Neil Patel

Como Criar uma Estratégia de Conteúdo para Marca Pessoal

Você provavelmente já sabe o que é branding.

É a aparência de uma empresa, como seu logo e seu site, e o que as pessoas pensam dela. Em outras palavras, a marca representa a reputação da empresa.

Um exemplo clássico de bom branding corporativo é a Nike. O logo swoosh, o slogan “Just Do It” e os anúncios com atletas reais formam a marca.

Você reconhece um anúncio da Nike imediatamente.

Mas como isso pode ajudar você, uma pessoa?

O princípio é o mesmo. Você é sua marca pessoal.

A pessoa que você é online é a pessoa que você é como negócio.

Seu conteúdo se transforma na voz da sua empresa, e sua marca é construída pelo seu sucesso ao fazer marketing para seus consumidores.

Um exemplo perfeito de marketing de conteúdo em negócios é Tim Ferriss.

Ele é mais conhecido por seu best-seller “Trabalhe 4 Horas por Semana,” além de seu blog e podcast. Ele é um dos estrategistas de negócios mais populares do mundo.

Sabe por que ele é tão conhecido?

Marketing de conteúdo.

O livro, o blog e o podcast dele têm um único propósito: o de construir branding pessoal e aproveitar isso em iniciativas de negócios de sucesso.

O valor central da marca pessoal dele é ajudar outras pessoas a realizar os sonhos delas, e assim, tudo o que ele diz ou escreve tem esse foco.

Ele publica conteúdo abrangente e útil que realmente ajuda outras pessoas, e, em troca, as pessoas querem muito comprar dele.

Mas não entre em pânico. Você não precisa ser um autor famoso, como Tim Ferris, para construir sua imagem e desenvolver uma boa estratégia de conteúdo para marca pessoal.

Qualquer pessoa pode fazer isso!

“Como criar minha marca pessoal?”, você se pergunta.

Nesse post, vou explicar tudo o que você precisa saber sobre como criar uma estratégia de conteúdo para sua marca pessoal.

O processo é bem divertido. Vamos começar!

Comece com a autenticidade

Na hora de criar uma estratégia de conteúdo para marca pessoal, o mais importante é se lembrar de ser autêntico.

As pessoas sabem quando você está sendo falso.

Na hora de construir sua imagem, tudo o que você diz, faz e escreve deve ser consistente com a sua personalidade, seus valores e sua paixão. Do contrário, a falsidade vai ficar visível no seu conteúdo.

Uma marca pessoal forte estabelece confiança entre você e o seu público. Um estudo recente constatou que 50% dos compradores compram devido a uma crença ou confiança em uma marca.

E 67% dos consumidores novos fazem uma compra baseando-se em seus valores, caso eles estejam alinhados com os valores deles.

Seu personal branding brand é sobre você. Portanto, seja você mesmo.

Você conhece o ditado “As pessoas compram de quem elas gostam”? É verdade.

Mas sua marca pessoal não existe só para gerar vendas ou dinheiro para você. Ela é a essência de quem você é e da razão pela qual você faz o que faz. E isso vale mais do que dinheiro.

Sua marca pessoal traz humanidade ao seu negócio.

Isso é verdadeiro para negócios de todos os tamanhos, do empresário individual à empresa multimilionária com centenas de empresários.

Você não precisa ser um especialista no seu nicho logo do início. Você pode aprender ao longo do caminho, como eu fiz com marketing e SEO.

A chave é ser autêntico a quem você é naquele momento. Se você é um iniciante no momento em que começa a construir sua imagem, mostre que é um iniciante.

Documente sua jornada ao topo e leve seu público com você.

Começar com uma coisa pequena e crescer com o tempo é uma estratégia muito melhor do que começar fingindo que você sabe tudo.

Quando eu comecei a escrever em blogs, não sabia nem a metade do que eu sei hoje. E tudo bem! O importante é que eu me mantive coerente em meu marketing de conteúdo e aprendi coisas novas.

Hoje, esse blog atrai mais de 600.000 visitantes por mês!

Defina os objetivos da sua marca.

O primeiro passo para criar uma estratégia de conteúdo para marca pessoal é escrever seus objetivos.

Pergunte a si mesmo como sua marca pessoal pode te ajudar.

