial, e proporcionam uma experiência relevante para o usuário.

Veja a definição do Google: “Anúncios baseados em componentes que são utilizados pelo editor, e não pelo anunciante”.

Em outras palavras, é um anúncio que não tem a aparência de um anúncio e que incorpora os elementos de onde é veiculado.

É bem provável que você já tenha clicado ou visto um desses anúncios ao entrar em um site de notícias.

Abaixo da matéria, aparecem algumas opções de conteúdos recomendados com assuntos relacionados ao que você acabou de ver.

Pois é, esses conteúdos são native ads.

E eles podem gerar resultados tão bons para a empresa quanto anunciar diretamente nas buscas do Google ou direcionar campanhas de anúncios nas redes sociais.

De acordo com uma pesquisa da Sharethrough e IPG Media, consumidores analisaram native ads com 53% mais frequência do que anúncios de display (aqueles que aparecem no formato de banner).

Além disso, esses anúncios registraram um aumento de 18% na intenção de compra e de 9% nas respostas das pessoas em relação à afinidade da marca em relação ao display.

Como os dados revelam, investir em native ads pode trazer resultados surpreendentes para o negócio.

E isso considerando diferentes objetivos, como gerar leads, aumentar o brand awareness ou fazer com que um produto ou serviço seja mais conhecido.

Sabe por que a receptividade dos usuários é maior?

Porque esse tipo de anúncio é menos invasivo em relação a um banner com produtos ou serviços de uma empresa aparecendo na tela do usuário.

Ao invés disso, native ads aparecem como conteúdo relevante e informativo, o que gera mais atratividade para que o usuário clique nele.

Diferença entre Native Ads e outros formatos de anúncios online

opçao facebook criar um ad em tela de computador

Afinal, o que diferencia os native ads de outros tipos de publicidade online?

Antes de responder à questão, vou contextualizar o que são esses outros formatos.

São os anúncios online tradicionais, que incluem:

Há dois fatores que distinguem esses anúncios dos native ads:

  • A forma como afetam a experiência do usuário
  • A relevância do conteúdo.

Pense, por exemplo, em quando você está assistindo a um vídeo no YouTube e, de repente, surge um anúncio na tela que atrapalha a sua experiência.

É provável que você fique irritado, certo?

Mas imagine, por exemplo, ler um artigo em um blog sobre finanças quando, logo abaixo, aparece uma sugestão de conteúdo em formato native ads com este título: “10 ferramentas para investir”, promovido por uma empresa do mercado financeiro.

Você ficará tentado a clicar para saber mais, não é mesmo?

É que esse tipo de anúncio reuniu as duas características que eu citei antes, além abordar a mesma temática do blog.

Primeiro, ele não interrompeu a sua navegação, o que tornou a sua experiência no blog mais agradável.

Segundo, o conteúdo tinha relevância, e você ficou interessado nele.

Em um artigo para o blog da SEMrush, Brad Keys, diretor de estratégia e vendas da 180fusion, afirma que os native ads são posicionados perfeitamente em site para que não atrapalhem a experiência do espectador.

“Na maioria das vezes, esse tipo de distribuição de conteúdo vai usar informações relevantes ou interessantes para envolver os leitores nos quais a empresa está mirando dentro do domínio de outra pessoa”, explica o autor.

As 6 principais vantagens de investir em native ads

ilustraçao demonstrando laptop e smartphone com native ad em sites

Depois de entender o que são native ads, é hora de conhecer os principais benefícios de investir nesse formato.

Vamos nessa?

1. Experiência agradável ao consumidor

Como eu disse antes, o diferencial desse formato de anúncio é que ele promove uma experiência positiva para o usuário.

Afinal, a ideia é apostar em conteúdo relevante e de qualidade, captando a atenção do consumidor justamente pelo valor agregado ao anúncio.

Aliás, lembre-se disto: hoje em dia, o foco do marketing digital deve estar em promover experiências aos usuários que sejam capazes de torná-los fãs das marcas.

2. Atrai novos visitantes ao site ou blog

ilustraçao demonstrando laptop com mao segurando lupa ampliando native ads em site

Uma vez que a publicidade nativa é geralmente posicionada em blogs e sites de notícias, as marcas ampliam as oportunidades para atrair usuários ao seu próprio site  - mesmo aqueles que nunca ouviram falar de você.

Isso acontece sobretudo se você apostar na segmentação dos anúncios para que alcancem um determinado público.

Na prática, significa mais leads e, consequentemente, a possibilidade de converter mais clientes.

3. Alta taxa de aceitação

Se os native ads geram aumento de 18% na intenção de compra, é porque possuem uma taxa de aceitação relevante.

É que, geralmente, ao clicar nesse tipo de anúncio, o usuário já está engajado no assunto justamente porque acabou de ler sobre ele no blog.

