Como Fazer Marketing Digital: o Guia Passo a Passo

Marketing Digital. Apenas uma daquelas palavras novas e chiques para você parecer esperto nas reuniões, ou isso realmente é o que há atualmente?

O que é marketing digital, afinal?

Esse guia vai mostrar a você o que é o quê.

O marketing digital foi primeiramente popularizado como termo no começo dos anos 2000, mas na realidade já existe há bastante tempo.

Tipo, BASTANTE tempo. Aproximadamente 100 anos para ser exato.

Abaixo uma foto do primeiro profissional de marketing digital na história:

gulielmo marconi

(Fonte da imagem: Wikipedia)

O nome dele: Guglielmo Marconi.

O quê? Um italiano?

Sim. Em 1896 ele foi a primeira pessoa a demonstrar uma “transmissão pública de sinais wireless.”

Esse cara inventou o rádio.

Pouco depois da sua primeira demonstração na Inglaterra, sinais em código morse foram transmitidos através de águas abertas.

E enquanto demoraram outros 10 anos para o rádio alcançar o público geral, certamente não demorou muito para os criadores descobrirem que eles poderiam usar isso para vender coisas.

A primeira transmissão ao vivo foi de uma performance de ópera no Met, e adivinhe o que as pessoas fizeram depois disso?

Compraram ingressos!

O marketing digital nasceu.

Eu aposto que você está surpreso. Eu não mencionei smartphones, apps, anúncios no facebook ou blogs, nem nada disso.

Isso porque o marketing digital não tem nada a ver com a internet.

O que é Marketing Digital?

Como de costume, o Wikipedia fez um péssimo trabalho ao explicar: Marketing digital é um termo guarda-chuva para o visado, mensurável e interativo marketing de produtos ou serviços usando…

Urgh!

Eu quero uma definição fácil que eu possa me lembrar! Aqui temos uma: Marketing digital é qualquer forma de marketing de produtos ou serviços, que envolva aparelhos eletrônicos.

Essa é a razão pela qual ele tem estado por aí desde sempre (porque aparelhos eletrônicos também têm) e porque isso não tem necessariamente a ver com o Google ads ou retargeting.

O marketing digital pode ser feito tanto online quanto offline.

E ambos são importantes.

Por que o marketing digital é importante?

Se lembra do outdoor?

Eu me lembro.

Como um jovem garoto na Califórnia, minhas experiências no banco traseiro do nosso carro foram basicamente alternando entre: “Mãe, tá chegando?” e “Olhe, um McDonalds, podemos ir?”, todas as vezes que um desses outdoors de 3 metros aparecia na beira da rua.

Crescendo com pais indianos, a resposta para as duas perguntas seria quase sempre a mesma: “Ainda não.”

Algumas vezes marcas grandes começariam uma guerra de outdoors, como esta entre a Audi e a BMW, que gerou algumas risadas:

owned

(Fonte da imagem: blog da BMW)

Em 2015, vários dos meus clientes ainda gastavam centenas de milhões de dólares em propagandas em outdoors.

Infelizmente isso morreu.

A razão pela qual outdoors como os acima vão morrer, está perfeitamente ilustrada em uma única foto de um Volvo.

Porque francamente, no futuro dirigir será mais ou menos assim:

volvo

(Fonte da imagem: Dullonet)

Nem um passageiro vai perder seu tempo olhando pra rua.

Faça-me um favor, a próxima vez que você estiver dando carona a um amigo, dê uma olhadinha para o lado direito.

Só por um segundo.

Mesmo agora, provavelmente ele estará olhando para o telefone.

Poxa, num mundo onde 9% de todos os motoristas estão ao telefone de um jeito ou de outro (enviando mensagem ou ligando), a qualquer hora do dia, como nós podemos pensar que os outdoors têm algum futuro?

Se nem mesmo o motorista está olhando pra rua mais, quem vai ficar olhando pra propagandas em outdoors?

E isso sem considerar os carros autônomos, nos quais a Apple e o Google estão trabalhando (você sabe que isso vai acontecer).

Elon Musk suspeita que eles estarão por aí em torno de 2020, são só mais 5 anos.

Isso significa que você não tem tanto tempo para descobrir essas coisas de marketing digital antes de você poder desligar sua velha impressora do tempo da escola e fechar a loja.

A participação de pessoas gastando mais tempo usando aparelhos eletrônicos só vai crescer daqui por diante.

