Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

7 Táticas de SEO que Não Vão Sobreviver em 2018

death

Eu vou ser honesto.

Boa parte das táticas de SEO para 2018 que você precisa evitar deveria ser óbvia.

A maioria de vocês deveria saber disso.

Entretanto, eu ainda fico muito surpreso com a quantidade de vezes que vejo esses erros.

Todos os dias, eu abro algum site que tem pelo menos uma dessas táticas de SEO ruins.

O que é mais preocupante é que a maioria dessas técnicas nunca funcionou tão bem para quem está começando.

Algumas talvez até funcionou um pouco. Mas, o efeito acaba rápido.

E, hoje, a maioria delas só vai te fazer mais mal do que bem.

Existem milhões de táticas de SEO que eram populares mas não estão mais na moda quando se tratam de situações mais extremas.

Aqui estão 7 exemplos perfeitos de táticas de SEO para 2018 que você deve evitar.

Continue a leitura e você entenderá como trabalhar com SEO no próximo ano e fazer um bom planejamento de marketing para 2018.

1. Inserção excessiva de palavras-chave (Keyword stuffing)

Tem uma velha brincadeira que parece com essa versão da revista The Atlantic:

“ Um copywriter de SEO entra em um bar, churrascaria, pub, lugar público, irlandês, bartender, bebidas, cerveja, vinho, liquor…”

É engraçado porque é verdade.

Quando você escuta a palavra “SEO”, normalmente pensa em palavras-chave logo em seguida.

Há uma década, a “densidade de palavras-chave” era uma relação baseada no número de vezes que sua palavra-chave era utilizada em comparação com as outras palavras na página.

Supostamente, tinha um número mágico que você precisava atingir. Existia um ponto percentual perfeito que fazia toda a diferença do mundo.

O quanto mais perto você se aproxima desse número, melhor é o seu ranking, certo?

Obviamente, isso não faz sentido algum. Mas assim era como as pessoas pensavam naquela época.

Então nós fizemos o que todo grande profissional de marketing sempre faz: mais.

Se 1% de densidade de palavras-chave é bom, 5% seria ótimo!

Essa prática logo saiu do controle.

Nós rapidamente acabamos com a inserção excessiva de palavras-chave, ou “keyword stuffing”, que envolvia usar as palavras-chaves na página o maior número de vezes possível.

Aqui está um perfeito exemplo de  keyword stuffing:

Google Keyword Stuffing Example

Os algoritmos do Google eram notavelmente mais simples no passado.

Era mais fácil de jogar e manipular. Constantemente, eles caíam em truques óbvios como esse.  

Mas, o mesmo não pode ser dito hoje em dia. Não em um mundo onde vivemos com o algoritmo RankBrain.

A boa notícia é que você não precisa mais jogar um monte de palavras-chaves no seu texto de última hora.

pasted image 0 1141

Em vez disso, você pode pensar mais sobre tópicos de palavras-chaves.

Vamos dizer que você tem uma palavra-chave de cauda longa para cada postagem no blog.

Ótimo! Em vez de encher o conteúdo de palavras-chave iguais, você deveria focar em subtópicos e ideias relacionadas.

Isso significa inserir toda a informação e contexto semanticamente relacionados em torno de um tópico.

Aqui está o que eu quis dizer.

Dê uma olhada na palavra-chave “taxa de otimização da conversão” no Wikipedia. Os maiores tópicos caracterizam uma uma lista de conteúdo como essa:

image 38

É assim que se faz! Pegue todos esses sub-tópicos e use como subtítulos no seu conteúdo.

Ou ainda melhor, você pode criar novos conteúdos para cada um deles.

Criar uma “rede” de conteúdo assim seria bem mais eficiente no longo prazo.

E você nunca se preocuparia em ser prejudicado por uma penalização ou atualização do algoritmo.

2. Comentários “Spam”

Essa é a tática mais  irritante que existe.

Você lê um post de um blog sensacional e quer ir logo para os comentários.

Afinal, longas discussões em comentários de um post podem ser, muitas vezes, mais valiosas do que o próprio conteúdo.  

Entretanto, você desce a tela para escrever suas ideias nos comentários – e se depara com um comentário spam como esse:

pasted image 0 1140

Comentários como esse acabam completamente com as conversas.

Deixar comentários pode ser uma maneira excelente de estreitar o relacionamento com o dono do blog e outros leitores.

Mas tem um problema quando você tenta fazer isso em larga escala.

Uma vez, eu conheci um cara que criava links de comentários como esse. Ele pagava $1 aos contratados por cada comentário bem-sucedido.