O conteúdo do anúncio vem como uma forma de complementar aquela informação, despertando a curiosidade do usuário e incentivando o clique.

4. Gera valor para o usuário

Um conteúdo de native ads relevante é aquele capaz de gerar valor para o consumidor.

É quando ele é capaz de resolver um problema do usuário, oferecendo soluções que podem ser aplicadas no dia a dia.

De modo geral, outros tipos de anúncios não fazem isso, pois apenas “jogam” produtos e serviços na tela em uma tentativa de atrair o olhar do consumidor.

Com os native ads, você fisga o usuário pelo conteúdo de valor: primeiro fala sobre um problema que ele precisa resolver, e depois oferece seu produto ou serviço.

5. Aumenta o alcance e o reconhecimento de marca

Essa vantagem é proporcionada pelo fato de que native ads são posicionados em portais, blogs e redes sociais.

Isso permite alcançar pessoas que ainda não conhecem a sua marca, mas que possam ter interesse nas soluções que você oferece.

6. Não podem ser bloqueados

ilustraçao demonstrando janelas de computador bloqueando ads de sites

Como os native ads são dispostos dentro de um blog ou site, eles aparecem como se fosse outros conteúdos da página.

Por isso, geralmente, não são bloqueados por ad blockers  - ferramentas que filtram anúncios.

Como planejar uma campanha de Native Ads

ilustraçao demonstrando laptop e pequenas pessoas simbolizando planejamento de campanha de native ads

Já está convencido a apostar nesse recurso para captar leads e aumentar o tráfego do seu site?

Então, comece pelo planejamento da campanha.

A seguir, separei quatro dicas para acertar nessa hora:

1. Defina o seu público

mao circulando ilustraçao simbolizando publico alvo

O primeiro passo é estabelecer qual é o seu público-alvo.

Essa definição ajuda em dois momentos: criar o conteúdo mais adequado e escolher o canal no qual o anúncio será veiculado.

Uma ferramenta essencial é a persona, uma representação fictícia do público que você espera atingir.

A partir dessa persona, você vai identificar necessidades, desejos e dados demográficos desse grupo de pessoas.

E aí, terá base para planejar native ads otimizados.

2. Defina sua meta

A segunda etapa inclui definir o seu objetivo a partir dos anúncios.

Ou seja, refletir sobre aonde você quer chegar.

Pretende gerar tráfego?

Atrair leads de venda?

Aumentar o brand awareness?

Independentemente de qual seja a sua meta, é essencial tê-la muito clara em mente.

Essa definição ajuda a montar o anúncio, escolhendo a oferta, o conteúdo e a plataforma, como eu disse antes.

Além disso, se torna possível analisar métricas e resultados da campanha à luz das metas.

Dessa forma, saberá se a estratégia funcionou ou se precisa ser alterada para fornecer os resultados esperados.

3. Aborde os assuntos relevantes para os usuários

O próximo passo é focar no conteúdo relevante.

Para isso, você deve abordar assuntos nos quais os usuários estejam interessados.

A partir da sua persona, faça uma pesquisa para identificar os assuntos que elas buscam online, as páginas e blogs que seguem e o tipo de conteúdo que consomem.

Essas informações servirão como guia para escolher os assuntos abordados.

Meu conselho é que essa temática resolva um problema do usuário.

“Para conseguir esse engajamento, ofereça conteúdo (artigos, vídeos …) nos quais você primeiro determine a necessidade de seu cliente em potencial e, em seguida, apresente seu serviço como uma solução”, aconselha David Tomas, CEO do Cyberclick, em um artigo para o site.

De acordo com o autor, se você começar listando os benefícios do seu produto, é provável que perca o interesse do usuário.

Então, comece pelo problema dele e capture sua atenção por meio de informações valiosas.

4. Defina sua oferta

tela de smartphone em opçao criar ads em aplicativo

Para estabelecer a sua oferta, o ideal é analisar em qual estágio do funil de vendas o seu público se encontra.

Se você estiver focando em pessoas que ainda não conhecem sua marca, o ideal é promover conteúdo relacionado ao que ela consome na rede e abordar um problema.

Mas se você direcionar native ads para consumidores que já têm uma relação com você, é interessante falar do seu produto ou serviço para incentivar a compra.

Quanto mais segmentada for a oferta, mais chances de concretizar a sua meta a partir do anúncio.

3 Exemplos de native ads para você se inspirar

mesa com laptop, tablet e materiais de escritorio

Que tal ver alguns exemplos de como os native ads aparecem para o usuário?

Use essas referências para se inspirar na hora de planejar a sua campanha.

Em blog ou site de notícias

Nesse tipo de plataforma, os anúncios aparecem como sugestões de conteúdo ao final da notícia ou artigo que o usuário acabou de ler.

Por isso, quanto mais interessante for o título (e mais relevante for o assunto), mais chances de o usuário acessar o link.

