Neil Patel

Espero que você goste desse artigo. Se você quer que meu time faça o seu marketing, clique aqui.

Como Criar uma Campanha de Remarketing no Google

Você gostaria de ter suas vendas alavancadas de maneira simples e poderosa com o remarketing?

Vou descrever uma cena aqui envolvendo remarketing que é bastante comum. Me diga se já aconteceu com você.

Você está lá, tranquilamente navegando pela internet e se vê sendo “perseguido” por banners de ofertas de algum serviço ou anúncio que estava pesquisando pouco tempo atrás.

Parece até coincidência, não é? Quem sabe uma bolsa ou uma viagem, uma peça de roupa ou um móvel novo para a casa, algo que você procurou o preço naquela manhã ou no dia anterior.

O fato é que você pesquisou por aquilo em algum momento e, desde então, o produto não “larga” você pelos sites que você navega, sejam eles de compra ou não.

Pois bem, isso não é mera coincidência. É o remarketing trabalhando e fazendo com que você não esqueça de maneira alguma aquele desejo por um serviço ou produto.

E de tanto ver o anúncio ali, de tão fácil acesso, você acaba comprando, não é verdade?

Esse é poder do remarketing. Milhares de pessoas são impactadas por essa poderosa ferramenta todos os dias, o dia todo, convertendo anúncios em vendas reais. Você também é. Mas há um diferencial aí.

Você tem o poder de usar o remarketing a seu favor, em favor dos seus negócios. Já parou para pensar nisso? Digo a você que é totalmente possível!

Nesse artigo, você aprenderá o que é remarketing, os motivos para fazê-lo, as diferenças entre remarketing e retargeting, além de muitas outras dicas e exemplos práticos sobre como criar uma campanha infalível de remarketing para a sua empresa, sempre de olho nas métricas.

Não deixe de conferir também as dicas sobre:
Como Aumentar Sua Conversão com Essas 6 Micro Conversões,
Como Aumentar suas Conversões com Apenas Um Minuto Por Dia
22 Dicas de Como Melhorar as Vendas na Internet Hoje.

Com todo esse conhecimento, o poder de conversão do seu empreendimento aumentará de maneira significativa. Está pronto para isso?

Então, vamos lá!

O Que é Remarketing?

“O remarketing apresenta anúncios às pessoas que visitaram o seu Website ou utilizaram a aplicação para dispositivos móveis. Quando as pessoas saem do Website sem efetuarem compras, por exemplo, o remarketing permite-lhe voltar a interagir com elas ao mostrar anúncios relevantes entre os respectivos diferentes dispositivos”.

Google AdWords

Veja que não existe nenhum grande mistério sobre o que é o remarketing. O próprio Google nos dá a definição perfeita.

Para além disso, o que você precisa saber é que o remarketing é uma estratégia poderosa de marketing, sobretudo para os dias de hoje. A maioria das compras acontece, ou se inicia, na internet.

Por isso é tão importante fazer remarketing para o seu empreendimento. Ele garante que o consumidor, mesmo depois de sair do seu site, ainda se sinta tentado a voltar e finalizar a compra.

O que fatalmente acontecerá: volte e faça a compra. É uma estratégia chamada genericamente de retargeting. Mais adiante, explico de maneira detalhada a diferença entre os dois termos.

Por definição, “Remarketing” significa fazer marketing mais de uma vez para a mesma pessoa.

É um modo de gerar impacto novamente em um consumidor que já se mostrou interessado em seu produto ou serviço.

É literalmente vencer pela insistência.

Porque Fazer Remarketing?

Quer uma resposta direta? Porque quando você foca em pessoas que já tiveram interesse em seus produtos, é bem mais provável que sua venda aconteça.

Isso é bem óbvio. Mas eu explico melhor.

Como empreendedor, você sabe muito bem que dificilmente um cliente compra algo logo na primeira visita ao site. É comum que ele só dê “uma olhadinha” e acabe voltando depois.

O cliente primeiro precisa analisar os custos, orçamentos, ver as ofertas dos concorrentes… Essas coisas todas.

O remarketing potencializa as chances de ele voltar porque aumenta a relevância da sua marca. Quando o cliente faz uma busca no Google e encontra seu site, ele recebe uma tag, pelos cookies do navegador.

Essa tag chega até você, contendo nela informações valiosas que irão possibilitar a criação de campanhas voltadas para esse público.

E assim, você alcança as pessoas certas com a mensagem exata que elas esperam e precisam. E, tendo elas já conhecido seu site, voltarão quando ele aparecer de novo por aí nas páginas que elas navegarem.

Pense na grandeza da rede do Google. Ele alcança milhões de pessoas no mundo inteiro.

Seus clientes podem estar ali, e é bem provável que estejam, e com uma boa campanha de remarketing, suas chances de conquistá-los é consideravelmente melhor.

Remarketing e Retargeting

Aqui preciso deixar claro que “remarketing” e “retargeting” são praticamente a mesma coisa.

Na verdade, um é o nome de marca do outro.

Isso porque “remarketing” nada mais é do que a forma como o Google chama a sua própria ferramenta de retargeting.

Existem outras plataformas que fazem esse mesmo serviço, como a AdRoll, ReTargeter e FetchBack e essas utilizam o termo “retargeting” mesmo.

Assim, quando você ler “retarget”, é só uma maneira genérica de dizer. Como em “Bombril” e “palha de aço”.

Simples, certo?

Como Integrar Remarketing e Retargeting

Como já disse aqui, o remarketing faz com que seja possível alcançar pessoas que já visitaram seu site. Esses clientes em potencial podem ver seus anúncios nos sites que visitam depois de visitar o seu e nas redes sociais também.