Então, o que você acha que aconteceu?

Cada comentário foi basicamente copiado e colado para acelerar o total de quantos comentários eles poderiam deixar. Por exemplo, alguém poderia criar centenas de comentários nos blogs em apenas um dia.

Mas, eles eram todos iguais!

Muitas plataformas de comentários, como Disqus, obviamente perceberam isso. Elas tentaram combater isso bloqueando certas contas.

Infelizmente, se seu site crescer muito, você precisará lutar contra os comentários spam.

É por esse motivo que muitas plataformas de comentários, até no WordPress, automaticamente darão nofollow nesses links.

Os links nofollow dizem para os mecanismos de busca para não dar créditos ou passar nenhuma autoridade para o link em questão.

Esses comentários spam não são só irritantes, mas também inúteis!

Aqui estão alguns truques para evitar esse problema.

Você pode instalar um plugin do WordPress no seu site para automaticamente filtrar os comentários para você, como este aqui do webvitaly.

pasted image 0 1118

Você também pode forçar os usuários a colocar os seus nomes e emails para deixar um comentário. Assim eles terão que estar logados no WordPress para se juntar à discussão.

pasted image 0 1145

Você também pode até programar o seu site para aprovar manualmente os comentários.

Isso permite que você selecione apenas alguns comentários para aparecer no post. E você pode fazer uma varredura buscando pelos spams e links antes de aprovar.

A lista negra é bem útil para combater essas pessoas má intencionadas.

Na próxima vez que cada um que está na lista negra tentar colocar um comentário, ele será mandado diretamente para a lixeira.

pasted image 0 1132

3. Experiência de usuário ruim em dispositivos móveis

Eu sei, eu sei.

Esse aqui parece confuso, certo?

Mas me dê uma chance de explicar antes de você pensar que eu sou louco.

O Google não considera apenas os links e palavras-chaves para ranquear seu site.

Ele coleta todos os tipos de dados.

Um exemplo é seu uso de dados.

Isso é basicamente como as pessoas interagem com o seu site.

Por exemplo, se você tem uma alta taxa de rejeição, em que as pessoas deixam o site logo após uma visita, isso é um sinal vermelho!

Isso fala para os mecanismos de buscas que as pessoas não estão encontrando o que elas estão procurando. E se esse é o caso, o seu site não deve ser muito útil.

Mas não é apenas isso que os algoritmos procuram.

Por exemplo, o seu SEO pode ser prejudicado se o seu design é feio e ultrapassado.

O motivo?

Ele não passa credibilidade.

Anos atrás, o Google lançou a atualização do Panda para limpar conteúdos dos sites.

Antes, eles somente olhavam dados rígidos para determinar os fatores de ranqueamento. Mas, nesse período, eles introduziram um questionário para obter um análises qualitativas também.

Por exemplo, eles tinham pessoas para ir aos sites e responder a algumas perguntas básicas.

Eram variações de “Você confia na informação deste site?” até “Esse conteúdo contém algum erro?”

E aí eles classificariam cada site para procurar alguns padrões. Má qualidade no design do site e qualidade do conteúdo agora poderiam voltar a te assombrar se você recebesse avaliações ruins.

table 2 blog

Um exemplo mais recente disso é o “Mobilegeddon.”

Se seu site não é responsivo para os dispositivos móveis, mostrando devidamente o conteúdo em todos os aparelhos portáteis, você também sofrerá um impacto.

O Google lançará em breve o primeiro algoritmo para dispositivos móveis, pois cada vez mais pessoas pesquisam e usam a internet em dispositivos portáteis.

Um site não otimizado para dispositivos móveis não só terá suas conversões afetadas, mas também seu SEO.

Use a ferramenta TestMySite para descobrir se seu site tem uma boa ou ruim experiência de usuário em dispositivos móveis.

pasted image 0 1144

Comece colocando a sua URL para receber uma auditoria grátis. Eles irão também te enviar um relatório detalhado para que você possa corrigir cada falha identificada.

Aqui está um exemplo de uma “pontuação” básica que você receberá em relação ao tempo que demora para abrir sua página:

pasted image 0 1149

Eles também vão fornecer uma comparação da velocidade de carregamento em relação a outros sites do segmento.

Se o seu indicador for verde, o site está bem. Algo menos do que isso significa que você tem sérias correções  a fazer o quanto antes.

pasted image 0 1146

4. Links artificiais ou anormais

Algum tempo atrás, as pessoas costumavam colocar textos em branco com fundo branco.

É sério, isso não é brincadeira!

