Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Como a Atualização Bert do Google Vai Afetar o Marketing de Conteúdo

O Google anunciou que seu algoritmo vai passar por uma nova atualização chamada Bert.

Eu sei o que você está pensando… Será que isso realmente importa? Será que eu devo perder tempo entendendo como funciona?

Bom, o Bert vai afetar 1 em cada 10 termos de busca.

Para se ter uma ideia de quão importante é essa atualização, é a maior desde que o Google lançou o RankBrain.

Ou seja, é bastante provável que influencie o seu site. E, se não influenciar, conforme seu tráfego aumenta, vai acabar influenciando.

Mas antes de falarmos sobre como essa atualização afeta profissionais de SEO e o que você precisa ajustar (vou falar sobre isso mais adiante nesse post), vamos primeiro falar do que trata essa atualização.

Afinal, o que é Bert?

Bert é a sigla para Bidirectional Encoder Representations from Transformers (Representações Codificadoras Bidirecionais de Transformadores).

Você deve estar se perguntando o que raios isso significa, não é?

Basicamente, o Google ajustou seu algoritmo para entender melhor o processamento de linguagem natural.

Pense da seguinte maneira: se você coloca o número de um voo no Google, ele normalmente te mostra o status desse voo. Ou pode ser que apareça uma calculadora quando você digita uma equação matemática. Ou, se você digita o símbolo de uma ação, você vê uma tabela de ações.

Ou até um exemplo mais simples: você pode começar a digitar no Google e o mecanismo de autocomplete entende o que você está buscando antes mesmo de você terminar de digitar.

Mas o Google já tinha desenvolvido isso tudo antes do Bert. Então vamos dar  uma olhada em alguns exemplos do Bert em ação.

O Bert é útil mesmo?

Vamos ver 4 exemplos do Bert.

Digamos que você busque por “2019 viajante brasil para EUA precisa visto”.

Antes do Bert, o primeiro resultado seria como cidadãos dos EUA podem viajar para o Brasil sem visto. Mas dê uma olhada nos termos de busca mais atentamente… É sutil, mas é uma grande diferença.

A busca não era sobre pessoas dos EUA que vão para o Brasil, e sim sobre pessoas do Brasil viajando para os EUA.

O resultado depois da atualização do Bert é muito mais relevante.

Agora o Google leva em consideração preposições como “para” ou “a”, que podem ter diversos significados no termo de busca.

Veja mais um exemplo… “esteticistas ficam muito tempo em pé no trabalho”…

Anteriormente, o Google fazia a correspondência dos termos. Por exemplo, o sistema deles interpretava “em pé” como sendo a mesma coisa que “pé de” alguma coisa.

Agora eles entendem que a expressão “em pé” tem um contexto de esforço físico. Ou seja, o trabalho é cansativo? Você precisa ficar muito tempo de pé?

Mais um, “é possível conseguir remédio para a farmácia de alguém”…

Como você pode ver pela imagem de antes e depois, fica claro que o novo resultado é mais relevante.

O mesmo acontece com “livros de exercícios de matemática para adultos”…

Essa é a única mudança?

Não, não é. O Google também fez mudanças em snippets destacados.

Por exemplo, se você buscasse por “estacionar em ladeira sem meio fio”, o Google dava muito mais ênfase à palavra “meio-fio”, e não dava ênfase suficiente à palavra “sem”.

Faz toda a diferença… E dá para ver pelos resultados.

As mudanças trazidas pela nova atualização do algoritmo o torna muito mais relevante para os usuários e cria uma experiência muito melhor para você, eu e qualquer pessoa que usa o Google.

Mas como afeta profissionais de SEO?

Você precisa mudar sua estratégia de SEO

Existem três tipos de consulta que as pessoas costumam fazer ao realizarem uma busca:

  1. Informacional
  2. Navegacional
  3. Transacional

Uma consulta informacional é como alguém que quer perder peso. Essa pessoa não sabe bem como fazê-lo e talvez busque por “como perder peso”.

Depois de fazer a busca, ela pode encontrar uma solução, como diversos tipos de dieta. A partir daí, pode-se encontrar uma solução, usando uma consulta navegacional, como “dieta Atkins”.

Depois que alguém encontra a solução exata, pode fazer uma consulta transacional, como “o livro de receitas da dieta Atkins”.

Pelo que estamos vendo daqui, o principal impacto do Bert é nas palavras-chave do topo do funil, que são palavras-chave informacionais.

E se, além de manter sua posição nos rankings, você quiser abocanhar algumas posições dos seus concorrentes, uma solução simples é tornar seu conteúdo bastante específico.

Normalmente, quando se cria conteúdo, que é a forma mais fácil de ranquear para palavras-chave informacionais, profissionais de SEO dizem para se criar conteúdo bastante longo.

Você pode ver que tem muito conteúdo longo ranqueando bem no Google, mas o algoritmo deles não foca no número de palavras, e sim na qualidade.

O contexto do tweet do Danny Sullivan, que é o contato da busca do Google, é que ele quer que profissionais de SEO foquem na criação de conteúdo que seja basicamente de qualidade, original, útil e que chame atenção.

Quando você usa ferramentas como o Ubersuggest para encontrar novos assuntos para buscar, você precisa ter certeza de que seu conteúdo é bastante específico.