De um modo geral, sua campanha será vista por ele sempre que navegar pela “Rede de Display do Google”, que são os sites que fazem parte dessa rede do Google ou conforme eles voltem a pesquisar os termos relacionados ao seu produto ou serviço no Google.

É um campo de atuação muito, muito grande.

Falaremos sobre os processos de criação da sua campanha de remarketing a seguir.

Afinal, Como Funciona o Remarketing?

O sistema do remarketing é bem simples e intuitivo.

Vamos pegar como exemplo o Google Adwords. Imagine que você está buscando no Google por “canetas coloridas” e acaba clicando em um daqueles anúncios pagos que aparecem na página de resultados.

Ao entrar nesse site do anúncio, um cookie é armazenado em seu computador.

Esse cookie possibilita que o Google identifique sua preferência e necessidade e mostre para você, mais para frente, anúncios desse mesmo site em outros sites parceiros que dão espaço para anúncios.

Essa é a “Rede de Display” de que falamos anteriormente.

Além disso, os anúncios também poderão aparecer nas páginas de resultados, que é chamada de Rede de Pesquisa.

É dessa maneira que você será impactado por novos anúncios de produtos sobre os quais já pesquisou.

Essa investida acontece durante algum tempo, de maneira a convencer você a fazer a conversão daquela compra. Esse período é algo que pode ser configurado pelo empreendedor.

Geralmente dura uns 30 dias, mas pode variar. Tudo depende do acordo feito com a plataforma e das configurações da campanha.

Como empreendedor, para o remarketing funcionar no seu site, é simples.

Você só precisa instalar uma tag de remarketing em seu site. No caso do nosso exemplo, a tag deve ser específica para Adwords.

Instalando essa tag, é hora de pensar em estratégias.

Vamos falar sobre isso a seguir.

Como Funciona o Remarketing nas Redes Sociais

Os tempos mudaram. Hoje, não adianta mais ter uma loja incrível e uma marca forte se você não está nas redes sociais.

Ter uma estratégia social é tudo.

Só para se ter uma ideia, segundo o site TechCruch, mais de dois bilhões de pessoas por mês utilizam o Facebook.

Aliás, se você não está nas redes sociais, não dá nem para dizer com muita certeza que sua marca é forte, concorda?

Neste vídeo, eu falo sobre como promover seu conteúdo nas redes sociais quando você não tem seguidores:

https://youtu.be/q3DEnXHvvbA

Isso se torna ainda mais verdade quando pensamos em remarketing. Porque além de ser importante para a sua imagem, é nas redes sociais que boa parte das vendas acontecem.

É provável que todos nós já tenhamos passado por isso. Tente puxar pela memória e verá que é mais comum do que imagina, não é mesmo?

Você pode estar lá vendo as fotos de seus amigos no Instagram e entre uma selfie e outra aparece um anúncio de um produto que acabou de pesquisar.

Ou então, assistindo a algo no Youtube, um vídeo qualquer sem nenhuma relação com a sua vontade de compra e, sem que você se dê conta, na lateral o site aparece uma oferta de serviço que você tinha buscado mais cedo no Google.

Mais uma vez, pense como empreendedor. Enquanto os outros têm a sua marca exposta, onde está a sua? Oras, sua marca também poderia estar ali. Mais do que isso, é imprescindível que ela esteja!

Redes sociais poderosas como LinkedIn, Instagram, Facebook e Youtube são abertas à anúncios. Isso é ótimo para a sua empresa. Você pode anunciar por lá, de maneira totalmente simples e ter um aliado de peso nas suas vendas.

A seguir, vamos falar em detalhes sobre como usar o remarketing a seu favor em cada uma das redes sociais mais importantes do momento. Assim, você garante que sua marca esteja sempre presente na mente do seu cliente em potencial.

Assim, você converte anúncios em vendas.

Vamos lá?

LinkedIn Ads

O LinkedIn é considerado hoje a maior rede social para profissionais do mundo. É o lugar ideal para conhecer profissionais com os quais você quer trabalhar, além de ser a vitrine onde você se posiciona profissionalmente.

Atualmente, a rede conta com mais de 400 milhões de usuários no mundo todo. É um público bastante segmentado e de alto nível.

Por ser segmentado, pode ser o local ideal para o seu objetivo de venda.

Pense em como o Google AdWords é amplo, por exemplo. Dependendo do seu produto e do seu público, o LinkedIn tem chances de ser uma forma muito mais assertiva de encontrar (e influenciar) a audiência que você está buscando.

Outra vantagem muito interessante desta rede é que ela abre a possibilidade de segmentar seu anúncio não só pelos padrões normais como região, idade ou sexo.

Como estamos falando de uma rede para profissionais, os filtros também são especiais, como cargo, tamanho da empresa, nicho e outras informações específicas que servem para filtrar com ainda mais eficácia a sua audiência.

No LinkedIn temos dois formatos de anúncio disponíveis: Conteúdo Patrocinado ou Anúncios de Texto.

Se você está investindo em marketing de conteúdo ou focando em uma campanha de fortalecimento da marca, os conteúdos patrocinados são a escolha ideal. Esse tipo de anúncio faz com que seus conteúdos impulsionados apareçam no feed do público-alvo.

Por sua vez, os anúncios de texto agem de maneira diferente. Eles são aqueles menores, que surgem nas laterais das páginas. Aqui uma imagem de impacto, em boa qualidade, conta mais do que o texto.

A duração da sua campanha também é totalmente customizável.