O truque era que ninguém conseguia ver isso.

Exceto, é claro, os mecanismos de busca quando verificavam o seu site.

Os visitantes dos site não faziam ideia do que estava acontecendo. E os donos dos sites podiam encher os conteúdos de palavras-chaves livremente.

Isso parece loucura, né?

Não precisa ser um gênio para perceber que o Google não é fã dessa tática.

Mas, essa mesma técnica está sendo utilizada de formas diferentes hoje em dia.

Por exemplo, a empresa mãe do Google, Alphabet, foi pega inserindo links escondidos no código fonte do site!

pasted image 0 1136

Oops!

Links escondidos são apenas uma variação dessa tática.

Alguns outros links “inúteis” estão sendo escondidos à vista de todos.

Por exemplo, links em widgets também podem te levar a áreas perigosas.

Eles são vistos como links “artificiais”. Isso significa que alguém não criou intencionalmente para “reconhecer” o site para onde eles estão linkando.

Em vez disso, esses links estão ligados a um outro software.

Quando você coloca um widget no seu site, sem saber, está adicionando backlinks para o criador do widget também.

Você também vê isso muitas vezes nos links dos temas no WordPress. Às vezes, eles estão no rodapé do site que usa esse tema.

Aqui está um exemplo perfeito de um link no rodapé da Compete Themes:

tracks footer text

Agora, vamos ser bem claros sobre uma coisa.

Está tudo bem em colocar links no rodapé dessa forma. Na verdade, é uma ótima ideia!

Você quer ter visitantes de tráfego de referência clicando no link caso gostem do que estão vendo.

Você quer que eles retornem ao seu site e comprem.

Mas, utilizar links como esse no rodapé ou barras laterais de um site para fazer link building pode causar problemas a você.

Em vez disso, o Google recomenda dar nofollow nesses links, para garantir que seu perfil de link permaneça limpo.

5. Conteúdo duplicado

Conteúdo duplicado geralmente é conteúdo que foi copiado de algum lugar.

pasted image 0 1148

Isso é especialmente ruim quando você basicamente copia e cola um conteúdo de outros sites.

Por exemplo, existia um software chamado “máquina de artigos”, que pegava um pedaço de um conteúdo e misturava as palavras.

E então você poderia republicá-lo em outro lugar para conseguir links de volta de maneira fácil para seu site.

Note que isso foi bem fácil de ser detectado.

Um outro problema comum é quando um conteúdo é basicamente roubado de algum lugar.

Isso é óbvio.

Mas, muitas vezes, você causará seus próprios problemas de conteúdo duplicado. E talvez não perceberá.

Por exemplo, o mesmo conteúdo poderá aparecer exatamente igual em diferentes pontos pelo seu site.

Isso é prejudicial porque o Google talvez não saiba para qual página deve passar a autoridade.

Seu “crédito” é dividido e distribuído para várias páginas diferentes.

Muitas vezes, você nem sabe que isso está acontecendo.

Os temas de blog do WordPress geralmente causam esse problema. Por exemplo, verifique a página inicial do Primer Magazine:

image 41

Você percebe como existe um pequeno texto de introdução logo abaixo do título do post?

Por um lado, ele ajuda os visitantes a ter uma “chamada” antes de clicar.

Entretanto, por outro lado, isso pode causar conteúdo duplicado se você não tomar cuidado.

Agora, repare o que acontece se você clica no post para ler o conteúdo todo:

image 39

Viu? É exatamente o mesmo conteúdo!

Existem algumas técnicas avançadas para evitar isso, se aprofundando no código do seu site.

Mas se você não quiser fazer, há uma solução muito fácil.

Apenas elimine a chamada e fique apenas com os títulos dos posts do blog. É isso que eu faço no meu site:

image 40

6. Anúncios intersticiais intrusivos

Esse soa mais confuso do que realmente é.

A “Atualização dos Intersticiais Intrusivos” tem como objetivo os anúncios intrusivos que efetivamente bloqueiam a tela de alguém.

Eles ocorrem o tempo todo em dispositivos móveis.

Por exemplo, você quer ler um artigo de notícias em seu celular para aproveitar alguns minutos. Você clica no link e o site começa a carregar.

No entanto, antes que você possa realmente começar a ler uma única linha, aparece algo para cobrir todo o texto.

Isso pode ser qualquer coisa, desde anúncio para vídeos de autoplay irritantes , até pop-ups.

Screen Shot 2017 01 09 at 3.18.00 PM 760x614

Você lembra que agora pouquinho falamos sobre experiências ruins de usuários?