Com os Americanos gastando 11 horas ou mais em aparelhos eletrônicos todos os dias, não falta muito até nós gastarmos TODO o nosso tempo no mundo digital.

E enquanto sim, o marketing online é a razão pela qual garotos de 25 anos podem agora sentar na sua sala de estar e ganhar 2 milhões por ano jogando vídeo-games, o marketing offline ainda tem o seu lugar.

Vamos pegar o helicóptero e dar uma volta para ter uma visão geral.

Visão geral

Os 2 grandes grupos do marketing digital são o online e o offline. Dito isso, já que falarei sobre marketing online em um guia separado, eu só mencionarei as diferentes áreas do marketing online aqui para que fique completo.

As 7 grandes categorias do marketing online são:

  1. Otimização dos mecanismos de busca (SEO)
  2. Marketing dos mecanismos de busca (SEM)
  3. Marketing de conteúdo
  4. Marketing de Mídia Social
  5. Anúncio pague-por-clique (PPC)
  6. Marketing de afiliados
  7. Email marketing

A Unbounce criou um ótimo infográfico que reúne todos os tipos de marketing online em um elegante gráfico.

noob guide

(Fonte da imagem: Unbounce)

O guia para iniciantes de marketing online no Quick Sprout é um ótimo lugar para começar.

Ok, dito isso, quais outros tipos de marketing digital existem? Muitos na verdade.

Aqui estão as 4 grandes categorias do marketing digital offline.

Primeiro, tem o que eu chamo de marketing offline aprimorado. Essa é uma forma de marketing que é inteiramente offline, mas aprimorada com aparelhos eletrônicos.

Por exemplo, se o seu restaurante usa iPads para que seus clientes façam os pedidos, a experiência offline, comer comida Thai, é aprimorada com um aparelho eletrônico.

Pessoas têm usado mídia digital para aprimorar o marketing delas por décadas (você só tem se esquecido de quais maneiras, você só.).

digital media

(Fonte da imagem: San Diego Tribune)

Depois, tem o marketing de rádio. A próxima vez que você ouvir um irritante e empolgado vendedor de carro gritando cada palavra do seu comercial, agradeça ao Sr. Marconi.

Claro, não podemos esquecer o marketing de televisão. Comerciais de TV existem há mais de meio século (e desde 1953 também em cores, nacionalmente – sim, teve um tempo antes da TV a cores).

Ultimamente, a área de maior e mais rápido crescimento do marketing offline, reconhecidamente também com vários insucessos, fracassos e falhas: marketing de telefone.

Vamos ver essas 4 áreas mais detalhadamente.

Marketing offline aprimorado

Qual é a diferença entre um outdoor em algum lugar no deserto do Arizona, e um outdoor na Times Square em NY?

O tamanho? O produto?

3 letras: LED. Light emitting diodes (diodo emissor de luz).

Todos os outdoors na Times Square são eletrônicos e interativos!

billboards

(Fonte da imagem: Adweek)

Por quê? Porque no deserto do Arizona, ninguém está competindo pela atenção das pessoas. Se você tem um outdoor, você venceu.

Mas na Times Square, a atenção é provavelmente mais valiosa que em qualquer outro lugar no mundo. Mais de 330.000 pessoas passam por lá todos os dias.

Como se já não tivessem coisas suficientes para te distrair, buzinas, táxis, promotores gritando e, claro, os outdoors eletrônicos.

Alguns deles também são interativos, mostrando feeds ao vivo de pessoas na praça ou imagens dos clientes.

Alugar um outdoor na Times Square por um ano vai custar a você a enorme quantia entre $1.000.000 e $4.000.000.

Parece caro? Espere até você ouvir os preços dos comerciais do Super Bowl.

Quais outras formas o marketing offline aprimorado existem?

O que você vê quando você anda por uma loja da Apple hoje em dia?

apple store

(Fonte da imagem: Wikipedia)

Pessoas se inclinando sobre iPads, MacBooks e iPhones.

Se você tem qualquer tipo de aparelho eletrônico, qualquer demonstração de produto é uma forma de marketing digital.

Ok, o próximo é um bom exemplo. Se você conhece isso, você pode se considerar um garoto extremamente feliz:

disc

(Fonte da imagem: Emuparadise)

Esse é um disco demo do PlayStation original, e muitos desses foram entregues com outros jogos ou algumas vezes até em revistas.