Será que ela vai te ajudar a encontrar um emprego melhor?

Ou ajudar seu negócio a vender mais produtos e serviços?

Ou talvez te ajudar a se tornar um formador de opinião em seu segmento?

Qualquer que seja seu grande objetivo, escreva isso.

Sim, realmente escreva isso, em papel ou no seu computador!

Sua estratégia de marketing de conteúdo deve ser um documento real que você ou qualquer pessoa criando conteúdo para você, pode pegar para ler.

Apenas 32% dos especialistas em marketing de conteúdo B2B têm uma estratégia documentada. É importante documentar a estratégia para que você ou qualquer pessoa escrevendo para você possa consultá-la facilmente, e garantir que cada conteúdo apoia seus objetivos.

Já foi comprovado que documentar sua estratégia traz resultados melhores. Assim, não pule esse passo.

A seguir, você precisa criar objetivos menores, mais específicos.

Como você vai chegar àquele grande objetivo de vender mais produtos?

Para fazer isso, você vai precisar:

Esses objetivos ainda são bem grandes, certo? Divida-os ainda mais.

Por exemplo, para “aumentar o reconhecimento da sua marca”, liste tudo de que você precisa para fazer isso acontecer:

Agora ficou melhor, certo?

Seus objetivos específicos provavelmente vão mudar com o tempo, mas seu objetivo geral deve permanecer o mesmo.

Um exemplo. Anos atrás, eu publicava um novo post pelo menos uma vez por dia, às vezes duas.

Hoje eu publico pelo menos três posts novos por dia!

Mas meu objetivo geral continua sendo, e sempre vai ser, te ajudar a ter sucesso com o marketing online.

Minha forma de fazer isso pode mudar, mas esse sempre será meu objetivo.

Crie um blog

Após criar seus objetivos, é hora de agir.

Os blogs são um fator enorme no marketing de conteúdo.

Você pode escolher entre publicar conteúdo escrito em um blog, criar um canal no YouTube ou lançar um podcast. Ou fazer tudo isso, como eu.

Mas se você estiver apenas começando, um blog é a forma mais fácil de colocar seu conteúdo na web e começar a construir sua marca.

Negócios que têm blogs recebem 67% mais leads do que aqueles que não têm.

Mas a parte mais importante de escrever em blogs não é o número de leads que você obtém. É o fator de confiança.

81% dos consumidores confiam nas informações que leem em blogs.

A confiança é essencial para o seu branding pessoal.

Eu já falei sobre todos os detalhes técnicos de como criar um blog, e por isso não vou entrar nisso aqui.

Mas existem algumas coisas que você precisa documentar para sua estratégia de conteúdo para marca pessoal.

Escreva no blog de forma consistente

Crie um calendário de publicação e siga-o. Isso é muito importante para construir seu público.

Quantas vezes você já visitou um blog, gostou dele, mas voltou semanas depois e não viu nada de novo?

Após algumas experiências como essa, você provavelmente vai desistir e não vai voltar mais lá.

A criação de conteúdo é responsável por 85% do sucesso da sua estratégia de marketing de conteúdo. Assim, dedique a maior parte do seu tempo e da sua energia a publicar conteúdo novo regularmente.

Você pode começar com um post por semana e aumentar a partir daí. Mas o importante é começar em algum lugar e cumprir o calendário.

Otimize seu blog para compartilhamento em mídias sociais.

Eu não preciso te dizer que as mídias sociais são importantes para fazer seu blog crescer.

Quando seus leitores compartilham conteúdo nas redes sociais deles, esses compartilhamentos levam seu conteúdo a pessoas novas. Quando isso acontece em grande escala, dizemos que o conteúdo “viralizou”.

Há muitos fatores que entram na criação de conteúdo viral.

Já foi comprovado que infográficos geram mais compartilhamentos que outras formas de conteúdo, com posts com listas aparecendo em segundo lugar.

Eu já escrevi extensivamente sobre como gerar tráfego com infográficos e como criar bons posts com listas para o seu blog.

Mas há uma coisa que todos os posts virais têm em comum: para começar, alguém precisa compartilhá-los.

Seu conteúdo pode ser muito compartilhável, mas se não houver uma forma fácil de encorajar compartilhamentos, os leitores do seu blog não vão fazer isso!