Você tem a opção de pagar por clique (CPC), que é quando você define quanto quer gastar por dia e paga por cada clique no anúncio. Ou você pode escolher um valor fixo a cada mil impressões do seu anúncio, o chamado COM.

O LinkedIn também encoraja seus anunciantes a fazer testes durante a campanha. Isso é muito importante para que você descubra o que funciona melhor para as suas vendas e otimize os resultados.

Assim, enquanto a campanha está no ar, você tem a possibilidade de mudar configurações e segmentações, descobrindo na base do teste o que funciona melhor.

Instagram Ads

Uma das redes sociais mais queridas, o Instagram recentemente abriu sua plataforma para anúncios e, com isso, um novo mercado se potencializou. No Brasil, o Instagram é a segunda rede social mais acessada, só perdendo para o Facebook.

Dá para perceber que é um ótimo lugar para se anunciar, certo?

Vou explicar brevemente como funciona o Instagram Ads.

A plataforma de anúncios do Instagram funciona por meio de posts patrocinados. Eles são expostos como um conteúdo normal da rede. Ou seja, podem ser vídeos, fotos ou carrossel de imagens.

Quem escolhe é você.

Normalmente, em um anúncio de Instagram, a diferença para um post comum é que ele será marcado como “patrocinado” ali onde costuma aparecer a localização do post e, também, ele será clicável, levando para o seu site.

Quando o post aparece na timeline do seu cliente em potencial, ele pode interagir de várias formas.

Dando “like”, comentando, seguindo, clicando e indo para a sua loja.

Veja como são várias as possibilidades de interação, o que só contribui para aproximar o cliente da marca.

A segmentação dos anúncios no Instagram é muito parecida com a do Facebook, até por serem redes similares e da mesma corporação.

Assim, seus filtros podem ser os mesmos do Facebook, como: interesses de consumo, localização, faixa etária, sexo, sistemas de acesso e dispositivos, além de públicos especiais – que são a lista de contatos, quem acessou o seu site e outros do gênero.

Agora, quer saber na prática como fazer um anúncio no Instagram?

Vamos lá.

A primeira coisa na qual você deve pensar é no seu orçamento. Qual valor pretende gastar com isso? Por qual período sua campanha deve rodar, idealmente? Planeje bem antes do próximo passo. Isso é importante!

Depois, você vai focar no público que deseja alcançar. Outro passo muito importante!

Sua campanha precisa se adequar ao seu público. Se você já tem o costume de anunciar no Facebook, a segmentação pode até ser parecida com a que se usa por lá. Dê uma olhada no que pode reaproveitar e no que precisa mudar.

Para criar o anúncio em si, basta selecionar o destino no Facebook e na conta do Instagram que estão conectadas.

Se você quer criar o anúncio do zero, isso também é possível. Há possibilidade também de pegar um post do Facebook e torná-lo anúncio do Instagram – ele só precisa estar de acordo com as regras de anúncios do Facebook.

Feito isso e com a campanha no ar, busque sempre otimizar sua campanha. Faça testes, veja o que responde melhor e o que deve ser deixado de lado.

Acompanhe os resultados e se certifique que está tudo saindo como você planejou.

Facebook Ads

Imagine anunciar para 1,3 bilhões de pessoas.

Imagine ter esse alcance.

É possível, sabia? Isso porque é este o número de usuários do Facebook. Sim, é a maior rede social do planeta. E dispõe de plataforma de anúncio, o que você pode e deve se beneficiar em prol dos seus negócios.

Você só precisa, é claro, aprender a criar e configurar suas campanhas de venda nessa rede.

As campanhas, aliás, podem ter vários objetivos. Você pode focar em aumentar as vendas no digital ou na loja física, pode promover seu aplicativo novo ou reforçar a presença da marca no meio digital.

Algum desses é o seu objetivo atual? Mais de um? Ótimo. Então, estamos no caminho certo. Você pode começar a anunciar hoje mesmo no Facebook.

Vou mostrar os passos necessários para isso, de modo que você crie uma campanha poderosa nessa rede social onde todos estão.

As campanhas de Facebook seguem uma hierarquia bem simples, onde em primeiro lugar vem a campanha, depois o conjunto de anúncios e, por fim, o anúncio.

Quer entender melhor cada um desses termos? Vamos lá.

A campanha é onde você determina qual objetivo quer atingir.

Veja este exemplo: vamos imaginar que você quer aumentar as vendas da sua loja online. Determinando isso como objetivo, o Facebook irá otimizar os seus anúncios, levando a mais conversões para o seu site.

Você pode ter mais de um objetivo, é claro. Porém, só pode determinar um por campanha.

Caso queira trabalhar em mais de um objetivo, precisa criar mais de uma campanha.

No caso do Conjunto de Anúncios, depois de definido o objetivo da campanha, é quando você vai definir como os seus anúncios serão veiculados.

Isso quer dizer que você precisa definir as segmentações, como gênero, idade, localização, idade e outras do tipo.

Também é nessa etapa que define seu orçamento e, muito importante, o posicionamento dos seus anúncios na rede social. Se vão aparecer nas colunas laterais, se vão aparecer como post normal no feed, etc…

Assim como é possível criar mais de uma campanha para abranger mais de um objetivo, você também pode criar mais de um conjunto de anúncio por campanha.

Por último, temos o anúncio. Aqui é onde você cria o que o público verá de fato. É onde você irá incluir imagens ou vídeos (em quantidade, podem formar um carrossel), além de ter a opção de complementar a mensagem de seu anúncio com textos não muito longos.

Quando for definir seu público-alvo, avalie com cuidado. Por mais que seja tentador distribuir seus anúncios para toda a rede, lembre-se que nem todos têm interesse real em ser seus clientes.

