Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Dropshipping: O Que É, Como Funciona e Como Montar o Seu

entenda o que é dropshipping

Dá-se o nome de dropshipping ao método de vendas no varejo no qual o vendedor não mantém nenhum produto em estoque. o dono da loja atua como um intermediário para a compra e é responsável somente por efetuar questões de marketing e vendas. Ele funciona como uma vitrine terceirizada, mas todos os processos de reserva e entrega são realizados pelo fornecedor original.

Você sabia que é possível viver de dropshipping?

Pois é.

Desde que a internet começou a adentrar os lares das pessoas, muita coisa mudou.

Surgiram os sites, blogs e redes sociais, que ofereceram novas possibilidades no mundo do marketing online.

Mais tarde vieram as lojas virtuais, uma revolução na maneira de realizar negociações.

Foi aí que o segmento de e-commerce começou a se reinventar.

Marketplaces, infoprodutos, programas de afiliados, SaaS, aplicativos facilitadores, como Uber, Airbnb e iFood…

Por fim, chegamos à realidade dos dias de hoje, na qual é possível vender produtos virtuais sem ter sequer um item em estoque.

Parece incrível, não é?

Mas é exatamente o que essa estratégia chamada dropshipping proporciona.

Se você quer saber o que é, como funciona e como montar o seu negócio sem se preocupar com a estrutura física, chegou ao lugar certo.

Neste artigo, você vai entender tudo que é necessário para aplicar o dropshipping em seus negócios.

Então, continue a leitura.

O que é dropshipping?

ilustração sobre dropshipping

Dá-se o nome de dropshipping ao método de vendas no varejo no qual o vendedor não mantém nenhum produto em estoque.

“Mas como assim?”, você pode estar se perguntando.

Simples: o dono da loja dropshipping atua como um intermediário para a compra e é responsável somente por efetuar questões de marketing e vendas.

Ou seja, ele funciona como uma vitrine terceirizada, mas todos os processos de reserva e entrega são realizados pelo fornecedor original.

Vamos a um exemplo para entender melhor?

Supondo que você seja um microempreendedor, que criou a sua loja virtual de roupas no modelo de dropshipping.

Assim, investiu em um design elegante, apostou em marketing de conteúdo e estimulou a passagem dos usuários pelo funil de vendas até o momento da compra.

Ótimo!

Ocorre que, quando o consumidor finaliza a compra, a sua tarefa enquanto lojista não está encerrada.

Ou seja, começa uma nova etapa.

Nela, as informações da negociação são direcionadas automaticamente para o fornecedor, que fica responsável pelo envio do produto ao cliente.

Veja bem: não é você, lojista, que vai entregar ao consumidor aquilo que vendeu.

No dropshipping, o vendedor não manipula o produto, apenas recebe uma parcela dos lucros como motivador da compra.

Esse modelo permite, por exemplo, que na mesma loja seja oferecida uma vasta quantidade de unidades, já que não há gastos com inventário e entrega.

Assim, com percentuais sobre as compras, torna-se possível ao vendedor fechar negócios em larga escala sem as preocupações naturais do pós-venda.

Para o empreendedor, essa é uma chance de aumentar seus ganhos por meio de seus canais de comunicação, sem a necessidade de investimentos estruturais.

O fabricante ou atacadista, por outro lado, alavanca suas vendas através do serviço de divulgação terceirizado.

Em outras palavras, uma via de mão dupla, cujos acordos no contrato podem variar.

O que significa dropshipping?

Em uma tradução livre, o termo dropshipping poderia significar “livre de remessa”.

Ou seja, nesse modelo de comércio eletrônico, o gestor é isento dos custos operacionais com entregas, que ficam a cargo do fornecedor.

Sem ter que lidar com as operações logísticas, fica muito mais fácil tocar um negócio online, certo?

É essa maior facilidade que tem atraído empreendedores para o dropshipping, que ainda é visto (de forma equivocada) como um tipo de atividade que gera ganhos fáceis.

Nada mais enganoso, já que uma loja virtual, seja ela baseada em dropshipping ou não, é um negócio como qualquer outro.

Portanto, antes de abrir um e-commerce, recomendo que você considere os riscos de investir tempo e dinheiro trabalhando com marcas e estoques de terceiros – ainda vou falar melhor sobre isso.