Felizmente, existem várias ferramentas gratuitas que te permitem otimizar seu blog para compartilhamentos sociais.

Se você está usando o WordPress, eu recomendo instalar o plugin AddThis. Ele é gratuito e tem uma interface limpa e moderna.

Veja como adicioná-lo ao seu blog.

Para baixar o plugin, clique aqui e então clique no botão azul de Download.

Um arquivo .zip será baixado. Depois, faça login no painel do WordPress dashboard e clique em Plugins -> Add New no menu do lado esquerdo.

Clique em Upload Plugin no topo da tela e selecione o arquivo zip que você baixou. Depois clique em Install Now.

Clique em Activate Plugin.

Você verá essa notificação para configurar o AddThis. Clique em Configuration options.

Nessa tela, você tem algumas opções para a exibição de botões de compartilhamento social no seu blog. Você pode configurá-los como quiser, mas eu sugiro ativar a opção de barra de ferramentas mobile.

Basta clicar no botão para ativá-la.

A barra de ferramentas mobile aparece flutuando no final da tela, para que seus visitantes em dispositivos móveis sempre tenham uma forma rápida de compartilhar seu conteúdo.

Com o tráfego mobile correspondendo a 55% de todo o tráfego de site,  é importante otimizar seu site para esses visitantes, incluindo a forma como eles compartilham seu conteúdo.

Agora que seu blog está preparado para o sucesso com o marketing de conteúdo, vamos continuar criando a estratégia de conteúdo para marca pessoal.

Descubra para quem você está escrevendo

Após definir seus objetivos e criar seu blog, você precisa decidir quem quer atrair.

Isso vai depender dos seus objetivos gerais. Mas se você estiver vendendo um produto ou serviço, vai querer que seus consumidores alvo leiam seu conteúdo.

Mas quem é seu consumidor alvo? O que ele está procurando?

Ter essa informação chave sobre seu consumidor se chama criar um persona de consumidor.

Um persona descreve seu consumidor ideal. Todos os detalhes devem ser incluídos no persona: da idade e profissão as motivações, preferências, dores e mais.

Você deve ter um persona para cada tipo de consumidor que quiser atrair.

Por exemplo: talvez seu público-alvo inclua mães de meia-idade, mas você segmente também mulheres mais jovens e sem filhos. Assim, você terá que criar um persona para cada consumidor.

A mãe de meia-idade terá necessidades e motivações diferentes que a mulher mais jovem e sem filhos. Ela terá menos tempo e mais responsabilidades.

A mulher mais jovem também terá uma vida ocupada, mas de uma forma diferente.

Considerar essas diferenças é o que vai deixar seus personas de consumidor muito úteis. Ao escrever, consulte-os com frequência para garantir que todo o seu conteúdo esteja alinhado às necessidades e desejos do consumidor.

Das empresas que cumpriram suas metas de vendas, 65% documentaram personas de consumidor que foram atualizadas nos últimos seis meses.

Aqui está um exemplo de um persona de consumidor detalhado.

Agora vamos ver o processo de criação de um persona de consumidor.

Comece com o básico

Anote os dados demográficos básicos de seu consumidor alvo.

São homens ou mulheres? Jovens, idosos ou ambos? Onde eles moram? Qual é a renda familiar aproximada deles? O que fazem?

Quando você cria essas pessoas no papel, fica mais fácil visualizar para quem você está vendendo.

Adicione as motivações 

Aprofunde-se mais no seu consumidor.

O que ele quer conquistar na vida? Quais são os objetivos dele?

Por exemplo: se seu consumidor alvo for um estudante com pouco dinheiro, o objetivo dele ou dela pode ser se formar com notas boas.

Após a formatura, o objetivo dele ou dela provavelmente será conseguir um emprego que pague bem.

Mas se seu consumidor alvo for um homem de meia idade, ele provavelmente vai querer comprar uma casa maior, obter uma promoção, pagar escola para os filhos dele e outros grandes objetivos.

Pense no que seu produto ou serviço faz para o consumidor e o que faria o consumidor desejá-lo.

Um bom exemplo de um negócio que se adapta às motivações de diferentes tipos de consumidor é o McDonald’s.

