Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

2 Ideias que Parecem loucura mas farão sua Estratégia Social Crescer

unique social media strategy

Caso esteja tendo dificuldades com sua estratégia social atual, talvez seja hora de tentar algo novo.

Até onde sei, existem três diferentes escolas de pensamentos sobre como desenvolver uma estratégia de marketing em redes sociais.

A primeira delas trabalha com um foco na utilização das táticas mais modernas disponíveis. No atual panorama de marketing em redes sociais, a maior parte dos negócios segue essa ideologia.

Negócios como a Marketing Land, por exemplo, trabalham com uma estratégia de conteúdo que envolve abordar cada mudança dentro da indústria para transformá-la em algo de valor para o seu público.

20.1

E como você poderia culpá-los? Afinal, quando grande parte da indústria parece estar apoiando uma nova tática, é fácil pensar que sua estratégia precisa ser atualizada.

Já a segunda escola de pensamento opera de forma contrária. Ao invés de focarem no que é novo e empolgante, esses negócios preferem trabalhar com métodos que foram comprovados como eficazes.

Coisas novas são interessantes, porém, estas marcas se importam mais com a possibilidade de observar os dados e saber o que exatamente faz da tática algo valioso.

Buffer produz o tipo de conteúdo perfeito para exemplificar essa situação.

20.2

Embora eles possam certamente inspirar-se em eventos atuais, estão muito mais dispostos a focar em tópicos específicos e relevantes, que fogem do alcance de tendências mais recentes.

Cada uma dessas abordagens tem suas vantagens.

Ao tratarmos da primeira ideologia, ter um foco nas estratégias mais modernas significa que sua estratégia de redes sociais estará evoluindo constantemente para acompanhar as mudanças do panorama de marketing em redes sociais.

Porém, a segunda ideologia oferece resultados confiáveis diariamente. Embora ela não pareça tão atraente e empolgante, não há como negar que ela traz resultados.

Ambas ideologias têm vantagens e desvantagens, mas hoje não estarei focando em nenhuma delas.

Não, hoje irei falar sobre a terceira escola de pensamento, uma que costuma ser muito esquecida.

Essa ideologia envolve encontrar táticas únicas e pouco utilizadas, para então incorporá-las em suas estratégias sociais.

Agora, alguns de vocês podem estar se perguntando por que alguma empresa iria arriscar utilizar essa ideologia como base de suas estratégias em redes sociais.

A resposta é que embora ela não envolva usar as táticas mais modernas ou práticas mais comuns de marketing, estas táticas menos utilizadas podem garantir grandes vantagens para sua marca.

O motivo disso é bem óbvio. Se há alguma tática de marketing em redes sociais que não está recebendo a devida atenção, isso coloca o seu negócio em uma posição única para tirar o maior proveito possível.

O problema das escolas de pensamento anteriores é que a maioria daquelas táticas provavelmente também estarão sendo utilizadas pela sua concorrência.

É claro, não há nada de errado nisso, mas você deve admitir que é mais difícil se destacar nas redes sociais quando está fazendo exatamente o que outros 10 negócios na sua indústria também fizeram.

Então, para descobrir como desenvolver uma estratégia social que realmente muda a situação e gera resultados, iremos analisar algumas das táticas menos valorizadas da indústria.

Até o fim deste artigo, você terá uma lista de cinco táticas que além de serem eficazes, também são completamente subestimadas e estão apenas esperando para sua marca se aproveitar delas.

Gostou disso? Ótimo.

Agora, com isso fora do caminho, vejamos a primeira tática, que consiste em aproveitar ao máximo suas redes sociais.

Utilize grupos do Facebook e listas do Twitter

Caso você seja novo na área de marketing em redes sociais, ou se nunca se importou em explorar tudo dentro do Facebook e Twitter, pode não ter notado estas funcionalidades.

Para aqueles que estão dentro de umas destas categorias, farei um breve resumo destas funcionalidades.

Basicamente, os grupos do Facebook e as listas do Twitter são espaços da comunidade para pessoas que estão interessadas no conteúdo produzido pela sua marca ou indústria.

Claro, talvez você pergunte “Ué, não é para isso que serve o meu perfil na rede social?”.

Bem, sim e não.

É verdade que as pessoas que lhe seguem nas redes sociais estão definitivamente interessadas na sua marca, porém, não há como saber até que nível elas estão investindo em você.

Ter um alto número de seguidores é muito bom, porém, isso não garante que seu engajamento seja tão alto quanto.

Muitos deles podem ser seguidores fantasmas, ou pessoas que não queiram mais o seguir, mas não clicaram no botão para isso ainda.

Seus perfis em redes sociais são um ótimo ponto de partida, contudo, para garantir a maior eficácia possível da sua estratégia social, é necessário descobrir como maximizar o engajamento.

Veja agora como utilizo estas táticas com os grupos do Facebook e listas do Twitter.

Primeiro, vamos dar uma olhada nos grupos do Facebook.