Como funciona dropshipping?

como funciona o dropshipping

Interessado no modelo e curioso sobre o funcionamento do dropshipping?

Então, esta é a hora em que suas dúvidas acabam.

Abaixo, conheça o processo que envolve fornecedores, vendedores e clientes nesse tipo de negócio.

Vendedores importam as listas de produtos dos fornecedores parceiros

As listas de produtos disponíveis pelos fornecedores são atualizadas com frequência.

Algumas realizam os updates semanalmente, outras diariamente.

Porém, o ideal é que sejam atualizados em tempo real, a partir de soluções de cloud computing.

Nesse sistema, assim que alguém compra em qualquer uma das lojas que dependem do mesmo estoque atacadista, o item é removido da lista.

Alguns deles, inclusive, já atualizam a loja virtual do vendedor.

Mas, infelizmente, algumas vezes, esse processo é realizado manualmente.

No caso, o próprio administrador adiciona ou remove produtos para não correr nenhum risco de desagradar os clientes.

Cliente realiza os pedidos na plataforma de e-commerce

O próximo passo é a compra.

O cliente escolhe o produto desejado, coloca no carrinho de compras e finaliza a ação.

Aqui, as conversões são alimentadas pelo marketing, o que é responsabilidade do administrador da loja.

Quanto melhor o trabalho de prospecção, maiores os ganhos do comércio eletrônico.

Vendedor envia as ordens de compra do cliente para que o fornecedor

A seguir, as plataformas de automação notificam o fornecedor sobre a compra, bem como dados pessoais e de entrega do consumidor.

Mais uma vez, existem soluções que ainda dependem de recursos humanos para realizar a ação, o que pode retardar o processo.

Melhor apostar na tecnologia para maior agilidade e margens mais atrativas.

Fornecedores realizam as entregas aos clientes

Feito isso, o fornecedor torna-se responsável por realizar a entrega.

Normalmente, também oferece suporte, atendimento e outros serviços do pós-venda, como reparo e assistência técnica.

Assim, o vendedor fica isento de processos que ocorrem após o fechamento do negócio.

Bem simples, não é?

É por isso que tanta gente vem se interessando pelo dropshipping.

Se esse é o seu caso, só resta aprender como começar nessa estratégia.

Quais os benefícios do dropshipping?

profissional de dropshipping

Como você deve ter notado até aqui, o dropshipping apresenta algumas vantagens interessantes.

No entanto, também há contrapontos, como qualquer modelo de negócio.

A seguir, vamos conhecer os dois lados da moeda, começando pela vantagens.

Menos capital

Uma das maiores vantagens do dropshipping é exatamente a acessibilidade.

Nesse modelo, não é necessário o investimento inicial em produtos, mão de obra e matéria-prima, por exemplo.

É possível que uma única pessoa invista até mesmo sem conhecimento aprofundado sobre as ferramentas na web.

Isso porque as vendas podem ser realizadas por meio de plataformas sociais, sites ou aplicativos de comunicação.

Em outras palavras, é uma maneira de começar sem muitos recursos.

Início imediato

De maneira similar, os processos de criação e negociação são acelerados.

Você pode começar a vender em um piscar de olhos, bastando apenas realizar o cadastro.

Assim, o início imediato é mais um dos motivos pelos quais tantas pessoas buscam essa solução para gerar renda.

Independência de local físico

A essência do dropshipping é não haver a necessidade de um local físico.

Acredite ou não, é possível ganhar dinheiro apenas com um computador ou smartphone nesse modelo.

Qualquer item que esteja no estoque do fornecedor pode ser comercializado sem o menor problema.

Pós-venda

No sistema de dropshipping, o fornecedor fica responsável pelos processos de pós-venda.

Isso inclui entrega, suporte, atendimento, trocas e devoluções.

Ou seja, há menos variáveis a serem consideradas pelo vendedor, que cessa sua participação no negócio assim que ele é fechado.

Seu papel, portanto, é mais de divulgador da oferta do que gestor de um negócio.

Quais são os riscos do dropshipping?

Há quem diga que dropshipping é um segmento no qual o “lobo se veste com pele de cordeiro”.

