Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Príncipio de Pareto: O Que É e Como Aplicar Na Sua Empresa

profissional e representação das porcentagem do principio de pareto

Você conhece o Princípio de Pareto?

Esse preceito é também conhecido como regra do 80/20, e é um recurso aplicado em diversas empresas ao redor do mundo.

Eu mesmo sou um grande fã dessa lei, a qual aplico com frequência ao otimizar estratégias de marketing.

A verdade é que podemos utilizá-la em qualquer segmento comercial, pessoal ou social em nossas vidas.

Aposto que você está curioso para saber mais sobre ele, como transformá-lo em um método prático para negócios e muito mais, não é mesmo?

Se for o caso, não se preocupe.

No texto de hoje, você aprenderá tudo que é necessário sobre o Princípio de Pareto e como implementá-lo no dia a dia da sua empresa.

Então vamos em frente.

Entenda o que é o Princípio de Pareto

ilustração representando o princípio de pareto

O Princípio de Pareto é uma teoria que afirma que aproximadamente 80% dos efeitos ocorrem como consequência de 20% das causas.

Aí você me pergunta: “mas Neil, por que isso é importante?”.

E eu respondo: simples, porque esse princípio pode ser aplicado em uma infinidade de situações.

Vamos a um exemplo.

Timothy Ferriss é um dos maiores palestrantes do mundo na atualidade.

Ele é o autor do best-seller “Trabalhe 4 Horas por Semana”, que figurou durante vários meses no topo das listas de importantes jornais americanos.

No livro, ele nos conta sobre seu primeiro emprego em uma sorveteria.

Tim sempre teve uma mente inovadora, então, percebeu que poderia realizar todo o trabalho em apenas duas horas.

Em vez de se arrastar pela loja durante todo o período, descobriu os momentos de auge de produtividade e elaborou processos para otimizar o serviço durante o horário.

Em outras palavras, utilizava cerca de 20% do tempo para gerar 80% dos resultados.

O restante do expediente?

O Sr. Ferris lia gibis, e por isso acabou sendo demitido.

Seu patrão, à época, não percebia o quanto a metodologia é fantástica.

Acredito que boa parte dos empreendedores até hoje não identificaram essa oportunidade.

Se parar para reparar, perceberá que o Princípio de Pareto pode ser empregado em qualquer atividade.

Por exemplo, e se eu lhe dissesse que 20% dos seus clientes são responsáveis por 80% da sua receita?

Ou que 20% dos posts em redes sociais são responsáveis por 80% das interações?

Quem sabe se soubesse que 20% dos seus investimentos em propaganda são responsáveis por 80% das vendas?

As coisas começam a ficar mais interessantes agora, não é mesmo?

Acontece que temos uma inclinação natural a pensar que as coisas são distribuídas de maneira uniforme.

Elas não são.

É importante dizer, no entanto, que o Princípio de Pareto não é uma fórmula matemática ou um truque de mágica.

Ou seja, não é uma regra infalível.

Podemos dizer, sem dúvida, que é algo que tende a acontecer, mas nem sempre acontece.

Entretanto, ao virar os olhos para essa tendência, você perceberá que pode realizar modificações precisas em seu negócio.

Ora, se 20% dos leads coletados geram 80% da renda, devemos investir mais esforços na parcela mais eficaz, certo?

A mesma lógica se aplica em questões financeiras, gestão de recursos humanos, processos, ferramentas, logística e muitas outras.

É por isso que o Princípio de Pareto é um grande aliado de negócio: usando a inteligência, você será capaz de fazer mais utilizando menos recursos.

Quem foi Pareto?

ilustração do princípio de pareto

Antes de prosseguirmos, vamos saber quem foi Pareto e conhecer um pouco de sua história.

Vilfredo Pareto foi um renomado economista italiano que, entre outros feitos, publicou um artigo sobre a desigualdade na Itália.

Ele constatou que o valor de 80% das terras do país pertencia a 20% da população.

Em seu experimento inicial, observou que 20% das vagens do próprio jardim geravam 80% das ervilhas.

Como dito, a lógica foi acionada em uma série de situações e obteve sucesso com regularidade.

A lógica, iniciada na economia, migrou para outros campos como a ciência, a ciência da computação, o esporte, a saúde, a segurança e muitos outros.

Por fim, o famoso Joseph Moses Juran, consultor de negócios do início do século XX, decidiu incorporar o Princípio de Pareto no ambiente corporativo.