20.3

A sua presença nas redes sociais é, resumidamente, mais forte quando ela funciona como um espaço da comunidade. Afinal, o objetivo é socializar, não é?

Utilizar sua conta do Facebook para publicar atualizações sobre o seu produto mais novo é interessante, mas sabe o que é ainda melhor?

Criar um ambiente onde seus seguidores podem se comunicar com você e outros seguidores para discutir inovações na indústria, novos produtos, ideias e opiniões.

É uma maneira simples de inserir humanidade nos seus esforços de marketing, além do bônus de aumentar seu engajamento.

Enfim, a ideia parece ótima no papel, mas como tudo isso acontece na prática?!

Bem, grupos do Facebook como o Entrepreneurs Only são facilmente os mais populares destas duas opções.

20.4

Considerando que uma pessoa comum utiliza habitualmente essa ferramenta para coisas como alertar os amigos de um novo número de telefone, pode-se dizer que é uma ferramenta bem conhecida.

No entanto, ainda é extremamente subestimada pelas marcas.

Caso aprenda a se beneficiar dos grupos do Facebook, estará um passo à frente da concorrência para estabelecer um espaço da comunidade.

Mas, primeiramente, sobre o que deve ser o seu grupo?

Para decidir, se baseie nas suas buyer personas. Se por algum motivo ainda não as desenvolveu, agora é a hora de começar.

Determine os tópicos comuns entre os membros do seu público. Visto que eles já estão te seguindo, pelo que mais devem se interessar?

Caso esteja tendo dificuldades nesta etapa, analise o que tem acontecido na sua indústria recentemente ao procurar por palavras-chave no Facebook e observar que grupos aparecem.

20.5

Se deseja criar uma comunidade para pessoas que se identificam como empreendedores, vá em frente e veja sobre o que os maiores grupos do Facebook estão falando.

Isso me leva ao meu segundo ponto. Com um grupo do Facebook, além da possibilidade de se comunicar com seu público nas redes sociais, também é possível se comunicar com outros grupos.

Sabe aqueles maiores grupos do Facebook que você teve como inspiração? Não há nada lhe impedindo de se juntar a eles e ser parte de um grupo com milhares de pessoas que pensam da mesma forma que você.

A beleza desta tática é que seu demográfico-alvo já estará reunido em um só lugar.

Geralmente, os membros nestes grupos têm mais interesse pela sua indústria que outros seguidores comuns, e provavelmente irão apreciar mais os conhecimentos fornecidos em suas publicações.

E sim, você deve transmitir seus conhecimentos nos grupos.

Porém, não se engane, essas comunidades irão perceber sua autopromoção, então se limite a fornecer valor através de discussões.

Além de proporcionar uma experiência muito mais natural nas redes sociais, os grupos também ajudam a manter o foco em engajamento significativo.

As listas do Twitter, embora semelhantes, costumam ter uma taxa menor de uso do que os grupos do Facebook.

Veja, como exemplo, a lista de funcionários da Marshable, uma das maiores listas da área de tecnologia no Twitter.

20.7

No entanto, é possível aproveitar elas ao máximo, mesmo não sendo tão amplamente utilizadas.

As listas do Twitter também operam como um espaço dedicado à comunidade com uma ênfase em conteúdo curado.

Porém, nesse caso, sua abordagem ao procurar por listas do Twitter precisará ser um pouco diferente, visto que o Twitter não tem uma seção definida para “listas”.

Felizmente, ainda há uma maneira de encontrar listas de indústrias específicas no Twitter.

Tudo o que você precisa fazer é ir ao Google e digitar “site:twitter.com”, seguido pela indústria desejada em aspas. Depois, escreva “lista” no fim da frase e pesquise.

20.6

Dessa forma, serão exibidas diversas listas para você explorar.

Essas ferramentas podem parecer inúteis para algumas pessoas, mas a verdade é que a habilidade de criar um ambiente para os seus seguidores mais interessados faz maravilhas para fidelidade de marca.

Escreva postagens mais longas

É fácil perceber porque as pessoas têm medo de escrever postagens mais longas.

Mesmo que você tenha muito a dizer sobre algum assunto que lhe interessa muito, existe sempre um medo de que as pessoas irão ficar entediadas lendo seu conteúdo.

Além disso, o fato das pessoas adorarem citar a aparente diminuição no tempo de concentração dos seres humanos não ajuda muito.

Primeiramente, essa estatística que sempre ouvimos falar? A que diz que conseguimos nos manter focados por menos tempo que um peixe-dourado? É falsa. Não existem dados que apoiem essa afirmação.

É só um efeito colateral infeliz de pessoas tentando simplificar demais uma mudança na cultura que parece ameaçar a nossa capacidade de pensamento crítico.

Com certeza, a forma como as pessoas consomem informações está mudando, mas não é como se elas estivessem perdendo a capacidade de se sentirem entretidas ou imersas em um bom conteúdo.