Foque nos que já são. É nessa hora que você pode usar a sua base. Redirecione seus anúncios para quem já gosta e conhece a marca, para a sua lista de e-mail de clientes.

É possível importá-la para o Facebook, sabia?

Além disso, o Facebook dispõe de uma ferramenta muito interessante que é a opção de público “lookalike”. Ela traça um mapa de pessoas com gostos e características similares as da sua base. Essas pessoas são incluídas no seu público-alvo e, assim, os anúncios são entregues para mais gente e ajudam a alcançar seu objetivo.

Tenha cuidado com o seu conteúdo, de modo a torná-lo o menos invasivo possível. Nada de letras grandes, exageros para vender. Essa é uma rede social e as pessoas estão lá para falar com amigos e parentes.

Qualquer coisa que destoe disso será vista como um ruído perturbador e será evitado pelo público. Cuide para que seu anúncio seja agradável de ser visto usando uma linguagem clara e imagens atraentes.

Não deixe de ler este excelente artigo com 4 dicas sobre como vencer o algoritmo do Facebook e aumentar o seu alcance.

Com essas dicas, você tem tudo para fazer uma campanha matadora!

Youtube Ads

O Youtube está no topo entre os sites mais visitados do país. Isso amplia de maneira mais do que significativa o alcance dos anúncios veiculados por lá.

Para estar nesse meio, você pode criar seu anúncio no Google AdWords, de maneira bastante simples.

A partir disso, é hora de segmentar esse anúncio, filtrando por gênero, idade, localização e interesses quais são as preferências do seu público-alvo.

Selecionando essas configurações, você também pode escolher em quais horários seu anúncio aparecerá no Youtube. Isso é um potencializador da taxa de conversão, já que ajuda você a entregar sua publicidade exatamente quando seu público está lá vendo.

Dentro do Youtube, seu anúncio pode ser de três tipos: de texto, de gráfico/banner ou de vídeos. Falarei sobre cada um deles detalhadamente a seguir.

O formato do anúncio de texto ocupa 20% do espaço da tela, na parte inferior do vídeo. Sua utilização principal é para anunciantes que desejam fixar a marca na cabeça do cliente através de uma exposição rápida e impactante.

Os anúncios gráficos ou de banner, por regra, aparecem na parte inferior do vídeo em reprodução. Também existe a opção de veicular esses anúncios em qualquer página da rede de display que o proprietário do canal permitir.

Já o anúncio em vídeo pode aparecer antes, no meio ou no final do vídeo que está sendo reproduzido no player. Importante destacar que a pessoa assistindo ao vídeo pode desabilitar essa opção, então nem sempre ela é efetiva.

Anunciar no Youtube traz a vantagem de ser uma das redes com maior adaptabilidade de plataforma. Tanto no navegador como no mobile, ela é totalmente compatível.

Isso dá a segurança de que, independente do meio acessado por seu cliente, seu anúncio sempre aparecerá com a perfeição que você designou.

Vamos falar, por fim, sobre o investimento disso.

O retorno de anunciar no Youtube é praticamente garantido, já que você só paga se o usuário realmente clicar no seu anúncio – ou qualquer que tenha sido a ação que você vinculou a ele.

De todo modo, esse pagamento pode acontecer de duas formas. Pelo CPV, que é o custo por visualização ou por Custo por clique na miniatura, opção exibida por meio de vídeos relacionados e também através de pesquisa direta na busca do site.

Bastante prático, concorda?

E efetivo!

Como Fazer o Remarketing em 5 Passos

Chegando nesse ponto, aposto que você está como mil ideias na cabeça, louco para começar o quanto antes a sua campanha de remarketing, certo?

Isso é ótimo! E é o que iremos fazer. A seguir, mostrarei para você um a um quais são os 5 passos para fazer uma campanha de remarketing poderosa para a sua marca.

Aquela campanha que ajudará você a conquistar cada um dos seus objetivos de maneira eficaz e completa.

Aliás, você já definiu os seus objetivos? Vamos falar um pouco disso antes de ir para os cinco passos. É importante. Vamos lá.

Entendendo os Seus Objetivos de Remarketing

Em primeiro lugar, você precisa definir com propriedade os seus objetivos para o remarketing.

Veja, nem precisa ser apenas um objetivo. Você só precisa saber o que quer. Não pode ser algo vago como “ah, se as vendas aumentassem tudo bem, mas se só gerar mais gente conhecendo minha marca já está bom também.” Não!

Você precisa ter certeza do que quer!

Aqui está uma lista simples do que você pode fazer com o remarketing:

  • Aumentar o tráfego no seu site.
  • Aumentar a taxa de conversão do seu site.
  • Trazer mais pessoas para a sua loja física.
  • Fortalecer sua marca na memória dos seus clientes.
  • Divulgar uma promoção especial ou uma mudança significativa na sua marca.

As possibilidades são muitas. Pense bem, tire um minutinho para isso.

E aí, quais são seus objetivos?

Vamos falar agora sobre os cinco passos, confira!

Passo 1: Escolhendo as Configurações de Campanha

Já logado no AdWords, você entra no menu de “Campanhas” e está pronto para começar a criar a sua.

É lá que você ajusta todas as configurações e tipos de anúncio, do início ao fim. É possível personalizar de várias maneiras.

Essas configurações que você selecionar serão aplicadas a todos os anúncios na mesma campanha.

É nessa hora, inclusive, que você determina o tipo de campanha: se ela é de Rede de Display ou se é de Rede de Pesquisa.

Cada uma dela tem suas vantagens específicas. Falaremos sobre isso a seguir.