Princípio de Pareto: Como aplicar na sua empresa?

profissional e ilustração de pizzas representando o principio de pareto

Agora você deve estar pensando: “muito legal, mas como levar o Princípio de Pareto da teoria à prática?”.

Na realidade, existem muitos meios para isso.

A seguir, conheça algumas maneiras para aplicá-lo em sua empresa.

1. Delegar tarefa

Pense comigo: se 20% dos seus colaboradores realizam 80% do trabalho, você deveria dar mais atenção a eles, certo?

Bom, não exatamente.

O fato é que os recursos humanos não devem ser tratados como meros recursos, diferentemente dos demais artifícios de uma empresa.

Para isso, recomendo que identifique os pontos fortes e fracos de cada trabalhador.

Por exemplo, em uma padaria.

Uma pessoa pode ser excelente em vender pães, mas péssima em atender no caixa.

Portanto, é uma boa ideia fazer com que ela foque boa parte de seu tempo na preparação de alimentos.

Enquanto isso, um de seus colegas, cujas habilidades são voltadas ao gerenciamento do caixa, pode dedicar maior atenção à atividade.

Outro caso: em uma grande corporação, 20% dos vendedores geram 80% das vendas finais.

Nesse caso, você provavelmente pode delegar tarefas diferentes e focar mais no desenvolvimento daqueles que realmente fazem o trabalho.

Lembre-se: isso não significa que você deve demitir todos os outros funcionários, apenas que deve explorar suas qualidades para diferentes benefícios.

2. Não esquecer as suas prioridades

O Princípio de Pareto também é muito utilizado na definição de prioridades.

Eu já conversei com centenas de empreendedores e, acredite, boa parte deles perde muito tempo com atividades descartáveis.

Por exemplo, se 80% das decisões são tomadas em 20% das reuniões, que tal elaborar um método de otimização da menor parcela e ganhar tempo para os colaboradores?

Ou, ao saber que 80% das vendas são oriundas de 20% dos produtos, talvez você esteja desperdiçando espaço no estoque com algo que não é essencial, não é mesmo?

Um restaurante não precisa de um cardápio com uma centena de itens, mas sim de foco naquilo que os clientes realmente querem.

Coloque as contas na ponta do lápis e utilize a inteligência para investir a maior parte do esforço no que vale a pena.

3. Qualidade de vida

O Princípio de Pareto também pode ser utilizado em questões pessoais, tanto para você quanto para seus colegas de trabalho.

Você provavelmente já sabe que qualidade de vida é sinônimo de produtividade.

Pessoas felizes geram melhores resultados, mantém bons relacionamentos e impactam diretamente nos resultados da empresa.

Mas como aplicá-lo diretamente no trabalho?

Pense que, segundo o teorema, 20% das tarefas que você faz são responsáveis por 80% dos resultados.

A partir disso, invista seu tempo naquilo que realmente importa.

Será que vale a pena passar mais da metade do expediente verificando a caixa de entrada ou é melhor se dedicar a ações realmente impactantes?

Isso certamente o deixará mais satisfeito.

Mas e quanto ao emprego do princípio para alimentar o lifestyle.

Bom, se você parar para pensar, vai perceber que apenas 20% dos aplicativos instalados no seu smartphone são responsáveis por 80% de usabilidade.

Então, que tal apagar aqueles que só o fazem perder tempo?

O mesmo se aplica aos seus programas de TV favoritos.

É provável que você goste apenas de 20% deles, enquanto assiste os outros 80% apenas porque não tem nada melhor para fazer.

Talvez seja hora de se livrar do restante e utilizar o tempo economizado para outras coisas.

Interessante, não é?

4. Esforçar-se pelo tempo necessário

Desde jovens, somos levados a acreditar que o trabalho árduo e incessante é o melhor caminho para o sucesso profissional.

Mas, segundo o Princípio de Pareto, a realidade não poderia passar mais longe disso.

Lembre-se: a sua mente precisa de descanso tanto quanto o seu corpo.

É justamente por isso que essa lei pode ajudá-lo na hora de melhorar a sua relação com o esforço.

Como no caso de Timothy Ferriss, já citado neste texto, é provável que você tenha picos de produtividade em alguns horários do dia.

Isso varia de pessoa para pessoa, é claro.

Então, encontre o seu e dedique esse tempo às tarefas que realmente são relevantes, aumentado a qualidade do trabalho.

Existem empresas, inclusive, que traçam metas para seus funcionários.