Em 2016, a empresa descobriu que suas táticas antiquadas para atrair consumidores não estavam funcionando tão bem com a geração millennial.

Millennials querem produtos mais frescos e mais opções de personalização.

O McDonald’s respondeu lançando terminais digitais que permitem que os consumidores criem seus próprios hambúrgueres. A empresa adicionou também produtos novos seguindo tendências, como o Sriracha Big Mac, que capitalizou a popularidade crescente desse molho picante nos últimos anos.

Essas mudanças corresponderam a um crescimento de 4% na receita da empresa no primeiro trimestre de 2017. Esse foi o maior crescimento que o McDonald’s teve em mais de um ano.

Ao entender o que a geração Millennial queria da experiência de fast food, o McDonald’s conseguiu atrair uma parcela maior desse mercado e ao mesmo tempo manter seus clientes mais antigos, que gostavam das coisas como elas eram antes.

Identifique as dificuldades do consumidor

Agora que você já sabe que tipo de pessoa está segmentando e o que elas querem, você precisa descobrir o que está incomodando mais a essas pessoas.

Chamamos a isso uma dor, referindo ao problema que o consumidor está enfrentando.

Seu produto ou serviço é a resposta para as dores do consumidor.

Por exemplo: se você criar um negócio que oferece soluções de contabilidade, você precisa resolver os problemas que os consumidores têm com outras soluções.

Wave faz isso de uma forma excelente com seu software de contabilidade gratuito.

As conexões com bancos monitoram automaticamente sua receita e suas despesas, e você pode enviar faturas e aceitar pagamentos via cartão de crédito.

O produto foi concebido para pequenos empresários que não têm tempo para passar horas por semana fazendo contabilidade. E também pequenos e médios negócios que não têm recursos para contratar um contador profissional.

O site da Wave conversa diretamente com esse persona de consumidor.

Para encontrar as dores do seu consumidor, veja o que você já escreveu sobre o persona e faça algumas perguntas a si mesmo:

Você deve ser capaz de resolver cada uma dessas dores com seu produto ou serviço.

Depois você precisa comunicar essas soluções de forma clara ao seu público-alvo, através do seu conteúdo.

Você pode ter apenas um consumidor alvo ou 10 ou mais personas de consumidor, mas você precisa conhecer cada uma delas em detalhes.

Escreva conteúdo útil

Quando já souber com quem você vai falar, você precisa escrever conteúdo muito útil para eles.

Isso significa que você precisa criar conteúdo que responda uma pergunte, demonstre como seu produto ou serviço resolve o problema do público ou ensina alguma coisa nova a ele.

Em média, uma pessoa precisa ver seu conteúdo entre 5 e 7 vezes para lembrar da sua marca.

Existem muitas formas de conteúdo por aí, mas a minha favorita é o blog.

Se você adotar a abordagem de ajudar seus consumidores ao escrever seu conteúdo, vai estar muito à frente da concorrência.

Não pense nisso como uma ferramenta de vendas ou uma forma de ganhar dinheiro (pelo menos não nesse momento).

Seja genuíno em seu desejo de ajudar as pessoas. Essa autenticidade vai atrair pessoas ao seu conteúdo e à sua marca.

Eu já escrevi bastante sobre como produzir conteúdo de blog de qualidade e como promover e fazer marketing para seu conteúdo.

Escreva guest posts em grandes sites

Escrever posts de blog para outros sites é conhecido como “guest posting” ou “guest blogging”, e é uma parte essencial da estratégia de conteúdo para marca pessoal.

Talvez você esteja se perguntando por que você deve investir seu tempo criando conteúdo valioso para outras pessoas. Mas há muitas vantagens.

Isso aumenta sua autoridade.

Publicar guest posts em grandes sites como o Forbes ou o Entrepreneur mostra que você sabe do que está falando.

Quando as pessoas veem um artigo seu nesses sites, ele imediatamente adiciona legitimidade e confiança ao seu conhecimento e à sua marca pessoal.

Eles não te conhecem, mas especialistas do segmento financeiro leem o Wall Street Journal diariamente, certo?

Se seu consumidor alvo trabalha nesse segmento, escrever para o Wall Street Journal é uma forma inteligente de atrair a atenção dele.