No Facebook

mulher segurando tablet com tela de login de facebookem frente a laptop

No Facebook, os native ads aparecem no feed de notícias entre as postagens das pessoas que você segue.

Nesse caso, eles abordam assuntos relevantes para você, conforme as suas preferências na rede.

No Google

icone de aplicativo google ads em tela de smartphone em bolso de calça

Native ads veiculados no Google aparecem quando o usuário insere uma determinada palavra-chave no mecanismo de busca.

O anúncio aparece nos primeiros resultados com a indicação de ser patrocinado.

14 Plataformas de native ads para você usar na sua estratégia

ilustraçao demonstrando smartphone com native ads em site mostrando em tela e moedas ao lado

Nas próximas linhas, vou sugerir algumas plataformas que você pode utilizar para veicular native ads. Confira.

1. Taboola

Uma plataforma popular é o Taboola, que possui um mecanismo de direcionamento de anúncios de acordo com contexto, região e dados demográficos.

É possível incluir o seu conteúdo em sites como Estadão, Terra e InfoMoney.

2. Outbrain

Uma das plataformas mais utilizadas no Brasil, o Outbrain permite veicular seu conteúdo em sites de grupos como Editora Abril, Editora Globo e Folha de São Paulo.

Ou seja: são espaços de tráfego intenso, onde você tem mais chances de atrair leads e visitantes.

3. UOL Ads

A UOL Ads também possui sistema inteligente de segmentação e oferece a opção de investimentos personalizáveis.

Alguns sites nos quais é possível anunciar com a plataforma são revista Caras, Rolling Stone e Folha de São Paulo.

4. AdNow

O AdNow tem parceria com grandes plataformas, como Amazon, AliExpress e eBay.

Com ele, é possível promover qualquer produto, serviço ou conteúdo e pagar apenas por visitantes reais.

5. Revcontent

O Revcontent promete gerar receita com tráfego de 30 a 50% a mais do em outras plataformas e inclui sites como Forbes e Nasdaq.

Também possui a funcionalidade de usar insights sobre a audiência para embasar a tomada de decisão.

6. MGID

Outra possibilidade é o MGID, que disponibiliza dados analíticos em tempo real e um dashboard intuitivo para anunciantes.

7. Native Ads no Gmail

Se você deseja veicular esse tipo de anúncio no Gmail, utilize o Gmail Ads por meio do Google Adwords.

O anúncio aparece como um teaser na caixa de entrada do usuário.

8. Native Ads no Google

É possível usar o Google Ad Manager para criar anúncios nativos destinados ao buscador.

9. Native Ads no Facebook

Para fazer native ads no Facebook, utilize o recurso Audience Network, criando anúncios que parecem orgânicos à experiência do usuário dentro da rede social.

10. Yahoo Gemini

Com o Yahoo Gemini, você pode escolher entre vários formatos de native ads, como imagens, vídeos, anúncio de instalação de app e anúncio de busca no Google, por exemplo.

Também é possível importar campanhas do Google AdWords para dentro da plataforma.

11. Google Admob

O Google Admob é destinado a aplicativos mobile e possibilita engajar usuários,personalizando a experiência, por meio de um conjunto de anúncios, incluindo os native ads.

12. Applovin

O Applovin é a plataforma indicada para promover aplicativos de jogos a partir de native ads, inclusive a partir do formato de vídeo, para levar mais usuários ao app.

13. Appnext

Use o Appnext para direcionar campanhas e ter acesso a um dashboard com insights claros a respeito dos KPIs (indicadores-chave de performance) relevantes para o seu negócio.

14. Appodeal

Outra opção é a plataforma Appodeal, que permite a criação de native ads com formato ideal para a conversão.

Conclusão

Chegando ao fim do artigo, você deve ter notado que explorar native ads é praticamente obrigatório para empresas que desejam otimizar campanhas.

Afinal, eles aparentam ser mais orgânicos para o usuário, geram mais cliques e proporcionam experiências de valor.

Ou seja: há mais chances de você conquistar seu objetivo com esse tipo de publicidade.

Para isso, jamais deixe a qualidade do seu conteúdo de lado.

Ele é o item mais importante para convencer o leitor a clicar no seu link e a continuar lendo, consumindo as informações dentro do seu site ou blog.

Esse é o passo fundamental para converter visitantes em leads de venda e, mais tarde, em clientes do seu negócio.

Portanto, utilize as dicas que eu trouxe aqui e escolha a plataforma mais adequada às suas necessidades.

Faça um bom planejamento, conheça o seu público e monte campanhas de native ads com conteúdo relevante.

Dessa forma, você já tem em mãos os componentes de sucesso para essa estratégia.

E você, o que achou da ideia de usar native ads para promover a sua marca?

Acha que ele pode ajudar a sua empresa?

Deixe nos comentários abaixo a sua opinião e dúvidas sobre o tema.

Compartilhe