Campanhas da Rede de Display

Você quer formatos de anúncios atraentes e variados, aptos para alcançar para a sua empresa uma ampla gama de clientes?

Considere então configurar sua campanha na Rede de Display do Google. Através dela, você pode escolher em quais sites ou páginas seus anúncios serão exibidos.

Para configurá-la, os passos são bastante simples e intuitivos.

No menu “Configuração Básica”, coloque os seus anúncios na opção “Apenas na Rede de Display”. E a partir daí, você escolhe o “Objetivo de Marketing”.

Vamos supor que o seu objetivo seja ter mais vendas no site. No menu “Objetivos de marketing” você deve escolher “Impulsionar ação” e então “Comprar no seu website” ao criar a sua campanha.

Agora é hora de ter mais controle sobre os lugares onde seus anúncios serão exibidos.

Você deve escolher as configurações de segmentação.

Formule suas combinações de segmentação com base nos seus objetivos. Lembra que falamos deles anteriormente? É hora de colocar isso tudo em prática!

Você pode ter ainda mais controle sobre onde seus anúncios são exibidos ao escolher configurações de segmentação.

Elas são divididas entre “Segmentação e lance” e “Só lance” e também auxiliam a determinar qual será o alcance dos seus anúncios. Elas são como controles e podem ser definidas da seguinte maneira:

A “Segmentação e lance” tem como função restringir seus anúncios a exibir o método de segmentação que você selecionou, como palavras-chave, por exemplo.

Seu anúncio só será mostrado para o público alvo que você definiu, com as palavras-chaves que escolheu. Também poderá definir lances para segmentação individual.

Já em “Só lance”, seu anúncio não se restringe a exibir o método de segmentação que você selecionou.

Ele também entrega para quem se identifica com a sua segmentação, ainda que não faça parte dela.

Por exemplo, se você determinou que seu público alvo são “fãs de lasanha”, a “Segmentação e Lance” entregará esse anúncio só para os fãs de lasanha.

E a campanha “Só Lance” entregará não só para eles, mas para quem tem afinidade com essa preferência.

Uma fã de macarronada, por exemplo.

Campanhas da Rede de Pesquisa

Já aconteceu de você estar buscando algo no Google e aparecer ao lado dos resultados da pesquisa um produto ou serviço que tem afinidade com a busca que acabou de realizar?

Isso é uma Campanha de Rede de Pesquisa.

Quando uma pessoa pesquisa termos que são relevantes a um anúncio de Campanha de Rede de Pesquisa, esses anúncios são exibidos em uma coluna lateral na página de pesquisa do Google e de outros sites do Google.

Essa relação entre os anúncios e as páginas de resultados de pesquisa é feita com base nos termos ou nas frases que o usuário pesquisa.

Um exemplo para ficar mais claro: uma pesquisa sobre “madrinha de casamento” pode exibir um anúncio de vestidos de festa ou de serviços de buffet, quaisquer sejam desde tenham essa frase como uma palavra-chave.

Campanhas “Apenas na rede de pesquisa” são idealizadas para incentivar o cliente a realizar uma ação, como clicar no anúncio ou entrar em contato com a empresa.

É uma campanha de ação, antes de tudo.

Ela é perfeita para quem tem como objetivo fazer com que seus anúncios aparecem na página de resultados de pesquisa do Google.

Isso é bom também caso você queira alcançar somente clientes que buscam por um produto ou serviço específico que esteja sendo oferecido por você.

Definindo uma Campanha de Remarketing

No Google AdWords, a publicidade começa com a criação de uma campanha.

Já explicamos o que é a Rede de Display e o que é a Rede de Pesquisa, as duas opções de campanha do Google. Cabe a você escolher o tipo de campanha que deseja criar, tendo como base os seus objetivos de marketing na rede social.

Note que cada rede de publicidade, seja ela de Display ou de Pesquisa, tem tipos diferentes de campanha para atender às suas metas.

Ao iniciar a configuração da sua campanha, é hora de escolher um tipo e um subtipo para ela. E o tipo de campanha define onde os clientes serão impactados pelos seus anúncios.

Os tipos de campanha são: Rede de Pesquisa com exibição em Display, Apenas na rede de pesquisa, Apenas na Rede de Display, Google Shopping, Vídeo e Aplicativo universal.

Definindo isso, vamos para o subtipo de campanha. Ele tem a função de determinar quais configurações e opções estão ao seu dispor, como os tipos de anúncios que você pode criar.

O Google AdWords oferece os seguintes subtipos de campanha: Padrão, Todos os recursos e Objetivos de marketing.

Você pode definir uma configuração de rede selecionando um tipo de campanha e assim ir alinhando seus objetivos com as opções que o site fornece.

Passo 2: Criação de Uma Lista de Remarketing

Agora é hora de criar as suas listas de remarketing.

Antes de mais nada, para começar a usar o remarketing, você precisa adicionar a tag de remarketing em todas as páginas do seu website ou aplicativo.

Essa tag de remarketing nada mais é do um pequeno snippet de código que você recebe do Google AdWords. Ela é importante porque vai possibilitar que você crie suas listas de remarketing.

A lista de remarketing é a seleção de um grupo de visitantes do site ou usuários do aplicativo coletados pelas tags de remarketing adicionadas ao seu site ou aplicativo.

Ao criar uma lista, você define as regras sobre quando seus clientes, visitantes do site ou usuários do seu aplicativo, devem ser adicionados à lista.

É possível também especificar a duração dessa associação, ou seja, por quanto tempo aqueles clientes permanecerão na lista.

Veja abaixo mais detalhes sobre como criar uma lista de remarketing!