Eles vão te considerar um expert. Se visitarem seu site ou virem você em outro lugar, eles vão se lembrar de ter lido seu artigo no Wall Street Journal e confiar em seu conhecimento e suas habilidades.

Isso é o seu personal branding em ação.

Claro, você não precisa escrever apenas para a Forbes ou o Wall Street Journal. Os locais ideais para seu guest posts vão depender de quem são seus consumidores alvos e onde eles passam tempo.

Isso direciona tráfego para o seu site.

Quando as pessoas leem seu artigo em outros sites, ele geralmente é acompanhado por uma pequena seção como esta, com os créditos:

Os créditos geralmente incluem um link para o seu site e seu cargo, como no caso de Adam, acima.

A maioria dos posts inclui também uma biografia resumida do autor ao final, assim:

Quando as pessoas clicam para ir ao seu site a partir dessas seções, elas já estão interessadas no que você tem a dizer.

Ao chegar ao seu site, elas podem optar por assinar sua lista de emails ou te seguir nas mídias sociais. Ambas as atividades ajudam sua marca pessoal a crescer.

É bom para o SEO.

Se você já lê meu blog há algum tempo, sabe tudo sobre os efeitos positivos do link building sobre o SEO.

Ter backlinks de qualidade aumenta seu ranqueamento na busca orgânica.

Um backlink é um link de outro site para o seu site.

Guest blogging aumenta seus backlinks, porque toda vez que você escreve um novo guest post, você pode criar um link para o seu site.

Obter links em domínios de muita autoridade, como o Forbes, tem muito valor de SEO.

Silvio Porcellana fez o tráfego do site dele crescer 20% usando apenas guest posting.

O esforço dele para escrever 44 posts em 41 publicações diferentes rendeu 5 pontos a mais para a autoridade de domínio dele. Esse resultado é incrível para alguns meses de trabalho!

Conheça suas palavras-chave

Assim como você precisa saber quem é seu consumidor alvo, você também precisa saber quais são suas palavras-chave de SEO alvo.

Essas são as frases que seu público-alvo insere nos mecanismos de busca para encontrar conteúdo.

Mas como encontrar essas palavras-chave?

Eu escrevi este guia completo sobre pesquisa de SEO. E você pode também assistir este vídeo para aprender como fazer pesquisa de palavras-chave em menos de 60 segundos.

Quando já tiver uma lista de palavras-chave, registre todas elas em uma planilha. Consulte essa lista sempre que escrever conteúdo novo, para garantir que você vai usar pelo menos algumas delas.

Você deve ter também algumas palavras-chave de cauda longa.

As palavras-chave de cauda longa são palavras-chave de SEO com três ou quatro palavras, e são muito importantes para o ranqueamento.

Este gráfico do Yoast ilustra o que é uma palavra-chave de cauda longa.

Quanto mais específica a palavra-chave, mais longa é a cauda.

Uma ferramenta gratuita que você pode usar para encontrar boas palavras-chave de cauda longa é o Google Keyword Planner.

Abra a ferramenta e clique em “Search for new keywords”.

Insira seu tema principal e a URL do site, e então clique em Get Ideas, ao final da página.

Você verá as informações de tráfego de busca para a frase que você inseriu, além de sugestões do Google para boas palavras-chave de cauda longa.

Algumas não serão muito boas, como “content strategie”, com a ortografia errada. Mas palavras-chave como “online marketing ebook” ou “best way to learn digital marketing” podem ser uma boa opção para você.

Seja ativo nas redes sociais

Isso envolve tanto compartilhar seu conteúdo nas redes sociais como publicar diretamente nelas.

Lembre-se de criar um perfil em todas as redes básicas: Facebook, Twitter, LinkedIn e Google Plus.

Dependendo do segmento em que você estiver, você pode também criar perfis em sites de nicho como o Houzz, o Behance, o Dailyburn e mais.

Aqui estão algumas dicas para otimizar sua presença nas mídias sociais.

Use a mesma foto de perfil

Selecione uma fotografia profissional para usar como foto de perfil em todas as suas redes sociais.

Isso vai ajudar visitantes a lembrarem do seu rosto e te reconhecerem em várias plataformas.

Eu uso esta:

Compartilhe seu conteúdo

Nem é preciso dizer isto: lembre-se de compartilhar seu conteúdo regularmente em seus canais.