De fato, para alguns empreendedores, a experiência com esse modelo não é boa e isso tem a ver com o desconhecimento dos custos inerentes a um e-commerce.

O mais impactante deles é a taxa cobrada pelos Correios para envio de encomendas internacionais.

Nem é preciso fazer contas para concluir que a cobrança pode inviabilizar qualquer tipo de tentativa de explorar o comércio eletrônico de produtos vindos de fora do Brasil.

A situação tomou proporções tão sérias que está sendo inclusive questionado na Justiça se essa taxa é ou não abusiva.

Mas os Correios não são o único possível risco de ver um negócio naufragar.

Na verdade, quando se trabalha com estoques de terceiros, como no dropshipping, é muito mais difícil ter o controle da operação.

Assim, são frequentes os casos de clientes insatisfeitos em função de atrasos e outros problemas com entregas.

Confira outros riscos a seguir.

Baixa margem de lucro

Entre as principais desvantagens do dropshipping, temos a baixa margem de lucro.

Como os ganhos são realizados por meio de comissões e com custo zero para início, sua remuneração por cada item tende a ser pequena.

Isso acontece porque a concorrência é ampla e há pessoas oferecendo tais produtos com preços reduzidos, apenas para se firmar no mercado.

Há algumas maneiras para contornar essa situação, como a personalização da loja para atingir um nicho específico de mercado.

No entanto, pode ser um problema para quem exige retorno rápido.

Controle de estoque

Quando você armazena seus próprios itens, está no controle.

Ou seja, sabe exatamente quais produtos entram e saem.

No entanto, com as unidades estocadas em armazéns alheios, não há como saber quando elas podem se esgotar.

Nesses casos, corre o risco de perder uma venda em razão de o fornecedor não ter determinado item.

Esse problema é minimizado por algumas aplicações que sincronizam softwares de estocagem entre fabricante e vendedor.

Assim, você evita ofertar um produto indisponível.

Erros nas plataformas de dropshipping

O consumidor foi até a sua loja e realizou o pedido.

Até aí, tudo bem.

No entanto, o fornecedor alerta que houve um erro na contagem do estoque e o item não está disponível.

Nesse caso, mesmo sem culpa alguma, é seu dever se justificar com o consumidor.

Infelizmente, problemas com processos, sistemas e plataformas alheios serão colocados na sua conta.

Assim, tanto os louros e os dilemas do branding da sua loja são diretamente impactados, para o bem ou para o mal.

Problemas com custo de envio

Como dito, a sua loja poderá trabalhar com diferentes fornecedores.

Se, por um lado, isso é uma vantagem, por outro, pode gerar alguns problemas.

Por exemplo, a variação nos custos de envio.

Por conta das taxas de entrega em localidades distintas, duas camisas podem sair com preços de transporte diferente.

Caso o consumidor perceba, é provável que fique insatisfeito.

Como começar no dropshipping

começo de um dropshipping

Até aqui, você viu o que é o dropshipping e como funciona o processo envolvendo todos os players.

Mas antes de dar início à sua loja virtual de dropshipping, gostaria de alertá-lo que existem algumas dicas fundamentais em sua implementação.

Por isso, antes de apertar o play em seu e-commerce, dê uma lida nas seguintes indicações:

1. Encontre um mercado faminto

Encontrar um público-alvo é um desafio para muito empreendedores.

Isso se torna um obstáculo ainda maior quando se perde o fator exclusividade.

Lembre que, ao investir em dropshipping, os mesmos itens já estarão sendo comercializados no mercado.

Por conta disso, é necessário apresentar algum diferencial para alcançar os resultados esperados.

O mais indicado é trabalhar com nichos de mercado.

Para tanto, desenvolva uma persona específica e foque na lealdade do negócio.

Assim, você mira o crescimento sustentável a longo prazo.

2. Busque uma empresa que faça dropship e que tenha boa reputação

O segundo passo consiste na busca por fornecedores.

Fique de olhos abertos, pois existem empresas com boas e más reputações.

O ideal é pesquisar em redes sociais, fóruns de discussão e no próprio Google.

Assim, você se afasta de problemas que podem comprometer a performance da loja antes que eles ocorram.

3. Registre um domínio

Ter um domínio próprio é praticamente um pré-requisito para quem quer vender online.