Foi a mesma coisa com as revistas de PC. Se lembra quando eles viam com CDs e depois DVDs e você não podia esperar pra colocá-los em seu computador e descobrir quais demos tinham neles?

Um pouco diferente de um demo, são as amostras de produtos em formato digital.

Pessoas ainda fazem isso. Pense em todos aqueles que querem ser famosos na sua cidade, entregando fitas demos e CDs e agora provavelmente pen-drives, pra tentar que você ouça a música deles.

Certo, hora de dar uma olhada em todas as categorias de marketing digital que provavelmente duraram mais.

Marketing de rádio

Mais de 100 anos se passaram desde aquela primeira transmissão ao vivo da performance da ópera no Met e adivinhe – o rádio ainda está aí.

Desde que o rádio fez muito bem em migrar para a internet, ele nunca foi tão grande como a TV, e mesmo o antigo rádio ainda é importante.

Alguns fatos:

  • O rádio ainda alcança 85% da população dos EUA a cada semana
  • Ouvintes ouvem 2 h por dia em média
  • 40% de todas as despesas em propagandas de rádio no mundo vêm dos EUA
  • Aproximadamente metade da população dos EUA ouve rádio na internet pelo menos uma vez ao mês

Agora, ainda que os lucros tenham diminuído, o rádio não está morto. Graças aos 80 milhões de usuários do Pandora, ainda faz em torno de $4 bilhões de lucros a cada ano.

Mas além de criar um comercial de rádio criativo e matador, que vai fazer sucesso, o que mais existe?

Recentemente, um bom movimento feito pelo rádio na internet é fazer o que a maioria dos podcasts faz: propaganda no começo dos programas.

Especialmente se você é um apresentador de um programa cobrindo um tópico específico, por exemplo coaching, você pode se conectar em programas e produtos certos antes e depois da apresentação.

Desde que as mídias sociais concentram toda a propaganda nesses dias, deve ser bastante fácil encontrar uma rádio local, e entrar num programa, ser entrevistado e fazer uma boa negociação com eles.

Uma vez que você fizer, tenha certeza de conseguir alguns patrocinadores, pra garantir que você é o primeiro candidato da estação e pra que eles te deem o horário nobre e o melhor tempo no ar possível.

Em muitos casos, ir bem no rádio significa ser divertido.

Cadillac e Dairy Queen são duas marcas que apareceram com sólidos comerciais de rádio constantemente.

Você pode ouvir alguns exemplos aqui.

Marketing de TV

Marketing de televisão é como um Golias, tão grande que é difícil deixar pra lá. É também facilmente uma indústria onde boa parte do dinheiro é queimada todo ano.

Desde que o Google Video se tornou o Youtube, a eficiência dos anúncios de TV tem caído.

Quem vai querer assistir a um apresentador ruim de um programa da MTV fazendo uma avaliação de um jogo que você não faz idéia do que seja, quando você pode se juntar a 40 milhões de assinantes (!) assistindo PewDiePie que tem não só jogos incríveis, mas também comentário hilários.

Tudo de graça, é claro.

Então por que os comerciais de TV são praticamente inúteis, quando um americano em média ainda assiste 4 horas de TV por dia?

Não são específicos.

Anúncios de TV não são específicos. Em um mundo de retargeting, com mídias sociais e email marketing, nós estamos tão acostumados a sermos cercados de propagandas de produtos que nós já nos interessamos,  que nós simplesmente ignoramos tudo o mais que não é meramente relevante pra nós.

Se nós eventualmente formos forçados a ver um filme na TV, porque ele ainda não está no Netflix, uma companhia que faz $5 bilhões em faturamento anualmente hoje em dia, então o que nós fazemos?

Nós gravamos, e passamos rapidamente todos os comerciais.

Nós estamos acostumados a ter controle total.

Marketeiros precisam ser mais inteligentes e espertos.

Comerciais de TV impactam a todos indiscriminadamente.

Você por ver um comercial de creme para hemorroidas, seguido de um anúncio de Oreo e um spot de hamburgueres, tudo isso enquanto você está acima do peso, diabético e tem 22 anos de idade.

Uma pessoa assim deveria ser um péssimo target para ver esses anúncios, mas com a TV você nunca sabe quem você vai alcançar, apenas quantas pessoas você alcança.

Então além de algumas pessoas com insônia, quem assiste a comerciais informativos tarde da noite, garantindo que o Dr. Ho ainda venda alguns dos seus cintos descompressores, a propaganda de TV acabou?