62% das pessoas veem notícias nas redes sociais.

O Facebook continua sendo a rede social mais popular do mundo, com mais de 79% dos adultos nos E.U.A. usando a plataforma ativamente.

O Instagram, o Pinterest, o LinkedIn e o Twitter também se destacam.

Para ter um alcance maior, você deve compartilhar conteúdo em todas as redes em que estiver presente. Mas esses dados indicam que o Facebook definitivamente precisa ser uma dessas redes!

Construa relacionamentos

Não se limite a promover seu conteúdo nas redes sociais. Dedique algum tempo a se conectar com outras pessoas.

Uma forma excelente de fazer isso é entrar em grupos privados no Facebook ou no LinkedIn.

No Facebook, você pode descobrir grupos ao pesquisar um tema na barra no topo da página.

Depois, clique em Grupos.

Clique no nome de um grupo para abri-lo.

A maioria dos grupos no Facebook é privada, ou “fechada”, o que significa que você precisa ser um membro para ver o conteúdo.

Quando você clicar em entrar, o proprietário do grupo vai analisar seu pedido, o que pode levar algumas horas.

A experiência é similar no LinkedIn.

Faça login no LinkedIn e pesquise seu tema no topo da tela. Lembre-se de clicar no filtro Grupos.

Todos os grupos no LinkedIn são privados até que você se torne um membro. Solicite a participação e volte mais tarde, quando o proprietário do grupo já tiver aprovado.

A maioria dos grupos te envia um email quando isso acontece.

Após ser adicionado a alguns grupos, lembre-se de oferecer valor real e ser útil, e não só divulgar seu conteúdo.

Dedique algum tempo a responder perguntas, oferecer insights em debates e elogiar outros membros pelo trabalho que fizeram.

Use elementos visuais consistentes

Assim como usar a mesma foto de perfil nas mídias sociais ajuda outras pessoas a te reconhecerem em plataformas diferentes, usar elementos visuais consistentes em seu conteúdo faz o mesmo pela sua marca pessoal.

Sua marca tem vários elementos gráficos e visuais, como:

Ao criar seu branding pessoal, dedique algum tempo a estabelecer um estilo para todos esses items.

Você pode até registrar todas essas informações em um guia de estilo de marca.

Guias de estilo garantem que você se mantenha consistente, porque listam tudo de que você ou outra pessoa que contribui para sua marca precisa saber.

Esse guia inclui que fontes e cores utilizar, e pode trazer também exemplos de estilos gráficos.

Talvez você ache que isso é uma perda de tempo. Mas você sabia que as cores aumentam o reconhecimento da marca em até 80%?

Foi por isso que eu adotei um tom de laranja para o meu site.

Eu uso laranja em títulos e botões, e como cor de destaque em todos os lugares.

Ao ver uma imagem como essa nas mídias sociais, ou em um dos meus vídeos, você provavelmente não pensa “Oh, é laranja, deve ser alguma coisa do Neil Patel!” Mas subconscientemente, seu cérebro já está pensando na minha marca.

As cores também afetam mais do que a memória.

Christina Baldassarre fez um experimento com o tom de vermelho e a fonte usadas nos botões de cadastramento que ela usava. Os resultados foram incríveis!

Se você não for bom em design, contrate um designer para criar algumas orientações básicas para sua marca pessoal.

Ele ou ela podem criar um logo, selecionar cores e fontes e até preparar alguns modelos para você usar em gráficos para as mídias sociais.

Investir em sua imagem vale muito para seu personal branding. Você não iria de short a um casamento, certo?

Vale a pena mostrar sua melhor aparência ao mundo, quando se trata do seu conteúdo.

Se seu orçamento for pequeno, você pode encontrar serviços de design gráfico com preços acessíveis no Fiverr.

Ou você pode contratar um estudante de design local para trabalhar para você. Ele não vai cobrar tanto quando designers estabelecidos e vai poder usar seu projeto no portfólio. Todo mundo sai ganhando.

Se quiser fazer isso você mesmo, você pode usar ferramentas gratuitas como o Canva para criar praticamente todos os elementos gráficos de que vai precisar.

Ter elementos visuais de qualidade faz sua marca parecer mais profissional e ficar mais memorável.