Esse recurso geralmente é bem barato e pago por meio de uma licença anual.

Assim, a sua loja terá um aspecto profissional, além de outras vantagens.

4. Encontre um provedor para loja online

Feito isso, você precisará escolher um serviço de hospedagem para a sua loja.

Existem muitas empresas disponíveis no mercado, nas quais também temos diferentes planos.

Para o comércio eletrônico, são recomendadas opções que garantem a segurança do website, como certificado SSL e backup automático.

Há também alternativas exclusivas para lojas online.

5. Adicione os produtos para fazer dropshipping

Por fim, adicione os produtos de acordo com a listagem do seu fornecedor.

Se possível, automatize a maior parte dos processos para evitar a necessidade da participação humana.

Com isso, você terá que se preocupar somente com a divulgação e os ganhos, sem perder tempo com o setor operacional.

Dropshipping nacional e internacional: vantagens e desvantagens de cada um

Um opção a esse modelo de negócio é considerar a operação com fornecedores nacionais ou internacionais.

Em cada um deles, há vantagens e desvantagens que os tornam atrativos dependendo dos seus objetivos e estratégia de marketing.

Vamos conhecer alguns deles agora?

Vantagens

Ao optar por fornecedores nacionais, é certo que você terá uma considerável redução nos custos de entrega.

Como vimos, os Correios não poupam o comerciante que pretende fazer entregas de artigos vindos do exterior.

Por isso, a opção pelo produto local ganha força em virtude dos seus custos menores.

Mas se você encontrar um perfil de consumidor disposto a arcar com os custos de envio de mercadorias do exterior, então, pode tentar operar no dropshipping internacional.

A vantagem, nesse caso, é que você estaria possivelmente atuando em nichos mais específicos e, portanto, com menor concorrência.

Desvantagens

Seja nacional, seja internacional, a verdade é que operar no dropshipping é, de certa forma, imprevisível.

Por mais que você confie no fornecedor, nunca se sabe quando ele terá realmente estoque dos produtos oferecidos em sua loja.

Se for uma mercadoria com muita procura, o risco de indisponibilidade fica maior.

Além disso, ao trabalhar com mercadorias fabricadas e desenvolvidas por terceiros, você se arrisca a oferecer um produto ou solução que não conhece bem.

O consumidor atento observa esses detalhes e, se desconfiar que você vende algo que não domina, tende a rejeitar a sua oferta.

O que significa dropshipping no Aliexpress?

Uma alternativa interessante para trabalhar com dropshipping é recorrer ao gigante catálogo de produtos do maior e-commerce do mundo: o Aliexpress.

Nele, você atua com fornecedores cadastrados nesse marketplace e que só enviam os pedidos feitos pelo vendedor que opera em dropshipping.

Por ser uma plataforma que se especializou nesse modelo, é talvez a opção mais segura para minimizar os riscos sempre presentes ao trabalhar com marcas de terceiros.

Exemplos de e-commerces que usam o modelo de negócios do dropshipping

Nem só de problemas vivem os empreendedores que trabalham com dropshipping.

Na internet, podemos encontrar relatos de pessoas que tiveram sucesso porque entenderam que, no dropshipping, o diferencial é investir na experiência de compra.

Vamos ver exemplos?

Thalles Felipe

Segundo relatos em seu canal no YouTube, o empreendedor Thalles Felipe, depois de 5 anos investindo em e-commerce, chegou ao expressivo faturamento de R$ 3 milhões.

Neste vídeo, você conhece um pouco mais do trabalho realizado por ele.

Aloysius Chay e Galvin Bay

Talvez os dois maiores nomes de sucesso no dropshipping sejam os dos ex-jogadores de Pôquer Aloysius Chay e Galvin Bay.

Na internet, especula-se que eles faturem, por dia, cerca de US$ 60 mil só com dropshipping, o que é realmente fabuloso.

Para quem se interessa em empreender online, Chay tem um site, o Hack Your Life Today, no qual dá dicas de negócios e sobre temas como biohacking e decision making.

LeoGary.com

Leo Gary começou com dropshipping e, com o tempo, criou sua marca – hoje, um tremendo sucesso no Facebook.

Você também pode fazer o mesmo, aproveitando a experiência no dropshipping para entender como funciona o e-commerce.