Criar a Lista de Remarketing

O Google AdWords até fornece algumas opções de listas de remarketing básicas, mas é interessante que você crie a sua, personalizada, do jeito que você precisa.

Trago aqui um passo a passo para você criar a sua própria lista de remarketing.

  1. No menu “Ferramenta”, abra a Biblioteca compartilhada;
  2. Clique em Gerenciador de públicos-alvo;
  3. Clique em Listas de públicos-alvo;
  4. Para adicionar uma lista de visitantes do site, clique no botão de adição e selecione “Visitantes do site”;
  5. Na página a seguir, escolha um nome para a sua lista de remarketing. Aqui a tag ou snippet de que falei anteriormente já deve estar configurado, caso contrário o processo não funciona;
  6. Escolha um modelo no menu “Membros da lista”;
  7. Você deve selecionar um conjunto de regras nos menus “Páginas visitadas”. Vá adicionando as condições para as páginas do seu site em que você deseja coletar cookies de visitantes;
  8. Defina o tamanho inicial da sua lista, ou seja, insira ali o número de visitantes que você teve durante um período definido por você. É possível aumentar esse tamanho inicial ao incluir os visitantes dos últimos 30 dias;
  9. Defina a duração de associação, ou seja, o tempo que um visitante pode ficar na sua lista. Essa informação pode ser alterada a qualquer momento;
  10. Defina uma descrição para seu público-alvo. Essa parte é opcional;
  11. Agora, clique em “Criar Público-Alvo” e pronto!

É hora de criar novas campanhas e grupos de anúncio para adicionar à sua lista. Você pode criar quantas listas de remarketing quiser.

Fazer Uma Campanha Segmentada a Partir Daquela ‘lista de remarketing.’

Ao configurar pela primeira vez uma campanha de remarketing, você precisa antes ter criado a tag e também suas listas de remarketing. Acredito que isso já está pronto, nessa altura, certo?

Tenha em mente que a sua tag de remarketing não pode de maneira alguma ter associação com nenhum tipo de informação confidencial ou que dê margem para identificação pessoal.

Questão de ética e bom senso, você precisa guiar suas tags baseadas em interesses e local, apenas.

Agora, um exemplo de passo a passo prático para criar uma campanha segmentada com lista de remarketing:

  1. Já tendo feito login no Google AdWords, clique em Campanhas;
  2. A seguir, clique em +Campanha, selecionando “Apenas na Rede de Display”;
  3. Selecione “Objetivos de marketing” e então, “Comprar no seu website”;
  4. Defina o nome da sua campanha, sua estratégia e seu orçamento;
  5. Clique em Salvar e continuar;
  6. Escolha um lance e um nome para o seu grupo de anúncios;
  7. No menu “Escolha como segmentar seus anúncios”, marque suas escolhas;
  8. Em “Selecionar categoria”, clique em Listas de remarketing;
  9. Selecione “Configurar remarketing”;
  10. Defina um lance e um nome para o seu grupo de anúncios.

Caso você queira concluir ali mesmo a criação da sua campanha, clique em “Salvar e continuar”. Se preferir continuar depois, a opção a ser selecionada deve ser “Pular criação de anúncios”.

Este é um modo bastante prático de criar a sua primeira campanha. Vamos a mais alguns exemplos práticos em remarketing.

Passo 3: Exemplos Práticos de Remarketing

Vamos tratar agora de alguns exemplos práticos de remarketing.

Já tivemos alguns deles aqui e esses trarão mais dicas de como você pode configurar suas campanhas para obter resultados bastante específicos para a sua empresa.

De um modo ou de outro, sempre existe um aspecto que pode ser melhorado na sua estratégia de venda.

Se a pessoa foi até o seu site e não finalizou a venda, é possível que seja porque você deixou algo a desejar no seu marketing.

Vamos tratar de corrigir ou prevenir algumas dessas possibilidades através das campanhas de remarketing.

Campanhas Focadas em Pessoas que Não Fizeram Certa Ação na Página

Seu cliente apenas entrou na sua página e não fez nada ali? Crie uma campanha para fazê-lo voltar e tomar alguma ação.

Isso é certo: o jeito mais simples de fazer remarketing é alcançando todos os clientes em potencial que visitaram seu site. Com isso, qualquer pessoa que olhou sua página pode ter acesso aos seus anúncios quando sair dela.

Crie uma campanha cuja lista de remarketing alcance todos os visitantes do seu site. Essa lista deve ser definida de maneira que o URL contenha o domínio do site (“SuaLoja.com”) ou ele sendo igual ao URL da home da sua página (“http://www.Sua Loja.com”).

Dessa maneira, quem já visitou sua página será provocado a visitar mais uma vez e tomar a ação.

Campanhas Focadas em Pessoas que Chegaram em Certa Página por Meio do Seu Processo de Checkout, Mas Não Finalizaram a Compra

É bastante comum as pessoas colocarem itens nos carrinhos de compra de sites de venda online e desistirem, fechando o site sem concluir aquela compra.

Esses são clientes que estão muito perto de comprar, mas que por algum motivo desistiram.

As listas de remarketing são excelente maneira de alcançar esses “indecisos” e convencê-los a mudar de ideia, para que possam concluir a compra.

Para alcançar esses desistentes ou indecisos, existe um jeito prático.

Crie uma lista de clientes que visitaram a página de “Carrinho de Compras” do seu site. Em seguida, crie uma segunda lista, com os clientes que concluíram uma compra e visitaram a página de “Confirmação do pedido” do seu site.