Não completamente.

Ainda existe um tipo de anúncio de TV que vale a pena, mas ele vai custa caro.

Se lembra quando eu mencionei o outdoor na Times Square por um ano iria lhe custar um milhão?

Um comercial de 60 segundos no ar durante o Super Bowl custa $4,5 milhões.

Graças ao seu efeito de polinização cruzada, os normalmente virais e memoráveis comerciais ainda se pagam.

Aproximadamente 10% de todos os comerciais de TV compartilhados em mídias sociais vêm de comerciais do Super Bowl. Da mesma forma que cerca de 8% de todas as visualizações no Youtube que vão para vídeos de comerciais de TV.

Se o seu comercial vai para a lista negra, o efeito viral é normalmente mais forte. Como este da Carl’s Junior, que causou um monte de barulho nesse ano:

charlotte mckinney

(maldita Charlotte McKinney)

Comerciais do Super Bowl tem as mais altas taxas de retenção, como mostra este infográfico. Mais da metade dos participantes diz se lembrar do Comercial “Puppy Love” da Budweiser.

O que mais, esses comerciais se tornaram ativos online, gerando milhões de visualizações ao longo do tempo, como o famoso comercial da Volkswagen Star Wars, que gerou 62 milhões de visualizações.

vw

(será que a força estaria com ele?)

Tristemente, a grandeza dos comerciais do Super Bowl é provavelmente um remanescente dos tempos de sucesso que estão por acabar.

Os $200 bilhões que as companhias ainda gastam anualmente no mundo em comerciais de TV são dificilmente justificáveis, já que uma em cada 10 pessoas nos Estados Unidos já tem uma conta no Netflix.

A TV da forma que conhecemos vai morrer e vai dar espaço para experiências mais customizadas que nós já estamos nos acostumando.

Então se você realmente planeja fazer marketing digital offline, melhor focar no mercado do futuro.

Como este.

Marketing de Telefone

Nós ainda não descobrimos e demos o devido crédito ao marketing de telefone.

Smartphones são arrasadores.

Agora mais de 80% dos usuários de internet possuem um smartphone e em 2014 mais pessoas estão acessando a internet pelos seus telefones do que pelo computador.

marketing mobile está aí, e em 2016 o valor gasto em anúncios mobile vai superar pela primeira vez o valor gasto em anúncios para computadores.

Em 2020, terão sido gastos tanto dinheiro em anúncios mobile, quanto se gasta agora em propagandas de TV, isso não é um crescimento rápido?

Mas antes de olharmos para o tipo de marketing de telefone que você pode fazer para os usuários de smartphones com conexão à internet, vamos dar uma olhada em algumas formas offline para divulgar os seus produtos.

Existem 2 aplicativos, que são extremamente subestimados, mesmo estando em todos os telefones, smart ou não:

Ligações e mensagens.

Cold calling é o ato de ligar para uma pessoa sem nenhum contato anterior, e tentar vender alguma coisa pra ela.

Mesmo com cerca de 3 vendas por dia (profissionais de marketing ligam para 52 pessoas por dia em média, com cerca de 17 ligações até encontrar um comprador), não tem a escalabilidade das mídias sociais ou do email, mas ainda é uma forma válida de marketing.

A tática funciona, mas não é muito boa quando se está vendendo para consumidores finais (B2C) e, fazer contato antes de tentar vender, ajuda a fechar negócio (especialmente em B2B, que é inteiramente baseado em relacionamentos).

O que funciona melhor é marketing via mensagens, um “aplicativo” que também está disponível em cada telefone por aí.

Online ou offline, uma mensagem de texto é praticamente uma leitura garantida.

Já que o MMS obviamente reduziu bastante depois que a web se tornou disponível e o uso de dados móveis caiu bastante, mensagens de texto ainda são uma boa forma para alcançar pessoas e levar valor em 160 characters ou menos.

Você deveria definitivamente pedir permissão primeiro, como por exemplo, usar um formulário para que seus clientes enviem uma certa palavra para um número de telefone. Existem vários provedores que oferecem marketing em mensagens em escala.

Veja alguns exemplos de como você pode alavancar o marketing de mensagem de texto:

pizza

(Fonte da imagem: Tatango)

Promoções especiais, cupons e descontos são ótimas maneiras para um restaurante conquistar clientes adicionais e transformá-los em clientes regulares.