O mesmo princípio se aplica aqui. Se você faz coisas que impedem ou atrapalham os visitantes, você terá problemas.

No começo de 2017, o Google oficialmente anunciou que teria repercussão para os sites.

“Para melhorar a experiência de busca no dispositivo móvel, após 10 de janeiro de 2017, as páginas em que o conteúdo não é facilmente acessível para um usuário na transição dos resultados de dispositivo móvel podem não ranquear tão bem”.

Mesmo os pop-ups podem começar a se tornar um problema.

Há sempre uma linha tênue entre táticas de SEO vs. táticas para conversões.

No lado positivo, os pop-ups podem gerar uma tonelada de conversões.

No entanto, se eles são estáticos, cobrem a tela e não oferecem nenhum valor, você pode ter problemas.

pasted image 0 1121

7. Abuso de texto âncora com combinação exata

O texto que você usa para linkar a algo é chamado de “texto âncora”.

Isso parece fácil, certo?

Digamos que você deseja criar um link interno para outra postagem do blog em seu site.

Assim como esse aqui acima!

“Criar um link interno” seria o texto âncora neste caso.

O texto âncora ajuda a informar os visitantes sobre o que eles estão prestes a clicar. O link interno oferece uma pré-visualização rápida, para eles saberem se querem clicar no link ou não.

É completamente inofensivo na maioria das vezes.

Até, é claro, as pessoas irem longe demais.

Os mecanismos de busca também usarão esse texto âncora para entender melhor sobre o que é a página para onde o link aponta. E, por sua vez, em que tópicos essa página está sendo dita como uma autoridade.

Idealmente, se você cria o texto âncora, gostaria de listar o tópico principal ou a palavra-chave.

A “Correspondência exata” se refere a quão perto você chega da palavra-chave.

Aqui está um exemplo de texto âncora de correspondência exata que entra no território de spam:

spammyanchortext

Por que isso é um problema?

Porque isso não é natural!

A maioria das pessoas nunca colocaria links naturalmente para outras páginas como nesse exemplo.

Os mecanismos de busca vão olhar todo o texto âncora que está sendo usado nos backlinks para o seu site para detectar padrões ruins.

Você também pode fazer isso.

Use o Ahrefs Site Explorer para ver como as pessoas estão inserindo backlinks para seu site.

pasted image 0 1106

Você deve ver uma mistura de textos âncoras diferentes sendo usados.

Não deveria ter a mesma frase repetitivamente. Caso contrário, isso seria um sinal para o Google de que você está tentando manipular seus rankings.

Deve haver um equilíbrio saudável.

O Ahrefs comandou um estudo para ver qual a proporção de texto âncora entre “parcial” e “exato” é normal.

pasted image 0 1110

O gráfico acima compara essas proporções de texto âncora para páginas que aparecem em diferentes posições.

Suas páginas devem ter apenas cerca de 10-20% de todos os domínios de referência de links exatos ou parciais.

Caso contrário, deve haver um equilíbrio saudável de links com nome de marcas ou termos mais naturais, como “clique aqui”.

Não é uma ciência exata, como você pode ver. Não é algo com o qual você precisa se preocupar muito se você não estiver construindo links agressivamente.

No entanto, se 90% das páginas em seu site tiverem o mesmo texto âncora de correspondência exata, pode ser uma questão de tempo para isso te prejudicar.

Conclusão

Uma estratégia bem-sucedida de SEO deve funcionar tão bem hoje como funcionará em 2020.

As táticas e tendências são importantes para se manter atento e poder realizar um bom planejamento de marketing para 2018.

No entanto, você nunca deve levar as coisas ao extremo. 

Adicionar palavras-chave no seu texto âncora, por exemplo, é bom na maioria das vezes.

Fazer isso em excesso, no entanto, pode te prejudicar.

O mesmo princípio aplica-se ao uso de palavras-chave no conteúdo, comentários e até mesmo a reutilização de conteúdo em muitas páginas.

O uso de pop-ups para gerar leads é bom em quantidades limitadas. Por exemplo, você só pode mostrá-lo às pessoas em suas primeiras visitas.

Dessa forma, você não está bombardeando o visitante a cada vez que ele visita seu site.

Não é grande coisa em doses pequenas e controladas. 

Mas forçar os limites para obter alguns visitantes extras hoje não faz sentido se isso o colocar em perigo amanhã. O equilíbrio é uma das dicas de planejamento mais importantes.

Quais outras táticas de SEO para 2018 você acha que irão desaparecer?

Compartilhe