Por exemplo, se você tem um negócio no ramo de fitness e fizer um post sobre “como perder peso sem tomar remédios”, seu conteúdo não deve se concentrar em shakes ou suplementos nem nada que se assemelhe muito a remédios. Ele deve discutir métodos alternativos.

Eu sei o que você deve estar pensando, shakes e suplementos podem não ser remédios para emagrecer e não são a mesma palavra-chave, mas esteja preparado para o Bert se tornar mais sofisticado ano que vem, entendendo melhor o que as pessoas de fato estão procurando.

Além disso, você deve parar de focar na densidade de palavras-chave.

Sim, muitos profissionais de SEO já passaram dessa fase, mas eu ainda recebo um monte de emails todos os dias me perguntando sobre densidade de palavras-chave.

A densidade de palavras-chave vai ser ainda menos importante no futuro conforme o Google for melhor entendendo o contexto do conteúdo que você está escrevendo.

Onde está a oportunidade, afinal?

Como eu disse, está relacionada à criação de conteúdo altamente específico sobre determinado assunto.

Não se trata necessariamente de criar uma página super longa falando sobre 50 coisas diferente em 10.000 palavras. Se trata mais de responder à pergunta de um usuário o mais rápido possível e oferecendo mais valor do que os concorrentes.

Exatamente como quando você busca por “como é estar nas Olimpíadas”, você vai ver uma lista de resultados mais ou menos assim:

Embora o primeiro resultado tenha o título “Como é ir às Olimpíadas”, o artigo não detalha a experiência de ir para assistir, e sim de ir como atleta. Como um usuário esperaria com base nos termos de busca.

Bert claramente conseguiu entender isso, embora o título pudesse funcionar das duas formas. E o artigo em si não é tão longo. Ele só tem 311 palavras.

Se você quer ter sucesso nos rankings para palavras-chave informacionais, seja bastante específico e responda à pergunta de um jeito melhor que seus concorrentes. De vídeos e fotos a áudio, faça o que for preciso para criar uma experiência melhor.

Para ficar claro, isso não significa que conteúdo longo não funcione. É só que todo profissional de marketing já foca em conteúdo longo. Eles já estão atrás de termos genéricos que podem ser interpretados de 100 formas diferentes e é por isso que o conteúdo pode ser longo e detalhado.

Ou seja, foque mais em termos de cauda longa.

Você pode achar que é óbvio, mas vamos dar uma olhada nos dados.

Tudo começa com o Ubersuggest. Se você ainda não o usou, você pode digitar uma palavra-chave como “marketing” e ele vai te mostrar o volume de busca, bem como te dar milhares (ou até milhões) de variações de palavras-chave.

Nos últimos 30 dias, 4.721.534 consultas de palavras-chave foram feitas no Ubersuggest por 694.284 profissionais de marketing. Essas 4.721.534 buscas retornaram 1.674.841.398 recomendações de palavras-chave.

E, claro, profissionais de SEO poderiam digitar termos genéricos para encontrar mais frases de cauda longa, mas quando vemos as palavras-chave que as pessoas selecionam e exportam no Ubersuggest, 84% dos profissionais de marketing focam em termos de busca com um ou dois termos.

Apenas 1,7% dos profissionais de marketing focam em termos de busca com cinco ou mais palavras.

Seguir a estratégia de criar conteúdo sobre palavras de cauda-longa muito específicas é tão eficaz que sites como o Quora estão gerando 60.428.999 visitantes por mês só pelo Google nos Estados Unidos.

E grande parte do conteúdo deles não é super detalhado com respostas de 10.000 palavras. Eles simplesmente se concentram perguntas bastante específicas que as pessoas fazem.

Conclusão

Mesmo que seu tráfego de busca caia um pouco com a última atualização, isso é uma coisa boa.

Eu sei que parece loucura… Se alguém buscasse “como perder peso sem tomar remédios” e fosse parar no seu artigo sobre como remédios para emagrecer são ótimos, ela clicaria no botão de voltar e voltaria para o Google.

Ou seja, seria pouco provável que o tráfego se tornasse uma conversão.

Claro, essa atualização pode te fazer perder algum tráfego, mas esse tráfego estava acabando com as suas métricas de usuário e aumentando sua taxa de abandono.

Além disso, essa é a sua oportunidade de criar conteúdo super específico. Se você perder tráfego, veja as páginas que caíram, os termos de busca para os quais você não está mais ranqueando e vá ajustar seu conteúdo ou crie conteúdo novo que responde as perguntas que as pessoas estão fazendo.

Se você não sabe como fazer isso, basta logar no Search Console, clique em “resultados de busca”, e clique no botão de data.

Depois, clique em comparar e selecione as datas nas quais se tráfego caiu e compare-as com os períodos anteriores. Em seguida, selecione “Consultas” e organize pela maior diferença.

Você vai precisa buscar pelos termos de buscas de mais longo prazo, já que esses são os mais fáceis de se ajustar. E se você não sabe bem o que ajustar, basta buscar no Google por termos que caíram nos rankings e ver os concorrentes que estão nas primeiras posições. Compare sua página com as deles e isso vai te dar algumas ideias.

E aí, o que você achou da última atualização?

Compartilhe