Preste atenção aos dados analíticos

O Google Analytics pode te mostrar se sua estratégia de conteúdo para marca pessoal está funcionando ou não. E também te dar ideias de como melhorar.

Se você ainda não tiver o GA instalado em seu site, aprenda aqui como configurar o Google Analytics.

Hoje eu quero apenas compartilhar uma forma rápida de avaliar o desempenho do seu conteúdo. É bem fácil.

Faça login na sua conta do Google Analytics e clique em Behavior, do lado esquerdo.

Clique em Site Content e All Pages.

Isso vai mostrar os conteúdos mais populares em seu site durante o período selecionado. Aqui estão os meus, nos últimos 30 dias:

Essa lista vai te mostrar de que conteúdo seus leitores gostaram mais.

Preste atenção ao que as pessoas estão lendo e escreva mais conteúdo com esses temas.

Outra forma excelente de descobrir o que as pessoas estão lendo é prestar atenção aos comentários em seu blog ou páginas nas mídias sociais.

Jasper deixou este comentário excelente em um dos meus posts sobre o Analytics.

O comentário dele me inspirou a escrever um post sobre a taxa de bounce e como reduzi-la em seu conteúdo.

Ouça seus leitores! Eles são uma excelente fonte de inspiração e de novas ideias.

Seja pessoal e ao mesmo tempo profissional

Isso pode ser bem difícil.

Sua marca pessoal precisa estar alinhada com sua forma de falar e seu comportamento, mas você precisa ter cuidado para não ser muito casual ou pouco profissional.

O que uma pessoa considera profissional pode ser diferente para outra.

Um exemplo. A rede americana de fast food Wendy’s recentemente recebeu muita atenção pela forma como atendeu um consumidor no Twitter.

Esse tipo de humor pode ser arriscado, e quando feito da forma incorreta, pode até acabar com um negócio.

No caso do Wendy’s, os tweets viralizaram e eles receberam muita atenção positiva.

Especialmente esse tweet, que foi a publicação mais popular do Twitter deles naquela semana:

Com 43% dos usuários de mídias sociais compartilhando posts engraçados, essa estratégia funcionou bem para o Wendy’s.

A campanha que respondeu usuários de forma bem humorada gerou um aumento enorme no número de seguidores do Wendy’s

A chave é saber qual é a voz da sua marca pessoal e o que ela representa, e garantir que essas qualidades transpareçam de forma eficiente em todas as suas comunicações, online ou offline.

No caso do Wendy’s, a faixa etária do seu público-alvo e seu histórico como concorrente das grandes marcas fez que esse uso das mídias sociais se integrasse bem à estratégia de conteúdo da empresas.

A aparência da sua marca pessoal online provavelmente será diferente do Wendy’s, mas você pode decidir qual será sua voz.

Conclusão

O marketing de conteúdo é uma parte importante de qualquer negócio. Especialmente quando você está tentando construir sua imagem e seu branding pessoal.

Se você só puder se lembrar de uma coisa nesse artigo, peço que você se lembre de ser você mesmo.

Esse realmente é o fator mais importante para a sua marca pessoal.

Você vai precisar também publicar conteúdo regularmente, ao mesmo tempo em que garante que seus elementos visuais sigam os parâmetros da sua marca.

Reavalie seus objetivos de marketing de conteúdo a cada seis meses.

Todos os seus conteúdos devem focar nesses objetivos. Escreva de uma forma que atraia seu consumidor ideal…

… você tem um persona dele, certo?

Construir uma marca pessoal exige trabalho duro e consistência, e muitas vezes os resultados não aparecem por meses.

Alguns especialistas em marketing dizem que você deve dedicar apenas 20% do seu tempo criando conteúdo, e 80% do seu tempo à divulgação – o chamado Princípio de Pareto.

Mas quando você não está tendo resultado, não importa quanto tempo você dedicou àquela atividade.

A maioria das campanhas de marketing inbound, inclusive o processo de criar uma marca pessoal através de conteúdo, leva cerca de 6-9 meses para mostrar resultados valiosos.

Assim, não desista cedo demais porque estava esperando ter resultados incríveis do dia para a noite.

Você já tem um blog para sua marca pessoal? Quais são as suas dicas para atingir objetivos de personal branding usando marketing de conteúdo?