Brand Book: O Que É e Como Criar o Manual da Marca (+7 Exemplos)

brand book das marcas

Este é um excelente momento para você criar um brand book para o seu negócio.

Se não tem o seu, aproveite para não ficar atrás da concorrência.

Também chamado de manual da marca, o documento ainda não está difundido no Brasil, mas vem crescendo cada vez mais.

Isso acontece graças à sua inegável importância para o marketing.

Como você sabe, os fatores que identificam uma marca são muito valiosos para estabelecer relações com o público e associá-la a uma imagem positiva.

Eles são, muitas vezes, responsáveis pelo primeiro contato com potenciais consumidores.

Qualquer material criado deve ser automaticamente relacionado à sua empresa pelo logotipo, linguagem e outros elementos que compõem a comunicação.

No entanto, uma empresa é composta por muitos colaboradores, áreas e ferramentas.

E tudo isso pode gerar alguma confusão na hora de divulgar os elementos que representam o branding da companhia.

É nesse contexto que surge o brand book como o responsável por resolver esse tipo de problema.

Se você quer saber mais sobre esse assunto, continue a leitura.

Ao longo deste artigo, vou explicar como construir o seu próprio manual de marca e padronizar o discurso do seu negócio.

Vamos lá?

Antes de continuar, se você quer aumentar sua vendas e saber quais são as melhores estratégias para promover seu negócio online, clique aqui para receber o Guia Completo de Marketing Digital.

guia completo de marketing digital

O que é o brand book?

criação de brand book

O brand book é também chamado de manual da marca.

Em poucas palavras, posso dizer que se trata de um guia que descreve as diretrizes para manter a identidade de uma marca em todos os aspectos do negócio.

Veja bem, para algumas pessoas, um brand book trata apenas dos elementos de design de uma marca, como logotipo, cores e outro componentes da identidade visual.

No entanto, ele vai muito além disso.

Esse documento é a materialização da marca. Por isso, a transforma em um objeto tangível e com personalidade própria.

Ou seja, toma conta de todos os fatores visuais, mas também o tom de voz, a essência, os valores, princípios e ideias que a constituem.

Você provavelmente está se perguntando: Ok, mas por que isso é importante?

Basicamente, um brand book tem a função primária de padronizar a comunicação de uma empresa.

Isso é muito importante para qualquer setor que lida direta ou indiretamente com o público, como design, marketing, vendas, suporte e atendimento.

Imagine o quanto é incômodo para o consumidor ter que lidar com mensagens da mesma empresa, mas que utilizam discursos distintos.

Informações desencontradas, diferentes layouts em peças gráficas, má comunicação com a persona.

Todos esses são problemas que podem ser solucionados com um manual da marca.

Esse material é o principal responsável por garantir uma linha comunicacional homogênea, padronizada, que não foge do que se espera.

Elementos de um brand book

elementos de um bom brand book

Cada brand book é elaborado de acordo com as necessidades da empresa, contendo elementos que são importantes em seu contexto.

No entanto, para facilitar a compreensão, veja abaixo alguns dos itens comumente observados neste guia:

Quando novos colaboradores ingressam na empresa, devem receber a documentação.

Além disso, ele deve ser consultado sempre que surgir a necessidade.

E cabe dizer ainda que um brand book pode (e deve) ser atualizado com frequência, já que elementos se alteram com o passar do tempo.

Principais objetivos do Brand Book

objetivos de um brand book

Existem algumas razões pelas quais um brand book é criado.

A seguir, vamos saber quais são as principais.

Ainda não tem o seu? É a hora de saber por que precisa ter.

Consistência

O primeiro e principal motivo para a criação de um brand book é a consistência na mensagem.

O público espera que você utilize uma linguagem uniforme, seja qual for o canal utilizado para a interação.

Esse material alinha colaboradores e equipes, que passam a utilizar o mesmo modelo de comunicação verbal e visual.

Humanização

É sabido que, nos dias de hoje, as pessoas se aproximam cada vez mais das marcas.

Nesse cenário, empresas que são humanizadas tendem a se destacar.

Um brand book estabelece elementos pessoais da marca, incluindo valores sociais e filosofia, o que agrada ao consumidor.

Relacionamento

Um dos principais objetivos do brand book é gerar relacionamentos duradouros com o público.

Assim, ganha-se em fidelização de consumidores.

A padronização na linguagem é essencial para isso, já que permite a continuidade do diálogo em canais como redes sociais, e-mail marketing e blog.

Vantagens do Brand Book

vantagens de um brand book

Para que você entenda de vez o quanto é importante criar um brand book, saiba quais são suas principais vantagens.