Você pode ver mais exemplos de campanhas de mensagem de texto de sucesso de restaurantes.

O serviço de locação de DVD’s Red Box criou uma campanha de sucesso também. Eles permitem aos seus clientes enviar DEALS para o número 727272 em troca de um jogo de apostas.

Eles recebem um desconto randômico na próxima locação, entre $0,10 e $1,50.

Em apenas 10 dias eles se conectaram com 400.000 clientes e geraram mais de 1,5 milhão de mensagens de texto.

Usando lembretes de texto como um serviço ao cliente também pode aumentar o seu marketing mobile, como o Walmart faz. Eles lembram seus clientes quando a receita deles está pronta para ser retirada. Até agora eles enviaram mais de 1 bilhão de lembretes por texto.

Outra opção é criar um programa de fidelidade onde seus clientes podem trocar pontos em um aplicativo ou quando pagarem através de seus telefones. Apenas 13% dos varejistas tem um, então é uma opção para se destacar.

Já que 98% de todas as mensagens de texto são abertas, e 90% delas em até 3 minutos da sua chegada, mensagens de texto são também uma ótima oportunidade para promover uma promoção imperdível que você esteja fazendo.

Usando uma ferramenta como o Heyo você pode facilmente criar uma promoção imperdível customizada para mobile e que funcione bem no Facebook e outras plataformas de mídia social, como esta:

countdown

(Fonte: Facebook)

Entretanto, existe uma área de marketing mobile que você deveria provavelmente evitar: QR codes.

Apesar que esses códigos de barra costumavam aparecer em todo lugar alguns anos atrás, e alguns profissionais de marketing ainda confiarem neles, eles estão praticamente mortos.

qr code

(Exemplo de QR code do Wikipedia)

Em 2011, apenas 6% dos usuários de telefones celulares nos EUA tinham escaneado um QR code, no ano todo, e até 2012 97% dos consumidores nem sabiam o que era um QR code.

Mesmo que eu não tenha 100% de certeza do porquê deles não serem um grande sucesso como todo mundo queria que eles fossem, eu suspeito que é porque o sistema era muito complexo.

Para escanear um QR code você sempre tinha que baixar um aplicativo específico, como o Barcoo.

O conteúdo correspondente abriria dentro do aplicativo, que normalmente não era otimizado para mobile.

Grandes marcas também não respeitaram o contexto dos QR codes, os colocando em lugares bem ruins, como estações de metrô sem recepção de celular ou em comerciais de TV, onde eles só eram vistos por alguns segundos.

Então não perca seu tempo com QR codes. Seu tempo e dinheiro serão melhor gastos em outros lugares.

Conclusão

Esse é o escopo do marketing digital. Como você pode ver a internet não é nem de longe o único lugar para profissionais de marketing fazerem sucesso, mesmo em 2015.

Claro que ninguém pode se permitir perder as oportunidades da web e eventualmente todos os profissionais de marketing terão que se tornar mestres no marketing online.

Mas empregar algumas dessas táticas de marketing offline pode ajudá-lo a não colocar todos os seus ovos no mesmo cesto e diversificar a sua geração de leads tremendamente.

Abaixo você tem o detalhamento do marketing digital novamente:

Marketing Online

  1. Otimização dos mecanismos de busca (SEO)
  2. Marketing dos mecanismos de busca (SEM)
  3. Marketing de conteúdo
  4. Marketing de Mídia Social (SMM)
  5. Anúncio pague-por-clique (PPC)
  6. Marketing de afiliados
  7. Email marketing

Marketing offline

  1. Marketing offline aprimorado
    1. Outdoors eletrônicos
    2. Demonstrações de produtos digitais
    3. Amostras de produtos digitais
  2. Marketing de Rádio
    1. Comerciais de rádio
    2. Patrocínios de programas
  3. Marketing de TV
    1. Comerciais de TV
    2. Teleshopping
    3. Comerciais do Super Bowl
  4. Marketing de telefone
    1. Cold calling
    2. Marketing de mensagens de texto (promoções imperdíveis, cupons, programas de fidelidade)
    3. QR codes

Eu espero que esse guia tenha expandido um pouco a sua visão e lhe mostrado que o marketing digital é mais do que anúncios no facebook e agitos em mídias sociais.

Você usará algumas dessas táticas no seu negócio?

Quais dessas você se lembra de um daqueles dias, e eu me esqueci de alguma?

Me conte as suas maiores lições nos comentários.

Share