O próximo passo, que é também o passo final, é usar uma lista de combinação personalizada, fazendo remarketing com os clientes que estiveram na página “Carrinho de Compras” mas não passaram pela página “Confirmação do pedido”.

Simples, não é? E pode fazer toda a diferença na sua taxa de conversão.

Campanhas Para Pessoas que Não Viram Uma Página Que Você Gostaria Que Elas Vissem

Imagine que você tem uma loja online de patins. Seu cliente acessa o site, compra um par de patins e sai da página.

Você pensa: eu poderia ter vendido mais do que isso. Certo? Ele poderia ter comprado não só os patins, mas acessórios para eles como freios, cadarços e até ferramentas de manutenção.

Mas será que o cliente chegou a ver as páginas com esses produtos na sua loja? É provável que não.

Assim como também é provável que ele se interesse por eles, caso saiba que existam.

Ainda mais por ele já ter comprado na sua loja e ter criado um vínculo com ela.

O remarketing pode ajudar você nesse sentido.

Nesse caso, uma boa opção é criar uma lista de “clientes convertidos” e personalizar seus anúncios para esse grupo com ofertas de produtos que podem interessar a eles.

Será uma audiência reduzida de visitantes se comparado a anúncios mais amplos, é verdade. No entanto, você pode contar que é uma clientela já cativa, que conhece sua loja.

Outra estratégia excelente é criar listas de remarketing apenas para determinados produtos.

Assim, será exibido para seus clientes um anúncio com produtos relacionados à última compra deles.

Passo 4: Ferramentas de Remarketing

Após aprender sobre remarketing, campanhas e anúncios, vamos falar sobre as suas ferramentas.

Você irá conhecer as principais ferramentas de remarketing do mercado e estará apto para escolher qual delas será melhor para auxiliar você em sua estratégia de vendas.

Google Adwords Retargeting

O Google Adwords possui seu próprio remarketing nativo, onde não se faz necessário fazer um investimento mínimo para que se possa utilizá-lo. Você precisa apenas definir o valor de orçamento diário, além de configurar suas tags.

Ele disponibiliza várias opções de remarketing, entre elas o de Pesquisa, de Display, de Vídeo e Dinâmico.

Remarketing Dinâmico Analytics

Uma excelente ferramenta para exibir aos seus clientes anúncios de produtos que possam interessá-los, baseado na navegação deles em seu site.

Fazendo uso do remarketing dinâmico, é possível atualizar suas tags com características específicas, de modo a coletar informações adicionais e refinando ainda mais sua base.

Tendo as tags atualizadas, você pode criar campanhas ainda mais poderosas e assertivas, criando atributos dinâmicos que se correspondam entre Google Analytics e Google AdWords.

Assim, quando um cliente seu visualizar um produto, você poderá veicular para ele o anúncio de outro relacionado, similar ou superior, através do remarketing.

Perfect Audience

Excelente opção, e de baixo custo, para empreendedores de pequeno a médio porte.

Dispõe de opções de remarketing dinâmico que podem ser colocadas em prática de maneira bastante descomplicada. Bastante intuitivo.

Chango

Ferramenta especializada em search retargeting, é das poucas especialistas neste ramo no mercado. Tem grandes nomes varejistas em sua cartela de cliente, boa parte deles conquistados por conta do excelente suporte que prestam.

Criteo

Dá a você a opção de trabalhar tanto com Google Adwords quanto com Facebook Ads, no que é bastante flexível e prática.

Trabalhando com ela, você pode optar entre remarketing normal ou dinâmico.

Retargeter

O ReTargeter tem como diferencial ser uma ferramenta com a qual você pode fazer retargeting usando uma simples lista de emails. Também abrange search retargeting.

Dispõe de ampla variedade de relatórios e atendimento personalizado ao cliente.

Passo 5: Plugin do WordPress Para Remarketing

Você pode usar o remarketing também em seu site hospedado no WordPress, sabia disso?

O WordPress é uma plataforma poderosa e com muitas ferramentas disponíveis aumentar a performance do site para seus usuários. São os chamados “plugins”.

A seguir vou falar de dois plug-ins que o WordPress oferece para quem quer adicionar a função remarketing ao seu site.

Google Remarketing

O plugin do Google Remarketing permite que você especifique um código de rastreamento de remarketing da rede de Display do Google em todo o seu site.

Esse código pode ser substituído e customizado posteriormente.

É um plugin muito usado pelos usuários de WordPress, pois sua configuração é bastante intuitiva.

A estrutura básica dele é a mesma do Adwords-Remarketing, porém com os ajustes de configuração padrão do WordPress.

WooCommerce AdWords Dynamic Remarketing

O WooCommerce insere automaticamente tags necessárias para o Google Dynamic Remarketing (DYNX).

Antes de escolhê-lo, é bom atentar para o fato de que este plugin só funciona para o tipo de feed de exibição dinâmica personalizado, não sendo destinado ao Google Merchant Center (ECOMM).

Este plugin gera o Product Feed for Adwords, gerando tags de remarketing padrão para a sua página inicial, de produtos, carrinho de compra e confirmação de pedido.

Vantagens do Remarketing

Segundo pesquisa do Google Adwords, somente 3% dos visitantes de uma loja virtual concluem sua compra já na primeira visita ao site.

Isso quando falamos de uma venda simples.

Imagine aquelas que envolvem orçamento, aprovação e outros processos burocráticos.

Pense em quantas vendas você poderia garantir se pudesse fazer com que seu site fosse permanentemente lembrado por quem entrou lá só uma vez.

É aí que entra o remarketing.

Ele é um ponto chave da publicidade. Se você quer aumentar suas vendas, garantir aquelas que já estão quase certas e fortalecer sua marca, ele é a ferramenta ideal.