Em vez de exigir que os colaboradores se dediquem às horas, focam em resultados.

Assim, eles podem decidir quando e onde farão suas atividades, o que normalmente gera benefícios ao negócio.

Exemplos da Lei de Pareto

mesa e mão com caneta representanod o princípio de pareto

Agora que você já sabe como essa tática pode ser implementada diretamente ao seu negócio, é chegada a hora de conhecer alguns exemplos da Lei de Pareto.

Nesse caso, utilizarei alguns casos genéricos que podem ser utilizados por empresas de diversos nichos e tamanhos.

Ou seja, principalmente cases de marketing.

Veja a seguir.

20% dos posts geram 80% das interações

Pode parecer estranho, mas se aplicarmos a lógica aos social posts, concluímos que 20% deles são responsáveis por 80% das interações.

Por essa razão, utilize as métricas a seu favor e compreenda quais deles são realmente valiosos para o negócio.

Principalmente nas redes sociais, que são influenciadas pelos algoritmos, o que significa que você não deve desperdiçar seus posts com conteúdo que não gere engajamento.

20% do conteúdo gera 80% dos leads

O marketing de conteúdo é a estratégia que foca na produção de materiais ricos para a persona do negócio.

Ou seja, artigos otimizados para o Google, ebooks, infográficos, vídeos, apresentações de slides, entre outros formatos.

Aplicando o Princípio de Pareto ao conceito, vemos que 20% do conteúdo é responsável por 80% dos leads.

Assim, é uma boa ideia descobrir quais são os materiais que representam a menor parcela e dedicar-se mais a eles.

20% dos leads gera 80% das vendas

Se prosseguirmos adiante no funil de vendas, chegamos à nutrição de leads, que é realizada por meio do e-mail marketing.

Nesse cenário, observamos que a maior parte das vendas é oriunda de 20% dos leads.

Em marketing, temos até um nome específico para isso: os leads qualificados.

Esse é o pote de ouro para suas estratégias digitais.

Afinal, faz todo o sentido investir mais em quem tem maiores chances de fechar um negócio.

20% dos canais são responsáveis por 80% da comunicação

Sabemos que marketing e comunicação andam lado a lado.

Se levarmos em conta o Princípio de Pareto para os principais canais de comunicação com o público, concluímos que 20% deles fazem a maior parte do trabalho.

Será mesmo que a sua empresa precisa abrir múltiplas maneiras para se comunicar?

Twitter, Instagram, Facebook, LinkedIn, email, chat online, telefone…

Todos eles têm sua utilidade, é verdade.

Mas talvez isso gere ainda mais trabalho para os responsáveis.

Por isso, a dica é concentrar o diálogo em alguns poucos canais, mantendo a qualidade no atendimento.

3 maneiras de utilizar o princípio de Pareto para aumentar sua produtividade

aumento da produtividade com o principio de pareto

Se o seu objetivo é utilizar o Princípio de Pareto para aumentar a produtividade, dedico as palavras a seguir a você.

Abaixo, descubra como dar um boost no seu rendimento a partir de algumas aplicações simples.

1. Utilize a matriz de priorização

A matriz de priorização é uma representação gráfica usada para definir prioridades.

Em outras palavras, traduz de maneira direta o que deve ser resolvido primeiro no seu checklist.

Ela é baseada em elementos como emergência, gravidade e tendência.

2. Resuma os relatórios

Acredite em mim quando digo que relatórios muito extensos servem apenas para confundir.

Aplique o Princípio de Pareto também nesse componente e insira somente informações realmente relevantes.

3. Reduza as reuniões

Reuniões longas demais cansam os participantes.

Por esse motivo, vale a pena investir em reuniões mais curtas e objetivas para atingir os resultados esperados.

Conclusão

Chegamos ao fim de mais um texto com informações valiosas sobre o Princípio de Pareto.

Então, vamos recapitular o que vimos até aqui.

Primeiro, entendemos o que é o Princípio de Pareto e conhecemos o autor no qual foi inspirado.

Depois, vimos como aplicá-lo na sua empresa.

Por fim, observamos alguns exemplos de uso e aprendemos a utilizá-lo para aumentar a produtividade.

Eu espero que as informações aqui contidas sejam úteis para o seu negócio.

Mas e você, já tentou implementar o Princípio de Pareto em seu cotidiano?

Conte-me nos comentários.

Será um prazer bater um papo sobre o tema.

Compartilhe