Compatibilidade

As mensagens enviadas ou respostas concedidas pela marca serão compatíveis por meio de um brand book.

Assim, não há ruídos na comunicação.

Tempo

Um brand book pode ser consultado por qualquer colaborador a qualquer momento.

Isso evita a necessidade de reuniões e outros processos que poderiam atrasar o fluxo de atividades da empresa.

Regras

Toda empresa tem suas próprias regras.

Ao colocá-las no papel, você evita que elas sejam desrespeitadas e facilita o acesso e compreensão dos colaboradores.

Como Fazer o seu Brand Book (Manual da Marca)

profissional que trabalha na criação de um brandbook

Até agora, você viu como o brand book (ou manual da marca) é importante para qualquer tipo de negócio.

Além de servir como uma referência para parceiros e colaboradores, também funciona como uma amostra para potenciais investidores.

Dada a sua relevância, é bem provável que você esteja considerando criar um, não é mesmo?

Nesse caso, aprenda agora mesmo quais são os elementos a serem considerados no processo.

Identidade Visual

Um dos componentes de maior importância em um branding book diz respeito à identidade visual.

Aqui, você deve inserir todas as diretrizes de utilização de elementos que serão visualizados pelo público.

O mais significativo deles é o logotipo.

Por vezes, os diferentes arquivos também são anexados ao manual, justamente para que sejam facilmente incorporados às peças gráficas digitais ou impressas.

Mas a identidade visual vai muito além disso.

Templates de posts nas redes sociais, por exemplo, também fazem parte.

Além disso, temos também mascotes, layouts de páginas, diretrizes de configuração de imagens, tipografia, ícones, grafismos, posicionamento de cores e muito mais.

Alinhando esses elementos, você tem a certeza de que todos os integrantes da equipe utilizem um mesmo referencial.

Tom de voz

O tom de voz se refere à linguagem que será utilizada em suas peças de comunicação.

Isso inclui redes sociais, e-mail marketing, material impresso, entre outros canais.

Naturalmente, a sua persona tem preferência por um linguajar específico. E é exatamente isso que você deve descobrir para compor esse documento.

Ele pode ser formal ou informal.

Utilizar gírias, jargões e expressões da área.

Ou se aproximar do público com um discurso em primeira pessoa, por exemplo.

Aqui, também são considerados outros componentes, como tamanhos de parágrafos e frases, pronomes de tratamento e qualquer outro item que se refere à conversação com o consumidor.

Assim, você garante que os profissionais da sua empresa utilização um padrão comunicativo, evitando ruídos no diálogo.

Institucional

Os elementos institucionais inseridos em um brand book dizem respeito à companhia.

Ou seja, são detalhes que refletem os valores e a história da empresa.

Nos manuais da marca, é muito comum que haja um resumo do início da empresa até os dias atuais.

Isso é muito importante, principalmente, quando novos colaboradores são contratados.

Além disso, a descrição, histórico dos fundadores, integrantes das equipes, missão, visão, valores, conduta, filosofia e outros componentes são desenvolvidos.

Nesse caso, o principal objetivo é ordenar o pensamento coletivo para que as pessoas que fazem parte do negócio saibam como se posicionar enquanto trabalham.

Portfólio

Outro importante ingrediente nessa receita é o portfólio.

Aqui não há muito mistério.

São descritos e categorizados os produtos e serviços oferecidos pela empresa.

Assim, além de conhecer profundamente a empresa, os colaboradores compreendem mais sobre o que ela vende.

Mercado

Os elementos de mercado são essenciais, principalmente para as equipes de marketing e vendas.

Aqui, estão inseridos todos os itens que abrangem o macroambiente.

Ou seja, detalhes como personas, públicos, concorrentes, parceiros, fornecedores e outros stakeholders, ou partes interessadas.

Diferencial

Por fim, mas não menos importante, um brand book pode conter os principais diferenciais da sua marca.

Você já parou para pensar no que oferece que o diferencia de seus concorrentes?

É exatamente sobre isso que se trata este item.

Pode parecer simples, mas quando os colaboradores têm em mente o que há a mais na empresa, eles poderão repassar a informação à frente.

7 Exemplos de Brand Books para se inspirar

uber como exemplo de uso de brand book

Existem diversos exemplos de brand books dispostos na internet e nos sites corporativos de empresas.

Mas você não precisa sair procurando por aí, sem saber por onde começar.

Abaixo, separei alguns dos melhores para você conhecer e se inspirar.