A seguir, mais algumas vantagens que o Remarketing traz.

Captação de Clientes

O remarketing é ótimo para angariar clientes. Com sua estratégia persuasiva, ele os ajuda a encontrar você no meio das inúmeras outras ofertas da concorrência.

Aumento de Conversões

Conversão é o objetivo final do marketing na Internet. Isso é fato, não importando o ramo da sua empresa, seu objetivo é obter algum tipo de ação do cliente em potencial.

Ao manter você vivo na memória do cliente, o remarketing se consagra como uma poderosa maneira de aumentar as suas conversões.

Melhor Relacionamento

O remarketing melhora seu relacionamento com o cliente, o tornando mais próximo a você.

Isso porque ao mostrar seu produto repetidas vezes, ele cria uma familiaridade com a marca.

Anúncios Engajados

Com o remarketing, você tem a possibilidade de ir direto ao ponto, criando anúncios extremamente eficazes, focados no público que você deseja alcançar.

Anúncios Personalizados

Os anúncios de remarketing têm a vantagem de serem mais elaborados visualmente. Eles podem ser totalmente customizados, da maneira que melhor funcionar para a sua campanha, com diferentes formatos, banners e amplo uso de imagens e efeitos.

Melhor Segmentação

Você tem a opção de segmentar com mais propriedade no remarketing.

Basta pensar que seu alcance pode ser em grande escala, chegando a todas as pessoas da sua lista e justamente quando elas estão propensas a comprar.

Não há como errar assim, seu anúncio é entregue exatamente para quem quer vê-lo.

Gráficos Personalizados

Enquanto o marketing normal foca apenas em anúncio de texto, no remarketing você pode ser bem mais do que isso.

No remarketing você tem o diferencial de poder usar imagens como ponto principal. Pense nisso como o que vai colocar sua marca na frente. Com o auxílio de imagens personalizadas, as chances de atrair a atenção dos clientes é muito maior.

Fortalecimento da Marca

E, uma coisa leva a outra, além de belas imagens, você pode ter também o seu logo nesses gráficos.

Isso fortalece a sua marca, na medida que faz o cliente associar o produto a ela.

É uma maneira matadora de otimizar seus anúncios e fortalecer sua marca no mercado.

CPC Baixo

O custo por cliques em uma campanha de remarketing é considerado baixo, se comparado com a taxa de conversão que ele proporciona.

Por ser um produto e uma marca que o consumidor já conhece, as chances de ele clicar em um anúncio são maiores. Por isso, a taxa de conversão é mais alta.

O que torna o remarketing um investimento bastante vantajoso financeiramente.

Mapeamento de Sites

O mapeamento de sites do remarketing no Google Adwords é muito eficaz.

Você pode ter controle sobre quais sites estão tendo uma melhor taxa de conversão e saber quais não estão rendendo tanto.

A partir disso, pode optar por não anunciar mais em determinado site.

Com esses ajustes simples, consegue ter um retorno muito melhor sobre seu investimento.

Algumas Dicas Para o Seu Remarketing

Após todas essas dicas e exemplos, trarei aqui algumas observações finais sobre remarketing. Atenção para elas, são muito importantes!

Trabalhe Bem as Suas Landing Pages

Depois de todo o esforço em construir bons anúncios que convertem, você precisa ter uma boa estrutura esperando o cliente, afinal, isso pode ajudar na hora que ele clicar no seu anúncio.

Dê especial atenção à sua Landing Page. Ela deve ser coerente com o anúncio veiculado, bem sinalizada e agradável de ser vista.

Deve ser convidativa, como seu anúncio foi.

Fique de Olho nas Métricas!

De nada adianta um bom anúncio e uma campanha matadora se você não acompanha o progresso dela através das métricas.

São as métricas que vão dizer como está o desempenho da sua campanha, onde ela está indo bem e onde ainda pode melhorar.

Busque configurar suas métricas e gerar relatórios periódicos sobre seus anúncios. O próprio Google AdWords dá esse suporte.

Cuidado com o Excesso de Exibições Para Um Só Usuário

É claro que a base do remarketing é a insistência, mas procure evitar o excesso de exibições de um mesmo anúncio ao mesmo cliente.

Isso pode forçar um pouco o relacionamento, passando uma imagem ruim de empresa desesperada.

Porque a Sua Campanha de Remarketing Não Funciona

Veja, o remarketing é uma estratégia de venda bastante simples e intuitiva.

Porém, é uma armadilha pensar que por isso, ela se sustenta sozinho. Que é só configurar um anúncio baseado em uma lista e esquecer.

Não é assim que funciona.

Além de configurar os anúncios, você precisa ter um planejamento da sua estratégia como um todo.

Saber onde quer chegar, ter um objetivo claro.

Precisa também acompanhar de perto essa estratégia, ver se os resultados estão

aparecendo, onde investir mais e onde deixar de anunciar.

Se a sua campanha de remarketing não está dando certo, você pode estar falhando aí.

Conclusão

Com esse artigo, você aprendeu o que é remarketing e como usá-lo para aumentar sua taxa de conversão.

Também descobriu suas vantagens como estratégia de venda. Finalmente, teve exemplos práticos de como configurar vários modelos de campanha.

Caso alguma dúvida tenha permanecido, não deixe de comentar!

Aqui você encontra um artigo incrível com 3 estratégias de retargeting que realmente funcionam.Confira agora mesmo!

E você também pode se interessar por esses artigos:

O que você está esperando para começar a sua campanha de remarketing e alavancar a sua taxa de conversão?

Compartilhe