As pessoas comuns não estão menos concentradas — elas simplesmente não querem se focar em conteúdo entediante.

Não acredita em mim? Considere o estudo agora considerado polêmico conduzido pela Microsoft em 2015 que tratou sobre esta “estatística” do peixe-dourado.

Em primeiro lugar, vale ressaltar que uma pesquisa rápida no Google mostra que a Microsoft removeu o estudo da internet quase completamente.

20.9

Por quê? Bem, provavelmente se cansaram de serem referenciados em um estudo sem base alguma.

Logo de início, é bom destacar que a própria Microsoft nunca de fato disse que as pessoas estavam se concentrando menos que peixes-dourados.

O que eles disseram é que aparentemente tempo de concentração dos humanos estava diminuindo, com uma capacidade de 112 segundos em 2000 comparada com uma capacidade de 8 segundos em 2013.

Em teoria, isso nos põe abaixo da capacidade de concentração de 9 segundos de um peixe-dourado.

Acontece que havia um pequeno problema no estudo. Caso você explore um pouco mais a pesquisa, irá perceber que o risco de distração estava diretamente relacionado com uma tarefa entediante.

Basicamente, eles estavam pedindo para que as pessoas identificassem e respondessem a um padrão de letras. Agora, eu não sei você, mas eu particularmente não acho isso nem um pouco interessante.

Se a sua estratégia de marketing em redes sociais envolve criar conteúdo entediante, não fique surpreso com a dificuldade de concentração do seu público.

No entanto, não é que eles não consigam prestar atenção, eles simplesmente não têm motivo para fazer isso.

Na verdade, o próprio relatório diz que os “consumidores mais experientes em tecnologia estão melhorando o processamento de informações e a codificação dessas informações na memória”.

20.10

E por que eu estou falando disso? Pois precisamos acabar com o mito de que você não pode explorar ideias mais complexas no seu conteúdo, por medo de que pode acabar perdendo a atenção do seu público.

O consumidor online não tem medo da complexidade, afinal, as pesquisas de cauda longa estão se tornando cada vez mais populares. O que os consumidores realmente não toleram é conteúdo entediante.

Então, ao invés de se estressar para escrever postagens com menos de 500 palavras, se esforce para escrever conteúdos longos e atrativos.

Isso mesmo, estou falando de postagens com no mínimo 2.000 palavras.

Eu sei, eu sei. É mais fácil falar do que fazer, não é?

Porém, veja algumas razões para tentar:

  • Quando você faz várias pesquisas, poupa seu público de passar muito tempo procurando por todas essas informações.
  • Os backlinks e trafego orgânico que conseguir do Google sozinho aumentarão a vida útil do seu conteúdo.
  • Se todos os seus concorrentes estão postando conteúdo com mais ou menos 500 palavras, escrever conteúdos contendo algo em torno de 2.000 palavras fará com que se destaque.

E para esclarecer, não estou dizendo isso porque é o caso deste artigo, eu sou um grande defensor da ideia de que conteúdos longos podem fazer maravilhas para sua presença nas redes sociais.

Perceba só o conteúdo que produzo nesse site. Não consigo lembrar a última vez que escrevi algo com menos de 2.000 palavras.

Eu priorizo a produção de conteúdos longos, pois compreendo que ele fornece valor tangível e significativo para vocês, meu público.

Poderia dar vários exemplos de marcas e negócios que alcançaram sucesso através dessa estratégia, e a minha é uma delas.

20.11

Todo artigo em meu site têm por volta de 2.000 palavras, com várias imagens e links de vídeos para melhorar ainda mais a experiência do leitor.

Porém, a coisa mais importante para se lembrar, entre tudo isso, é que o conteúdo que você cria e promove deve fornecer grande valor para o seu público.

Ser conciso é bom, mas entregar valor é melhor ainda.

Conclusão

O cenário do marketing em redes sociais não é muito conhecido por ser um ambiente estático.

Táticas, estratégias e ideologias podem variar da noite para o dia.

E se você estiver constantemente tentando acompanhar as tendências mais modernas, ou se está com medo de se arriscar e tentar algo novo, pode acabar perdendo a oportunidade de se destacar na sua indústria.

Particularmente, como um pequeno negócio, é necessário fazer todo o possível para identificar ferramentas de marketing e táticas subestimadas ou pouco utilizada para se aproveitar ao máximo delas.

Reflita um pouco para entender os prós e contras das redes sociais que utiliza. Existem diversas ferramentas que passam despercebidas, mas elas estão lá, e podem ser utilizadas para maximizar seu engajamento.

Pare de acreditar nos mitos de marketing e trabalhe com a criação de conteúdos longos e complexos. Isso não somente será mais valioso para o seu público, como também fará com que se destaque.

Caso esteja disposto a pensar de forma inovadora e a aceitar essas estratégias únicas, não tem como dizer o que você pode conquistar nas redes sociais.

Qual foi a tática mais incomum você utilizou nas redes sociais e fez com que alcançasse sucesso? 

Compartilhe