Uber

A Uber é uma empresa do ramo de transporte que, em pouco tempo, se tornou a mais importante do mundo.

Boa parte de sua popularidade se dá ao fator comunicacional.

Como o sistema era uma novidade, muitas pessoas se perguntavam sobre o funcionamento do produto.

E do documento criado pela empresa, certamente, é um ótimo exemplo a ser seguido.

Você pode observar os 9 elementos cobertos pelo guia: logo, cor, composição, iconografia, ilustração, proposta, fotografia, tom de voz e topografia.

Vale a pena conferir.

Skype

Outro ótimo case de sucesso é o do Skype.

Em seu brand book, um material completíssimo sobre tudo que rodeia a marca, ele descreve cada item com precisão.

Aqui, cada elemento é detalhado.

Além dos já citados no caso do Uber, há informações sobre palavras que a empresa usa ou não usa, por exemplo.

Dê uma olhada no documento e imagine o quanto isso foi importante para que os colaboradores da empresa soubessem exatamente como se comunicar com o público.

Nike Football

Neste documento em formato de slides, a Nike Football mostra que não é necessário que o material seja extenso ou cansativo para os colaboradores.

Utilizando técnicas de design gráfico, a empresa mostra que até mesmo o brand book pode ser criativo e interessante.

Para isso, aposta em imagens e palavras de impacto que passam uma mensagem bastante convincente e aponta as principais características da marca.

Spotify

Em sua página de diretrizes, o Spotify traz à luz o seu próprio manual da marca.

Veja bem, esse é um caso muito específico, pois o conteúdo disponibilizado na plataforma não é criado pela própria empresa.

Em outras palavras, ela não é responsável pela comunicação dos canais e playlists do aplicativo.

Ainda assim, é importante que haja um padrão, que é muito bem descrito na página em questão.

Cores, ícones, espaçamento, conteúdo, widgets e muito mais são aprofundados de maneira simples e agradável nesse exemplo.

Facebook

A maior rede social do mundo é mais uma que apostou em um brand book.

Nesse caso, o material (nomeado como Centro de Pesquisas da Marca), revela tudo sobre a identidade de diferentes produtos da companhia.

Isso inclui o Messenger, o WhatsApp, o Instagram e outros itens.

Mailchimp

Uma das plataformas mais utilizadas do mundo para automação de marketing, e-mail e captura de leads, o MailChimp é mais um bom exemplo de comunicação interna.

Nesta página, você pode observar de uma maneira bem direta cada uma das características da marca.

Inclusive, a primeira e mais destacada informação diz respeito a um erro muito comum ao citar a marca: a correta escrita e pronúncia, uma palavra única M maiúsculo e C minúsculo.

Muito legal, não é?

Dropbox

A plataforma de arquivos em nuvem Dropbox é conhecida ao redor do mundo.

Em seu manual da marca (desta vez, em português), são revelados todas as regras para utilização da logo e outros elementos que compõem a sua identidade.

Outros importantes componentes citados são os glifos, posicionamento de elementos visuais, entre outros.

Um diferencial interessante é que a marca faz questão de dizer que não é permitido girar, esticar, colorir, delinear ou qualquer outra ação que descaracterize o logotipo.

Quanto custa fazer um manual de identidade visual?

custo da criação de um manual de identidade de marca

Existem muitas variáveis que podem influenciar no preço de um manual de identidade visual.

Mas uma coisa é certa: ele deve ser criado por alguém que conhece profundamente a empresa, já que é o responsável por estabelecer as raízes do negócio.

Por isso, vale a pena se basear nos exemplos citados, mas diferenciar os elementos.

Afinal, cada empresa é única.

Existem profissionais freelancers e agências que podem ajudá-lo nessa tarefa.

No entanto, nesse caso, algum colaborador da empresa deve ficar responsável por oferecer todas as informações necessárias para a composição do material, assim como a sua posterior análise e aprovação.

Conclusão

Ao longo deste artigo, você descobriu o que é um brand book e seus principais objetivos.

Além disso, viu quais são as vantagens ao aplicá-lo e aprendeu a criar o seu próprio manual da marca.

Por fim, conheceu alguns exemplos de grandes marcas que utilizam a estratégia.

Eu espero que este texto tenha solucionado todas as suas dúvidas.

Mas, caso caso contrário, deixe o seu comentário na caixa abaixo e eu responderei assim que for possível.

E aproveite para dividir comigo e os leitores as suas expectativas quanto ao manual da marca.

O que não pode faltar no brand book da sua empresa?

guia completo de marketing digital

Compartilhe