Ganhando conhecimento, você terá mais segurança para criar seu modelo de negócio e operar até com uma infraestrutura própria.

Como escolher um bom fornecedor de dropshipping?

escolha de bom fornecedores de dropshipping

No Brasil, temos um vasto catálogo de fornecedores de dropshipping.

Entretanto, você também pode optar por soluções internacionais, incluindo ferramentas chinesas, como o AliExpress e o Alibaba.

As oportunidades são muitas, mas tome muito cuidado.

Boa parte dos empreendedores avalia apenas o preço e esquece da análise de outras variáveis, como as taxas de importação, tempo de entrega e qualidade do produto.

Isso faz com que seus negócios se tornem quase inviáveis.

A recomendação é a verificação cuidadosa de cada um dos elementos que interferem em suas ações de dropshipping.

Assim, o fabricante deve ter uma boa imagem, oferecer bons serviços de entrega e pós-venda e ser transparente com relação aos vendedores.

Como trabalhar com dropshipping?

como trabalhar com dropshipping

Para trabalhar com dropshipping, tudo que você precisa é de uma conexão com a internet e um dispositivo funcional.

Afinal, você pode divulgar seus links onde bem entender, como mídias sociais, apps de comunicação e e-mail marketing.

Mas tenha em mente que essas ferramentas podem limitar as suas vendas.

O ideal é que você tenha um website dedicado a essa atividade.

Depois disso, basta encontrar o fornecedor ideal e realizar a divulgação por meio de múltiplos canais.

Principais erros de um dropshipper

erros no mercado de dropshipping

Se você está decidido a investir no dropshipping, muita atenção.

Há erros comuns nessa estratégia, capazes de colocar seu planejamento por água abaixo.

Separei alguns deles para você conhecer e evitar.

Confira a lista:

  • Errar na escolha do fornecedor: uma escolha ruim pode prejudicar prazos de entrega e até a qualidade dos produtos que oferece aos clientes.
  • Depender de um só fornecedor: se ele falhar, significa que você também falhará com seu cliente
  • Não definir um nicho: quem oferece tudo, pode não vender nada. Então, prefira focar em um nicho específico
  • Página amadora: seja na escolha do domínio ou no design da sua loja virtual, não dá para cair no erro de passar ao visitante uma imagem pouco profissional
  • Esconder o custo de envio: é preciso ser transparente e permitir ao consumidor conhecer o valor de frete logo que ele tem contato com o produto
  • Não permitir rastreio da compra: o consumidor online já se acostumou a rastrear o caminho do item que compra até chegar à sua casa. E quem não oferece a possibilidade fica para trás.

Dropshipping é legal?

legalidade de dropshipping

Via de regra, o dropshipping é um modelo de negócio como qualquer outro que utiliza lojistas.

A única diferença é que elimina a necessidade da aquisição de estoque, oferecendo uma solução na qual o produto vai do fornecedor para o cliente final.

No entanto, como em qualquer outro setor, é possível que existam empresas com más intenções.

Por isso, é preciso ler cada detalhe do contrato com cuidado antes de realizar a negociação.

Vale a pena, inclusive, consultar um advogado.

Afinal, os termos de uso têm validade legítima na justiça brasileira.

Então, respondendo de forma objetiva à pergunta deste tópico, sim, dropshipping é legal.

Mas isso não livra você de esbarrar com golpistas e estelionatários.

Portanto, siga as dicas que dei ao longo do artigo, planeje seu negócio e Monte uma estratégia de sucesso.

Conclusão

Neste artigo, você aprendeu o que é dropshipping e como ter a sua loja virtual mesmo sem um estoque.

Além disso, observou suas principais vantagens e desvantagens.

Também vimos alguns detalhes sobre seu funcionamento e um passo a passo para começar a utilizar esse modelo de negócios.

Por fim, passamos por detalhes relacionados aos fornecedores, atributos legais e elementos de divulgação para trabalhar com dropshipping.

Então, este artigo foi útil para você? Espero que sim.

Se ficou com alguma dúvida ou quer deixar a sua opinião sobre a estratégia, use o espaço de comentários abaixo.

E aproveite para falar sobre as suas pretensões nesse mercado.

Em qual nicho você deseja investir no dropshipping?

Compartilhe